Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICENSES ADOPTAM ÁRVORES

Campanha de adoção de árvores foi um sucesso

Os famalicenses responderam em massa ao desafio lançado pela Câmara Municipal e foram mais de mil os que este sábado se dirigiram à Praça Cupertino de Miranda para levantar, de forma gratuita, árvores e arbustos autóctones.

DSC_1035.jpg

Esta foi a primeira ação do desafio “Adote uma árvore”, lançado recentemente pela Câmara Municipal e inserido no âmbito do projeto municipal “25 mil árvores para 2025” e nas comemorações do Dia da Floresta e do Dia Mundial da Árvore.

As espécies de pequeno porte, como o alecrim, o azereiro, o azevinho e a urze, foram as mais procuradas pelos famalicenses, que podem voltar a contar com outra ação do género ainda este ano, durante os meses de outono.

Recorde-se que com o projeto “25 mil árvores até 2025”, a autarquia famalicense pretende reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio através da plantação de 25 mil árvores e arbustos nativos da região em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras.

CASTELO DE GUIMARÃES E PAÇO DOS DUQUES SEM LUZ DURANTE UMA HORA EM NOME DO AMBIENTE

CELEBRAÇÃO DA “HORA DO PLANETA” ESTE SÁBADO

“Hora do Planeta” é assinalada na noite deste sábado num compromisso com escala global. Edifícios e monumentos icónicos de todo o mundo vão ficar às escuras. Celebrar o Planeta Terra é um dos objetivos.

As luzes do Castelo de Guimarães e do Paço dos Duques de Bragança vão ser desligadas este sábado, 25 de março, entre as 20:30 e as 21:30 horas, num ato simbólico que assinalará a comemoração da “Hora do Planeta”, uma iniciativa da rede WWF (World Wide Found for Nature; Fundo Mundial para a Natureza), que incentiva cidadãos, empresas e governos a apagarem as luzes durante uma hora como demonstração do seu apoio à luta contra as alterações climáticas.

A adesão ao movimento implica apagar a luz de um ou dois monumentos emblemáticos da cidade, promover a divulgação da iniciativa e da sua mensagem contra as alterações climáticas, podendo igualmente os cidadãos desligar a eletricidade nas suas casas.

A celebração da Hora do Planeta, que pretende pôr o mundo às escuras na hora do jantar deste sábado, assinala dez anos, depois de ter sido realizada pela primeira vez em Sidney, na Austrália, em 2007, abrangendo já mais de 8.000 cidades, em 170 países, sendo reconhecida como a maior ação pelo ambiente e contra as alterações climáticas.

Em Portugal, além de Guimarães, vão ter as luzes apagadas a Ponte 25 de Abril (Lisboa), Ponte da Arrábida (Porto), estação ferroviária do Rossio, Castelo de S. Jorge, Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém (Lisboa), Castelo de Abrantes, Castelo de Bragança, Moinho das Castanholas no Cadaval, Castelo de Celorico, Arco da Vila de Faro, muralhas do Castelo de Loulé, entre outros monumentos.

BRIGADAS VERDES DE GUIMARÃES COMEMORAM DIA INTERNACIONAL DE ACÇÃO PELOS RIOS

Laboratório da Paisagem coordenou iniciativa que permitiu remover resíduos dos caudais dos rios. Fermentões, Ponte, Creixomil e Briteiros Santo Estêvão e Donim promoveram ações ambientais.

Guimaraes_Dia_Acao_Rios_2017.jpg

Guimarães assinalou este sábado, 18 de março, o Dia Internacional de Ação pelos Rios, com um conjunto de ações de limpeza nos rios Selho e Ave, para sensibilizar e consciencializar a população para a preservação do ambiente em especial dos rios, na defesa da biodiversidade, transmitindo a importância e valorização das linhas de água urbanas. A ação ambiental, realizada ao longo da manhã deste sábado, contou com a participação do Presidente do Município, Domingos Bragança, e do Vice-Presidente, Amadeu Portilha, com competências delegadas na área do Ambiente. 

No Laboratório da Paisagem, no arranque da Festa da Primavera, que se prolonga até esta segunda-feira, figuras públicas, escuteiros e voluntários, juntaram-se à equipa científica do Laboratório da Paisagem para mais uma ação de limpeza do rio. Como resultado, foram retirados detritos num total de cerca de meia tonelada. Vários pneus, um colchão, têxteis diversos, recipientes de produtos alimentares e de higiene, em vidro e plástico, são apenas alguns dos exemplos encontrados.

Na ação junto ao Laboratório da Paisagem participaram o vice-presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, os atletas olímpicos Ana Dulce Félix e Ricardo Ribas, bem como voluntários do Banco Local de Voluntariado de Guimarães, escuteiros da Junta de Núcleo de Guimarães do Corpo Nacional de Escutas e elementos das brigadas verdes das Juntas de Freguesia de Creixomil e Fermentões.

Comemoração da data (também) no concelho

Aos escuteiros e voluntários Amadeu Portilha salientou o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito da valorização dos rios do concelho, nomeadamente pelo Laboratório da Paisagem. «O objetivo é darmos o exemplo do que pode ser a nossa generosidade para com as linhas de água, que são um elemento fundamental da nossa vida em sociedade. Acreditamos convictamente que estes pequenos exemplos podem ajudar a mudar Guimarães».

«É importante preservar, amar e promover a natureza, entregando aos nossos filhos e netos um Planeta muito melhor do que aquele que recebemos. Mais do que ser Capital Verde Europeia, importa continuar a percorrer o caminho da sustentabilidade». Já Ana Dulce Félix e Ricardo Ribas mostraram-se honrados com o convite para participar numa iniciativa que ajuda a «defender aquilo que é nosso».

Ações semelhantes foram realizadas pelas Brigadas Verdes de Ponte e Briteiros Santo Estêvão e Donim. Em Ponte, cerca de meia centena de voluntários recolheram mais de quinhentos quilogramas de lixo na margem norte do rio Ave, junto à Rua de S. José e Rua da Ponte Velha, em Campelos. Já a ação da Brigada Verde de Briteiros Santo Estêvão e Donim, com cerca de 30 elementos, incidiu no Parque de Lazer da Fraga e terminou na Praia Fluvial do Vaqueiro.

GUIMARÃES ESTÁ MAIS VERDE

Vila de Moreira de Cónegos apresenta Brigada Verde em defesa do ambiente

Concelho de Guimarães tem mais uma equipa ambiental. Fermentões, Ponte, União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim, Escola Profissional CISAVE, Longos e Aldão também já constituíram as suas Brigadas Verdes.

Guimaraes_Brigada_Verde_Moreira_Conegos.JPG

A Junta de Freguesia de Moreira de Cónegos apresentou publicamente a sua Brigada Verde, constituída por uma dezena de voluntários que vão cuidar dos espaços verdes e do rio Madalena, linha de água que atravessa o Parque de Lazer da vila, local onde decorreu a sessão pública de apresentação.

A proposta, lançada pelo Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, tem por objetivo desafiar os vimaranenses e as suas instituições a comprometerem-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente.

«Queremos ter um rio limpo e atrativo! Moreira de Cónegos só podia responder afirmativamente à proposta do senhor Presidente de Câmara», disse Paulo Renato, Presidente da Junta de Freguesia. «O Antero e o Jorge, bem como toda a equipa que faz parte desta Brigada Verde, estão atentos e contactam logo com as autoridades, sempre que ocorre algo menos positivo no ambiente», acrescentou.

«Permitir a fruição da natureza» é, de acordo com o Presidente do Município de Guimarães, um dos objetivos da criação das Brigadas Verdes. «Agradeço a participação e o envolvimento de todas as pessoas, pois este é o caminho de futuro! É o caminho da biodiversidade, da proteção dos recursos hídricos, da qualidade do ar, é um caminho bom para nós e para quem nos sucede! O património natural é um bem comum e não há nenhum interesse particular que se sobreponha ao interesse comum», afirma Domingos Bragança, que anunciou um acordo com os Municípios de Felgueiras e Vizela na vigilância do rio Vizela, que atravessa as vilas de Moreira de Cónegos e Lordelo.

PROJECTO DE GUIMARÃES FOI SELECCIONADO PARA A SEGUNDA FASE DO “PRÉMIO BOAS PRÁTICAS DE PARTICIPAÇÃO”

ATÉ DOMINGO, 12 DE MARÇO

Eco-Parlamento de Guimarães a votos para conquistar “Prémio Boas Práticas de Participação”

Projeto vimaranense foi selecionado para a fase da votação do público. Período de escolha realiza-se até à noite do próximo domingo.

Guimaraes_Eco_Parlamento.jpg

A Câmara Municipal de Guimarães, com o projeto Eco-Parlamento, é uma das cinco selecionadas para a segunda fase do “Prémio Boas Práticas de Participação”, promovido pela Rede de Autarquias Participativas (RAP). Depois de ter alcançado um 2º lugar na avaliação do júri, o projeto que coloca alunos do ensino básico a debater assuntos ambientais está agora a ser submetido à votação do público, a par de cinco outros projetos de boas práticas. O sufrágio decorre até às 23:59 horas do próximo domingo, 12 de março, e o processo de votação é simples.

Cada utilizador tem direito a dois votos, que deverão obrigatoriamente ser atribuídos a duas práticas diferentes. Se o votante atribuir apenas um voto, o mesmo não será considerado válido. Para votar, terá que introduzir o número de contribuinte (NIF) e facultar dados relacionados com a data de nascimento, género e localidade de residência. A inserção desta informação não afeta o direito ao voto secreto e serve apenas para validar a votação, bem como traçar um perfil global dos votantes.

Todos os cidadãos podem votar via online, no portal www.portugalparticipa.pt no separador “Votação”. Para que possa exercer o seu direito de voto, basta fazer o seu login (início de sessão) ou registo na página (opção “Login/registo” no canto superior direito da página). A ligação para a votação no Eco-Parlamento de Guimarães é a seguinte: http://portugalparticipa.pt/Debate/Details/14

Este prémio, com periodicidade anual, tem por objetivo constituir um incentivo à implementação, disseminação e valorização de práticas inovadoras de democracia participativa. O modelo pretende reconhecer e valorizar instrumentos que apelem ao envolvimento dos cidadãos em toda a esfera da vida pública, fomentar o desenvolvimento dessas práticas através da criação de espaços de partilha de poder entre a Administração Pública e cidadãos, bem como construir um historial de boas práticas de democracia participativa no país.

Registe-se para votar:

http://portugalparticipa.pt/Home/Register/

(depois de login, clicar em votação)

Votar:

http://portugalparticipa.pt/Debate/VotePage/9bc43203-7666-4088-bcb2-b4dd444db4e4

O registo de um utilizador pressupõe que o mesmo tenha um email válido.

GRUPO PARLAMENTAR DO PCP QUESTIONA MINISTRO DO AMBIENTE ACERCA DO PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS

grupopcp.jpg

Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República

O Parque Nacional Peneda-Gerês – PNPG -, criado pelo Decreto-Lei nº 187/71, de 8 de maio,para além de ser área protegida mais antiga de Portugal é a única classificada como Parque Nacional. O PNPG é composto por uma extensa área florestal localizada nos distritos de Braga,

Viana do Castelo e Vila Real, sendo possuidor de uma elevada diversidade de espécies com destaque para os carvalhos, o pinheiro bravo e o pinheiro-silvestre. A somar às espécies atrás descritas, algumas inseridas em importantes matas, como a de Albergaria, de uma riqueza

biológica única, no PNPG existe uma vasta área ocupada com tojais, urzais, bem como matos de altitude e matos higrófilos. O Parque Nacional Peneda Gerês é reserva da bioesfera e da biogenética do Conselho da Europa, designadamente a Mata de Palheiros- Albergaria.

O artigo 4º do Decreto-lei nº 187/71 refere que compete ao PNPG: “a) A salvaguarda do seu património natural numa síntese de ética de proteção; b) A defesa e valorização do seu património cultural, histórico e arquitetónico; c) O desenvolvimento socioeconómico e cultural

das populações nele residente, com especial relevância nos sectores da educação e saúde; d) A compatibilização do aproveitamento dos recursos naturais com o preconizado nas alíneas a) e b); e) A promoção dos meios de interpretação do seu património e a disciplina das atividades recreativas, de forma a sensibilizar os visitantes para o respeito, uso e fruição do seu património
natural e cultural.” A presença e a ação do Estado, nomeadamente através do Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF), deveriam revestir-se de importância ainda mais substantiva para a gestão correta e racional do PNPG. Não basta decretar que uma determinada riqueza natural constitui património a preservar, é importante tomar as medidas para que tal preservação seja

real, efetiva e orientada para o progresso social e económico das populações que ali habitam e não para a estagnação e abandono, com a consequente degradação dos recursos.

Ao longo dos anos e por força das opções politicas de sucessivos governos e, designadamente do anterior PSD/CDS, de desresponsabilização do Estado e de quebra de investimento e de meios humanos e materiais essenciais para a defesa das áreas protegidas e, no caso em ext-stroke-width: 0px; ">apreço do PNPG, tem-se assistido a uma diminuição na capacidade de resposta.

O Ministério do Ambiente em resposta a uma pergunta do Grupo Parlamentar do PCP assumiu que pretende instituir um “modelo de gestão das áreas protegidas “que prevê “deixar a cargo [dos municípios] algumas das vertentes desta gestão”, nomeadamente, as “atividades de gestão que se prendem com a defesa dos valores sociais, culturais e económicos distintivos de cada área protegida”, cabendo ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) a “gestão das matérias que importam ao domínio da conservação da natureza”.

O PCP sempre advogou o envolvimento e participação das autarquias e dos eleitos locais nas áreas protegidas, porém entende que só a salvaguarda do papel do Estado Central nas áreas protegidas garantirá que a utilização dos recursos naturais seja feita ao serviço do país e do povo e não ao serviço apenas de alguns.

Assim, ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais em vigor, solicito ao Governo,

através do Ministério do Ambiente, que me sejam prestados os seguintes esclarecimentos:

Está prevista a aplicação do novo modelo de gestão ao Parque Nacional Peneda do Gerês?

Quais as competências que transitam para os municípios, quais as que ficam sob a alçada do ICNF?

Palácio de São Bento, quarta-feira, 1 de Março de 2017

Deputado(a)s

CARLA CRUZ(PCP)

VIZELENSES DEBATEM DESPOLUIÇÃO DO RIO VIZELA

Plano de Ação de Despoluição do Rio Vizela debatido em Vizela

Na sequência das iniciativas que têm vindo a ser promovidas para a despoluição Rio Vizela, realizou-se esta manhã na sede do Município de Vizela, uma reunião de trabalho para debater o Plano de Ação para a Despoluição do Rio Vizela.

