Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO AFIRMA-SE COMO CONCELHO FORMADOR DAS ARTES

ACE- Escola de Artes beneficia de obras e lança projeto-piloto para crianças no âmbito do teatro

Depois da instalação do Instituto Nacional das Artes do Circo (INAC), em Vila Nova de Famalicão, que aconteceu recentemente e da consolidação da Artave (Escola Profissional Artística do Vale do Ave) no ensino da música que tem conquistado cada vez mais crianças, é agora a vez da ACE – Escola de Artes do teatro solidificar a sua presença no concelho com a aprovação do estatuto de polo por parte do Ministério da Educação e o lançamento de um projeto-piloto para as crianças do 1º e 2º ciclo do ensino básico. A escola irá ainda beneficiar de obras de reabilitação.

Alunos da ACE na Casa das Artes (1)

“Queremos afirmar Vila Nova de Famalicão como um concelho formador das artes, em todas as suas vertentes”, assumiu o vereador Leonel Rocha, durante a conferência de imprensa da ACE, Escola de Artes para apresentação dos novos projetos, que decorreu na passada sexta-feira.

“Já não é segredo para ninguém a aposta forte e genuína na educação do município”, referiu o responsável acrescentando que “a formação não é só para nos ensinar a fazer coisas, mas para nos ensinar a apreciar o belo e a sermos melhores cidadãos”.

E é a pensar nisso mesmo que os responsáveis da ACE decidiram avançar com um projeto piloto inovador que pretende criar no sistema educativo português uma vertente do ensino articulado vocacionada para as Artes Performativas, em crianças do 1º e 2º ciclo.

Segundo a coordenadora pedagógica do projeto, Sílvia Correia o Curso Básico de Teatro pretende proporcionar "formação académica na área do teatro e o aperfeiçoamento da expressão artística do aluno, preparando-o para prosseguir estudos ao nível profissional".

O Curso irá iniciar no ano letivo que se inicia como projeto-piloto, mas o objetivo é "entregar ao Ministério da Educação um plano de estudos para que deixe de funcionar em regime livre e passe a integrar o ensino articulado, como acontece, por exemplo, com a música".

Segundo Sílvia Correia, uma das finalidades do curso é "facultar ao aluno ferramentas essenciais para ser uma pessoa mais segura, criativa e comunicativa".

Para além deste projeto, a ACE irá apostar num plano de atividades onde sai reforçada a articulação já existente com a Casa das Artes.

Neste momento, a escola tem três turmas do curso de interpretação com um total de 60 alunos, provenientes de várias localidades do país.

No encontro com os jornalistas, os diretores da Escola de Artes, António Capelo e Pedro Aparício, deram a conhecer ainda constituição formal, aprovada pela DGEstE, (Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares) e pelo Ministério da Educação, do Polo da ACE Escola de Artes, em Famalicão. No fundo, trata-se da formalização e reforço da presença da ACE que, desde há dois anos, ocupa um espaço na Escola Básica das Lameiras para o ensino do curso de Interpretação.

OBRAS DE REABILITAÇÃO AVANÇAM

A conferência de imprensa ficou ainda marcada pela apresentação do projeto de requalificação e adaptação da Escola. As obras que implicam um investimento municipal de 73 mil euros envolvem ainda a ampliação da Escola Básica das Lameiras onde se insere a ACE.

A proposta passa pela reorganização de todo o espaço escolar, de forma a ser possível o bom funcionamento entre as duas escolas. Assim será criada uma divisória no átrio de entrada, entre as duas escolas, a escola primária funciona no piso 0 e a academia no piso 1. Não colidindo, o acesso a espaços comuns como o refeitório e a biblioteca.

Será criada uma sala estúdio e uma biblioteca e serão requalificadas as instalações sanitárias. O projeto prevê ainda a reorganização no piso 0, para melhor autonomia dos espaços, tais como, receção, secretaria e gabinete do diretor.

Alunos da ACE na Casa das Artes (2)

FAMALICÃO RECEBE CENTRO PORTUGUÊS DE SURREALISMO

Famalicão dá passo decisivo para a instalação no concelho do Centro Português do Surrealismo. Assembleia Municipal ratificou proposta da autarquia para apoio municipal de 300 mil euros

Está mais perto da realidade o futuro Centro Português de Surrealismo que vai nascer em Vila Nova de Famalicão por iniciativa da Fundação Cupertino de Miranda e da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. Naquela que foi a sua última reunião do atual ciclo autárquico, realizada na passada sexta-feira, 15 de setembro, a Assembleia Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou por unanimidade uma proposta do Executivo Municipal liderado por Paulo Cunha para a concessão de um apoio financeiro no valor de 300 mil euros, repartidos por quatro anos, para custear as despesas com as iniciativas que envolvem a implementação e desenvolvimento do projeto.

AFS_4939

Está assim assegurado um passo decisivo para a valorização do Centro Português de Surrealismo cujo objetivo é colocar Famalicão na rede internacional de surrealismo.  O projeto irá nascer na Fundação Cupertino de Miranda que tem atualmente mais de três mil obras ligadas ao surrealismo, nomeadamente de artistas conceituados como Mário Cesariny, Artur Cruzeiro Seixas mas também Paula Rêgo e Vieira da Silva, num total de 130 artistas.

O investimento previsto de 2,5 milhões de euros inclui custos com a obra de reorganização do espaço da Fundação Cupertino de Miranda localizada no centro da cidade, programação e gastos de funcionamento.

A principal transformação face ao desenho atual da fundação é a passagem do espaço museológico, bem como da oferta formativa, para os primeiros andares do edifício - atualmente localiza-se na torre que compõe o espaço - colocando-o na "linha da frente"de forma a "promover o contacto com a comunidade".

Estima-se que venham a ser realizadas entre três a quatro exposições por ano, somando-se projetos de itinerância com outras instituições, visitas guiadas, oficinas e a instalação de uma livraria especializada em surrealismo.

"O projeto de Famalicão Centro Português de Surrealismo pretende envolver os famalicenses numa ação em que todos podem contribuir para que o concelho seja o centro do surrealismo. Acreditamos que haverá impacto a médio e longo prazo nas visitas com muitos benefícios para o concelho e para o país", disse na altura da apresentação do projeto o presidente da Fundação Cupertino de Miranda, Pedro Álvares Ribeiro.

