Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RANCHO FOLCLÓRICO MARIA DA FONTE DA CASA DO MINHO DO RIO DE JANEIRO TEM JÁ 63 ANOS DE EXISTÊNCIA

O Rancho Folclórico Maria da Fonte é a alma da Casa do Minho do Rio de Janeiro

A comunidade minhota radicada no Brasil e em particular no Rio de Janeiro encontra-se de parabéns! – o Rancho Folclórico Maria da Fonte assinalou recentemente 63 anos de existência, levando as nossas tradições às terras de Vera Cruz e erguendo ali bem alto o estandarte do nosso regionalismo.

14264004_571527109699242_2798668932765304641_n

O Rancho Folclórico Maria da Fonte é um dos três ranchos folclóricos da Casa do Minho no Rio de Janeiro. Os demais são o Rancho dos Veteranos e o Rancho Juvenil Benjamim Pires. Com 63 anos de existência, o Rancho Maria da Fonte constitui um autêntico porta-estandarte da Casa do Minho e das tradições minhotas em terras do Brasil e, não raras as vezes, além-fronteiras.

25659617_803154353203182_7408296882034504685_n

Para além da exibição dos trajes e das danças e cantares da nossa região, o Rancho Maria da Fonte reconstitui habitualmente interessantes quadros etnográficos como a desfolhada do milho, as vindimas e a espadelada do linho, espetáculos bastante concorridos pela comunidade minhota do Rio de Janeiro.

26731175_1558691884209395_6725352727509928925_n

Acerca das origens do Rancho Folclórico Maria da Fonte, transcreve-se a sua própria descrição feita no site da Casa do Minho.

“Antônio Pedreira, natural de Valença, era um vascaíno doente e assistia a todos os jogos do Vasco em São Januário. Após o jogo jantava, junto com as filhas e alguns amigos em seu restaurante situado na Praça da Bandeira. Era proprietário também de uma loja de artigos elétricos na Rua Frei Caneca onde também trabalhavam sua duas filhas solteiras, Elza e Nilza. A Olívia, sua terceira filha era casada e ajudava seu marido em um pequeno negócio na zona norte do Rio. Não freqüentava a Casa do Minho. O Sr. Antonio Pedreira além de todas as suas atividades idealizou organizar um grupo de danças portuguesas. Foi divulgada a idéia e os candidatos a dançarinos foram aparecendo, moças e rapazes. As filhas do Sr. Pedreira, Elza e Nilza, com a colaboração de Suely, vizinha da Casa do Minho na Rua Conselheiro Josino, confeccionaram os trajes para as moças e também o estandarte para o grupo. Ensaiando há algumas semanas teve sua primeira exibição no dia 18 de dezembro de 1954, considerada data da fundação, durante as festividades em homenagem ao Conselho de Valença.

O sucesso foi muito comentado até pela imprensa. Por sugestão de Sra. Odete, esposa do então tesoureiro e grande benemérito Alberto Gonçalves Igreja, foi o grupo batizado com o nome de Maria da Fonte, em homenagem à heroína minhota. Embora de relativo agrado, o Maria da Fonte não representava fielmente o Minho nem nas músicas nem nas danças, pois se limitava a imitar as marchas de Lisboa. Em 1960 o Sr. Domingos da Costa e Silva viajou a Portugal e em Viana do castelo encomendou os fatos genuínos da região para as moças.

Para os rapazes foram mandados confeccionar os trajes seguindo o modelo dos grupos folclóricos da região de Viana. Foi um novo sucesso a apresentação dos trajes exibidos pelo Maria da Fonte. Mas algumas coisas ainda estavam faltando.

Foi quando compareceram à Casa do Minho, Benjamim Pires e Fernanda Enes Salgueiro, o casal oriundo de Carreço, componentes que foram do grupo Folclórico daquela freguesia de Viana do castelo. A partir de então, sob a orientação de Benjamim Pires e sua esposa, Sra. Fernanda, o Rancho Maria da Fonte não parou de crescer.

A fama do Rancho espalhou-se por todo o território brasileiro, transpôs fronteiras e por três vezes foi a Portugal mostrar o que os emigrantes plantaram nesta terra brasileira. Foi recebido por autoridades brasileiras e portuguesas e já representou Portugal em diversas solenidades.