Reunião Rio Vizela 07.03.17 3.JPG

Esta reunião foi o primeiro passo para execução deste Plano, tendo sido discutidas as ideias orientadoras e identificadas as medidas a implementar no terreno para a criação e sucesso do referido Plano.

Foram também debatidas ações para conter, identificar e tomar medidas efetivas para combater a poluição no Rio Vizela, sendo que posteriormente será divulgado o Plano em detalhe.

As várias entidades envolvidas deram os seus contributos, estando agendada para curto prazo nova reunião de trabalho.

A reunião juntou várias entidades, entre as quais:

- Câmara Municipal de Vizela

- Câmara Municipal de Fafe

- Câmara Municipal de Felgueiras

- Câmara Municipal de Guimarães

- Câmara Municipal de Sto. Tirso

- SEPNA

- APA – Agência Portuguesa do Ambiente

- Vimágua

- Águas do Norte

- AMAS – Vizela

- Liga de Amigos das Termas

- Clube Turístico e Desportivo de Vizela

- Associação Amigos do Ambiente de Cepães e Fareja.

Reunião Rio Vizela 07.03.17 2.JPG

VIZELENSES DEBATEM DESPOLUIÇÃO DO RIO VIZELA

Plano de Ação de Despoluição do Rio Vizela debatido amanhã em Vizela

Na sequência das iniciativas que têm vindo a ser promovidas para a despoluição Rio Vizela, realiza-se amanhã, nas instalações da Câmara Municipal de Vizela, uma reunião para discutir o Plano de Ação de Despoluição do Rio Vizela.

A reunião, que terá como tema central a elaboração de um Plano de Ação de Despoluição do Rio Vizela, juntará várias entidades, entre as quais:

- Câmara Municipal de Vizela;

- Câmara Municipal de Felgueiras;

- Câmara Municipal de Fafe;

- APA - Agência Portuguesa do Ambiente;

- Águas do Norte, S.A.;

- SEPNA;

- Vimágua - Empresa de Água e Saneamento de Guimarães e Vizela – E.I.M., S.A,

- GNR de Vizela;

- Associação de Mergulho e Atividades Subaquáticas de Vizela – AMAS;

- Liga dos Amigos das Termas;

- Clube Turístico e Desportivo de Vizela;

- Associação Amigos do Ambiente de Cepães e Fareja.

GUIMARÃES RECEBE ENCONTRO DE JOVENS REPÓRTERES PARA O AMBIENTE

DE SEXTA-FEIRA A DOMINGO

Coordenadores mundiais do programa “Jovens Repórteres para o Ambiente” reúnem em Guimarães

Reunião internacional (YRE NOM 2017) deste conhecido programa decorre em Guimarães. Sessão de abertura realiza-se esta sexta-feira, às 09 horas, no Museu de Alberto Sampaio.

Reuniao_Jovens_Reporteres_Ambiente.png

Guimarães recebe até este domingo, 19 de fevereiro, os gestores de programas de educação para a sustentabilidade provenientes de mais de 30 países do mundo para uma reunião de âmbito internacional relativa ao programa “Jovens Repórteres para o Ambiente”. A sessão de abertura está marcada para esta sexta-feira, 17 de fevereiro, às 09 horas, no Museu de Alberto Sampaio, com os trabalhos a decorrerem depois na extensão do museu, na Praça de S. Tiago.

Este encontro, organizado pela Foundation for Environmental Education (FEE) e em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, tem como o objetivo apurar novas estratégias e metodologias para o desenvolvimento deste programa. A iniciativa insere-se, também, no processo da candidatura vimaranense a Capital Verde Europeia 2020, no âmbito do desígnio “Guimarães Mais Verde”, sendo igualmente um programa de educação ambiental que se enquadra no projeto PEGADAS.

A reunião conta com cerca de 70 participantes, provenientes de Organizações Não Governamentais de Ambiente de mais de 30 países: Austrália, Brasil, Dinamarca, Japão, França, Alemanha, Gana, Grécia, Índia, Irlanda, Israel, Letónia, Malta, Mongólia, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Irlanda do Norte, Portugal, Porto Rico, Roménia, Escócia, Sérvia, Singapura, Eslováquia, Eslovénia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Holanda, Peru, Estados Unidos e Portugal.

Estarão também presentes neste evento algumas escolas nacionais que vão contar a sua experiência no programa JRA, (OFICINA, EB 2,3 de Gualtar, EB 2,3 da Madalena; Escola Prof. Amar a Terra Verde) e também efetuar a cobertura jornalística do encontro. Joana Pedro, uma jovem repórter portuguesa enviada à COP 22, em Marrocos, integra este pequeno grupo de Jovens Repórteres freelancers.

O programa Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA), implementado em Portugal pela ABAE há mais de 20 anos, visa trabalhar com os jovens o desenvolvimento do espírito crítico e da vertente de investigação, reportagem e comunicação sobre ambiente e sustentabilidade. Envolve atualmente cerca de 100 escolas em Portugal e algumas dezenas de jovens freelancers. A adesão é livre e pode ser feita no portal de reportagens JRA.

PAN DEFENDE TRANSPORTES ELÉCTRICOS

PAN reúne com Caetano Bus para aprofundar soluções sustentáveis para transportes coletivos

  • Reunião na próxima segunda-feira, dia 20 de Fevereiro, pelas 14h00, com a Caetano Bus em Vila Nova de Gaia
  • Reflexão sobre as potencialidades dos veículos públicos de transporte elétricos e apuramento de possíveis sinergias
  • Procura de soluções para que transportes coletivos sejam totalmente elétricos em 2030

No seguimento do trabalho parlamentar realizado no âmbito da mobilidade elétrica, sobretudo no que decorreu da aprovação em sede de orçamento do Estado, com aprovação de uma medida proposta pelo PAN – Pessoas – Animais – Natureza, para a renovação de 1200 veículos da frota estatal por elétricos, o partido reúne na próxima segunda-feira, dia 20 de Fevereiro, pelas 14h00, com a empresa Caetano Bus, em Vila Nova de Gaia.

O objetivo desta reunião é conhecer, mais de perto, as potencialidades dos veículos públicos de transporte elétricos e apurar que sinergias será possível estabelecer para incentivar a adoção de medidas, com a maior celeridade possível, para que tenhamos nas nossas cidades cada vez mais destas soluções eficientes para o transporte coletivo, em vez de veículos movidos a gás ou a outros combustíveis fósseis.

Com soluções mais sustentáveis para as cidades, totalmente desenvolvidas em Portugal, a CaetanoBus tem assumido um compromisso sério na procura de respostas aos principais problemas de mobilidade urbana. “Só a combinação de políticas ambientais ambiciosas, produtos de inovação tecnológica e uma mudança nos hábitos da sociedade poderão viabilizar os desafios da mobilidade sustentável”, defende José Ramos, Presidente Salvador Caetano Indústria.

Por sua vez, o Deputado André Silva do PAN recorda que, “é necessário um compromisso nesta área que vá para além desta legislatura, são necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática. O objetivo é que, à semelhança do que já acontece na Holanda e na Alemanha, também Portugal estabeleça uma meta de médio prazo para que apenas veículos elétricos sejam comercializados no país. Um objetivo ambicioso mas inevitável será fixar como meta que a partir de 2030 apenas podem ser comercializados veículos elétricos em Portugal”.

POVOA DE LANHOSO PRESERVA O AMBIENTE

Póvoa de Lanhoso contribui positivamente para sustentabilidade ambiental

Em 2016, foram recolhidas 984 toneladas de resíduos recicláveis no concelho da Póvoa de Lanhoso, o que significa que o gesto dos Povoenses contribuiu para um ambiente mais sustentável, permitindo preservar recursos naturais importantes.

Povoa de Lanhosommm.jpg

Assim, em 2016, foram recolhidas 145 toneladas de embalagens de plástico e metal, sendo que, por cada 100 toneladas de plástico enviadas para reciclar, evitou-se o consumo de uma tonelada de petróleo. Já a reciclagem do alumínio gasta menos 95% da energia comparativamente com a transformação do minério.

Foram ainda recolhidas 469 toneladas de vidro, sendo que, desta forma, evitou-se o consumo de 563 toneladas de matéria-prima (maioritariamente areias) para o fabrico de vidro novo.

Finalmente, as 370 toneladas de papel recolhidas evitaram o abate de 7400 árvores.

O Município da Póvoa de Lanhoso e a Braval agradecem a todos os Povoenses pelo seu contributo, estando certos de que a população continuará a valorizar a separação de resíduos.

De lembrar que o Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos é o equipamento municipal que centraliza a política de sensibilização e informação ambientais junto da comunidade Povoense de todas as idades.

MUNICÍPIO DE GUIMARÃES RENOVA FROTA A PENSAR NO AMBIENTE

Câmara adquire veículo elétrico para a Polícia Municipal de Guimarães

Bateria pode ser carregada através do sistema de recuperação de energia na travagem. Nova viatura junta-se a uma scooter e duas bicicletas, também elétricas.

Guimaraes_Policia_Municipal_Veiculo_Eletrico.jpg

O Município de Guimarães, designadamente a Polícia Municipal, passou a contar com um novo veículo 100 por cento elétrico. Adquirido por concurso público, trata-se de um VW e-Golf dotado de todos os equipamentos necessários ao cumprimento da sua função. Caracterizado com a imagem da Polícia Municipal, em consonância com as disposições legais, o veículo é um puro elétrico, totalmente isento de emissões poluentes e de ruído nas suas deslocações.

De acordo com o ciclo NEDC (New European Driving Cycle), a bateria garante uma autonomia até 190 quilómetros, podendo ser carregada através do sistema de recuperação de energia na travagem ou num ponto de carregamento convencional (total em 8 horas) ou rápido (80% em 30 minutos), podendo fazê-lo em Guimarães na Alameda Dr. Alfredo Pimenta no posto de carregamento rápido, recentemente ali disponibilizado pelo Município.

Esta viatura junta-se a outras sem emissões já utilizadas pela Polícia Municipal de Guimarães, designadamente uma scooter elétrica e duas bicicletas, bem como às demais que integram o parque de veículos do Município. Além do procedimento em curso para a aquisição de outras viaturas puramente elétricas, a Câmara Municipal irá candidatar ao Fundo Ambiental o apoio disponibilizado para a substituição de veículos de serviços urbanos ambientais por outros com tração 100 por centro elétrica.

PAN QUESTIONA GOVERNO SOBRE REACTIVAÇÕES DE CENTRAIS NUCLEARES DEPOIS DO TEMPO DE VIDA ÚTIL

  • Conselho de Segurança Nuclear autoriza continuidade da central nuclear de Santa María de Garoña, em Burgos, após o seu tempo de vida útil
  • Explosão esta semana na central nuclear de Flamanville, no norte de França, comprova os fortes riscos
  • Relatos muito preocupantes da central nuclear de Fukushima com a deteção de níveis recorde de radiação

No seguimento da autorização pelo Conselho de Segurança Nuclear (CSN) para que a central nuclear de Santa María de Garoña, em Burgos, parada desde 16 de Dezembro de 2012, possa continuar a operar tendo já excedido o seu tempo de vida útil – sendo que tem estado fechada precisamente por problemas de segurança –, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza colocou uma série de questões ao Ministério do Ambiente que refletem a preocupação do partido com as possíveis reativações de centrais nucleares após o seu tempo de vida, com riscos muito concretos conforme comprova a explosão que aconteceu esta semana na central nuclear de Flamanville, no norte de França.

Num momento em que nos chegam relatos muito preocupantes da central nuclear de Fukushima, com a deteção de níveis recorde de radiação, a TEPCO, responsável empresarial pela central, reportou que numa parte da estrutura de confinamento está a ser libertada radiação "que pode chegar aos 530 sieverts por hora". O nível mais elevado de radiação que tinha sido detetado foi de 73 sieverts por hora, em 2012. Estes dados são alarmantes pois uma pessoa exposta ao atual nível registado de radiação morre instantaneamente. Têm sido desenvolvidos vários robôs para procurar as barras derretidas de combustível nuclear, porém se os mesmos se aproximam dos reatores ficam inutilizados, já que a radiação destrói as suas ligações eletrónicas.

 Esta perigosidade e a real possibilidade de falha devido a causas naturais ou humanas nas atuais centrais nucleares, especialmente nas que já passaram o seu prazo útil de vida, vêm mais uma vez tornar clara a urgência de conjuntamente traçarmos um plano de descomissionamento/desmantelamento nuclear uni e multilateral no seio da União Europeia.

O PAN aguarda as respostas do Governo sobre que medidas estão a ser tomadas junto de Espanha para garantir que o complexo industrial nuclear de Santa María de Garoña não se expanda para além dos 40 anos, tempo caracterizado como o período de vida útil de centrais nucleares.

O partido pretende também saber que diligências está o Governo português a tomar no seio da União Europeia para garantir uma Europa sem nuclear, especialmente no que concerne ao prolongamento de centrais com mais de 40 anos de funcionamento, e também que ações adicionais já promoveu o Governo depois da queixa formalizada à Comissão Europeia sobre a irregularidade de Espanha avançar com a construção do Armazém Temporário Individualizado da Central Nuclear Almaraz, Unidades I e II, sem consultar Portugal num estudo de impactos transfronteiriços. Por último, o PAN pretende saber se o Governo português tem acompanhado o caso da central de Fukushima junto da embaixada ou do Governo nipónico.

O PAN apresentou recentemente duas denúncias à Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa por incumprimento de acordos internacionais da parte do Governo espanhol no que respeita à central nuclear de Almaraz.

“As opções nucleares, pelo enorme risco que comportam, não podem estar confinadas às fronteiras administrativas e políticas. As opões energéticas de Espanha, que respeitamos, não podem deixar de ter em conta os interesses dos portugueses. Não pode ser de outra forma,” explica o Deputado André Silva, do PAN.

II EDIÇÃO DO PEGADA ZERO ACONTECE EM MAIO

De 10 a 14 de maio, na Porta do Parque Nacional da Peneda-Gerês, Lamas de Mouro, Melgaço vai mostrar o que de melhor tem para oferecer

meçlgar2.jpg

O Turismo de Natureza vai ser apreciado na segunda edição do Pegada Zero, um evento que acontece em Melgaço de 10 a 14 de maio e que contempla várias atividades que permitirão conhecer a região, as suas gentes e costumes. Situado na Área Protegida mais importante de Portugal, o Parque Nacional da Peneda-Gerês, e integrado na Reserva Mundial da Biosfera, Melgaço é uma terra que celebra a vida e tudo o que ela tem de bom para o corpo e para o espírito.

melgager.jpg

Durante estes dias será possível conhecer as potencialidades do concelho espalhadas por vários locais de Melgaço. Porta de Lamas de Mouro, pela sua contextualização, assim como pela existência de espaços, infraestruturas e equipamentos de apoio (Parque de Merendas; Auditório; Salas para Workshops; Espaços expositivos; Centro de BTT, entre outros) que permitem a realização de múltiplas atividades, é o local escolhido para o evento.

