Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CÂMARA DE CAMINHA TEM GARANTIA DA ADMINISTRAÇÃO DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS (CGD) SOBRE MANUTENÇÃO DO BALCÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

A Câmara Municipal de Caminha foi informada pela Administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) de que a agência de Vila Praia de Âncora se manterá aberta ao público e em funcionamento nos mesmos moldes em que está atualmente. Segundo a informação recolhida junto da CGD, o balcão de Vila Praia de Âncora foi excluído do programa de encerramento de agências que está em curso.

presidente.jpg

As conversações mantidas ao longo das ultimas semanas que tiveram como ponto alto a reunião que o Presidente da Câmara Municipal de Caminha teve, no passado dia 20 de março, com o Administrador Executivo responsável pela organização da CGD em todo o país, culminaram nesta decisão positiva para Vila Praia de Âncora e todo o vale do Âncora, num momento em que parecia difícil inverter o encerramento do balcão situado na vila mais populosa do concelho.

Esta é uma boa notícia e uma vitória da população de Vila Praia de Âncora que percebeu, desde sempre, que o valor do diálogo se sobrepõe ao do insulto e que o valor da negociação é substantivamente maior do que o valor da ameaça. A Câmara Municipal de Caminha saúda os cidadãos e as instituições que, com argumentos e urbanidade, souberam defender os interesses de Vila Praia de Âncora e do nosso concelho e garante que manterá a sua vigilância relativamente aos processos de encerramento de serviços públicos que, durante alguns anos, criaram problemas ao concelho mas que nos últimos três anos tem sido possível afastar da nossa terra.

caixa geral depositos vps.jpg

FIM DE SEMANA GASTRONÓMICO COMEÇA HOJE EM CAMINHA E INCLUI UM EXCECIONAL PROGRAMA DE ATIVIDADES

Entre o robalo e o leite-creme queimado, há um mar de ofertas para experimentar

A partir de hoje e até domingo, decorre o Fim-de-semana Gastronómico “Robalo Escalado do Mar da Ínsua”, que tem na ementa, como prato principal, o magnífico robalo do nosso mar e, à sobremesa, o tradicional leite-creme queimado. Esta é uma organização do Turismo do Porto e Norte de Portugal, E. R., que tem como parceiros a Câmara Municipal de Caminha e os Empresários do Concelho de Caminha. À parte da refeição, o Município preparou um programa de atividades excecional e variado.

robalo1.jpg

Sobre a qualidade do peixe capturado e servido no concelho não há muito a dizer. As espécies e a mestria colocada na preparação, pelos nossos restaurantes, são, por si só, embaixadores de Caminha e motivos para visitar o nosso concelho durante todo o ano. Este fim-de-semana, dedicado especialmente ao robalo, apresenta motivos acrescidos para vir e ficar por cá.

Mesmo assim, não será possível experimentar toda a oferta disponível ou assistir aos numerosos espetáculos que estão em cartaz. Há música, cinema, poesia, mostra de produtos gastronómicos locais com degustação, feiras, exposições e muito mais, para além dos espaços que poderá visitar. Consultar o programa é, por razões acrescidas, indispensável.

PROGRAMA DE ATIVIDADES

FIM DE SEMANA 24 A 26 MARÇO

SEX 24 MARÇO

ARTUR CALDEIRA

CONCERTO GUITARRA

Hora: 21H30

Local: Valadares, Teatro Municipal

Se gosta de música clássica, não perca esta interpretação artística!

SÁB 25 MARÇO

FEIRÃO DE TRADIÇÕES – OS SABORES DO CAMPO

MOSTRA DE PRODUTOS AGRÍCOLAS LOCAIS

Hora: 09H00 – 13H00

Local: Junto ao Mercado Municipal de Caminha

MOSTRA DE PRODUTOS GASTRONÓMICOS LOCAIS COM DEGUSTAÇÃO

Hora: 11H00

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Hora: 12H30

Local: Loja Interativa de Turismo de Caminha

PALAVRAS E MÚSICA - POESIA

Hora: 11H00

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Hora: 12H30

Local: Loja Interativa de Turismo de Caminha

FEIRA DE ARTESANATO

Hora: 10H00 – 17H00

Local: Arcadas Edifício Paços do Concelho

1º AUDIÇÃO DE MÚSICA LUSO-GALAICA

Hora: 18h00

Local: Sede da Banda Musical Lanhelense

MASTERCLASS DE GUITARRA - ARTUR CALDEIRA

Hora: 21h30

Local: Academia de Musica Fernandes Fão Vila Praia de âncora

ELEMENTOS SECRETOS - CINEMA

DRAMA

TedMelfi, 2017, EUA, (M/12)

Hora: 21H30

Local: Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora

Reservas: T 913928313

Os bilhetes podem ser adquiridos na Sede dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora e nos dias da exibição no Cineteatro.

“CAVAQUINHO CANTADO”

DANIEL PEREIRA CRISTO EM QUINTETO

Hora: 22H30

Local: Valadares, Teatro Municipal

Bilhetes à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora

Mais informações: T 937591220

DOM 26 MARÇO

FEIRA DE ARTESANATO

Hora: 10H00 – 17H00

Local: Arcadas Edifício Paços do Concelho

ELEMENTOS SECRETOS - CINEMA

DRAMA

TedMelfi, 2017, EUA, (M/12)

Hora: 15H00

Local: Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora

Reservas: T 913928313

Os bilhetes podem ser adquiridos na Sede dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora e nos dias da exibição no Cineteatro.

EXPOSIÇÕES

ATÉ 16 ABRIL

“MÚSICA E PALAVRAS – OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES”

EXPOSIÇÃO ARTE CONTEMPORÂNEA

Locais: Museu Municipal de Caminha, Antigo Posto de Turismo, Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha – Torre do Relógio, Galeria de Arte Caminhense

Horário: Terça a domingo 10H00-13H00/14H00-18H00

Entrada gratuita

Mais informações em museu@cm-caminha.pt  ou T 258023178

ATÉ 30 ABRIL

EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA 2016

Local: Galeria Guntilanis, Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

Entrada gratuita

Mais informações em museu@cm-caminha.pt ou T 258023178

01 A 31 MARÇO

JOÃO BARROS

PINTURA

Local: Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora

Organização: Câmara Municipal de Caminha

Entrada gratuita

MUSEUS

MUSEU MUNICIPAL DE CAMINHA

EXPOSIÇÃO PERMANENTE DE ARQUEOLOGIA

Rua Dr. Luciano Amorim e Silva

museu@cm-caminha.pt

Horário: terça a domingo: 10h00 - 13h00 / 14h00 - 18h00h

  1. 258 023 178

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DO CENTRO HISTÓRICO DE CAMINHA

Praça Conselheiro Silva Torres

  1. 258 710 310 / 91 230 02 22

Entrada gratuita neste fim-de-semana

Das 10h00-13h00 / 14h00 18h00

NÚCLEO MUSEOLÓGICO DA MEMÓRIA, ARTES E OFÍCIOS DE RIBA DE ANCORA

E VISITA AOS MOINHO D’APARDAL

Largo do Espírito Santo, Riba de Âncora

Visita gratuita com inscrição em: jfribadeancora@gmail.com ou Tel. 96 415 49 20

CENTRO DE INTERPRETAÇÃO MUSEOLÓGICA DO VALE DO ANCORA 

Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora

Avenida do Centro Cívico, Vila Praia de Âncora

Horário: 14h30 às 17h30

Visita gratuita, número mínimo de participantes: 5 pessoas

Marcação até às 15h00 da 4ª feira que antecede o fim-de-semana para:

Tel. +351 936 351 458 | cscvpa.ccultural@mail.telepac.pt

robalo2.jpg

robalo3.jpg

NOITES DE SEXTA E SÁBADO IMPERDÍVEIS NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Concertos de Artur Caldeira (Guitarra) e Daniel Pereira Cristo em Quinteto (Cavaquinho Cantado)

As próximas noites de sexta-feira e sábado são verdadeiramente imperdíveis, para quem gosta música. Pelo palco do Valadares, Teatro Municipal de Caminha vão passar, respetivamente, Artur Caldeira e Daniel Pereira Cristo em Quinteto. Na primeira noite, a guitarra será rainha, enquanto o “Cavaquinho Cantado” é o tema de sábado.

Na sexta-feira, dia 24 de março, pelas 21h30, o palco será de Artur Caldeira, que traz a Caminha um concerto de guitarra, numa organização da Academia de Música Fernandes Fão, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e Ministério da Educação.

Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística pela ESMAE, onde é atualmente professor. Premiado em vários concursos, fundou o grupo “Som Ibérico”, para o qual escreveu vários arranjos de temas da Música Popular Urbana Portuguesa. Com este grupo participou em importantes festivais de World Music na Península Ibérica e gravou um CD. Em Música de Câmara trabalhou ainda com José Pina e Jed Barahal.

A sua versatilidade permite-lhe abordar um repertório que abrange diversos idiomas musicais, incluindo o Jazz. Destaca-se também pela sua ligação ao Fado, tendo acompanhado fadistas como Carlos do Carmo, Mariza e João Braga, entre outros.

Sábado, dia 25 de março, a partir das 22h00, tem lugar o concerto “Cavaquinho Cantado”, de Daniel Pereira Cristo em Quinteto. A organização é da Arca de Sons – Associação Cultural, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e MusicTrad. Os bilhetes estão à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora. Mais informações em: 937591220

Desde muito cedo na sua vida, que os instrumentos tradicionais e os cordofones em particular, fazem parte da existência e da música do Daniel. O seu percurso a solo, começa com um desafio vindo da Galiza (para que mostrasse as sonoridades dos cordofones tradicionais em várias localidades, destacando-se o concerto no Teatro Rosalía de Castro) e com o convite de Júlio Pereira, para fazer um trabalho discográfico, com a chancela da Associação Cultural Museu Cavaquinho, que aliasse o Canto com o Cavaquinho.  Em trio, com o concerto “Cordofonias”, explorou as sonoridades dos instrumentos ancestrais da tradição minhota, do cavaquinho à braguesa, passando pelo bandolim, fazendo uma viagem ora por sons da tradição oral, nas músicas cantadas, ora pelos instrumentais que compõe.

É de toda esta amalgama de experiências e vivências que surge este concerto, para apresentação deste “Cavaquinho Cantado”, com Diogo Riço na Bandola, André NO nas Percussões e David Estêvão no Contrabaixo, aos quais se junta um quinto elemento para a formação completa em quinteto.

Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe. A produção musical está a cargo do técnico e multi-instrumentista Hélder Costa, com Sérgio Lajas no desenho de luz.

ENCONTRO DE PARTICIPAÇÃO EM VILE APROVOU CINCO PROPOSTAS

Segue-se a análise técnica que avalia viabilidade das intervenções/aquisições

Do último Encontro de Participação, realizado ontem no âmbito do 3º Orçamento Participativo de Caminha, na sede da Junta de Freguesia de Vile, houve cinco propostas finalistas, que passam agora à fase de análise técnica de validação. Trata-se da Execução do caminho de acesso à capela de santo Amaro (Riba de Âncora); Recuperação do trilho da calçada romana de S. Pedro de Varais (Vile); Aquisição de um camião grua (Âncora); Caminho do Lameiro (Vile) e Remoção das águas da estrada do Calvário (Âncora).O Orçamento Participativo de Caminha é um processo de participação cidadã, que pretendegarantir o envolvimento dos munícipes na decisão anual sobre as prioridades de investimento público autárquico.

Vile.jpg

O Encontro era direcionado sobretudo para as freguesias de Vile, Riba de Âncora e Âncora e as propostas finalistas acabaram por visar assuntos das três freguesias. O número de participantes foi ligeiramente além das quatro dezenas de pessoas, que se organizaram em sete grupos. O número de propostas apresentadas nos grupos           foi de 29, das quais 14 seriam apresentadas no plenário.

As propostas mais votadas em plenário, segundo a ordem de pontuação, foram:Execução do caminho de acesso à capela de santo Amaro (Riba de Âncora – (27 votos); Recuperação do trilho da calçada romana de S. Pedro de Varais (Vile) – (19 votos);     Aquisição de um camião grua (Âncora) – (17 votos); Caminho do Lameiro (Vile) – (12 votos) e Remoção das águas da estrada do Calvário (Âncora) – (7 votos). As cinco vão agora, como referimos, ser alvo de análise técnica de validação.

Esta é já a 3ª edição do Orçamento Participativo de Caminha. Os encontros de participação, onde a população pode apresentar as propostas e decidir os projetos que quer para o concelho de Caminha, começaram a 13 de março, em Arga de Baixo. 

Em Caminha, os cidadãos continuam a decidir como investir os seus impostos.A implementação do Orçamento Participativo de Caminha é uma das bandeiras do executivo liderado por Miguel Alves. Como o tem afirmado em várias ocasiões “em Caminha, como em nenhuma outra parte do mundo, são as pessoas que decidem o que fazer com a percentagem de IRS que fica no concelho. Não existe isto em lado nenhum e é por isso que o concelho de Caminha foi convidado pela Comissão Europeia para ir à Tunísia mostrar como se fazem as coisas”.

O Orçamento Participativo de Caminha é um processo de participação cidadã, que visa assegurar o envolvimento dos munícipes na decisão anual sobre as prioridades de investimento público autárquico, reforçando, desse modo, os mecanismos de interação com a população, de transparência na alocação dos recursos públicos e de aprofundamento da democracia a nível local.  O Orçamento Participativo 2017 contempla uma verba de 195 mil euros, o que correspondente ao montante de IRS que se prevê que os munícipes do concelho paguem durante o ano de 2017. É importante referir que cada projeto não poderá ultrapassar os 65 mil euros.

No âmbito desta edição, haverá ainda mais dois encontros: em Vila Praia de Âncora, no dia 27 deste mês, a realizar no edifício do Centro Coordenador de Transportes, e no dia 29 próximo, tem lugar o último, na sede da Junta de Freguesia de Vilarelho, direcionado sobretudo para as freguesias de Caminha, Vilarelho, Moledo e Cristelo.

Vile1.jpg

Vile2.jpg

CAMINHA: SONICBLAST REGRESSA A MOLEDO

O SonicBlast volta a Moledo, concelho de Caminha, para a sua 7.ª edição e a organização acaba de anunciar mais sete nomes que vão atuar em Moledo nos dois palcos que compõem o recinto, o Pool Stage e o Main Stage.

moledooo (1).jpg

O festival que se assume como um encontro perfeito entre praia, piscina, surf, skate e muito rock acaba de adicionar mais sete nomes ao seu cartaz: The Machine, Death Alley, Blaak Heat, Löbo, Toxic Shock, Vinnun Sabbathi e Holy Mushroom.

Desde os repetentes The Machine, que atuaram quatro anos atrás na 3ª edição do SonicBlast Moledo, a novas apostas de bandas na vanguarda da inovação como os Blaak Heat, estes sete nomes juntam-se a um cartaz que contava já com nomes como: Orange Goblin, Kadavar, Elder, Sasquatch, Monolord, Kikagaku Moyo, entre outros.

moledooo (2).jpg

A localização privilegiada do SonicBlast Moledo continua a fazer dele uma das datas mais marcantes no calendário de festivais de música no norte do país. Com os concertos da tarde a serem feitos no recinto da piscina e com a praia de Moledo apenas a 5 minutos do recinto, este Festival prima pelo contacto direto com o que a natureza tem para oferecer. O parque de campismo, incluído no Passe Geral, insere-se também num pinhal junto à praia.

O passe geral para o SonicBlast custa 42€ até junho, data em que os preços serão atualizados. Os bilhetes diários custam 28€.

Os bilhetes para o SonicBlast Moledo estão à venda em toda a rede BOL e associados: Bilheteira Online, Lojas FNAC, Worten, CTT.

Mais informações:

Bilhetes:

BOL: http://bit.ly/2mXfVC9

Masqueticket: http://bit.ly/2nhgbfT

Passe Geral: 

- 42€ (até 30 de junho)

- 48€ (até 31 de julho)

- 55€ (Agosto)

Bilhete Diário: 28€

Confirme outros pontos de venda aqui.

Informação sobre o recinto

Localizado no Centro Cultural de Moledo, o SonicBlast Moledo tem dois palcos, uma piscina, bares e zona de restauração (comida tradicional e vegetariana/vegana).

O campismo situa-se no pinhal do camarido, junto à praia, a 5 minutos a pé do recinto.

Onde Fica:

Rua da Costa

4910 Moledo, Caminha

Como chegar:

  • Carro: A partir do Porto através da A28; de Tui (Espanha)/Valença do Minho pela N13 - saída Moledo do Minho.  GPS: 41.848062 - 8.860192
  • Autocarros: Directos do Porto ou Lisboa até Caminha (vila que dista 3 km de Moledo do Minho)
  • Comboio: Desde o Porto, comboio em direcção a Valença/Vigo (Estação "Moledo do Minho"; estações próximas "Vila Praia de Âncora" e "Caminha").
  • AeroportoVigo(Espanha) e Aeroporto Sá Carneiro (Porto)

Confirma mais informação sobre o festival no site oficial do SonicBlast Moledo

moledooo (1).png

RALLY DE PORTUGAL 2016 ASSEGUROU AO CONCELHO DE CAMINHA RETORNO ECONÓMICO SUPERIOR A 3 MILHÕES DE EUROS

Avaliação é do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve

A edição 2016 do Rally de Portugal assegurou ao concelho de Caminha um retorno económico direto entre os 3.101.227 euros e 3.440.158 euros, relativo a despesas de adeptos e equipas. A conclusão consta do estudo de Impacto Direto do WRC Vodafone Rally de Portugal na Economia do Turismo, análise à escala municipal, Caminha, da responsabilidade do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve (CIITT-UALG).

Rally2016_024.jpg

A equipa de investigadores, coordenada pelo professor Fernando Perna, realizouum estudo da edição 2016 no Norte de Portugal, ao longo de 10 meses, entre janeiro e outubro de 2016. Para os investigadores, não há dúvida de que “o concelho de Caminha tem no WRC Vodafone Rally de Portugal 2016 um instrumento estratégico de marketing turístico que concretiza oseu contributo ativo para a prossecução de quatro objetivos regionais”.

São eles, segundo este estudo, “aumentar a atratividade do destino e elevar os seus níveis de notoriedade; harmonizar e consolidar transversalmente a qualidade da oferta; melhorar os indicadores do turismo e reduzir assimetrias entre os destinos e estimular o espírito colaborativo entre os stakeholders para a adoção de uma abordagem alinhada ao nível do desenvolvimento e promoção do destino”.

Recorde-se que a adesão ao WRC Vodafone Rally de Portugal foi uma aposta do Executivo liderado por Miguel Alves, que viu a participação na prova garantida pelos votos da maioria.

A opção por eventos que qualificam a oferta turística do concelho está, aliás, a dar excelentes resultados. Segundo o INE, o número de turistas no concelho de Caminha cresceu 35% em 2015, batendo todos os recordes e colocando o Município como o segundo do distrito na atração de visitantes e o sexto de toda a região do Minho.

De acordo com os números mais recentes das nossas unidades hoteleiras, o número de dormidas cresceu 12% em janeiro e fevereiro de 2017, quando comparado com os mesmos meses do ano passado e o número de reservas para o que resta para este ano é já 100% superior ao número de reservas que existiam, nesta data, há um ano, para todo 2016.

O estudo do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve sublinha a importância da aposta no Rally de Portugal e garante: “prestes a comemorar os 50 anos do primeiro Rally de Portugal, o WRC Vodafone Rally de Portugal consolida-se como o maior evento realizado no país desde a Fase Final do UEFA EURO 2004, assente na excelência da sua capacidade de criar e disseminar efeitos sobre o território. Com caráter estrutural, o Rally é organizado de forma regular e periódica pelo Automóvel Club de Portugal, em constante inovação quer no espaço quer o conteúdo, criando novos fluxos e receitas turísticas de dimensão única ao nível de um evento organizado em território nacional, no qual a parceria com os municípios é parte integrante e condição necessária para o sucesso”.

A passagem do Rally no concelho tem permitido também realizar obras que melhoram significativamente a vida das populações, sobretudo da Serra d’Arga, de que é exemplo a beneficiação dos caminhos florestais, mas também o incentivo às associações e à economia local, assim como a visibilidade que essas freguesias conseguem a nível internacional.

A investigação da equipa do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve (CIITT-UALG) constitui uma monitorização externa e contínua do maior evento desportivo e turístico regularmente organizado e realizado em Portugal.

Recorde-se que o Rally de Portugal de 2016 teve um impacto na economia de 129 milhões de euros e foi a prova de maior audiência televisiva no campeonato do mundo, conforme revelou recentemente Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Clube de Portugal.

O dirigente revelou esta informação na apresentação do Estudo de Impacto Económico da prova em 2016, citando dados fornecidos pela Federação Internacional do Automóvel (FIA).

Calcula-se que o Rally de Portugal tenha tido um impacto de 990 milhões na última década.

Rally2016_099.jpg

CAMINHENSES REALIZAM CAMINHADA CONCELHIA

Caminhada concelhia regressa em abril

Estão abertas as inscrições para a próxima edição da caminhada concelhia, que se realiza já no próximo dia 8 de abril, sábado, pelas 14h30.

Caminhada concelhia.jpg

A volta a pé ao concelho famalicense prossegue agora pelas freguesias de Riba de Ave, Oliveira de São Mateus, Oliveira de Santa Maria e Pedome, num percurso total de 15 quilómetros, de dificuldade média.

Com ponto de partida e chegada na igreja de Riba de Ave, esta terceira caminhada percorre oextremo sudeste do concelho de Vila Nova de Famalicão, atingindo o ponto mais alto no monte de Santa Tecla e o mais baixo junto ao rio Ave, no lugar da Ponte.

As inscrições são gratuitas e podem ser efetuadas no site do município, emwww.vilanovadefamalicao.org/_caminhada_concelhia

PRESIDENTE DA CÂMARA DE CAMINHA REUNIU COM ADMINISTRAÇÃO DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

Na agenda o balcão de Vila Praia de Âncora

O Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, reuniu ontem com responsáveis da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa, a propósito do possível encerramento do balcão de Vila Praia de Âncora. A reunião foi o culminar de um intenso diálogo promovido pela Câmara Municipal ao longo das últimas duas semanas que levou o Presidente à sede nacional do banco público e que agora aguarda por desfecho.

Miguel Alves levou a Lisboa a particular circunstância de Vila Praia de Âncora ser a maior freguesia do concelho de Caminha e uma das vilas mais populosas do Alto Minho. Explicou o efeito de atração que a localidade exerce sobre todo o Vale do Âncora, a especial relação que o banco detém com a população mais idosa e com menos recursos, a deficitária rede de transportes públicos que penaliza a mobilidade para Caminha e Viana do Castelo e a convicção de que o banco público cumprirá melhor a sua função primordial se permanecer nos territórios onde estão as pessoas. A autarquia apresentou várias propostas e vincou a sua total disponibilidade para encontrar soluções no presente e no futuro.

De acordo com o Presidente da Câmara Municipal de Caminha, “da reunião com a Administração da Caixa transpareceu um espirito de diálogo construtivo que contrasta com posições demagógicas que vieram a público nos últimos dias. A autarquia preocupou-se mais com as soluções e menos com os insultos, que o banco, infelizmente, conhecia e julgo que a Caixa compreendeu e valorizou a postura que o Município soube ter ao longo destas negociações. Saí de Lisboa sem uma resposta que terá que ser geral e universal, mas trouxe a perceção de que a Administração da Caixa compreendeu que o banco deve continuar ao serviço de Vila Praia de Âncora. Vamos aguardar serenamente pela resposta que vier a ser dada ainda durante esta semana”.

MINHOTOS E GALEGOS PERCORREM PERCURSO PEDESTRE “CAMINHO DOS BURROS” NO PRÓXIMO SÁBADO

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda

Os Municípios de Caminha e A Guarda acordaram na realização, entre março e outubro deste ano, de vários percursos pedestres, tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. O primeiro, Caminho dos Burros S. Xián (O Rosal) – A Guarda, realiza-se este sábado, dia 25 de março.

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas.

Sábado, 25 março, realiza-se o primeiro dos percursos: Caminho dos Burros, desde S. Xián (O Rosal) – A Guarda, numa distância de 17 quilómetros. A saída está prevista para as 13h00.

As inscrições deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.pt ou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

MUNICÍPIO DE CAMINHA ADERE À HORA DO PLANETA DESLIGANDO SIMBOLICAMENTE A ILUMINAÇÃO

Sábado, entre as 20h30 e as 21h30, em artérias e monumentos de Caminha e Vila Praia de Âncora

O Município de Caminha vai aderir à iniciativa “A Hora do Planeta 2017”, que tem lugar no próximo sábado, dia 25 de março. Nesse âmbito, em Caminha e Vila Praia de Âncora, simbolicamente, entre as 20h30 e as 2hH30, será desligada a iluminação num conjunto de artérias e monumentos. Em Caminha será desligada a iluminação na Rua Ricardo Joaquim Sousa e Rua de S. João, na Torre do Relógio e na Igreja Matriz. Em Vila Praia de Âncora, ficarão nesse período sem iluminação a Praça da República, Rua 5 de Outubro até aos Bombeiros Voluntários e Rua 31 de Janeiro.

A “Hora do Planeta” é uma iniciativa da WWF, que começou em 2007, em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora, numa tomada de posição contra as mudanças climáticas.

Um ano depois, a “Hora do Planeta” tornou-se um movimento de sustentabilidade global, com mais de 50 milhões de pessoas em 135 países a mostrarem o seu apoio a esta causa, ao desligarem simbolicamente as suas luzes.

Como uma das primeiras campanhas acerca das alterações climáticas, a “Hora do Planeta” tem crescido, a partir de um evento simbólico numa única cidade para o maior movimento do mundo em defesa do ambiente.

Refira-se que a “Hora do Planeta” em 2016 chegou a 178 países e territórios, e a mais de 9000 cidades e vilas.

Em Portugal, 110 municípios aderiram e centenas de monumentos emblemáticos nacionais ficaram às escuras.

O objetivo da ação é divulgar e sensibilizar os cidadãos em todo o mundo sobre o poder que todos temos para combater as alterações climáticas. Mais informação em www.wwf.pt

MAIS DE 400 CRIANÇAS JÁ ADERIRAM AO PROJETO-PILOTO DO MUNICÍPIO DE CAMINHA E APRENDEM A NADAR GRATUITAMENTE

Projeto-piloto arrancou a 1 de fevereiro e está a ser um sucesso 

Mais de quatro centenas de crianças do concelho estão a participar no projeto-piloto lançado pelo Município, “Caminha sabe Nadar” e estão a aprender a nadar, gratuitamente, nas piscinas municipais de Vila Praia de Âncora. A iniciativa, dirigida a crianças até aos oito anos, faz parte de um conjunto de políticas no âmbito do desporto, de aposta em atividades ligadas ao mar e ao rio e está a ser um sucesso, ultrapassando mesmo as expectativas iniciais.

Caminha sabe nadar (1).jpg

O projeto-piloto “Caminha Sabe Nadar” arrancou a 1 de fevereiro último, com o objetivo de incentivar o desporto no concelho. O executivo pretendia, com este projeto, proporcionar a todas as crianças do concelho de Caminha, com idade menor ou igual a oito anos, aulas de adaptação ao meio aquático e natação para que fiquem dotadas de mecanismos de defesa em meio aquático, para que possam desfrutar de qualquer desporto náutico em segurança.

Face aos resultados, passado pouco mais de um mês e meio, “o que se pode dizer é que a estratégia delineada, de aposta em todas as atividades que têm a ver com a náutica, está a resultar. É importante num concelho, vocacionado para atividades de mar e rio, que todos saibam nadar, e em especial as crianças. Iniciámos um projeto-piloto, nas piscinas municipais, que proporciona às crianças até aos oito anos a possibilidade de, gratuitamente, aprenderem a nadar e a adesão é excelente”, considera o vereador do Desporto, Rui Teixeira.

“Em menos de dois meses inscreveram-se mais de 400 crianças, o que demonstra que o projeto está a ser um sucesso”, conclui ainda o vereador.

Recorde-se que, para fazer parte deste projeto-piloto é necessário reunir os seguintes requisitos: idade menor ou igual a oito anos e residência no Concelho de Caminha.

CAminha sabe nadar1.jpg

VILA PRAIA DE ÂNCORA: PASSAGEM INFERIOR PEDONAL NA TRAVESSA DO TEATRO É A VITÓRIA DO BOM SENSO E DE TODOS OS QUE NÃO DESISTIRAM

Miguel Alves: hoje é um dia de contentamento para todos quantos gostam verdadeiramente de Vila Praia de Âncora”

O lançamento do concurso que compreende a construção de uma Passagem Inferior Pedonal na Linha do Minho, na zona da Travessa do Teatro, em Vila Praia de Âncora foi realizado hoje, dia em que a Câmara Municipal e a IP assinaram também o respetivo protocolo.

Protocolo CMC - IP (1).jpg

A obra vai custar cerca de meio milhão de euros e culmina um longo processo de negociação iniciado por este Executivo, que assim responde, da melhor forma, aos anseios e à luta da população da Vila. Como referiu Miguel Alves, “hoje é um dia bom para Vila Praia de Âncora”. A cerimónia decorreu num espaço municipal junto à Linha do Minho, precisamente no local onde a passagem vai nascer, na presença do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e dos secretários de Estado das Infraestruturas e do Desenvolvimento e Coesão, respetivamente, Guilherme Oliveira Martins e Nélson de Souza.

“Hoje é um dia bom para Vila Praia de Âncora. Hoje é um dia de contentamento para todos quantos gostam verdadeiramente da sua terra, de todos aqueles que sabem que se cumpriu um anseio antigo da população. Hoje, quem tem responsabilidade política e é livre, não subjugado a valores menores, comparece e alegra-se com esta enorme vitória de todos os ancorenses: hoje celebramos o protocolo que tornará realidade a ligação pedonal sob a Linha do Minho junto à Travessa do Teatro, uma vitória do povo que muitos não acreditavam ser possível”, referiu o presidente da Câmara no início da sessão.

Recorde-se que está em causa uma grande aposta a nível nacional. As obras de modernização e eletrificação da Linha do Minho, entre Nine e Valença vão custar 83,2 milhões de euros. O ministro Pedro Marques lembrou que a região espera “há décadas” por estas obras, que vão permitir, nomeadamente, reduzir o tempo do trajeto e baixar entre 20 a 30 por cento o custo médio dos fretes de carga.

Protocolo CMC - IP (7).jpg

Para Vila Praia de Âncora e para o concelho é um sonho que se torna realidade, depois do desinvestimento do Governo anterior na ferrovia e do corte de relações da Câmara de Caminha com a REFER, em 2013. Nessa altura, lembrou Miguel Alves, o Município cometeu “o seu maior erro ao longo de todo este processo: optou por insultar e cortar relações com a REFER quando era com a REFER, naquele momento, com quem mais deveria dialogar para encontrar uma solução. Acabámos 2013 de relações cortadas, sem um compromisso, sem uma decisão, sem uma solução para Vila Praia de Âncora. Nada. Não havia nada acordado entre a Câmara Municipal de Caminha, a REFER ou o Governo. Mais: não havia diálogo, por vontade de quem geria o Município”.

Reatar as relações com a REFER “de modo a recuperar uma relação institucional ferida pelas ofensas e pelo corte de relações”, já que estava em causa o bom nome de Vila Praia de Âncora e do concelho de Caminha, foi uma preocupação do presidente da Câmara desde o primeiro momento em funções. O diálogo firme com o Governo e a empresa, mas também “sereno e razoável” (como o classificou o ministro hoje à tarde), acabou por conduzir à obra, que vai iniciar-se no quarto trimestre deste ano.

“Hoje, estamos aqui, porque a população de Vila Praia de Âncora foi heroica na resistência e na fidelidade aos seus princípios. Hoje não há quem não lembre um super-herói de capa e espada que, a coberto da noite, quis deixar a sua marca nos muros que separavam a Vila mas, a verdade, é que a vitória, esta vitória é, sobretudo, dos heróis anónimos que todos os dias lutam para educar os seus filhos, para cuidar dos seus netos, para honrar os seus pais e orgulhar os seus avós. Os heróis que são Vila Praia de Âncora até à mais pequena célula da sua forma de ser e que se mobilizaram, desde o primeiro dia, para inverter uma decisão que levantou muros onde era necessário encontrar soluções e respostas”, concluiu Miguel Alves.

Protocolo CMC - IP Ministro.jpg

Vila Praia de Âncora em alta

Este investimento na Travessa do Teatro, vultuoso do ponto de vista financeiro mas também altamente simbólico, junta-se a outros que recentemente têm contribuído para valorizar a Vila, numa dinâmica que não para e que vai continuar já nos próximos dias. Até ao final deste mês, “vamos avançar com o maior investimento em termos de financiamento direto da autarquia, que é a obra do Nó da Erva Verde, empreitada fundamental para ajudar a resolver o problema do escoamento de águas pluviais nesta vila em anfiteatro e que vai qualificar urbanisticamente o coração da nossa terra”, anunciou Miguel Alves.

Recordou também a recuperação da Bandeira Azul para a Praia das Crianças. “Nunca, o concelho, teve todas as suas praias com Bandeira Azul em simultâneo como nos últimos dois anos. Esta é uma realidade que, neste verão, queremos replicar”, sublinhou o presidente.

Lembrou ainda a zona envolvente do Dólmen da Barrosa que está, neste momento, por vontade da população que se mobilizou no Orçamento Participativo de Caminha, a ser recuperada depois de muitos anos de abandono ou maus tratos.

Outro exemplo de dinamismo e cooperação é o trabalho conjunto com os Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora, que permitiu recuperar o Cineteatro, fechado e a apodrecer há mais de uma década.

Das obras em curso ainda, destaque para a ecovia, que vai unir toda a freguesia de Vila Praia de Âncora, fazendo agora a ligação com Moledo e avançando mais para o verão com a ligação à freguesia de Âncora, que incluirá a construção de uma nova ponte pedonal sobre o rio.

“Este bom momento de investimento municipal em Vila Praia de Âncora é, agora, acompanhado por este investimento público de meio milhão de euros que o Governo e a IP decidem fazer nesta Travessia Pedonal. Isto, ao lado dos fundos comunitários que a autarquia já garantiu para reabilitação da zona da Sandia – mais de 800 mil euros – para a qualificação do caminho de Santiago que passa por esta que é a maior Vila do concelho – 230 mil euros – mais os 300 mil euros que custam a ecovia, os 650 mil euros que esperamos garantir para a dragagem do Portinho ou a compromisso assumido há pouco de que teremos novas obras na nossa Escola Básica e Secundária de Vila Praia de Âncora de modo a contruir mais duas ou três salas para albergar o crescimento de alunos que teremos para o próximo ano, não deixam margem para dúvidas sobre o modo como o Governo cuida e investe em Vila Praia de Âncora”, disse Miguel Alves. E, continuou, “contra factos, contra estes factos, só mesmo a cegueira e a partidarite que coloca o bem-estar das pessoas em segundo plano é que arranjam argumentos”.

Travessa do Teatro (1).jpg

SEGUNDO ENCONTRO PARTICIPATIVO EM LANHELAS ELEGEU QUATRO PROJETOS QUE SERÃO ALVO DE ANÁLISE TÉCNICA

Lanhelas acolheu segunda sessão do OP 2017 e a terceira está já marcada para dia 20, em Azevedo

Mais quatro propostas vão ser alvo de avaliação técnica no âmbito do Orçamento Participativo de Caminha. Este foi o resultado do Encontro Participativo que decorreu ontem, na Casa do Povo de Lanhelas, em que participaram quatro dezenas de pessoas. As quatro propostas, selecionadas entre as que foram apresentadas ao plenário são: Parque infantil e equipamento de fitness (Lanhelas); Parque Infantil (Vilar de Mouros); Rede Wi-Fi (Seixas) e Recuperação do edifício das Pedras Ruivas (Seixas).

OP1.jpg

O segundo Encontro Participativo desta 3º edição, que teve lugar na Casa de Povo de Lanhelas, dizia respeito às freguesias de Lanhelas, Seixas e Vila de Mouros. Quatro dezenas de pessoas constituíram sete grupos, onde viriam a ser apresentadas 24 propostas. A concertação no seio desses grupos levou à eleição de 15 propostas, que foram apresentadas e defendidas perante o plenário.

Ouvidas as explicações dos proponentes e efetuada a votação, seriam apuradas quatro propostas, as mais votadas, que passam agora à fase seguinte, qua avaliará da sua viabilidade. Os resultados da votação foram os seguintes: Parque infantil e equipamento de fitness – Lanhelas (28 votos); Parque Infantil – Vilar de Mouros (24 votos); Rede Wi-Fi – Seixas (14 votos) e Recuperação do edifício das Pedras Ruivas – Seixas (14 votos).

O terceiro Encontro Participativo desta 3º edição, realiza-se em Azevedo, no próximo dia 20, pelas 18H00, no edifício da Junta de Freguesia, abrangendo Azevedo, Venade e Argela.

