Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BARCELOS MANTÉM VALOR DE TAXAS MUNICIPAIS

Câmara Municipal mantém taxas de IMI, IRS e Derrama em 2018

Investimentos e apoios municipais exigem manutenção de receitas realistas

A Câmara Municipal de Barcelos estabeleceu como critério para as receitas do Orçamento de 2018 a manutenção das as taxas de IMI, de IRS e da Derrama, uma opção que pretende conciliar as necessidades financeiras previsionais do Município, a comparticipação das famílias e das empresas e os benefícios para a comunidade.

Capturarmafra

De facto, pretende-se que o Orçamento reflita uma política de manutenção e valorização dos apoios sociais, de contínua melhoria das estruturas escolares do concelho, de melhoria da mobilidade, de manutenção da delegação de competências e financiamento às freguesias, de aposta na promoção do concelho e na divulgação das suas atividades, no apoio ao investimento privado, criador de emprego e de riqueza, em suma, na continuação de uma política de desenvolvimento sustentado do concelho, iniciada há oito anos.

Pretende-se que o Município assegure capacidade financeira para os investimentos em curso, assumindo a comparticipação nacional dos financiamentos europeus, como é o caso do PEDU, e permitindo acomodar mais investimento plurianual em obras estruturantes para a cidade e para o concelho.

Miguel Costa Gomes, Presidente da Câmara Municipal, diz que “muito gostaria de poder apresentar propostas para baixar as taxas, desonerando com isso as famílias e as empresas. Mas não podemos mentir aos barcelenses. Não podemos embarcar no discurso demagógico de que é possível aplicar os valores mínimos das taxas e querer aumentar o investimento e os apoios municipais”. E pergunta: “Como é que sem condições financeiras pode haver investimento?”. Os recursos, diz ainda, “são públicos e, por isso, fiscalizados. Até hoje, temos gerido bem esses recursos, colocando Barcelos entre os municípios de grande dimensão com melhor desempenho nas suas contas”.

Por isso, a opção pela manutenção das taxas no próximo ano económico justifica-se pela necessidade de equilíbrio e rigor orçamental, em obediência aos princípios de racionalidade e prudência que presidiram já ao Orçamento de 2017.

Assim, é intenção do Município manter a isenção da cobrança da Derrama aos contribuintes com um volume de negócios até 150.000 euros e lançar uma Derrama de 1,2% sobre o lucro tributável e não isento gerado na área geográfica do Município, das entidades cujo volume de negócios seja superior a 150.000 euros.

Relativamente à participação no IRS dos rendimentos do ano de 2018, a taxa deverá fixar-se nos 5%, ou seja idêntica à do ano 2017.

No que concerne ao IMI, entende-se dever manter a mesma taxa, 0,35% para os prédios urbanos, a cobrar em 2018, bem como os valores de isenção do IMI Familiar, do seguinte modo: redução da taxa de IMI sobre os prédios urbanos destinados à habitação permanente em 20€, 40€ e 70€ para as famílias com um filho, com dois ou com três ou mais filhos, respetivamente.

GALA DA RAINHA DAS VINDIMAS NA CENTRAL DE CAMIONAGEM DE BARCELOS

A vencedora irá representar Barcelos na Gala Nacional da Rainha das Vindimas que acontece no próximo ano 

Valorização das tradições, da história, da ruralidade e potenciar a afirmação cultural e atratividade do concelho de Barcelos são os objetivos da 4.ª edição da Rainha das Vindimas de Barcelos, que se realiza no dia 25 de novembro, na Central de Camionagem, pelas 21h30.

Capturarrainha

São doze as candidatas barcelenses que se apresentam este ano a concurso e que, representando uma Junta de Freguesia, uma União ou uma Associação do concelho, desfilam na esperança de serem a escolhida a arrecadar o título de Rainha das Vindimas de Barcelos, representando Barcelos na gala nacional, no próximo ano.

Este é um espetáculo dinâmico e criativo, organizado com a apresentação de 3 coordenados, regional, casual e vestido de noite, respetivamente; permitindo a apresentação das candidatas, das instituições, e o destaque do traje regional.

No âmbito desta gala são atribuídos os títulos de Rainha das Vindimas de Barcelos; 1.ª Dama de Honor; 2.ª Dama de Honor; Prémio Simpatia e Prémio Fotogenia. O evento contempla ainda diversos momentos de animação, que enriquecem o espetáculo e elevam artisticamente a eleição da Rainha das Vindimas de Barcelos.

A vencedora do título Rainha das Vindimas de Barcelos será também a representante de Barcelos no Concurso Nacional Rainha das Vindimas de Portugal, evento promovido pela AMPV- Associação dos Municípios Portugueses do Vinho, no qual o Município de Barcelos participa.

O acesso ao espetáculo Rainha das Vindimas 2017 é livre. Mais informações pelo telefone n.º 253 811 882 ou email turismo@cm-barcelos.pt.

BARCELOS REMOVE JACINTOS DO RIO CÁVADO

Câmara Municipal implementa ação de remoção de jacintos no Rio Cávado. Protocolo com corporações de bombeiros para afetar meios técnicos e humanos

A Câmara Municipal tem em desenvolvimento uma intervenção no Rio Cávado para limpeza dos jacintos de água, uma espécie invasora que se tem desenvolvido rapidamente, particularmente nas zonas mais abrigadas do Rio, cuja presença se nota desde 2003.

Capturarb2

O desenvolvimento da espécie tem a ver não apenas com as caraterísticas da sua reprodução, como, também, com a redução do caudal do Rio que se tem agravado nos últimos meses.

A remoção desta espécie infestante do Rio Cávado exige o recurso a meios técnicos consideráveis, disponibilizados pelas corporações de bombeiros de Barcelos e de Barcelinhos, no âmbito de um protocolo estabelecido com o Município, e tem em vista restabelecimento das condições naturais deste recurso hídrico e a sua valorização.

Assim, foi constituída uma equipa de intervenção constituída por bombeiros e técnicos da autarquia, com os equipamentos necessários e adequados à correta identificação no rio Cávado dos locais onde existam focos de poluição, proceder à sua remoção e/ou neutralização e, posteriormente, proceder a ações de monitorização.