O Presidente da Câmara Municipal descreveu o centro como um "projeto âncora". Paulo Cunha acredita que o Centro Portugûes do Surrealismo em Vila Nova de Famalicão vai criar uma "marca muito forte para concelho" que, acredita, gerará "muitos benefícios"como o desenvolvimento da atividade turística ou o estabelecimento de parcerias com empresas e instituições.

AFS_5862

BRAGA É CIDADE BARROCA

Braga Barroca contribui para valorizar Património e reforçar identidade Bracarense. Evento decorre de 20 a 24 de Setembro

Concertos, visitas guiadas, workshops, teatro, um concurso nacional de cravo e recriações históricas integram o programa da Braga Barroca 2017, um evento que o Município de Braga realiza entre os dias 20 e 24 de Setembro e que celebra um dos períodos áureos da história da Cidade.

CMB18092017SERGIOFREITAS0000009031

Na apresentação da quarta edição do evento, que decorreu hoje, dia 18 de Setembro, no Palácio do Raio, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, salientou o facto de estar a surgir em Braga uma “verdadeira indústria cultural com a realização de iniciativas e eventos que têm um impacto muito positivo em termos económicos, contribuindo ainda para o reforço da nossa identidade e da salvaguarda do património”.

O Autarca lembrou que a Braga Barroca não surge por acaso, integrando uma estratégia de valorização patrimonial. “Ano após ano temos tido um programa que cresce em ambição e diversidade, demonstrando que esta foi uma aposta ganha por parte deste Executivo Municipal, desde logo pelo envolvimento das entidades parceiras, mas sobretudo pela receptividade que os Bracarenses tiveram desde a primeira edição”, salientou Ricardo Rio.

A Braga Barroca 2017 – que assinala também as Jornadas Europeias do Património - pretende fornecer uma experiência abrangente, através de acções de âmbito artístico que procuram recriar hábitos e tipologias de vida, e envolver progressivamente a Cidade e os seus agentes.

Já para a vereadora da Cultura, Lídia Dias, o evento “cresceu de forma sustentada e com a parceria das instituições e associações do Concelho”. “A Braga Barroca conta com as parcerias da Santa Casa da Misericórdia de Braga, a Biblioteca Pública, a BLCS, o Cabido Metropolitano da Sé, Conselho Cultural da UMinho, do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, da Irmandade de Santa Cruz, do Seminário de S. Pedro e S. Paulo e ainda do movimento associativo do Concelho que fazem da Braga Barroca um evento único e muito apelativo”, referiu Lídia Dias.

Este ano não faltarão ensejos para a descoberta da Braga Barroca. Sons, sabores, visitas guiadas, encenações, entre outros momentos de aprendizagem serão proporcionados a todos os públicos. Este ano o programa conta com uma exposição dedicada a um dos vultos da pintura barroca em Portugal. No Palácio do Raio estarão reunidas obras referência de Josefa de Óbidos, provenientes de diversas localidades, e que podem ser vista até 20 de Outubro.

Concertos com a Orquestra Barroca da Casa da Música, com a Sinfonieta de Braga, com o ensemble Harawi e com a Capella Musical da Fundação Cupertino de Miranda, o Sarau Barroco, as visitas encenadas fazem parte do programa deste ano que inclui, igualmente, animação de ria, uma mostra de sabores setecentistas e a demonstração de artes e ofícios da época.

O programa completo do evento pode ser consultado em https://goo.gl/nZYQ71

CMB18092017SERGIOFREITAS0000009027

CERVEIRA CRUZA ARTE COM NANOTECNOLOGIA

Programa ´Scale Travels´ estende-se até 2020: gnration e INL renovam parceria que cruza a arte com a nanotecnologia

Com vista à continuidade do trabalho conjunto desenvolvido desde Abril de 2016, o gnration e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL) anunciaram hoje, dia 14 de Setembro, a renovação da parceria por mais três anos.

1

Assim, de 2018 a 2020, a galeria INL – localizada no edifício gnration - continuará a apresentar trabalhos artísticos que aproximam arte e nanotecnologia, colocando artistas junto de investigadores, propagando a aproximação da comunidade à nanotecnologia e à arte. A renovação da parceria permitirá também a introdução de novas variáveis, onde se incluirá uma componente pedagógica a partir de 2018.

Fruto de um projecto-piloto intitulado ´Scale Travels´, a galeria INL foi visitada por cerca de 5000 pessoas no primeiro semestre de 2017 e alcançou um alcance mediático estimado de 3.858.218 pessoas, tendo recebido instalações sonoras e audiovisuais dos artistas portugueses Rui Dias e Fernando José Pereira, do norte-americano Pierce Warnecke, do holandês Tarik Barri e, mais recentemente, do português Pedro Rebelo.

De acordo com Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, esta parceria é ´extremamente importante´ porque permite ao gnration ´ligar a componente artística e cultural à inovação, juventude e criatividade´. “É um bom testemunho do que queremos que seja o papel do edifício no contexto da nossa comunidade. Ao mesmo tempo permite ao INL reforçar a sua abertura à comunidade tornar acessível a ciência e o conhecimento que produzem”, afirmou, referindo também que este projecto é uma ´mais-valia´ para a candidatura de Braga a Cidade Criativa da Unesco na área das media arts.

Segundo o Director do INL, Lars Montelius, o programa Scale Travels permite alcançar a comunidade e, em especial, uma audiência que normalmente não visitaria o INL ou trabalharia com os seus investigadores.

“Estamos muito felizes com os resultados das duas primeiras fases do programa, alcançados não só aqui em Braga, mas também junto dos cerca de 4 milhões de pessoas em todo o mundo através de várias actividades de disseminação. Gostaríamos de levar o projecto Scale Travels ainda mais longe na próxima fase do programa. A duração de três anos possibilitará novas dimensões e caminhos a serem explorados, incluindo experiências de co-criação, não só entre um artista e um cientista, mas também através de programas interativos no gnration”, referiu.