Na primeira sessão, realizada em Arga de Baixo, a maioria das pessoas escolheu a Aquisição de três Kit’s para combate a incêndios incluindo uma viatura, como projeto prioritário para o concelho. A 3ª edição do Orçamento Participativo de Caminha começou assim na Serra d’Arga e, como oportunamente referimos, ficou marcada pela grande afluência de pessoas, mais de sete dezenas, que seriam distribuídas por 10 grupos. Na altura foram apresentadas 20 propostas nos grupos e apresentadas no plenário 16. Destas 16 propostas, o plenário escolheu apenas a “Aquisição de 3 Kit’s para combate a incêndios incluindo uma viatura – Argas e Dem”(66 votos).

O Orçamento Participativo de Caminha é um processo de participação cidadã, que visa assegurar o envolvimento dos munícipes na decisão anual sobre as prioridades de investimento público autárquico, reforçando, desse modo, os mecanismos de interação com a população, de transparência na alocação dos recursos públicos e de aprofundamento da democracia a nível local. O Orçamento Participativo 2017 contempla uma verba de 195 mil euros, o que correspondente ao montante de IRS que se prevê que os munícipes do concelho paguem durante o ano de 2017.  Cada projeto não poderá ultrapassar os 65 mil euros.

OP2.jpg

OP.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA E IP ASSINAM AMANHÃ PROTOCOLO PARA CONSTRUÇÃO DE UMA PASSAGEM INFERIOR PEDONAL NA TRAVESSA DO TEATRO EM VILA PRAIA DE ÂNCORA

Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, presidente à cerimónia

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, visita amanhã, sexta-feira, Vila Praia de Âncora. O governante presidirá, a partir das 15h00, à cerimónia de assinatura do protocolo para a construção da Passagem Inferior Pedonal na Travessa do Teatro, ocasião em que serão também apresentadas as Intervenções de Modernização na Linha do Minho, pelo vice-presidente do Conselho de Administração da empresa Infraestruturas de Portugal.

Sondagens de prospeção na Travessa do Teatro (1) (1).jpg

Os trabalhos vão decorrer no edifício municipal, situado junto ao local onde será construída a passagem pedonal, na marginal e Vila Praia de Âncora. O programa terá início pelas 15h00, com as boas-vindas do presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves. Minutos depois será feita a apresentação das Intervenções de Modernização na Linha do Minho, pelo vice-presidente do Conselho de Administração da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes. Seguir-se-á o momento mais desejado para o Município e para a população de Vila Praia de Âncora, a assinatura do Protocolo da Passagem Inferior Pedonal na Linha do Minho em Vila Praia de Âncora, entre a IP e a Câmara de Caminha. A cerimónia termina com uma intervenção do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

Travessa do Teatro 1.JPG

As boas notícias chegavam em dezembro do ano passado, culminando um processo longo e difícil, da negociação deste Executivo com a Infraestruturas de Portugal. Os argumentos da Câmara foram tidos em conta e a população da Vila verá restabelecida a ligação à marginal, atravessando a linha, por meio de uma passagem pedonal.

A negociação passou por várias fases, até porque se trata de uma obra exigente em termos financeiros. A empresa assume a realização do projeto e da empreitada, sempre em coordenação e colaboração com a Câmara, enquanto o Município, na fase de exploração, ficará responsável pela conservação e manutenção da passagem inferior pedonal, nos termos do protocolo que será assinado amanhã.

Recorde-se que, apesar do encerramento ao trânsito automóvel, motivado por um acordo anterior e por problemas legais, a circulação pedonal manteve-se até 2009, ano em que a travessia foi fechada, mas a população nunca se conformou.

A Infraestruturas de Portugal é a empresa pública que resulta da fusão entre a Rede Ferroviária Nacional – REFER, E.P.E. (REFER, E.P.E.) e a EP - Estradas de Portugal, S.A. (EP, S.A.). Miguel Alves iniciou esta negociação ainda com a REFER, restabelecendo também as relações cordiais com o Município de Caminha.

Ainda em dezembro do ano passado, após a confirmação da obra, a Infraestruturas de Portugal (IP) avançou com a realização de sondagens de prospeção na Travessa do Teatro, com vista à preparação do projeto para construção da passagem inferior pedonal. Em 2013, conforme foi noticiado pela imprensa, o então Governo abandonou o projeto para a Linha do Minho, não reservando para as obras os 47 milhões de euros previstos, e inscrevendo apenas uma verba residual de cinco milhões, que não permitia qualquer intervenção.

Foi uma deceção para os adeptos da ferrovia, que nela reconhecem potencial para o desenvolvimento da região, mas também para a população de Vila Praia de Âncora, que via o seu sonho seriamente ameaçado por uma opção política. O atual Governo, com uma visão contrária, recuperou o projeto e antecipou mesmo para este ano a modernização do troço entre Viana do Castelo e Valença, da Linha do Minho, face a igual compromisso de Espanha, o que deu novo alento às negociações.

A redefinição de prioridades permitiu ao Município de Caminha reforçar os argumentos e negociar o protocolo com sucesso, respondendo aos anseios da população da Vila e cumprindo um compromisso que tinha sido assumido pessoalmente por Miguel Alves. O documento já foi aprovado em reunião de Câmara.

Travessa do Teatro.JPG

‘AQUISIÇÃO DE 3 KIT’S PARA COMBATE A INCÊNDIOS INCLUINDO UMA VIATURA’ FOI A PROPOSTA MAIS VOTADA EM ARGA DE BAIXO

Encontros de Participação continuam amanhã na Casa do Povo de Lanhelas

Em Caminha, os cidadãos continuam a decidir como investir os seus impostos. Em Arga de Baixo, a maioria das pessoas escolheu a ‘Aquisição de 3 Kit’s para combate a incêndios incluindo uma viatura’, como projeto prioritário para o concelho.O Encontro de Participação ficou marcado pela participação massiva da população.  Amanhã, Lanhelas acolhe o 2º Encontro Participativo desta 3º edição, que terá lugar pelas 18H00, na Casa de povo de Lanhelas.

Encontro de Participação Arga de Baixo (1).jpg

Começou ontem, em Arga de Baixo, a 3ª edição do Orçamento Participativo de Caminha com a realização do 1º Encontro de Participação. Este encontro ficou marcado pela grande afluência de pessoas. De facto, participaram 72 pessoas, distribuídas por 10 grupos. Foram apresentadas 20 propostas nos grupos e apresentadas no plenário 16. Destas 16 propostas, o plenário escolheu apenas ‘Aquisição de 3 Kit’s para combate a incêndios incluindo uma viatura – Argas e Dem’ (66 votos); ‘Requalificação e alargamento do caminho da Aldeia – Orbacém’ (49 votos); e ‘Aquisição de braço para trator (limpeza de caminhos) – Argas e Dem’ (29 votos).

O Orçamento Participativo de Caminha é um processo de participação cidadã, que visa assegurar o envolvimento dos munícipes na decisão anual sobre as prioridades de investimento público autárquico, reforçando, desse modo, os mecanismos de interação com a população, de transparência na alocação dos recursos públicos e de aprofundamento da democracia a nível local. O Orçamento Participativo 2017 contempla uma verba de 195 mil euros, o que correspondente ao montante de IRS que se prevê que os munícipes do concelho paguem durante o ano de 2017. É importante referir que cada projeto não poderá ultrapassar os 65 mil euros.

Até 29 de março, os munícipes de concelho podem escolher os projetos que querem ver desenvolvidos no concelho. O próximo Encontro de Participação é já amanhã, pelas 18H00, na Casa de Povo de Lanhelas. No dia 20, a equipa estará em Azevedo: no dia 22, em Vile; no dia 27 em Vila Praia de Âncora e terminam a 29 de março, em Vilarelho.

Recorde-se que a recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa (Vila Praia de Âncora); a adaptação do Centro Cultural de Gondar para Unidade de Apoio Domiciliário (Gondar); a reparação do Cais da Rua e colocação de guindaste para embarcações (Caminha), a Rede Wi-Fi para as freguesias das Argas; a beneficiação do Jardim de Infância de Âncora; a execução do projeto do Cais de Rua Sul (Caminha) e a recuperação do Monte Calvário (Vila Praia de Âncora), foram os projetos vencedores das duas primeiras edições.

Encontro de Participação Arga de Baixo (2).jpg

Encontro de Participação Arga de Baixo (3).jpg

ARTBEERFEST ANIMA CAMINHA DE 13 A 16 DE JULHO

Na próxima reunião executivo vai pronunciar-se sobre o acordo de Cooperação ‘Artbeerfest’ – Festival Internacional de Cerveja Artesanal de Caminha 2017

De 13 a 16 de julho, Caminha volta a ser a meca da cerveja artesanal com a promoção de mais uma edição do Artbeerfest - ‘Festival Internacional de Cerveja Artesanal de Caminha. Para que esta edição seja mais um sucesso, Miguel Alves vai propor ao executivo a celebração do Acordo de Cooperação Artbeerfest - ‘Festival Internacional de Cerveja Artesanal de Caminha’ a celebrar entre o Município de Caminha e a OG&Associados Octávio & Giestal, Lda. Esta é uma das doze propostas da ordem de trabalhos da reunião de Câmara, que terá lugar amanhã, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Artbeerfest (1).jpg

O Artbeerfest, uma marca nascida em Caminha, é uma viagem à cultura da cerveja artesanal, num ambiente open air, que ultrapassa fronteiras e atrai os melhores empreendedores internacionais do mundo da cerveja artesanal. Para além dos cervejeiros, este evento atrai até Caminha milhares de pessoas. Degustações, mostras de cervejeiros, harmonizações com a gastronomia, provas comentadas, mostra e venda de produtos, oficinas, Master Classes e Labshops de empreendedorismo cervejeiro de todo o mundo, animação de rua, concursos e atividades lúdicas, são algumas das propostas de programação do evento.

Para que Caminha continue a dar cartas no mundo da cerveja artesanal, o executivo vai apreciar e votar o Acordo de Cooperação onde estão definidas as responsabilidades do Município de Caminha e da OG&Associados Octávio & Giestal, Lda.

Da ordem de trabalhos faz também parte a atribuição de um subsídio à Sociedade Musical Banda Lanhelense no valor de 10 mil euros para apoio ao funcionamento da escola de música.

O executivo ainda vai votar a atribuição de um subsídio à Confraria de São Bento de Seixas, no montante de 2700 euros para apoio na realização das festividades.

Quarta-feira, em cima da mesa, vão estar mais duas obras estruturantes. O executivo vai pronunciar-se sobre a adjudicação do concurso público da empreitada de Rede de Saneamento de Vilar de Mouros pelo montante de 747.600,01 +IVA e ainda vai votar a minuta do contrato do concurso público da empreitada de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja – 2ª fase – Freguesia de Âncora, pelo valor de 494.900,01 + IVA.

MINISTRO DO PLANEAMENTO E DAS INFRAESTRUTURAS VISITA VILA PRAIA DE ÂNCORA

Em causa está a assinatura do Protocolo para a construção da Passagem Inferior Pedonal na Linha do Minho em Vila Praia de Âncora

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, visita Vila Praia de Âncora na próxima sexta-feira, para a assinatura do Protocolo para a construção da Passagem Inferior Pedonal na Linha do Minho em Vila Praia de Âncora. Trata-se de um compromisso assumido por Miguel Alves que agora será concretizado.

Sondagens de prospeção na Travessa do Teatro (1).jpg

Construir uma Passagem Inferior Pedonal na Linha do Minho em Vila Praia de Âncora vai tornar-se uma realidade. O processo já iniciou. Lembrámos que ainda há pouco tempo a Infraestruturas de Portugal (IP) realizou sondagens de prospeção, de caráter geológico-geotécnico na zona da estação de Vila Praia de Âncora no âmbito do estudo da nova passagem pedonal.

Recorda-se que construir a Passagem Inferior Pedonal junto à linha férrea em Vila Praia de Âncora foi um dos compromissos assumidos pelo atual presidente da Câmara.  O Município de Caminha insistiu e defendeu junto da tutela a importância da passagem inferior pedonal para Vila Praia de Âncora e para o concelho. De facto, Miguel Alves, iniciou as negociações com a então REFER, diálogo que seria prosseguido com a IP, que resultou da fusão entre a Rede Ferroviária Nacional – REFER, E.P.E. (REFER, E.P.E.) com a EP - Estradas de Portugal, S.A. (EP, S.A.).A negociação passou por várias fases, tendo chegado a bom porto, com a empresa a assumir a realização do projeto e da empreitada, sempre em coordenação e colaboração com a Câmara, enquanto o Município, na fase de exploração, assegurará a conservação e manutenção da passagem inferior pedonal, nos termos do protocolo que será assinado na próxima sexta-feira.

Sondagens de prospeção na Travessa do Teatro (2).jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI INVESTIR EM SANEAMENTO NAS FREGUESIAS DE ÂNCORA E VILAR DE MOUROS CERCA DE 1,3 MILHÕES DE EUROS

Reunião de câmara terá lugar quarta-feira, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho

A Câmara Municipal de Caminha prepara-se para avançar com a execução das redes de saneamento em Vilar de Mouros e Âncora. O investimento nas duas freguesias ronda 1,3 milhões de euros. Esta quarta-feira Miguel Alves vai propor ao executivo a adjudicação do concurso público da empreitada de Rede de saneamento de Vilar de Mouros, orçada em cerca de 800 mil euros e a aprovação da minuta do contrato do concurso público da empreitada de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja – 2ª fase – Freguesia de Âncora, um investimento superior a 500 mil euros. A reunião de Câmara terá lugar esta quarta-feira, 15 de março, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Dotar as freguesias do concelho das infraestruturas necessárias para melhorar a qualidade de vida dos munícipes é uma das apostas do executivo caminhense, liderado por Miguel Alves. Este mandato, em saneamento, já foi investido 1.453.407€ e, até 2018, vão ser gastos mais 2.648.212,89€. No total, vão ser investidos mais de 4 milhões de euros na melhoria da qualidade de vida das pessoas do concelho.

Quarta-feira, em cima da mesa, vão estar mais duas obras estruturantes.  O executivo vai pronunciar-se sobre a adjudicação do concurso público da empreitada de Rede de Saneamento de Vilar de Mouros pelo montante de 747.600,01 +IVA e ainda vai votar a minuta do contrato do concurso público da empreitada de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja – 2ª fase – Freguesia de Âncora, pelo valor de 494.900,01 + IVA.

Quanto ao investimento em infraestruturas, é de referir que o montante investido diz respeito, por exemplo, à execução da rede de drenagem da Ribeira das Preces, em Moledo; à rede de saneamento zona Sul Vila Praia de Âncora, Vile e Riba de Âncora; à execução da rede de saneamento da Meia Légua em Moledo; à execução da “Infraestrutura em "baixa" do sub-sistema de Aspra, Viso e Currais - 1.ª fase”, na freguesia de Âncora, entre outras.

Até 2018, ainda vão ser executadas a rede de saneamento de Vilar de Mouros avaliada em cerca de 800 mil euros; a rede de saneamento e sistemas de interseção e elevação de Argela, que vai custar mais de um milhão de euros e a rede de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja, na freguesia de Âncora, orçada em meio milhão de euros. Estas obras vão se financiadas pelo PO SEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

VEREADOR RUI TEIXEIRA ASSUMIRÁ NOVAS FUNÇÕES POR VONTADE UNÂNIME DOS PRESIDENTES DE CÂMARA DO DISTRITO

No Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho

A Câmara Municipal de Caminha felicita o vereador Rui Teixeira, com competências delegadas nas áreas das Finanças, Obras Públicas e Desporto, por ter sido indicado pela CIM do Alto Minho como vogal do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho nos termos da legislação em vigor.

A indicação do Dr. Rui Teixeira, pela vontade unânime de todos os Presidentes de Câmara do distrito, honra o Município e faz justiça ao trabalho que o vereador da Câmara Municipal de Caminha vem exercendo nos últimos três anos e meio. O reconhecimento que os autarcas da região prestam ao percurso e ao currículo do Dr. Rui Teixeira assegura a qualidade do exercício das funções que irá desempenhar num futuro próximo, na certeza de que contribuirá para o reforço das condições de saúde no Alto Minho e a sustentabilidade financeira do Serviço Nacional de Saúde.

Os procedimentos de nomeação pelo Governo estão em curso e seguirão os seus trâmites normais até que se torne definitiva. Até lá, o Dr. Rui Teixeira continuará a exercer as suas funções na Câmara Municipal de Caminha com a mesma competência e tranquilidade de sempre.

POLICIA MARÍTIMA E PESCADORES JÁ PODEM ATRACAR EM SEGURANÇA NA FOZ DO RIO MINHO

Câmara Municipal de Caminha procedeu à intervenção no pontão da Foz do Minho

A Câmara Municipal de Caminha procedeu à limpeza da zona envolvente ao pontão de encostagem da Foz do Minho, criando condições para a policia marítima, pescadores e, até mesmo, para os próprios turistas poderem atracar em segurança.

pontão foz do minho (1).JPG

O pontão da Foz do Minho encontrava-se inatingível e inoperável, já que os barcos, nomeadamente os da policia marítima, pescadores e de recreio, não tinham acesso, pois estava completamente inacessível. A situação em que se encontrava este pontão era uma preocupação para o executivo. Com esta intervenção do Município, já é possível os barcos atracarem em segurança, o que até agora não acontecia.

Trata-se de uma intervenção muito importante, nomeadamente para a policia marítima que em caso de sinistro no mar não tinha condições para socorrer com prontidão e em segurança. Com esta obra essa situação já não acontecerá.

pontão foz do minho (2).jpg

ESTE FIM DE SEMANA ‘A GRANDE MURALHA’ EM CARTAZ NO CINETEATRO DOS BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Bilheteira reverte a favor dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora

Cinema e espetáculo comemorativo dos 59 anos do Orfeão de Vila Praia de Âncora vão marcar a programação deste mês no Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora. Em cartaz estão os filmes ‘A Grande Muralha’, de Zhang Yimou, e ‘Elementos Secretos’, de Ted Melfi. Este fim de semana está em exibição ‘A Grande Muralha’.

A-Grande-Muralha_cine.jpg

Desde a sua abertura, com a gestão cultural a cargo do Município de Caminha, uma das apostas do Cineteatro é o cinema. No Cineteatro os filmes são atuais em exibição nos grandes centros urbanos. O objetivo é reavivar a tradição do cinema em Vila Praia de Âncora. O preço do bilhete é de 3€ e estão disponíveis para venda na sede dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e, nos dias de exibição, no Cineteatro. Ainda, podem ser reservados através do número 913928313. Recorda-se que a bilheteira reverte a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

Este fim de semana, dias 12 e 13 de março, o Cineteatro tem em cartaz o filme de ação ‘A Grande Muralha’, de Zhang Yimou. Com a superestrela mundial Matt Damon e realizado por um dos maiores especialistas em efeitos visuais de cortar a respiração, Zhang Yimou (“Herói” e “O Segredo dos Punhais Voadores”), “A Grande Muralha” da Legendary, conta a história de uma força de elite que toma uma posição de coragem pela humanidade na estrutura mais icónica do mundo. A primeira produção em inglês de Zhang Yimou é o maior filme alguma vez filmado por completo na China. “A Grande Muralha” conta ainda com Jing Tian, Pedro Pascal, Willem Dafoe e Andy Lau.

Orfeão VPA aniversário.jpg

Na sinopse lê-se: “China, século XI. Durante os anos da Dinastia Song, quando as leis são ditadas pelo Imperador Renzong (1010-1063), um grupo de mercenários é atacado por uma criatura monstruosa. Apenas os ocidentais William Garin e Pero Tovar sobrevivem à chacina. No dia seguinte, são capturados pela Nameless Order, um grupo de guerreiros de elite liderado pelo general Shao. Pertencentes à corte imperial, estes homens são desde muito jovens treinados para a grande missão das suas vidas: defender a população do ataque dos taotie, aterrorizantes criaturas míticas que acordam a cada 60 anos. A Grande Muralha da China é a única barreira que os mantém fora do alcance das cidades. Quando todos se apercebem das extraordinárias capacidades de combate de Garin e Tovar, decidem aceitar a sua ajuda. Com os bravos da Nameless Order, os dois amigos, outrora movidos por ganância, vão aprender o verdadeiro significado de abnegação, disciplina e coragem”. No dia 12, a sessão decorre pelas 21H30 e, no dia 13, pelas 15H00.

Depois de ter pisado o palco no dia 7 de janeiro, aquando da inauguração do Cineteatro, o Orfeão de Vila Praia de Âncora está de regresso àquele espaço para o espetáculo Comemorativo do 59º aniversário, no dia 17 de março, pelas 21H30. Na verdade, o Orfeão de Vila Praia de Âncora vai assinalar o seu 59º aniversário com um espetáculo de homenagem ao Dr. Francisco Sampaio. Este espetáculo, que marca os 59 anos da instituição em prol da cultura de Vila Praia de Âncora e do concelho de Caminha além-fronteiras, conta com a participação do Grupo Coral, Grupo de Teatro e Grupo de Danças e Cantares Regionais do Orfeão.

A programação de março, encerra com a exibição do filme ‘Elementos Secretos’, de Ted Melfi, nos dias 25 e 26. ‘Elementos Secretos’ conta a incrível história de Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monae), mulheres afro-americanas brilhantes que trabalham na NASA e são os cérebros por trás de uma das maiores operações da história: o lançamento do astronauta John Glenn para a órbita, um incrível feito que restaura a confiança da nação, agita a Corrida Espacial e reanima o mundo. O trio visionário atravessa género e raças para inspirar as gerações a sonharem alto. No dia 25, a sessão decorre pelas 21H30 e, no dia 26, pelas 15H00.

Elementos Secretos_cine.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER ‘PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRAS’ NO DIA 18 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a professores, agentes culturais e outros interessados

No âmbito da exposição ‘Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves’ patente ao público nos diversos espaços culturais do Município em Caminha, a Câmara Municipal e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavras’ no dia 18 de março. Esta ação dirige-se a professores, agentes culturais locais e outros interessados. Pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. As inscrições ainda estão a decorrer.

exposição musica e palvras.JPG

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio.  Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica vai ser orientada por Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, e vai decorrer no Museu Municipal de Caminha. Dirige-se para os agentes de mediação relacionados com a exposição, docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até através do email museu@cm-caminha.pt.

No ‘Programa Educativo Música e Palavras’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a Palavras escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

A MAGIA DA DISNEY EM CONCERTO NO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Espetáculovai “revisitar”músicas de filmes consagrados, no domingo, a partir das 15h30

Em março, o Valadares Teatro Municipal de Caminha apresenta um cartaz de elevada qualidade. Concerto da Disney pela Escola de Música Amadeus; Ensemble Risoluto em Concerto, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto e cuja receita reverte a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha; Concerto de Guitarra com Artur Caldeira e Cavaquinho Cantado com Daniel Cristo em Quinteto, são as propostas culturais disponíveis para este mês.

Concerto Disney Cartaz.jpg

A magia dos clássicos da Disney vai abrir a programação do Valadares, com o Concerto da Disney, pelos alunos da Escola de Música Amadeus, já no próximo domingo, dia 12 de março, pelas 15H30.  No palco do Valadares vão ser interpretadas músicas dos filmes ‘Pinocchio’, ‘Cinderella’, ‘Mary Poppins’; ‘Alladin’,‘Brave’, ‘Tarzan’, ‘A Bela Adormecida’; ‘Pocahontas’, ‘Rei Leão’, ‘A pequena Sereia’, entre muitos outros.

Este concerto é organizado pela Escola de Música Amadeus e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha e do Conservatório de Música e Dança dos Arcos de Valdevez. O bilhete custa 2€ e as reservas podem realizar-se na Escola de Música Amadeus ou no Valadares, Teatro Municipal de Caminha.

Depois da magia da Disney, no dia 18 de março, o Valadares vai servir de palco ao Concerto Solidário ‘Ensemble Risoluto em Concerto’, com José Paulo Ribeira, Paulo Barbosa e Sílvia Pinto, cuja receita vai reverter a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Ensemble Risoluto“é o momento onde o Amor e a Música se conjugam num mesmo verbo, inteiro, firme e assertivo. Aqui se exprime a mais pura essência da alma, transmitindo sensações que a linguagem é incapaz de traduzir e que a razão nunca saberá compreender”. O concerto tem inicio pelas 21H30. Os bilhetes custam 5 euros e podem ser adquiridos nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora e no dia do espetáculo, no Valadares, Teatro Municipal.

No dia 24, pelas 21h30, a guitarra vai estar em destaque no Valadares, com o concerto de Artur Caldeira. Natural de Braga, Artur Caldeira é licenciado em Guitarra Clássica e Mestre em Interpretação Artística. Com um vasto curriculum, este músico já conquistou o 1º prémio do concurso nacional “Parnaso 93” e o 1º lugar ex-aequo do “Prémio Helena Sá e Costa 1995”. Tocou com a Orquestra Clássica sob a direção dos Maestros MeirMinsky, João Paulo Santos, MarcTardue e Niel Thompson e com a Orquestra do Norte sob a direção do Maestro Ferreira Lobo e gravou para a R.D.P..

Trata-se de mais uma aposta cultural de qualidade. Este concerto é organizado pela Academia de Música Fernandes Fão e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e do Ministério da Educação.

Em março, Daniel Pereira Cristo, já conhecido do público caminhense, regressa ao Valadares para apresentar o seu 1º álbum a solo 'Cavaquinho Cantado'.“Este concerto caracteriza-se pela alegria da junção dos dois velhos conhecidos, o canto e o cavaquinho, como personagens centrais de um todo que, se pretende, seja sentido como uma abordagem nova e contemporânea da música e instrumentos de identidade. Música Étnica do Noroeste Português e Peninsular, como gosta de chamar-lhe”. O concerto está agendado para as 22H00.  Os bilhetes encontram-se à venda nos Postos de Turismo de Caminha e Vila Praia de Âncora

Teatro Valadares.jpg

APOIO DA CÂMARA DE CAMINHA AOS CLUBES E ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS DO CONCELHO AUMENTOU 41% DESDE 2013

Município reconhece o importante papel das instituições no incremento do desporto

A prática desportiva, e sobretudo a formação das camadas infantis e juvenis,são prioridades deste executivo, expressas no aumento considerável do apoio proporcionado nos últimos anos. No quadro do REMAD - Registo Municipal das Associações Desportivas, o incremento este ano será de 12% face a 2016, mas, considerando o ano de 2013, o aumento é de 41%. A aposta no Desporto e o apoio às associações desportivas foium dos principais temas da última reunião de Câmara, tendo sido aprovada, pela maioria no Executivo, a atribuição de 76.400€ a 15 clubes e associações desportivas do concelho.

Corta mato Camarido.jpg

Na sequência da inscrição dos clubes e associações do concelho no REMAD e dos pedidos de apoio no âmbito do PAAD- Programa de Apoio ao Associativismo Desportivo, previstos no Regulamento de Apoio ao Associativismo Desportivo, a Câmara de Caminhavai apoiar financeiramente, com 76.400 €, 15 entidades. São elas o Clube de Andebol de Caminha; o G.D.C. Venade; o Lanhelas F.C.; o Âncora Praia F.C.; o C.C.D. Ancorense; o Atlético Clube de Caminha; a Associação Desportiva Juventude V.P.; o Sporting Club Caminhense; o Jucaminha; a Associação Triatlo de Caminha; o Âncora Praia F.C (futsal); o Nautiminho; o Desnível Positivo e a Associação Columbófila Ancorense e o Surf Clube.

O total de apoios no âmbito do REMAD, em 2013, foi de 54.232 €, passando em 2014, já com este Executivo, para os 57.300 €. Em 2015, a verba voltou a subir, agora para os 62.750 €, e, em 2016, passou para os 68.000 €, fixando-se este ano, como se referiu, em 76.400 €.

Esta é apenas uma parte do apoio concedido, uma vez que são muitos os eventos que o Município organiza e coorganiza para promover o Desporto e o próprio concelho. Casos, entre outros, do Rally de Portugal (etapa Caminha 19 de maio), III Meia Maratona Sunset de Caminha (3 junho), Triatlo Longo de Caminha (24 junho), Grande Trail da Serra d’Arga (23 e 24 de setembro).

Na mesma reunião, por exemplo, foi aprovado um protocolo a celebrar entre o Município de Caminha e o Centro Cultural e Desportivo Ancorense para a realização do torneio de futebol – escalões infantis e benjamins, que vai envolver 230 jogadores, no montante de 5.000€, a realizar nos dias 17 e 18 de junho.

No dia a dia, e de acordo coma disponibilidade e as solicitações, a Câmara concede apoios variados, através dos transportes, obras, equipamentos desportivos colocados à disposição dos clubes e associações, apoio logístico, pagamento de despesas com energia, água, etc.

Recorde-se também que um dos maiores investimentos deste executivo foi precisamente num equipamento desportivo de vanguarda, na parte Norte do concelho, em Lanhelas.O novo Estádio Ilídio Couto, inaugurado em abril do ano passado, representou um investimento da ordem dos 600 mil euros, proporcionando aos lanhelenses e todo o concelho um campo de futebol completamente renovado e adequado para a prática desportiva. A empreitada englobou a colocação de piso sintético, a construção de balneários e a preparação de área para bancadas.

Esta foi uma aposta forte do Executivo, que conseguiu aproveitar os últimos fundos comunitários disponíveis no anterior quadro, uma oportunidade que não se repete no novo quadro comunitário, onde os equipamentos desportivos têm prioridade negativa.

O campo utilizado pelo Âncora-Praia Futebol Clube acabou também por se traduzir num esforço financeiro exigido a este Executivo em grande parte, uma vez que, da fatia (90%) que cabia à autarquia (329.162,56 €), ficaram por pagar mais de 265.400 €.

Futebol de Praia.jpg

Hóquei.jpg

One Day Dance.jpg

SÓCIOS DE CLUBES E ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS DO CONCELHO DE CAMINHA PODERÃO TER DESCONTO DE 50% NAS PISCINAS

Câmara apoia instituições ao mesmo tempo que incentiva prática desportiva e hábitos saudáveis

Os sócios de clubes e associações desportivas do concelho de Caminha poderão usufruir de um desconto de 50% da tarifa de utilização das Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora. Esta é uma medida de apoio aos clubes e associações, mas que pretende também incentivar a prática desportiva e promover hábitos mais saudáveis.A solicitação do desconto partiu do Âncora Praia Futebol Clube, mas o Executivo decidiu alargar a medida a todos os sócios de clubes e associações desportivas do concelho, que terão agora de fazer os respetivos pedidos. A proposta foi aprovada em reunião de Câmara, com quatro votos favoráveis, os da maioria no Executivo.

Piscina 1.jpg

Conforme explicou o vereador do Desporto, Rui Teixeira, “uma das apostas estratégicas do Município tem sido o desporto, pela sua vertente de incentivo à prática desportiva dos jovens do concelho, como também pela vertente de promoção e divulgação e da própria atratividade”.

Por outro lado, “as associações, responsáveis por disponibilizar atividade física aos nossos jovens, debatem-se sempre com alguns constrangimentos, ultrapassados com o apoio do Município, particulares e alguma criatividade”, disse ainda o responsável do pelouro, sublinhando que o apoio do Município se faz a vários níveis, para além do financeiro, como o apoio logístico, apoio na organização de eventos, etc.

A proposta do vereador foi, pois, no sentido do bom acolhimento do pedido do Âncora Praia Futebol Clube, proposta que Miguel Alves decidiu levar à última reunião de Câmara, numa perspetiva mais alargada, abrangendo todos os clubes e associações desportivas do concelho que assim o desejem.

Durante o debate da proposta, na reunião, foi levantada a questão da eventual diminuição e receitas nas Piscinas, possibilidade que, pelo menos neste momento, não tem qualquer sustentação. Na verdade, é até possível que, aumentando o número de utilizadores do equipamento por força do incentivo proporcionado pelo Município possa ser atingido um equilíbrio também na receita, com ganhos para todos, conforme explicou Rui Teixeira.

De qualquer forma, a maioria na Câmara Municipal considerou que é pertinente o pedido do Âncora PraiaFutebol Clube e que esta será com certeza uma mais valia para o desporto e uma forma de ajudar os clubes e associações, incentivando também a participação da população na vida das instituições do concelho.

A proposta seria aprovada com quatro votos a favor, e três abstenções da oposição.

Piscinacam.jpg

CAMINHA DOCE REGISTOU A MELHOR EDIÇÃO DE SEMPRE

Número de visitantes, sucesso de vendas, qualidade dos expositores e dos produtos responsáveis pelos resultados alcançados

Qualidade e diversidade de produtos, afluência de visitantes, vendas, workshops e showcookings a cargo dos expositores foram a chave para mais um sucesso da Caminha Doce, que fez de Caminha a Vila mais doce de Portugal nos últimos dias. Segundo a organização, esta edição superou as espectativas, considerando-a mesmo a melhor de todas. O certame ficou ainda marcado pelo lançamento de um novo produto do concelho, o pão com chocolate, e pela presença de produtos da Ilha da Madeira, entre outros pontos do país, e de Espanha.

Caminha Doce 2017 (1).jpg

De 24 a 28 de fevereiro, a Caminha promoveu mais uma edição feira de doçaria Caminha Doce, que fechou portas na passada terça-feira, com um balanço muito positivo. De acordo com a organização, a afluência de visitantes foi a melhor de sempre, com destaque para o dia de segunda-feira, dia do cortejo carnavalesco “A famosa Cegada é o Carnaval em Caminha”, que trouxe milhares de visitantes à Vila, quer para desfilar no corso quer para assistir ao desfile, também ele o melhor de sempre.  

Os 20 expositores presentes, entre os quais quatro participantes no programa televisivo “Best Bakery”, transmitido pela SIC, mostraram-se muito satisfeitos com esta edição, nomeadamente a nível das vendas, e com vontade de marcar presença já no próximo ano.

Caminha Doce 2017 (2).jpg

Este certame contou, pela primeira vez na sua história, com expositores da Ilha da Madeira, considerados “uma das almas da festa”, que trouxeram a consagrada “poncha”, uma bebida tradicional e emblemática da Madeira, confecionada com aguardente de cana-de-açúcar, açúcar e sumo de limão ou de outras frutas, como o maracujá e a tangerina. Ourense trouxe gelados artesanais e também conseguiu destacar-se, principalmente junto dos mais novos.

Para além da Madeira e de Espanha, nesta edição estiveram representados os doces tradicionais e conventuais provenientes de Caminha, Vila Praia de Âncora, Porto, Barcelos, Ermesinde, Viseu, Felgueiras, Vila Real, Lousada, Santa Maria da Feira, Ponte de Lima e Guimarães.

Sobre a qualidade dos produtos e da feira em si, a organização garante que a qualidade superou todas as edições anteriores. A título de exemplo, refira-se que o expositor da Ilha da Madeira recebia diariamente produtos frescos, porque todos os dias, duas pessoas viajavam até ao Continente para poderem vender produtos frescos.

Os workshops e showcookings realizados pelos próprios expositores também fizeram a diferença, sempre com muita gente a assistir. Esta foi a primeira edição que contou exclusivamente com doces. De referir ainda, a Camipão, empresa do concelho, que lançou um novo produto - “Pão com Chocolate” – e apresentou a nova receita do “Pão com Chouriço”.

Caminha Doce 2017 (3).jpg

A animação a cargo da Academia de Música Fernandes Fão, Banda Musical Lanhelense, Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho e Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha também contribuiu para estes extraordinários resultados.

Podemos dizer que os objetivos foram largamente conseguidos. A Caminha Doce potenciou o concelho como destino turístico nesta altura do ano e dinamizou economia local.

Depois do balanço, a organização já está a pensar na próxima edição, que promete voltar ainda com mais qualidade e muitas novidades.

17021347_1265807843473742_7576389313643720073_n.jpg

O MELHOR CARNAVAL DE SEMPRE TROUXE MILHARES DE PESSOAS ÀS RUAS DE CAMINHA

Corso proporcionou de duas horas deum espetáculo mágico, cheio de cor e de alegria

Caminha viveu por estes dias o melhor Carnaval de sempre, com o desfile noturno de segunda-feira a bater todos os recordes, juntando quase mil figurantes, que exibiram fantasias extraordinárias. Milhares de pessoas encheram as ruas do Centro da Vila, para brincar ao Carnaval e assistir à passagem do corso, que demorou cerca de duas horas a desfilar, proporcionando um espetáculo mágico, cheio de cor e de alegria. Uma aposta ganha, que traduz o sucesso da parceria entre o Município e os comerciantes, juntos nesta organização, que engrandece o nome de Caminha e traz notoriedade ao concelho.  

100 Idades à Descoberta 8º grupos.jpg

Na verdade, o Carnaval em Caminha é já uma referência. Foramquatro dias de folia, com programas para todos os gostos. Carnaval das Escolas, Baile do Assalto e Desfile de Carnaval Noturno, que marcaram o entrudo e deram o mote para “A famosa cegada é o Carnaval em Caminha”.

A noite de segunda-feira foi o ponto alto da festa, que se traduziu num enorme salto qualitativo face às realizações dos anos anteriores. Até a chuva deu tréguas e só apareceu esporadicamente, para refrescar os foliões, mas ninguém arredou pé.