‘Pegada Zero – II Jornadas de Turismo de Natureza – PNPG – Melgaço 2017’ tem como propósito destacar as potencialidades do concelho na vertente de turismo de natureza, envolvendo todos os agentes que atuam na região: empresas de Animação, Restauração, Alojamento, Comunidade local, entre outras; mas também pretende que se desenvolvam ações de sensibilização sobre a conservação da natureza, junto das comunidades intervenientes, assim como criar ou reforçar a relação das mesmas com o serviço.

melgar5.jpg

O programa ainda está a ser ultimado, mas a organização promete que será diversificado e com muita adrenalina. Haverá um programa para a Farm Trip e um outro geral - Festa do Desporto de Natureza – com atividades para todas as idades. O evento oferecerá ainda a possibilidade de se participar no colóquio “Turismo de Natureza – Aventura e Segurança” e num workshop de fotografia.

mergar3.jpg

A primeira edição aconteceu entre os dias 20 e 23 de outubro de 2016 e foi ‘uma excelente forma de Melgaço se vir a assumir cada vez mais como destino de Natureza’, considerou na altura Manoel Batista, autarca de Melgaço. Na época, a organização garantiu que aquele seria o primeiro de muitos eventos em Melgaço em torno da temática ‘Turismo de Natureza’ e que ‘tudo seria feito para a conservação deste património natural’. Assim acontece: de 10 a 14 de maio o turismo, a natureza e a aventura são em Melgaço!

MELGAÇO, O MUNICÍPIO MAIS A NORTE DE PORTUGAL!

O município de Melgaço é limitado a norte e leste pela região da Galiza, confronta com o Rio Minho e está inserido numa importante região montanhosa, cujos valores patrimoniais e ambientais são referências reconhecidas internacionalmente. Região verdejante, tipicamente Minhota, de forte e fértil vegetação, onde se fabrica uma das mais sublimes castas de vinho verde, o famoso Alvarinho, Melgaço orgulha-se do seu bonito património histórico, cultural e arquitetónico, inserido no maravilhoso Parque Nacional da Peneda-Gerês. É uma terra rica em tradições, histórias, lendas e testemunhos de vivências passadas e detentor de uma rica e saborosa gastronomia.

A sua beleza natural, o clima, o património histórico e a gastronomia, são alguns dos motivos pelos quais muitos escolhem Melgaço para descansar, o Município Mais a Norte de Portugal!

mergar4.jpg

MINISTRO DO AMBIENTE VISITA PONTE DA BARCA

O Senhor Ministro do Ambiente, João Fernandes, deslocar-se-á a Ponte da Barca, na próxima segunda-feira, 06 de Fevereiro, para uma visita à obra de Intervenção e Proteção das margens e leitos dos Rios Lima e Vade, antecedendo-se uma recepção a este membro do Governo, pelas 16h horas, nos Paços do Concelho de Ponte da Barca.

“GREEN KEY” ABRE PORTAS AO TURISMO SUSTENTÁVEL EM BRAGA

Programa ambiental promovido em Braga

O Parque de Campismo e Caravanismo de Braga recebeu esta Quinta-feira, 26 de Janeiro, a visita de uma equipa da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) no âmbito do programa ‘Green Key’, que promove o Turismo Sustentável através do reconhecimento de parques de campismo, estabelecimentos turísticos, alojamento local e restaurantes que implementam boas práticas ambientais e sociais.

keybra (1).jpg

Nesta visita, a representante da ABAE, Fátima Vieira, ficou a conhecer as instalações do Parque e o trabalho que o Município tem realizado na melhoria das infra-estruturas e na divulgação deste equipamento em redes depromoção nacionais e internacionais.

Na ocasião, o vereador Altino Bessa deu conta dos resultados positivos que o Parque de Campismo tem registado desde há três anos. “Em 2016 este equipamento atingiu números recordes, registando um aumento do número de campistas, de dormidas e, consequentemente, da receita”, afirmou Altino Bessa, sublinhando o desejo do Município em continuar a dotar o equipamento de valências e práticas sustentáveis que permitam atrair cada vez mais campistas e caravanistas.

Já António Barroso, do Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara Municipal, realçou o contributo que o Parque de Campismo tem dado para o crescimento do turismo em Braga. “Nos últimos três anos, a Cidade tem vindo a posicionar-se como um destino turístico de excelência e esta tendência é comprovada pelas estatísticas, que dão conta de subidas significativas no número de hóspedes, de dormidas e do número de camas disponíveis”, referiu aquele responsável.

Durante a tarde, na Associação Comercial de Braga, a equipa da ABAE realizou uma acção de divulgação do programa ‘Green Key’, tendo sensibilizado os operadores turísticos para a adopção de práticas e comportamentos sustentáveis, através da educação ambiental para a sustentabilidade.

keybra (2).jpg

keybra (3).jpg

GUIMARÃES APOSTA NOS VEÍCULOS ELÉCTRICOS

COM A PRESENÇA DO SECRETÁRIO DE ESTADO ADJUNTO E DO AMBIENTE

Câmara Municipal de Guimarães inaugura Posto de Carregamento Rápido de Veículos Elétricos

Cerimónia com Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente decorrerá no Salão Nobre do Município. Inauguração do posto será, depois, na Alameda Dr. Alfredo Pimenta.

Guimaraes_Posto_Carregamento_Rapido_Eletrico.jpg

A Câmara Municipal de Guimarães vai assinalar a instalação, e entrada em funcionamento, do Posto de Carregamento Rápido (PCR) de veículos elétricos da rede piloto “Mobi.E”, esta sexta-feira, 27 de janeiro, às 11 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, numa sessão que conta com a presença do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, e do Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança.

A iniciativa resulta do compromisso assumido pelo Governo em concluir, no início do ano, a instalação dos 50 Postos de Carregamento Rápido da rede piloto “Mobi.E”, bem como da aposta da Autarquia de Guimarães na promoção de políticas ambientalmente sustentáveis, como é disso exemplo a candidatura a Capital Verde Europeia.

Este PCR vem complementar as instalações que estão a decorrer dos 14 postos de carregamento rápido previstos para as cidades de Aveiro, Braga, Cascais, Coimbra, Évora, Lisboa (2), Loures, Matosinhos, Porto, Valença, Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia e Vila Real. Paralelamente, continuam as instalações dos postos de carregamento rápido previstos para as áreas de serviço das autoestradas, estando já em processo de instalação postos na A1, A6, A8, A22 e A23. 

No final da sessão, o Secretário de Adjunto e do Ambiente, o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e os convidados deslocar-se-ão em veículo elétrico até ao local do Posto de Carregamento Rápido, instalado na Alameda Dr. Alfredo Pimenta.

VIMARANENSES CRIAM BRIGADA VERDE

CONCELHO ORGANIZA-SE EM DEFESA DO AMBIENTE

Freguesia de Aldão cria Brigada Verde e apresenta plano de ação para 2017

Sessão pública contou com muitos voluntários e terminou com o grupo de música “Valores da Tradição do Vale S. Torcato”. Fermentões, Ponte, União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim, Escola Profissional CISAVE e Longos constituíram já as suas Brigadas Verdes.

Guimaraes_Brigada_Verde_Aldao.jpg

A Junta de Freguesia, a Associação Aldão Solidário, a Associação de Pais da Escola do Pulo, o Grupo Recreativo e Cultural de Aldão e o Grupo de Motards Brigada Noturna de Aldão formam a mais recente Brigada Verde no concelho de Guimarães. A proposta, lançada pelo Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, tem por objetivo desafiar os vimaranenses e as suas instituições a comprometerem-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente.

A Brigada Verde de Aldão, cujo logótipo representa uma pegada idealizada pelas jovens Cláudia Oliveira e Carolina Oliveira, apresentou já um alargado programa de atividades a desenvolver no ano em curso, sob o lema “A caminho de um Guimarães mais verde”. As primeiras ações realizam-se já no mês de fevereiro, envolvendo a comunidade educativa da EB1 de Pulo, onde será elaborado um postal no Dia dos Namorados com o logótipo e a mensagem da Brigada Verde de Aldão. No final do mês, no Carnaval, as crianças são convidadas a confecionar trajes alusivos ao tema do ambiente, sendo premiados os três exemplares mais criativos.

«Temos de fazer pedagogia ambiental e esse trabalho começa na escola, com a defesa da natureza, fazendo de Aldão um jardim, através da soma de todas as vontades e dos nossos voluntários, a quem agradeço a participação», referiu Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, lembrando que definiu uma verba de apoio para a constituição das Brigadas Verdes, tendo em vista a realização de atividades. «Agradeço o envolvimento de todas as pessoas, pois este é o caminho de futuro! É um caminho bom para nós e para quem nos sucede!», acrescentou o responsável pelo Município. 

Gestos simples que fazem a diferença

Conceição Castro, Presidente da Junta de Aldão, realçou o conjunto de ações do plano de ação que será desenvolvido ao longo do ano «com o objetivo primeiro de colaborar para que Guimarães seja Capital Verde Europeia», disse. «Mesmo que não se consiga, Guimarães vai tornar-se mais apetecível! Adotar boas práticas ambientais, sensibilizar a população, ir à escola, andar nas ruas, são gestos e atitudes simples que podem fazer a diferença», adiantou ainda, apelando ao sentido cívico das pessoas com o «envolvimento de todos na necessidade de defender o ambiente».

Entre outras atividades calendarizadas, destaca-se a criação de Hortas Pedagógicas na Escola de Aldão, com as crianças a assumir o compromisso de regar diariamente os canteiros de legumes ou de árvores de fruto. Aldão vai também celebrar o mês da árvore no início da primavera, bem como organizar deslocações às ruas da freguesia para recolher resíduos que estejam em local indevido. Uma outra ação será plantar árvores no Campo de Jogos de Aldão, desenvolver sessões de esclarecimento acerca do tema da reciclagem e sobre o destino dado aos resíduos, promover visitas às instalações da Resinorte, em Lordelo, entre outras iniciativas.

GOVERNO INVESTE NO LITORAL NORTE

Mais 5,8 milhões de euros investidos na costa de Esposende

O Ministro do Ambiente anunciou a concretização, no decurso de este ano, de nove obras de defesa da costa de Esposende, no âmbito do plano de ação do Polis Litoral Norte. João Pedro Matos Fernandes visitou as obras de reabilitação do Molhe Norte da Embocadura do Rio Cávado que classificou como “uma peça relevante na estratégia de defesa do litoral”.

costa1.JPG

A Polis Litoral Norte apresentou o seu plano de ação para 2017, com visitas a empreitadas nos três concelhos que integra: em Caminha foi percorrida a ciclovia, em Viana do Castelo visitadas as obras da praia Norte e em Esposende o molhe.

Em Esposende, o valor global das obras é de 5,86 milhões de euros. Ao abrigo do POSEUR avança a obra de alimentação artificial das praias adjacentes à foz do Cávado, no valor de 376 mil euros e que estará concluída em setembro próximo. A reabilitação do molhe norte da embocadura do rio Cávado é a outra intervenção prevista para a foz do Cávado (em curso), no valor de 784 mil euros.

A obra de proteção e reabilitação do sistema costeiro na praia da Bonança é apontada como a mais urgente e terá o custo de 1,47 milhões de euros, devendo estar concluída em outubro.

Já ao abrigo do programa “Norte 2020”, serão criadas infraestruturas para visitação do estuário do rio Neiva e uma ponte pedonal e ciclável, no valor de 350 mil euros, assim como a construção de infraestruturas para valorização e visitação do Parque Natural do Litoral Norte, entre as praias de Rio de Moinhos e de Cepães, no valor de 313 mil euros e entre a praia de Cepães e a marginal de Esposende, no valor de 350 mil euros. Serão, ainda, criadas infraestruturas verdes no rio Neiva, no valor de 405 mil euros.

Por último, inseridas no programa “Mar 2020”, vão realizar-se obras na Doca de Pesca de Esposende, no valor de um milhão de euros e no portinho de pesca de Apúlia, no valor de 800 mil euros e cujos contratos serão assinados amanhã, com a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

Benjamim Pereira expressou gratidão a todos os que se empenharam na defesa da costa e das populações de Esposende e, às nove intervenções previstas, acrescentou a aprovação da construção do canal intercetor de águas pluviais.

"Tem sido desenvolvido um trabalho excecional, devido ao bom entendimento entre os autarcas, a administração da Sociedade Polis e a administração central. Por isso, podemos afirmar que estamos perante um modelo de sucesso, porque houve vontade política para resolver com celeridade os problemas das populações", apontou o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, na cerimónia de apresentação do plano de ações da Polis para 2017.

João Pedro Matos Fernandes aponta a monitorização de toda a costa portuguesa como estratégia a adotar e, dentro da ideia que existe para o litoral, lembrou a necessidade de todos os anos intervir com ações de proteção.

costa2.JPG

costa3.JPG

costa4.JPG

GUIMARÃES CONQUISTA TRÊS DISTINÇÕES AMBIENTAIS NOS GREEN PROJECT AWARDS 2016

ECOPONTAS E PAPA-CHICLETES VENCE INOVAÇÃO SOCIAL

Projeto “EcoPontas e Papa-Chicletes” vence prémio de inovação social. Duas menções honrosas foram atribuídas às bacias de retenção e ao sistema PAYT, modelo pioneiro de recolha de resíduos no Centro Histórico.

Guimaraes_Green Project_Awards.jpg

Guimarães, com três distinções em quatro projetos finalistas, foi o município português com maior reconhecimento público na cerimónia de entrega dos “Green Project Awards” (GPA), que decorreu esta segunda-feira, 23 de janeiro, na Fundação Serralves, no Porto. Com estes prémios, que têm por objetivo distinguir boas práticas de projetos que promovam o desenvolvimento sustentável, a Câmara de Guimarães volta a ser reconhecida, depois de ter sido distinguida como um dos três municípios mais sustentáveis do país, no último mês de dezembro.

Desenvolvido pelo Laboratório da Paisagem, o projeto “EcoPontas e Papa-Chicletes - Redução e Valorização de Resíduos” conquistou o prémio “Inovação Social Green Project Awards – Sociedade Ponto Verde”. Este novo mobiliário urbano de carácter ambiental tem permitido a redução da acumulação dos resíduos de pontas de cigarro e pastilhas elásticas pelas ruas da cidade, ideia que tem merecido igualmente o interesse de várias outras autarquias do país.