O protocolo, válido até 31 de março de 2018, prevê que o Município atribua uma comparticipação financeira às duas corporações de bombeiros, no valor de seis mil euros a cada uma; disponibilize combustível para os equipamentos afetos às operações de limpeza, bem como outros recursos materiais e humanos necessários às ações de identificação e remoção dos jacintos.

Os bombeiros têm como tarefas, identificar, registar e classificar os vários focos de poluição existentes no rio Cávado; promover as ações necessárias à identificação, remoção e/ou neutralização dos jacintos-de-água, com vista ao reequilibro do rio e suas margens; realizar as ações de vigilância necessárias durante a vigência  do acordo de colaboração; afetar os recursos humanos e equipamentos necessários à execução do objeto do acordo de colaboração, bem como à sua fiscalização; disponibilizar recursos técnicos e materiais, sempre que necessário, em ações de educação ambiental, ou em ações que visem a sustentabilidade dos recursos hídricos.

A intervenção teve início no passado dia 16 de novembro e incidirá em todo o percurso do Rio, a jusante da barragem da Penide.

O envolvimento dos bombeiros não pôde ser efetivado antes, dadas as condições excecionais do período crítico de incêndios que, como se sabe, foi prolongado até 23 de novembro.

No âmbito desta ação, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, fez o percurso de barco, no sábado, dia 17 de novembro, de forma a inteirar-se dos trabalhos que estão a ser desenvolvidos pelas equipas constituídas pelos bombeiros e por técnicos da autarquia.

Capturarb1

BARCELOS RECEBE TIM HUNT, PRÉMIO NOBEL DA MEDICINA

Tim Hunt, Nobel da Medicina, marca presença em Barcelos. Semana da Ciência mobiliza escolas e bibliotecas do Concelho

O Município de Barcelos e a Rede de Bibliotecas Escolares promovem, entre 20 e 25 de novembro, nas escolas, bibliotecas escolares e Biblioteca Municipal, a Semana Concelhia da Ciência, uma iniciativa que tem como objetivo despertar o interesse dos alunos para a ciência através de dezenas de atividades destinadas aos alunos do 1.º ciclo ao ensino secundário.

Capturarbbbar

Um dos destaques da programação deste ano é a presença dos cientistas Cláudio Sunkel e Tim Hunt – Nobel da Medicina 2001 que, no dia 21 de novembro, às 9h30, promovem uma sessão no auditório da Câmara Municipal de Barcelos. Às 15h30, decorre, na Escola Secundária de Barcelos, uma homenagem póstuma ao professor Oliver Smithies, Nobel da Medicina 2007.

Outra das presenças em destaque nesta semana da ciência é da escritora Ana Fernandes, autora do livro como “Levo-te às Estrelas”, e do astrofísico Paulo Maurício de Carvalho, que vão estar nas Escolas Secundárias de Barcelinhos e Alcaides de Faria, no dia 23, entre as 10h00 e as 15h00.

Durante toda a semana, nas diversas escolas do concelho, vão decorrer diversas palestras, nos estabelecimentos de ensino com a participação de Nuno Castro, Ana Paula Esteves, Alice Dias, Mário Rui Pereira e Manuel Filipe Costa. Realizar-se-ão ainda oficinas, sessões de poesia, sessões de cinema, jogos educativos, exposições e experiências científicas.

A Semana da Ciência encerra, no dia 25, com a realização da oficina “Skill Robotics”, com Carlos Sousa (All Aboard - Learn Robotics), das 10 às 12h00, na Biblioteca Municipal, para famílias com crianças entre os 9 e os 12 anos, sendo necessário para o efeito proceder a inscrições prévias através do email: bibliotecaanimacao@cm-barcelos.pt.

O Dia Nacional da Cultura Científica, assinala-se a 24 de novembro, em homenagem a Rómulo de Carvalho, professor, metodólogo, investigador, e autor de manuais escolares, de livros de divulgação científica e de poesia, estes últimos sob o pseudónimo de António Gedeão.

Todo o programa poderá ser consultado na Agenda Barcelos e no site http://redebibliotecas.cm-barcelos.pt/

MUNICÍPIO DE BARCELOS E ARTESÃ JÚLIA RAMALHO CONCORREM AO PRÉMIO INTERNACIONAL DE ARTESANATO 2017

O Município de Barcelos e a artesã barcelense Júlia Ramalho foram selecionados para a fase final do concurso “Prémio Nacional do Artesanato 2017”, promovido pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Júlia Ramalho

Neste concurso, que visa incentivar a produção artesanal, distinguindo os artesãos portugueses, bem como as entidades que se destacam no trabalho desenvolvido na área do Artesanato, Júlia Ramalho está a concorrer  para a categoria “Grande Prémio Carreira” e o Município de Barcelos para o “Prémio Promoção para Entidades Públicas”.

O Prémio Nacional do Artesanato integra o Programa de Promoção das Artes e Ofícios criado pelo Decreto-Lei n.º 122/2015, de 30 de junho, que define um conjunto diversificado de incentivos às atividades artesanais, abrangendo, nomeadamente, apoios à valorização de produções e de artesãos que se afirmem pela excelência dos resultados alcançados.

A votação é online e decorre de 15 a 25 de novembro,  através do link https://certvote.com/mballot/262110/registration.

Concluída esta fase da votação via Internet, o júri do concurso procederá à eleição da candidatura vencedora em cada uma das categorias. O resultado final, e a correspondente entrega dos prémios, será conhecido em cerimónia pública e solene cuja data e local serão oportunamente divulgados.

As categorias a concurso são Grande Prémio Carreira, Prémio Inovação, Prémio Empreendedorismo Novos Talentos, Prémio Investigação, Prémio Promoção para Entidades Privadas e Prémio Promoção para Entidades Públicas.

Júlia Ramalho_artesanato

ARTESÃOS BARCELENSES EXPÕEM PRESÉPIOS

Exposição coletiva “Presépio - Uma Tradição, Várias Interpretações”

São mais de duzentos os presépios de artesãos barcelenses que estarão expostos de 17 de novembro a 6 de janeiro, na Torre Medieval e no Posto de Turismo, e de 6 de dezembro a 6 de janeiro, na Sala Gótica dos Paços do Concelho, numa iniciativa da Câmara Municipal de Barcelos que visa mostrar a riqueza do artesanato local e a preponderância desta temática religiosa no imaginário sociocultural da região. Esta exposição coletiva “Presépio - Uma Tradição, Várias Interpretações” abrange todas as artes e ofícios do concelho de Barcelos.