O papel mais difícil acabou por ser o do júri, porque os foliões surpreenderam pela qualidade, imaginação e grandiosidade das representações e a atribuição dos 13 prémios em jogo, no valor de cerca de cinco mil euros, acabou por se revelar uma tarefa complicada.

“Fantasia Ponte em Hora”, foi o vencedor na categoria de grupos, enquanto “Os Heróis do Funkie Carnaval”, os espetaculares homens de lata, levaram o primeiro prémio individual.

De referir a importante participação dos grupos do concelho, alguns deles premiados nesta edição, que juntaram desta vez dezenas de figurantes e surpreenderam pela qualidade, rivalizando com grupos mais habituados a estes desfiles.

Destaque também para a participação dos grupos galegos, nomeadamente das famosas comparsas, que trouxeram ainda mais brilho e sumptuosidade ao desfile. Uma participação que cresceu este ano e que é fruto também das boas relações que este Executivo estabeleceu com os municípios galegos e com os povos do outro lado do Rio Minho.

A festa não acabou com o desfile. Centenas de pessoas passaram depois para o coração do Centro Histórico, enchendo a Rua Direita, numa animação que continuou noite dentro à volta dos bares.

Banda Plástica Sopraki 3º grupo.jpg

Camarido Místico 3º individual.jpg

Carnaval e Romaria 5º grupos.jpg

Cleopatra cruzando o Nilo 10º grupos.jpg

Cordas e Companhia 2º individual.jpg

Fantasia da Noite Meiga 7º grupos.jpg

Fantasia das Mariposas 4º grupos.jpg

Fantasia Ponte em Hora 1º Grupos.jpg

Mistik 9º grupos.jpg

Olimpiadas de Caminha 6º grupos.jpg

Os Heróis do Funkie Carnaval 1º individual.jpg

Talisman Revoluciona os Bichos 2º grupos.jpg

3ª EDIÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO ARRANCA A 13 DE MARÇO EM CAMINHA

De 13 a 29 de março, Arga de Baixo, Lanhelas, Azevedo, Vile, Vila Praia de Âncora e Vilarelho vão receber os Encontros de Participação

A 3ª edição do Orçamento Participativo de Caminha está prestes a começar. Os encontros de participação onde a população poderá apresentar as propostas e decidir os projetos que quer para o concelho de Caminha deverão iniciar a 13 de março, em Arga de Baixo.  Em Caminha, os cidadãos continuam a decidir como investir os seus impostos. Esta será uma das propostas que irá ser votada na reunião de Câmara na quarta-feira, dia 1 de março, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Encontro Participação.jpg

A implementação do Participativo de Caminha é uma das bandeiras do executivo liderado por Miguel Alves. Como o tem afirmado em várias ocasiões “em Caminha, como em nenhuma outra parte do mundo, são as pessoas que decidem o que fazer com a percentagem de IRS que fica no concelho. Não existe isto em lado nenhum e é por isso que o concelho de Caminha foi convidado pela Comissão Europeia para ir à Tunísia mostrar como se fazem as coisas”.

O Orçamento Participativo de Caminha é um processo de participação cidadã, que visa assegurar o envolvimento dos munícipes na decisão anual sobre as prioridades de investimento público autárquico, reforçando, desse modo, os mecanismos de interação com a população, de transparência na alocação dos recursos públicos e de aprofundamento da democracia a nível local.  O Orçamento Participativo 2017 contempla uma verba de 195 mil euros, o que correspondente ao montante de IRS que se prevê que os munícipes do concelho paguem durante o ano de 2017. É importante referir que cada projeto não poderá ultrapassar os 65 mil euros.

Os Encontros de Participação arrancam no dia 13 de março, em Arga de Baixo. No dia 15, é a vez de Lanhelas acolher a sessão; no dia 20, a equipa estará em Azevedo: no dia 22, em Vile; no dia 27 em Vila Praia de Âncora e terminam a 29 de março, em Vilarelho.

Depois disso, decorrerá a análise técnica sobre cada uma das propostas vencedoras, o que deverá acontecer até ao dia 27 de maio. A consulta pública terá lugar entre os dias 29 de maio e 07 de junho. A votação decorrerá de 19 de junho a 14 de julho. Os resultados serão conhecidos a 28 de julho.

Recorde-se que a recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa (Vila Praia de Âncora); a adaptação do Centro Cultural de Gondar para Unidade de Apoio Domiciliário (Gondar); a reparação do Cais da Rua e colocação de guindaste para embarcações (Caminha), a Rede Wi-Fi para as freguesias das Argas; a beneficiação do Jardim de Infância de Âncora; a execução do projeto do Cais de Rua Sul (Caminha) e a  recuperação do Monte Calvário (Vila Praia de Âncora), foram os projetos vencedores das duas primeiras edições.

CÂMARA DE CAMINHA VAI ATRIBUIR 76.400 EUROS AOS CLUBES E ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS DO CONCELHO

Reunião terá lugar amanhã, quarta-feira, pelas 15H00, no Salão Nobre do Edifício Paços do Concelho

A aposta no Desporto e o apoio às associações desportivas é o tema dominante na próxima reunião de Câmara. Miguel Alves vai propor ao executivo a atribuição de verbas no montante de 76.400€ a 15 clubes e associações desportivas do concelho. Ainda vão ser votados a atribuição de desconto de 50% da tarifa de utilização das Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora a sócios de clubes e associações desportivas do concelho e a celebração de um protocolo para a realização de um torneio de futebol. Estas e outras propostas serão apreciadas e votadas na reunião de Câmara que terá lugar esta quarta-feira, dia 1 de março, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

O executivo caminhense vai pronunciar-se sobre o apoio de 76.400 € que o Município vai atribuir aos clubes e associações desportivas do concelho. Em causa estão o Clube de Andebol de Caminha; o G.D.C. Venade; o Lanhelas F.C.; o Âncora Praia F.C.; o C.C.D. Ancorense; o Atlético Clube de Caminha; a Associação Desportiva Juventude V.P.; o Sporting Club Caminhense; o Jucaminha; a Associação Triatlo de Caminha; o Âncora Praia F.C (futsal); o Nautiminho; o Desnível Positivo; a Associação Columbófila Ancorense e o Surf Clube. Estes apoios são concedidos na sequência da inscrição dos Clubes e Associações Desportivas do Concelho de Caminha no REMAD e dos pedidos de apoio no âmbito do PAAD, previstos no Regulamento de Apoio ao Associativismo Desportivo. Para além destes apoios, são muitos os eventos que o Município organiza e coorganiza para promover o Desporto e o próprio concelho. Exemplos disso são o Rally de Portugal (etapa Caminha 19 de maio); a III Meia Maratona Sunset de Caminha (03 junho); o Triatlo Longo de Caminha (24 junho); o Grande Trail da Serra d’Arga (23 e 24 de setembro), entre muitas outras atividades.  

Como foi acima referido o desporto é uma aposta estratégica deste executivo, bem como o apoio às associações e clubes desportivos. Os apoios não se ficam só pelas verbas a atribuir anualmente a cada uma das associações. O Município vai mais longe e vai propor a atribuição de desconto de 50% da tarifa de utilização das Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora a sócios de clubes e associações desportivas do concelho. Recorda-se que no âmbito do incentivo à prática desportiva nomeadamente à prática da natação, o Município tem em curso o projeto piloto Caminha Sabe Nadar, que proporciona a todas as crianças do concelho de Caminha, com idade menor ou igual a oito anos, aulas gratuitas de adaptação ao meio aquático e natação para que fiquem dotadas de mecanismos de defesa em meio aquático, para que possam desfrutar de qualquer desporto náutico em segurança.

Ainda no âmbito do incentivo ao Desporto, o executivo vai votar um protocolo a celebrar entre o Município de Caminha e o Centro Cultural e Desportivo Ancorense para a realização do torneio de futebol – escalões infantis e benjamins, que vai envolver 230 jogadores, no montante de 5.000€, a realizar nos dias 17 e 18 de junho.

FERRY-BOAT SANTA RITA DE CÁSSIA INTERROMPE TRAVESSIAS A PARTIR DE QUINTA-FEIRA

A paragem deve-se à realização de trabalhos de manutenção e renovação do certificado de navegabilidade

A partir de quinta-feira, dia 2 de março, o ferry-boat Santa Rita de Cássia, que estabelece percursos diários entre as duas margens do rio Minho, de Caminha a A Guarda, vai interromper temporariamente as travessias. A embarcação vai ser alvo de trabalhos de manutenção, necessários para a renovação do certificado de navegabilidade.

Ferry-boat.jpg

Esta paragem temporária deve-se à necessidade de docagem da embarcação, para se realizarem os trabalhos de manutenção. Posteriormente, o ferry-boat será vistoriado por técnicos da Direção-geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos. Estes procedimentos, como referimos, são condições necessárias para a renovação do certificado de navegabilidade.

 Não há previsão certa para a retoma das travessias.

A Câmara Municipal solicita a melhor compreensão pelo incómodo que esta paragem possa causar.

O CONCELHO DE CAMINHA É O SEGUNDO MAIOR DESTINO DO DISTRITO E O SEXTO EM TODO O MINHO

INE mostra que houve mais 35% de turistas, mais dormidas e maior impacto económico

É cada vez maior o número de turistas que procuram Caminha. O concelho foi o segundo,no contexto do Alto Minho, com mais turistas em 2015. Em todo a província do Minho, Caminha é agora o sexto destino mais visitado pelos turistas apenas ultrapassado por Braga, Guimarães, Viana do Castelo bem como por Terras do Bouro (Gerês) e Esposende. Os números são oficiais e estão publicados no Anuário Estatístico da Região Norte de 2015. De acordo com o documento, o aumento da procura de alojamentos turísticos, face a 2014, foi de 35 por cento, e o retorno para a economia local foi também significativo. Os proveitos da hotelaria no concelho de Caminha em 2015 superaram os2.2 milhões de euros.

artbeerfest.jpg

Segundo os números do Anuário Estatístico da Região Norte, um documento do Instituto Nacional de Estatística, 33.231 turistas pernoitaramno concelho de Caminha em 2015, o que nos coloca na segunda posição a nível distrital, com um crescimento extraordinário (35%) face ao ano anterior.

No“top 5” distrital (Viana, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Ponte de Lima e Valença), Caminha foi também o município que mais cresceu de 2014 para 2015.

Com o fantástico resultado de 2015, Caminha deixou de ser o terceiro município com mais turistas no Alto Minho para passar a ser o segundo. À nossa frente ficou apenas Viana do Castelo, a capital do distrito, com 85.895 turistas. Em todo o Minho, Caminha passa para o sexto lugar dos destinos mais procurados.

Relevantes são ainda os dados sobre o número de dormidas, que também subiu: em 2014 registaram-se 49.044, passando em 2015 para as 67.109, o que se traduz num crescimento de 26 por cento.

Dados relevantes ainda são o crescimento global do número de estrangeiros - em 2014, 27 por cento dos hóspedes eram estrangeiros, enquanto em 2015 essa percentagem subiu para os 31por cento – e a diminuição do fator sazonalidade em 2015, quando comparado com o ano anterior: em 2014 apurou-se que 54,5 por cento das dormidas foram concentradas entre julho e setembro; já em 2015, só 51,5 por cento das dormidas se concentraram no mesmo período.

Segundo Miguel Alves, o Presidente da Câmara de Caminha, “estes números tornam evidente o acerto da estratégia que vem sendo seguida. A aposta na Cultura, a qualificação dos eventos, o reforço da comunicação no país e no estrangeiro, a melhoria do espaço público, a recuperação do património e o diálogo permanente com os agentes económicos que contribuem com investimento e divulgação dos seus equipamentos, começam a dar frutos extraordinários. Está à vista de todos: o concelho de Caminha recupera turistas, dimensão e prestígio.”

O Anuário Estatístico da Região Norte aponta também o impacto económico, registando proveitos da hotelaria no concelho de Caminha, em 2015, como referimos, superiores a 2.2 milhões de euros o que representa uma subida de 600 mil euros relativamente ao ano anterior.

Refira-se que as estatísticas da procura agora tornadas públicas são números oficiais do INE e referem-se a indicadores de hóspedes, dormidas e proveitos dos estabelecimentos turísticos por Município em 2015.

CAMINHA PRESTES A TORNAR-SE A VILA MAIS DOCE DE PORTUGAL

Esta edição conta com doces da Ilha da Madeira e de Espanha

De 24 a 28 de fevereiro, Caminha vai “tornar-se a vila mais doce de Portugal” com a promoção da feira de doçaria “Caminha Doce”. Doces das várias regiões do país, inclusive da Ilha da Madeira, e de Espanha, showcookings e workshops realizados pelos expositores e vários momentos culturais vão dar o mote a esta edição. A abertura está agendada para sexta-feira, às 19H30, com a atuação da Academia de Música Fernandes Fão e Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho.

16864194_1259070267480833_2076603309669234006_n.jpg

Com o Rio Minho como pano de fundo, esta edição da Caminha Doce conta com várias novidades. Destacam-se as presenças, pela primeira vez, de expositores oriundos de Espanha e da Ilha da Madeira e os showcookings realizados pelos próprios expositores.  Os objetivos são potenciar Caminha como destino turístico nesta altura do ano, contrariando a sazonalidade turística, dinamizar o concelho e a economia local.

De 24 a 28 de fevereiro, na Caminha Doce vai encontrar desde os doces tradicionais até aos conventuais, passando pelos chocolates, compotas e licores, de Caminha, Vila Praia de Âncora, Porto, Barcelos, Ermesinde, Viseu, Felgueiras, Vila Real, Lousada, Santa Maria da Feira, Ponte de Lima, Guimarães, Madeira e de Ourense. Para além dos doces, esta edição conta com a promoção de vários workshops e showcookings a cargo dos próprios expositores, que vão mostrar como confecionam as suas especialidades. Quanto à animação, a feira da doçaria vai contar com momentos musicais pela Academia de Música Fernandes Fão e pela Banda Musical Lanhelense e poesia doce pela Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho.

Ao longo dos cinco dias, são muitos os showcookings e workshops que vão animar o espaço. No dia da abertura destaca-se o showcooking “pão de deus e fogaça”, orientado por Doces Regionais e Conventuais da Santa Maria da Feira. No sábado, ao longo do dia, vão decorrer vários showcookings, com destaque para o Workshop “Viagem à Terra do Cacau”, orientado por Ana Rute, Flor da Cacau; e “Delícias do Norte da Madeira”, orientado por Delícia da Bia, Santana, Madeira. No domingo, destacam-se os showcookings infantil orientado por LICOMDA, Vila Praia de Âncora; “Queijinhos de Noz”, orientado por Fernanda Viana, Universidade Sénior do Rotary Club de Caminha; e as “Várias formas de Gofres, Crepes e gelados”, apresentado por La Central Heladera, Ourense. Na segunda-feira, destaca-se o showcooking “Doce Húngaro” orientado por Camipão - Padaria e Pastelaria, Vila Praia de Âncora. Na terça-feira de Carnaval destacam-se os o showcookings “Brigadeiros tradicionais e cupcakes decorados”, orientado por Combinações Perfeitas, Vila Praia de Âncora e “Escolha a fruta! Escolheu? Vamos fazer a compota!”, a cargo da Licomda, Vila Praia de Âncora.

No fim de semana, à Caminha Doce juntar-se-ão o afamado Baile do Assalto no Valadares Teatro Municipal de Caminha, no dia 25 e o Desfile de Carnaval Noturno, no dia 27.

CÂMARA DE CAMINHA E SERRALVES VÃO PROMOVER PROGRAMA EDUCATIVO MÚSICA E PALAVRA’NO DIA 6 DE MARÇO

Ação de formação dirige-se a técnicos e professores

A Câmara Municipal de Caminha e a Fundação de Serralves vão promover a ação de formação ‘Programa Educativo Música e Palavra’, no âmbito da exposição ‘Música e Palavra: Obras da Coleção de Serralves’. Esta ação dirige-se a técnicos e professorese pretende-se dinâmica, direcionada aos conteúdos da exposição, e relacionada com a experiência prévia de cada um dos participantes e temáticas de interesse transversal à sociedade contemporânea. A ação de formação vai decorrer no Museu Municipal de Caminha, no dia 6 de março.As inscrições terminam no final do mês.

bateria 2017.jpg

Recorda-se que a exposição “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente ao público, até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio. Esta é a primeira exposição que Caminha tem patente enquanto “Vila Serralves”.

Esta ação de formação de componente teórica foi pensada para os agentes de mediação que estarão relacionados com a exposição, com a possibilidade de ser mais abrangente e incluir docentes da região, assim como agentes culturais locais ou outros interessados. Os interessados deverão efetuar a respetiva inscrição até final de fevereiro, através do email museu@cm-caminha.pt.

Joana Mendonça, dos Serviços Educativos do Museu de Serralves, é a responsável pela conceção e orientação desta ação de formação.

No ‘Programa Educativo Música e Palavra’ serão debatidas questões profundas sobre como nasce um artista, ou que processos são estes que levam à legitimação das obras, uma crítica à forma de estar social e humana, experiências com a linguagem e a palavra escrita, assim como a materialização de uma obra de arte cujo meio de expressão é o som. Preocupações relacionadas com a dificuldade de integrar peças de arte sonora no mundo das artes plásticas iminentemente visuais: o som não se vê, não se toca, mas a forma como se experiencia pode influenciar profundamente a forma como entendemos arte contemporânea.

Quanto à exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é de referir que reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

CARNAVAL EM CAMINHA É UMA GRANDE CEGADA

Carnaval das Escolas, Baile do Assalto e Desfile de Carnaval Noturno são as propostas

O Carnaval em Caminha é já uma referência. São 4 dias de folia, com programas para todos os gostos. Carnaval das Escolas, Baile do Assalto e Desfile de Carnaval Noturno marcam o entrudo e dão o mote para “a famosa cegada é o Carnaval em Caminha”.

Baile assalto 2016_46.jpg

No concelho, o Carnaval começa no dia 24, com os desfiles das escolas. Da parte da manhã, os alunos do Vale do Âncora saem à rua e percorrem as ruas de Vila Praia de Âncora. Da parte da tarde, é a vez dos alunos do Vale do Coura e Minho envergarem os fatos carnavalescos e palmilharam as ruas de Caminha ao som da música carnavalesca.

A folia continua no sábado, dia 25 de fevereiro, com mais um Baile do Assalto. O Baile do Assalto marcou gerações e continua a ser uma das atrações da programação de Carnaval no concelho. São muitos os foliões caminhenses e de outro locais da região norte que não dispensam o afamado Baile, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha. A música, a cor e alegria estão garantidas a partir das 22 horas. Há prémios para as melhores fantasias. Os interessados podem reservar o bilhete através dos números 962 529 348; 966 593 776, 966 827 824 e 933 351 013.

A noite de 27 de fevereiro, é o ponto alto do Carnaval em Caminha com a promoção do desfile noturno “A famosa cegada é o Carnaval em Caminha”. Com uma visibilidade cada vez maior, nesta edição são esperadas centenas de foliões quer para desfilarem, quer para assistirem ao desfile. Este ano, há cinco mil euros em prémios, com destaque para o prémio Município. Despois do desfile noturno, a festa continua nos bares da Rua Direita.

Carnaval noite2016_122.jpg

Carnaval noite2016_149.jpg

EXECUTIVO CAMINHENSE ESTÁ DE REGRESSO A LANHELAS

Reunião descentralizada vai decorrer dia 22 de fevereiro, na Casa do Povo, pelas 18h30

Lanhelas vai acolher a próxima reunião descentralizada. Quarta-feira, dia 22 de fevereiro, Miguel Alves e os vereadores estão de regresso a Lanhelas para esclarecerem e ouvirem as novas questões levantadas pelos lanhelenses. A reunião descentralizada vai decorrer na Casa do Povo, pelas 18h30.

casa do povo de lanhelas.jpg

O executivo regressaa Lanhelas com o sentido de dever cumprido. Ao longo destes três anos, foram muitas as obras realizadas na freguesia, algumas reivindicações antigas da população da freguesia. De facto, Lanhelas foi alvo de obras de grande envergadura, como por exemplo, a requalificação do Estádio Ilídio Couto e a Construção da Ecovia Caminho do Rio Minho. Mas também foram realizadas várias intervenções, em parceria com a Junta de Freguesia, que contribuíram muito para a qualidade de vida das pessoas. São exemplos disso, a renovada Avenida da Liberdade, as requalificações da Travessa do Sobreiro, do Caminho do Serradouro, do Caminho da Ramalhosa, do Caminho da Bouça Velha, da Rua do Alto da Boavista entre muitos outros trabalhos.

A decorrerem desde janeiro de 2014, as sessões públicas descentralizadas são um instrumento de participação que os munícipes têm à disposição para dialogar diretamente com as pessoas que comandam os destinos do concelho. Além de favorecerem a proximidade junto da população, estas reuniões permitem ao presidente e vereadores da Câmara Municipal ouvir, esclarecer e prestar contas da gestão municipal, contribuindo assim para uma democracia local mais participativa.

Estas reuniões públicas apresentam como único ponto da ordem de trabalhos a audição dos munícipes. Assim, os lanhelenses que queiram intervir deverão proceder à sua inscrição, com uma antecedência mínima de 48 horas, na Câmara Municipal, através do telefone 258 710 300 ou do e-mail geral@cm-caminha.pt. Ainda o podem fazer na Junta de Freguesia de Lanhelas. É de realçar que, no momento da inscrição, deverão indicar o contacto telefónico e o assunto a tratar. Será dada prioridade aos assuntos relacionados com as freguesias em questão e de interesse coletivo e/ou público.

RIO MINHO JUNTA MUNICÍPIOS DA GALIZA E DO MINHO EM PROL DE PROJECTO COMUN

Cerveira-Tomiño partilham preocupação sob impasse na candidatura ‘VISIT Rio Minho’

Caso os Governos de Portugal e de Espanha não se pronunciem sobre os contornos burocráticos subjacentes à não admissibilidade da candidatura ‘VISIT Rio Minho’, a CIM Alto Minho e a Deputación de Pontevedra admitem recorrer a Bruxelas para defender o conceito de cooperação transfronteiriça. Esta posição conjunta foi anunciada, em conferência de imprensa desta quinta-feira, em Valença, e na qual participaram vários autarcas, nomeadamente de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño pelo projeto em mãos do Parque Transfronteiriço através de uma ponte pedonal e ciclável.

IMG_1448.JPG

Autarcas dos dois lados da fronteira demonstraram, em uníssono, “a enorme insatisfação” em torno do tratamento que Lisboa e Madrid estão a dar ao território transfronteiriço ladeado pelo rio Minho. Em cima da mesa está a não admissibilidade da candidatura ‘VISIT Rio Minho’ - apresentada, em janeiro de 2016, ao POCTEP -, por ter sido submetida através de um Cartão de Cidadão de um técnico devidamente credenciado pela CIM Alto Minho, e não pelo próprio presidente da entidade intermunicipal.

Desta forma, a CIM Alto Minho e a Deputación Pontevedra deliberaram solicitar aos Governos de Portugal e de Espanha que seja garantida, “com a máxima urgência, a adequada e definitiva resolução das questões relacionadas com a aprovação da candidatura ‘VISIT Rio Minho’ ainda durante o período normal previsto para a decisão da 1ª fase do POCTEP, ou seja até 8 de março”. Caso não sejam ouvidos, os autarcas “reservam-se ao direito a recorrer a outras ações e iniciativas conjuntas” para continuar a defender os interesses das populações deste território transfronteiriço, podendo mesmo levar o assunto para apreciação em Bruxelas.

CAMINHA: NOVAS REGRAS NA JORNADA CONTÍNUA APOIAM TRABALHADORES E PROMOVEM MAIOR EFICÁCIA DOS SERVIÇOS

Pais e mães podem acompanhar os seus filhos em situações mais difíceis

A Câmara de Caminha vai adotar novas regras no âmbito da jornada contínua, a partir do próximo mês de abril. A decisão foi comunicada esta semana pelo presidente da Câmara, através de despacho, e visa apoiar efetivamente os trabalhadores do Município que são pais, promovendo maior justiça em relação à situação atual, sem perder de vista a funcionalidade dos serviços e os deveres para com os munícipes. 

O modelo atualmente em vigor, volvidos cerca de dois anos sobre a sua implementação, tem-se revelado progressivamente menos eficaz, mercê do aumento significativo do número de trabalhadores que, ao longo desse período, têm solicitado autorização para prestação de serviço em jornada contínua. Este incremento tem também originado alguma injustiça, com a impossibilidade de todos os que o pretendem poderem fazer esta opção, sob pena dos serviços a que estão associados, onde todos ou quase todos os funcionários pretendem a jornada contínua, ficarem inoperacionais ou fecharem em determinados períodos, com óbvio prejuízo dos munícipes. 

Assim, nos termos do despacho, todos os trabalhadores que tenham, pelo menos, um filho com idade inferior aos três anos de idade, podem requerer horário em jornada contínua, que permite que saiam duas horas mais cedo do seu local de trabalho. O mesmo se aplica aos trabalhadores de família monoparental, em que apenas um dos progenitores viva com os filhos. Além disso, todos os pais de menores cujo estabelecimento de ensino não assegure a permanência da criança para além do horário normal, ou que tenham que ficar mais de uma hora à espera dos pais, terão também o mesmo direito.

Para Miguel Alves, “esta decisão tem dois objetivos muito claros. O primeiro é de organização interna e visa moralizar o usufruto de jornada contínua por parte dos trabalhadores da Câmara. Há trabalhadores que subvertem a lei em vigor para tirar partido individual de um horário que permite a saída do posto de trabalho mais cedo e outros há que têm circunstâncias familiares muito difíceis e não têm podido beneficiar da legislação porque a prova é complexa e o abuso de alguns não permite o usufruto de outros pelo prejuízo causado ao serviço. O segundo objetivo é um princípio universal que Caminha vem afirmar, o princípio do apoio familiar e de acompanhamento das crianças numa sociedade que tende a distanciar as famílias e a provocar cada vez mais problemas de natalidade. Na Câmara de Caminha a família conta, as crianças contam”.

De sublinhar que foram previamente solicitados contributos nesta matéria aos dois sindicatos com representação junto dos trabalhadores da autarquia, com o intuito de melhorar o modelo a implementar, que entra em vigor a partir do mês de abril próximo. Até ao dia 28 deste mês de fevereiro, os trabalhadores que se enquadrem nas novas regras deverão solicitar a jornada contínua, comprovando as condições que elencarem, de acordo com o despacho.   

Com a decisão agora tomada pelo presidente da Câmara de Caminha, reforçam-se os apoios à família, que vem sendo prestados pelo Município nos últimos três anos. Para além do apoio financeiro dado na aquisição dos livros escolares no 1º ciclo às famílias com dificuldades económicas, bem como o financiamento das refeições e transportes escolares, já tinha sido este executivo a criar programas ocupacionais para as pausas letivas colmatando uma lacuna que existia. Agora o Município vira-se para o seu interior e para os cerca de 300 funcionários dando a oportunidade aos pais e mães de poder acompanhar os seus filhos em situações mais difíceis.

CAMINHA MOSTRA + VAI DECORRER DE 28 DE ABRIL A 1 DE MAIO

A Câmara Municipal e a Rede Social de Caminha vão promover a iniciativa Caminha Mostra + com o objetivo de dar visibilidade ao trabalho desenvolvido pelas instituições/associações formativas, culturais, sociais e desportivas do concelho. A atividade vai decorrer de 28 de abril a 1 de maio e as inscrições terminam esta sexta-feira.

Inserida no Vila Praia em Flor, Caminha Mostra + vai apresentar múltiplas propostas: exposições, oficinas, ciclo de debates, palestras e workshops sobre diversos temas, atividades lúdicas, recreativas e desportivas, dinamizadas pelas próprias instituições.

Para além de permitir às instituições divulgarem as próprias atividades, a Caminha Mostra + pretende ainda sensibilizar a comunidade geral para o seu reconhecimento.

Podem participar na Caminha Mostra + as IPSS’s, associações culturais, sociais e desportivas do concelho de Caminha e todas as instituições que integram o CLASC (Conselho Local de Ação Social de Caminha).

A Caminha Mostra + tem como comissão organizadora a Câmara Municipal de Caminha, o Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora, o Centro de Bem Estar Social de Seixas, o Judo Clube de Caminha (JUCAMINHA) e o Orfeão de Vila Praia de Âncora.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CAMINHA REÚNE SEXTA-FEIRA

Sessão pode ser acompanhada em direto, online, através do sítio do município e nas redes sociais a ele associadas

A Assembleia Municipal de Caminha vai reunir sexta-feira, dia 17 de fevereiro, pelas 21 horas, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha. Esta sessão pode ser acompanhada em direto, online, através do sítio do município e nas redes sociais a ele associadas.

Depois do período de antes da ordem do dia, os deputados municipais vão analisar a informação escrita do presidente da Câmara sobre a atividade do Município e a situação financeira do mesmo.

Da ordem de trabalhos faz parte a apreciação de um empréstimo a curto prazo até ao montante de duzentos e cinquenta mil euros, que se destina à liquidação de acordos de pagamento relativos a dívidas antigas, que transitaram do anterior mandato, onde se inclui uma sentença judicial transitada em julgado em 2012 e um acordo com os proprietários de uma quinta. Refira-se que está em causa a Quinta da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, e um edifício arrendado na Travessa do Tribunal, em Caminha. Nos dois casos, o custo total para os cofres do Município ascende aproximadamente a 850 mil euros.

Em apreciação estará também a atualização de tarifas, preços e taxas municipais para 2017.

Os deputados municipais vão ainda votar o contrato interadministrativo entre o Município de Caminha e Junta de Freguesia de Caminha e Vilarelho para a delegação de competências para a gestão e conservação do Cemitério Municipal de Caminha.

A Assembleia vai pronunciar-se sobre o contrato interadministrativo a celebrar entre a Câmara Municipal de Caminha e o Agrupamento de Escolas Sidónio Pais – Autonomia para o ano letivo 2016/2017, no valor de 64.269,00€.

CÂMARA DE CAMINHA VAI INVESTIR EM SANEAMENTO NA FREGUESIA DE ÂNCORA MAIS DE 650 MIL EUROS

Até 2018, vão ser investidos 4 milhões de euros em infraestruturas básicas

A Câmara Municipal de Caminha prepara-se para avançar com a execução da rede de saneamento em Âncora. Depois da empreitada “Infraestrutura em "baixa" do sub-sistema de Aspra, Viso e Currais - 1.ª fase”, Miguel Alves vai propor ao executivo a adjudicação da empreitada de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja – 2ª fase – Freguesia de Âncora, um investimento superior a 500 mil euros. O investimento em redes de saneamento na freguesia de Âncora vai ultrapassar os 650 mil euros. A obra deverá começar no mês de maio. A reunião de Câmara terá lugar esta quarta-feira, dia 15 de fevereiro, pelas 15 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Dotar as freguesias do concelho das infraestruturas necessárias para melhorar a qualidade de vida dos munícipes é uma das apostas do executivo caminhense, liderado por Miguel Alves. Este mandato, em saneamento, já foi investido 1.453.407€ e, até 2018, vão ser gastos mais 2.648.212,89€. No total, vão ser investidos mais de 4 milhões de euros na melhoria da qualidade de vida das pessoas do concelho.

O montante investido diz respeito, por exemplo, à execução da rede de drenagem da Ribeira das Preces, em Moledo; à rede de saneamento zona Sul Vila Praia de Âncora, Vile e Riba de Âncora; à execução da rede de saneamento da Meia Légua em Moledo; à execução da “Infraestrutura em "baixa" do sub-sistema de Aspra, Viso e Currais - 1.ª fase”, na freguesia de Âncora, entre outras.

Até 2018, ainda vão ser executadas a rede de saneamento de Vilar de Mouros, que terá um custo total de investimento superior a um milhão de euros; a rede de saneamento e sistemas de interseção e elevação de Argela, que também vai custar mais de um milhão de euros e a rede de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja, na freguesia de Âncora, orçada em meio milhão de euros. Estas obras vão se financiadas pelo PO SEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Quarta-feira, em cima da mesa, vai estar a empreitada de saneamento de Aspra, Viso, Currais e Igreja – 2ª fase – Freguesia de Âncora – adjudicação, pelo montante de 494.900,01+IVA, que deverá começar em maio.

MUSEU MUNICIPAL DE CAMINHA TEM NOVO VISUAL

O Museu Municipal de Caminha foi alvo de uma intervenção. Foram criados novos espaços, conferindo à zona um visual atual e “user friendly”. Este trabalho vai integrar a obra de ampliação do Museu.

Musica e Palavras1.jpg

Esta intervenção permitiu a reorganização interna do Museu. A receção passou a fazer-se na área que confronta com a nova praça, criada aquando da construção da Nova Biblioteca de Caminha, e ainda foram construídas duas salas: uma nova sala de exposições temporárias e uma sala destinada a serviços educativos.

Dos trabalhos fizeram parte a renovação e construção de novas paredes, colocação de pisos e regularização de cotas de circulação interiores, com o objetivo de tornar o edifício num espaço acessível para todos os públicos, cumprindo a legislação das acessibilidades.

“Palavras e Música_ Obras da Coleção de Serralves” para ver até 16 de abril

O Museu Municipal tem patente ao público duas exposições temporárias: “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” e Retrospetiva 2016.

 “Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” está patente até 16 de abril. Esta exposição apresenta trabalhos que testemunham o interesse de artistas visuais nas últimas cinco décadas pelos universos da música, do som, da palavra dita. A aproximação a estes mundos serviu-lhes para saírem do contexto estrito da história das artes visuais e para produzirem obras que se inspiram na vitalidade da música, nomeadamente na música rock.

Evidência desta relação entre música e artes visuais são as capas de discos de vinil pertencentes à Coleção Salvador Massada, também apresentadas na exposição. Esta seleção conta com capas desenhadas por artistas portugueses e internacionais como Jean-Michel Basquiat, Robert Frabnk, Barbara Kruger, Jorge Martins, Paulo Nazolino, entre outros.

São apresentadas obras de Dara Birnbaum, Luís Paulo Costa, Luísa Cunha, Dan Graham, Ricardo Jacinto, Tony Oursler, Rui Toscano, Pedro Tudela.

Desde a visão estética do acontecimento, ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, esta mostra propõe uma aproximação à experiência sonora a partir da sua dimensão social no contexto contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora, a catarse envolvente dos elementos musicais e alusões à frenética estética do videoclipe, criam, nesta exposição, um percurso com diferentes propostas, ligadas de maneira mais ou menos transversal, ao som, à música e à palavra.

Para além de estar patente no Museu Municipal, “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” pode ser admirada na Galeria de Arte Caminhense, edifício do antigo Posto de Turismo e Torre do Relógio.  A entrada é gratuita.

A exposição Retrospetiva 2016 está patente até ao dia 05 de março. Esta mostra reúne as obras cedidas ao Município pelos artistas que escolheram a Galeria de Arte Caminhense para expor o seu trabalho durante o ano de 2016.

Em 2016, foram mais de duas dezenas os artistas que escolheram uma das salas de visita do concelho para divulgarem o seu trabalho: Lúcio Danin Torres, Marcos Viana, Conchi Cuadrado, Joel Correia / Diana Pinheiro, José Luís Pais, Santarelli, João Barros, Puskas, Vitor Carneiro, Lucie Esteve, Isa Dora Cruz, João Marrocos, Dacha, Cachi / Tino Riveiro, Isabel Ferreira, Alfonso Vicente Rey, David Lopes / Rosário Pedro, Ricardo Dantas, Maria Mondim Pereira, José Manuel Rocha Pereira e Mário Rebelo de Sousa.

Ambas as exposições podem ser visitadas de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00.

Retrospetiva 2016-2.jpg

CAMINHA CELEBRA O ‘AMOR’ COM VÁRIAS ATIVIDADES

No dia 14 de fevereiro, o amor está no ar no concelho de Caminha. Menu especial nos restaurantes aderentes, peddy-paper “Caminha com oCoração: itinerário do Amor” e sessão especial de cinema, com a exibição do filme ‘La La Land: Melodia de Amor’, são as várias iniciativas que o Município de Caminha reservou para os casais e fazer do concelho o “concelho do amor”.

O Município de Caminha vai celebrar o amor com múltiplas atividades. O objetivo é promover a gastronomia, a restauração e a hotelaria local, mas também proporcionar momentos de lazer. Contudo, este ano, o Município quer passar uma mensagem no Dia de São Valentim, ou seja, sensibilizar as pessoas contra a violência no namoro e para a importância da prática desportiva.

Assim, para os mais apaixonados as possibilidades são muitas. O Município vai promover o peddy-paper“Caminha com o Coração: itinerário do Amor”, com concentração marcada para as 18H30, junto à Torre do Relógio, em Caminha, com passagem em alguns espaços que outrora serviam de local de namoro. No final haverá um sorteio, onde os casais poderão ganhar uma noite numa unidade hoteleira do concelho ou um jantar num restaurante também do concelho.