Na categoria “Cidades Sustentáveis”, Guimarães conquistou uma menção honrosa com o projeto que levou à construção das bacias de retenção que contribuíram para terminar com o flagelo das inundações na zona baixa da cidade. Já na categoria “Gestão Eficiente de Recursos”, também com uma menção honrosa, Guimarães viu reconhecido o projeto Pay As You Throw (PAYT), implementado no Centro Histórico, numa parceria entre a Câmara Municipal de Guimarães, a VITRUS e a Resinorte e que tem aumentado a recolha de resíduos valorizáveis e a diminuição dos resíduos indiferenciados.

Finalmente, na categoria “Iniciativa de Mobilização”, o Município viu reconhecido o trabalho realizado com a nomeação como projeto finalista do Programa Ambiental PEGADAS, que tem contribuído de forma decisiva para a educação e sensibilização ambiental junto de todas as escolas do concelho. Com a conquista de três distinções em quatro categorias que Guimarães tinha a concurso, este é um reconhecimento que sublinha o percurso desenvolvido no âmbito do projeto de desenvolvimento sustentável do território “Guimarães mais Verde” e que suporta também a Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Recorde-se, também, que a Horta Pedagógica de Guimarães já havia sido finalista na edição do ano passado na categoria “Consumo Sustentável”.

PAN QUER MAIS RIGOR NA UTILIZAÇÃO DE ANIMAIS PARA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

PAN quer mais rigor na utilização de animais para investigação científica e investimento em alternativas

  • Normas mais rigorosas e maior investimento económico e político em alternativas científicas e tecnológicas à experimentação animal
  • Projetos de experimentação científica com animais não podem ser realizados sem que tenha sido recebida uma avaliação favorável da DGAV

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza acompanha esta semana com duas iniciativas legislativas a petição de cidadãos por uma “ciência mais rigorosa”, debatida em plenário na próxima Quinta-feira, 19 de Janeiro. As propostas do PAN introduzem, por um lado, normas mais rigorosas no que diz respeito à utilização de animais para fins de investigação científica e, por outro, propõem um maior investimento económico e político em alternativas científicas e tecnológicas à experimentação animal.

Uma diretiva comunitária de 2010, transposta para a legislação portuguesa, afirma que os modelos animais devem ser substituídos por modelos alternativos, sempre que possível. O preâmbulo desta diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho reforça a necessidade de uma maior reflexão sobre o tema e sobre a avaliação da necessidade de utilização de animais para fins de experimentação, devendo ter-se em conta que os animais sentem dor, sofrimento, angustia e dano duradouro. As mesmas são claras quando indicam que “a utilização de animais para fins científicos ou educativos só deverá, portanto, ser considerada quando não existir uma alternativa não animal.”

Também a comunidade científica se tem pronunciado neste sentido e de forma consensual no que diz respeito à necessidade de uma maior transparência e objetividade na ciência que recorre ao uso de modelos animais na investigação científica (Conferência Internacional de Alternativas à Experimentação Animal (www.icaae.com) - Declaração de Lisboa).

Atualmente existem projetos de investigação científica a avançar sem a supervisão ou parecer da Direcção-Geral de Veterinária (DGAV), que por falta de recursos humanos não tem conseguido dar resposta às fragilidades transversais a várias áreas e serviços da sua tutela. O projeto de lei do PAN reforça a necessidade de um projeto não poder ser realizado sem que tenha sido recebida uma avaliação favorável da DGAV e parecer favorável do Comité de Ética.

A segunda iniciativa legislativa do PAN pretende, por outro lado, a alocação de uma percentagem dos fundos de inovação e desenvolvimento (I&D) da despesa pública distribuídos pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) em métodos não animais.

Precisamos de afastar o foco estratégico das experiências com animais e redirecioná-lo para os modelos computacionais e técnicas in vitro. Atualmente existem alternativas à experimentação animal, mas falta-nos um maior investimento económico e político, bem como uma mudança de mentalidades. No século XXI, e em grande parte das situações, os animais podem e devem ser eficientemente substituídos por sistemas biológicos in vitro(cultura de células e tecidos), placentas humanas e cordões umbilicais. Hoje a ciência possui ferramentas como modelos computacionais in silico, por oposição aos testes in vitro e in vivo para estudos de toxicidade, por exemplo bases de dados e modelos computacionais de relações quantitativas estrutura/atividade (QSAR) para prever a toxicidade de uma substância com base na sua estrutura e propriedades. No ensino, pode e deve fomentar-se o uso de sistemas virtuais, interditando a utilização de animais.

Enquanto agência pública nacional de apoio à investigação em ciência, tecnologia e inovação em todas as áreas do conhecimento, a FCT tem contribuições financeiras maioritárias do Orçamento do Estado e dos fundos estruturais da União Europeia. Em 2015 o orçamento da FCT foi de 468 milhões de euros para investimento direto em ciência, que foi distribuído maioritariamente por bolsas, emprego científico, projetos de I&D e Instituições I&D. Sem alteração do orçamento da FCT, o PAN pretende garantir um aumento do investimento em métodos cientificamente satisfatórios que não impliquem a utilização de animais vivos através do financiamento preferencial aos mesmos.

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA WORKSHOP “LÍQUENES: BIOINDICADORES DE POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA”

Sabia que se encontrar musgos e líquenes quando sai à rua, nas rochas, nas árvores, nos muros, nos telhados é um bom sinal? Significa que o ar que está a respirar é de boa qualidade. Mas o que são afinal líquenes?

workshop_liquenes.jpg

De forma a fornecer informação sobre estes seres e a sua importância para os ecossistemas, a Ardal-Porta do Mezio vai realizar no próximo dia 21 de Janeiro, o Workshop “Líquenes: Bioindicadores de Poluição Atmosférica”.

Este workshop irá decorrer na Porta do Mezio, será orientado pela investigadora Drª. Joana Marques e o programa será o seguinte:

- Introdução à Biologia dos líquenes;

- Diversidade liquénica de Portugal e da Europa;

- Identificação das espécies alvo e espécies afins;

- Saída de campo para observação de espécimes.

Este workshop irá decorrer das 14h00 às 17h00. Os interessados devem inscrever-se na Porta do Mezio ou através do telefone n.º

258510100/258522157 ou ainda através do correio eletrónico: 

portadomezio@ardal.pt

GUIMARÃES: LONGOS CRIA BRIGADA VERDE E ALDÃO APRESENTA GRUPO AMBIENTAL NO SÁBADO

GUIMARÃES MAIS VERDE

Hino da comunidade escolar assinalou sessão em Longos. No sábado, 21 de janeiro, às 14:30 horas, Aldão apresenta grupo ambiental na sede de Junta de Freguesia. Objetivo é alargar leque de voluntários.

Longos_Brigada_Verde.JPG

A Junta de Freguesia de Longos, presidida por Isilda Silva, constituiu uma Brigada Verde em defesa do ambiente com cerca de uma centena de voluntários, onde está representada a comunidade escolar, entre alunos, professores e auxiliares da escola de ensino básico e jardim-de-infância, numa sessão presidida por Domingos Bragança, Presidente do Município de Guimarães.

Durante a realização da cerimónia, que contou também com a presença de Adelina Paula Pinto, Vereadora da Educação, Mário Rodrigues, Diretor do Agrupamento de Escolas das Taipas, e Felicidade Gomes, em representação dos Bombeiros Voluntários das Taipas, foi apresentado o hino da Brigada Verde, cujo tema tem a autoria do professor José Maria Gomes, do Agrupamento das Taipas.

«É minha convicção que uma sociedade bem formada, com uma escola aberta, que protege a saúde dos nossos filhos e que eles vão defender depois as futuras gerações, irá colocar fim a um ciclo de degradação da natureza. O futuro começa na escola e defender a natureza é proteger o bem comum, porque quem gosta, cuida!», referiu Domingos Bragança, cuja opinião foi partilhada por Isilda Silva, que ambiciona igualmente o objetivo de Guimarães ser uma «referência ambiental».

A sessão pública de apresentação, organizada pela Junta de Freguesia de Longos, com o apoio da comunidade escolar, foi baseada nos quatro elementos da natureza, onde foi destacada a Água, com a leitura de um poema, a Terra, através de um teatro de fantoche, o Fogo, com a intervenção da representante da corporação taipense, e o Ar, com uma demonstração de aves de rapina por Hélder Fernandes, da Clínica Veterinária das Taipas.

Compromisso em nome do ambiente

A constituição de Brigadas Verdes no concelho de Guimarães, proposta lançada pelo Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, desenvolvido ao abrigo da candidatura a Capital Verde Europeia 2020, tem por objetivo desafiar os vimaranenses e as suas instituições a comprometerem-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente.

Fermentões, Ponte e a União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim constituíram igualmente as suas Brigadas Verdes, o mesmo acontecendo na Escola Profissional CISAVE. A Junta de Núcleo de Guimarães do Corpo Nacional de Escutas (CNE), com cerca de 4 mil escuteiros, assinou declarações de “Compromisso Guimarães Mais Verde”. Para além de muitos anónimos e outras figuras públicas de destaque, o Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, e o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, também já assinaram o documento.

PAN PROPÕE DEBATE ALARGADO SOBRE OS IMPACTOS DO CETA EM PORTUGAL E NA EUROPA

  • Explicar o tratado de modo contínuo e alargado a cidadãos, às empresas, aos sindicatos, às organizações não-governamentais e a outros agentes sociais
  • Opacidade nas negociações e densidade técnica tem gerado desconfiança social
  • CETA pode ter impacto negativo na soberania nacional em matérias como proteção social, regulação laboral, sanitária ou ambiental

A Assembleia da República debate amanhã uma petição de cidadãos que pede ao governo que o acordo Económico e Comercial Global entre a União Europeia e o Canadá, mais conhecido como CETA (Comprehensive Economic and Trade Agreement) seja ratificado no parlamento nacional.

O PAN acompanha a petição da Plataforma Não ao TTIP, que amanhã pelas 14h30 se manifesta em frente à frente à Assembleia da Republica, e apresenta um Projeto de Resolução que recomenda ao Governo português a promoção de um debate alargado, com a sociedade civil e organizações não-governamentais, sobre os impactos do CETA em Portugal e na Europa.

As negociações deste acordo, entre a Comissão Europeia e o Governo Canadiano, iniciaram-se em maio de 2009 e o acordo preliminar foi conseguido em 2014, tendo o executivo comunitário publicado a ata da negociação em Agosto de 2015. Durante estes anos de negociações, poucas têm sido as iniciativas nacionais para ouvir ou mesmo explicar o tratado de modo contínuo e alargado a cidadãos, às empresas, aos sindicatos, às organizações não-governamentais e a outros agentes sociais. A opacidade nas negociações e a densidade técnica, com constantes avanços e recuos, com que este acordo transnacional e muitos outros (e.g. Acordo de Livre Comércio de Serviços/TISA e a Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento/TTIP) é negociado e debatido, gera, uma desconfiança social sobre os seus alegados auspiciosos benefícios. Não negligenciando factos e argumentos de ambos os lados do CETA e dos restantes acordos transnacionais a serem promovidos no seio Europeu, é factual que os governos necessitam de promover um debate mais alargado e inclusivo sobre estas matérias.

A urgência e necessidade desta discussão pública, alargada no espaço e no tempo, vem à tona pelos próprios entraves e discordâncias no seio da União Europeia. Bloqueios que demonstram, mais uma vez, as dificuldades na promoção de uma análise mais extensiva e criteriosa de mecanismos e cláusulas do tratado, para além dos círculos de decisão institucional.

Acrescem a estas disfunções institucionais os receios de muitos movimentos sociais de que o CETA tenha um impacto negativo nas soberanias dos Parlamentos Nacionais em matérias como a protecção social e a regulação laboral, sanitária e ambiental. Esta apreensão social crescente, reflexo de uma sociedade dialogante, plural e transparente, levou 455 organizações da sociedade civil da Europa e do Canadá, em Novembro de 2016, a elaborar uma carta aberta ao executivo Europeu contra o CETA e a que, mais recentemente, a academia internacional se manifeste para travar a opacidade nas negociações deste acordo.

Este desafio em torno do CETA apresenta-se como uma oportunidade para as classes políticas demonstrarem que os cidadãos podem confiar numa democracia aberta e dialogante e que os órgãos de decisão estão atentos às preocupações da sociedade civil. O poder político deve firmar e assegurar que, qualquer que seja o resultado da votação no Parlamento Europeu ou Nacional, o mesmo seja sempre mais próximo dos desejos dos cidadãos, o que só acontecerá quanto maior e mais prolongado for o debate em torno das especificidades do CETA e de outros acordos transnacionais.

GUIMARÃES IMPLEMENTA BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

PROJETOS FINALISTAS

Guimarães com 4 nomeações para o Green Project Awards 2016

As bacias de retenção, o sistema de recolha de resíduos no Centro Histórico, o programa PEGADAS e os projetos EcoPontas e Papa-Chicletes (Laboratório da Paisagem) são os nomeados para uma iniciativa que distingue boas práticas ambientais.

Guimaraes_Green_Project_Awards_2016.jpg

Guimarães, com quatro projetos finalistas, é o município português com mais nomeações no âmbito dos prémios Green Project Awards (GPA) que serão entregues no próximo dia 23 de janeiro na cidade do Porto e que têm por objetivo distinguir e reconhecer boas práticas de projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. A estratégia de desenvolvimento sustentável promovida por Guimarães volta a ser reconhecida, depois de ter sido distinguido como um dos três municípios mais sustentáveis do país, no último mês de dezembro.

Na categoria “Cidades Sustentáveis”, Guimarães viu reconhecido o projeto que levou à construção das bacias de retenção que contribuíram para terminar com o flagelo das inundações na zona baixa da cidade. Já na categoria “Gestão Eficiente de Recursos”, Guimarães é finalista com o projeto Pay As You Throw (PAYT) implementado no Centro Histórico, numa parceria entre a Câmara Municipal de Guimarães, a VITRUS e a Resinorte e que tem aumentado a recolha de resíduos valorizáveis e a diminuição dos resíduos indiferenciados.

Na categoria “Inovação Social Green Project Awards – Sociedade Ponto Verde”, Guimarães tem também como finalista o Laboratório da Paisagem, através do seu projeto “EcoPontas e Papa-Chicletes - Redução e Valorização de Resíduos”. Este novo mobiliário urbano de carácter ambiental tem permitido a redução da acumulação dos resíduos de pontas de cigarro e pastilhas elásticas pelas ruas da cidade, ideia que tem merecido igualmente o interesse de várias outras autarquias do país.