Em 2017 a galeria INL encerrará com uma obra audiovisual do conceituado artista japonês Ryoichi Kurokawa, vencedor do Golden Nica – Prix Ars Electronica e com trabalho exibido na Bienal de Veneza, Tate Modern ou Transmediale. O conceituado artista esteve em residência artística em Maio deste ano na cidade de Braga. Durante uma semana, Kurokawa esteve em contacto directo e constante com investigadores do INL, onde teve a oportunidade de aprofundar conhecimentos sobre nanotecnologia que o permitiram elaborar o trabalho artístico que apresentará em estreia mundial.

As visitas à galeria INL são gratuitas e decorrem no período normal de funcionamento do gnration.

3

5

CERVEIRA LEVA ALUNOS E PROFESSORES À BIENAL DE ARTE

Novo ano letivo arranca com visita de professores e alunos à Bienal de Arte

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e a Vereadora da Área da Educação, Aurora Viães, assinalaram, esta quarta-feira, a abertura do ano letivo 2017/2018, convidando os professores do Agrupamento de Escolas do concelho para uma visita guiada à XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Alunos terão oportunidade de conhecer com os trabalhos expostos durante as próximas duas semanas.

IMG_9148

Em ano de Bienal de Arte, a habitual cerimónia de receção aos professores em Vila Nova de Cerveira não podia ter outro cenário: o Fórum Cultural. O autarca cerveirense começou por dar as boas-vindas aos cerca de 50 docentes presentes, “‘aos da casa’ e a todos quantos se juntam a uma equipa de excelência”.

Reafirmando que a educação continua a ser uma das grandes prioridades do executivo, Fernando Nogueira sublinhou “o carinho especial pelas escolas que se traduz em atenção e disponibilidade dentro das possibilidades, pois o sucesso dos nossos jovens reflete-se no desenvolvimento do concelho”, e lançou um desafio: “Estamos num evento e num espaço de referência artística com reconhecimento nacional e internacional e, apesar do encerramento da XIX edição acontecer no próximo sábado, a maioria das exposições vai estar disponível mais duas semanas para que possam trazer os vossos alunos a conhecer”.

O diretor do Agrupamento de Escolas, Professor Venceslau Teixeira, agradeceu à Câmara Municipal por ser um parceiro privilegiado, realçando o excelente trabalho que tem sido desenvolvido e que se revela no entusiasmo dos pais e alunos em regressar à escola.

Depois dos discursos de boas-vindas, seguiu-se uma visita guiada à exposição de Homenagem a Paula Rego, pela Curadora Helena Pereira.

BRAGA EXPÕE OBRAS DE JOSEFA DE ÓBIDOS

Exposição no Palácio do Raio mostra obras de Josefa de Óbidos

No âmbito da Braga Barroca, que se realiza entre os dias 20 e 24 de Setembro, é inaugurada esta Sexta-feira, dia 15 de Setembro, pelas 18h00, no Palácio do Raio, a exposição ‘Josefa de Óbidos: Pintura em tempo barroco’.

Josefa de Óbidos

Até 20 de Outubro, o público poderá apreciar obras de referência de um vulto da pintura barroca em Portugal. Para amanhã, dia 15, está igualmente agendada uma sessão de história local sobre a pintora, orientada por Joaquim Caetano. A sessão terá lugar às 21h30, no Auditório de S. Marcos (Antigo Hospital de S. Marcos). Também entre os dias 20 a 23 de Setembro, às 17h00, irão decorrer visitadas guiadas à exposição.

Josefa de Ayala e Cabrera - mais conhecida por Josefa de Óbidos - nasceu em 1630, em Sevilha, vindo mais tarde para Óbidos, de onde era natural o seu pai, Baltasar Gomes Figueira, e onde veio a falecer em 1684, com 54 anos. Desta vila portuguesa adoptou o nome artístico, iniciando aqui uma intensa actividade na área da pintura e não só.

Na exposição que estará patente no Palácio do Raio estarão algumas das obras desta artista espalhadas pelo país, vindas de várias instituições, sobretudo Misericórdias. Figura central do século XVII e do barroco português, Josefa de Óbidos distinguiu-se pelo seu estilo original, marcando a pintura portuguesa, num meio artístico predominantemente masculino.

A Braga Barroca, que se realiza de 20 a 24 de Setembro, pretende não apenas assinalar as Jornadas Europeias do Património, mas igualmente dar uma oportunidade mais visível para os Bracarenses desfrutarem e conhecerem o seu património. Ao longo do ano não faltam outras iniciativas visando a promoção e salvaguarda do Barroco na cidade de Braga, no entanto, dada a sua relevância, entendemos que deveria ter reservado um momento especial no calendário que, graças ao empenho e participação dos bracarenses, se solidificou nas dinâmicas culturais da cidade.

Sons, sabores, visitas guiadas, encenações, entre outros momentos de aprendizagem serão proporcionados a todos os públicos na edição de 2017.

ANTÓNIO TEIXEIRA EXPÕE NO POSTO DE TURISMO DE VIZELA

1 a 30 de setembro: Exposição de António da Silva Teixeira na Loja Interativa de Turismo

A Loja Interativa de Turismo de Vizela recebe a exposição de António da Silva Teixeira na Loja Interativa de Turismo, de 1 a 30 de setembro.

António Teixeira reside em Rio Tinto, Gondomar. Após a sua aposentação, deu asas à sua grande paixão, a pintura fazendo desta arte o seu hobbie.

Fez a sua primeira aparição em 2006, numa exposição coletiva no Salão Nobre da Junta de freguesia de Rio Tinto.

Desde então, sem objetivos financeiros, e não se considerando um artista continua a pintar e a expor individual e coletivamente.

Grande parte das suas obras são carinhosamente oferecidas a amigos e a obras de solidariedade social. O seu objetivo é criar para todo o tipo de público.

Print

VALENÇA ENCONTRA-SE NAS ROTAS INTERNACIONAIS DE ARTE

Percurso Lusitano de Robert Schad

O escultor alemão Robert Schad, radicado em Valença há mais de 30 anos, apresenta a exposição “Percurso Lusitano”, em Valença, com 10 obras na Fortaleza e Mosteiro de Sanfins, até março de 2018.

unnamed

Obras na Fortaleza e Mosteiro de Sanfins

Na Fortaleza de Valença é possível apreciar uma maqueta da Cruz Alta de Fátima, da autoria de Robert Schad, bem como as obras Pokent 2012, Snofiot 2015, Skorn 2016, Ellerd 2012 e Penden 2016. No recinto do Mosteiro de Sanfins é possível apreciar as obras Geot 2016, Fonke 2015, Mooh 2015 e Ponks 2016.