Ao jantar, os restaurantes aderentes do concelho também se empenharam a celebrar a data e prepararam uma ementa especial, de “fazer crescer água na boca”, para os mais apaixonados. Depois do jantar, o Município vai adoçar a noite dos enamorados com a oferta de um mimo doce.

Para terminar a noite de uma forma romântica, o Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora propõe uma sessão especial Dia dos Namorados com a exibição do filme do momento ‘La La Land: Melodia de Amor’, de DamienChazelle, nomeado a 14 óscares, pelas 22H00. A receita reverte a favor dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

CAMINHA VILA SERRALVES MOSTRA “MÚSICA E PALAVRAS – OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES”

Para ver no Museu Municipal de Caminha, antigo Posto de Turismo de Caminha, Torre do Relógio e Galeria de Arte Caminhense até 16 de abril

“Hoje germina uma relação nova da nossa terra com a cultura, hoje associamos a nossa forma de ser e de estar a uma longa corrente que percorre os melhores museus de arte contemporânea de todo o mundo, hoje transformamos Caminha numa Vila Serralves, a nossa terra num Concelho Serralves” – com estas palavras, o presidente da Câmara, Miguel Alves, deu as boas vindas a todos os que se associaram ao Município e à Fundação Serralves para a inauguração de uma grande exposição de arte contemporânea.

Assinatura do protocolo.jpg

“Música e Palavras – Obras da Coleção de Serralves” é a primeira grande iniciativa no âmbito da adesão da Câmara Municipal ao projeto Serralves, de que se tornou membro fundador, e cujo protocolo foi também assinado, formalizando-se assim uma relação que transforma o concelho de Caminha na primeira Vila Serralves. O ministro da Cultura não pode estar presente por motivos de saúde.

A partir de hoje e até 16 de abril, quatro espaços da Vila são palco de uma importante exposição de arte contemporânea do espólio da Fundação de Serralves. Os espaços do Museu Municipal de Caminha, antigo Posto de Turismo de Caminha, Torre do Relógio e Galeria de Arte Caminhense acolhem dezenas de obras de arte, fruto da parceria entre o Município e aquela que é, como frisou Miguel Alves, “uma das instituições europeias mais importantes na área da cultura”. Os quatro espaços foram visitados, após a sessão que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em que participaram, entre outros, a Presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho; o Presidente do Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves, Luís Braga da Cruz; a Vice-Presidente da Fundação de Serralves, Isabel Pires de Lima; a Alcalde de A Guarda, António Lomba Baz, e o Diretor Regional da Cultura do Norte, António Ponte,

Uma nova significância da cultura

Para Miguel Alves, a parceria com Serralves exprime o modo como o Município hoje encara a significância da cultura: a “forma como ultrapassamos a mediocridade daqueles para quem a cultura é, e sempre será, um parente menor da governação e da gestão do dinheiro público. Entendo as dúvidas daqueles que esperam para ver de que modo esta relação frutificará, aquele pessimismo que, tantas vezes afinal, serve de impulso à mobilização da alma mas não entendo o vitupério e a maledicência daqueles que trouxeram comboios turísticos que passeavam chinelos de praia, os mesmos que foram responsáveis por PPP’S que consomem 1 milhão de euros por ano aos nossos munícipes, exatamente os mesmos, sem tirar nem pôr, que criaram programas de distribuição gratuita de suínos que custaram milhares de euros a Caminha e que agora criticam um investimento, muito inferior, na promoção da nossa cultura e valorização da nossa terra”.

O presidente referiu-se ainda à forte aposta na Cultura e nas Pessoas, que marcou os últimos três anos de gestão. Recordou que “este é um concelho que pinta, por onde Almada Negreiros passou, um concelho que nos últimos três anos apresentou 91 exposições que envolveram 230 artistas plásticos só nos espaços municipais, que apoia as associações e os artistas, que faz gala da Arte na Leira, um projeto único de pintura na Serra d'Arga que apoiamos anualmente, que cede instalações e junta eventos com oportunidades, as mesmas que permitiram financiar os bombeiros de Caminha através de um leilão de arte”.

Outras realidades que fazem parte da estratégia cultural do concelho foram ainda referidas, como o investimento de cerca de um milhão de euros numa nova biblioteca; a aposta no teatro, com um programa que nos últimos dois anos levou esta arte a todas as freguesias; a promoção do Festival Luso Galaico da Marioneta; a criação e condições para a reabilitação do Cineteatro em Vila Praia de Âncora e a recuperação do Festival de Vilar de Mouros.

Relativamente à preservação do património, o presidente da Câmara salientou a requalificando o Mosteiro de São João d’Arga, “uma joia românica no cimo da Serra que mereceu um investimento superior a meio milhão de euros sempre adiado”, assim como o Dólmen da Barrosa, candidatado a um projeto de valorização do megalitismo, isto para “um espaço que estava esquecido na extraordinária Vila Praia de Âncora”.

Na área da paisagem, Miguel Alves lembrou o reatamento de relações com a vizinha A Guarda, e o projeto comum em curso, de candidatura do estuário do Minho a um título universal, único, de reconhecimento global, o título de Paisagem Cultural da UNESCO, a primeira candidatura transfronteiriça em Portugal.

O importante papel da dinâmica associativa

O presidente da Câmara falou ainda da importância das instituições concelhias e pediu aos seus representantes que “não receiem esta interpelação (Serralves) e não se deixem intimidar pelos medíocres que criticam a aposta da Cultura no concelho de Caminha: esta é uma oportunidade para crescermos juntos, em comunidade e em interação com outro universo”.

Dirigindo-se aos representantes das associações, Miguel Alves sublinhou: “só estamos aqui porque vocês têm feito um trabalho extraordinário. Quando as instituições públicas falharam, quando o Município falhou, vocês e outros antes de vós estavam aí para preservar a nossa cultura e para manter as mentes do concelho abertas, tolerantes e curiosas. Estes protocolos não são para a Câmara, são para vós. É para vós que hoje inauguramos uma exposição de arte contemporânea de qualidade indiscutível, uma exposição que junta a palavra, que tantos saboreiam, com a música que tantos tocam e cantam, uma exposição que traz a Caminha a arte de grandes nomes nacionais e internacionais, uma exposição que poderia estar no Porto, em Paris, em Nova Iorque, sem favor, e que estará de hoje até 16 de abril aqui na nossa terra, em Caminha, Vila Serralves”.

Estatuto de fundador beneficia a população

Miguel Alves agradeceu a todos os que trabalharam para que esta grande exposição fosse possível, e em particular à Presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho: “não esquecerei a sua abordagem quando convidou o Município para ser Fundador de Serralves. Não impôs nem pretendeu demonstrar o que Caminha ganharia com Serralves, centrou-se primeiro no que Serralves poderia ganhar com a dinâmica e o contributo de Caminha para depois explicar como Caminha poderia crescer com a Fundação”.

O protocolo agora assinado permite o estabelecimento de uma relação privilegiada com Serralves e traz benefícios diretos e imediatos para a população do concelho. Por exemplo, permite que todas as crianças até aos 12 anos do concelho de Caminha tenham entrada gratuita em Serralves; permite descontos nas entradas a jovens que estejam a estudar e aos residentes do concelho com mais de 65 anos; promove a colaboração das escolas com Serralves, no desenvolvimento de programas pedagógicos que visem a formação das crianças e jovens nas áreas do ambiente e da cultura, etc.

As instituições do concelho poderão também articular com a Câmara participações especiais em eventos organizados por Serralves, como sejam o “Serralves em Festa” ou a “Festa de Outono”.

Serralves abre portas à cultura de Caminha

Caminha e Serralves partilham a vontade de fazer mais e as portas da Fundação estão abertas para a cultura de Caminha – esta foi a mensagem deixada hoje pela Presidente da Fundação de Serralves. Ana Pinho sublinhou o facto de o concelho ser a primeira Vila portuguesa a tornar-se membro fundador da Fundação de Serralves e saudou o trabalho aqui desenvolvido no âmbito cultural, na diversificação e na qualificação da oferta cultural.

A responsável lembrou que Serralves promove anualmente mais de 500 atividades, destacando também o serviço educativo. Ana Pinho falou ainda da componente internacional, referindo que estão a ser preparadas cinco exposições em cinco importantes locais do mundo, a primeira em Valencia, seguindo-se Berna, Virgínia (EUA), S. Paulo e Santander, que correspondem à política de internacionalização.

“Temos muito a aprender e a partilhar e seguramente estamos em condições de levar Caminha, a sua cultura, à Fundação, ao Porto”, concluiu Ana Pinho.   

O Presidente do Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves, Luís Braga da Cruz, interveio no final da sessão. Falou de Serralves como um projeto para formação de novas gerações e da coleção da Fundação, que tem em vista os jovens.

Luís Braga da Cruz recordou ainda uma viagem em que coincidiu com Miguel Alves, que se deslocava à Tunísia para representar o Município de Caminha a propósito das formas de governação participativa que são desenvolvidas no concelho e que colocou Caminha a par de Madrid. Nessas conversas, como Miguel Alves tinha referidos antes, plantou-se apenas a semente “do que veio a ser este enorme compromisso, mas, desde então, cuidamos de regar e tratar aquela possibilidade que começou frágil e veio tornar-se realidade”.

REDE CUIDADORES + PERTO CHEGA A CAMINHA

Projeto é apresentado no sábado, dia 11 de fevereiro, pelas 15H30, no Auditório do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora

A Rede CUIDADORES+PERTO de capacitação e suporte de cuidadores de pessoas com demência, chegou ao concelho de Caminha, com a abertura do Núcleo de Caminha, em Vila Praia de Âncora. Este projeto, uma parceria do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, vai ser apresentado publicamente no próximo sábado, dia 11 de fevereiro, pelas 15H30, no Auditório do Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora.

Centro Social Cultural de Vila Praia de Âncora.jpg

 

Para Miguel Alves: “este é um bom exemplo do excelente trabalho que as nossas instituições fazem no terreno com o apoio das autarquias e das empresas, fatores de união e congregação de esforços. Este projeto tem um mérito extraordinário porque não se limita a olhar para o problema social primário, para o doente, olha também para o cuidador, para as suas angústias, para as suas dificuldades, para o desgaste que sofre por cuidar de outrem e a pouca valorização que sente nesse labor diário. A Câmara de Caminha associa-se a esta iniciativa e agradece o empenho das instituições, dos profissionais envolvidos e a dedicação de todos os cuidadores”.

O concelho conta com uma nova resposta social. A apresentação pública deste projetoconta com a dramatização da história “O Pequeno Elefante Memo”, a cargo dos idosos e crianças do CSCVPA; a comunicação “Demência: cuidar e ser cuidado”, por Sandra Perdigão, Médica neurologista e a apresentação do projeto, por Luís Durães, coordenador do projeto. A sessão de encerramento está a cargo de José Luis Presa, presidente da direção do CSCVPA.

O Núcleo de Caminha CUIDADORES+PERTO vai funcionar no Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora já a partir do dia 18 de fevereiro. As sessões vão decorrer no primeiro e terceiro sábados de cada mês, entre as 9H30 e as 11H30. A participação no projeto é gratuita para os cuidadores de pessoas com demência e respetivos familiares.

Este projeto pretende contribuir para a qualidade de vida e redução do isolamento social dos cuidadores de pessoas com demência, através da dinamização de Grupos de Intervenção Psicoeducativa e de Grupos de Suporte e da criação e mediação de uma Rede de Proximidade. Assim, para que todos os cuidadores possam participar, o projeto conta com uma equipa de voluntários que dinamiza em simultâneo Atividades Ocupacionais direcionadas às pessoas com demência, permitindo que mesmo os cuidadores com menos retaguardas familiares possam usufruir das diferentes respostas.

São ainda objetivos deste projeto: valorizar o papel do cuidador; facilitar a interação e as relações de suporte positivas entre pares e valorizar a dimensão interpessoal entre os cuidadores familiares de pessoas com demência; oferecer apoio emocional que promova a autoestima e a autoconfiança dos cuidadores de pessoas com demência; contribuir para a diminuição da institucionalização precoce das pessoas com demência pela capacitação e suporte aos seus cuidadores; fornecer informação atual, específica, útil e cientificamente comprovada e encaminhar, quando necessário, para apoio técnico especializado.

A Rede CUIDADORES+PERTO é uma iniciativa da HOPE! Respostas Sociais (IPSS especializada na intervenção com pessoas com demência) a funcionar em Viana do Castelo desde outubro de 2016. A HOPE! Conta com as parcerias da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Associação Alzheimer Portugal e Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Em Portugal, segundo os mais recentes dados epidemiológicos da Alzheimer Europe, existem 182.526 pessoas com demência, estimando-se que estes números tripliquem nos próximos 30 anos. A Doença de Alzheimer, ainda sem cura, é a forma de demência mais prevalente.  A grande maioria dos cuidados a pessoas com demência, cerca de 80% segundo a Plataforma Saúde em Diálogo, é prestada por familiares e cuidar de uma pessoa com demência é uma tarefa mais exigente e acarreta maior sobrecarga, quando comparada com a prestação de cuidados a um idoso dependente, sem demência. Esta realidade coloca desafios importantes a todos os sistemas de cuidados de saúde e sociais, já que as demências têm, reconhecidamente, fortes impactos sociais e económicos, tendo em conta as diferentes exigências ao longo do seu percurso e a necessidade de garantir apoio e formação aos cuidadores familiares e profissionais.

Mais informações em www.hope.pt | E: geral@cuidadoresmaisperto.pt | T: 912 263 610 | F: cuidadoresmaisperto

MINISTRO DA CULTURA PRESENTE NA INAUGURAÇÃO EM CAMINHA DA EXPOSIÇÃO DE SERRALVES “MÚSICA E PALAVRAS: OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES”

Sessão terá lugar amanhã, dia 7 de fevereiro, pelas 18H00

Caminha “Vila Serralves” vai acolher a primeira exposição a partir de amanhã. “Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” inaugura, amanha, dia 7 de fevereiro, pelas 18H00, com uma sessão especial no Salão Nobre do Edifício Paços do Concelho. A inauguração conta com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, do Presidente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, e da Presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho.

Serralves Música e Palavras Dara Birnbaum.jpeg

A exposição itinerante “Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” vai estar patente até ao dia 16 de abril, em vários espaços culturais da vila: Museu Municipal, Galeria de Arte Caminhense, o edifício do antigo Posto de Turismo e a Torre do Relógio. Esta mostra faz parte do intenso programa de exposições itinerantes que o Museu de Serralves desenvolve e que tem como grande objetivo tornar a Coleção de arte contemporânea de Serralves acessível para além das portas do Museu, permitindo assim o alargamento da rede de acesso e de aproximação das populações à arte e à cultura.

Para o Município de Caminha, esta aposta na cultura prestigia o concelho e vai permitir aos caminhenses ampliarem os seus hábitos culturais e contactarem com manifestações artísticas de criadores portugueses e estrangeiros de maior relevância, bem como vai atrair novos públicos ao concelho.

“Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” é uma exposição que apresenta trabalhos que testemunham o interesse de artistas visuais nas últimas cinco décadas pelos universos da música, do som, da palavra dita. A aproximação a estes mundos serviu-lhes para saírem do contexto estrito da história das artes visuais e para produzirem obras que se inspiram na vitalidade da música, nomeadamente na música rock. Evidência desta relação entre música e artes visuais são as capas de discos de vinil pertencentes à Coleção Salvador Massada, também apresentadas na exposição. Esta seleção conta com capas desenhadas por artistas portugueses e internacionais como Jean-Michel Basquiat, Robert Frabnk, Barbara Kruger, Jorge Martins, Paulo Nazolino, entre outros.

“Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” apresenta obras de Dara Birnbaum, Luís Paulo Costa, Luisa Cunha, Dan Graham, Ricardo Jacinto, Tony Oursler, Rui Toscano, Pedro Tudela.

Desde a visão estética do acontecimento, ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, esta mostra propõe uma aproximação à experiência sonora a partir da sua dimensão social no contexto contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora, a catarse envolvente dos elementos musicais e alusões à frenética estética do videoclipe, criam, nesta exposição, um percurso com diferentes propostas, ligadas de maneira mais ou menos transversal, ao som, à música e à palavra.

Serralves Música e Palavras Luis Paulo Costa.jpg

Serralves Música e Palavras Ricardo Jacinto.jpg

“NÃO DESISTO DE MIM” DE PAULA SOUSA APRESENTADO SÁBADO EM CAMINHA

Sessão decorre na Biblioteca Municipal de Caminha, pelas 17H30

No Dia Mundial do Cancro, que se assinala amanhã, dia 4 de fevereiro, em Caminha vai ser apresentada a biografia “Não desisto de mim”, de Paula Sousa, uma mulher que aos 50 anos já conseguiu ultrapassar 2 cancros. A sessão de apresentação vai decorrer na Biblioteca Municipal de Caminha, amanhã, pelas 17H30.

capa livropaulasousa.jpg

“Não desisto de mim” conta uma parte da vida de Paula Sousa que, aos 50 anos, já foi submetida a 29 cirurgias e venceu dois cancros: “a sua história é sobre os desafios ao limite do Ser Humano”. A autora na sua página na rede social Facebook escreve: “ganhei esta história de vida, porque sou forte o bastante para vivê-la. Cada dia é por si só uma vida”.

António Santos, Dermatologista no IPO do Porto e no Instituto CUF, escreve no prefácio do livro: “Dizem que a vida é um caminho nem sempre linear, algo tortuoso, mas sempre uma dádiva.  Na Medicina, temos a honra, o privilégio e a responsabilidade de cruzar o nosso caminho com a dos pacientes. Há uma dúzia de anos conheci a Paula, poucas queixas, muitos sinais, um deles atípico: um carcinoma basocelular (…). Foi assim que conheci a Fernanda, uma lutadora, estoica, grata, focada, sempre paciente, nunca doente. Afogando o desânimo no seio de uma família estável e feliz, onde o apoio mútuo foi sempre notório e resiliente, nunca lhe perspetivei resignação nem acomodação. (…) É uma paciente que nos transfere vida. (…) A Fernanda mais que um atlas de Medicina, é um compêndio sobre a arte de viver, uma fonte de inspiração para ultrapassar os desafios que amiúde bloqueiam o caminho”.

Na sinopse do livro lê-se: “vencedora de dois cancros. Vinte e nove cirurgias. Um bebé in vitro. Viveu com uma tuberculose oculta durante vários anos. Paula Sousa convive atualmente com três inimigos, uma Paniculite uma Lipodermatoesclerose e um Eritema Nodoso, inimigos que fizeram do seu corpo um repouso e por lá habitam. A sua história é sobre os desafios ao limite do ser humano. Ganhou esta história de vida porque é forte o bastante para vivê-la. É através destas páginas que pretende tocar-vos com a sua biografia e deixar um pouco como inspiração uma atitude de viver. E neste seu gesto de amor à vida surge a magia a cada dia. Deixa que o sol seja o seu guia e faça o seu roteiro. O seu sorriso ergue-a. O mar que a envolve torna-a guerreira. E o vento permite-lhe levar o amor a todo o lado!”

paula sousa.jpg

CAMINHA VILA SERRALVES VAI RECEBER GRANDE EXPOSIÇÃO DE ARTE MODERNA DA COLEÇÃO DA FUNDAÇÃO

“Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” abre na próximaterça-feira, dia 7, em quatro espaços da sede do concelho

“Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” é a primeira exposição que Caminha, enquanto “Vila Serralves”, vai exibir já a partir de terça-feira. Esta aposta na cultura prestigia o concelho e vai permitir aos caminhenses ampliarem os seus hábitos culturais e contactarem com manifestações artísticas de criadores portugueses e estrangeiros de maior relevância, bem como vai atrair novos públicos ao concelho. A exposição vai estar patente em diversos espaços municipais.

musica e palavras.jpg

A exposição “Música e Palavras: Obras da Coleção de Serralves” reúne instalações e objetos visuais e escultóricos que empregam o som como suporte principal. Desde a visão estética do acontecimento sonoro ao papel do artista como performer, passando por práticas sonoras experimentais, a exposição revela as dimensões associativas e sociais do som no mundo contemporâneo. A materialidade do som, o poder da palavra como ferramenta sonora e a catarse associada à estética frenética do videoclipe delimitam um percurso de diferentes propostas transversalmente ligadas para além de geografias e gerações. Trata-se de uma produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto.

A adesão a Serralves é a continuidade da aposta na cultura que o Município vem reforçando, nos últimos anos, entendendo-a como motor de desenvolvimento económico e social. Enquanto Vila Serralves, o Município de Caminha vai desenvolver um conjunto de iniciativas que promovam a cultura contemporânea e a sensibilização ambiental na área das suas atribuições institucionais.

A exposição “Música e Palavras – Obras da coleção de Serralves” estará patente até ao dia 16 de abril,em diversos locais municipais, designadamente: Museu Municipal de Caminha, Antigo Posto de Turismo de Caminha, Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha – Torre do Relógio e, ainda, Galeria de Arte Caminhense.

Recorde-se que o Município de Caminha aceitou o convite da Fundação, tornando-se, no final do ano passado, membro do Conselho de Fundadores da Fundação de Serralves,atravésda celebração de um protocolo. A propósito do convite, o presidente da Câmara, Miguel Alves disse na altura: “para além do reconhecimento do trabalho que o Município leva a cabo, esta adesão a Serralves evidencia uma estratégia que renova o prestigio do concelho e que ganha uma nova oferta para os que nos visitam ou têm aqui a segunda habitação. E cria uma especial relação com os residentes de todos os dias que, agora, poderão encontrar exposições, ações de formação educativa ou espetáculos que só Serralves consegue potenciar. Este é um prémio extraordinário para o concelho e para a vila de Caminha. Este é o primeiro concelho do país que tem uma vila como sede e merece esta distinção de Serralves. É um orgulho e queremos transformar esse orgulho numa melhoria da vida cultural da nossa gente. Somos a primeira Vila Serralves e vamos fazer tudo para a dignificar”.

CÂMARA DE CAMINHA VAI CONTRAIR EMPRÉSTIMO DE CURTO PRAZO PARA PAGAR SENTENÇA JUDICIAL DE 2012 E DÍVIDA DE ACORDO ANTIGO

Caso “Dionísio Marques” e Quinta da Barrosa custam cerca de 850 mil euros aos cofres do Município

O Executivo aprovou hoje a contracção de um empréstimo a curto prazo até 250 mil euros, que se destina à liquidação de acordos de pagamento relativos a dívidas antigas, que transitaram do anterior mandato, onde se inclui uma sentença judicial transitada em julgado em 2012 e um acordo com os proprietários de uma quinta. A situação financeira da Câmara obriga a mais este esforço, tendo Miguel Alves considerado “chocante” o voto contra dos vereadores do PSD, quando estão em causa problemas do passado, absolutamente alheios a este Executivo e decorrentes em grande parte, referiu, de atitudes de “irresponsabilidade”.Nos dois casos, o custo total para os cofres do Município ascende aproximadamente a 850 mil euros.

Reunião.jpg

A Câmara de Caminha continua a honrar compromissos antigos, pagando avultadas somas decorrentes de sentenças judiciais. O atual Executivo está também a pagar custos de acordos celebrados no anterior mandato, mas que ficaram por liquidar. Dois desses casos estão na origem da contração do empréstimo agora aprovada, que será ainda submetida a análise e votação em Assembleia Municipal.

Não estão em causa, ao contrário do que a oposição anunciou, dificuldades de tesouraria do Município de tipo ordinário, mas o cumprimento da lei, sobretudo no que toca à sentença judicial, que custa aos cofres da Câmara mais de meio milhão de euros em rendas e juros, e a que acrescem as obras já executadas no edifício, no valor de mais de 100 mil euros.

Nesta fase de procedimento administrativo, porém, não pode haver consignação de receita, ou seja, a proposta submetida à reunião de Câmara, no seu texto, não pode especificar o destino final da verba, conforme o presidente explicou, com detalhe.

Refira-se que está em causa a Quinta da Barrosa, em Vila Praia de Âncora, e um edifício arrendado na Travessa do Tribunal, em Caminha. Miguel Alves conseguiu, em ambos os casos, negociar com os credores o pagamento em prestações.

Neste momento a Câmara já pagou a primeira tranche do valor devido aos proprietários da Quinta da Barrosa e irá pagar a segunda parcela através deste empréstimo. Como oportunamente anunciámos, a Câmara de Caminha e os herdeiros dos proprietários da Quinta da Barrosa celebraram um acordo que previa o pagamento de 240 mil euros pelos terrenos, em duas tranches iguais, liquidando imediatamente a primeira parcela. O anterior Executivo tinha-se comprometido a entregar três apartamentos de tipologia dois, até 31 de dezembro de 2013, o que nunca aconteceu. Como o Município também não dispunha, nem dispõe, desses imóveis, Miguel Alves viu-se obrigado a encetar novas negociações.

O outro caso é o do arrendamento de um edifício na Travessa do Tribunal. Em março último, após a realização das obras exigidas pelo acórdão do Supremo, o Município entregou no Tribunal Judicial de Caminha as respetivas chaves. Como é público, ao não restituir o prédio, em 2005, nos termos fixados no contrato, o anterior Executivo envolveu a Câmara num longo litígio judicial que culminou no Supremo Tribunal de Justiça, em 2012, por sentença transitada em julgado, a obrigar a Câmara a executar pesadas obras e ao pagamento de todas as rendas vencidas e respetivos juros, num total que vai além dos 600 mil euros. O valor total da intervenção no imóvel, que ficou concluída também em março último, foi de 102.199,31 € (mais IVA).

O presidente da Câmara, Miguel Alves, conseguiu acordar com os herdeiros do dr. Dionísio Marques o pagamento de mais de meio milhão de euros em três prestações.

O presidente recordou, na reunião de hoje, que os três executivos anteriores, em 12 anos, contraíram empréstimos no valor de 13 milhões e 730 mil euros (incluindo seis empréstimos de curto prazo), dos quais apenas cerca de 4,3 milhões se destinaram a obras. Do montante total, ficaram por pagar oito milhões de euros, dos quais este Executivo já liquidou 2 milhões e 270 mil euros.

Reunião1.jpg

CAMINHA PRESENTE NO 18º SALÃO INTERNACIONAL DE TURISMO GASTRONÓMICO

Expourense termina domingo

Até domingo, o Município de Caminha está presente no certame Xantar 2017 – 18º Salão Internacional de Turismo Gastronómico, na Expourense, em Ourense, Espanha, com o objetivo de dar a conhecer internacionalmente o concelho como destino turístico.

expourense 2017.jpg

Nesta edição do Salão Internacional de Turismo Gastronómico estão 232 expositores, provenientes de 11 países (Espanha, Portugal, Panamá, Costa Rica, México, Equador, Paraguai, Franca, Perú, Cuba e Argentina), entre os quais se encontra o do Município de Caminha.

Para este salão internacional, o Município levou o que de melhor se faz no concelho a nível do artesanato e da gastronomia e ainda a panóplia de atividades que temos para oferecer durante todo o ano a quem nos visita, como são os casos da Caminha Doce, do Desfile Noturno de Carnaval, da Festa do Mar e da Sardinha, etc. O que objetivo é promover o concelho como destino turístico, atrair novos públicos e dinamizar a economia local.

Para além dos produtos e dos eventos culturais que o concelho tem para oferecer, o Município ainda integra as atividades que marcam esta edição do Xantar 2017, com a organização dos showcookings de promoção da “Festa do Mar e da Sardinha – Vila Praia de Âncora” e do “Festival Gastronómico do Bife de Espadarte – Vila Praia de Âncora”, que decorrerão no dia 3 de fevereiro. Nesse dia, também o presidente da Câmara, Miguel Alves, visitará o certame.  O showcooking de promoção da “Festa do Mar e da Sardinha – Vila Praia de Âncora”conta ainda com a colaboração do Âncora Praia Futebol Clube  e o Turismo Porto e Norte de Portugal e o do “Festival Gastronómico do Bife de Espadarte – Vila Praia de Âncora”com a  Baleeira Pescase o Turismo Porto e Norte de Portugal.

A Expourense pode ser visitada das 11H00 às 00H00  até sábado e no domingo encerra 18H00 (hora portuguesa).Mais informações em www.xantar.org

CAMINHA É UMA DOÇURA!

CAMINHA DOCE DE 24 A 28 DE FEVEREIRO

Ana Guiomar, apresentadora do programa BestBakery, uma das presenças no certame

De 24 a 28 de fevereiro, Caminha vai “tornar-se a vila mais doce de Portugal” com a promoção da feira de doçaria “Caminha Doce”. Doces das várias regiões do país, workshops e a presença de Ana Guiomar, a apresentadora do programa televisivo BestBakery, vão dar o mote a esta edição.

caminha doce 6 2017 4.jpg

A Câmara Municipal de Caminha está a ultimar os preparativos para que esta edição faça a diferença. Os objetivos sãopotenciar Caminha como destino turístico nesta altura do ano, contrariando a sazonalidade turística, dinamizar o concelho e a economia local.

Uma das atrações deste ano é a presença de Ana Guiomar, figura pública portuguesa. Além de atriz, Ana Guiomar apresentou um dos concursos televisivos do momento “BestBakery”, transmitido pela SIC, que escolheu a melhor pastelaria de Portugal.

Para além da estrela de televisão, o Caminha Doce vai contar com doces das várias regiões do país, a que se vão juntar os tipicamente do concelho, com destaque para os caminhenses, mokas, telhas, farripas, entre muitos outros, e com a promoção de vários workshops.

Nesse fim-de-semana, ao Caminha Doce juntar-se-ão o afamado Baile do Assalto no Valadares Teatro Municipal de Caminha, no dia 25 e o Desfile de Carnaval Noturno, no dia 27.

caminha doce2017.jpg

CÂMARA DE CAMINHA LEVA TEATRO ÀS ESCOLAS

“A Dra. Ricágua vai à escola”, da Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho, é a peça de teatro em digressão

“A Dra. Ricágua vai à escola” é a peça de teatro que está em itinerância pelas escolas básicas e jardins-de-infância do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais. Trata-se de mais uma iniciativa da Câmara Municipal de Caminha no âmbito da educação e que consiste em levar o teatro às escolas do concelho. A “A Dra. Ricágua vai à escola”, uma produção da Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho, já passou pelo Centro Escolar de Dem, EB e JI de Seixas, Centro Escolar de Vilar de Mouros e EB de Vilarelho.

Câmara leva teatro às escolas (1).jpg

Até março, todas as crianças que frequentam as escolas básicas e os jardins de infância do Agrupamento de Escolas Sidónio Pais têm a oportunidade de assistir à peça de teatro “A Dra. Ricágua vai à escola”, uma produção da KRISÁLIDA.  Esta peça insere-se no projeto pedagógico “KrisálidaEduka” cujo objetivo é levar para as salas de aula as técnicas do teatro e aplicá-las na comunicação do conhecimento, ou seja, apresentar um trabalho artístico integrante de uma vertente pedagógica.

Neste caso concreto, a peça de teatro “A Dra. Ricágua vai à escola” insere-se na temática Educação Ambiental, subordinado à água.Quanto à sinopse desta peça sobre a água, avançamos: “Uma cientista muito séria e uma assistente distraída, numa escola, são a combinação perfeita para uma divertida experiência, onde tudo pode acontecer! Recorrendo a diversas técnicas das formas animadas e falando de coisas sérias, de forma lúdica e sensorial, estas duas personagens vão mostrar qual a importância da água na nossa vida. Desde a gestação, aos alimentos, aos órgãos do corpo e na natureza. As crianças terão a oportunidade de perceber que a água está em tudo: no céu, nas nuvens, nos lençóis freáticos, nas lágrimas, no suor, no sangue, nos ossos, na pele e até no cabelo. Serão mostrados os diferentes estados da água – gasoso, líquido e sólido, assim como o ciclo da água e quais as partes do planeta que têm água salgada e água doce. Isto tudo chamando a atenção para a escassez de água potável no mundo, de forma a tomarem consciência do uso da água sem desperdícios”.

A ficha técnica é a seguinte: o texto é da responsabilidade de Carla Magalhães e Maria Meixeiro; a encenação está a cargo de Carla Magalhães; a assistência de encenação de Maria Meixeiro; a interpretação Maria Meixeiro e Filipa Almeida; o dispositivo cénico,figurinos e construção de marionetas são da autoria de Carla Magalhães; o design gráfico é de Filipa Figueiredo; a produção executiva de Carla Magalhães e o secretariado Maria Meixeiro.

“A Dra. Ricágua vai à escola” já foi apresentada no Centro Escolar de Dem, EB e JI de Seixas, Centro Escolar de Vilar de Mouros e na EB de Vilarelho. Em fevereiro, vai continuar em digressão pelo JI de Moledo, EB de Moledo, JI/EB de Venade, EB de Lanhelas, JI/EB de Âncora, JI de Vila Praia de Âncora e Escola Básica e Secundária do Vale do Âncora. A itinerância termina no mês de março, no JI/EB de Caminha.

Câmara leva teatro às escolas (2).jpg

EXECUTIVO CAMINHENSE REÚNE QUARTA-FEIRA NOS PAÇOS DO CONCELHO

O executivo Caminhense vai reunir na próxima quarta-feira, dia 1 de fevereiro. Da ordem de trabalhos fazem parte 15 itens, entre os quais Concurso público para a requalificação do Nó da Erva Verde – 2ª Fase – Vila Praia de Âncora – Aprovação da minuta do contrato; protocolo de desenvolvimento cultural entre o Município e a Krisálida; normas para a participação no Desfile de Carnaval. A reunião de câmara terá lugar pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A empreitada Nó da Erva Verde é um dos pontos da ordem de trabalhos. O executivo vai pronunciar-se sobre o Concurso público para a requalificação do Nó da Erva Verde – 2ª Fase – Vila Praia de Âncora – Aprovação da minuta do contrato orçado em 631.371,10 €. Recorda-se que o Nó da Erva Verde é uma zona que se encontra degradada e pouco funcional, no que respeita à desorganização viária, ao desgaste de pavimentos, tanto dos passeios como das vias de circulação. Esta zona ainda apresenta deficiências ao nível de infraestruturas de águas pluviais e carência de bolsas de estacionamento.

Da ordem de trabalhos faz parte o protocolo de desenvolvimento cultural a celebrar entre o Município de Caminha e a Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho, com o objetivo de prosseguir objetivos estratégicos de cooperação cultural para o desenvolvimento do gosto pelo teatro; para a estimulação precoce das crianças e jovens para esta arte do espetáculo integrando-a no seu próprio percurso formativo de cidadania; para a afirmação nacional e internacional de Caminha enquanto centro criador e difusor de cultura.

Ao longo dos últimos anos, a Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho- tem desenvolvido um trabalho meritório com a comunidade caminhense no que respeita a valorizar e dinamizar a cultura no concelho. Em 2016, foram muitas as iniciativas por ela levadas a cabo. Destacam-se as atividades culturais desenvolvidas com as comunidades locais na captação dos seus públicos; bem como com as Juntas de Freguesia, Sociedade de Instrução e Recreio Ancorense, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e Casa do Povo de Lanhelas; a encenação da peça de teatro “Piolhos e Atores”, que decorreu nas várias freguesias do concelho e contou com a presença de 773 espectadores; a participação na Feira Medieval, com a apresentação da Oficina de Teatro “Danças Medievais”, no Cancioneiro de Caminha e na animação de Natal com a encenação da peça de teatro “As Elfas do Pai Natal vão de Férias”. Esta Associação ainda organiza a Festa da Marioneta Luso-Galaica – MALUGA, que contou com a presença de 263 espetadores e com a participação de 41 crianças nas oficinais de construção de Marionetas. Assim, mediante este protocolo, a Krisálida compromete-se: a levar um espetáculo às 14 freguesias, de modo a democratizar a fruição teatral e estimular a participação do público nas freguesias; a organizar a Festa da Marioneta Luso-Galaica – MALUGA; a promover um programa de acolhimento de outros grupos nacionais e internacionais; a participar no programa de animação da Feira Municipal de Caminha e, ainda, a desenvolver atividades de apoio à Biblioteca Municipal de Caminha.

EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA 2016 INAUGURA AMANHÃ EM CAMINHA

Inauguração agendada para as 16H00

O Museu Municipal de Caminha tem patente a partir de amanhã a exposição Retrospetiva 2016. Esta mostra reúne as obras cedidas ao Município pelos artistas que escolheram a Galeria de Arte Caminhense para expor o seu trabalho durante o ano de 2016. A exposição inaugura amanhã, dia 28 de janeiro, pelas 16H00.

A exposição Retrospetiva põe em evidência, no início de cada ano, a atividade da Galeria de Arte Caminhense, espaço cedido a vários artistas para exporem a sua obra. Para além de divulgar o trabalho de cada um dos artistas, esta exposição pretende ainda aproximar os públicos das artes plásticas, através das várias atividades desenvolvidas pelos serviços educativos.

Em 2016, foram mais de duas dezenas os artistas que escolheram uma das salas de visita do concelho para divulgarem o seu trabalho: Lúcio Danin Torres, Marcos Viana, ConchiCuadrado, Joel Correia / Diana Pinheiro, José Luís Pais, Santarelli, João Barros, Puskas, Vitor Carneiro, Lucie Esteve, Isa Dora Cruz, João Marrocos, Dacha, Cachi / Tino Riveiro, Isabel Ferreira, Alfonso Vicente Rey, David Lopes / Rosário Pedro, Ricardo Dantas, Maria Mondim Pereira, José Manuel Rocha Pereira e Mário Rebelo de Sousa.