Finalmente, na categoria “Iniciativa de Mobilização”, o Município viu reconhecido o trabalho realizado pelo Programa Ambiental PEGADAS e que tem contribuído de forma decisiva para a educação e sensibilização ambiental junto de todas as escolas do concelho. Com a nomeação para quatros das categorias em concurso, este é um reconhecimento que sublinha o percurso desenvolvido no âmbito do projeto de desenvolvimento sustentável do território “Guimarães mais Verde” e que suporta também a Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Recorde-se, também, que a Horta Pedagógica de Guimarães já havia sido finalista na edição do ano passado na categoria “Consumo Sustentável”.

PAN É CONTRA A REDUÇÃO DA REDE ECOLÓGICA NACIONAL

PAN pede revogação da decisão que tem levado à redução da Rede Ecológica Nacional

  • Divulgação de documentos revelam como dois municípios conseguiram reduzir drasticamente a REN por alegados interesses comerciais
  • As mais recentes alterações legislativas permitiram às autarquias propor alterações à REN desde que validadas e publicadas pelas CCDR
  • Pela importância cimeira de salvaguardar ecossistemas únicos o PAN pede intervenção urgente do Ministério do Ambiente

No seguimento da divulgação de documentos, pela associação ambientalista Zero, que revelam como dois municípios (Alcácer do Sal e Grândola), propuseram e conseguiram ver aprovada a retirada de 68% e 76% da Rede Ecológica Nacional – REN, o PAN - Pessoas-Animais-Natureza avança hoje com um projeto de resolução que recomenda ao governo português que proceda à revogação urgente das últimas decisões administrativas, que permitiram às autarquias alterar a REN com a validação das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais – CCDR, respetivas. O projecto pretende também proceder ao levantamento de todas as alterações feitas na REN desde 2008.

De acordo com a informação apurada, e que deve ser investigada e confirmada pelas entidades competentes, foram retiradas da REN áreas muito significativas para que os municípios possam construir e usar os recursos naturais de acordos com interesses comerciais que não preservam importantes e sensíveis ecossistemas. Teme-se ainda que a situação se alargue à escala nacional pelo que uma intervenção a este nível é urgente.

Para além de recomendar a revogação urgente ou a anulação administrativa dos despachos em causa, esta iniciativa legislativa pede a averiguação das alegadas deficiências e/ou irregularidades, das CCDR, no processo de alteração da REN e por último um levantamento nacional das alterações da REN depois da entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 166/2008, de 22 de agosto e a elaboração de um relatório e respetiva publicação no prazo de 6 meses após a aprovação da presente recomendação.

Tendo em conta os dados apresentados e tendo por base a importância cimeira de salvaguardar ecossistemas únicos, de promover uma eficaz mitigação das alterações climáticas e de garantir a viabilidade da REN como instrumento de conservação ecológica pública o PAN pede a urgente intervenção do Ministro do Ambiente neste assunto. 

PONTE DE LIMA: CONSELHO DIRECTIVO DOS BALDIOS DE SANTA MARIA DA CABRAÇÃO APRESENTA CANDIDATURA AO PDR2020

O Conselho Diretivo dos Baldios de Santa Maria da Cabração, no concelho de Ponte de Lima, acaba de apresentar uma candidatura ao PDR2020 ação 8.1.4 com vista à recuperação de infraestruturas afectadas com os recentes incêndios florestais, prevenção da contaminação e assoreamento das linhas de água e diminuição da perda de biodiversidade.

15326542_1279912705365617_5616091322485361444_n.jpg

Caros amigos:

Como é sabido, o incêndio do dia 08/08/2016 destruiu todo o baldio, foi a maravilhosa floresta, restaram as cinzas, um enorme prejuízo patrimonial ambiental e ecológico.

O Conselho Diretivo, não se rende a um ato covarde e criminoso, nem baixa os braços.

É tempo de meter mãos a obra e reconstruir tudo, mas faze-lo, não só para recuperar o baldio da Cabração, a nossa floresta, paisagem e ambiente, mas também de forma, a que no futuro não fiquemos expostos a bandidos sem escrúpulos e que se perca tudo outra vez.

Todos temos essa obrigação perante os nossos ante passados mas sobretudo pelas próximas gerações

Por isso metemos mãos a obra, aproveitamos a oportunidade, e após vários dias de intenso trabalho, reuniões e burocracias e para cumprir os prazos muito curtos, apresentamos candidaturas ao PDR2020 ação 8.1.4.

Sem a colaboração de pessoas com alta capacidade profissional e dedicação seria tudo mais complicado ou mesmo impossível.

Por isso agradecemos o trabalho de todos os que estiveram connosco em particular da Sra. Engenheira Elisabete Abreu, da AFL, e Sr. Engenheiro Ivo Gomes do ICNF

Este é o primeiro passo de um longo caminho cheio de dificuldades que não será fácil, exigira muito de nos, do nosso tempo e ate da nossa família e de todos os verdadeiros amigos da Cabraçao

Temos pela frente um enorme desafio, mas estamos certos que com toda a comunidade da Cabração unida, com apoio dos nossos amigos vamos conseguir.

Depois do pesadelo do fogo resta-nos sonhar em ter de novo um baldio que nos orgulhava, uma floresta como sempre tive, um ambiente natural e uma paisagem verde deslumbrante

Deus quer o homem sonha e obra nasce!

O Conselho Directivo

15541223_1279912202032334_7324299751063854897_n.jpg

15578477_1279912682032286_7627907418617877486_n.jpg

15589737_1279912205365667_1490454965674494765_n.jpg

15590636_1279912218698999_6861576939345502705_n.jpg

VIMARANENSES CRIAM BRIGADA VERDE

PROTEÇÃO DO AMBIENTE NO CONCELHO DE GUIMARÃES

União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim cria Brigada Verde

 

Está apresentado mais um novo grupo de voluntários para a proteção da natureza no concelho de Guimarães. Educação ambiental para a sustentabilidade é um dos objetivos.

 

A Junta da União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim constituiu uma Brigada Verde em defesa do ambiente com cerca de uma centena e meia de voluntários. Nesta primeira fase, estão inscritas concretamente 144 pessoas, com idades que variam entre os 14 e os 80 anos, representando instituições como o Agrupamento CNE nº 830 de Santo Estêvão de Briteiros, Gerações em Movimento (Cooperativa Castreja), Ginástica Sénior, Grupo de Jovens, membros individuais da comunidade, além da Junta de Freguesia.

 

A constituição de Brigadas Verdes no concelho de Guimarães, proposta lançada pelo Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, desenvolvido ao abrigo da candidatura a Capital Verde Europeia 2020, tem por objetivo desafiar os vimaranenses e as suas instituições a comprometerem-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente.

 

Na União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim, a Brigada Verde tem por missão colaborar na realização de ações de formação, promover a sensibilização e educação ambiental nas escolas e na comunidade, além de efetuar ações de fiscalização para a identificação de focos poluidores, através de ações coletivas ou individuais, com a respetiva comunicação à Junta de Freguesia para posterior envolvimento das entidades competentes. Ao mesmo tempo, irá promover ações de limpeza de caminhos, matas e cursos de água, plantação de árvores, recolha e separação de resíduos.

 

Fermentões e Ponte constituíram igualmente as suas Brigadas Verdes, o mesmo acontecendo na Escola Profissional CISAVE. Na semana passada, a Junta de Núcleo de Guimarães do Corpo Nacional de Escutas (CNE), com cerca de 4 mi escuteiros, assinou declarações de “Compromisso Guimarães Mais Verde”. Para além de muitos anónimos e outras figuras públicas de destaque, o Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, bem como o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, também já assinaram o documento.

PAREDES DE COURA DISPONIBILIZA PINHEIROS NATURAIS NA ÉPOCA NATALÍCIA

O Município de Paredes de Coura disponibiliza gratuitamente pinheiros naturais, para evitar o corte de árvores viáveis e a destruição da floresta em crescimento, durante a quadra natalícia.

45-paisagem protegida-6.jpg

Esta ação tem a colaboração das equipas de sapadores florestais que recolhem pinheiros jovens de dimensão variável em monda feita nas zonas de regeneração natural. A eliminação destas árvores de povoamentos excessivamente densos é essencial para o ordenamento da floresta e para a sua proteção contra incêndios.

O corte e uso de árvores naturais para ornamentação natalícia é apontada como um ato ambientalmente pouco responsável.

Por isso, quem preferir um pinheiro natural pode recolhê-lo nas oficinas municipais e não cortando na natureza.

Recorde-se que Paredes de Coura foi o primeiro município português a apresentar um Projeto – Piloto do Plano de Paisagem, no âmbito do Fórum Internacional sobre a ‘Paisagem do Sudoeste Europeu’, que reuniu especialistas e decisores pela primeira vez em Portugal, em outubro de 2015, na Fundação de Serralves, no Porto.

Esse “Projeto – Piloto do Plano de Paisagem da Unidade Campos de Coura” visa o desenvolvimento do Plano de Paisagem para o território de Coura e tem como objetivos a valorização do património natural, cultural e urbano, bem como definir medidas orientadoras para a gestão da paisagem que preservem o seu caráter e identidade, reforçando a componente da paisagem cultural nas aldeias e lugares incluídos em Rede Natura e na Paisagem protegida.

PARTIDO "OS VERDES" ESTÁ PREOCUPADO COM A MORTE DE DOIS LOBOS NO MINHO

O Deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar Os Verdes, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério do Ambiente sobre a morte de pelo menos dois indivíduos da espécie lobo-ibérico por ações humanas na Serra da Cabreira e em Vila Nova da Cerveira.

O lobo-ibérico, classificado no livro vermelho dos vertebrados como em perigo (EN), que beneficia, em Portugal, de legislação própria específica de proteção desde 1988, Lei n.º 90/88 (que teve por base um projeto de lei do PEV), continua a estar fortemente ameaçado e a ser alvo de perseguição e abate pelo homem, ou vítima de acidentes como atropelamento entre outros pelo que Os Verdes pretendem saber que diligencias estão a ser feitas para se apurar a causas e culpados das recentes mortes de lobos aqui relatadas.

Pergunta:

Recentemente vieram a público notícias que relatam a morte de pelo menos dois indivíduos da espécie lobo-ibérico (Canis lupus signatus Cabrera, 1907) por ações humanas na Serra da Cabreira e em Vila Nova da Cerveira.

Os animais mortos apontam para um juvenil de lobo-ibérico morto por envenenamento, encontrado no dia 13 de novembro, na serra da Cabreira, em Vieira do Minho e um segundo caso de atropelamento, em 21 de novembro, em Vila Nova da Cerveira, na freguesia de Covas.

A ser verdade estes atos são proibidos pelo Decreto-Lei n.º 54/2016 de 25 de agosto.

O lobo-Ibérico é um dos grandes carnívoros europeus, classificado no livro vermelho dos vertebrados como em perigo (EN), que beneficia, em Portugal, de legislação própria específica de proteção desde 1988, Lei n.º 90/88 (que teve por base um projeto de lei do PEV) mas continua a estar fortemente ameaçado e a ser alvo de perseguição e abate pelo homem, ou vítima de acidentes como atropelamento entre outros.

Ao longo dos anos as dificuldades de coexistência entre o homem e o lobo têm sido

permanentes e perduram até aos dias de hoje. A área de distribuição do lobo-ibérico no nosso território representa hoje apenas 20% do que já foi no início do século XX, segundo o Livro Vermelho.

As populações de lobo no mundo, na Europa e em particular em Portugal estão profundamente fragilizadas. No nosso país são variadas as causas para essa fragilidade, desde a destruição e fragmentação do habitat natural, nomeadamente por atravessamento de grandes vias rodo e ferroviárias, barragens, aglomerados populacionais ou atividade agropecuária, a grande falta de presas naturais aumenta o conflito direto com o homem, para além de que ainda hoje persiste na cultura popular uma imagem negativa em relação ao lobo. São frequentes a caça ilegal, envenenamento e armadilhas e os atropelamentos etc.

Não é alheio a este estado, o facto de as indemnizações previstas na lei, devidas aos ataques a rebanhos, demorarem a ser pagas aos proprietários de gado em território de lobo.

Assim, ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicito ao Senhor Presidente da Assembleia da República que remeta ao Governo a seguinte pergunta, para que o Ministério do Ambiente me possa prestar os seguintes esclarecimentos:

1 – Tem o Ministério conhecimento destes recentes casos e que diligencias estão a ser feitas para se apurar a causas e culpados das recentes mortes de lobos aqui relatadas? Que outros casos têm ocorrido e quais têm sido os procedimentos seguidos para que situações destas deixem de ocorrer?

2 - Que meios tem o Ministério afetos à proteção do lobo-ibérico, nomeadamente equipas de vigilância, equipas no terreno para reconhecimento no local de ataques de lobo-ibérico, esclarecimento e formação à população, nomeadamente criadores de gado, fornecimento cães de gado ou implementação de medidas para recolhimento e abrigo do gado nomeadamente ovino e caprino e equino? Considera este ministério serem os meios suficientes?

3 – Em caso de ataques a rebanhos qual o tempo médio que demora a análise da ocorrência e o pagamento de indemnização prevista na lei, em caso de se provar o ataque ser provocado por lobo-ibérico?

4 – Existe algum esforço dos serviços para reintrodução de presas naturais do lobo em territórios onde este ocorre?

5 - Em que estado se encontra atualmente a população nacional de lobo- ibérico em termos de número de indivíduos e sua dispersão no território? Há perceção do seu crescimento ou regressão nos últimos 30 anos?

6 - Quando pensa o ICNF ou o Ministério do Ambiente ter aprovado e pôr em marcha o Plano de Ação para a Conservação do Lobo-ibérico?

O Grupo Parlamentar “Os Verdes

PONTE DE LIMA COMEMORA 16 ANOS DA ÁREA PROTEGIDA DAS LAGOAS DE BERTIANDOS E S. PEDRO DE ARCOS

O 16.º aniversário da Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos será assinalado, no próximo dia 10 de dezembro, com a realização da iniciativa “Um dia Pela Área Protegida”.

Cartaz_16aniv-01.jpg

A iniciativa, com início pelas 9 horas na Quinta Pedagógica de Pentieiros, pretende, a par dos objetivos ambientais, promover hábitos de voluntariado a favor do ambiente e do mundo rural e prevê a realização de diversas tarefas tendentes à recuperação do Parque Florestal da Quinta de Pentieiros, que foi devastado pelo incêndio de agosto do corrente ano.

Atendendo ao local onde será desenvolvida a atividade e à natureza da mesma, será ainda assinalado o Dia da Floresta Autóctone.