O presépio é um dos temas mais trabalhados no figurado de Barcelos e é, também, dos mais procurados, não só pela variedade e tipologia das representações, mas também pelo valor simbólico que tem para as comunidades locais, onde o Natal continua a ser uma das celebrações mais importantes do calendário religioso e cultural anual.

Artesãos como Rosa Ramalho, Rosa Côta, Mistério, Ana Baraça, Maria Sineta, e tantos outros, notabilizaram esta produção no contexto da arte popular, abrindo novos caminhos para uma perceção mais alargada do figurado barcelense, que é um dos poucos produtos artesanais certificados em Portugal.

Num contexto de Cidade Criativa da UNESCO, esta exposição espelha o manancial cultural e criativo dos artesãos barcelenses.

BARCELOS: PROGRAMA "ARQUEOLOGIA À NOITE" CHEGOU AO FIM

Programa “Arqueologia à Noite” prestou grande contributo na divulgação do património do concelho. Novos projetos vão prolongar o espírito da iniciativa

Chegou ao fim o programa Arqueologia à Noite, uma atividade promovida pelo Município de Barcelos e que contou ao longo dos últimos dois anos com cerca de 800 participantes.

bar3

Na última sessão, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, os intervenientes tiveram a oportunidade de interpretar e explorar o património local e descobrir a história dos monumentos e dos sítios do passado de Barcelos, através do manuseamento de diferentes tipos de materiais arqueológicos, na sua maioria utensílios com o mesmo tipo de função, mas com milhares de anos de intervalo entre eles.

Os participantes, munidos de luvas, puderam experimentar materiais do Paleolítico, caso dos seixos talhados e dos bifaces, ou os utensílios do Neolítico, como por exemplo os machados de pedra polida e as pontas de seta e, ainda, alguns artefactos da Idade do Bronze. Puderam, também, manusear os pesos de tear e fragmentos de telha produzidos durante a dominação Romana.

O programa Arqueologia à Noite iniciou-se em setembro de 2015 e registou um total de 16 sessões com a visita a uma dúzia de sítios arqueológicos e monumentos classificados existentes no concelho.

As atividades passaram pelas gravuras do Monte de São Gonçalo, pelo Mosteiro de Banho, pelas gravuras rupestres de Remelhe, pela Igreja de Santa Maria de Abade de Neiva, pelo Balneário Castrejo de Galegos, pela Igreja e Convento de Vilar de Frades, pelo centro histórico medieval de Barcelos, pelo Mosteiro de Palme, pelo Paço dos Condes de Barcelos e ainda pelo edifício da Câmara Municipal, tendo-se repetido a visita à estação arqueológica do Castelo de Faria e às gravuras da Laje dos Sinais. As visitas foram sempre gratuitas e abertas ao público, tendo-se registado uma média de 50 participantes em cada sessão.

Este programa de visitas noturnas chega agora ao fim para dar lugar a um projeto de divulgação do passado de Barcelos através de outras vias, mas sempre com o objetivo de informar e formar o  público para o património do concelho.

bar1

bar2

TEATRO DE BALUGAS APRESENTA “AUTO DOS BONS DIABOS” NO CICLO “TEATRO NO OUTONO” DA FUNDAÇÃO INATEL

O Teatro de Balugas apresenta no dia 19 de novembro, pelas 16h00, no auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos), a peça “Auto dos Bons Diabos”. A produção teatral integra a programação do ciclo “Teatro no Outono 2017”, uma organização da Fundação INATEL.

A peça é o relato de um artista de teatro popular que se desdobra em histórias e personagens dessa mesma história, do desaparecimento do mundo rural, da festa feita nas terras pelas gentes que contavam apaixonadamente as suas crenças, tradições e costumes, de uma certa ideia de progresso que não serve homens nem comunidades.

– Estou a ficar velho, mas hei-de morrer a cavar a terra, ou nas tábuas do palco, Ela já mo disse, ó homem cava já o buraco que com as tábuas do teatro faz-se o caixote e assim não se gasta dinheiro com o funeral”.

Baltasar Diabo e a sua companhia são últimos resistentes do que resta de um vale outrora rural, esvaziado em grande parte pela fuga para as cidades, vilas e estrangeiro. Aqui habitam histórias de resiliência e sobrevivência, onde a cultura popular de gerações resiste nas mãos de um punhado de artistas anónimos.

Teatro no Outono 2017 | Fundação INATEL

Teatro Coelima - Sol no Miral Associação Cultural

Teatro de Balugas

A Capoeira Companhia de Teatro de Barcelos

Nova Comédia Bracarense

Teatro D'ART - Associação Recreativa de Trandeiras

Programa_Teatro no Outono 2017_Fundação INATEL

BARCELOS ASSINALA UM SÉCULO DE ENERGIA ELÉTRICA

Conferência e exposição assinalam um século de energia em Barcelos

Comemoram-se, no presente ano, cem anos de energia elétrica em Barcelos. Na verdade, na noite de 13 de novembro de 1917, uma terça-feira, foi inaugurada a luz elétrica em Barcelos. Cerca de um ano mais tarde, em 27 de abril de 1918, a então vila de Barcelos ficou completamente iluminada. Nos finais de julho de 1916, chegou à Furada - Penida - o cabo elétrico para conduzir a energia para a iluminação pública e particular de Barcelos.

Iluminação

A luz elétrica veio substituir os 177 lampiões de petróleo existentes (que custavam 30 reis por noite), que iluminavam Barcelos só nas noites em que não houvesse luar, sendo João Francisco da Silva, da freguesia de Alvelos, o último lampinista.

A luz elétrica de instalação subterrânea foi inaugurada em 1 de maio de 1938.

O fornecimento da luz elétrica em Barcelos foi adjudicado, em sessão de câmara de 13 de janeiro de 1916, presidida pelo Dr. José Matos Graça, à firma F. Xavier Esteves & Borges, da cidade do Porto. A energia elétrica era produzida na estação hidroelétrica situada no rio Cávado, no lugar da Penida, freguesia de Areias de Vilar, do concelho de Barcelos, (e pertencente à Sociedade de Eletricidade do Norte de Portugal, de que Francisco Xavier Esteves e Francisco António Borges eram diretores).