Em Caminha, esta mostra estará patente até dia 5 de março. Depois, rumará até Vila Praia de Âncora, à Galeria Guntilanis, onde poderá ser visitada de 11 de março a 2 de abril.

A exposição Retrospetiva pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00.

MIGUEL ALVES REALÇA PAPEL DAS INSTITUIÇÕES E EMPRESAS NA DESCIDA DO NÚMERO DE DESEMPREGADOS NO CONCELHO DE CAMINHA

“O número de desempregados no concelho de Caminha em dezembro de 2016 desceu 12.5% face ao mesmo período de 2015. Nos últimos três anos, o número de desempregados no concelho de Caminha diminuiu 40%. Temos menos 400 pessoas inscritas no Instituto de Emprego e Formação Profissional. A ligação que temos feito com as empresas, com as instituições e o próprio trabalho que as empresas e as instituições fazem, tem contribuído em grande parte para a diminuição do desemprego no concelho de Caminha”, divulgou Miguel Alves durante a sessão de abertura do workshop “Responsabilidades Partilhadas para a Inclusão Profissional”, que decorreu esta manhã em Caminha.

workshop responsabilidades partilhadas para a inclusao profissional (1).jpg

O Auditório do Museu Municipal de Caminha acolheu esta manhã, com casa cheia, o workshop “Responsabilidades Partilhadas para a Inclusão Profissional”. O objetivo foi sensibilizar as instituições empregadoras dos concelhos de Caminha e de Viana do Castelo para a importância das parcerias entre as instituições sociais e as empresas, com vista a aumentar as hipóteses de empregabilidade dos cidadãos com maior vulnerabilidade social.

Miguel Alves realçou o trabalho que o Município tem realizado com as instituições e as empresas e os resultados que se obtém com o trabalho em parceria: “o Município de Caminha trabalha com as instituições e privilegia a Rede Social. Individualmente podemos conseguir algumas respostas, mas nunca serão as mesmas respostas que conseguimos em conjunto com as instituições.Esta ligação às empresas e às instituições é fundamental”.

O presidente da Câmara deu a conhecer os resultados do Instituto Nacional de Estatística sobre o desemprego no concelho, ou seja, o número dos desempregados no concelho de Caminha em dezembro de 2016 desceu 12.5% face ao mesmo período de 2015. Salientou ainda que nos últimos três anos, o número de desempregados no concelho de Caminha diminuiu 40%. Sobre esta descida do número de desempregados, Miguel Alves sublinhou que se deve em grande parte ao trabalho que o Município tem realizado em parceria com as instituições: “temos menos 400 pessoas inscritas no Instituto de Emprego e Formação Profissional. O modo como nos temos esforçado por colocar as pessoas nas empresas tem sido extraordinário. Temos ainda 603 problemas, que são os 603 desempregados, mas há menos 400. E tem a ver com esta dinâmica, com a ligação com as empresas, com a criação de microempresas, com o crescimento do turismo, mas tem a ver, sobretudo, com o papel que tem sido feito com as instituições”.

“Responsabilidades Partilhadas para a Inclusão Profissional”  foi organizado pelo Projeto Cria-te em parceria com a Rede Social e Câmara Municipal de Caminha.

O workshop foi composto por dois painéis. O painel 1 intitulado “Modelos de Intervenção Social na Integração Laboral de pessoa com CAD” contou com as seguintes comunicações: “Competências Pré-profissionais e Bolsa de empregadores”, a cargo de Joana Correia e Stéphanie Cunha (Projeto Cria-te); “Mediação Social e Comunitária na Empregabilidade”, por Jorge Barbosa (Coordenador Técnico do CRI Porto Oriental, ARS Norte) e ainda “Grupos Voluntários e Emprego-Um Processo de Cidadania e Co-construção Coletiva”, a cargo de Manuela Coutinho (Centro Distrital de Segurança Social de Viana do Castelo). O painel 2 “A responsabilidade Social Empresarial: experiências Partilhadas” foi constituído pelas seguintes intervenções: “As Políticas Ativas de Emprego na Inclusão dos Grupos Vulneráveis”, por António Leite (Delegado Regional do Norte, IEFP, IP); “Plataforma + Emprego e Projeto Piloto de Formação; Competências para a Integração”, a cargo de Olga Rocha e Renata Neves (NIPSA-CDSS Porto); “Projeto: Responsabilidade Social das Empresas para a Inclusão dos Sem Abrigo pelo Trabalho”, por Jorge Viana (Presidente da Methamorphys – Casulo Abrigo) e “Informar para inserir”, por Odete Araújo (Equipa CLDS 3G Caminha-Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora).

workshop responsabilidades partilhadas para a inclusao profissional (2).jpg

workshop responsabilidades partilhadas para a inclusao profissional (3).jpg

workshop responsabilidades partilhadas para a inclusao profissional (4).jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA CONSEGUE GARANTIR APOIO DE 1,5 MILHÕES DE EUROS PARA REABILITAÇÃO URBANA EM CAMINHAE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Abrangido o centro histórico de Caminha e a área da Sandia em Vila Praia de Âncora

A candidatura apresentada pela Câmara Municipal para reabilitação urbana do Centro Histórico de Caminha e da zona da Sandia, em Vila Praia de Âncora, foi aprovada, estando assegurado um apoio comunitário de 1,5 milhões de euros. A boa notícia foi transmitida ontem à população, durante a reunião descentralizada do Executivo, que se realizou no Salão Nobre do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora. 

reunião descentralizada VPA 2017 (1).jpg

As inundações constantes das habitações e logradouros nas zonas da Sandia e Vista Alegre, em tempo de chuva, foram ontem um dos assuntos mais focados na reunião. Três dos primeiros intervenientes referiram-se precisamente a este problema, muito antigo e agravado na altura da construção da A28. O vice-presidente Guilherme Lagido, explicou que essa situação o impressionou bastante há cerca de quatro anos, quando percorreu mais demoradamente o território ainda como candidato, verificando, ao chegar à Câmara, que não existia qualquer projeto para responder a esse problema, “angustiante”, como o classificaria a seguir Miguel Alves.

Com um quadro comunitário já fechado, em que o Governo que o negociou, entendeu não ser prioritária areabilitação urbana,havia contudo umaexceção, que este Executivo agarrou de imediato, mas que apenas contemplava perímetros urbanos  com  carências  devidamente fundamentadas e de intervenção perfeitamente clarificada.

O Executivo fez aprovar, no final de 2014, a delimitação de duas áreas de reabilitação urbana: do Centro Histórico de Caminha e da Sandia, em Vila Praia de Âncora, elaborando a respetiva candidatura, agora contemplada com 1,5 milhões de euros, dos quais 800 mil serão para a zona da Sandia e Vista Alegre, contemplando uma população da zona alta da freguesia, maioritariamente envelhecida, e que até agora não tinha conseguido fazer ouvir a sua voz junto da Câmara Municipal.

Os problemas da parte alta da freguesia de Vila Praia de Âncora não ficam por aqui, tendo o Executivo sido igualmente questionado sobre a zona do Caminho da Rocha, também fustigada pelas águas pluviais. Guilherme Lagido informou que a Câmara está a preparar a resposta também para esta situação, estando o projeto já elaborado. A intervenção não será imediata, conforme esclareceu o presidente, sobretudo por razões financeiras, uma vez que a obra necessária é bastante onerosa.

Outras obras, o Dólmen da Barrosa, o PDM, o abrigo dos animais e a toponímia, entre outros, constaram também do debate. Sobre a conclusão e/ou início das intervenções de maior envergadura, o presidente da Câmara informou que a primeira fase da intervenção no Dólmen da Barrosa, no âmbito do Orçamento Participativo, deverá ficar concluída até final de março, altura para a qual se aguarda o visto do Tribunal de Contas, para que a Câmara possa avançar com a obra do Nó da Erva Verde, um investimento de cerca de 600 mil euros. Antes do verão deverá também estar pronto o novo troço da Ecovia, entre a Capela de Santo Isidoro e a zona norte das Camboas.

O abrigo dos animaisfoi abordado pela presidente da Associação Selva dos Animais Domésticos, que apelou a uma consciência maior das pessoas em relação à forma como tratam os animais, por forma a diminuir os problemas de abandono, designadamente cumprindo a lei que obriga, desde 2008, a colocar chip nos cães, assim como a proceder ao seu registo. Falou também da importância da esterilização de cães e gatos. O presidente informou depois sobre o processo de contratação do veterinário municipal e elogiou a associação, afirmando que honra o concelho de Caminha.

Logo no início da reunião, o presidente da Junta de Freguesia, Carlos Castro, elogiou estas reuniões descentralizadas e felicitou a Associação de Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora pelo centenário e pela obra executada no Cineteatro, dando ao mesmo tempo os parabéns à Câmara Municipal pelo protocolo realizado com aquela associação.

O responsável elencou também alguns problemas, como foi o caso, entre outros, dos decorrentes da falta de drenagem de águas pluviais em várias zonas da freguesia e as questões decorrentes da construção da A28, não acautelados na altura; as ruas pavimentadas em calçada à portuguesa, e reivindicando maior cuidado com áreas como a Praça da República e a Avenida Ramos Pereira.    

Miguel Alves, a finalizar, congratulou-se por, sendo esta a terceira reunião descentralizada em Vila Praia de Âncora, se verificar que os problemas mais repetidos nos encontros anteriores já não se colocam, porque estão resolvidos ou em vias de resolução. Referiu-se, entre outros, à Bandeira Azul, Dólmen da Barrosa, Nó da Erva Verde, ação das intempéries e riscos para a manutenção da praia e Travessa do Teatro.

reunião descentralizada VPA 2017 (2).jpg

EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA 2016 INAUGURA SÁBADO EM CAMINHA

Museu Municipal de Caminha acolhe exposição dos artistas que expuseram na Galeria de Arte Caminhense em 2016

A exposição Retrospetiva 2016 marca o arranque da programação do Museu Municipal de Caminha. Esta mostra reúne as obras cedidas ao Município pelos artistas que escolheram a Galeria de Arte Caminhense para expor o seu trabalho durante o ano de 2016. A exposição inaugura sábado, dia 28 de janeiro.

retrospetiva 2016.jpg

A exposição Retrospetiva põe em evidência, no início de cada ano, a atividade da Galeria de Arte Caminhense, espaço cedido a vários artistas para exporem a sua obra. Para além de divulgar o trabalho de cada um dos artistas, esta exposição pretende ainda aproximar os públicos das artes plásticas, através das várias atividades desenvolvidas pelos serviços educativos.

Em 2016, foram mais de duas dezenas os artistas que escolheram uma das salas de visita do concelho para divulgarem o seu trabalho: Lúcio Danin Torres, Marcos Viana, ConchiCuadrado, Joel Correia / Diana Pinheiro, José Luís Pais, Santarelli, João Barros, Puskas, Vitor Carneiro, Lucie Esteve, Isa Dora Cruz, João Marrocos, Dacha, Cachi / Tino Riveiro, Isabel Ferreira, Alfonso Vicente Rey, David Lopes / Rosário Pedro, Ricardo Dantas, Maria Mondim Pereira, José Manuel Rocha Pereira e Mário Rebelo de Sousa.

Em Caminha, esta mostra estará patente até dia 5 de março. Depois, rumará até Vila Praia de Âncora, à Galeria Guntilanis, onde poderá ser visitada de 11 de março a 2 de abril.

A exposição Retrospetiva pode ser visitada de terça-feira a domingo das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00.

LANÇADO CONCURSO PARA EXECUÇÃO DA OBRA DE MODERNIZAÇÃO DO CAIS DOS PESCADORES EM CAMINHA

Ministra do Mar presidiu em Caminha à apresentação pública das ações Mar 2020 da Polis Litoral Norte

O concurso para execução da obra de modernização do Cais dos Pescadores, em Caminha, já está a decorrer e os trabalhos deverão ficar concluídos até ao final deste ano.

Cais da Rua 1.jpg

Com um investimento global associado de 880 mil euros, esta é a primeira intervenção de fundo na marginal do concelho, em mais de três décadas, que vem beneficiar os pescadores. A obra vai ser realizada no quadro do Programa Operacional Mar 2020, que só foi operacionalizado pelo Governo no último ano, e o projeto foi construído em diálogo entre a Polis Litoral Norte, os pescadores, o Município de Caminha, a Junta de Freguesia de Caminha e Vilarelho e o anterior comandante da Capitania do Porto de Caminha, Gonzalez dos Paços.

É sobretudo, como sublinhou o presidente da Câmara, uma vitória dos pescadores. A obra foi apresentada esta tarde, em Caminha, numa cerimónia presidida pela Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, em que foi feita a apresentação pública das ações Mar 2020 da Polis Litoral Norte.

A intervenção no Cais da Rua, uma estrutura completamente degradada, era urgente e reivindicada repetidamente pelos pescadores, cujas vozes, como referiu Miguel Alves, nunca foram ouvidas. “Este é o momento de colocar o século XXI ao serviço dos pescadores”, referiu o presidente, vincando também a sua alegria pelo cumprimento de um compromisso assumido pessoalmente com os pescadores.

Cais da Rua 2.jpg

“Os pescadores estiveram esquecidos e abandonados durante demasiado tempo. Durante décadas não se fez nada, mesmo nada, pelos pescadores de Caminha. Nós recuperamos o cais de atracação da Foz do Minho; nós pusemos um ponto de água nos Estaleiros do Quintas como era pedido há anos; nós colocamos escadas de acesso às embarcações (os pescadores antes tinham que escorregar pela marginal e foram muitas as quedas por causa disso); nós recuperámos já a rampa existente no cais da vila e vamos fazer uma segunda intervenção para a prolongar junto à areia” – elencou Miguel Alves.

O presidente agradeceu a colaboração de todos os que participaram na construção do projeto que vai agora ser executado, designadamente, os técnicos da Polis Litoral Norte, do Município de Caminha, os pescadores, a Junta de Freguesia de Caminha e Vilarelho e o anterior comandante da Capitania do Porto de Caminha, Gonzalez dos Paços: “Acabou o tempo do desinvestimento, o tempo em que não havia capacidade para chegar aos meios próprios e para fazer ouvir a voz dos pescadores. Não ficamos pelos desenhos que nos deixaram, havia assim uns ‘macaquinhos’, nós fizemos um projeto, candidatámo-lo e vamos ter um Cais da Rua moderno e funcional, do século XXI”.  

A obra de modernização do Cais dos Pescadores em Caminha prevê o aumento da área útil do cais, o prolongamento da ponte-cais, a reparação/beneficiação da rampa-varadouro e das estruturas para amarração de embarcações, a recuperação das escadas para acesso às embarcações, a instalação de um novo guincho na rampa e o incremento da capacidade de atracação de barcos.

O investimento global associado é de 880 mil euros, sendo a taxa de cofinanciamento comunitário de 75%. A previsão de conclusão da obra édezembro deste ano de 2017.

A Polis Litoral Norte - Sociedade para a Requalificação e Valorização do Litoral Norte, SA existe há vários anos, mas só com este Executivo se iniciaram os investimentos no concelho. “Quando cheguei à Câmara, a Polis já existia há cinco anos, tinha investimentos em Viana do Castelo e Esposende, mas não tinha qualquer investimento em Caminha. Até 2013 não se fez um único investimento no âmbito da Polis Litoral Norte, não se fez uma única obra no concelho de Caminha. Mas desde 2013 até agora foram já feitas 5 obras e investidos 1 milhão e 100 mil euros no território de Caminha. E até final de 2017 prevemos ter mais 5 obras concluídas e investidos 2,5 milhões de euros. Passamos dum tempo em 2013 em que tínhamos zeros obras, zero cêntimos investidos no concelho e Caminha, para termos 10 obras e 4 milhões de euros investidos no concelho de Caminha”, afirmou Miguel Alves.

O presidente da Câmara agradeceu a presença da Ministra do Mar, realçando também que é, graças a Ana Paula Vitorino, que foi criado um grupo de trabalho que está a estudar o Portinho de Vila Praia de Âncora: “esta é a primeira vez que um Governo toma uma atitude concreta para resolver os problemas estruturais do Portinho de Vila Praia de Âncora”.

Também a Ministra do Mar deu conta da evolução recente do Programa Mar 2020, explicando que, à sua chegada ao Governo, praticamente nada tinha sido feito, tendo sido realizados durante o ano de 2016 os regulamentos, portarias, candidaturas e alguns concursos. Ana Paula Vitorino congratulou-se por terem sido atingidos os objetivos que fixou para o último ano.

A Ministra realçou a ainda importância das pescas e revelou que, na altura em que foi convidada por António Costa para assumir a pasta, colocou duas condições: que as Pescas voltassem a ter uma Secretaria de Estado e que a pessoa com essa responsabilidade fosse José Apolinário.

Aliás, o Secretário de Estado das Pescas esteve também em Caminha e explicou que o Cais da Rua é um excelente exemplo de como o Programa Mar 2020 pode ser utilizado para beneficiar a pesca.

Pimenta Machado, pela Polis Litoral Norte, fez a apresentação das ações Mar 2020 que asociedade vai concretizar, em 2017. Trata-se de um conjunto de obras em Caminha, Viana do Castelo e Esposende, de modernização de estruturas fundamentais de apoio às atividades económicas ligadas aos recursos naturais do litoral, em particular a pesca tradicional, com financiamento aprovado pelo Programa Operacional Mar 2020, enquadrado no Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas.

CAis da Rua.jpg

ARRANQUE DA EMPREITADA DA ECOVIA QUE VAI LIGAR MOLEDO A VILA PRAIA DE ÂNCORA CONTOU COM A PRESENÇA DO MINISTRO DO AMBIENTE

Miguel Alves sublinha: “acabou o tempo do PowerPoint e dos bonequinhos. Agora é o tempo das obras, das obras no terreno”

Começou hoje mais uma obra importante para o concelho de Caminha, a ecovia que vai ligar Moledo a Vila Praia de Âncora e posteriormente a Âncora, Viana do Castelo e Esposende. “É uma iniciativa muito simbólica, mas que representa algo de muito forte para a nossa comunidade. Hoje, estamos aqui a assinalar aquilo que é uma nova fase do concelho de Caminha, uma fase que se iniciou em 2013 e que deixou para trás um momento de inoperância no âmbito da Polis Litoral Norte. De 2008 a 2013 não se fez um único investimento no âmbito da Polis Litoral Norte, não se fez uma única obra no concelho de Caminha. Mas desde 2013 até agora foram já feitas 5 obras e investidos 1 milhão e 100 mil euros no território de Caminha. E até final de 2017 prevemos ter mais 5 obras concluídas e investidos 2,5 milhões de euros. Passamos dum tempo em 2013 em que tínhamos zeros obras, zero cêntimos investidos no concelho e Caminha, para termos 10 obras e 4 milhões de euros investidos no concelho de Caminha. Acabou o tempo do PowerPoint e dos bonequinhos. Agora é o tempo das obras, das obras no terreno”, sublinhou Miguel Alves.

arranque ecovia Moledo-VPA (1).jpg

Decorreu esta manhã um passeio de bicicleta pela ecovia de Moledo que assinalou o inicio de mais uma empreitada importante para o concelho de Caminha - “Infraestruturas para valorização e visitação de áreas classificadas no concelho de Caminha”, no âmbito da Polis Litoral Norte, que vai permitir a ligação de Moledo a Vila Praia de Âncora. O momento contou com a presença de Miguel Alves, presidente da Câmara de Caminha; José Pedro Matos Fernandes,ministro do Ambiente; Pimenta Machado, presidente da Polis Litoral Norte; Célia Ramos, secretária de Estado Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza; vereadores e vice-presidente da Câmara Municipal de Caminha; presidentes das Câmara Municipais deViana do Castelo e de Esposende, entre muitas outras individualidades e população que se quis juntar e percorrer este troço da ecovia.

Esta intervenção, que vai ligar a Capela de Santo Isidoro à ciclovia já existente a norte de Vila Praia de Âncora, numa extensão de aproximadamente 670 metros, está orçada em 283.292,79 euros e vai ser financiada em 85% pelo Programa Operacional Regional do Norte.

arranque ecovia Moledo-VPA (2).jpg

Sobre a importância desta obra, Miguel Alves salientou: “esta é uma obra muito importante para o concelho de Caminha. Através do trabalho conjunto que temos levado a cabo, os três municípios e a Polis Litoral Norte, tem sido possível fazer aquilo que seria impossível até há bem pouco tempo atrás”. O autarca recordou que a sociedade Polis Litoral Norte foi criada em 2008 e desde essa altura até 2013, data em que tomou posse enquanto presidente da câmara, no concelho de Caminha não se fez obra: “a verdade é que por falta de inteligência e de capacidade, a Câmara de Caminha não conseguiu mobilizar até 2013 um único euro e um único investimento para o concelho”. “Desde que tomamos posse as coisas alteraram-se. Este executivo leva por diante a responsabilidade de desenvolver a sua terra”, dando como exemplo as cinco obras já executadas no concelho, um investimento de 1,100 milhões de euros, e adiantando que até final de 2017 se prevê investir no concelho mais 2,5 milhões de euros. Miguel Alves realçou ainda: “esta é toda uma mudança radical que temos no concelho e Caminha. até 2013 tínhamos zero euros investidos, zero obras feitas. Agora e até final de 2017 teremos 10 obras feitas e 4 milhões de euros investidos”.

Sobre o trabalho conjunto que se tem verificado entre os três municípios, a Polis Litoral Norte e o Governo, Miguel Alves esclareceu: “foi necessário juntar boas energias. As boas energias de três municípios que se juntaram para poder fazer obra no seu litoral, a boa energia da Polis Litoral Norte que nos deu meios para fazer os projetos e concretizar as obras e as boas energias do Governo. E estas boas energias são a energia nuclear para concretizarmos os projetos que queremos levar por diante. Esta boa energia é a nossa energia nuclear para podermos aqui construir o futuro”.

José Pedro Matos Fernandes realçou o trabalho realizado em parceira pelas três autarquias; “é evidente a contiguidade geográfica destes espaços. Por isso, é uma tolice quando estes projetos não são conjuntos. Estes projetos têm de ser conjuntos, não faz sentido fazer ciclovias administrativas. Faz sentido fazer ciclovias que percorram estes três territórios.” O ministro do Ambiente ainda acrescentou: “com esta obra fica já construída cerca de 60% desta ciclovia que tem mais de 70 km de extensão”.

Esta intervenção visa a promoção da mobilidade sustentável e ambientalmente correta, como forma de vivência da orla costeira e a valorização e promoção dos valores naturais e culturais singulares do Litoral Norte.

arranque ecovia Moledo-VPA (3).jpg

arranque ecovia Moledo-VPA (4).jpg

arranque ecovia Moledo-VPA (5).jpg

arranque ecovia Moledo-VPA (6).jpg

MINISTROS DO AMBIENTE E DO MAR VISITAM CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA

DOIS DIAS, DOIS MINISTROS, DUAS OBRAS

Ministros do Ambiente e do Mar visitam Caminha na segunda e terça-feira respetivamente

Os ministros do Ambiente e do Mar visitam Caminha na segunda e terça-feira respetivamente. Em causa estão duas obras essenciais para o concelho, por um lado a Ecovia do Litoral Norte, entre Moledo e Vila Praia de Âncora, e o Cais da Rua, em Caminha.

caminha.jpg

Pedro Matos Fernandes estará no concelho na próxima segunda-feira, dia 23 de janeiro. O ministro do Ambiente chegará a Moledo pelas 11h45. O ponto de encontro é o início da Ecovia, junto à Ribeira das Preces, onde haverá uma receção aos convidados. A comitiva fará, a seguir, um percurso em bicicleta, pela Ecovia, até à Capela de Santo Isidoro, onde decorrerá a cerimónia de arranque da empreitada de execução do troço da futura Ecovia do Litoral Norte, entre a zona dos Rochedos de Santo Isidoro e Vila Praia de Âncora.

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, desloca-se a Caminha no dia seguinte, terça-feira, dia 24 de janeiro, para a apresentação dos investimentos da Sociedade Polis Litoral Norte, no âmbito dos quais se insere a obra do Cais da Rua, na marginal de Caminha. A sessão terá lugar pelas 15h30, no auditório da Igreja de Santa Clara (ETAP). Na altura serão assinados os protocolos de financiamento entre a Sociedade Polis Litoral Norte e a DOCAPESCA.

ARRANCA ESTA TARDE O PROJETO “EM SUA CASA: HISTÓRIAS & COMPANHIA” NAS FREGUESIAS DE ARGA DE SÃO JOÃO E ARGA DE BAIXO

Trata-se de um projeto de voluntariado de proximidade desenvolvido pelo Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora e pela Rede Social de Caminha com o apoio da Câmara Municipal de Caminha

P3010044.JPG

Arranca esta tarde, nas freguesias de Arga de São João e Arga de Baixo o projeto de voluntariado de proximidade “Em sua Casa: Histórias & Companhia”. O objetivo é possibilitar aos idosos isolados residentes nas freguesias de Arga de Cima, Arga de Baixo e Arga de São João, quinzenalmente, uma tarde diferente, em convívio e no domicílio.

Trata-se de uma iniciativa de continuidade desenvolvida pelo Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora, através da equipa do CLDS-3G Caminha (Contrato Local de Desenvolvimento Social de Terceira Geração) e pela Rede Social de Caminha, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha.

Este projeto de voluntariado consiste na dinamização de oficinas de leitura no domicílio do idoso isolado, ou seja, junto daqueles que estão sem retaguarda familiar próxima e que, na sua maioria, vivem sozinhos. A iniciativa decorre quinzenalmente, nas freguesias de Arga de Cima, Arga de Baixo e Arga de São João. Casa oficina tem a duração de uma hora e são abrangidas seis casas por tarde. O objetivo é estimular competências sociais e de cognição, através da leitura dinâmica e sugestiva à lembrança de tradições, costumes, lugares e lendas, que avivem a memória e simultaneamente proporcionem o diálogo e o convívio.

As oficinas têm sido dinamizadas por técnicas do Eixo 2 – Intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza infantil, da equipa CLDS-3G Caminha, uma animadora e uma assistente social. A partir de hoje, passarão a ser realizadas por voluntárias, que abraçaram este desafio com uma atitude motivada, interessada e curiosa.

O processo de angariação e seleção das voluntárias decorreu juntamente com o Banco Local de Voluntariado de Caminha, contando ainda com a colaboração do Grupo de Jovens de Vila Praia de Âncora e da Universidade Sénior de Caminha.

É de referir ainda que o transporte e o seguro das voluntárias são assegurados pela Câmara Municipal de Caminha e os livros são cedidos pela Biblioteca Municipal.

O CONCELHO DE CAMINHA CONTINUA A SER A ESCOLHA DOS TURISTAS PORTUGUESES E ESTRANGEIROS

Em 2016, o número de visitantes que procurou os postos de turismo do concelho aumentou 9% face a 2015 e 20% a 2014

O Concelho de Caminha continua em alta. Em 2016, confirma-se, uma vez mais, a preferência dos turistas portugueses e estrangeiros na escolha do concelho como destino turístico. 36.346 pessoas, mais 3.008 do que em 2015 e 7.256 do que em 2014, visitaram os postos de turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora. Este aumento de visitantes representa uma subida da procura de 9%, o que significa que o concelho está a recuperar o seu prestigio e que o município de Caminha está a conseguir projetar o concelho pelo mundo.

Caminha 2016 (1).jpg

Em 2016, verifica-se um crescimento do mercado interno e externo. Enquanto em 2016, os postos de turismo foram visitados por 14.202 turistas portugueses, em 2015 receberam 13.233 visitantes. No que respeita ao mercado externo, o número de estrangeiros subiu para 22.144 em 2016, enquanto que em 2015 não ultrapassou os 20.105 turistas.Face a 2015, o número de turistas portugueses aumentou 7%, os alemães 30%, os italianos 54%, os belgas 46% e osirlandeses 160%. O número de visitantes espanhóis e franceses também registou um aumento de 7% e 10%, respetivamente. Em resumo, os turistas portugueses continuam a ser os que mais procuram os postos de turismo do concelho, seguidos dos espanhóis, franceses, ingleses e alemães.

Caminha 2016 (2).jpg

Estes números traduzem a aposta do executivo em fazer da marca Caminha uma referência, capaz de colocar o concelho nos roteiros nacionais e internacionais, durante todo o ano. Prova disso, são os inúmeros eventos que promove ou apoia, como por exemplo: Feira Medieval de Caminha, Artbeerfest, Festival de Vilar de Mouros, Rally de Portugal, Caminha Doce, Passagem de Ano, Festa do Mar e da Sardinha, Grande Trail da Serra d’Arga, Triatlo Longo de Caminha, Vila Praia em Flor, entre muitos outos, e as obras que executa e outras que apoia para proporcionar maior qualidade de vida a quem cá vive, mas também a quem procura o concelho. Exemplos dessa aposta, são as ecovias de Santo Isidoro, Lanhelas e Seixas, a Bandeira Azul nas quatro praias do concelho, a requalificação do Mosteiro de São d’Arga, a criação da nova Loja do Turismo, a travessia do ferry boat Santa Rita de Cássia; a construção da Nova Biblioteca Municipal de Caminha, a beneficiação da rede viária, a valorização do Caminho de Santiago – Caminho Português da Costa.

Caminha 2016 (3).jpg

Sobre os Caminhos de Santiago uma das mais importantes rotas de Turismo Cultural e Religioso, é de referir que os postos de turismo do concelho receberam 3203 peregrinos. O maior número de peregrinos é nacional, seguindo-se os alemães, espanhóis, franceses e ingleses.

É de realçar, uma vez mais, que estes números referem apenas o movimento de turistas e de peregrinos que procura informações turísticas nos postos de turismo do concelho, isto é, não representam o número absoluto de turistas que procura o Concelho de Caminha.

Caminha 2016 (4).jpg

Caminha 2016 (5).jpg

LAMPREIA DO RIO MINHO É UM PRATO DE EXCELENCIA

Iniciativa, promovida pela ADRIMINHO e os seis municípios da região (Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira), iniciou-se no dia 15 de janeiro, prolongando-se até 15 de abril. Monção participa com 17 restaurantes e um programa complementar que engloba visitas a locais de interesse cultural, percursos por lugares naturais e patrimoniais e atividades de desporto e lazer.

0001lampreiamonç (1).jpg

Ao longo de três meses, entre 15 de janeiro e 15 de abril, uma centena de restaurantes do Vale do Minho (Melgaço, Monção, Valença, Paredes de Coura, Vila Nova de Cerveira e Caminha) apresentam, com tradição, requinte e inovação, a Lampreia do Rio Minho aos visitantes e apaixonados pela boa gastronomia.

Monção participa nesta iniciativa, que entra na sua oitava edição, com a presença de 17 restaurantes localizados no centro histórico e em várias freguesias do concelho, bem como com um programa complementar apelativo e atrativo para diferentes públicos

Para Augusto de Oliveira Domingues, a iniciativa “Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência” constitui um valioso cartão-de-visita da região num período de época baixa que contribui para a vinda de muita gente de Portugal e da Espanha, garantindo-se, desta forma, dinamização hoteleira e a valorização das nossas paisagens e monumentos.

Deixou um convite ao público: “A nossa lampreia tem sabor único e o saber de grandes cozinheiras que guardam segredos passados de geração em geração. Venha provar este prato tradicional, que também pode ser apreciado em tendências mais inovadoras, e deixar-se envolver pelo muito que o nosso território tem para oferecer”.

Nestes três meses, quem visitar o concelho de Monção poderá deliciar-se com arroz de lampreia ou à bordalesa mas também com opções mais contemporâneas: sushi, escabeche ou empanada. Para acompanhar, uma garrafa de Alvarinho, um dos melhores vinhos brancos do mundo com selo de garantia da Sub-Região de Monção e Melgaço.

Neste período, o município de Monção disponibiliza um programa complementar que engloba visitas a locais de interesse cultural, percursos por lugares naturais e patrimoniais e atividades de desporto e lazer. O ponto alto acontece no dia 26 de fevereiro, domingo, com a realização do XL Rali à Lampreia.

0001lampreiamonç (2).jpg

0001lampreiamonç (3).jpg

0001lampreiamonç (4).jpg

“CAMINHA SABE NADAR” GRATUITO PARA TODAS AS CRIANÇAS DO CONCELHO ATÉ AOS 8 ANOS DE IDADE A PARTIR DE 1 DE FEVEREIRO

Projeto piloto vai proporcionar às crianças aulas gratuitas de adaptação ao meio aquático e natação nas Piscinas Municipais – Vila Praia de Âncora

“Caminha Sabe Nadar” é a próxima aposta do executivo caminhense. Miguel Alves vai propor ao restante executivo o projeto piloto “Caminha Sabe Nadar” – Isenção de tarifas.

IMG_6577.jpg

O objetivo é proporcionar às crianças do concelho de Caminha, até aos oito anos de idade, aulas de adaptação ao meio aquático e natação nas Piscinas Municipais – Vila Praia de Âncora, isentando-as de qualquer pagamento.

Miguel Alves sublinha a importância da iniciativa: “esta é uma iniciativa de grande alcance que valoriza os equipamentos municipais e, sobretudo, proporciona às nossas crianças a possibilidade de nadar, essencial em qualquer circunstância, mas fundamental num concelho banhado pelo mar e que aposta nos desportos náuticos”.

A reunião de câmara terá lugar quarta-feira, dia 18 de janeiro, pelas 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

O projeto piloto “Caminha Sabe Nadar” vai arrancar a 1 de fevereiro e tem como objetivo incentivar o desporto no concelho. De facto, o executivo pretende,com este projeto,proporcionar a todas as crianças do concelho de Caminha, com idade menor ou igual a oito anos, aulas de adaptação ao meio aquático e natação para que fiquem dotadas de mecanismos de defesa em meio aquático, para que possam desfrutar de qualquer desporto náutico em segurança.

Para fazer parte deste projeto piloto é necessário reunir os seguintes requisitos: idade menor ou igual a oito anos e residência no Concelho de Caminha. As inscrições deverão ser efetuadas na receção das Piscinas Municipais – Vila Praia de Âncora a partir de quinta-feira. É de salientar que não há número limite de inscrições e que os horários serão elaborados mediante o número de participantes inscritos. Este projeto também inclui as crianças que já frequentam o equipamento, devendo os pais dirigir-se à receção para obter as informações necessárias.

Da ordem de trabalhos ainda faz parte a atribuição de um subsídio à Sociedade Musical Banda Lanhelense, no montante de 15 mil euros, para apoio na aquisição de novo fardamento.

CÂMARA DE CAMINHA AVANÇA COM EXECUÇÃO DO PLANO DE PORMENOR PARA ÂNCORA

A Câmara Municipal vai avançar com a abertura do procedimento de elaboração do Plano de Pormenor da UOPG 15 - Areia, que abrange a entrada a freguesia de Âncora (Águas Férreas) até à Zona Empresarial da Gelfa, uma das prioridades máximas estabelecidas na Proposta de Revisão de PDM, aprovada a 6 deste mês. Com a apresentação desta proposta, Miguel Alves dá seguimento ao compromisso assumido durante a última Assembleia Municipal extraordinária. A reunião de câmara terá lugar quarta-feira, dia 18 de janeiro, pelas 15h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A UOPG 15- Areia está entre as UOPG sujeitas a Plano de Pormenor (de iniciativa municipal) para as quais a Proposta de Revisão do PDM estabelece prioridade máxima. O Plano de Pormenor em causa abrange a entrada a freguesia de Âncora (Águas Férreas) até à Zona Empresarial da Gelfa, promovendo a sua expansão. São objetivos deste plano: beneficiar a organização viária geral e a dinâmica dos diferentes fluxos, criando adequadas condições gerais de acessibilidade (nó de ligação da EN13), isto é, a criação de acessos com a execução de mais uma rotunda na EN13, de modo a se conseguir reorganizar a rede viária de acesso à praia, e empreendimentos turísticos; bem como consolidar o tecido urbano existente, beneficiando-o ao nível da qualidade e legibilidade do espaço público. É também objetivo desta Plano de Pormenor reforçar a vocação empresarial de Âncora, como fator de diferenciação territorial, concentrando ali atividades económicas geradoras de emprego.

O Plano de Pormenor da UOPG 15- Areia já está a ser trabalhado pela equipa municipal que foi responsável Proposta de Revisão do PDM. O executivo espera, ainda este ano,apresentar o respetivo plano à Junta de Freguesia de Âncora, para depois o colocar em discussão pública, de modo a que a população se possa pronunciar.

Recorda-se que a Assembleia Municipal de Caminha aprovou novo Plano Diretor Municipal (PDM), no passado dia 6 do corrente, cumprindo-se finalmente a lei, que andava a ser violada no concelho há 11 anos. O novo documento estratégico traduz-se num PDM "amigo do investimento e do património natural", que permite também acomodar de forma equilibrada um eventual crescimento da população da ordem das 10 mil pessoas, durante a próxima década.