Este Rancho era composto em quase sua totalidade por portugueses. Existia um casal, ele brasileiro, Odir, e ela espanhola, Josefina. Hoje, é composto por portugueses, brasileiros, filhos de portugueses que mantém a cultura daquela linda região mais viva do que nunca.

Gravou três discos com músicas do seu repertório. Atualmente seus trajes, suas danças e seus cantares são exclusivamente da região do Minho. O Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho é o mais fiel representante do folclore minhoto no Brasil”.

capture5

capture2

traje_domingar

capture3

espadelada19

mafonte1

capture1

capture4

capture6

“BRASIL MATA VIVA ” ENTRA NA EUROPA POR PAREDES DE COURA

projeto de desenvolvimento de soluções em sustentabilidade

4ª feira | 20 dez | 11h30

O presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vitor Paulo Pereira, convida o Órgão de Comunicação Social por si dirigido a fazer-se representar na apresentação do projeto ‘Brasil Mata Viva’, amanhã, 4ª feira, 20 de dezembro, pelas 11h30, no Centro de Educação e Interpretação Ambiental do Corno do Bico, em Chã de Lamas, Vascões.

Com o ‘Brasil Mata Viva’, Paredes de Coura torna-se a porta de entrada na Europa deste projeto de desenvolvimento de soluções em sustentabilidade, só possível por ser reconhecido a este município do Alto Minho as boas práticas e preocupações ambientais, bem como pelo facto de dispor do Plano de Paisagem das Terras de Coura que constitui o único projeto-piloto a nível nacional, na aplicação da Convenção Europeia da Paisagem ao nível municipal.

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE COMPANHIA TEATRAL DO BRASIL NOS PAÇOS DO CONCELHO

Presidente da Câmara recebeu Companhia brasileira no Salão Nobre

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, acompanhado do vice-presidente da Câmara, Dr. Mário Oliveira, e dos vereadores Dra. Carla Lousada e Eng. Pedro Sousa, recebeu ontem, dia 20 de novembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a Companhia brasileira Etc que está em digressão ao longo deste mês em Portugal e esta semana, mais concretamente, em Cabeceiras de Basto.

Companhia brasileira Etc surpreendeu na feira semanal (1)

A Cia. (Companhia) Etc. está no nosso concelho por intermédio do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto (CTCMCB) que acolhe os artistas brasileiros até à próxima sexta-feira, dia 24 de novembro.

Depois de dar as boas vindas ao grupo do Brasil, composto por sete pessoas, o presidente da Câmara desejou uma boa estadia, realçando a importância e impacto dos intercâmbios culturais na comunidade.

Por seu turno, os elementos da Companhia agradeceram a receção que tiveram em Cabeceiras de Basto, enaltecendo a aposta da Câmara Municipal na Cultura e mais concretamente na implementação e dinamização do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto no concelho.

Presidente da Câmara recebeu companhia brasileira no Salão Nobre

Companhia brasileira Etc surpreendeu cabeceirenses na feira semanal

Os cabeceirenses foram surpreendidos ontem de manhã, dia 20 de novembro, na feira semanal com a intervenção urbana ‘Involuntário’ protagonizada pela Companhia brasileira Etc que completa 17 anos de existência com uma digressão internacional, em Portugal, mais concretamente nos municípios de Coimbra, Braga, Cabeceiras de Basto e Lisboa, entre 10 e 30 de novembro. O grupo congrega dança, performance, mostra de videodanças e workshops nas suas apresentações.

Ontem o público cabeceirense assistiu à intervenção urbana ‘Involuntário’ criada para ser apresentada em espaços públicos abertos, e hoje poderá apreciar, às 17h30, o espetáculo ‘Os Superficiais’ na Praça da República. Amanhã, dia 22 de novembro, os cabeceirenses serão convidados a assistir a uma mostra de videodanças da companhia, especificamente de videodanças de Maxixe, Bokeh, Rebu e Dança Macabra.