Na altura era presidente da Comissão Executiva Municipal, o Dr. José Júlio Vieira Ramos, um monárquico, advogado e notário, antigo líder local do Partido Progressista que governou em pleno período republicano.

Foi deste modo que o semanário “O Barcelense”, na edição de 17.11.1917,  registou este notável acontecimento:

“Na terça-feira à noite procedeu-se à experiência da luz eléctrica na zona que abrange a rua D. António Barroso, Campo da República, Campo de S. José, Rua Nova de S. José, Barjona de Freitas, Calçada, Faria Barbosa, rua da Palha, rua da Barreta, rua Miguel Bombarda, rua Duque de Barcelos e Largo José Novais.

As ruas e largos coalharam-se, rapidamente, de gente de todas as classes, parecendo que nos encontrávamos não em Barcelos mas numa cidade de luxo e muito movimentada.

É indescritível o contentamento e entusiasmo que se notava em toda a gente, sendo todos pródigos em elogiar a esplendorosa luz, que melhor não se poderia exigir.

Felicitamos a ex.mª Câmara e os concessionários pelo esplêndido êxito conseguido com este importantíssimo melhoramento, que a todos os barcelenses aproveita e que a todos deve satisfazer e agradar.

A diferença desta bela e poderosa luz da da antiga iluminação a petróleo é tanta como a que existe entre o escuro dum borrão de tinta e a alvura impressionante dos arminhos.

Barcelos progride e nós experimentamos um frémito de entusiasmo que chega a ponto de nos enchermos de orgulho, vaidosos por vermos que esta linda vila se vai engrandecendo, modernizando-se a par das povoações mais importantes do país.”

“Não devemos deixar sem reparo o quanto são elogiáveis os serviços dos empregados às ordens dos concessionários que têm provado evidentemente os seus grandes méritos e aptidões para a missão que tão briosamente desempenharam.

Brademos pois: Viva Barcelos! Viva quem trabalha pelo engrandecimento desta terra!”.

A Delegação de Barcelos da “Sociedade da Eletricidade” situava-se no Campo da República, sendo seu diretor o Tenente António Acácio Nunes. Da Secção Técnica, faziam parte o eletricista Gonçalves, o chefe das redes António Ferro e outros auxiliares.

Ainda segundo o referido semanário, na edição de 09.03.1929, numa informação assinada pelo seu responsável, José de Mancelos Sampaio, o processo de remodelação da “Sociedade” prosseguia:

“Na passada 2ª feira, 25 do corrente, ficou instalado na cabine nº 8 (Torres) um novo transformador Poege de 50 Kw; e assim todas as três cabines da cidade alta já têm a mesma potência num total de 150 Kw.

Para a cidade baixa (Barcelinhos) passa o transformador de 30 Kw, que estava nas Torres; a potência de transformação em toda a cidade sobe portanto a 180 Kw, o que é importante para a população de Barcelos.

Na rede pública continuarão, persistentemente, as modificações estando por agora em conclusão a melhoria da rede de Barcelinhos.

Na central da Penide e nas aldeias deve em breve – Março ou Abril – iniciar-se outra etapa de trabalhos.”

À Sociedade de Eletricidade do Norte de Portugal (SENP) sucedeu-lhe a Companhia Hidro-Elétrica do Norte de Portugal (CHENOP) que praticamente no mesmo local da Furada-Penida, construiria, em 1951, uma barragem. Sob a orientação dos técnicos Francisco Alves Correia Paiva e Bártolo de Oliveira Correia Paiva, seu filho, procedeu-se à eletrificação do concelho de Barcelos.

Um dos presidentes da Câmara Municipal que mais contribuiu para que o nosso concelho fosse dotado de energia elétrica foi o Dr. Luís Novais Machado (1917-1978), que governou os destinos municipais de 20.05.1953 a 06.01.1960, tendo mandado eletrificar 64 freguesias e que ficou conhecido, por isso, como o “presidente das luzes”.

A Câmara Municipal de Barcelos vai comemorar cem anos de energia elétrica em Barcelos com uma conferência a realizar no dia 9 de dezembro, pelas 17h00, no auditório da Biblioteca Municipal. Será orador o Prof. Doutor João Figueira, doutorado em “Estruturas Sociais da Economia e História Económica”, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, mestre em História Económica e Social Contemporânea, e licenciado em História da Arte, pela Faculdade de Letras da mesma universidade.

Seguir-se-á a inauguração de uma exposição iconográfica e documental sobre o mesmo tema que, depois de exibida na Biblioteca Municipal, percorrerá os estabelecimentos de ensino concelhio.

João Figueira é natural de Arganil. Desenvolve trabalhos de investigação, desde há duas décadas, na área da história do sector elétrico, tendo estudos como: O Estado na eletrificação portuguesa: Da Lei de Eletrificação do País à EDP (1945-1976), Tese de Doutoramento, apresentada em 2012; “A eletrificação da rede: as grandes opções”, in O Caminho-de-Ferro em Portugal 1910 – 2010, editada pela CP - Comboios de Portugal / REFER - Rede Ferroviária Nacional, em 2010; “A Empresa Hidro-Eléctrica de Arganil (1927-1978) e a eletrificação dos concelhos de Arganil, Tábua e Oliveira do Hospital”, Tese de Mestrado, editada pela EDP, em 2004; ou “A eletrificação do centro de Portugal no século XX” (em coautoria), publicado pela EDP, em 2001.

Presentemente, está a ultimar a obra “Uma história da eletricidade em Portugal”, a editar pelos CTT, no decorrer de 2018, entre outros projetos nesta área de estudo.

BARCELENSES VÃO AOS FADOS

Projeto Artístico 2017 encerra com Noite de Fados

O Projeto Artístico 2017 continua este mês com o Encontro de Coros no Teatro Gil Vicente, nos dias 24 e 25, e com a Noite de Fados, no dia 2 de dezembro. Organizado pela Câmara Municipal de Barcelos, através da Casa da Juventude, decorre entre junho e dezembro, contemplando várias áreas de ação e de interesse.