Da parte da tarde, pelas 14h30, será realizada uma visita ao percurso pedagógico da Quinta. Esta visita será guiada pelos alunos do 6.º ano do Centro Educativo das Lagoas, para demonstração do trabalho realizado, durante o último ano letivo, no âmbito do projeto Ambiente e Mundo Rural, desenvolvido em parceria com o Serviço Educativo das Lagoas.

A participação na atividade “Um dia pela Área Protegida” carece de inscrição prévia obrigatória, até ao próximo dia 5 de dezembro, através do e-mail lagoas@cm-pontedelima.pt ou pelo telemóvel 963518317.

GUIMARÃES ESTÁ CADA VEZ MAIS VERDE!

Brigada Verde de Ponte recolhe mais de uma tonelada de lixo nos acessos e margens do rio Ave

Ação ambiental envolveu cerca de uma centena de voluntários. Plantação de novas árvores ocuparam resíduos removidos da natureza.

Ponte_Brigada_Verde.jpg

Mais de uma tonelada de resíduos foi recolhida dos acessos e margens do rio Ave, durante a realização de uma ação de limpeza promovida pela Brigada Verde de Ponte. Cerca de uma centena de voluntários participou nesta ação de sensibilização, que foi complementada com a plantação de doze árvores junto ao Parque de Lazer da Ínsua.

A iniciativa teve vários palcos de ação, desde a limpeza da vegetação de caminhos, remoção de lixo indiferenciado (plásticos, vidros, eletrodomésticos e mobiliário já em estado de decomposição, pneus...), que se encontravam na margem e acessos do rio Ave. Em paralelo com esta ação, a Brigada Verde de Ponte plantou uma dúzia de árvores no âmbito da campanha nacional “Plantar Portugal”.

«Este tipo de ações em defesa da natureza devem ser replicadas no nosso concelho, com a criação de novas e mais Brigadas Verdes. O princípio da proteção ambiental de Guimarães é fundamental no caminho que estamos a percorrer e só com o envolvimento de todos, mudando comportamentos e atitudes, poderemos acrescentar novos patamares de qualidade ao nosso ambiente», considerou Domingos Bragança, Presidente do Município.

Já o responsável pela Junta de Freguesia de Ponte, Sérgio Castro Rocha referiu, por sua vez, que o objetivo primordial da campanha de limpeza foi a «promoção da saúde e o bem-estar de todos, pautando pelas práticas saudáveis de convivência, em harmonia com a natureza, levando os jovens e a população em geral a terem atitudes e comportamentos assertivos em relação ao meio em que todos vivemos».

A realização desta iniciativa contou com o apoio e participação de vários parceiros, nomeadamente, Câmara Municipal de Guimarães, Junta de Freguesia de Ponte, Vitrus, Escuteiros, Secção de Ambiente da ARCAP, empresas privadas e muitos voluntários da vila de Ponte.

QUATRO MIL ESCUTEIROS ASSINAM “COMPROMISSO GUIMARÃES MAIS VERDE”

SESSÃO NO LABORATÓRIO DA PAISAGEM

Junta de Núcleo de Guimarães é a maior do país. Cerimónia protocolar decorreu este sábado à tarde no Laboratório da Paisagem.

A Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020 (CVE) e a Junta de Núcleo de Guimarães do Corpo Nacional de Escutas (CNE), com cerca de 4 mi escuteiros, assinaram este sábado, 03 dezembro, declarações de “Compromisso Guimarães Mais Verde”, documento que propõe a adoção de comportamentos simples, como o respeito pelas normas do ruído, um esforço de poupança de água, utilização de transportes alternativos, separação do lixo, redução de fatura energética, respeito pelos rios e linhas de água, proteção da floresta, entre outros. 

Guimaraes_Compromisso_Ambiental_Escuteiros.JPG

A cerimónia protocolar, que decorreu no Laboratório da Paisagem, contou com a presença do Presidente do Município, Domingos Bragança, e do Chefe de Núcleo de Guimarães do CNE, Ernesto Machado, que preside à maior estrutura do país, reunindo 56 agrupamentos do concelho. A sessão teve ainda a presença do Vice-Presidente, Amadeu Portilha, da Coordenadora Executiva da CVE, Isabel Loureiro.

«A soma de todos é que opera a mudança, partindo do local para o geral! O sonho comanda a vida e só quem começa a caminhada é que consegue chegar ao fim, até porque o caminho a percorrer permite-nos aumentar patamares de qualidade! Queremos um compromisso com entusiasmo, com paixão, porque nós acreditamos! Cada um de vós tem de envolver mais três amigos», propôs Domingos Bragança, mencionando o fundador do movimento escutista como uma das referências na proteção do ambiente e da promoção da ecologia.

O Artigo 6º da Lei do Escuta serviu de base à intervenção de Ernesto Machado. «O escuta protege as plantas e os animais!», disse, garantindo que o Núcleo de Guimarães irá «assumir o compromisso com honra e confiança». «O melhor galardão é deixar o mundo melhor do que aquele que encontramos. Temos de criar uma grande envolvência e cada um de nós terá de convidar mais três amigos a assinar este Compromisso», acrescentou.

Fidelizar o Compromisso

Amadeu Portilha, por sua vez, referiu que Guimarães «vai fazer a diferença, construindo um paradigma de desenvolvimento diferente, com pequenos gestos, ajudando a construir um território agradável para viver, através de um compromisso de fidelização de um tempo novo! Precisamos do vosso exemplo, do vosso cuidado e da transmissão desta mensagem», opinião igualmente partilhada por Isabel Loureiro, que reafirmou a necessidade de uma «mudança de comportamentos, rotinas e de hábitos».

A Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia desafiou os vimaranenses a comprometer-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente. Esta declaração de compromisso é dirigida a todos, mas aos vimaranenses em particular. Para além de muitos anónimos e outras figuras públicas de destaque, o Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, bem como o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, também já assinaram o Compromisso Guimarães Mais Verde.

AMARES SENSIBILIZA PARA A COMPOSTAGEM

Na Semana Europeia de Prevenção de Resíduos o Município de Amares sensibiliza para a Compostagem

O Município de Amares escolheu a Semana Europeia de Prevenção de Resíduos, que decorreu de 19 a 27 de novembro, para iniciar uma campanha de sensibilização para a compostagem. Manuel Moreira, presidente da Câmara Municipal de Amares, chamou a atenção “para o impacto que o lixo produzido tem no ambiente e apelou ao envolvimento de todas as pessoas uma vez que, a este nível, o comportamento de cada cidadão se reflete no todo”.

15203205_1514837098533752_5299457924533754573_n.jpg

Fruto dessa campanha de sensibilização, foi criado o manual de boas práticas de compostagem, um documento de consulta simples e rápida que proporciona ao munícipe um conjunto de recomendações úteis, com o intuito de sensibilizar a população para a gestão dos resíduos e dar a conhecer a compostagem, incentivando a sua realização em moradias com jardim, nas escolas, nos centros de dia, lares de idosos e demais instituições do concelho.

O manual surge no âmbito do projeto “Amares mais Verde” – Valorização de Resíduos Orgânicos e enquadra-se num conjunto amplo de ações, que visam o aumento da recolha seletiva de materiais que, de outra forma, seriam depositados em aterro.

É objetivo do projeto “Amares mais Verde” a redução da quantidade de resíduos orgânicos enviados para o aterro, através de incentivos à compostagem, uma técnica ancestral tantas vezes utilizada pelos nossos antepassados, e que se prende com um conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de materiais orgânicos (cascas de frutas, restos de vegetais, resíduos de jardins, entre outros), através de organismos heterótrofos aeróbios. Tem como finalidade obter, no menor tempo possível, um material estável, rico em substâncias húmidas e nutrientes minerais.

Note-se que cerca de 30% dos resíduos produzidos são orgânicos, podendo ser valorizados e transformados em adubo para plantas e que cada amarense produz em média 320 kg de resíduos indiferenciados ao longo do ano, pelo que constitui uma preocupação para o Município Amarense sensibilizar a população para a problemática da gestão dos resíduos.

DSC09638.JPG

Compostagem dada a conhecer aos mais novos

No âmbito desta política de gestão eficaz dos resíduos e valorização ambiental, uma equipa de técnicos do Município de Amares tem visitado nos últimos dias os centros escolares do concelho para dar a conhecer aos mais novos o que é a compostagem, explicando, entre outras, as suas vantagens.

Entre os benefícios desta técnica destaca-se, a título de exemplo, o facto do uso de composto aumentar os nutrientes do solo reduzindo o recurso ao uso de fertilizantes químicos, dando origem a alimentos mais saudáveis, assim, como, o facto da compostagem doméstica ou comunitária diminuir os resíduos que vão para o lixo, reduzindo significativamente a quantidade a depositar em aterro.

Além disso, a compostagem fornece um material rico em nutrientes para o solo, que melhora o desenvolvimento das plantas, das hortas e dos jardins, entre outras vantagens.

1compostag (1).jpg

1compostag (2).jpg

1compostag (3).jpg

1compostag (4).jpg

1compostag (5).jpg

1compostag (6).jpg

1compostag (7).jpg

1compostag (8).jpg

1compostag (9).jpg

1compostag (10).jpg

1compostag (11).jpg

1compostag (12).jpg

BRAGA TEM PAI NATAL VERDE

´O Pai Natal Verde´ sensibiliza crianças para adoptar comportamentos ambientalmente responsáveis

Decorreu hoje, dia 29 de Novembro, na Associação Maconde, o lançamento oficial da 2.ª edição do livro infantil “O Pai Natal Verde”, uma obra da autoria de Narciso Moreira, com o apoio da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e da Câmara Municipal de Braga.

CMB29112016SERGIOFREITAS0000003786.jpg

O Pai Natal Verde” é um projecto pedagógico de Educação Ambiental que tem por principal objectivo sensibilizar os mais novos para adoptarem comportamentos ambientalmente responsáveis, promotores da preservação e sustentabilidade ambiental, alertando-os, mais concretamente, para as atitudes que caracterizam a época natalícia, sem nunca perder o encanto e a magia que a mesma proporciona.

A obra destina-se, essencialmente, aos alunos do 1.º ciclo do Ensino Básico e engloba, para além do livro infantil, a adaptação da narrativa ao teatro, com a exibição da peça "O Pai Natal Verde".

Na ocasião, Altino Bessa, vereador do ambiente e energia do Município de Braga, sublinhou que esta época é particularmente crítica na influência para o consumismo, com impactos negativos para o ambiente, sobretudo pela quantidade de recursos utilizados, desde o papel até à energia consumida. “Mais do que uma obra reservada às crianças, a história do Pai Natal Verde é, também e indirectamente, destinada a todas as idades, uma vez são que os mais novos que incentivam e lutam para que em suas casas haja alterações de hábitos”, referiu.

De acordo com o autor, Narciso Moreira, o livro “é mais uma resposta no sentido de dotar com mais uma ferramenta todos os educadores e outros profissionais (e não são poucos), que trabalham diariamente no sentido de promover uma consciencialização ambiental efectiva e sentida.”

O Município de Braga oferecerá um livro “O Pai Natal Verde” a cada uma das 109 Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico e exibirá, em dois dias e locais distintos, a peça de teatro para mais de 2000 alunos e alunas do distrito. A primeira exibição da peça de teatro acontecerá no dia 7 de Dezembro, no Parque de Exposições de Braga, e a segunda, no dia 15 de Dezembro, no antigo edifício da Junta de Freguesia de Aveleda.

Alti7689 (1).jpg

CMB29112016SERGIOFREITAS0000003782.jpg

CMB29112016SERGIOFREITAS0000003785.jpg

GUIMARÃES ADERE AO FÓRUM DO AMBIENTE

CONFERÊNCIA ANUAL EM MILÃO

Assembleia Geral da EUROCITIES aprova adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente

Boas práticas ambientais vimaranenses foram apresentadas em Milão. Cidades europeias produziram manifesto para a importância de contribuírem para a sustentabilidade mundial.

EUROCITIES_Assembleia_Geral.jpg

A Assembleia Geral da EUROCITIES, rede que integra as maiores cidades europeias, aprovou a adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente, grupo de trabalho no qual são analisadas questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental e que representa a organização das cidades junto da Comissão Europeia em Bruxelas, entre outras instituições.

Na reunião, uma delegação de Guimarães deu a conhecer em Milão, durante a conferência anual da EUROCITIES, um conjunto de boas práticas ambientais que têm sido implementadas pela Câmara Municipal, como é o caso da Academia de Ginástica como edifício sustentável, Ecovia, Bacias de Retenção, Programa PEGADAS, projeto pioneiro de recolha de resíduos no Centro Histórico (PAYT), entre outros.

Sob o tema “Sharing Cities” (Cidades que Partilham), conceito que significa a partilha de valores através de uma economia híbrida, Guimarães apresentou às restantes cidades a importância do desenvolvimento de estratégias apoiadas na educação, sensibilização, planeamento e partilha para a implementação de um modelo de território sustentável, no caminho que está a ser percorrido para ser candidata a Capital Verde Europeia. Foi também destacada a importância da reabilitação urbana e do património cultural, bem como o título de Capital Europeia da Cultura e Cidade Europeia do Desporto.

Durante o encontro, foram discutidos os principais desafios que as cidades têm pela frente centrados essencialmente na promoção da qualidade de vida dos seus cidadãos. Deu-se destaque aos vários modelos de partilha que uma cidade pode desenvolver e apoiar, quer ao nível da mobilidade, da ação social, de parcerias públicas ou mesmo de participação cívica. A delegação vimaranense teve ainda a oportunidade de contactar com várias cidades integrantes da rede e partilhar experiência e projetos, nomeadamente Nantes, Utrecht, Leeds, Amesterdão, Oslo, Estocolmo, Ljubljana, Ghent, Milão, Florença, Istambul, Madrid, Viena, Antuérpia.

Na conferência foram também organizadas sessões paralelas, como a apresentação do Relatório Anual das Cidades Europeias 2016, produzido pelas Nações Unidades Habitat, no qual é realizada uma análise de estatística ao nível demográfico, desenvolvimento económico, integração social, eficiência de recursos, ambiente urbano e alterações climáticas, mobilidade, entre outros. As cidades ali reunidas tiveram ainda oportunidade de produzir um manifesto para a importância de contribuírem para a sustentabilidade mundial.  