Cruz Alta de Fátima

O autor da emblemática Cruz Alta de Fátima promove esta grande exposição “Percurso Lusitano”, que para além de Valença percorre mais 18 locais de Portugal, com mais de 50 esculturas. Esta exposição revela-se única, tanto no número de esculturas expostas, como também na distribuição espacial das mesmas, que se estendem de norte a sul do país.

As linhas que determinam as suas esculturas constituem um “fio condutor“ que atravessa o país e permitem novos pontos de vista e perspetivas sobre os locais em que as esculturas se encontram.

Radicado Há mais de 30 Anos em Valença

O escultor alemão Robert Schad reside e trabalha alternadamente entre Larians (França) e São Pedro da Torre, Valença, onde mantém um atelier há mais de 30 anos.

VIANA DO CASTELO DESVENDA COLECÇÕES SECRETAS DE ARTE DA REGIÃO

“Pulsar Viana” desvenda coleções secretas da região no Estação Viana Shopping. 2ª edição da iniciativa cultural decorre de julho a outubro de 2017

O Estação Viana Shopping acolhe, de julho a outubro, a 2ª edição do “Pulsar Viana”, um programa cultural que pretende dar continuidade à aposta do Centro como um espaço de partilha e divulgação da arte tradicional da região. Este ano, o “Pulsar Viana” vai desvendar os segredos mais bem guardados das artes e tradições de Viana do Castelo e do Minho.

image004 (5).jpg

Esta 2ª edição tem a curadoria de duas conceituadas artistas da região, Iva Viana e Dina Maciel Costa, que vão revelar coleções menos conhecidas do grande público, de diversos museus da região.

O “Pulsar Viana”, numa perspetiva de democratização da arte, consegue assim dinamizar os equipamentos culturais e oferecer aos visitantes do Estação Viana Shopping uma oportunidade única de conhecerem mais sobre a região. Ao mesmo tempo os visitantes do Centro podem ainda usufruir de uma visão mais contemporânea proporcionada pelas criações únicas das artistas convidadas. 

A primeira exposição “Coleções Secretas da Região by Iva Viana” estará em exibição no Estação Viana Shopping, de28 de julho a 15 de setembro, com a curadoria da artista plástica Iva Viana que elegeu diversas imagens de peças das coleções menos conhecidas do Museu de Artes Decorativas, Museu do Traje e Casa dos Nichos. Além desta mostra, a artista fará a sua própria interpretação destes segredos através da conceção de uma peça única criada especialmente para esta exposição – o Jardim de Gesso.

Iva Viana revela que"esta oportunidade fez-me ver os museus da minha cidade com outros olhos”, realçando que, “foi uma oportunidade de ver peça a peça, detalhes a detalhe”. Mencionando ainda aquilo que para si foi o maior desafio,“escolher 3 objetos de cada espaço. Tarefa difícil.” A artista fala-nos sobre o elo que para si faz sentido entre as várias obras, “No final das visitas a relação que encontro em todos os objetos que escolhi e destes com o meu trabalho foi o Adorno. Todas as peças têm detalhes, pormenores decorativos, independentemente da sua função. Desde o gato de cerâmica que é um perfumador até mesmo um vaso utilitário de a.c.”

Iva Viana, natural de Viana do Castelo, licenciou-se em Artes Plásticas, na vertente de escultura, na Faculdade de Belas Artes do Porto. O seu percurso académico ficou marcado pela passagem na Akademia Sztuk Pieknych, em Cracóvia, estagiando ainda com o famoso escultor Pierre Merlin.

Fascinada pela herança dos mestres estucadores portugueses, Iva Viana coloca no seu trabalho a sua sensibilidade feminina, numa vertente da arte tradicionalmente masculina. Reconhecida por um trabalho exímio, de recorte minucioso, as suas obras mostram sempre o domínio da artista na relação técnica e matéria.

Entre muitos outros trabalhos, o seu portfólio conta com painéis em gesso feitos para os hotéis Four Seasons, em Londres, e Shangri-La, em Paris. Desde o início de 2013, concilia o seu trabalho anterior com projetos pessoais, que desenvolve no seu próprio atelier.

O Estação Viana Shopping recebe, assim, mais uma edição do “Pulsar Viana”, uma iniciativa de quatro meses que enaltece aquilo que de melhor se fez e continua a ser feito ao nível cultural nas regiões de Viana e do Minho.

image002 (6).jpg

ARTE DESCE À RUA EM PONTE DE LIMA

“Arte na Rua”: Artista pintam ao vivo riqueza patrimonial de Ponte de Lima

Vários artistas, na sua maioria nacionais, pintaram Ponte de Lima ao vivo no passado domingo, 6 de agosto, naquela que foi a segunda edição do projeto “Arte na Rua”.

DSCF1654 (Medium).JPG

Posicionados em alguns dos mais emblemáticos locais da histórica vila ponte-limense – de que se destacam o Largo de Camões e a zona pedonal da Igreja Matriz – os criadores verteram para as telas vazias fragmentos e símbolos do património material e imaterial de Ponte de Lima num processo inventivo e progressivo que os veraneantes puderam acompanhar em todas as suas fases. Apesar de uma certa dispersão artística para captação de elementos porventura menos representados em pintura, a maioria dos participantes concentrou-se no Largo de Camões, atraindo a atenção e a curiosidade de dezenas de turistas e autóctones que confraternizaram com os criadores e fotografaram os seus trabalhos favoritos.

À semelhança da edição anterior, o calor da tarde levou os artistas para a Avenida dos Plátanos onde terminaram as telas ao som da recitação de poemas de autores locais pela voz da declamadora Maria Simões. Além dos quadros alusivos a Ponte de Lima, o “Arte na Rua” apresentou, pela primeira vez, dois trabalhos em fotografia – um em celebração dos 190 anos das Feiras Novas, o outro em evocação de dois dos maiores símbolos da vila: a ponte medieval/romana e o Largo de Camões numa sobreposição original de imagens.