O P.A. é uma iniciativa dedicada à educação através das expressões artísticas e que tem como principal objetivo criar condições de produção, revelação e valorização das competências dos jovens do concelho.

Ao longo dos últimos anos, os jovens barcelenses têm aderido grandemente ao Projeto da responsabilidade do Pelouro da Juventude, reflexo do seu interesse proeminente nas áreas relacionadas com as múltiplas dimensões artísticas, nomeadamente na música e na dança.

BARCELOS QUER ALTERAR CONTRATO DA ÁGUA E SANEAMENTO

Câmara Municipal delibera submeter à Assembleia Municipal autorização para alteração ao contrato da água e saneamento

A Câmara Municipal deliberou, em reunião extraordinária, realizada no dia 7 de novembro, submeter à Assembleia Municipal o pedido de autorização para a assinatura de uma Adenda ao Contrato de Concessão da Exploração e gestão dos Serviços Públicos Municipais de Abastecimento de Água e Saneamento do Concelho de Barcelos.

A proposta, agora remetida ao órgão deliberativo, resulta de um acordo extrajudicial plasmado num memorando de entendimento subscrito pelo Município de Barcelos, pelas Águas de Barcelos, S.A. (ADB) e pelas empresas do Grupo Somague.

O acordo pretendeu ultrapassar o diferendo judicial entre o Município de Barcelos e a empresa concessionária. Em janeiro de 2012, o Tribunal Arbitral condenou a autarquia ao pagamento de uma indemnização de 172 milhões de euros à ADB, relativa ao reequilíbrio daquela sociedade, com base nos pressupostos definidos no Contrato. Atualmente, o valor já vencido cifra-se em mais de 76,0 milhões de euros, acrescidos de juros.

No âmbito deste acordo extrajudicial, a compensação a pagar pelo Município de Barcelos à concessionária é de 44,5 milhões de euros.

O pagamento da compensação será fracionado em cinco prestações pagas anualmente até 2021, sendo a primeira no montante de 36,0 milhões de euros e destina-se a fazer face às dividas de longo prazo da concessão, que inclui o valor de 32,0 milhões de euros destinados à liquidação da totalidade da dívida ao ACE Construtor, entre outros.

Os demais valores a pagar pelo Município de Barcelos ao longo dos cinco anos ascendem a 8,5 milhões de euros e destinam-se ao investimento designadamente no que concerne à construção de pelo menos mais duas ETARS, à rede de fornecimento de água e recolha de águas residuais, a juntar a uma outra ETAR cuja construção ficará a cargo do Município com financiamento comunitário. Tais investimentos permitirão uma cobertura de cerca de 93% de fornecimento de água e de 80% de rede de saneamento.

A aquisição de 49% do capital social da empresa Águas de Barcelos, S.A. comporta, para além do pagamento daquela compensação financeira, a aquisição de 25% do capital detido pela Sociedade ABB, por 7,5 milhões de euros, bem como a aquisição de 24% do capital detido pela empresa Somague Ambiente por 7,030 milhões de euros, sendo que tais aquisições comportam o recebimento de créditos de igual valor por parte do Município de Barcelos.

Este acordo extrajudicial implica a alteração de diversas cláusulas e anexos ao Contrato de Concessão. Entre as diversas alterações, constam a alteração da instância judicial, passando do Tribunal Arbitral para o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, a alteração do caso-base, o fim do ACE, a ampliação do plano de investimentos, etc.

A proposta que agora vai ser submetida à Assembleia Municipal inclui todos os estudos de viabilidade económica e financeira, elaborados por especialistas externos.

MUNICÍPIO DE BARCELOS TEM 4 VEREADORES A TEMPO INTEIRO

Executivo municipal com quatro vereadores a tempo inteiro

O novo executivo do Município de Barcelos saído das eleições autárquicas do passado dia 1 de outubro vai ter quatro vereadores a tempo inteiro: a vereadora Armandina Saleiro, que acumula as funções de Vice- Presidente da Câmara, o vereador José Beleza, a vereadora Anabela Real e o vereador Francisco Rocha.

A decisão foi tomada em reunião extraordinária do executivo, realizada a 7 de novembro, depois da não aprovação da proposta de cinco vereadores a tempo inteiro, apresentada na primeira reunião do executivo municipal, que ocorreu a 30 de outubro.

Ainda na reunião de 7 de novembro, o executivo municipal aprovou por unanimidade um voto de congratulações pela nomeação de Barcelos como Cidade Criativa na Categoria do Artesanato e Arte Popular, atribuída pela UNESCO no passado dia 31 de outubro.

Com esta nomeação, Barcelos entra no grupo restrito das cidades distinguidas pela UNESCO (180 cidades de 72 países), sendo a única na Península Ibérica e uma das três a nível europeu nesta categoria (há 36 a nível mundial).

Quanto aos restantes pontos da ordem de trabalhos, registe-se a aprovação dos seguintes apoios sociais: comparticipação em material escolar a 93 alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico; comparticipação nas refeições colares a 126 alunos do 1.º Ciclo e do Jardim de Infância; isenção do custo de utilização de piscinas e de frequência de atividades físicas e motoras a alunos que frequentam a Unidade de Apoio Educativo Especializado à Multideficiência, do Agrupamento de Escolas Rosa Ramalho.

BARCELOS INTEGRA REDE LIVING LABS

Barcelos é um dos doze Municípios que integra a rede Living Labs

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, assinou, hoje, em Matosinhos, o contrato de desenvolvimento do Fundo Ambiental, do programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização - Living Labs.

Capturar2

Esta cerimónia, presidida pelo Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, decorreu no  Salão Nobre dos Paços do Concelho de Matosinhos, e contou com a presença dos representantes dos doze municípios selecionados pelo Ministério do Ambiente:  Barcelos,  Braga, Matosinhos, Almada, Seixal, Águeda, Figueira da Foz, Maia, Évora, Loulé, Mafra e Alenquer.

Na sua intervenção,  o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Gomes Mendes, falou nas metas a que Portugal se comprometeu para 2030 e 2050, e realçou que “não é fácil captar o apoio dos cidadãos para métodos de muito longo prazo”, enaltecendo as potencialidades deste programa “como uma resposta estruturada para sucessos rápidos e para, no curto prazo, encontrar soluções para a descarbonização das nossas cidades”.

O Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, encerrou a cerimónia enaltecendo os Laboratórios Vivos para a Descarbonização, “projeto tão importante para o futuro de todos nós num dia em que também arranca, em Bona, Alemanha, a 23ª conferência das Nações Unidas sobre o clima, onde representantes de mais de 100 países vão discutir medidas para avançar com o Acordo de Paris, no sentido de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e evitar o agravamento de fenómenos extremos”.

O Ministro salientou ainda a importância de “desenharmos cidades diferentes, atacando os problemas em que até hoje foi feito um percurso menos positivo, como a eficiência energética ou os transportes, dando ênfase ao papel diferenciador das cidades e desafiando os municípios envolvidos neste programa na implementação de projetos diferenciadores, inovadores e criativos, desejando a todos um ótimo trabalho”.

Informações sobre o programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização -  Living Labs

O programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização - Living Labs recebeu 35 candidaturas, mas apenas doze Municípios foram selecionados. Estes serão contemplados com uma verba inicial de cerca de 80 mil euros (num montante global de 1 milhão de euros).

“Laboratórios Vivos para a Descarbonização” pretende criar espaços urbanos inovadores, mais sustentáveis, inclusivos, resilientes e capazes de aumentar a eficiência energética. Os espaços urbanos selecionados serão, assim, transformados em áreas de teste, demonstração e apropriação de soluções tecnológicas que promovam a descarbonização da vida nas cidades. Este processo far-se-á sentir em domínios como os transportes e mobilidade, a eficiência energética em edifícios, a criação de serviços ambientais inovadores e a promoção da economia circular, numa lógica de interação entre o município, os centros de conhecimento, as empresas, as indústrias e os cidadãos.

As cidades-laboratório deverão afirmar-se como espaços de baixo carbono, acessíveis, participados e conectados, fomentando a demonstração de soluções tecnológicas integradas, em contexto real, que tenham potencial comprovado de ser adotadas pela cidade como um todo. Induzir a apropriação de novas tecnologias por parte da população e comunidade local, através do desenho de experiências interativas a vivenciar pelos cidadãos, possibilitar o teste de soluções tecnológicas pelas empresas e empreendedores num espaço territorial delimitado, promovendo a inovação e atraindo investimento estrangeiro através de parcerias com empresas tecnológicas internacionais, e a sensibilização da população para os benefícios da adoção de comportamentos sustentáveis são outros dos objetivos do programa.

Capturar1

BARCELOS DÁ A PROVAR O ARROZ PICA NO CHÃO

Arroz Pica no Chão à mesa em 27 restaurantes do concelho de Barcelos

Depois do Concurso do Galo Assado, a Câmara Municipal de Barcelos vai promover, no fim-de-semana de 11 e 12 de novembro, outro dos pratos mais emblemáticos da gastronomia barcelense e minhota: O Arroz Pica no Chão.

Capturarpica

A esta iniciativa aderiram 27 restaurantes do concelho que se propõem a integrar nos seus cardápios o Arroz Pica no Chão, um prato que faz parte do vasto e rico património gastronómico regional, mas que assume em Barcelos uma importância capital no quadro gastronómico local.

O Fim de Semana do Arroz Pica no Chão, que já vai na sua oitava edição, visa promover as mais-valias turísticas da gastronomia barcelense, potenciadas pela figura e simbologia do Galo de Barcelos. Pretende-se associar o galo e a produção do artesanato barcelense a outras áreas de relevância cultural e do património imaterial, como é a gastronomia, criando produtos turísticos integradores das tradições locais e regionais e, ao mesmo tempo, dinamizar o setor da restauração e da economia local.

Esta ação está inserida no programa anual “7 Prazeres da Gastronomia”, promovido pela Câmara Municipal, que prima pela divulgação das qualidades gastronómicas da região de Barcelos, afirmando o território como a “Sala de Jantar do Minho”.

À iniciativa aderiram os restaurantes: Bagoeira (Barcelos), Belo Horizonte (Rio Côvo Sta. Eulália), Bom Gosto (Arcozelo), Casa dos Arcos (Barcelos), Casa do Eduardo (Milhazes), Casa Lourenço (Areias S. Vicente), Chuva (Barcelinhos), Dom Carlos (Silva), Furna (Barcelos), Galliano (Barcelos), Galo Novo (Várzea), Manjar das Estrelas (Várzea), Muralha (Barcelos), Os Mouros (Arcozelo), Pedra Furada (Pedra Furada), Pérola da Avenida (Barcelos), Rústico (Mariz), Solar Real (Barcelos), Sonho do Cávado (Manhente), Taberna do Armindo (Remelhe), Taberna "O Manhoso" (Tamel S. Veríssimo), Taberna Regional 2000 (Tamel S. Pedro Fins), Taberninha O Chico (Perelhal), Tasquinha do Careca (Perelhal), Tropical (Várzea), Vera Cruz (Barcelos) e Wine Tunnel Restaurant (Barcelos).

A par do Fim de Semana do Arroz Pica no Chão, realiza-se no sábado, dia 11 de novembro, a “Rota do Vinho e da Vinha” que inclui a visita a dois produtores de vinho do concelho de Barcelos: a Quinta do Tamariz, na freguesia de Fonte Coberta, e a Quinta Casal dos Eidos, na freguesia de Areias São Vicente. A realização desta rota tem como objetivos a promoção e o conhecimento dos vinhos produzidos em Barcelos, através da realização de visitas técnicas e provas dos vinhos produzidos nestas duas unidades locais.

A participação na Rota do Vinho e da Vinha é gratuita mas as inscrições são limitadas, devendo ser formalizadas por email através de turismo@cm-barcelos.pt ou por telefone 253 811 882.

BARCELOS: BALUGÃES CRIA PRÉMIO DE TEATRO

O Teatro de Balugas, através da organização do PALCO DE TERRA [Ciclo de Teatro] Balugães Minho, tem como objetivo a promoção e a divulgação de projetos teatrais. Neste sentido, decidiu instituir o prémio anual PALCO DE TERRA para reconhecer e agradecer o trabalho e o esforço de pessoas ou instituições no âmbito do teatro realizado no meio rural e da criação artística sobre o Minho.