RENOVADO SALÃO NOBRE DOS BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA ACOLHE A PRÓXIMA REUNIÃO DESCENTRALIZADA

Sessão pública terá lugar no dia 25 de janeiro, pelas 18H30, no Cineteatro dos Bombeiros

O renovado Salão Nobre dos Bombeiros de Vila Praia de Âncoravai acolher a primeira reunião pública descentralizada de 2017. Miguel Alves e os vereadores estão de regresso à vila mais populosa do concelho para esclarecerem e ouvirem as questões colocadas pelos ancorenses no dia 25 de janeiro. A sessão vai decorrer no edifício do Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora, pelas 18H30.

Cineteatro dos Bombeiros.jpg

O executivo está a realizar a 3ª temporada das reuniões públicas descentralizadas. Recorda-se que nas reuniões anteriores (sendo que a última decorreu a 25 de junho de 2015), os temas dominantes foram: Dólmen da Barrosa, Duna dos Caldeirões, Travessa do Teatro, Cineteatro dos Bombeiros.

Passado um ano e meio, o executivo regressa a Vila Praia de Âncora com o sentimento de dever cumprido. A obra de reforço da Duna dos Caldeirões está concluída.  A Bandeira Azul foi hasteada na Vila. A recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa a realizar no âmbito do Orçamento Participativo de Caminha está em execução. É de referir que relativamente à valorização do Dólmen foi submetida uma candidatura ao Programa 2020 para a criação de um núcleo museológico que potencie o megalitismo de Vila Praia de Âncora e de todo o concelho de Caminha. Sobre a Travessa do Teatro, as notícias também são boas, após uma longa e complexa negociação, a Câmara e a empresa Infraestruturas de Portugal (IP) chegaram a acordo e a Travessa vai ser dotada de uma passagem inferior pedonal sob a Linha do Minho. No âmbito da Polis Litoral Norte, está a decorrer a empreitada de proteção e reabilitação do sistema costeiro entre a Foz do Rio Âncora e Forte do Cão no montante de 160 mil euros. A empreitada da2ª fase da requalificação do Nó da Erva Verde, um projeto orçado em mais de meio milhão de euros, também já foi adjudicada. E, por último, o apoio dado aos Bombeiros de Vila Praia de Âncora para devolverem o Cineteatro dos Bombeiros aos ancorenses.

As sessões públicas descentralizadas são um instrumento de participação que os munícipes têm à disposição para dialogar diretamente com os decisores políticos do concelho. Além de favorecerem a proximidade junto da população, estas reuniões permitem ao executivo ouvir, esclarecer e prestar contas da gestão municipal, contribuindo assim para uma democracia local mais participativa.

Estas reuniões públicas apresentam como único ponto da ordem de trabalhos a audição dos munícipes. Assim, os ancorenses que queiram intervir deverão proceder à sua inscrição, com uma antecedência mínima de 48 horas, na Câmara Municipal, através do telefone 258 710 300 ou do e-mail geral@cm-caminha.pt. Ainda o podem fazer na Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora. É de realçar que, no momento da inscrição, deverão indicar o contacto telefónico e o assunto a tratar. Será dada prioridade aos assuntos relacionados com as freguesias em questão e de interesse coletivo e/ou público.

Salão Nobre dos Bombeiros.jpg

CONCELHO DE CAMINHA MOSTROU ENTUSIASMO E EXPERIÊNCIA CONTRIBUINDO PARA O ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DE PORTUGAL

Muita gente e muitos projetos na sessão do OPP realizada em Caminha

Caminha recebeu ontem o segundo Encontro Participativo do Orçamento Participativo de Portugal (OPP), um projeto único no mundo, a partir do qual os cidadãos vão escolher projetos a concretizar, num investimento total de três milhões de euros.  NoSalão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Caminha reuniu-se cerca de meia centena de pessoas, contribuindo com 15 projetos nas áreas da Cultura e da Agricultura, um número que superou largamente o de projetos submetidos no primeiro destes encontros, que decorreu em Braga.

OPP - Caminha (1).jpg

Casa cheia e muito entusiasmo caraterizaram ontem o encontro, denotando a experiência do concelho neste tipo de participação cidadã. De facto, os moldes deste OPP promovido pelo Governo (embora à escala)são semelhantes aos do Orçamento Participativo de Caminha, instituído por este Executivo, o que explicará também o número e a qualidade dos projetos apresentados.

Nesta edição do OPP estavam disponíveis quatro áreas, para projetos de âmbito regional e nacional: Cultura, Agricultura, Ciência e Educação e Formação de Adultos, tendo a contribuição de Caminha sido centrada nas duas primeiras.

Na área da Cultura foram apresentados os seguintes projetos: Aquisição de livros para bibliotecas municipais( Basílio Barrocas – regional); Apanha do Sargaço (Paula Araújo – regional); Regeneração da Cividade de Âncora-Afife (António Brás – regional); A carruagem do AltoMinho no comboio Celtinha/Itinerário Porto-Vigo (Ângela Soares-regional); Cultura Roteiros     (Maria Helena Alves – regional); Oficina  - Museu de Artes e Ofícios em Vila Praia de Âncora - Caminha      (Álvaro Meira – regional); Recuperação de espaços da muralha existente em Cerveira e Caminha (José Barbosa –regional); Encontro de embarcações tradicionais no Rio Minho (Andreia Alves –regional); A arte do Linho (Mónica Gonçalves – regional); Levantamento de todas as alminhas do Alto Minho correspondente aos dez concelhos que o integram (Maria Adélia Rodrigues – regional); Rotas do Contrabando (Filipe Fernandes – nacional) e Rotas do Contrabando no Rio Minho (Filipe Fernandes – regional).

Na vertente da Agricultura houve mais três propostas: ONG/Vigilância e Prevenção de  ncêndios Florestais (João Bezerra           - nacional); Quintas de Portugal (Miguel Penteado – nacional) e Programa de Esterilização animal            (Fabrícia Silva - nacional/regional).

Conforme referiu Pedro Gomes, adjunto da Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, não foi por acaso que o concelho de Caminha foi escolhido para a realização de um Encontro Participativo do OPP, e logo o segundo, já que nesta edição ocorrerá cerca de meia centena de encontros deste tipo (para 308 concelhos), divididos pelo Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Algarve assim como Regiões Autónomas.

Pedro Gomes elogiou os moldes em que decorre o Orçamento Participativo de Caminha, considerando-o “exímio” e completamente original, já que põe à disposição dos cidadãos o montante que pagam em termos de IRS no concelho.

O presidente da Câmara de Caminha saudou os participantes, congratulando-se pela “sala cheia” e pela pronta resposta ao apelo feito pelo Município, recordando que, tratando-se do segundo encontro a nível nacional, este foi também o segundo a nível mundial, uma vez que Portugal é a única nação no mundo a levar a cabo esta prática de Democracia Participativa.

O Orçamento Participativo Portugal é um processo democrático, direto e universal, através do qual as pessoas decidem sobre investimentos públicos em diferentes áreas de governação. O OPP é deliberativo. São as pessoas que apresentam propostas de investimentos e de projetos que querem ver concretizados nas áreas da Cultura, da Ciência, da Educação e Formação de Adultos e da Agricultura, no Continente e nas áreas da Justiça e da Administração Interna, nas Regiões Autónomas.

Mais informações em https://www.opp.gov.pt

OPP - Caminha (2).jpg

PROJETOS APRESENTADOS EM CAMINHA

CULTURA

Rotas do Contrabando

Já todos nós ouvimos histórias sobre o contrabando de produtos e a fuga de pessoas através da fronteira portuguesa. Em todas as zonas fronteiriças podem-se encontrar percursos, locais de memória e gente que conta as suas aventuras.

Umas vezes por terra, outras através de barco, com a ajuda ou suborno das autoridades. Muita gente viveu do contrabando, levando produtos e trazendo outros. Foram muitos os que fugiram à guerra e/ou procuraram novos mundos. Saltaram a fronteira e tentaram a sorte.

É necessário e urgente que seja feita a recolha de informação deste pedaço da nossa história, sob pena de se perder para sempre. Esta informação deve ser disponibilizada para todos e pode ser utilizada para fins turísticos, como atração das regiões interiores, combatendo a desertificação. Dez distritos, e perto de quarenta municípios, podem vir a beneficiar deste património imaterial.

Filipe Fernandes

Rota do Contrabando no Rio Minho

Já todos nós ouvimos histórias sobre o contrabando de produtos e a fuga de pessoas através da fronteira natural do Rio Minho (praia minhota). Nas zonas sub-fronteiriças ao Rio Minho podem reconstruir-se percursos, locais de memória e gente que pode ainda contar as suas vivências. Tanto por terra, como por rio, subornando as autoridades para poder trazer géneros em quantidades não autorizadas. Conseguia-se subsistir agruras de uma época castigada pela escassez. Esta recolha urgente, tanto quanto se podem perder estes testemunhos pelos que os viveram ou pelos que ouviram contar. A informação recolhida pode ser devolvida à comunidade, através de plataformas digitais, exposições e percursos.

Filipe Fernandes

Encontro de embarcações tradicionais no Rio Minho

O encontro de embarcações tradicionais no Rio Minho visa a concretização de um evento para divulgação e promoção das tradições do Vale do Rio Minho - património, usos e saberes das vivências do Rio Minho, enquanto património cultural e natural.

Com esta iniciativa pretende-se, para além da dinamização da temática associada à pesca tradicional, promover a paisagem e tradição, a preservação e reabilitação das embarcações tradicionais e o registo das memórias e espólios associados, através de documentário e edição de monografia sobre o tema. Pretende-se com a esta iniciativa o encontro de diferentes embarcações quer do Rio Minho quer de outras origens, nacionais ou internacionais, promovendo o intercâmbio cultural entre regiões e comunidades piscatórias.

Andreia Alves

A Arte do Linho

A presente proposta pretende o registo de uma arte tradicional de elevada importância nas comunidades do Alto Minho - A Arte do Linho para a memória futura,desde a sementeira à arte final, a produção das peças (tecelagem),através da realização de um documentário, publicação de monografia e recolha/preservação de espólio ligado à arte.

Prevê-se ainda a realização de uma exposição itinerante, destinada a percorrer os municípios interessados, quer no território nacional como internacional. Esta Arte/Oficio era realizado em todos os concelhos do Alto Minho pelas mulheres das comunidades rurais, onde parte dos trabalhos eram realizados nas longas noites de inverno. Era uma atividade, um complemento da agricultura.

Mónica Gonçalves

Levantamento de todas Alminhas do Alto Minho correspondentes aos dez concelhos que os integram

O objetivo desta proposta é o estabelecimento de uma rota de visitação. O desejável será a integração desta rota em plataforma eletrónica.

Adélia Rodrigues

Oficina - Museu de Artes e Ofícios em Vila Praia de Âncora (Caminha)

Consiste no aproveitamento do 1º andar do mercado de Vila Praia de Âncora para montar um espaço museológico com o objetivo de dar a conhecer às gerações vindouras várias atividades que já desapareceram ou estão em vias de desaparecer. Ainda é possível encontrar ferramentas e objetos e, até, testemunhos. Sem a criação deste espaço irão desaparecer para sempre as memórias de uma região.

Álvaro Meira

Recuperação de Espaços da Muralha existente em Cerveira e Caminha

Recuperação de espaços amuralhados de grande valor patrimonial e cultural para os nossos concelhos, espaços esses que estão, de certa forma, degradados e esquecidos. Estes espaços podem ser valorizados com algum cuidado e respeito pela história, não destruindo, mas sim, valorizando estes mesmos para que, num futuro próximo, possamos todos usufruir deles.

No caso de Caminha, o local encontra-se no cimo da Vila com uma vista fabulosa sobre o Estuário do rio Minho, e contempla um terreno interior com um declive natural para que se possa fazer um anfiteatro natural para que possamos contemplar bons e grandes espetáculos ao ar livre. Uma vez que a cultura deve ser valorizada, como já referi, a situação geográfica do terreno é perfeita para que possamos contemplar grandes espetáculos num espaço público aprazível.

José Barbosa

Cultura - Roteiros

Venho por este meio propor uma rota de moinhos de água no Alto Minho.

Maria Helena Alves

Aquisição de livros para Bibliotecas municipais

Existem bibliotecas para utilização pública com excelentes condições de espaço, que têm um número muito reduzido de obras, quer para adultos, quer para crianças. Propõe-se que seja disponibilizada uma parcela que sugeri no valor de 100 a 150 mil euros, mas pode ser diferente. Se maior, melhor ainda, para a aquisição destes livros, do Orçamento Participativo Portugal. Os responsáveis das bibliotecas deverão ser ouvidos sobre o tipo e quantidade de obras que mais precisam, antes da sua aquisição, ou ser os próprios a adquiri-las com a verba que os cabe.

Basílio Barrocas

Regeneração da Cividade de Âncora-Afife

É uma proposta que consiste na recuperação dum baluarte histórico da Península Ibérica, que se encontra encravado nos limites das freguesias de Âncora, do concelho de Caminha, e de Afife, do concelho de Viana do Castelo. Segundo o historiador português Armando Coelho trata-se de um castro de importância acrescida. Nomeadamente pela sua dimensão de vulto, que se estima uma fortaleza com dupla muralha sendo na época habitada por milhares de indivíduos que inclusivamente recebia tributo de toda a zona a norte inclusive até à atual Vila Nova de Cerveira.

Neste projeto de regeneração tem-se como objetivo dotar as imediações de um centro de interpretação que albergue o imenso e valioso espólio já retirado numa parcela de dimensão reduzida que até ao momento foi explorada e votada ao abandono. Sendo que o seu espólio se encontra disperso inclusive no Museu Martins Sarmento na cidade de Guimarães.

Enfim criar as condições para restituir o património aos locais de origem, catapultar a região norte de um polo de atração turística que possa gerar dinâmicas económicas, culturais e sócioeconómicas. Avançar com a exploração restante de forma sustentada.

António Brás

A carruagem do Alto Minho no comboio “Celtinha” - itinerário Porto/Vigo

Aluguer/convénio de uma carruagem de comboio "Celtinha" que faz a ligação Porto/Vigo, para promover a cultura e os eventos culturais dos municípios do Alto Minho, através de uma experiência sightseeingaudiovisual, inclusive. Os utilizadores da carruagem terão, com esta experiência, acesso através de promoções a monumentos, espetáculos e museus, descontos na visita em cada concelho.

Ângela Soares

Apanha do Sargaço

O projeto pretende promover o registo do conhecimento ainda existente sobre a atividade da apanha do sargaço na costa litoral norte. Atualmente existente num número reduzido de comunidades, nomeadamente sobre aspetos históricos, económicos e técnicas de apanha tradicionais nas várias comunidades, formas de tratamento e usos dados ao mesmo. O registo deverá traduzir-se numa exposição itinerante, elaboração de registo audiovisual (incluindo espólio fotográfico) e edição de uma publicação sobre o tema.

Observação: Aos Municípios referidos no âmbito regional, deverão também ser contemplados todos os outros Municípios do Norte do país onde exista ou tenham existido apanha do sargaço.

Paula Araújo

AGRICULTURA

Quintas de Portugal

Todas as quintas feiras as escolas servem fruta de origem portuguesa.

Miguel Penteado 

ONG/Vigilância e Prevenção de incêndios Florestais

Criar uma ONG a fim de gerir uma bolsa de voluntariado, cuja principal função será a vigilância e a prevenção de incêndios florestais em colaboração com outras entidades.

João Bezerra

Programa de Esterilização Animal

Tendo em conta o número de animais abandonados no nosso país, consideramos prioritário, pertinente e urgente, desenvolver e aplicar políticas e programas de esterilização animal. A reprodução excessiva e abandono de animais, nomeadamente, de cães e gatos, é um fenómeno que perpetua este flagelo cíclico. É importante referir, que estes fenómenos não afetamsó os próprios animais, mas a comunidade em geral, tornando-se um problema grave de saúde pública.

O funcionamento das políticas de alguns municípios do nosso país cinge-se ao abate animal. Esta medida não soluciona o problema, apenas o camufla. Assim, acreditamos que as medidas em relação aos animais atuem conforme os princípios da subsidiariedade, isto é, que atuem na raiz do problema, a longo prazo. Este programa vai ao encontro dos critérios técnicos do OPP. Assim, para a sua execução será necessário recorrer a parcerias com as clínicas veterinárias locais tornando-se um processo facilitador envolvendo assim toda a comunidade. A forma como um país trata os seus animais espelha os seus valores.

Fabrícia Silva

OPP - Caminha (4).jpg

OPP - Caminha (3).jpg

LAMPREIA DO RIO MINHO É O DESTAQUE À MESA DE 25 RESTAURANTES DO CONCELHO DE CAMINHA

De 15 de janeiro a 15 de abril há muitas razões para visitar o concelho de Caminha

A partir de domingo e até ao final meados de abril, a lampreia do Rio Minho é a atração dos cardápios nos restaurantes do concelho de Caminha. Gastronomia e animação dão mote ao certame intermunicipal “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência”. Caminha Doce, Baile do Assalto, Noite de Carnaval, Dia dos Namorados e Maior Mesa de Páscoa são alguns dos eventos que vão marcar esta edição da Lampreia.

lampcaminh.JPG

O Município de Caminha está a promover mais uma edição do certame gastronómico “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência”, uma iniciativa da ADRIMINHO – Associação de Desenvolvimento Rural Integrado do Vale do Minho, e que está a ser levada a cabo em parceria com os municípios de Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, Monção, Melgaço e Paredes de Coura.

Esta iniciativa, que já vai na 8ª edição e este ano alargada a 3 meses, pretende valorizar a lampreia do Rio Minho enquanto recurso endógeno, e promover as potencialidades naturais e patrimoniais do concelho de Caminha e de toda a região do Vale do Minho.

De 15 de janeiro a 15 de abril, a lampreia, diamante da foz do Rio Minho, prato de excelência para os apreciadores mais exigentes, pode ser degustada à mesa dos 25 restaurantes aderentes nas freguesias de Dem, Caminha, Vila Praia de Âncora, Âncora, Vilarelho, Moledo e Seixas.

De facto, a lampreia é um polo de atração. Há quem faça centenas de quilómetros e há quem venha do país vizinho só para se deliciar com uma das iguarias da gastronomia minhota, a lampreia do Rio Minho. À mesa, é possível saborear o afamado arroz de lampreia, mas também há quem aposte noutras formas de degustar o ciclóstomo, como por exemplo, no forno, seca ou à bordalesa. Nesta edição, por exemplo, vai ser apresentada a “Sopa de Lampreia”, uma receita de João Guterres, Grão-mestre da Confraria da Lampreia.

Além da lampreia confecionada das mais variadas formas, quem visitar o concelho pode ainda usufruir de uma panóplia de atividades que o Município promove para atrair cada vez mais visitantes, bem como para dinamizar a economia local.

A ADRIMINHO acaba de lançar brochura “Lampreia do Rio Minho – Um prato de excelência” onde constam os restaurantes aderentes e a programação de cada um dos Municípios aderentes. No caso de Caminha, na página 6, estão especificados os restaurantes aderentes do concelho; na página 7, as várias iniciativas que vão decorrer nos meses de janeiro a abril e, na página 8, os espaços culturais abertos ao público aos fins-de-semana.

Neste sentido, em janeiro destacam-se a Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha (15 de janeiro) e a prova de remo Caminha X-Treme 2017 (22 de janeiro), uma organização do Sporting Club Caminhense. Em fevereiro, um mês recheado de animação, quem visitar o concelho vai poder assistir à 5ª Regata ARN Remo Jovem, Master e Adaptado (4 de fevereiro), uma organização do Sporting Club Caminhense; à Caminha Doce – Feira de Doçaria (24 a 28 de fevereiro); ao Baile do Assalto (25 de fevereiro), organizado pelo pelos Comerciantes de Caminha; Noite de Carnaval com o desfile “A famosa cegada é o Carnaval em Caminha” (27 de fevereiro), organizado também pelos comerciantes de Caminha. Fevereiro é o mês do amor. Por isso, quem escolher o concelho para celebrar a data há momentos românticos com surpresas nos restaurantes aderentes. Em março, destacam-se a Regata de Remo “XVIII Taça do Presidente da República Portuguesa” (11 de março); a Feira de Artesanato do Concelho (18 e 19 de março) e a Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha (19 de março). Em abril, a Maior Mesa de Páscoa vai animar Vila Praia de Âncora no dia 15 de e, no dia 16, decorre mais uma Feira de Antiguidades e Colecionismo de Caminha.

CAMINHA VAI RECEBER O WORKSHOP “RESPONSABILIDADES PARTILHADAS PARA A INCLUSÃO PROFISSIONAL”

Sessão vai decorrer no dia 26 de janeiro, no Auditório do Museu Municipal

O Auditório do Museu Municipal de Caminha vai acolher o workshop “Responsabilidades Partilhadas para a Inclusão Profissional”, no dia 26 de janeiro. Pretende-se sensibilizar as entidades empregadoras para a importância das parcerias estabelecidas entre as instituições sociais e empresas cujo objetivo é aumentar as hipóteses de empregabilidade dos cidadãos com maior vulnerabilidade social. Os interessados podem inscrever-se através do email redesocial@cm-caminha.pt. A sessão de abertura conta com a presença de Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha.

“Responsabilidades Partilhadas para a Inclusão Profissional” é organizado pelo Projeto Cria-te em parceria com a Rede Social e Câmara Municipal de Caminha.Este workshop pretende sensibilizar as instituições empregadoras dos concelhos de Caminha e de Viana do Castelo para a importância das parcerias entre as instituições sociais e as empresas.

Neste âmbito, o workshop é composto por dois painéis. O painel 1 intitulado “Modelos de Intervenção Social na Integração Laboral de pessoa com CAD” conta com as seguintes comunicações: “Competências Pré-profissionais e Bolsa de empregadores”, a cargo de Joana Correia e Stéphanie Cunha (Projeto Cria-te); “Mediação Social e Comunitária na Empregabilidade”, por Jorge Barbosa (Coordenador Técnico do CRI Porto Oriental, ARS Norte) e ainda “Grupos Voluntários e Emprego-Um Processo de Cidadania e Co-construção Coletiva”, a cargo de Manuela Coutinho (Centro Distrital de Segurança Social de Viana do Castelo). O painel 2 “A responsabilidade Social Empresarial: experiências Partilhadas” é constituído pelas seguintes intervenções: “As Políticas Ativas de Emprego na Inclusão dos Grupos Vulneráveis”, por António Leite (Delegado Regional do Norte, IEFP, IP); “Plataforma + Emprego e Projeto Piloto de Formação; Competências para a Integração”, a cargo de Olga Rocha e Renata Neves (NIPSA-CDSS Porto); “Projeto: Responsabilidade Social das Empresas para a Inclusão dos Sem Abrigo pelo Trabalho”, por Jorge Viana (Presidente da Methamorphys – Casulo Abrigo) e “Informar para inseri”, por Odete Araújo (Equipa CLDS 3G Caminha-Centro Social e Cultural de Vila Praia de Âncora).

“A UM MAR DE DISTÂNCIA”DE PEDRO MAGANO EM EXIBIÇÃO NO CINETEATRO DOS BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

A sessão de sábado vai contar com a presença dos argumentistas, Abel Coentrão e Pedro Magano, e de um dos intervenientes no documentário, o ancorense Celestino Ribeiro

O renovado Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora está, desde sábado, ao serviço da cultura, dos ancorenses, de Vila Praia de Âncora. No próximo fim de semana, vai ser exibido um documentário sobre os pescadores que andaram na pesca do bacalhau na Terra Nova intitulado “A Um Mar de Distância”, de Pedro Magano. Este é um tema muito querido para a comunidade piscatória do Vale do Âncora.

cartaz cinema_jan fev.jpg

 

Sobre esta escolha, Miguel Alves realçou: “é assim que vamos abrir este cinema, é assim que vamos montar todos os próximos tempos aqui no Cineteatro de Vila Praia de Âncora numa forte aposta cultural, que muitas vezes não é compreendida, mas é exatamente na valorização da nossa história que nós temos a perspetiva do nosso futuro”. O documentário será exibido nos dias 14 e 15 de janeiro e a sessão do dia 14, contará com a presença dos argumentistas, Abel Coentrão e Pedro Magano, bem como de um dos intervenientes no documentário, Celestino Ribeiro. A entrada é gratuita.

Sobre o filme “A Um Mar de Distância Filme”, Miguel Alves realçaque se trata de um documentário que contou com o apoio do Município. “É a história de um ancorense, de muitos ancorenses que andaram na pesca do bacalhau na Terra Nova e, em grande parte, a vida daqueles ancorenses que lá estiveram também em muito sofrimento, em sacrifício pelas suas famílias”, disse.

Sobre o filme lê-se: “Ninguém sabe quantos portugueses morreram na Pesca do Bacalhau durante o Estado Novo. Sepultados no mar, ou em terras longínquas, como a Terra Nova ou a Gronelândia, esses homens foram deixados para trás, esquecidos pelo país que glorificava, durante a Ditadura, o papel deles no Regresso de Portugal ao Mar. Mas em 1966, um realizador canadiano filmava “TheWhiteShip”, um documentário que nos mostra o funeral de um pescador português, vítima de uma tempestade, e que ficou sepultado em St. John ’s, no Canadá.Do destino de muitos pescadores pouco ou nada sabemos. Mas no caso de Dionísio Esteves, esse filme fixou para sempre uma memória do seu local de sepultura, permitindo que agora, em 2015, o seu túmulo se transformasse num memorial que glorifica a todos os pescadores portugueses que lá jazem.Contar as suas histórias, retirá-las do anonimato, é a nossa forma de os resgatarmos de volta a casa”.

O argumento é de Abel Coentrão e Pedro Magano; a edição e direção de fotografia é de Pedro Magano; a música é de Vitor Peixeiro e João Lima; a correção de cor de Manuel Pinto Barros; a pós-produção de som e misturasão de Pedro Adamastor; o operador de gimbal e drone é de Sílvio Rocha; a fotografia de cena é de Helena Flores; a produção de Liliana S. Lasprilla e a realização de Pedro Magano.

Mais informações em http://aummardedistancia.com/pt/filme/a-um-mar-de-distancia//

“Os filmes serão os mais atuais possíveis, recuperando, assim, a sua tradição em conjunto com os bombeiros, com as pessoas, com Vila Praia de Âncora”

O cinema vai ser uma das apostas do Cineteatro. Miguel Alves sublinha: “os filmes serão os mais atuais possíveis, recuperando, assim, a sua tradição em conjunto com os bombeiros, com as pessoas, com Vila Praia de Âncora”. Em janeiro, estará em exibição “Sleepless: Nos limites da Lei”, de BaranboOdar, 2017 e em fevereiro “Aqui Há Gato”, de BarrySonnenfeld, 2017 e “50 Sombras Mais Escuras”,James Foley, 2017. Ao sábado, as sessões de cinema terão lugar pelas 21H30 e ao domingo às 15H00. O preço do bilhete é de 3€ e estão disponíveis para venda nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora, na sede dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e, nos dias de exibição, no Cineteatro.

No último fim de semana de janeiro, dias 28 e 29, será exibido o filme“Sleepless: Nos limites da Lei”, de BaranboOdar, 2017, EUA (M/12). Na sinopse deste filme lê-se “Um polícia com ligações ao submundo do crime procura o filho sequestrado por um grupo de contrabandistas enquanto tenta escapar à perseguição de um agente dos Assuntos Internos.” Trata-se de um remake do filme francês "La NuitBlanche", de 2011.

Em fevereiro, nos dias 11 e 12, será exibido o filme “Aqui Há Gato”, de BarrySonnenfeld, 2017, França/China (M/12).Quanto à sinopse do filme, adiantamos: “Tom Brand (Kevin Spacey) é um bilionário viciado no trabalho, com um estilo de vida que o afastou da família, da sua bela mulher Lara (Jennifer Garner) e da sua adorável filha Rebeca (Malina Weisman).Quando se aproxima a data do aniversário de Rebeca ela faz o mesmo pedido de todos os anos: um gato. Tom detesta gatos, mas não pensou em alternativas e está sem tempo.O GPS leva-o até uma loja de animais mística, recheada de gatos estranhos e exóticos, onde o excêntrico proprietário FelixPerkins (Christopher Walken) lhe apresenta um gato majestoso chamado Sr. Patas Peludas.A caminho da festa de aniversário, Tom tem um acidente terrível. Quando recupera a consciência percebe que ficou preso no corpo do gato. Adotado pela própria família, começa a experiência de aprendizagem do que é a vida de um animal doméstico.Para ter alguma esperança de regressar à sua família, Tom terá de perceber porque foi colocado nesta situação peculiar e percorrer o longo caminho para merecer a sua existência humana de volta.”

Fevereiro fecha com o filme “50 Sombras Mais Escuras”,James Foley, 2017, EUA (M/17+). Trata-se do “segundo capítulo da trilogia segue o aprofundar da relação entre a estudante AnastasiaSteele e o jovem milionário Christian Grey.Quando Christian Grey tenta seduzir novamente a agora mais cautelosa Ana Steele, ela exige um novo acordo antes de lhe dar outra oportunidade. À medida que os dois começam a construir uma nova relação e a encontrar estabilidade, figuras sombrias do passado de Christian começam a rodear o casal, determinadas a destruir as suas esperanças num futuro juntos.” Este filme será exibido nos dias 25 e 26 de fevereiro.

distancia c 1.jpg

BOMBEIROS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA CELEBRAM CENTENÁRIO COM REABERTURA AO PÚBLICO DO CINETEATRO

“Hoje há mais razões para celebrar um percurso centenário: hoje festejamos o futuro desta grande instituição, o futuro do voluntariado, o futuro da cultura em Vila Praia de Âncora, o futuro da solidariedade e coesão da nossa terra”, salientou Miguel Alves

inauguração cineteatro bombeiros vpa (2).jpg

No sábado escreveu-se mais uma página na história dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora. Inauguração da remodelação do Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora e concerto de António Zambujo marcaram as comemorações do Centenários dos Bombeiros. “Este é um dia muito especial para Vila Praia de Âncora e para o concelho de Caminha. Hoje teríamos sempre razões de sobra para celebrar a história, o passado e o legado da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora que, nas comemorações dos seus 100 anos de existência, festeja também todas as ações humanitárias, todos os sacrifícios, todos os contributos de gerações de homens e mulheres que no corpo ativo, nos órgãos sociais ou como funcionários, souberam honrar a sua terra e partilhar um espírito de comunidade e bairrismo que faz parte da massa do sangue de todos os Ancorenses.Mas hoje há mais razões para celebrar um percurso centenário: hoje festejamos o futuro desta grande instituição, o futuro do voluntariado, o futuro da cultura em Vila Praia de Âncora, o futuro da solidariedade e coesão da nossa terra”, disse Miguel Alves. Também Laurinda Araújo, muito emocionada, sublinhou: “Abrir as portas do cineteatro é uma utopia tornada realidade”.

Os Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora promoveram de 1 a 7 de janeiro as Comemorações do Centenário da Associação com várias iniciativas, com destaque para a bênção e inauguração da remodelação do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários, sessão solene comemorativa do centenário e concerto de António Zambujo. A sessão solene contou com a presença de Laurinda Araújo, Presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora; Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha;Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna; José Presa, presidente da Assembleia Geral da Associação Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora;Jaime Marta Soares, presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses;José Oliveira,Diretor Nacional de Planeamento e Emergência da Autoridade Nacional de Proteção Civil; Coronel Paulo Esteves,  Comandante Operacional do Agrupamento Distrital Norte;Armando Neves da Silva, Comandante Operacional Distrital; Luís Brandão Coelho, Presidente da Federação Distrital de Bombeiros de Viana do Castelo;Manuel Verde Rei, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora; Carlos Castro, presidente da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora; e demais autarcas, vereadores, bombeiros e público em geral. Durante a cerimonia, os Bombeiros Municipais de Vila Praia de Âncora foram condecorados com a Medalha de Mérito de Proteção e Socorro no grau Ouro e distintivo Azul, atribuída pela Ministra da Administração Interna e pela Fénix de Honra atribuída pelo presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses. A cerimónia ficou ainda marcada pelo minuto de silencia a Dr. Mário Soares.

“Estou a viver um dos momentos mais gratificantes da minha existência”, disse a presidente dos Bombeiros, referindo-se às comemorações do centenário e à remodelação do Cineteatro dos bombeiros: “100 anos de profícua atividade humanitária; 100 anos de glória, uma honra e uma responsabilidade”. Quanto à remodelação do Cineteatro, Laurinda Araújo realçou: “abrir portas do cineteatro é uma utopia tornada realidade. Deixou de ser um “pardieiro”, após tantos anos de abandono e chegou o momento de ser devolvido a Vila Praia de Âncora”.

Sobre o desempenho do Município, Laurinda Araújo disse: “de mãos dadas somos capazes de muito mais”.

Sobre o desempenho de Laurinda Araújo, Miguel Alves sublinhou: “foi graças ao trabalho, inteligência, perseverança e entusiasmo da Dr.ª Laurinda Araújo que os bombeiros de Vila Praia de Âncora recuperaram o seu esplendor, foi graças ao seu empenho que os bombeiros resolveram as trapalhadas do passado, saldaram contas e eliminaram processos judiciais, foi graças à sua visão que hoje estamos aqui a inaugurar este espaço tão emblemático da nossa comunidade”.

Sobre a remodelação de Cineteatro dos Bombeiros, o presidente da câmara lembrou: “há três anos tínhamos uma Associação Humanitária em crise e endividada – as boas gentes de Vila Praia de Âncora souberam unir-se para dar á Associação a honra e a vivência que merece neste centenário de serviço público. Há pouco mais de um ano atrás, tínhamos este espaço fechado, ao abandono, em degradação e tínhamos Vila Praia de Âncora sem um anfiteatro de qualidade que pudesse albergar grandes e diversos espetáculos culturais ao abrigo das intempéries – juntos soubemos encontrar as soluções para tornar o sonho deste renascimento numa realidade”.

Constança Urbano de Sousa felicitou os Bombeiros de Vila Praia de Âncora pela “excelência do trabalho operacional” que realizam e Laurinda Araújo pelo “trabalho de liderança”. Mas, enalteceu também a importância que a Câmara Municipal dá a esta instituição: “prova disso são os protocolos estabelecidos que constituem uma fonte de receita para assegurar a viabilidade económica desta associação”, disse.

A ministra deixou uma “palavra de agradecimento e confiança no futuro”, desejando a “continuação de todos estes êxitos operacionais e institucionais”.

Também Miguel Alves se dirigiu a todas os bombeiros, antigos, atuais e futuros: “são vocês que fazem a alma desta instituição. As horas que dedicam a esta causa, o tempo que retiram à família, as críticas injustas que tantas vezes ouvem, os impossíveis que fazem com os meios que têm, a tranquilidade que dão à nossa população, são exemplo maior do que deve ser serviço público. Cem anos fazem e cem vezes me apetece dizer obrigado, a cada um de vós, àqueles que já foram bombeiros, àqueles que ainda o são, aqueles cuja bravura já testemunhei em tantas situações difíceis que pude partilhar convosco. Vocês, na simplicidade da vossa dádiva, são um exemplo para mim enquanto Presidente de Câmara. Cada bombeiro, do comandante ao membro mais novo, cada bombeiro é parte de um corpo vivo que sustenta a segurança do nosso povo. A todos, alguns a quem já considero amigos, outros tantos anónimos que não procuram mais do que a sensação de dever cumprido, muito obrigado por cem anos de exemplo máximo de cidadania”.

inauguração cineteatro bombeiros vpa (3).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (4).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (5).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (6).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (7).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (8).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa (9).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa 1 (1).jpg

inauguração cineteatro bombeiros vpa 1 (2).jpg

CAMINHA VAI RECEBER O 2º ENCONTRO DE PROJETO ÚNICO NO MUNDO

2º Encontro Participativo do Orçamento Participativo de Portugal decorre quarta-feira, pelas 18 horas, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Caminha

Caminha vai receber o 2º Encontro Participativo do Orçamento Participativo de Portugal (OPP), um projeto único no mundo. A sessão conta com a presença da Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca,vai decorrer quarta-feira, dia 11 de janeiro, pelas 18 horas, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Caminha.  À semelhança do que acontece no Orçamento Participativo de Caminha, o Município convida a população a participar, a escolher e a votar nos projetos que quer ver desenvolvidos a nível territorial e nacional.

opp imagem.jpg

O Orçamento Participativo Portugal é um processo democrático, direto e universal, através do qual as pessoas decidem sobre investimentos públicos em diferentes áreas de governação. Através do OPP as pessoas podem decidir como investir 3 milhões de euros.

O OPP é deliberativo. São as pessoas que apresentam propostas de investimentos e de projetos que querem ver concretizados nas áreas da cultura, da ciência, da Educação e formação de adultos e da agricultura, no Continente e nas áreas da justiça e da administração interna, nas Regiões Autónomas.

O Governo está a promover os Encontros Participativos pelo país, sendo que o concelho de Caminha vai receber o segundo de Portugal.