PIQUENIQUE DAS ARTES EM FAMALICÃO FOI UM SUCESSO

Sucesso do Mel: Piquenique das Artes motiva nova edição em 2018. Várias centenas de pessoas participaram nas iniciativas

Várias centenas de pessoas passaram, neste fim-de-semana, pelo Mel: Piquenique das Artes, que animou o Parque da Devesa com várias propostas artísticas e as componentes ambientais, ecologias e de cidadania.

DSC_3553.JPG

Foram mais de uma dezena de espetáculos ao longo de quatro dias, que culminaram num verdadeiro sucesso.

O êxito desta primeira edição serviu de incentivo para que a organização começasse já a planear o Piquenique das Artes para 2018. Isto mesmo é confirmado pelos diretores da Elogio Vádio e da Fértil Cultural. De acordo com as suas afirmações, estão "felizes com esta primeira edição" e afirmam que "este evento correu bem, as famílias aderiram e todos os participantes estão satisfeitos".

Também o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que participou nas atividades no sábado, se mostrou muito satisfeito com “a adesão dos famalicenses a este projeto inovador”, considerando o Mel “uma mais valia cultural para o concelho, estando em total harmonia e equilíbrio com os valores da Devesa”.

O Parque da Devesa foi o pano de fundo para a realização deste festival “multicultural e interdisciplinar”, onde a música, dança, teatro, literatura e uma série de oficinas estiveram, de forma gratuita, servidas às famílias que ali se deslocarem durante os dias 3 a 6 de Agosto.

O evento arrancou com um espetáculo comunitário e nos três dias posteriores ocorreram mais de uma dezena de espetáculos, nos quais foi visível uma vasta oferta cultural, protagonizada por artistas emergentes e de referência, nacionais e estrangeiros, que privilegiam criações que tiveram como principal escopo o apelo à consciência ambiental, cívica e ecológica.

DSC_3591.JPG

ENCONTRARTE AMARES 2017 DESPERTA PARA O PATRIMÓNIO IMATERIAL

ENCONTRARTE AMARES 2017. Amares foi palco de co-criação artística, partilha de saberes e comunhão de afetos

Tendo como pano de fundo o “Património em trânsito”, o Encontrarte Amares 2017 transbordou gentes, usos e costumes e veio despertar o interesse pelo património imaterial do território de Amares, pelas mãos, palavras, imagens e reflexões dos artistas nacionais e internacionais, das mais variadas áreas, que se propuseram a criar laços de diálogo com Amares e a partir daí produzir a sua conceção da realidade.

DSC04311.jpg

Transformação, movimento, transpiração e trânsito foram as palavras-chave que estiveram na génese da 5ª edição do Festival de Artes e Cinema de Animação Experimental, que decorreu entre os dias 27 e 30 de julho, propondo um diálogo vivo e permanente entre o pensamento artístico e o quotidiano, as histórias e saberes das gentes de Amares.

“Conseguimos fazer aquilo a que nos propusemos e que era envolver a população, envolver o conhecimento que existe aqui, tirar partido do contexto de Amares e potenciá-lo ao máximo fazendo com que a palavra passe e que haja cada vez mais gente a querer vir para cá desenvolver ideias”, mencionou Fernando Almeida da direção artística em jeito de balanço, destacando a forte comunhão entre o público e a experimentação artística.

“Estou certo de que todos os artistas vão sair daqui fascinados com tudo o que é Amares e isso vai certamente levar lá para fora o seu testemunho e na próxima edição trazer mais gente, trazer mais ideias, mais formas de trabalhar e envolver mais gente em todos os processos de criação”.

DSC04327.jpg

Lembrando que o Encontrarte Amares “é um evento que pertence às pessoas”, Fernando Almeida sublinhou que, decorrida que está mais uma edição, aquilo que fica nas pessoas é “alegria, amor, felicidade e comunhão no sentido de pertença, de serem uma peça ativa numa engrenagem que precisa delas para seguir em frente, para se tornar maior e para trazer mais amor a Amares e às pessoas”.

Para Martinho Antunes, que faz parte também da direção, esta edição foi “excecional”. “Houve uma grande entrega, as oficinas correram bem, os artistas sentiram Amares, mexeram Amares, trabalharam e produziram obras interessantes, a oficina de olaria envolveu adultos, jovens e crianças, quer do centro escolar quer do CAO, o público quiz ir até à praça, conseguimos envolver uma série de associações no espetáculo de abertura, o serviço educativo com o grupo de idosos de Goães correu muito bem, enfim é uma festa que acaba por envolver muita gente do concelho e isso é que é importante”.

Nas palavras do presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, o Encontrarte Amares é um festival que é já “parte integrante da cultura e da identidade amarense”. “Foi com muita satisfação que me deparei ao longo destes quatro dias com o envolvimento de todos aqueles que abraçaram esta edição, desde a direção, passando pelos artistas, voluntários, associações participantes, até à população, todos sentiram este evento como seu e fizeram dele um verdadeiro sucesso”, sublinhou o autarca.

“Amares respirou e sentiu cultura, uniu-se em torno de um objetivo comum na valorização do património imaterial do concelho e isto é a prova de que este género de iniciativas mexe com as pessoas, mexe com o concelho”, acrescentou.

DSC04366.jpg

Número de artistas participantes superou expetativas

O Encontrarte Amares 2017 contou com mais de 70 artistas nacionais e estrangeiros para desenvolver projetos artísticos em co-criação com a comunidade Amarense.

“Esteve excelente o número de participantes. Inicialmente tínhamos apontado para 30 artistas mas acabamos por superar em larga medida esse número porque há cada vez mais pessoas que sentem vontade de vir e participar”, sublinhou Martinho Antunes, dando como exemplo um artista alemão que esteve no Encontrarte Amares pela 3ª vez.

“Esta partilha, esta entrega, é isto que tem que fazer o Encontrarte, unir esforços e trabalhar em torno de um projeto que visa dinamizar a cultura, ganhar experiência, trazer novos olhares, novas formas de trabalhar, novos desafios, desafiar os próprios músicos e artistas de Amares, disseminar por Amares novas visões, novos desafios para que cada um se convença que se pode fazer melhor e que podemos dar o salto”, acrescentou.