Espetáculo ‘Os Superficiais’ decorre hoje na Praça da República

Dedica-se à investigação dos tipos de relações estabelecidas com o mundo pós-moderno marcado pela velocidade e superficialidade nas interações sociais, partindo das memórias pessoais de seus artistas criadores Elis Costa, José W Júnior, Marcelo Sena e Renata Vieira. Com direção de Marcelo Sena, o espetáculo inspira-se nas redes sociais virtuais para propor uma obra, um jogo ou uma brincadeira que aposta na tão recorrente exposição pessoal, na cópia compartilhada como original, na velocidade e volume da informação, na superficialidade do conteúdo, na interrupção das ação e na dificuldade de manter um só foco de atenção.

De salientar que o projeto Cia. Etc. descobrindo Portugal tem o incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura - FUNCULTURA, com a produção de Hudson Wlamir e conta com os apoios do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Teatrão, Mosaico - Plataforma de Projetos Inclusivos Artísticos e Educativos, Fundação Bracara Augusta e do Festival InShadow – Vídeo, Performance e Tecnologia, do qual a Cia. Etc. integra a programação do festival na cidade de Lisboa.

Companhia brasileira Etc surpreendeu na feira semanal (2)

Companhia brasileira Etc surpreendeu na feira semanal (3)

Companhia brasileira Etc surpreendeu na feira semanal (4)

SOCIEDADE DOS AMIGOS DA MARINHA DO BRASIL HOMENAGEIAM RICARDO RIO, PRESIDENTE DO MUNICÍPIO BRACARENSE

Aniversário SOAMAR Brasil. Quinta-feira, dia 2 de Novembro, pelas 14h00, no Theatro Circo, Braga

O Município de Braga realiza a cerimónia de aniversário da Sociedade dos Amigos da Marinha do Brasil (SOAMAR Brasil), que terá lugar Quinta-feira, dia 2 de Novembro, pelas 14h00, no Theatro Circo, em Braga.

 

Sociedade dos Amigos da Marinha do Brasil abriu delegação em Braga

 

Nesta cerimónia, a SOAMAR Brasil irá homenagear diversas personalidades, entre as quais, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, que será condecorado com a medalha ‘Amigo da Marinha’.

A sessão contará com a presença do contra-almirante Flávio Rocha, em representação do comandante da Marinha do Brasil. A Medalha ‘Amigo da Marinha’ foi criada em Agosto de 1966 para agraciar personalidades civis, sem vínculo funcional com a Marinha do Brasil, militares de outras forças, bem como instituições que se tenham distinguido no trabalho de divulgar a mentalidade marítima no relacionamento com a Marinha, na defesa dos interesses atinentes à Marinha e na divulgação da importância do mar para o país.

MUSEU DAS MIGRAÇÕES E DAS COMUNIDADES DE FAFE PARTICIPA EM SEMINÁRIO NO BRASIL

A Fundação Casa de Rui Barbosa do Ministério da Cultura do Brasil, o Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense e o Município de Fafe promovem um seminário sobre "O Brasileiro de Torna-Viagem e a Construção da Luso-brasilidade no Oitocentos", muito centrado nas memórias de Fafe. 

O evento realiza-se na segunda-feira, 23 de Outubro, na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro (Brasil).

Programa do seminário:

10h – Palestra:
O Brasileiro de Torna Viagem na sociedade portuguesa da segunda metade de Oitocentos – representações e realidades.
Profa. Dra. Isilda Monteiro (pesquisadora do CEPESE, professora da ESEPF, Portugal)

15h - Abertura da Exposição: 
Fafe dos "Brasileiros": heranças & memórias

16h - Mesa-redonda: Memória da Imigração
Me. Artur Coimbra (director do Museu das Migrações e das Comunidades, de Fafe)
Luíza Campos de Carvalho (curadora do Arquivo Albino O. Guimarães)
Dra. Ana Pessoa (pesquisadora da FCRB)
Mediadora: Profa. Dra. Ismênia Martins (PPGH-UFF) 

22365352_10212249248499292_561736377023716590_n

CANTORA MALLU MAGALHÃES ATUA EM FAMALICÃO

Cantora paulista estreia-se este sábado em palcos famalicenses. Mallu Magalhães apresenta “Vem” na Casa das Artes

Vila Nova de Famalicão é uma das primeiras cidades portuguesas escolhidas por Mallu Magalhães para a apresentação do seu quarto disco de originais – “Vem”. A cantora paulista tem concerto marcado na Casa das Artes este sábado, dia 7 de outubro, naquela que será a sua estreia em palcos famalicenses.