Prémio PALCO DE TERRA 2017_Fernando Pinheiro

Nesta primeira edição, a distinção foi atribuída ao ator, encenador e dramaturgo Fernando Pinheiro, pelo trabalho desenvolvido ao longo de 50 anos de teatro no Minho.

A entrega do prémio PALCO DE TERRA acontecerá no próximo dia 3 de dezembro de 2017, pelas 16h00, no auditório da Junta de Freguesia de Balugães (Barcelos)

[fotografia] João Brites

[cartaz] André Sobreiro

[apoios] Teatro de Balugas; Junta de Freguesia de Balugães; Município de Barcelos; Barcelos Cidade Educadora; Fundação Inatel; ID3 - Design e Publicidade

O Palco de Terra é um ciclo de teatro dividido em quatro partes, em que cada uma tem lugar numa estação do ano. Recebemos, no dia 1 de abril, a peça de teatro “Um regresso inesperado”. A comédia do Grupo de Teatro do Vez (Arcos de Valdevez) abriu a edição da primavera deste ano do Palco de Terra. Este ciclo de teatro é organizado pelo Teatro de Balugas e pela Junta de Freguesia de Balugães e resulta do intercâmbio entre o grupo de teatro de Balugães e as companhias convidadas, visando a promoção e dinamização dos projetos teatrais na aldeia. Na edição de verão, esteve em cena a peça “O Gato”, pelo Forjães em Cena (Esposende), e na edição de outono, a peça “República de Mulheres” pelo TPC Teatro Popular de Carapeços (Barcelos). O ciclo encerra em dezembro, na edição de inverno, com o grupo de teatro mais antigo da Galiza, o Teatro de Airiños.

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO BARCELENSE INAUGURA CASA MORTUÁRIA DA VÁRZEA

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos inaugurou no domingo, dia 29 de outubro, a Casa Mortuária da Várzea, naquele que foi o seu primeiro ato oficial depois da Tomada de Posse para o terceiro mandato. 

Inauguração Casa Mortuária da Várzea

A cerimónia de inauguração juntou a população local, os membros da Junta de Freguesia, o pároco e o Bispo Auxiliar de Braga, D. Francisco Senra, que procedeu à bênção da Casa Mortuária e da ampliação do cemitério.

Miguel Costa Gomes, na sua intervenção, felicitou a Junta de Freguesia pela obra, frisando que “esta é uma forma de respeitar os que partem”, acrescentando que “esta é uma obra com a dignidade merecida para os habitantes da Várzea, depois de ter sido um processo difícil e doloroso, mas o importante é que hoje estamos aqui para inaugurar este espaço”.

O Presidente da Junta, David Carvalho, no seu discurso, referiu que “esta obra era um desejo de muitos anos e hoje, com muito trabalho, cooperação e colaboração entre a Junta e o Município a obra está concluída” frisou.

O Município de Barcelos atribuiu para a obra da Casa Mortuária o valor de 150 mil euros.

BARCELOS: ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA E CULTURAL DE CARAPEÇOS TEM RELVADO SINTÉTICO

Presidente da Câmara inaugura relvado sintético da Associação Desportiva e Cultural de Carapeços

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, inaugurou ontem, 29 de outubro, o relvado sintético da Associação Cultural e Desportiva de Carapeços, numa cerimónia que envolveu toda a comunidade local.

Inauguração Relvado Sintético

A inauguração oficial começou com o descerramento da placa com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Miguel Costa Gomes, do Presidente da Junta de Freguesia, Hélder Tomé e do Presidente do Clube, César Ferreira, seguindo-se depois a bênção solene pelo pároco da freguesia, João Antunes.

Passados aos discursos, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, manifestou a sua satisfação ao inaugurar mais uma moderna infraestrutura desportiva e referiu “este ato é motivo de grande orgulho, que muito nos honra”, assinalando que “ esta é uma obra da Câmara e dos carapecenses” e “que os jovens podem agora praticar desporto com mais segurança e mais comodidade.”

Por sua vez, o Presidente da Junta de Freguesia, Hélder Tomé, agradeceu ao Presidente da Câmara “que, desde o início deste projeto, convictamente, sempre acreditou que Carapeços precisava de um relvado sintético para permitir que os jovens e adultos tivessem condições para a prática desportiva”. Terminou, dizendo que “sem o apoio dos carapecenses, que se empenharam de forma árdua e persistente tal feito não era possível com tanta brevidade ”.

O Presidente da Associação Desportiva e Cultural de Carapeços, César Ferreira, referiu que “ sempre acreditou na concretização do relvado sintético, mas, que sem o apoio do Município e da população tal não seria possível. A freguesia de Carapeços e o Clube há muito mereciam este espaço para praticar desporto com qualidade”.

A entrada em funcionamento do novo recinto desportivo, um exemplo de equipamento que o Município pretende generalizar, representa a concretização de um sonho antigo da comunidade.

A requalificação do Campo de Futebol da Associação Desportiva e Cultural de Carapeços, teve um investimento de 100.000,00€, num acordo de colaboração pelo período de 4 anos (2017-2021).

BARCELOS ACOLHE COMEMORAÇÃO DO DIA LITÚRGICO DE SÃO NUNO DE SANTA MARIA

No dia 6 de novembro, assinala-se o dia litúrgico de São Nuno de Santa Maria, padroeiro da Militia Sanctae Mariae Portugal. A sua memória será evocada na Igreja Matriz de Barcelos, na Missa de domingo 5 de novembro, às 19h00m, que será presidida por D. Francisco Senra Coelho. No final será colocada uma coroa de flores junto da estátua de São Nuno.

Militia Sanctae Mariae fundada em 1945, erecta canonicamente na Catedral de Chartres (França) na cripta de Nossa Senhora de Sob-Terra e noutras dioceses, nomeadamente em Braga (Portugal), por decreto de D. Francisco Maria da Silva.

Militia Sanctae Mariae, Companhia Regular e Militante dos Cavaleiros de Santa Maria, é uma associação católica de fieís. Ao criar a MSM, o fundador – D. Gerard Lafond OSB (abade de S. Paulo Wisques – até Fevereiro de 2006), quis, expressamente uma cavalaria adequada à nossa época, fazendo reviver o espírito da cavalaria cristã no que tem de mais puro e de universal consagrando-a muito especialmente a Nossa Senhora.