DSC04373.jpg

 “…O Homem do Cávado” abriu portas ao Encontrarte” com a presença do Diretor Regional da Cultura do Norte

“... O Homem do Cávado” foi o nome do espetáculo que marcou oficialmente a abertura da 5ª edição do Encontrarte Amares. Um momento único de co-criação que aspirando a criação de um espetáculo que desvendasse um pouco da história de Amares, e simultaneamente nos conduzisse numa viagem exploratória por linguagens que unem o contemporâneo ao popular, brindou o público com um momento único de co-criação que reuniu os músicos Pedro Augusto e José Cordeiro, os artistas plásticos João Alves e José Peneda, a escola de música Associação Educação, Cultura e Artes, o coro infantil da Associação de Fomento Amarense e o grupo de bombos Animares.

DSC04383.jpg

O Diretor Regional da Cultura do Norte, António Ponte, que se deslocou, especialmente, a Amares para visitar o Festival de Artes Plásticas e Cinema de Animação mostrou-se visivelmente agradado com a dinâmica criada pelo evento. Numa visita guiada a alguns dos espaços que serviram de berço a esta edição, como a casa da Botica, a Biblioteca Municipal e o Aquário, António Ponte teve oportunidade de apreciar as criações artísticas que convocavam a contemporaneidade e o quotidiano.

“A presença do diretor regional da cultura e do fundador da bienal de Cerveira, que também esteve aqui e ficou encantado com a dinâmica que nós conseguimos criar, são exemplos que nos dão garantia de que estamos no caminho certo e de que as pessoas começam a reconhecer o valor do trabalho que se está a produzir”, destacou Martinho Antunes, agradecendo o apoio de todos os que colaboraram, sem exceção, para fazer desta edição um sucesso.

O presidente da Câmara Municipal de Amares lembrou que esta foi a segunda vez que António Ponte visitou o Encontrarte Amares o que “demostra que este evento deixa a sua marca nas pessoas”.

DSC04384.jpg

5ª edição do Encontrarte lançou ARA – Amares Residências Artísticas criando ramificações para um projeto contínuo

A 5ª edição do Encontrarte Amares lançou a o ARA – Amares Residências Artísticas. Um projeto que trouxe a Amares entre 24 e 30 de julho, 6 artistas nacionais e 6 estrangeiros para desenvolver um projeto de criação participativo. Criadores, residentes e visitantes foram desafiados a refletir e criar de forma cooperativa. Mas este projeto não se esgota aqui. A dinâmica do Encontrarte, que até então se tem vindo a realizar numa periocidade bienal, vai alargar horizontes mantendo uma atividade mais constante.

“Há ramificações que estão a ser criadas. Estamos aqui há nove anos e todo o nosso trabalho tem vindo a cingir-se mais nestes quatros dias mas agora estamos a sentir uma necessidade muito grande de trabalhar este contexto num sentido mais lato e vamos iniciar alguns projetos, nesse sentido, procurando perceber o que é que está a acontecer aqui e como é que isso se pode tornar matéria-prima para ser produzida”, referiu Fernando Almeida.

Exemplo dessa dinâmica contínua é um projeto cultural que está já em curso e que se prende com uma tradição popular antiga do concelho.

“Temos já duas pessoas a trabalhar num projeto que está relacionado com uma momento cultural que vai acontecer no concelho e que tem a ver com a criação de um arco de festa, uma tradição que já existiu em todas as freguesias do concelho mas que, agora, apenas se mantém em Goães, explicou Martinho Antunes.

Aproveitando que vai ser feito um novo de raiz, vamos, com o apoio da câmara, fazer o registo, quer fotográfico quer em filme, para que não se perca a memória viva tão importante desta tradição, conclui.

Note-se que, o Encontrarte Amares 2017 (27 - 30 Jul) é, ainda, um dos projetos piloto do Creatour - um projeto de investigação e experimentação multidisciplinar que visa a constituição e monitorização de uma rede de iniciativas de turismo criativo em pequenas cidades e áreas rurais em Portugal, integrando cinco centros universitários do Norte, Centro, Alentejo e Algarve.

DSC04442.jpg 

ARTE NA RUA REGRESSA A PONTE DE LIMA

“Arte na rua” regressa a Ponte de Lima com novas propostas criativas

Mais de duas dezenas de artistas participam na segunda edição de “Arte na rua – pintores à solta em Ponte de Lima”, que decorre no próximo domingo, 6 de agosto, pelas 10h00.

Arte na Rua-02-01-01 (Medium) (1).png

A iniciativa, promovida pelo Município de Ponte de Lima, vai levar a locais emblemáticos da histórica vila alto-minhota um conjunto de criadores que, ao longo do dia, reproduzirá em tela ou escultura a riqueza patrimonial e paisagísticas ponte-limenses.

O objetivo do projeto artístico, retomado após o sucesso da edição inaugural, é dar a conhecer, em tempo real, todas as fases que envolvem a produção de uma obra de arte, aproximar os veraneantes dos criadores e do trabalho que desenvolvem e divulgar a beleza natural e arquitetónica de Ponte de Lima. 

Associe-se ao "Arte na rua" e marque presença no Largo de Camões – praça que no domingo funcionará como o principal local de fruição artística.

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE ARTES E OFÍCIOS TRADICIONAIS

18ª edição da Feira das Artes e Ofícios Tradicionais voltou a promover produtos e tradições locais

A Feira de Artes e ofícios Tradicionais voltou ao largo do Eiró, em Soajo, nos dias 21,22 e 23 de Julho.

soajo2017_12jpg.jpg

Este certame, realizado há já 18 anos, contou com a presença do Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, Dr. Melchior Moreira, na cerimónia inaugural, e voltou a levar até esta vila, muitos visitantes, curiosos pelas suas tradições, gastronomia e vinhos locais, bem como pelo artesanato e animação.

Na cerimónia de inauguração, o Presidente da Câmara Municipal, João Esteves, voltou a enaltecer a importância da realização destes certames no papel da promoção e dinamização do território e suas potencialidades.