Mallu Magalhães

O disco, que já foi apresentado no Brasil, foi lançado em junho deste ano, conta com a produção de Marcelo Camelo e é já considerado pela crítica como “o mais brasileiro dos seus álbuns”.

Neste concerto Mallu Magalhães regressa ao formato de apresentação com banda e sobe ao palco acompanhada por 6 músicos, todos eles portugueses.  

Natural de São Paulo, Mallu Magalhães estreou-se em 2007, com 14 anos, quando lançou quatro músicas através da plataforma Myspace que lhe deram alguma exposição mediática. Lançou dois álbuns homónimos em 2008 e 2009, aos quais se seguiram "Pintanga" (2011) e agora "Vem".

Mais informações sobre o concerto no portal da Casa das Artes, em www.casadasartes.org.

BRASIL: CASA DO MINHO EM SÃO PAULO ORGANIZA "BACALHOADA"

16816_837867572931962_2442573503679707418_n

A Casa do Minho em São Paulo, no Brasil, leva a efeito uma “Bacalhoada Minhota”, a ter lugar na sua Sede Social, iniciativa que habitualmente junta várias centenas de pessoas.

A animação está a cargo do Rancho Folclórico Cantares e Dançares do Minho e da sua tocata.

As inscrições podem ser efectuadas directamente para a diretoria da Casa ou pelo telefone: 981 558 187 Jose Pisco ou 985 197 850 Armando.

12312179_872766036171452_685878946_n

CAMINHA ACOLHE X CONFERÊNCIA DE MINISTROS DA JUVENTUDE E DESPORTO DA CPLP

Representantes dos governos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste reunidos de 28 e 30 de julho

Caminha acolhe, na próxima semana,a X Conferência de Ministros da Juventude e Desporto da CPLP, recebendo os representantes dos governosde Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. O encontro terá lugar entre os dias 28 a 30.

Conferência CPLP.jpg

Na IXª Conferência, realizada na Ilha do Sal, em Cabo Verde, ficou acordado que a cimeira de 2017 teria lugar em Portugal e Caminha foi o concelho escolhido para receber este evento. Esta será, provavelmente, a mais importante cimeira setorial internacional realizada no concelho de Caminha, e que decorrerá no fim-de-semana em que aqui também ter lugar a Feira Medieval.

Na presidência desta Conferência estará oministro da Educação de Portugal, Tiago Brandão Rodrigues, que irá realizar a sessão de abertura.Esta conferência, decorre na sequência dos termos da Resolução 18/2016, de 17 de julho, em que os ministros participantes na IX Reunião acordaram, conforme referimos, realizar a próxima Reunião em 2017 e em Portugal.

A Conferência será uma oportunidade para apresentação e discussão de temas pertinentes e atuais comuns nas áreas da Juventude e do Desporto do espaço da CPLP.Entre os documentos estratégicos, serão analisados o relatório de atividade de 2016, o plano de atividades 2017/2018 e assuntos relativos aos Jogos Desportivos de 2018, bem como outros projetos estruturantes para o futuro da Conferência.

FOLKLOURES’17: MINHOTOS FAZEM DE LOURES CAPITAL DO FOLCLORE ÀS PORTAS DE LISBOA

Organização do Gupo Folclórico e Etnográfico Verde Minho – Minho com o apoio da Câmara Municipal de Loures

A edição deste ano do FolkLoures’17 – Encontro de Culturas culminou ontem com a realização no Parque da Cidade, em Loures, de um grandioso espectáculo da nossa cultura tradicional e das comunidades imigrantes que este ano marcaram a sua presença através de representações do Brasil e da Moldávia.