A MSM reúne católicos, homens e mulheres, solteiros ou casados, preocupados em assumir cristãmente as suas funções familiares e profissionais, conscientes que o seu estado laical os convida a evangelizar a sociedade. Esta diversidade e pessoas encontra a sua unidade na regra da vida comum, no combate pelo Reino de Cristo, no Amor a Nossa Senhora e na fidelidade à Igreja.

23031163_1519189101506681_9214539800645290247_n

MIGUEL COSTA GOMES TOMA POSSE E ASSEGURA UMA PRESIDÊNCIA ABERTA E COLABORATIVA NO MUNICÍPIO DE BARCELOS

Realizou-se no dia 26 de outubro, o ato público de instalação dos novos órgãos municipais do concelho de Barcelos nos próximos quatro anos. No seu discurso, Miguel Costa Gomes, Presidente da Câmara Municipal reeleito, manifestou abertura para trabalhar em conjunto com as outras forças políticas e disponibilidade para acolher propostas que sirvam o concelho e os barcelenses.

O Auditório dos Paços do Concelho foi pequeno para acolher os barcelensese convidados que quiseram estar presentes na tomada de posse do novo Executivo e da Assembleia Municipal.

Tomada de Posse

Uma sessão marcada pelo discurso do Presidente da Câmara Municipal reeleito, Miguel Costa Gomes, que, após ter sido empossado, agradeceu aos barcelenses o voto de confiança depositado na sua equipa e no seu projeto de cidadaniae reafirmou “a mesma coragem e a mesma determinação para continuar a trabalhar por Barcelos”sob o signo de uma presidência aberta, recetiva e colaborativa, manifestando “inteira disponibilidade para acolher as opiniões e os contributos dos cidadãos empenhados em soluções para a cidade e para as freguesias”.

Perante um auditório atento, Miguel Costa Gomes, que inicia agora o seu terceiro e último mandato, fez questão de assegurar que a equipa renovada que preside irá honrar os compromissos assumidos no ato eleitoral de 1 de outubro: “O compromisso político que apresentámos aos barcelenses tem a força moral de um contrato. Cada uma das medidas que constituem esse compromisso será por nós cumprida integralmente durante o mandato que hoje se inicia”.

Miguel Costa Gomes apontou, durante a sua intervenção, o caminho paraos próximos quatro anos, assegurando que “serão feitas apostas concretas, entre outras, na reabilitação urbana e na requalificação da zona ribeirinha, no Caminho Português de Santiago, no turismo e na animação artística e cultural, na criação de condições para o investimento privado e para centros de criatividade, na participação dos cidadãos e na manutenção das políticas de descentralização nas freguesias, na melhoria das infraestruturas em geral e na requalificação das unidades de saúde, na continuação de uma política educativa de qualidade, no desenvolvimento sustentável e na melhoria da mobilidade e do ambiente, no reforço da coesão e apoio social, na promoção do desporto e no apoio à juventude”.

Dirigindo-se a todos os eleitos, Miguel Costa Gomes endereçou votos de um bom mandato aos que agora iniciam funções “em prol dos barcelenses”,lembrando que “é para os cidadãos que aqui estamos e é para eles que dirigimos os recursos públicos, em obediência aos princípios de uma gestão empenhada, responsável, rigorosa e transparente”.

A propósito do atual cenário político, o Presidente da Câmara Municipal reeleito lançou um desafio às forças políticas representadas na Assembleia: que “estejam disponíveis para, connosco, concertar caminhos e soluções ou, como tantas vezes afirmei, que façam parte da solução e nunca do problema”.

As últimas palavras de Miguel Costa Gomes foram para a Assembleia Municipal e para as Juntas de Freguesia. À maior Assembleia Municipal do país e “principal fórum da democracia do concelho”, manifestou, em nome do executivo, “total disponibilidade e lealdade institucional”, lembrando, no entanto, que “a todos os deputados compete contribuir para a discussão séria, empenhada e leal dos problemas”, acrescentando, “pois é de Barcelos e dos barcelenses que falamos quando nos reunimos neste órgão”. Às juntas de freguesia, eleitas, desde o seu primeiro mandado, “como parceiros privilegiados do projeto de desenvolvimento pensado para o concelho”, promete continuar com as políticas de descentralização, reforçando, com esta posição, “a capacidade de intervenção das freguesias junto das populações” e “dignificando o papel do Presidente de Junta, dando-lhes espaço e autonomia para o desenvolvimento dos seus projetos e para a gestão das prioridades na freguesia”.

A sessão de instalação dos novos órgãos municipais foi conduzida pelo Presidente da Assembleia Municipal cessante – Duarte Nuno Pinto – que deu posse, primeiramente, aos 11 membros eleitos para a Câmara Municipal. No executivo camarário terão assento, além de Miguel Costa Gomes, Armandina Saleiro, José António Beleza, Anabela Real e Francisco Rocha (eleitos pelo PS), Mário Constantino, José Novais, Mariana Carvalho e António Ribeiro (eleitos pela coligação PSD/CDS) e Domingos Pereira e José Pereira (eleitos pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”).

A sessão prosseguiu com a tomada de posse dosmembros da Assembleia Municipal, constituída pelos 62 deputados municipais eleitos diretamente (26 pela lista do Partido Socialista, 19 pela lista do Partido Social Democrata, 3 pela lista do CDS-Partido Popular, 11 pela lista do Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”, 2 pela lista do Bloco de Esquerda e 1 pela lista da CDU-Coligação Democrática Unitária) e os 61 presidentes das juntas de freguesia eleitos (27 pelo Partido Socialista, 17 pelo Partido Social Democrata, 10 pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro” e 7 por candidaturas independentes).

Horácio Barra é o novo Presidente da Assembleia Municipal

Após a instalação dos órgãos autárquicos, realizou-se a primeira reunião da Assembleia Municipal para eleger a nova mesa que fará a condução dos trabalhos até 2021. Foram apresentadas duas candidaturas a votação, acabando por sair vencedora a lista proposta pela bancada do PS (com 74 votos a favor), sendo eleitos Horácio Barra, como Presidente da Assembleia Municipal, e Ana Maria Silva e António Saleiro, como secretários.