PAN DEFENDE MOBILIDADE ELÉCTRICA

Orçamento de Estado 2017: Mobilidade elétrica: Governo aceita proposta do PAN para renovação das frotas do Estado

  • 1200 Veículos elétricos no Parque de Veículos do Estado até 2019
  • 150 Veículos elétricos nos organismos da Administração Pública e 250 novos pontos de carregamento em território nacional já em 2017

Compromissos de longo prazo na mobilidade elétrica são essenciais para diminuir a dependência do país dos combustíveis fósseis

Portugal vai ter 1200 veículos elétricos no Parque de Veículos do Estado até 2019. A proposta do PAN, Pessoas – Animais – Natureza, para um incentivo à mobilidade elétrica através da renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros do Estado, através da aquisição de veículos elétricos, foi acolhida pelo governo para integrar o Orçamento do Estado de 2017.

A proposta do PAN visa um compromisso com o programa de incentivo à mobilidade elétrica assegurando a introdução de, pelo menos, 150 veículos elétricos nos organismos da Administração Pública já em 2017, para a inclusão de 1200 veículos elétricos no Parque de Veículos do Estado até 2019, e do reforço das infraestruturas de carregamento, com a instalação de, pelo menos 250 novos pontos de carregamento em território nacional. É necessário um compromisso nesta área que vá para além desta legislatura, são necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática.

O objetivo inicial do PAN e que ainda não foi possível estabelecer é que, à semelhança do que já acontece na Holanda e na Alemanha, também Portugal estabeleça uma meta de médio para que apenas veículos elétricos sejam comercializados no país.

As principais fontes de emissão de gases de efeito de estufa (GEE) resultam de atividades relacionadas com a produção de energia, com a indústria, com a pecuária intensiva e com os transportes e, para atingir a ambiciosa meta de balanço neutro de emissões em 2050, anunciada pelo Primeiro-ministro de Portugal no seu discurso na COP22 em Marraquexe, é essencial diminuir drasticamente a dependência do país de combustíveis fósseis. Se Portugal está efetivamente determinado em promover um sistema de mobilidade cada vez mais sustentável, combatendo as alterações climáticas e diminuindo a dependência dos combustíveis fósseis, cabe ao Estado também dar o exemplo e mostrar orientações claras nesse sentido.

As negociações com o Governo sobre outras medidas propostas pelo PAN para integrar o Orçamento de Estado estão ainda a decorrer.

GUIMARÃES COMEMORA SEMANA EUROPEIA DA PREVENÇÃO DE RESÍDUOS

Guimarães inicia este sábado Semana Europeia da Prevenção de Resíduos 2016. Até 27 de novembro

Várias associações e empresas juntam-se ao evento organizado pela Câmara Municipal de Guimarães, Laboratório da Paisagem e Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. “Usa menos embalagens” é a mensagem deste ano.

Semana_Prevencao_Residuos.jpg

A abertura da exposição “Fibrenamics Green: Do Resíduo ao Produto”, que estará patente nas instalações da ACIG, entre 19 e 27 de novembro, dá início este sábado à Semana Europeia da Prevenção de Resíduos em Guimarães, com uma série de ações que pretendem alertar para a necessidade de serem reduzidos os resíduos de embalagens. Também os hipermercados Jumbo e Bolama associam-se à iniciativa, promovendo junto dos seus clientes descontos na aquisição de embalagens familiares. Durante a semana decorrerão igualmente ações de sensibilização com a colaboração do Núcleo de Escutas para a reutilização de equipamentos no âmbito do projeto “Consigo”, da Câmara Municipal de Guimarães.

Na segunda-feira, 21 de novembro, lança-se o debate aos estudantes da Escola Secundária Santos Simões, através de uma conversa informal “Café com Ambiente”, pelas 09 horas, que versará o tema da redução de embalagens. No dia seguinte, pelas 10 horas, o auditório do Laboratório da Paisagem recebe uma palestra da investigadora Alexandra Prata, do Departamento de Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho, organizada pelo Centro Ciência Viva de Guimarães - Curtir Ciência, intitulada “Compósitos com carga de resíduos de café”, destinada a jovens entre os 14 e os 17 anos, com entrada livre, mas sujeita a inscrição. De tarde, pelas 15 horas, o Centro Ciência Viva de Guimarães abre as portas para uma visita ao Módulo de Reciclagem do Curtir Ciência, onde se explicará como e quando reciclar materiais plásticos.

A Semana Europeia da Prevenção de Resíduos prossegue na quarta-feira, 23 de novembro, com o Workshop “Fibrenamics Green: do Resíduo ao Produto”, marcado para as instalações da ACIG, a partir das 14:30 horas, em que será apresentado o projeto desenvolvido pela Plataforma Fibrenamics no âmbito da incorporação e valorização de resíduos num projeto desenvolvido em parceria com o CVR-Centro para a Valorização de Resíduos. Ao final da tarde, na Pista de Atletismo Gémeos Castro, a Vimágua fará uma ação de sensibilização no desporto “A mesma garrafa, mais energia”, que terá a participação do atleta paralímpico Manuel Mendes, na qual serão apresentados os novos objetos da empresa (garrafa reutilizável e jarro de vidro) que visam a promoção da redução do uso de embalagens.

Eco-Feira no Largo da Oliveira

No dia 24, vão decorrer na freguesia de Fermentões duas ações de sensibilização, nomeadamente em Coradeiras e Mataduços, das 18 às 19:45 horas. No sábado, 26 de novembro, o Largo da Oliveira será palco, entre as 14 e as 19 horas, de uma Eco-Feira, onde os visitantes poderão encontrar diversos artigos produzidos a partir da reutilização de materiais. Pelas 17 horas, os vimaranenses poderão ainda surpreender-se com um concerto musical realizado com instrumentos construídos a partir da reutilização de materiais.

A Semana Europeia da Prevenção de Resíduos em Guimarães termina no domingo, dia 27 de novembro, pelas 10:30 horas, no restaurante Cor de Tangerina, com um showcooking intitulado “Cozinha de luxo: como cozinhar o que consideramos lixo?”. Estas ações estão integradas na preparação da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020 e contam com o apoio do Laboratório da Paisagem, Câmara Municipal de Guimarães e ainda diversos parceiros que se juntam a esta iniciativa.

GUIMARÃES APOSTA EM JOGO AMBIENTAL PARA A ADOÇÃO DE ATITUDES SUSTENTÁVEIS

EM PARCERIA COM “START UP PLANETIERS”, NA WEB SUMMIT

Plataforma digital irá associar eficiência energética à aprendizagem e educação, integrada no Programa PEGADAS. Jogo ambiental permitirá às crianças ter comportamentos e atitudes mais sustentáveis.

Guimaraes_Web_Summit.jpg

Guimarães, que esteve presente no maior evento tecnológico do mundo, a “Web Summit”, realizada este ano em Lisboa, vai desenvolver um jogo ambiental que convidará o público mais jovem a adotar comportamentos sustentáveis, no âmbito dos objetivos definidos pelo projeto PEGADAS – Programa de Educação e Sensibilização Ambiental para Guimarães.

A parceria será desenvolvida com a Start Up Planetiers, promotora de uma plataforma agregadora de soluções sustentáveis (http://www.planetiers.com), que irá associar as temáticas da eficiência energética à aprendizagem e educação para a sustentabilidade ambiental. O projeto tem a colaboração da Câmara Municipal de Guimarães, do Laboratório da Paisagem, da CIM Ave e da Agência de Energia do Ave.

Considerando a aposta que Guimarães tem realizado na promoção de políticas e projetos no âmbito da sustentabilidade ambiental, consubstanciada na candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, esta parceria afigura-se como mais um passo na prossecução do objetivo e visão do programa “Guimarães Mais Verde”, nomeadamente no apoio ao desenvolvimento de projetos inovadores e criativos de âmbito tecnológico.

3 dias e meio, 21 conferências, 663 oradores

Estiveram presentes na “Web Summit” dezena e meia de jovens empresas ligadas à Universidade do Minho, com expositor próprio, (ex-)alunos e investigadores das spin-offs Nutrium (o nutricionista na mão), GenSys (solução integrada para planeamento, controle e programação da produção), displr (rede de ecrãs interativos), bem como das startups BiotechZone (“eBay” da biotecnologia), Performetric (software que avalia a fadiga), MindProber (plataforma de neurociência do consumo), PeekMed (o simulador dos ortopedistas), eSolidar (comércio solidário online), Loqr (autenticação online mais segura), HydrUStent (cateteres urológicos biodegradáveis), Talent Spy (a ferramenta que procura os novos CR7), SafeCloud (o mais seguro do mercado a guardar fotos), Beevo (digitaliza processos físicos do comerciante) e blaart (plataforma para promover artistas emergentes).

A presença destes projetos confirma o dinamismo e empreendedorismo da comunidade da região e da Universidade do Minho, capaz de iniciativas inovadoras que contribuam para o desenvolvimento regional, nacional e internacional e para o bem-estar dos cidadãos. A Web Summit nasceu em 2010 e transferiu-se pela primeira vez de Dublin (Irlanda), tendo registado 53.056 participantes de 165 países, incluindo 15 mil empresas, 7 mil presidentes executivos e 2 mil jornalistas. O evento que colocou Portugal no mapa mundial do empreendedorismo contou com oradores de topo da Cisco, Facebook, Renault-Nissan, Tinder, Niantic, ONU, entre outros.

GUIMARÃES APRESENTA BRIGADA VERDE EM DEFESA DO AMBIENTE

Escola Profissional CISAVE criou Brigada Verde em defesa do ambiente

Estabelecimento de ensino apresentou mais de duas dezenas de voluntários. Grupo junta-se às Brigadas Verdes criadas nas freguesias de Fermentões, Ponte, Briteiros Santo Estêvão e Donim.

Guimaraes_Brigada_Verde_CISAVE.jpg

A Escola Profissional CISAVE, da Associação Comercial e Industrial de Guimarães, apresentou oficialmente, esta terça-feira, 15 de novembro, a sua Brigada Verde. A cerimónia decorreu nas instalações da escola e contou com as presenças do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, da Vereadora da Educação, Adelina Paula Pinto, do Presidente da Junta de Freguesia de Azurém, José Castro Antunes, do Presidente da Associação Comercial e Industrial de Guimarães ACIG e Diretor Geral da EP CISAVE, Manuel Martins, e dos Vice-Presidentes da ACIG, Abel Ribeiro da Silva, Gabriel Silva e Ricardo Lobo.

Constituída por mais de 20 alunos dos 10º, 11º e 12º anos de diferentes cursos, a Brigada Verde da Escola Profissional CISAVE, que tem como professoras responsáveis Maria José Peixoto e Regina Leal, também responde afirmativamente ao desafio lançado, no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, desenvolvido ao abrigo da candidatura a Capital Verde Europeia 2020.

A Brigada Verde da EP CISAVE resulta também da aposta que a Escola tem efetuado no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade, onde têm já sido desenvolvidas diversas atividades, designadamente a participação no programa “Eco-Escolas”, que tem resultado na atribuição da Bandeira Verde a este estabelecimento de ensino profissional de Guimarães.

CARLA CRUZ, DEPUTADA DO PCP ELEITA PELO CÍRCULO DE BRAGA QUESTIONA MINISTRO DO AMBIENTE SOBRE O PARQUE NACIONAL DA PENEDA GERÊS

Decorreu ontem na Assembleia da República a audição do Ministro do Ambiente no âmbito da discussão da especialidade da proposta de orçamento de estado para 2017.

PCP-simb.gif

Nessa audição, a deputada do PCP eleita pelo círculo eleitoral de Braga, questionou o governante sobre a Gestão do Parque Nacional Peneda Gerês, designadamente “a concretização do modelo de gestão de proximidade a aplicar às áreas protegidas”. A deputada questionou mesmo o Governo se esta gestão de proximidade contemplava a afectação ao PNPG de um director próprio.

Em resposta, a Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza informou que o modelo de gestão de proximidade contempla “reforço orçamental, alargamento e contratação de mais vigilantes da natureza e dotá-los de equipamentos”. Disse, ainda, no que toca ao PNPG que o modelo de gestão de proximidade abrange também a criação de 10 equipas para sapadores florestais, o envolvimento activo da população, dos municípios e das associações. Para além disto, vão avançar com a criação de programas especiais de ordenamento das áreas protegidas.

Sobre esta resposta e este modelo de Gestão, o PCP considerando positivo o envolvimento das populações, dos municípios e associações na gestão, da contratação dos vigilantes da natureza e das equipas de sapadores não pode deixar de afirmar que o modelo apresentado não responde cabalmente às necessidades do PNPG.

O PCP reafirma que o PNPG precisa de um Director exclusivo, bem como de reforço de meios financeiros para cumprir integralmente os propósitos que estiveram na base da criação do Parque Nacional e não deixará de se bater por esse propósito.

O Gabinete de Imprensa da DORB do PCP

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DO AMBIENTE E ENERGIA

Filipe Pinto “E tudo gira” em Ponte de Lima. VI Feira do Ambiente e Energia. 11 a 13 de novembro

Ponte de Lima inaugura na próxima sexta-feira, 11 de novembro, às 15 horas mais uma edição da Feira do Ambiente e Energia.

zpontelima.jpg

Promover os produtos, equipamentos e serviços que potenciem uma maior eficiência energética doméstica e/ou um maior aproveitamento dos recursos energéticos renováveis, sensibilizando para as questões energético-ambientais são os principais objetivos do evento.

A animação cultural e musical do evento apresenta vários momentos, com Teatro Infantil “Um olhar sobre os óleos Alimentares” – a cargo do Centro Educativo das Lagoas, na tarde de sexta-feira, a partir das 15 horas.

No sábado, às 16 horas, espetáculo Teatro + Concerto - “O Planeta Limpo de Filipe Pinto” vencedor do programa Ídolos. O jovem autor e músico Filipe Pinto vai apresentar o seu projeto que consiste numa ferramenta multimédia “O Planeta Limpo de Filipe Pinto”, cujo objetivo é a sensibilização de crianças e jovens para o papel que as energias renováveis e a redução, reutilização e reciclagem dos resíduos desempenham para a sustentabilidade ambiental.

À noite, a partir das 21h30, o autor e músico apresenta-se em concerto, com o seu mais recente trabalho intitulado “E tudo Gira”.

No domingo a animação está a cargo da Bando do Galo, com sessões às 11h00 e às 15h00, e do Teatro Infantil “Um olhar sobre os óleos Alimentares” – a cargo do Centro Educativo das Lagoas, às 15 horas.

A entrada é livre.

Consulte o programa em: http://www.visitepontedelima.pt/pt/turismo/vi-feira-do-ambiente-e-energia/

LIMPEZA DO RIO ESTE GARANTE SEGURANÇA DE PESSOAS E BENS

Ricardo Rio visitou intervenção em curso na zona da Ponte Pedrinha

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, visitou hoje, 27 de Outubro, as operações de limpeza e manutenção que estão a decorrer no rio Este, no troço situado entre a Avenida Padre Armando Lira e o complexo industrial da Grundig.