Capturar-vmolhosazuis.PNG

Uma nota digna de registo foi a participação do cante alentejano, através do Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba - Baixo Alentejo, um dos mais lídimos representantes desta forma de expressão folclórica que, de forma incompreensível, é frequentemente discriminada em relação aos espectáculos de danças, vulgo festivais de folklore.

Desde a cerimónia de recepção aos grupos convidados que teve lugar no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte onde se reúne a Assembleia Municipal de Loures, estiveram presentes o vereador da Câmara Municipal de Loures, Dr. António Guilherme e diversos membros de juntas de freguesia. Por seu turno, também a Federação do Folclore Português fez-se representar na pessoa do sr. Joaquim Pinto, Conselheiro Técnico da Região do Alto Minho.

Capturar-formaturageral.PNG

Após o desfile de grupos participantes, o espectáculo teve lugar em palco tendo como cenário a réplica da fachada das ruínas da Igreja de S. Paulo, em Macau, tendo beneficiado das excelentes condições atmosféricas que se fizeram sentir.

Perante a participação entusiasmada do numeroso público, participaram na edição deste ano do FolkLoures o Grupo de Bombos Os Baionenses; o grupo da Associação Tira-me da Rua (ATR) – Brasil; a Associatia Miorita Portugalia – Moldávia; Grupo Coral Os Ceifeiros de Cuba - Baixo Alentejo; Grupo Folclórico “O Cancioneiro de Ovar” – Beira Litoral; Grupo Etnográfico Danças e Cantares da Nazaré – Estremadura; Rancho da União Cultural e Folclórica da Bobadela – Estremadura / Região Saloia e, naturalmente, o anfitrião Gupo Folclórico e Etnográfico Verde Minho – Minho. O espectáculo encerrou com a realização de uma sessão de fogo-de-artifício que iluminou os céus no concelho de Loures.

Aos grupos e entidades participantes foram oferecidas peças de artesanato tradicional como lembranças, valorizando desse modo o trabalho artístico dos nossos artesãos. Refira-se que desde há algum tempo, o nosso artesanato tem sido preterido devido ao recurso a peças acrílicas e outras criações que nada têm a ver com o nosso folclore.

DSCF4251.JPG

A realização do FolkLoures’17 – Encontro de Culturas nos moldes em que está a ser efectuado, com o seu formato actual, está a projectar Loures como um palco privilegiado do folclore de Portugal e do Mundo, através de exposições, conferências e de um espectáculo que reúne o que de melhor existe na cultura tradicional do povo português e das comunidades imigrantes.

Entretanto, a organização do FolkLoures iniciou já os preparativos para a realização da edição de 2018, tendo inclusivamente já garantida uma representação de uma comunidade imigrante, esperando-se que o programa fique fechado até ao final deste ano.

CapturarCante.PNG

Para o próximo dia 9 de Setembro, o Grupo Folclórico e Etnográfico Verde Minho tem em preparação a realização na Quinta das Carrafouchas da Festa do Vinho, um espectáculo de cariz etnográfico que incluirá a pisa das uvas no lagar à moda antiga, ao som da concertina e ao ritmo do bombo. Trata-se de uma organização conjunta do Grupo Folclórico e Etnográfico Verde Minho e da Quinta das Carrafouchas, situada no concelho de Loures.

Esta é uma iniciativa inédita no âmbito do regionalismo e da divulgação do folclore na região de Lisboa e está já a despertar enorme curiosidade e interesse sobretudo por parte dos minhotos que ali vivem, mas também das gentes saloias daquela região.

DSCF4219.JPG

Os participantes vão poder experimentar a sensação única da prensagem da uva com os pés, tal como outrora se fazia em todos os lagares da nossa região. A pisa das uvas constitui uma tradição milenar que se perde nos tempos com vista ao seu esmagamento a fim de dar início ao processo de fermentação.

Com os pés se esmaga as uvas e quebra a casca sem, no entanto, quebrar as sementes, método que sendo mais demorado do que o recurso à prensa, proporciona um maior contacto com a casca e, consequentemente, a possibilidade de extrair mais cor, aromas e sabores, conferindo aos vinhos assim produzidos uma qualidade superior.