“Soajo está situado no PNPG, Reserva Mundial da Biosfera, possuindo um vasto património natural e cultural, bem como oferta de excelência ao nível da gastronomia tradicional, vinhos e alojamento” fatores que conjugados resultam numa oferta turística de qualidade, atesta.

Melchior Moreira, Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, foi de encontro às ideias explanadas pelo autarca, deixando claro que Soajo “em termos de ícone de promoção turística, é uma pérola dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês”. Melchior Moreira aproveitou também o momento para deixar alguns números referentes à crescente procura turística no que toca aos destinos de Natureza, como o é Arcos de Valdevez, referindo que estes são destinos em clara expansão e cada vez mais procurados, para o qual contribui muito a simpatia e hospitalidade das gentes residentes no concelho. “Arcos de Valdevez quadruplicou o número de dormidas nos últimos três anos”, frisou, referindo que estes números são fruto de uma nova estratégia de promoção por parte do Município e aliado a isso do aumento da oferta hoteleira.

As jornadas gastronómicas, os trilhos, as rusgas, os festivais folclóricos, as arruadas de bombos, os concertos musicais, entre outras opções, fizeram de soajo durante estes dias, palco de grande animação, convívio e atividade.

A Feira das Artes e Ofícios Tradicionais de Soajo contou com a organização da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, da ARDAL – Associação Regional para o Desenvolvimento do Alto Lima e da Junta de Freguesia de Soajo, e o apoio da Casa do Povo de Soajo, Assembleia de Compartes dos Baldios de Soajo, do Centro Social e Paroquial de Soajo, do Rancho Folclórico da Associação de Vilarinho das Quartas – Soajo e do Rancho Folclórico Camponesas de Soajo.

Com este evento pretende-se promover os produtos locais, as artes e ofícios tradicionais, os usos e costumes tradicionais.

soajo2017_14.jpg

soajo2017_15.jpg

soajo2017_25.jpg

Capturar-arcos1.PNG

SOAJO MOSTRA ARTES E OFÍCIOS

Feira das Artes e Ofícios Tradicionais de Soajo realiza-se de 21 a 23 de julho

Soajo promove a Feira de Artes e ofícios Tradicionais a partir da próxima sexta-feira, dia 21 de julho, e até domingo. A vila de Soajo, característica nas suas formas particulares de vivência e organização social e económica, é provavelmente um dos destinos concelhios mais divulgados e conhecidos e é famoso pelo vasto conjunto de espigueiros erigidos sobre uma enorme laje granítica.

fao_soajo_PUBJN_pag.jpg

Terra de tradição e integrante do Parque Nacional da Peneda Gerês, um dos ex-libris da região, declarado como Reserva Mundial da Biosfera pela Unesco, chama à atenção pela sua riqueza cultural e natural.

Assim, de 21 a 23 de julho, decorrerá mais uma edição da Feira das Artes e Ofícios Tradicionais de Soajo que, tal como em anos anteriores, conta com a organização da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, da ARDAL – Associação Regional para o Desenvolvimento do Alto Lima e da Junta de Freguesia de Soajo, e o apoio da Casa do Povo de Soajo, Assembleia de Compartes dos Baldios de Soajo, do Centro Social e Paroquial de Soajo, do Rancho Folclórico da Associação de Vilarinho das Quartas – Soajo e do Rancho Folclórico Camponesas de Soajo.

Com este evento pretende-se promover os produtos, as artes e ofícios tradicionais, o folclore, os usos e costumes tradicionais e as manifestações espontâneas da cultura popular.

O certame é composto por uma exposição de produtos locais e artesanato, associado a um vasto programa de animação. Na componente exposição, dá-se destaque ao espaço ocupado pelas tasquinhas que terão à disposição dos visitantes um sem número de petiscos e iguarias de sabores excecionais, bem como aos pratos servidos pelos restaurantes aderentes no âmbito das jornadas gastronómicas, acompanhados pelo vinho verde da região. Produtos que reúnem as potencialidades, riquezas e especificidades do mundo rural, permitindo construir uma oferta integrada e a promoção de um território de excelência.

O programa de animação é variado, assente na música tradicional, com destaque para a atuação de Cláudia Martins & Minhotos Marotos, rusgas; ranchos folclóricos; cantares ao desafio; grupos de bombos e concertinas.

Venha a Soajo! Venha desfrutar da nossa cultura, das nossas tradições, da boa gastronomia e do ar puro do Parque Nacional Peneda Gerês, os quais compõem um leque de boas opções que não o vão desiludir.

ART-MAP “PENSAR BARROCO”REÚNE EM BRAGA TRABALHOS DE MAIS DE 80 ARTISTAS

Festival-roteiro das Artes decorre de 22 de Julho até 09 de Setembro

Art-Map “Pensar Barroco” é um projecto artístico que visa mapear Portugal com arte. O projecto organiza anualmente exposições de arte contemporânea de grande escala em diferentes cidades, convidando artistas portugueses e estrangeiros, conhecidos e emergentes, para fascinar-se com a autenticidade das localidades, viver a história e expor nas melhores galerias.

Art-Map.jpg

Este ano, de 22 de Julho a 9 de Setembro, o Art-Map apresenta-se em Braga com 270 obras em nove edifícios históricos da Cidade: pinturas, esculturas, instalações, fotografia e vídeo arte, arte sonora e livros de artistas. O evento inclui também várias residências artísticas, conferências com os artistas, workshops, uma performance do duo teatral espanhol Balázs Várnai e Mercé de Rande e um concerto do lendário Homem do Trigo.

O circuito inaugural do evento decorre este Sábado, dia 22 de Julho, às 15h00, tendo início na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva. O circuito percorre os seguintes locais: 15h30 nas Termas Romanas do Alto da Cividade; 16h00 no Palácio do Raio; 16h30 na Livraria 100.ª Página; 17h00 na Galeria Privada Mestre Alberto Vieira; 17h30 na Casa dos Crivos; 18h00 no Edifício do Castelo/Rua do Castelo; 18h30 no Museu da Imagem e 19h00 na Galeria da Antiga Estação CP.