Recorda-se que em matéria de Orçamento Participativo Caminha é um exemplo a nível mundial: “Aqui em Caminha como em nenhuma parte do mundo as pessoas escolhem o que fazer com o IRS que pagam e que fica no concelho. E têm escolhido bem: a rede Wifi ou 3G aqui na Serra d’Arga, o Cais da Rua em Caminha; a recuperação do Dólmen da Barrosa, entre outras propostas”, tem reiterado Miguel Alves.

Sobre a importância do Orçamento Participativo aquando da inauguração da rede wifi na Serra d’Arga, Graça Fonseca disse: “acreditamos muito no papel que os orçamentos participativos podem ter. Também o Governo lançou o OP a nível nacional que tal como em Caminha é único no mundo porque utiliza uma fatia do Orçamento de Estado. Os orçamentos participativos conseguem ligar as pessoas a algo concreto. É importante as pessoas envolverem-se, decidirem querer ter uma opinião, no dia em que deixarem de querer tudo pode mudar. Espero que o Orçamento Participativo de Caminha continue por muitos anos e que seja um bom parceiro do Orçamento Participativo de Portugal”.

O Encontro Participativo é uma sessão de debate presencial entre cidadãos para apresentação de propostas de âmbito nacional e regional. As propostas ao OPP são ideias concretas para projetos nas áreas acima descritas e que respondem à seguinte pergunta: “em que ideia ou projeto investiria o valor máximo de 200 mil euros nas áreas indicadas se a decisão fosse sua?”.

Podem participar todos os cidadãos nacionais com idade igual ou superior a 18 anos e todos os cidadãos estrangeiros a residir em Portugal.

O OPP integra grupos de propostas de âmbito territorial diferenciado, ao nível regional e ao nível nacional.

O OPP tem duas fases principais: a fase de apresentação de propostas, que vai decorrer até abril, e a fase de votação de projetos, que terá lugar entre junho e setembro.

Mais informações em https://www.opp.gov.pt/regras

PALANKALAMAABRE PROGRAMAÇÃO DO VALADARES, TEATRO MUNICIPAL DE CAMINHA

Concerto terá lugar dia 21 de janeiro, pelas 22H00

Em 2017 a programação do Valadares, Teatro Municipal vai ser de elevada qualidade. Da música ao teatro, são muitos os espetáculos que vão passar pelo palco deste espaço cultural. O quarteto portuense Palankalama vai abrir a programação de 2017, no dia 21 de janeiro, pelas 22H00. Em fevereiro os destaques são: “Cordes Out” de Rui Sinel de Cordes, “O último a rir é o que ri melhor” e o Baile do Assalto.

palankalama.jpg

 

Palankalama é um quarteto dedicado à música instrumental. As suas composições baseiam-se na música tradicional/folk de diversas regiões e imaginários. Cada música é uma procura de um cenário onde se desenvolve um argumento. Recorrendo à energia do rock, a narrativa é traçada pelos quatro elementos da banda, numa busca de lugares de "ficção”.

Em palco estarão: Pedro João (bandolim, cavaquinho, guitarra); José Ricardo Nogueira(guitarra); AnibalBeirão (contrabaixo) e Rui Guerreiro (bateria, percussão). 

No Valadares vai ser possível ouvir músicas como Esmeralda, Grafite, A Sina da Vaca, Baile Psicológico, O Génio da Morte, entre muitas outras.

O preço do bilhete é 3 euros e estão disponíveis nas lojas de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora e no próprio dia no local do espetáculo.

Rui Sinel de Cordes para ver em fevereiro

Rui Sinel de Cordes está de regresso ao Valadares no dia 10 de fevereiro, pelas 22H00, com o espetáculo “Cordes, Out!".

“Cordes, Out” é o novo solo de stand-upcomedy de Rui Sinel de Cordes, o quinto e último em Portugal, antes de levar o seu humor para o Reino Unido.Out fala da vida, dos sonhos, mas acima de tudo da morte - ou pelo menos do Inferno que atravessamos até lá chegar.Neste momento isto não parece um espetáculo muito engraçado, mas estamos a falar de Sinel de Cordes, um especialista em transformar tragédias em gargalhadas. Afinal, cada exibição de "Cordes, Out!" será uma festa de despedida e de festas percebe ele”.

Os bilhetes custam 12 euros e já se encontram à venda em https://ticketline.sapo.pt/evento/cordes-out-17010 e nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora.

No dia 24 de fevereiro, os alunos da expressão dramática da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha vão apresentar a Farsa de Mestre Pathelin “O último a rir é o que ri melhor”, com tradução de Mário Barradas e adaptação de Fernando Borlido.

Em fevereiro, o Valadares fecha com o afamado Baile do Assalto, um baile que marcou gerações e continua a ser uma das atrações da programação de Carnaval. São muitos os foliões caminhenses e de outras cidades da região norte que não dispensam o afamado Baile.

O Baile do Assalto é organizado pelos Comerciantes de Caminha e conta com o apoio da Câmara Municipal.

CAMINHA E PONTAULT-COMBAULT PROMOVEM CONCURSO DE FOTOGRAFIA

Concurso dirige-se a amadores de fotografia dos municípios de Caminha e Pontault-Combault e termina a 15 de março

Os Municípios de Caminha e Pontault-Combault, cidade francesa geminada com a vila de Caminha, e a Associação Portuguesa Cultural e Social (A.P.C.S.) estão a promover o concurso de fotografia “Olhar sobre a minha cidade, natureza humana e urbana”. O objetivo é destacar momentos, ruas, aspetos da natureza, de ambos os locais. O concurso termina a 15 de março e podem concorrer amadores de fotografia de ambos os municípios. O concurso tem duas etapas: serão selecionadas 30 fotografias, que estarão em exposição nas duas localidades e selecionadas as quatro melhores fotografias entre as 30, a quem serão atribuídos três prémios: júri, público e especial jovem.

concurso de fotografia Caminha.jpg

Caminha é geminada com a cidade francesa de Pontault-Combault desde 1978. O Protocolo de Amizade foi assinado em França, sob a égide da "Federação Mundial das Cidades Geminadas - Cidades Unidas" que promove os laços de amizade entre os dois países, em especial entre as populações das duas vilas. A geminação tem como objetivo o desenvolvimento das relações de âmbito cultural, turístico, social e económico.

O concurso de fotografia “Olhar sobre a minha cidade, natureza humana e urbana” divide-se em duas etapas. Numa primeira etapa, o júri composto por elementos das duas localidades selecionará 30 fotografias. Numa segunda etapa serão escolhidas apenas quatro entre as 30 fotografias. Todas as fotografias selecionadas farão parte de uma exposição que estará patente nas duas localidades em datas ainda a designar.

Este concurso dirige-se a todos os amadores de fotografia dos municípios de Caminha e de Pontault-Combault.  Cada participante poderá enviar até três fotografias, a cor ou a preto e branco, com ou sem efeito, em formato JPEG, com indicação do apelido e nome do autor, numerados de 1 a 3 e com título da fotografia e o concorrente deverá preencher e assinar o formulário de inscrição. As candidaturas poderão ser remetidas por correio eletrónico paraconcoursphotopontault@gmail.comou através da página na rede social Facebookhttps://www.facebook.com/Concours-PhotosPontaultCaminha, por mensagem privada. O prazo termina a 15 de março.

Serão atribuídos os prémios do júri, do público e especial jovem. O prémio do júri será o respetivo júri do concurso a escolher; o prémio do público será o público que visitar as exposições a selecionar mediante um boletim do voto e o prémio especial jovem será atribuído a um cidadão com idade inferior a 18 anos.

Os resultados serão publicados na página da internet ConcoursPhotographies, no portal da cidade de Pontault-Combault em http://www.pontault-combault.fr.

Consultar regulamento especifico em www.cm-caminha.pt

INAUGURAÇÃO DA REMODELAÇÃO DO CINETEATRO DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA TERÁ LUGAR SÁBADO

Sessão solene conta com a presença da ministra da Administração Interna

Os Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora estão a celebrar o centenário da Associação Humanitária. As comemorações já começaram no dia 1 de janeiro e terminam sábado com a inauguração da remodelação do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários, encerrado há muitos anos, e que contará com a presença da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa. O Cineteatro será inaugurado pelas 16H15. O centenário será ainda marcado pelo concerto de António Zambujo, cujo valor da bilheteira reverte para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

3M1A5454.jpg

As comemorações do centenário dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora começaram no passado domingo com a formatura geral e hastear das bandeiras; desfile de viaturas pelo Vale do Âncora; missa solene em sufrágio dos bombeiros, sócios e beneméritos falecidos e bênção das viaturas. No sábado, dia 7 de janeiro as comorações continuam. Da parte da manhã, vão decorrer a formatura geral e hastear das bandeiras; e a inauguração do monumento ao bombeiro voluntário. Da parte da tarde, depois da formatura geral do corpo de bombeiros, terão lugar as entregas de divisas de promoção de 3ª a 2ª classe e 1ª a subchefe e de condecorações aos elementos do corpo de bombeiros. Pelas 16H15, decorrerá o tão esperado momento, a bênção e inauguração da remodelação do Cineteatro, seguida da sessão solene comemorativa do centenário. O dia termina com o concerto de António Zambujo, pelas 22H00, cujos bilhetes esgotaram nos dois primeiros dias. A bilheteira deste espetáculo promovido pela Autarquia Caminhense reverte a favor do Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora. 

Recorda-se que o Cineteatro estava encerrado há mais de uma década. No dia 4 de novembro de 2015, fruto de um novo relacionamento entre o Município e a Associação Humanitária dos Bombeiros dos Voluntários de Vila Praia de Âncora, cuja direção desenvolve um trabalho excelente, que permitiu ultrapassar situações de grande aflição financeira, em que a continuidade dos serviços da corporação chegou a estar em causa, foi possível iniciar formalmente as obras no Cineteatro.

A renovada sala tem capacidade para 200 pessoas, sendo integrada num complexo com novos camarins, novas instalações sanitárias, condições de conforto e de segurança.

A Câmara Municipal assume, a partir deste mês de janeiro, a gestão cultural do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora. O protocolo entre o Município e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora para a utilização do equipamento foi aprovado na última reunião de câmara e assegura também uma verba mensal, que permitirá à Associação garantir o pagamento das obrigações assumidas com as obras.

O Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora abre assim com chave de ouro, com o concerto de António Zambujo, mas a programação não fica por aqui.

Nos dias 14 e 15 de janeiro, terá lugar a exibição do filme “A Um Mar de Distância”, de Pedro Magano. Sobre o filme lê-se: “Ninguém sabe quantos portugueses morreram na Pesca do Bacalhau durante o Estado Novo. Sepultados no mar, ou em terras longínquas, como a Terra Nova ou a Gronelândia, esses homens foram deixados para trás, esquecidos pelo país que glorificava, durante a Ditadura, o papel deles no Regresso de Portugal ao Mar. Contar as suas histórias, retirá-las do anonimato, é a nossa forma de os resgatarmos de volta a casa”. A entrada é gratuita.

Nos dias 28 e 29 de janeiro, será exibido o filme“Sleepless: Nos limites da Lei”, de BaranboOdar, 2017, EUA (M/12).

Nos dias 11 e 12 de fevereiro, será exibido o filme “Aqui Há Gato”, de BarrySonnenfeld, 2017, França/China (M/12).

Nos dias 25 e 16 de fevereiro, será exibido o filme “50 Sombras Mais Escuras”,James Foley, 2017, EUA (M/17+).

As sessões de sábado terão lugar às 21H30 e as de domingo às 15H00. O preço do bilhete é de 3€ e estãodisponíveis para venda nos Postos de Turismo de Caminha e de Vila Praia de Âncora, na sede dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e, nos dias de exibição, no Cineteatro.

Programa sábado:

08H00

Formatura geral e hastear das bandeiras

09H00

Inauguração do monumento ao Bombeiro Voluntário

15H15

Formatura geral do Corpo de bombeiros

15H30

Receção às entidades e convidados

15H45

Entrega de divisas de promoção de 3ª a 2ª classe e 1ª a subchefe

Entrega de condecorações aos elementos do corpo de bombeiros

16H15

Bênção e inauguração da remodelação do Cineteatro da Associação Humanitária dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora

Homenagem póstuma ao comandante e presidente de direção Francisco Presa

Participação do Orfeão de Vila Praia de Âncora

16H45

Sessão Solene Comemorativa do Centenário

Atribuição de condecorações ao comandante e à Associação Humanitária

22H00

Concerto Solidário de António Zambujo

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CAMINHA REÚNE EM SESSÃO EXTRAORDINÁRIA SEXTA-FEIRA

Em causa está a apreciação da proposta de revisão do Plano Diretor Municipal de Caminha (PDM)

A Assembleia Municipal de Caminha vai reunir em sessão extraordinária na próxima sexta-feira, dia 6 de janeiro, pelas 21H00, no Valadares, Teatro Municipal de Caminha. À semelhança das sessões ordinárias, esta sessão pode ser acompanhada em direto, online, através do sítio do município e nas redes sociais a ele associadas.

Da ordem de trabalhos faz parte um único ponto, a aprovação da Proposta de Revisão do Plano Diretor Municipal de Caminha (PDM), já aprovado em reunião de câmara a 21 de dezembro de 2016.

Com 21 anos, o anterior PDM, que agora se encontra suspenso, estava completamente ultrapassado e desadequado. Por imperativo legal, deveria ter sido revisto há mais de 10 anos, mas o processo só viria a iniciar-se em 2006, nunca tendo o anterior Executivo chegado ao fim da revisão. Este Executivo assumiu o processo de revisão como uma prioridade, constituiu uma equipa de técnicos interna, coordenada pelo vice-presidente, Guilherme Lagido, e lançou mãos à obra.Em três anos foi possível completar um processo que se arrastava desde 2006, deixando o concelho sem uma estratégia em matéria territorial.

Conforme disse o presidente da Câmara em reunião de câmara:“o novo PDM resulta de um debate transparente e participativo, de um trabalho realizado sem recursos externos nem a avenças milionárias, como aconteceu antes. Foi possível desenhar um território que, sendo sustentado no turismo, valoriza a paisagem, a qualidade de vida e os espaços públicos cuidados”.

O novo texto prepara o concelho para um crescimento substancial, sem comprometer as condições que garantem a qualidade de vida e a sustentabilidade do território de Caminha. Trata-se de um documento equilibrado, que defende a paisagem e as pessoas, potencia o turismo e a economia e permite o crescimento populacional, estando preparado para acomodar um aumento da ordem das 10 mil pessoas ao longo da próxima década.

SONHO DOS PESCADORES DE CAMINHA VAI TORNAR-SE REALIDADE!

APROVADA REQUALIFICAÇÃO E REVITALIZAÇÃO DA FRENTE RIBEIRINHA DE CAMINHA - CAIS DOS PESCADORES NO VALOR DE QUASE 900 MIL EUROS

A requalificação do Cais da Rua em Caminha vai tornar-se uma realidade. A Polis Litoral Norte acaba de ver aprovada a candidatura Requalificação e Revitalização da Frente Ribeirinha de Caminha - Cais dos Pescadores, um investimento de 881.178,32 €, financiado pelo Programa Operacional Mar 2020 em 75%.

ImagemPasseio_Dia_1.jpg

A Reparação do Cais da Rua e Colocação de Guindaste para embarcações em Caminha foi uma das quatro propostas vencedoras do 1º Orçamento Participativo de Caminha, que vai ser agora concretizada de uma forma muito mais abrangente.

Esta é uma reivindicação antiga dos pescadores de Caminha a que a Câmara Municipal entendeu dar seguimento. “O ano começa da melhor forma para Caminha. Há décadas que a marginal de Caminha não tem uma intervenção de fôlego; há décadas que os pescadores reclamam a melhoria das suas condições de trabalho. Finalmente vamos conseguir. Esta é uma vitória de toda a comunidade mas é, sobretudo, uma vitória dos pescadores que se mobilizaram para participar na elaboração do projeto do novo cais com a Câmara Municipal, a Junta de Freguesia, a Polis Litoral Norte e a Capitania de Caminha, em primeiro lugar, e depois através da votação no Orçamento Participativo de Caminha que permitiu encontrar uma primeira verba para podermos avançar com as obras. No concelho de Caminha o paradigma de intervenção mudou: agora os resultados não se ficam pelas imagens do powerpoint, agora os resultados são concretos e servem o interesse das pessoas. Esta será uma das grandes obras de Caminha em 2017”, refere Miguel Alves.

A Reparação do Cais da Rua e Colocação de Guindaste para embarcações em Caminha era um projeto avaliado em 35 mil euros e previa a reabilitação estrutural e a melhoria das condições de utilização do Cais da Rua, bem como a instalação de um guindaste para elevação de embarcações. Foi uma das intervenções selecionada e colocada em votação, tendo sido também uma das escolhidas pelas pessoas que votaram no âmbito do Orçamento Participativo.

Contudo, o executivo camarário considerou que os pescadores de Caminha mereciam mais e avançou com o projeto agora aprovado no âmbito da Polis Litoral Norte, apesar de considerar que a intervenção no âmbito do Orçamento Participativo seria já de si o início de uma obra de grande importância. Recorde-se que por ocasião da apresentação do resultado do Orçamento Participativo de Caminha, Miguel Alves referiu-se às condições do atual cais e lamentou: “ao longo dos últimos 40, 50 anos, ninguém interveio no Cais da Rua. Fez-se muito pouco para ajudar a comunidade piscatória”.

Sobre o que era, nessa altura, uma proposta muito menos ambiciosa, o presidente não escondeu o otimismo e sublinhou que o Município estava empenhado em fazer mais pela comunidade piscatória: “esta proposta está a ser avaliada noutro contexto. Estamos a trabalhar na remodelação total do Cais da Rua, um investimento que ultrapassa os 800 mil euros. O projeto já foi elaborado e aprovado e já o candidatamos. Se tudo correr bem, dentro de dois, três meses, teremos uma candidatura aprovada para fazer um novo Cais de Rua para os pescadores”, o que agora veio a acontecer.

Refira-se também que o projeto foi executado em 2015, em colaboração com o Comandante do Porto de Caminha e com a Associação dos Pescadores do Rio e Mar.

Esta intervenção tem como objetivos: o aumento da área do “plateau” do cais de forma a possibilitar, não só uma maior arrumação de embarcações em seco (para atividades de manutenção/reparação) como o incremento da capacidade de manuseamento de aprestos de pesca; a melhoria das condições de uso da rampa-varadouro; o incremento da capacidade de atracação, nas devidas condições de segurança, e uma maior aproximação do cais ao canal de navegação (onde os fundos batimétricos são mais favoráveis, principalmente para embarcações de maiores dimensões); e uma perspetiva de funcionamento e indissociável convivência com a população local e turistas, consentânea com a nova e moderna Marginal de Caminha que no futuro próximo se pretende tornar realidade.

Cais_PlanoGeral.jpg

Cais_PlantaProposta.jpg

PlanoGeral.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA EXECUTA TRABALHOS DE PREVENÇÃO DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS NA ENVOLVENTE AO MOSTEIRO DE SÃO JOÃO D’ARGA

Município submeteu candidatura ao POSEUR para a instalação de Redes de Defesa da Floresta Contra Incêndios, um investimento que ultrapassa o meio milhão de euros

A Câmara Municipal de Caminha está a executar trabalhos de limpeza e corte de vegetação na envolvente do Mosteiro de São João d’Arga. O objetivo é desenvolver ações de prevenção da floresta contra incêndios no inverno, de modo a minimizar os efeitos dos possíveis incêndios florestais no verão. Este é também o período indicado para os cidadãos efetuarem as limpezas das faixas de proteção contra incêndios em redor das edificações.

limpeza vegetação Mosteiro S Joao D Arga (2).jpg

Estes trabalhos estão a ser realizados pela Equipa Municipal de Proteção Florestal, constituída por 4 elementos no âmbito de uma candidatura efetuada pelo Município ao Programa Social para as Florestas do IEFP. A sua atividade centra-se na execução de silvicultura preventiva, podendo, no entanto, desempenhar ações de vigilância florestal nos períodos de alerta e apoiar, em caso de necessidade, ações de rescaldo e vigilância pós incêndio.

Para além da proteção do edificado, esta ação de limpeza e corte de vegetação visa criar uma faixa de proteção para a Romaria de São João d’Arga que se realiza em pleno mês de agosto, ou seja, durante o Período Crítico, altura em que este tipo de trabalhos é condicionado ou até mesmo proibido se o risco meteorológico de incêndio for elevado.

No âmbito da prevenção da floresta contra incêndios, o Município de Caminha submeteu uma candidatura ao POSEUR que visa a instalação de Redes de Defesa da Floresta Contra Incêndios. Trata-se de um investimento de 577 098,92 €, financiado a 85% pelo FEDER. Com esta operação pretende-se executar rede de faixas gestão de combustíveis - primária e secundária - planeadas em sede de PMDFCI, com uma abrangência municipal com vista à minimização dos efeitos da passagem dos incêndios florestais. Esta operação tem como objetivos: aumentar a resiliência do território florestal ao risco de incêndio florestal; a diminuição da área percorrida por grandes incêndios florestais; criar oportunidades de apoio ao combate a eventuais incêndios florestais; a alteração do regime de fogo do concelho e ainda a recuperação silvo pastoril do território, que se reveste de enorme importância para as populações de montanha.

limpeza vegetação Mosteiro S Joao D Arga (4).jpg

CAMINHA PREPARA-SE PARA UM GRANDE RÉVEILLON COM MARTA REN & THE GROOVELVETS

Praça Conselheiro Silva Torres: em Caminha, onde o Norte passa o Ano

O concerto de Marta Ren&TheGroovelvets é este ano a atração principal do grande réveillon em Caminha. Como é habitual, esperam-se milhares de pessoas na Praça central da Vila para festejar a chegada do novo ano. Pelo palco vai passar também o grupo de covers Xornas e a noite continua depois na Rua Direita. O cartaz honra a tradição, que faz do concelho roteiro obrigatório nesta época, porque é em Caminha, onde o Norte passa o Ano.

Passagem de ano 2015-2016.jpg

Não é preciso comprar bilhete nem esperar na fila. É só vir até cá e desfrutar da festa que já está a ser preparada no Terreiro. Marta Ren, que acaba de chegar de mais uma digressão pela Europa, está em alta e teve em 2016 um ano de enorme sucesso. “Pare, olhe, escute - estamos diante de um dos álbuns do ano – boom”, escrevia há dias o Dirty Rock Magazine, a propósito do novo trabalho.

Marta Ren, ex-vocalista dos Sloppy Joe e dos Bombazines, dizia este mês ao Porto 24, a propósito das atuações fora do país: “têm sido uma surpresa, embora saiba que o disco (Stop, Look, Listen) foi distribuído no mundo inteiro e particularmente na Europa. Como não vivo nesses países às vezes não tenho noção desse alcance e acaba por ser estranho (no bom sentido) ver que as pessoas compram bilhetes para o espetáculo e conheçam as músicas, cantem as letras, façam quilómetros para assistir ao concerto e no final comprem o vinil autografado. A aceitação não poderia estar a ser melhor”.

E as perspetivas para o novo ano são também as melhores: “Temos uma tournée europeia já confirmada, com passagem pelo Eurosonic, na Holanda, em janeiro, e depois 15 espetáculos só em França, o que naturalmente me deixa com muita expectativa. Mas posso adiantar que até julho vou andar pela Europa toda em digressão e espero que nos intervalos volte muitas vezes a Portugal para tocar cá e receber o calor dos portugueses”.

Assim, está quase a terminar mais uma grande temporada de animação preparada pelo Município de Caminha. São 40 dias, 40 atividades, num trabalho de cooperação que envolve 16 instituições e que é direcionadopara todos os públicos: crianças, jovens e adultos, com o objetivo de fazer de Caminha uma das rotas turísticas de fim de ano e dinamizar a economia local. Se puder passe ainda por Lanhelas amanhã à noitepara assistir ao Presépio Vivo e Auto de Natal.

Entretanto, até ao final do ano ainda decorre a Rota da Rabanada: desde Vila Praia de Âncora a Seixas, passando por Âncora, Vile, Caminha, Gondar e Vilarelho, há 36 rabanadas diferentes para degustar nos cafés, pastelarias e restaurantes aderentes do concelho, isto é, cada um dos estabelecimentos aderentes terá à venda diariamente a sua especialidade. Como referimos, existem 36 especialidades de rabanada (rabanada de mel, de nozes, recheada, de Vinho do Porto e recheio de chila, de leite, entre muitas outras especialidades). Para incentivar o consumo da rabanada, o Município de Caminha elaborou o chamado “Passaporte Rota da Rabanada” com os diversos estabelecimentos aderentes, e a cada 10 carimbos, dará direito a uma oferta do Município de Caminha, a levantar nos Postos de Turismo do concelho.

Marta.jpg

CÂMARA DE CAMINHA ESTÁ A INTERVIR NO POLO DE CAMINHADA ACADEMIA FERNANDES FÃO

Vereador Guilherme Lagido Domingos esteve no local para acompanhar os trabalhos

A Câmara Municipal de Caminha está a ampliar as instalações do Polo de Caminha da Academia Fernandes Fão.A intervenção passa pela ocupação do piso térreo da ala esquerda da antiga escola primária de Caminha, desativado e em avançado estado de degradação e, consequente reorganização funcional. O vereador Guilherme Lagido Domingos esteve no local para acompanhar o desenrolar da obra.

3M1A8251.jpg

Esta ampliação surge na sequência do aumento de alunos inscritos na Academia no presente ano letivo e consequente resposta às diretrizes da Direção Regional da Educação do Norte e normativos de funcionamento de utilização de uma escola de música, nomeadamente no que concerne às áreas regulamentares, condições acústicas, ventilação e iluminação natural.

No âmbito desta ampliação, a escola vai ser complementada com três salas de instrumento e duas de formação musical; o acesso vai ser deslocalizado para a entrada original do edifício, arrastando consigo a receção/administração, a sala de professores e, ainda a travessia de peões, uma vez que a atual não responde aos critérios de segurança que se exigem.

Os trabalhos estão a ser realizados pelos funcionários do município. Esta intervenção engloba: a demolição de paredes interiores em alvenaria e tetos de madeira e tabique; a remoção de revestimentos cerâmicos; o tamponamento de infraestruturas existentes; o tapamento de vãos; a execução de paredes e tetos em gesso cartonado, com aplicação de lã de rocha; a reparação e adaptação de portas e contras de madeira existentes; a regularização de pavimentos; a aplicação de pavimento flutuante; a execução de rodapés de madeira; a instalação de  antecâmara em vidro; a pintura de todas as paredes interiores tetos e carpintarias; a execução de rede elétrica e telecomunicações e a aparelhagem associada e a aplicação de luminárias.

3M1A8226.jpg

3M1A8233.jpg

ESTADO COLOCA FORTE DA ÍNSUA A CONCURSO PARA FINS TURÍSTICOS

Estado lança programa Revive para dar nova vida a património sem utilização ou degradado 

O Forte da Ínsua, ao largo de Moledo, é um dos imóveis do Estado que vaiser colocado em concurso para ser convertido num projeto turístico, no âmbito do programa Revive. Esta é uma boa notícia para o concelho e o presidente da Câmara considera que “estão reunidas as condições para, dentro das regras definidas e com respeito pelo passado monumental do Forte da Ínsua, darmos a oportunidade aos investidores para resgatarmos um património que é um emblema do concelho de Caminha”.

Forte da Insua.jpg

Conforme foi anunciado, o Estado vai integrar no programa Revive um total de 30 edifícios, entre mosteiros, fortes, antigos quartéis ou conventos que, sem utilização, têm sido condenados ao abandono, encontrando-se alguns mesmo em estado de ruína.

“Desde há algum tempo que temos vindo a insistir para a necessidade de darmos projeção ao Forte da Ínsua através da sua conservação e, sobretudo, do seu aproveitamento. Infelizmente, nos últimos anos, aquele monumento tem sido votado a um certo esquecimento que só é combatido pela população e pelos turistas que, de vez em quando, se deslocam até lá para conhecer o forte, pescar ou descansar serenamente na ilha deserta”, refere Miguel Alves.

O presidente da Câmara de Caminha considera ainda que “hoje temos condições para aproveitar melhor aquela monumentalidade, sobretudo no quadro de um concelho apostado no turismo e na preservação do património e especialmente quando estamos a candidatar o estuário do rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. O Ministério da Economia foi sensível a esta reivindicação e a Senhora Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, teve sempre o cuidado de falar comigo ao longo do percurso que nos trouxe até aqui”.

O projeto “Revive” é uma iniciativa conjunta dos Ministérios da Economia, da Cultura e das Finanças, que abre o património ao investimento privado para desenvolvimento de projetos turísticos.

Forte da Ínsua é um monumento nacional construído entre 1649 e 1652 e encontra-se numa pequena ilha rochosa, na foz do Rio Minho, perto da costa.

CÂMARA DE CAMINHA CONCLUI PDM E VAI AVANÇAR COM OS PLANOS DE PORMENOR

Documento será apreciado pela Assembleia Municipal

O Executivo aprovou ontem o envio à Assembleia Municipal do novo PDM de Caminha. Em três anos foi possível completar um processo que se arrastava desde 2006, deixando o concelho sem uma estratégia em matéria territorial. O documento é equilibrado, defende a paisagem e as pessoas, potencia o turismo e a economia e permite o crescimento populacional, estando preparado para acomodar um aumento da ordem das 10 mil pessoas ao longo da próxima década.

Com 21 anos, o anterior PDM, que agora se encontra suspenso, estava completamente ultrapassado e desadequado. Por imperativo legal, deveria ter sido revisto há mais de 10 anos, mas o processo só viria a iniciar-se em 2006, nunca tendo o anterior Executivo chegado ao fim da revisão. 

Este Executivo assumiu o processo de revisão como uma prioridade, constituiu uma equipa de técnicos interna, coordenada pelo vice-presidente, Guilherme Lagido, e lançou mãos à obra.

O processo fica marcado por uma intensa participação, que foi bastante além do que a lei obriga. Para não perder mais tempo, e equipa assumiu várias as opções feitas anteriormente, designadamente em matéria de REN.

Conforme sublinha Miguel Alves, o novo PDM resulta de um debate transparente e participativo, de um trabalho realizado sem recursos externos nem a avenças milionárias, como aconteceu antes. Foi possível desenhar um território que, sendo sustentado no turismo, valoriza a paisagem, a qualidade de vida e os espaços públicos cuidados.

Segundo revelou Guilherme Lagido, durante a fase de debate, entre as reclamações recebidas, apenas 2 por cento são provenientes de cidadãos do concelho. Essas reclamações foram analisadas, tendo sido atendidas cerca de 42 por cento. 

O novo texto prepara o concelho para um crescimento substancial, sem comprometer as condições que garantem a qualidade de vida e a sustentabilidade do território de Caminha.

Como também explicou o vice-presidente da Câmara, o território de Caminha é fortemente condicionado em termos de áreas que são reserva em matéria ambiental. No entanto, foi possível preparar a parte urbana para um crescimento substancial. Este não é um crescimento expectável, mas o que importa considerar é que o território não se apresenta estrangulado nessa matéria.

A demora no processo de revisão trouxe também novos condicionalismos, fruto de legislação recente, a que esta equipa teve de submeter o PDM. Acabou por exemplo a “área urbanizável”, passando apenas a existir solos urbanos e rústicos, sendo as exigências, no primeiro caso, bastante restritivas. Refira-se, a título de exemplo, que a lei faz depender o solo urbano da existência cumulativa de várias condições, entre elas as redes de água, saneamento, elétrica, de comunicações e de transportes públicos.

O documento vai agora ser submetido à apreciação e votação da Assembleia Municipal, mas a equipa vai manter-se e trabalhar, a partir de agora, nos planos de pormenor, sabendo-se já que o primeiro a elaborar vai abranger a área entre o campo do Ancorense e a Zona Industrial da Gelfa.

CÂMARA ASSUME GESTÃO CULTURAL DO CINETEATRO DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Renda mensal permitirá à Associação Humanitária pagar compromissos assumidos com as obras

A Câmara Municipal assume, a partir do próximo mês de janeiro, a gestão culturaldo Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora. O protocolo entre o Município e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora para a utilização do equipamento foi ontem aprovado e assegura também uma verba mensal, que permitirá à Associação garantir o pagamento das obrigações assumidas com as obras.

Cineteatro dos Bombeiros de Vila Praia de Âncora1.jpg

O excelente entendimento entre o Município e a Associação Humanitária permitiu mais uma vez chegar a bom porto. O objetivo principal do protocolo é a cedência de utilização do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora ao Município de Caminha, para que possam ser realizadas atividades sociais e culturais, e ao mesmo tempo apoiar a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora no que concerne à manutenção do referido equipamento.

“Esta proposta é fundamental para a sustentação financeira dos Bombeiros, para suporte do pagamento das obrigações assumidas com a reabilitação do Cineteatro e para fomento da programação cultural em Vila Praia de Âncora e no concelho de Caminha”, defende Miguel Alves.

Nos termos do documento, a Câmara assume a gestão cultural, o que implica a definição da linha programática, contratação, divulgação, promoção e procedimentos em geral. A Câmara responsabiliza-se também pelo pagamento de todas as despesas relativas a energia, água, limpeza, manutenção e recursos humanos, pagando ainda à Associação Humanitária, mensalmente, a quantia de mil euros.

O protocolo tem a duração de dez anos, com início em janeiro de 2017, sendo automaticamente renovável se as partes assim o entenderem.

A recuperação deste equipamento, no qual a Câmara e a Associação de Bombeiros se envolveram em conjunto, em franca cooperação, dará um novo fôlego à cultura de Vila Praia de Âncora. Há também uma componente emocional, de ligação da população ao seu Cineteatro, ao mesmo tempo que fica colmatada uma lacuna, porque a Vila terá agora um espaço coberto, moderno, com todas as condições para receber eventos, em qualquer altura do ano.

“A Câmara reconhece a excelência do trabalho da direção do Bombeiros de Vila Praia de Âncora e, neste contexto, resolvemos as dividas e as trapalhadas do passado, subscrevemos um protocolo com a Associação que permite estabilizar a receita dos Bombeiros (de Vila Praia de Âncora e de Caminha)”, diz o presidente da Câmara.

Depois de cerca de duas décadas encerrado, o Cine Teatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora abre as suas portas, completamente remodelado, no próximo dia 7 de janeiro. A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, estará presente na sessão solene. À noite, o palco recebe um grande espetáculo. António Zambujo será o protagonista de um concerto solidário, cujo valor da bilheteira, esgotada nos dois primeiros dias de venda dos bilhetes, reverte para a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora.

ANCORENSES QUEREM HOMENAGEAR JOAQUIM BARREIROS, PAI DO CANTOR QUIM BARREIROS

Com 97 anos de idade, Joaquim de Matos Fernandes Barreiros, pai do popular músico e cantor Quim Barreiros, é uma figura de referência de Vila Praia de Âncora e do concelho de Caminha.

15622112_1456298567730786_619857538791129408_n.jpg

Desde os tempos do Conjunto Alegria e da participação em vários ranchos folclóricos, muitos são os ancorenses que recordam os alegres momentos proporcionados por Joaquim Barreiros, animando muitas festas e bailaricos da nossa região.

O seu filho, Quim Barreiros, recorda-nos esses tempos no seu site oficial: “desde muito pequenino que eu acompanhava o meu pai nos ranchos folclóricos em que ele tocava, em Afife, que é a terra de Pedro Homem de Mello, grande poeta e grande conhecedores das tradições musicais da região. Em todas as festas que o Pedro Homem de Mello fazia, no Convento de Cabanas, que era a casa dele, era o meu pai que animava a festa. E aí o meu pai tocava os viras, as chulas, os malhões, toda aquela música antiga que me ficou registada, como eu costumo dizer, no meu computador, na memória. Em criança, a fazer companhia ao meu pai, e depois já a tocar com ele, percorríamos também todas as grandes festas das redondezas: a Senhora de Agonia de Viana do Castelo, as festas de S. Bartolomeu, de Ponte da Barca, de Ponte de Lima, a romaria de S. João d’Arga, etc. E era nestas festas que se juntavam os tocadores de concertina, os cantadores ao desafio, e eu fui metendo isso tudo na minha cabeça”.

Em Vila Praia de Âncora, velhos amigos e admiradores têm nos últimos tempos manifestado por diversas formas a vontade de lhe prestar a sua homenagem, gesto a que certamente o próprio município caminhense não ficará alheio. E, o BLOGUE DO MINHO terá o maior prazer em registar essa iniciativa.