A Quinta das Carrafouchas onde vai ter lugar a Festa do Vinho situada em A-das-Lebres, Freguesia de Santo Antão do Tojal. O solar é um dos exemplares do período Barroco existentes no Concelho de Loures. Foi em 8 de Abril de 1872 comprada ao Marquês de Valada por Joaquim Franco Cannas, permanecendo na família até aos dias de hoje.

DSCF4272.JPG

Capturar-capoeira.PNG

DSCF4131.JPG

DSCF4135.JPG

DSCF4137.JPG

DSCF4174.JPG

DSCF4185.JPG

DSCF4187.JPG

DSCF4189.JPG

DSCF4191.JPG

DSCF4192.JPG

DSCF4202.JPG

DSCF4204.JPG

DSCF4206.JPG

DSCF4208.JPG

DSCF4219 (1).JPG

DSCF4221.JPG

DSCF4231.JPG

DSCF4234.JPG

DSCF4235.JPG

DSCF4236.JPG

DSCF4238.JPG

DSCF4241.JPG

DSCF4242.JPG

DSCF4243.JPG

DSCF4249.JPG

DSCF4250.JPG

DSCF4253.JPG

DSCF4272 (1).JPG

DSCF4276.JPG

DSCF4281.JPG

DSCF4304.JPG

DSCF4305.JPG

DSCF4309.JPG

DSCF4318.JPG

DSCF4321.JPG

DSCF4328.JPG

DSCF4337.JPG

DSCF4402.JPG

DSCF4417.JPG

DSCF4448.JPG

DSCF4452.JPG

DSCF4457.JPG

DSCF4458.JPG

DSCF4464.JPG

DSCF4468.JPG

CapturarM1.PNG

DSCF4484.JPG

PREFEITO DE VITÓRIA (BRASIL) VISITA BRAGA

Braga e Vitória assinam acordo de cooperação para partilha de conhecimentos e práticas

O Prefeito de Vitória, Luciano Rezende, visitou Braga esta Sexta-feira para conhecer melhor algumas instituições da cidade e iniciar uma relação de colaboração com o Município de Braga. Esta visita terminou com a assinatura, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, de um acordo de cooperação entre os dois Municípios, onde está prevista a partilha de conhecimentos e práticas, além de outros projectos em comum.

prefvit (1).jpg

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, este acordo vem dar seguimento ao desejo de ambas as Cidades em promoverem relações de cooperação e amizade. “Braga e vitória partilham muitos valores sociais, culturais e políticos, pelo que estão reunidas as condições para que se estabeleça uma relação de amizade profícua em diferentes áreas, como no desenvolvimento económico e empreendedorismo, na investigação e inovação, no desporto, na cultura e no ambiente”, referiu.

Durante a manhã, Luciano Rezende teve a oportunidade de conhecer mais aprofundadamente o funcionamento da Startup Braga, o projecto de empreendedorismo e inovação bracarense que é já uma referência a nível internacional. A partir desta conversa, ficou acertado que haverá comunicação directa entre a Startup Braga e a Fábrica das Ideias, uma incubadora de startups de Vitória, podendo ambas evoluir com a experiencia que está a ser desenvolvida nos dois países. 

Posteriormente, o Prefeito de Vitória esteve ainda em visita ao Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, onde reuniu com o Diretor Lars Montelius. Além de ficar a conhecer melhor o trabalho do INL, o Prefeito mostrou-se extremamente interessado em levar para Vitória o sensor de poluição desenvolvido pelo INL em parceria com o Município de Braga.

A cidade de Vitória é a Capital do Estado brasileiro de Espírito Santo, tendo sido fundada em 1535 por colonos portugueses. Situada num arquipélago a 500 km do Rio de Janeiro, é composta por 33 ilhas e uma parte continental, com cerca de 360 mil habitantes. Entre as capitas Brasileiras, Vitória possuiu o segundo melhor índice de desenvolvimento humano e, segundo a Fundação Getúlio Vargas, é a quarta melhor cidade para se viver no Brasil. A sua economia é dominada pelas actividades portuárias, pelo comércio, industria e turismo. É também uma cidade universitária, com mais de uma dezena de universidades.

prefvit (2).jpg

prefvit (3).jpg

prefvit (4).jpg