Os 80 artistas participantes foram seleccionados a partir de 311 propostas recebidas para expor em Braga e são representantes de 21 países, incluindo, além da UE, Israel, Índia, Dubai, EUA, Cuba, Canadá, Brasil e Costa Rica. Entre eles, estão artistas portugueses como Alberto Vieira, Carlos Araújo, Carlos Teixeira, Patrícia Ferreira e Costa Araújo.

“Pensar Barroco” foi o desafio proposto aos artistas para revitalizar nas suas criações os motivos do barroco, estudando o estilo e os seus conceitos e como se pode manifestar na contemporaneidade.

Este Festival-Roteiro das Artes convida os visitantes a orientarem-se pelo mapa e, num dia, visitar os nove espaços no centro da Cidade, usufruindo da exposição da arte contemporânea organizada com curadoria de Madina Ziganshina.

Os nove destinos são: Galeria da Antiga Estação, Museu da Imagem, Largo do Paço, Casa dos Crivos, edifício do Castelo/Rua do Castelo, Palácio do Raio, Biblioteca Lúcio Craveiro, Termas Romanas do Alto da Cividade, Livraria Centésima Página e Edifício INATEL (Avenida Central).

O escultor bracarense Alberto Vieira preparou ainda, especialmente para esta edição de Art-Map, uma obra na entrada da sua galeria, na rua de São Vicente 47.

PONTE DE LIMA TEM ARTE NA RUA

Município de Ponte de Lima promove segunda edição de Arte na Rua

O Município de Ponte de Lima vai organizar, pelo segundo ano consecutivo, a iniciativa “Arte na rua – pintores à solta em Ponte de Lima”, projeto artístico que promete levar ao Largo de Camões, a 6 de agosto, dezenas de artistas que, ao longo do dia, reproduzirão em tela ou escultura a riqueza patrimonial e paisagística da histórica vila alto minhota.

O objetivo da ação é dar a conhecer, em tempo real, todas as fases que envolvem a produção de uma obra de arte e aproximar os veraneantes dos criadores e do trabalho que desenvolvem.  

Associe-se ao “Arte na rua” e veja como os nossos artistas fazem magia num dos mais emblemáticos espaços de Ponte de Lima.

Arte na Rua-02-01-01 (Medium).png

MINISTRO DA CULTURA NA ABERTURA DA ARTE NA LEIRA EM ARGA DE BAIXO

Na Casa do Marco, em Arga de Baixo, pelas 15h30

O ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, vai estar amanhã em Caminha, para a abertura da edição 2017 da Arte na Leira, pelas 15h30. A Casa do Marco, em Arga de Baixo, acolhe este ano trabalhos de mais de três dezenas de artistas, nacionais e estrangeiros, nas áreas da pintura, escultura, tapeçaria, desenho, cerâmica e fotografia.

Retrato_oficial_Castro_Mendes.jpg

Até ao dia 20 de agosto vai ser possível visitar a Arte na Leira, admirar e adquirir obras de arte, mas também conviver com os artistas e participar no programa de animação que brevemente será anunciado. Visitar a Casa do Marco, ao longo deste período, é também uma oportunidade para subir a lindíssima Serra de Arga e tomar contacto com a arte num cenário natural e raro.  

Esta é uma mostra única. A Casa do Marco e a sua leira, no meio da serra, transformam-se por esta altura numa galeria de arte moderna. Visitantes e aldeões cruzam-se num espaço genuinamente rural, sem preconceitos, com uma naturalidade que distingue o evento. Como escreveu Miguel Alves, a qualidade das obras, a par desta singularidade, são caraterísticas distintivas. O promotor, o artista Mário Rocha, é capaz de “reunir no mesmo espaço intelectuais e pastores, sem que uns e outros experimentem qualquer sensação de desconforto, ao coexistirem lado a lado numa galeria natural e extraordinariamente diferente”, conclui o presidente da Câmara Municipal de Caminha.

Arte na Leira (1).jpg

VINCUL`ARTE – TODA A ARTE EM MONÇÃO

A maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do centro histórico (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz) realiza-se este fim de semana, 14 e 15 de julho.

19260787_722812867905473_8805339503053545139_n.jpg

Monção é palco este fim-de-semana, 14 e 15 de julho, da segunda edição do “Vincul`Arte”, a maior mostra de arte ao ar livre do Alto Minho que celebra a cultura nas mais variadas formas (música, teatro, poesia, cinema, workshop e exposições) em cinco espaços públicos do casco urbano (Praça Deu-la-Deu, Alameda dos Néris, Rua da Independência, Largo de Camões e Largo da Igreja Matriz).

André Coelho, da Associação Clube Azul, organizadora do evento, promete dois dias intensos para desfrutar da arte, nas suas profundas e criativas multiplicidades, em locais emblemáticos do centro histórico de Monção. Refere que “a primeira edição foi uma surpresa agradável” e que a segunda “será o crescimento natural de um projeto que veio para ficar”

A Alameda dos Néris recebe exposições de pintura, escultura, fotografia e ilustração, bem como workshop de desenho “Meta_Olmo”, coordenado por Patrícia Oliveira, do Atelier Flor Agreste, o qual tem como finalidade focar a atenção dos participantes nos aspetos e detalhes da beleza natural circundante. As exposições são inauguradas no dia 14, sexta-feira, pelas 16h00. O workshop no dia 15, sábado, pelas 18h00.

Com o apoio do Cine Clube de Monção, está previsto cinema ao ar livre na Rua da Independência com passagem do “Cinema Paradiso”, de Guisseppe Tornatore. Na sede do clube, na mesma rua, estará patente ao público uma exposição de cartazes que fazem a história do cinema português. Sessão marcada para o dia 14, sexta-feira, pelas 22h00.

A peça de teatro “Não é por ali”, diálogo cómico com duas intérpretes, Andreia Alves e Ana Rita Monteiro, é apresentada no dia 15, sábado, pelas 17h00, no Largo de Camões, seguindo-se, no mesmo local, o primeiro concerto da presente edição do “Vincul`Arte” a cargo de “O Manipulador”.

A poesia de Valeriano Varela e José Pinto far-se-á ouvir no Largo da Igreja Matriz, a partir das 21h30, abrindo portas a vários concertos, naquele espaço, que prometem animar o casco urbano da vila: Them Flying Monkeys, Nice Weather for Ducks, Puma Pumku e Cave Story.