Foto: Humberto Mongiardim Costa

CÂMARA DE CAMINHA E HERDEIROS DO DR. DIONÍSIO MARQUES CHEGAM A ACORDO PARA PAGAMENTO DE MAIS DE MEIO MILHÃO DE EUROS

Em causa sentença judicial transitada em julgado em 2012. Valor acresce à intervenção realizada no prédio no ano passado que custou mais de 100 mil euros

O presidente da Câmara, Miguel Alves, chegou a acordo com os herdeiros do dr. Dionísio Marques para pagamento de mais de meio milhão de euros, relativos a uma sentença judicial transitada em julgado em 2012. O Supremo Tribunal de Justiça tinha obrigado o Município a realizar de pesadas obras no prédio e ao pagamento de uma indemnização, sentença que nunca foi cumprida. Em causa está o arrendamento de um prédio na Travessa do Tribunal, em Caminha, que o Executivo anterior se recusou a entregar ao proprietário nas condições estabelecidas em contrato. 

caso Dionísio.jpg

 

O acordo, que prevê o pagamento de mais de meio milhão de euros em três prestações, foi celebrado entre a Câmara e João Gabriel Neiva Marques, na qualidade de cabeça de casal na herança ainda ilíquida e aberta por óbito de seus pais, Maria Júlia Sousa Neiva Marques, falecida em 17 de julho de 2014, e de António Dionísio Marques, falecido no dia 13 de maio deste ano.

“Agradeço aos herdeiros do dr. dionísio Marques a lucidez de compreendem a situação financeira da Câmara que não permite o pagamento, de uma só vez, de mais de 500 mil euros a que fomos condenados. Sei que os munícipes compreendem o esforço que vimos fazendo e a prioridade que damos à resolução desta herança negra que tolhe o futuro do concelho”, sublinha Miguel Alves.

Recorde-se que Município entregou no Tribunal Judicial de Caminha, no final do mês de março último, as chaves do edifício, que tinha sido arrendado em 1999 para instalação provisória de serviços municipais. Ao não restituir o prédio, em 2005, nos termos fixados no contrato, o anterior Executivo envolveu a Câmara num longo litígio judicial que culminou com o Supremo Tribunal de Justiça, em 2012, a obrigar a Câmara a executar pesadas obras e ao pagamento de todas as rendas vencidas e respetivos juros, num total que vai além dos 600 mil euros.

“Este é mais um exemplo da pesada herança que recebemos dos últimos anos: faturas não registadas, procedimentos nunca efetuados, empréstimos por pagar, acordos de pagamento de dívidas de água e sentenças judiciais que teimam em não acabar. Este legado cai em cima da Câmara Municipal mas, sobretudo, cai em cima de todos os munícipes que deixam de ter obra para podermos pagar o que devemos”, explica o presidente da Câmara.

“Nos últimos anos temos vindo a resolver todas estas trapalhadas pagando o que devemos e diminuindo a dívida à banca em cerca de 21%. No caso desta dívida que resulta de sentença judicial, é sabido que fizemos as obras no imóvel que pertencia ao dr. Dionísio Marques num esforço financeiro de 102.199,31 € (mais IVA). Agora, chegamos a acordo com a família para pagar mais de meio milhão de euros em três prestações pondo fim a um litígio que não aproveita ninguém”, conclui Miguel Alves.

Após tomar posse e confrontado com uma sentença já transitada em julgado desde 2012 e portanto sem possibilidade de recurso há quase um ano, Miguel Alves contatou o proprietário do prédio, para encontrar uma solução e retirar o Município de uma situação de incumprimento da sentença confirmada pelo Supremo Tribunal de Justiça, atitude que constitui por si só crime.

Entretanto realizaram-se as obras, uma vez que o proprietário exigiu o cumprimento do estipulado na sentença. O prédio, fechado durante cerca de uma década, apresentava-se bastante degradado, obrigando a grandes reparações, para além das adaptações à situação original.

casa.jpg

SERRA D’ARGA JÁ ESTÁ LIGADA AO MUNDO

Decisão das pessoas através do Orçamento Participativo trouxe rede 3G e Wifi gratuito para todos

A população do concelho de Caminha votou, escolheu, e a Câmara concretizou a sua vontade. O projeto “Rede Wifi para as freguesias das Argas (Baixo, Cima e S. João) e Dem”, um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo 2015, foi inaugurado ontem. “Hoje há uma novidade. E essa novidade é um toque. É um som que não se ouvia na Serra d’Arga. A partir de agora pode-se ouvir este toque porque aqui há finalmente rede móvel e Wifi. Este é um grande empreendimento que decidimos prosseguir no âmbito do Orçamento Participativo. Começamos em Arga de Baixo onde já é possível falar com as pessoas e temos a expectativa de que até ao final do mês de janeiro teremos esta rede em Arga de Cima e Arga de São João, e logo a seguir em Dem.”, sublinhou Miguel Alves.

inauguração rede 3G wifi Arga Baixo (1).jpg

A Serra d’Arga está agora ligada ao mundo com rede móvel 3G e Wifi, a Internet gratuita para todos. Este momento foi assinalado com a presença de Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha; Graça Fonseca, Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa; Ventura Cunha, presidente da Freguesia de Arga, e Pedro Gingeira, diretor de Estratégia e Comunicação Externa da Vodafone Portugal, e muitos populares que quiseram juntar ao momento.

A rede móvel 3G e Wifipara as freguesias das Argas e Dem é um projeto orçado em 40 mil euros e envolve a criação de rede Internet para todos na área da União de Freguesia de Arga e Dem através da implementação de rede Wifi gratuita para toda a população. Foi um dos quatro projetos vencedores do primeiro Orçamento Participativo de Caminha, realizado no ano passado.

A população, assim como os visitantes, fica agora ligada à Internet, em boas condições, o que inclui o acesso Wifi, mas também uma melhor cobertura que permite não só navegar na rede como realizar chamadas de voz em sítios onde isso antes não era possível.

Ventura Cunha realçou também a importância deste projeto para a população da Serra e para quem a visita: “Hoje estamos aqui para inaugurar arede móvel 3G e Wifi. A população das freguesias da Serra D’Arga, assim como quem nos visita, fica agora com ligação à internet, em boas condições, incluindo o acesso Wifi, com melhor cobertura permitindo não só navegar na rede como realizar chamadas de voz em sítios onde anteriormente não era possível.É uma importante melhoria para todos os que aqui vivem e para todos os que nos visitam, colocando uma nova abertura nas comunicações, combatendo desta forma o isolamento”.

O autarca realçou que Caminha é um exemplo a nível mundial: “esta é uma obra que nasceu por vontade das pessoas. Esta é uma nova forma de fazer política e esta é uma nova forma de fazer politica no concelho de Caminha. Agora as pessoas também decidem que querem para a sua terra e aqui na Serra d’Arga decidiram e decidiram bem. Aqui em Caminha como em nenhuma parte do mundo as pessoas escolhem o que fazer com o IRS que pagam e que fica no concelho. E têm escolhido bem: a rede Wifi ou 3G aqui na Serra d’Arga, o Cais da Rua em Caminha; a recuperação do Dólmen da Barrosa, entre outras propostas.”

Miguel Alves realçou o papel do Município enquanto Município participativo, aberto à população: “o concelho de Caminha nos últimos três anos conseguiu construir uma política de cidadania e de participação que nos orgulha. Criámos as reuniões públicas descentralizadas; criámos a figura do Provedor do Munícipe que faz a intermediação direta entre a população e a Câmara Municipal; criámos a transmissão online das Assembleias Municipais, com uma média de 500 visualizações, o que evidencia que a população deCaminha segue o debate politico; escolhemos através de votação popular grandes projetos para a nossa terra, como o mercado municipal e fomentámos o debate sobre as questões transversais, como foi o caso do PDM que está quase no seu término e que chega a reunião de câmara depois de o termos aberto a discussão à população”.

Graça Fonseca felicitou o presidente de câmara por “trazer para o Município de Caminha o Orçamento Participativo e não só, as várias iniciativas de participação. Revela uma enorme coragem, mas também revela a compreensão de que se nós envolvermos as pessoas naquilo que acontece, isso significa melhorar o território, porque em geral as pessoas são muito inteligentes nas escolhas que fazem”.

Sobre a importância do Orçamento Participativo, a governante acrescentou: “acreditamos muito no papel que os orçamentos participativos podem ter. Também o Governo lançou o OP a nível nacional que tal como em Caminha é único no mundo porque utiliza uma fatia do Orçamento de Estado. Os orçamentos participativos  conseguem ligar as pessoas a algo concreto. É importante as pessoas envolverem-se, decidirem querer ter uma opinião, no dia em que deixarem de querer tudo pode mudar. Espero que o Orçamento Participativo de Caminha continue por muitos anos e que seja um bom parceiro do Orçamento Participativo de Portugal”.

O autarca enalteceu as potencialidades da Serra d’Arga, muitas vezes esquecidas: “eu sou daqueles que acredita que temos aqui uma imensa valia, um imenso valor, que devemos colocar ao serviço do concelho e da região. A Serra d’Arga já me vai conhecendo e sabe que aquilo que eu digo às pessoas da Serra cumpro”. Miguel Alves deu como exemplo a recuperação do Mosteiro da Serra d’Arga, “que ninguém queria reabilitar e nós reabilitamos”; a colocação da eletricidade no Mosteiro; a cedência da sede ao Rancho Folclórico e a pintura da Estrada que liga a Serra d’Arga a Ponte de Lima.

inauguração rede 3G wifi Arga Baixo (2).jpg

inauguração rede 3G wifi Arga Baixo (3).jpg

inauguração rede 3G wifi Arga Baixo (4).jpg

IP REALIZA SONDAGENS DE PROSPEÇÃO NA TRAVESSA DO TEATRO COM VISTA À CONSTRUÇÃO DA PASSAGEM INFERIOR PEDONAL

Protocolo entre a Câmara e a empresa votado amanhã pelo Executivo

A Infraestruturas de Portugal (IP) está a realizar sondagens de prospeção na Travessa do Teatro, em Vila Praia de Âncora com vista à preparação do projeto para construção da passagem inferior pedonal. A travessia, assim como os trabalhos em curso, está a ser coordenada com o Município, e estão previstos no protocolo que a administração da IP já sancionou e cuja aprovação vai ser proposta por Miguel Alves, amanhã, ao Executivo. 

Sondagens de prospeção na Travessa do Teatro (1).jpg

As ações já no terreno consistem da realização de duas sondagens de prospeção, de caráter geológico-geotécnico na zona da estação de Vila Praia de Âncora no âmbito do estudo da nova passagem pedonal.

Para minimizar os inconvenientes para a população e moradores, a sonda apenas ocupa parte do passeio, de um dos lados da via férrea, e uma rua de acesso a garagens do outro lado.

O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves,iniciou as negociações com a então REFER, diálogo que seria prosseguido com a IP, que resultou da fusão entre a Rede Ferroviária Nacional – REFER, E.P.E. (REFER, E.P.E.) com a EP - Estradas de Portugal, S.A. (EP, S.A.).

A negociação passou por várias fases, tendo chegado a bom porto,coma empresa a assumir a realização do projeto e da empreitada, sempre em coordenação e colaboração com a Câmara, enquanto o Município, na fase de exploração, assegurará a conservação e manutenção da passagem inferior pedonal, nos termos do protocolo.

Conforme foi noticiado pela imprensa, em 2013 o então Governo abandonou o projeto para a Linha do Minho, não reservando para as obras os 47 milhões de euros previstos, e inscrevendo apenas uma verba residualde cinco milhões, que não permitia qualquer intervenção.

O atual Governo recuperou o projeto e antecipou mesmo para 2017 a modernização do troço entre Viana do Castelo e Valença da linha do Minho face a igual compromisso de Espanha, o que deu novo alento às negociações.

A redefinição de prioridades permitiu ao Município de Caminha insistir e defender junto da tutela a importância da passagem inferior pedonal para Vila Praia de âncora e para o concelho. Conforme explicou na altura o presidente da Câmara, “o mais difícil foi remendar as asneiras do passado. No mandato anterior, como é público, a autarquia entendeu seguir uma política de confrontação com a REFER e cometeu o disparate de cortar relações institucionais com a empresa. Como prometido, reatámos essa relação tentando consolidar uma relação de confiança. Explicámos à IP que as pessoas e o comércio de Vila Praia de Âncora não podiam pagar pelos erros do passado, explicámos ao Governo que as obras de modernização da Linha do Minho seriam uma excelente oportunidade para avançar com este investimento.

Discretamente, “enquanto alguns se entretinham a repetir que a obra era impossível e que a Câmara faltava a verdade, entendemos que devíamos seguir o nosso caminho, negociar e encontrar uma solução. Ela cá está: a obra será feita no âmbito da eletrificação da Linha do Minho e não vai custar um cêntimo aos cofres depauperados do Município. Uma grande vitória de Vila Praia de Âncora, sobretudo de todos os que não desistiram”, conclui o presidente.

Sondagens de prospeção na Travessa do Teatro (2).jpg

CAMINHA CONCLUI PROPOSTA DE REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL

Documento será votado em reunião do Executivo

A proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) vai estar em cima da mesa na próxima reunião do Executivo, que decorrerá esta quarta-feira, dia 21 de dezembro, pelas 15h00, no edifício dos Paços do Concelho. O presidente da Câmara vai propor aprovar a submissão do documento à Assembleia Municipal, dando-se assim um passo decisivo para que o território de Caminha possa ter finalmente um instrumento de planeamento adequado e ajustado à realidade e que virá substituir um PDM “velho”, com mais de duas décadas, que devia ter sido revisto há 11 anos.

O PDM é, como referimos um instrumento de planeamento /ordenamento territorial de natureza regulamentar, verdadeiramente estratégico, que vincula a administração e os particulares, cuja elaboração é obrigatória e da responsabilidade do Município. No documento define-se um modelo de organização espacial do território municipal.

Recorde-se que o PDM de Caminha estavaem revisão desde fevereiro de 2006, tendo este Executivo assumido o assunto como uma prioridade, estabelecendo-se que a conclusão da revisão do PDM seria um dos objetivos a cumprir ainda neste mandato.

O atual PDM, aprovado em 1995, com 21 anos, está desajustado da realidade, com graves lacunas técnicas e politicamente desajustado dos tempos presentes. O processo de revisão foi desenvolvido em diálogo com as freguesias, tendo a Câmara promovido reuniões com todas as Juntas de Freguesia, ao longo de vários meses. Foram ainda realizadas duas sessões de esclarecimento no âmbito do processo, em Caminha e Vila Praia de Âncora, durante a fase de discussão pública. Nestas sessões, abertas ao público, participou toda a equipa técnica que tomou parte na elaboração do PDM e que foi coordenada pelo vice-presidente do Município, Guilherme Lagido, que esteve também presente nos dois momentos.

A proposta do Plano Diretor Municipal cria todas as condições para que o concelho possa crescer, até de forma substancial, mas sem comprometer os requisitos que garantem a qualidade de vida e a sustentabilidade do território de Caminha.A Câmara optou por uma equipa técnica interna, coordenada pelo vice-presidente, Guilherme Lagido, profundo conhecedor deste tipo de processos.

Na reunião de quarta-feira integrarão ainda a ordem de trabalhos três importantes protocolos: Protocolo de cooperação entre as Infraestruturas de Portugal, S.A. e o Município de Caminha para a construção de passagem inferior pedonal na Travessa do Teatro em Vila Praia de Âncora;Protocolo entre a Câmara Municipal de Caminha e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora para a utilização do Cineteatro dos Bombeiros Voluntários de Vila Praia de Âncora e Protocolo de cooperação entre o Município de Caminha e a Autoridade Tributária e Aduaneira para a definição dos termos e amplitude da cooperação no âmbito da liquidação e arrecadação dos tributos cujo produto constitua receita própria das autarquias.

O Executivo vai ainda pronunciar-se sobre a proposta de avaliação do desempenho para o biénio 2017/2018 – objetivos estratégicos para o ano 2017 e de concurso público para arrendamento de um espaço destinado à instalação de um estabelecimento comercial – loja número 3 – sito nas Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora, entre outros assuntos.

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA INAUGURA REDE MÓVEL 3G E WIFI NA SERRA D’ARGA

Projeto do Orçamento Participativo 2015 põe fim ao isolamento comunicacional de muitos caminhenses

A dotação das freguesias da Serra d’Arga com rede móvel 3G e Wifi, a Internet gratuita para todos, foi um dos projetos vencedores do Orçamento Participativo 2015. As pessoas votaram, escolheram, e a Câmara concretizou a sua vontade. O projeto “Rede Wifi para as freguesias das Argas (Baixo, Cima e S.João) e Dem” é uma realidade e esta vitória da participaçãocidadã vai ser assinalada segunda-feira, dia 19 de dezembro, com a presença deGraça Fonseca, Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa. O ponto de encontro, marcado para as 15h00, é o CISA – Centro de Interpretação da Serra D’Arga, em Arga de Baixo.

Graça Fonseca.jpg

A rede móvel 3G e Wifipara as freguesias das Argas e Dem é um projeto orçado em 40 mil euros e envolve a criação de rede Internet para todos na área da União de Freguesia de Arga e Dem através da implementação de rede Wifi gratuita para toda a população. Foi um dos quatro projetos vencedores do primeiro Orçamento Participativo de Caminha, realizado no ano passado.

As populações das quatro freguesias, assim como os visitantes, ficam agora ligados à Internet, em boas condições, o que inclui o acesso Wifi, mas também uma melhor cobertura que permite não só navegar na rede como realizar chamadas de voz em sítios onde isso antes não era possível.

É uma importante melhoria para as freguesias da serra, que acaba com o isolamento em termos de comunicações, abrindo, em simultâneo,novas possibilidades, e que vai ser testemunhada por Graça Fonseca, Secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa.

No primeiro Orçamento participativo, foram vencedores ainda os projetos de recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa (Vila Praia de Âncora), obra iniciada esta semana, assim como a adaptação do Centro Cultural de Gondar para Unidade de Apoio Domiciliário (Gondar) e a Reparação do Cais da Rua e Colocação de Guindaste para embarcações (Caminha).

O Orçamento Participativo de Caminha assenta num modelo de participação inovador, através do qual os participantes/cidadãos apresentam propostas e decidem os projetos que consideram ser os mais prioritários. A verba contemplada no Orçamento Participativo corresponde ao valor de IRS que os munícipes do concelho pagam, ou seja, em Caminha são as pessoas que decidem o que querem que o Município faça com o seu dinheiro.

Serra D'Arga.jpg

O CONCELHO DE CAMINHA OFERECE PROGRAMAÇÃO DIVERSIFICADA NO FIM-DE-SEMANA

Feira de Tradições de Natal; Conto de Natal, Oficina de construção de marioneta e fotografia com o Pai Natal nas praças das duas vilas; 3ª Caminhada do Pai Natal; Passeio de Pai Natal em bicicleta, corrida e caminhada são algumas das possibilidades

capa desporto.jpg

Feira de Tradições de Natal; Conto de Natal, Oficina de construção de marioneta e fotografia com o Pai Natal nas praças das duas vilas; 3ª Caminhada do Pai Natal; Passeio de Pai Natal em bicicleta, corrida e caminhada vão marcar a programação deste fim de semana no concelho de Caminha. Até ao início de 2017 são 40 dias, 40 atividades, num trabalho de cooperação que envolve 16 instituições.

Na verdade, são muitas as atividades que estão a decorrer no concelho de Caminha direcionadas a todos os públicos: crianças, jovens e adultos, com o objetivo de fazer de Caminha uma das rotas turísticas de fim de ano e dinamizar a economia local. Este fim de semana, a oferta é variada. Para além da programação de animação, no concelho de Caminha, desde Vila Praia de Âncora a Seixas, passando por Âncora, Vile, Caminha, Gondar e Vilarelho, há 36 rabanadas diferentes para degustar nos cafés, pastelarias e restaurantes aderentes do concelho, isto é, cada um dos estabelecimentos aderentes terá à venda diariamente a sua especialidade. Como referimos, existem 36 especialidades de rabanada (rabanada de mel, de nozes, recheada, de Vinho do Porto e recheio de chila, de leite, entre muitas outras especialidades). Para incentivar o consumo da rabanada, o Município de Caminha elaborou o chamado “Passaporte Rota da Rabanada” com os diversos estabelecimentos aderentes, e a cada 10 carimbos, dará direito a uma oferta do Município de Caminha, a levantar nos Postos de Turismo do concelho.

Feira de Tradições de Natal anima Vila Praia de Âncora nos dias 17 e 18

A Praça da República em Vila Praia de Âncora vai acolher a Feira de Tradições de Natal. Com uma procura cada vez maior, neste mercado de Natal vai encontrar tudo o que necessita para adoçar e decorar este Natal. Aqui, a oferta é variada. Esta edição conta com cerca de duas dezenas de expositores, com os mais variados tipos de artesanato: brinquedos em madeira, artigos de decoração de Natal, artigos em feltro, bijuteria em latão e cobre, artigos de decoração têxtil lar, entre outros. A gastronomia que carateriza esta quadra também estará bem representada através das compotas e dos licores, dos queijos, da cerveja artesanal e dos doces. O mercado pode ser visitado entre as 9H00 e as 17H00.

E, como o Natal é sobretudo para as crianças, no fim de semana, nas praças de Caminha e Vila Praia de Âncora os mais novos vão poder assistir ao Conto de Natal, participar na oficina de construção de marioneta e ainda tirar uma fotografia com o Pai Natal. Assim, em Caminha a animação vai decorrer no dia 17, das 10H00 às 12H00 e, no dia 18, das 15H00 às 17H00. Em Vila Praia de Âncora, no dia 17, das 15H00 às 17H00 e, no dia 18, das 10H00 às 12H00.

Pai Natal sai à rua no dia 18

No domingo é dia do Pai Natal sair à rua. Da parte da manhã vai decorrer o Passeio de Pai Natal em bicicleta, corrida e caminhada. A concentração está marcada para as 10H00, na Praça da República, em Vila Praia de Âncora. O passeia começa na Praça da República e passa no Posto de Turismo, atravessa as ecovias de Vila Praia de Âncora, Moledo e Foz do Minho, passa pela Marginal de Caminha e termina no Terreiro em Caminha. Esta iniciativa é da responsabilidade da Associação Triatlo de Caminha e Desnível Positivo e conta com o apoio da Câmara Municipal de Caminha, Freguesia Caminha e Vilarelho; Freguesia Moledo e Cristelo e Freguesia de Vila Praia de Âncora.

A partir das 14H30, vai decorrer a 3ª Caminhada do Pai Natal. Com concentração no Centro Social Paroquial de Moledo, o valor apurado com as inscrições vai reverter para a aquisição de um computador para o Benjamim -  Centro de Acolhimento Temporário de Crianças e Jovens. Esta caminhada solidária é organizada pelo Grupo de Jovens Alfa de Moledo e conta com o apoio do Município de Caminha.

ESCULTURA “MEMÓRIA AO REMADOR” EM CAMINHA VAI SER INAUGURADA AMANHÃ PELO MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Pelas 16h00, cerimónia insere-se nas comemorações dos 90 anos do Sporting Club Caminhense

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, participa amanhã, em Caminha, na inauguração do “Memorial ao Remador”, uma escultura que homenageia os remadorescaminhenses e que se insere nas comemorações dos 90 anos do Sporting Club Caminhense. Da autoria do escultor Damião Porto, a peça ficará no centro da rotunda da EN13, junto à marginal de Caminha, nas proximidades do Posto Náutico e do Parque Municipal 25 de Abril. Depois desta cerimónia decorrerá a sessão de entrega das faixas de campeão nacional aos atletas e dirigentes, nos Paços do Concelho.

SCC.jpg

O Município de Caminha associa-se às comemorações do 90º aniversário do clube, que nasceu a 14 de dezembro de 1926, tendo a sua primeira sede na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Com outras modalidades nos primeiros anos, o remo só foi introduzido em 1933, mas “as grandes glórias e emoções do Caminhense aconteceram efetivamente no remo, que fez com que o clube se descobrisse e trabalhasse com persistência para a conquista de novos sócios e admiradores”.

Amanhã, sexta-feira, a inauguração da escultura está marcada para as 16h00. Segundo o seu autor, “é constituída, tecnicamente, por duas grandes peças: o remo, como elemento primordial, e dois painéis que se estendem verticalmente e que pretendem representar os rios Minho e Coura; ambos ‘abraçam’ o remo e elevam as marcas da pá na água como testemunho do esforço do remador. Nestes painéis emergem diferentes imagens recortadas, sendo que na face frontal é visível o logotipo do Sporting Club Caminhense e na face posterior o símbolo do clube, um leão, com vista a representar o papel do clube no desenvolvimento, apoio e acompanhamento dos remadores”.

Damião Porto é um escultor caminhense. Residente em Moledo, abriu o seu primeiro atelier em 1994 e tem já uma vasta obra, representada em diversas coleções públicas e privadas. 

A entrega das faixas de campeão nacional está marcada para as 18h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

CONCERTOS DE NATAL ARRANCAM SEXTA-FEIRA NO CONCELHO DE CAMINHA COM O ORFEÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Igreja Paroquial de Moledo vai acolher primeiro concerto de Natal sexta-feira, dia 16, pelas 21H30

Os Concertos de Natal vão aquecer os fins de tarde e as noites frias dos próximos dias. Os concertos de Natal no concelho de Caminha arrancam sexta-feira, dia 16 de dezembro, na Igreja Paroquial de Moledo, com a atuação do Orfeão de Vila Praia de Âncora. Os concertos de Natal fazem parte da programação de Natal que está a decorrer no concelho e que até ao início de 2017 são 40 dias, 40 atividades e 16 instituições envolvidas.

Juntando a sua voz a todos aqueles que, ao redor do mundo, cantam ao nascimento do Deus Menino, o Orfeão de Vila Praia de Âncora, o Coro e Orquestra da Academia de Música Fernandes Fão e a Tuna da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha vão-nos presentear com canções tradicionais de vários países mostrando, assim, a beleza de cânticos que a época de Natal inspira os povos.

Os Concertos de Natal começam sexta-feira, na Igreja Paroquial de Moledo, pelas 21H30. Este concerto será protagonizado pelo Orfeão de Vila Praia de Âncora.

No dia 18, há mais um concerto de Natal. O Orfeão de Vila Praia de Âncora estará na Igreja da Misericórdia de Caminha, a partir das 18h30, para mais um espetáculo.

No dia 21, pelas 21H30, a Igreja de Santa Clara, em Caminha, seve de palco ao concerto da Tuna da Universidade Sénior do Rotary Clube de Caminha.

No dia 22, pelas 21H30, na Igreja Matriz de Caminha vai decorrer o Concerto de Natal da AMFF.

Os concertos de Natal encerram no dia 23 de dezembro, na Igreja Matriz de Vila Praia de Âncora com a atuação do Orfeão de Vila Praia de Âncora. o concerto vai decorrer pelas 21H30.

São muitas as atividades que estão a decorrer no concelho de Caminha direcionadas a todos os públicos: crianças, jovens e adultos, com o objetivo de fazer de Caminha uma das rotas turísticas de fim de ano e dinamizar a economia local. Este fim-de-semana, a oferta é variada: Feira de Tradições de Natal; Conto de Natal, Oficina de construção de marioneta e fotografia com o Pai Natal nas praças das duas vilas; 3ª Caminhada do Pai Natal; Passeio de Pai Natal em bicicleta, corrida e caminhada; Concerto de Natal do Orfeão de Vila Praia de Âncora na Igreja Misericórdia de Caminha.

 

01 A 31 DEZEMBRO

ROTA DA RABANADA

Local: Restaurantes, pastelarias e cafés aderentes do Concelho de Caminha

 

01 A 19 DEZEMBRO

O NATAL NA MINHA VIDA

A partilha do espirito de Natal através 

da rede social Facebook

Envio dos suportes  (fotografia original acompanhada de texto 

e música) para cultura@cm-caminha.pt

A partir de 20 de dezembro - Publicação do Álbum

Mais informações em www.cm-caminha.pt

 

14 E 19 DEZEMBRO | 18H00

WORKSHOP DE DOÇARIA TRADICIONALDE NATAL 

- RABANADAS E SONHOS

QUA 14 

Local: Sede da Junta de Freguesia de Lanhelas

 

SEG 19 

Local: Centro Paroquial e Social de Riba de Âncora

 

QUI 15 DEZEMBRO

PLANTE UM PINHEIRO DE NATAL

Público-alvo: Comunidade Escolar do Concelho de Caminha

Local:  Riba de Âncora

 

SEX 16 DEZEMBRO | 21H30 

CONCERTO DE NATAL 

ORFEÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Local: Igreja Paroquial de Moledo 

 

17 E 18 DEZEMBRO | 09H00 – 17H00

FEIRA DE TRADIÇÕES DE NATAL

ARTESANATO E PRODUTOS 

TRADICIONAIS LOCAIS

Local: Praça da República, Vila Praia de Âncora

 

17 E 18 DEZEMBRO

CONTO DE NATAL, OFICINA

DE CONSTRUÇÃO DE MARIONETA 

E FOTOGRAFIA COM O PAI NATAL

 

SÁB 17 

10H00 – 12H00 - Praça Conselheiro Silva Torres,Terreiro, Caminha

15H00 – 17H00 - Praça da República, Vila Praia de Âncora

 

DOM 18 

10H00 – 12H00 - Praça da República, Vila Praia de Âncora

15H00 – 17H00 - Praça Conselheiro Silva Torres , Terreiro, Caminha

 

DOM 18 DEZEMBRO | 10H00 PASSEIO DE PAI NATAL EM BICICLETA, 

CORRIDA E CAMINHADA

Concentração e partida: Praça da República em Vila Praia de Âncora e chegada ao Parque do Ferry Boat em Caminha.

 

DOM 18 DEZEMBRO | 14H30

3ª CAMINHADA DO PAI NATAL

MOLEDO > CAMINHA > MOLEDO

Local: Concentração no Centro Social Paroquial de Moledo

 

DOM 18 DEZEMBRO | 18H30

CONCERTO DE NATAL 

ORFEÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Local: Igreja da Misericórdia de Caminha

 

19 A 23 E 26 A 30 DEZEMBRO | 10H00 - 12H00

OFICINA DE TEATRO 

DE NATAL PARA CRIANÇAS

Local: Edifício dos Paços do Concelho, Caminha

Público-alvo: Crianças e jovens dos 6 aos 14 anos de idade

Mais informações: krisalida.acam@gmail.com 

T 960 115 415

 

QUA 21 DEZEMBRO | 21H30

CONCERTO DE NATAL DA TUNA DA UNIVERSIDADE SÉNIOR DO ROTARY 

CLUB DE CAMINHA 

Local: Igreja de Santa Clara, Caminha

 

QUI 22 DEZEMBRO | 21H30

CONCERTO DE NATAL DA AMFF

Local: Igreja Matriz de Caminha

 

SEX 23 DEZEMBRO | 21H30

CONCERTO DE NATAL 

ORFEÃO DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Local: Igreja Matriz de Vila Praia de Âncora

 

SÁB 24 DEZEMBRO | 10H00 - 12H00

FOTOGRAFIA COM O PAI NATAL

Local: Praça Conselheiro Silva Torres - Terreiro e Caminha e Praça da República, Vila Praia de Âncora

 

SEX 30 DEZEMBRO | 20H00 - 23H00 

PRESÉPIO VIVO E AUTO DE NATAL

Pelo Grupo de Teatro da Freguesia de Lanhelas 

Local: Lanhelas

 

SÁB 31 DEZEMBRO | 23H30

CAMINHA, 

ONDE O NORTE PASSA O ANO

CONCERTO DE MARTA REN 

& THE GROOVELVETS

ATUAÇÃO DO GRUPO DE COVERS XORNAS

Local: Praça Conselheiro Silva Torres - Terreiro, Caminha

 

DOM 01 JANEIRO | 17H00

CONCERTO DE ANO NOVO

SOCIEDADE MUSICAL BANDA LANHELENSE E CORAL POLIFÓNICO 

DE VILA NOVA DE CERVEIRA

Local: Valadares, Teatro Municipal - Caminha

 

08, 15, 22 E 29 DEZEMBRO | 21H30

FITAS DE NATAL

Local: Valadares, Teatro Municipal - Caminha

 

11 E 18 DEZEMBRO | 15H00

FITAS DE NATAL INFANTIS

Local: Valadares, Teatro Municipal - Caminha

MUNICÍPIO DE CAMINHA VAI DEVOLVER ESPAÇO ENVOLVENTE AO DÓLMEN DA BARROSAÀS PESSOAS

Primeira fase da recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa a realizar no âmbito do Orçamento Participativo de Caminha já começou

A recuperação do espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa a realizar no âmbito do Orçamento Participativo de Caminha já começou. Miguel Alves esteve esta manhã no local para acompanhar os trabalhos desta primeira fase da obra.

14.12.2016 - Visita obra Dólmen da Barrosa (2).jpg

“Este é o lançamento da primeira fase de uma obra de recuperação de todo o Dólmen da Barrosa e deste espaço fantástico que nós queremos colocar para usufruto das pessoas”, disse Miguel Alves, acrescentando que foi submetida uma candidatura para a criação de um núcleo museológico que projete o megalitismo no concelho. “Imagino por isso, dentro de poucos anos, o parque da Barrosa como um parque urbano de usufruto dos adultos e das crianças, um parque biológico onde se pode aprender muito sobre a flora, mas também uma alternativa à nossa praia. Será a partir daqui que vamos poder projetar o megalitismo no concelho de Caminha”, sublinhou.

14.12.2016 - Visita obra Dólmen da Barrosa (1).jpg

A visita ao espaço envolvente ao Dólmen da Barrosa em Vila Praia de Âncora, contou com a presença de Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha; Guilherme Lagido Domingos, vice-presidente da Câmara Municipal; Carlos Castro, presidente da Junta de Freguesia de Vila Praia de Âncora; Álvaro Meira, proponente da proposta, e dos técnicos responsáveis pela obra.

“Esta obra regenera urbanisticamente este parque, devolve este parque às pessoas, e vai criar condições de segurança para usufruto das crianças e dos adultos”, sublinhou Miguel Alves sobre a importância da obra.

Também Carlos Castro admitiu tratar-se de uma obra muito importante: “a requalificação desta zona envolvente do Dólmen da Barrosa é um sonho. E ainda bem que se concretiza porque vai ser uma zona muito bonita, vai ser uma zona de lazer e vai ser uma atratividade para Vila Praia de Âncora e para todos aqueles que nos visitam”.

O presidente da Câmara lembrou que esta é uma obra que “nasceu do Orçamento Participativo de Caminha”. Trata-se de uma intervenção no montante de 22.378,39 +IVA. Dos trabalhos fazem parte: o rebaixamento do muro existente no topo nascente para uma altura de 1,20m, bem como está prevista a sua reconstrução nas zonas em falta, com características idênticas ao existente; a demolição do muro atualmente existente no topo norte e reconstrução do mesmo com uma altura de 1,20m em toda a extensão. Já foram removidas as rampas de e vai ser demolida a respetiva base em betão.

Estes são os trabalhos que integram esta primeira fase. Quanto à segunda fase, Miguel Alves assegurou que já foi submetida uma candidatura ao Programa 2020 para a criação de um núcleo museológico que potencie o megalitismo de Vila Praia de Âncora e de todo o concelho de Caminha e que vai “potenciar a oferta turística que vila praia oferece”.

Miguel Alves sublinhou ainda “só foi possível fazer esta obra porque a Câmara Municipal de Caminha resolveu uma trapalhada de mais de 20 anos com a família e os herdeiros do Dólmen da Barrosa”. O autarca relembrou: “estes terrenos estavam em litigio judicial, a Câmara Municipal já pagou a primeira metade da indemnização e vai pagar até ao final de março de 2017 a outra tranche à família, de modo a que estes terrenos possam ser do município. Para já os terrenos ainda não são do município, mas já temos autorização para fazer esta obra aqui. É a resolução de mais uma trapalhada do passado que nos ajuda a construir o futuro”.

14.12.2016 - Visita obra Dólmen da Barrosa (3).jpg

14.12.2016 - Visita obra Dólmen da Barrosa (4).jpg

“PLANTE UM PINHEIRO DE NATAL” VAI ENVOLVER A PLANTAÇÃO DE 800 ÁRVORES E MAIS DE 500 ALUNOS DO CONCELHO DE CAMINHA

Iniciativa conjunta do Município de Caminha e Conselho Diretivo dos Baldios de Riba de Âncora

Mais de 500 alunos do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino público e privado do concelho vão plantar cercade 800 árvores autóctones amanhã, no Lugar de Vila Verde, nos Campadinhos de Vieiro, em Riba de Âncora, a partir das 9H30. “Plante um Pinheiro de Natal” é uma ação de sensibilização e reflorestação inserida na programação de Natal 2016 levada a cabo pelo Município de Caminha e pelo Conselho Diretivo dos Baldios da Freguesia de Riba de Âncora.

A freguesia de Riba de Âncora foi uma das mais fustigadas pelos incêndios do verão passado. Esta iniciativa tem como objetivo reflorestar o espaço ardido e sensibilizar as pessoas a não cortarem pinheiros para decoração de Natal.

O Município de Caminha convidou todas as escolas do pré-escolar e 1º ciclo do ensino público e privado do concelho para se juntarem a esta causa. O convite foi aceite. Em Riba de Âncora vão estar mais de 500 crianças para plantarem pinheiros mansos, sobreiros, teixos, medronheiros, aveleiras, carvalhos, castanheiros, liquidâmbar e ciprestes. As espécies em causa foram oferecidas pelo município.

A Câmara Municipal ainda vai assegurar o transporte das crianças.