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003231.jpg

Na ocasião, Ricardo Rio salientou que a limpeza do rio resulta do cumprimento escrupuloso das obrigações legais do Município, no sentido de contribuir para a segurança pública. “Durante muitos anos houve um acumular de situações que levaram a que, em muitos pontos, o rio Este se transformasse num problema para moradores e empresas”, referiu o Edil, que se fez acompanhar pelo vereador do Ambiente, Altino Bessa.

A qualidade da água foi outra das dimensões destacadas pelo Autarca Bracarense, anunciando que, em breve, a Câmara Municipal irá avançar com um projecto que permitirá um acompanhamento mais escrupuloso de tudo o que tem a ver com as descargas e com a qualidade da água do rio. “Continuamos a assistir a diversas descargas, mas temos accionado todos os mecanismos ao nosso dispor para identificar os infractores e denunciá-los às autoridades competentes”, frisou Ricardo Rio.

Segundo o Edil, a limpeza do rio permite, ainda, uma maior fruição do mesmo por parte da população para a prática desportiva, para lazer ou mesmo na óptica de promoção de uma via alternativa de mobilidade urbana.

O Autarca adiantou, igualmente, que a curto prazo será lançado o concurso para a execução da extensão, a montante, da ciclovia até ao Instituto Ibérico de Nanotecnologia. “Neste momento, estamos a iniciar o estudo para o projecto de prolongamento a jusante, até ao Complexo da Grundig pelo que, ao longo do próximo ano, teremos a ciclovia reforçada em cerca de dois quilómetros”, sustentou o Edil.

As operações de limpeza e manutenção do rio Este iniciaram-se no final do mês de Julho, junto ao Complexo Desportivo da Rodovia. Além da limpeza manual das margens, os trabalhos incluem a utilização de máquinas nas zonas da Rodovia, Galos, junto à ‘FOC’ e ao Complexo da Grundig. “Só da zona da ‘FOC’ foram retiradas mais de 1.300 toneladas de inertes”, referiu o vereador do Ambiente, Altino Bessa, notando que o grande objectivo desta intervenção é dar um melhor aspecto ao rio e evitar as cheias.

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003233.jpg

CMB27102016SERGIOFREITAS0000003235.jpg

MUNICÍPIO DE CAMINHA VÊ APROVADA CANDIDATURA PARA VALORIZAÇÃO DA SERRA D’ARGA NO VALOR DE 348 MIL EUROS

Município de Caminha é a entidade beneficiária líder deste projeto tripartido entre os municípios de Caminha, Viana do Castelo e Ponte de Lima

O Município de Caminha acaba de ver aprovada uma candidatura para valorização do património natural da Serra d'Arga “Da Serra d’Arga à Foz do Âncora”, orçada em cerca de 348 mil euros. Trata-se de uma operação conjunta dos Municípios de Caminha, Viana do Castelo e Ponte de Lima e visa fundamentar a sua proposta de classificação deste território como Área de Paisagem Protegida de âmbito regional, reforçando o seu carater único enquanto ativo territorial e produto turístico emergente. Este investimento é comparticipado em 85% pelo FEDER.

3_Mrio Rocha Garranos Serra D`Arga.JPG

Esta operação surge pela constatação e reconhecimento de que a paisagem da Serra d’Arga, pela sua qualidade e diversidade, constitui um recurso comum e um ativo territorial cuja proteção e valorização, para além de ser um elemento-chave do bem-estar individual e social dos seus habitantes, constitui um elemento fundamental para a estratégia de afirmação da Região Norte enquanto destino turístico de excelência.

Para que esta candidatura fosse viável os municípios de Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo celebraram um protocolo de parceria em maio último. O Município de Caminha é a entidade beneficiária líder do projeto orçado em 348.735,75€, encontrando-se distribuído da seguinte forma: ao Município de Caminha corresponde a quantia de 137. 760€; ao Município de Ponte de Lima 100.864,92€ e ao Município de Viana do Castelo 110.110,83€.

Esta candidatura apresenta como objetivos: atualizar os conhecimentos sobre o território nas suas diferentes variáveis (paisagem, flora, fauna, geologia, património cultural e imaterial, serviços dos ecossistemas, dinâmica turística e socio economia) no conjunto do território gerido localmente pelos três Municípios; promover turisticamente (turismo de natureza) o território e divulgar os seus valores naturais, culturais e paisagísticos; promover a interpretação dos trilhos existentes no território, divulgando os valores florísticos, faunísticos, geológicos, paisagísticos e imateriais; utilizar as tecnologias de informação para aumentar a visibilidade do território e da Região Norte e do seupatrimónio natural junto dos visitantes e nos mercados nacionais einternacionais; desenvolver um Plano de Comunicação, que inclui aorganização de iniciativas de comunicação, informação e sensibilização associadas à proteção e conservação do património natural da Serra d’Arga e programas e ações estratégicos de desenvolvimento do turismo de natureza; Associar o território a uma marca, que permitirá a definição dos objetivos a atingir pelo plano de comunicação, a segmentação dos públicos-alvo e, por fim, determinar as ações e instrumentos de comunicação a utilizar na abordagem, numa lógica de promoção e posicionamento no mercado; fundamentar a posterior criação da Paisagem Protegida de Âmbito Regional, abrangendo a área em estudo, como forma de qualificação e desenvolvimento da oferta integrada de serviços e promoção da área e de assegurar a proteção e a reposição dos serviços dos ecossistemas, após a conclusão da operação; e ainda reforçar a cooperação institucional entre a administração local, regional e central na gestão conjunta do território.

A candidatura agora aprovada prevê a elaboração dos Atlas da Flora, Fauna e Geologia (levantamentosflorísticos, faunísticos e do património geológico); a realização de Estudos de Caraterização da Paisagem (de acordo com a Convenção Europeia da Paisagem); apreparação de um estudo de avaliação dos serviços de ecossistemas e de valorização da infraestrutura verde e, por último, interpretação de trilhos “Da Serra d´Arga à Foz do Âncora” e APP para smartphone (descrição de pontos de interesse ao nível da flora, fauna, geologia, paisagismo e património cultural e imaterial).

Para além das tipologias acima definidas, são ainda objeto de candidatura, um Plano de Comunicação com vista à promoção e à divulgação desta área classificada, incluindo: realização de um vídeo promocional; realização de um vídeo documentário; elaboração de uma imagem corporativa e elaboração de materiais de divulgação.

Esta candidatura foi submetida e aprovada no âmbito do Concurso Norte – 14 – 2016 - 01 – Património

PAN OPÕE-SE À PROSPECÇÃO DE PETRÓLEO EM PORTUGAL

PAN rejeita qualquer regulamentação para exploração de petróleo e gás em Portugal

  • Petição da Plataforma Algarve Livre de Petróleo é debatida quarta-feira, 26 de Outubro, na Assembleia da República
  • Regular o Decreto-Lei n.º 109/94 de 26 de Abril é validar a sua ação e os seus impactos
  • Portugal tem potencial para ser líder na produção e exportação de tecnologia e energia renovável e transitar para uma economia circular e de carbono zero

O PAN - Pessoas-Animais-Natureza acompanha esta semana com uma iniciativa legislativa a petição da Plataforma Algarve Livre de Petróleo que pede o fim da prospeção e a exploração de petróleo e gás em Portugal. O projeto de lei do PAN pede a revogação do Decreto-Lei n.º 109/94, de 26 de Abril, que regulamenta o acesso e exercício das atividades de prospeção, pesquisa, desenvolvimento e produção de petróleo em Portugal.

MARCHA ANIMAL 051

Às portas da COP22 e contrastando com o compromisso assumido na ratificação do Acordo de Paris e com o próprio Orçamento de Estado para 2017, que refere pretender “descarbonizar progressivamente a sociedade”, o governo contratualizou a prospeção, pesquisa, desenvolvimento e produção de hidrocarbonetos on e off shore a consórcios petrolíferos nas regiões da Beira Litoral, da Extremadura, do Alentejo e do Algarve.

Para o PAN, mais importante do que as decisões políticas parlamentares é acompanhar as preocupações cívicas de cidadãos e associações deste país contra a prospeção, pesquisa, desenvolvimento e exploração de hidrocarbonetos. Regular o Decreto-Lei n.º 109/94, de 26 de Abril é validar a sua ação e os seus impactos, pelo que o único caminho exequível para fazer cumprir Paris é a sua revogação e a aposta em fontes de energia realmente úteis, limpas e sustentáveis. Mais que tentar regular um sector desta magnitude, há que estabelecer uma posição definitiva quanto ao tema. Portugal tem as condições climáticas para ser líder na produção e exportação de tecnologia e energia renovável e todos os investimentos feitos no sector dos combustíveis fósseis põem em causa a urgente transição para uma economia circular e de carbono zero.

Nos últimos 125 anos Portugal consumiu combustíveis fósseis equivalentes a mais de 700 milhões de toneladas de petróleo para sustentar o seu desenvolvimento*. Para cumprir os seus objetivos na luta climática, o país tem de abdicar, até ao final do século, das 16 milhões de toneladas de petróleo, carvão e gás natural que ainda queima anualmente para mover carros, produzir eletricidade, alimentar indústrias e abastecer habitações.

Para evitar um aumento de 2º Celsius a humanidade tem não só que fazer mudanças estruturais em vários sectores sociais, como terá, acima de tudo, de mudar de paradigma económico e social. A manutenção de uma economia baseada no carbono, seja em combustíveis fósseis, é diretamente conflituante com a urgência de se planear e executar uma transição para uma economia baseada em energias realmente limpas e renováveis. Mesmo que todos os países cumpram as propostas não vinculativas apresentadas no Acordo de Paris a barreira climática ultrapassará o aumento de 2º Celsius e ficaria entre 3.5º e 6º Celsius.

Numa perspetiva mais económica, os próprios capitais de investimento e de risco já começam a dar sinais de preocupação com a possibilidade de se transitar rapidamente para economias ausentes de combustíveis fósseis. Os mercados falam em possíveis perdas de 33 triliões de dólares de investimentos, devido a políticas de limitação das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), à competitividade crescente das renováveis e à inevitável quebra da procura dos seus produtos a curto-médio prazo. Mas tal como em outras indústrias, estas perdas serão de facto ganhos – não em capital financeiro mas sim na preservação de ativos ecológicos.

“As avaliações científicas alertam-nos para a urgência de repensarmos e mudarmos o sistema económico que premiamos e expandimos. Continuamos a apostar na estética das palavras enquanto estratégia para prolongar uma ecologia superficial, subjugada a um leque vastíssimo de interesses que continuam a bloquear os esforços de nações para combater e mitigar as alterações climáticas”, defende André Silva, Deputado do PAN.

ESPOSENDE VÊ APROVADA OBRA DE DEFESA DA PRAIA DA BONANÇA

A comissão diretiva do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) acaba de aprovar a obra de reforço do cordão dunar na Praia da Bonança, em Ofir, Fão. Trata-se de uma obra fundamental, no valor global de 1.483.709,64 euros, inserida na ampla ação do Município de Esposende de preservação dos 18 quilómetros de costa que caraterizam o único concelho com praia no distrito de Braga.

Ambiente.jpg

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes tinha anunciado, no passado mês, um investimento de 32 milhões de euros, a aplicar em trinta intervenções, cumprindo o Plano de Ação para o Litoral Norte que decorrerá até 2019, projeto no qual se inclui esta intervenção de defesa da praia da Bonança, em Fão.

Há muito que esta obra era reclamada, dando resposta aos anseios e medos dos habitantes daquela zona de Ofir. De resto, no passado mês de julho, o professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Veloso Gomes e Pimenta Machado, presidente do Conselho de Administração da Sociedade Polis Litoral Norte, acompanharam o presidente da Câmara Municipal de Esposende, numa visita à praia da Bonança, com o objetivo de definir a estratégia de defesa da costa, altura em que ficou definido avançar com a candidatura agora aprovada.

Esta operação consistirá no desenvolvimento de uma solução de minimização do forte processo erosivo observado na praia da Bonança, prevendo-se a execução de diversas ações, para preservação do cordão dunar e arriba de erosão existente. Este passo dar-se-á pela construção de uma frente resistente, com três níveis de geocilindros de areia e preenchimento de um muro de geocilindros.

A obra tem uma comparticipação do Fundo de Coesão de 1.261.153,19 euros e compreende ainda, o reperfilamento das areias na praia, através da movimentação de areia para a zona superior da praia e para o espaço entre os geocilindros e a arriba de erosão existente.

“Este é o resultado do esforço de concertação que envolveu a Câmara de Esposende, a Polis, na pessoa do presidente do conselho de administração, Pimenta Machado e o Ministério do Ambiente, com empenho direto do senhor Ministro. Este projeto insere-se no plano mais vasto que prevê a defesa de toda a costa”, disse o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

De resto, Benjamim Pereira entende que o investimento global de 32 milhões de euros, em toda a zona costeira nacional “constitui um investimento muito importantes para os próximos três anos, fruto de uma estratégia em que os municípios terão um papel ainda mais determinante na resolução dos problemas do litoral”, face à anunciada cessação do Polis Litoral Norte.

Esta comparticipação financeira do Fundo de Coesão destina-se à proteção e reabilitação do sistema costeiro na praia da Bonança, obra inserida no eixo nacional que visa promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos. Este plano nacional tem como filosofia subjacente, a promoção de investimentos para fazer face a riscos específicos, assegurar a capacidade de resistência às catástrofes e desenvolver sistemas de gestão de catástrofes.

No âmbito da obra serão construídos dois passadiços sobrelevados, para ordenamento do acesso pedonal à praia, evitando o pisoteio e degradação do cordão dunar. Todas estas intervenções visam aumentar a resiliência do território, face à erosão costeira, reconhecidamente potenciada pelas alterações climáticas.

praia Bonança.jpg

GUIMARÃES PARTICIPA NO FÓRUM DO AMBIENTE EM LJUBLJANA NA ESLOVÉNIA

Guimarães reúne na Eslovénia com a Capital Verde Europeia 2016

Cidade eslovena de Ljubljana recebe fórum do ambiente até esta sexta-feira, 21 de outubro. Encontro internacional reúne especialistas de toda a Europa.

Eslovenia_Ljubljana.jpg

O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, e a Coordenadora Executiva da candidatura de Guimarães a CVE2020, Isabel Loureiro, estão a participar no Fórum do Ambiente da Eurocities, que decorre até esta sexta-feira em Ljubljana, Eslovénia, atual Capital Verde Europeia, com a qual a delegação vimaranense teve já oportunidade de reunir com o Presidente da Câmara, Mr. Zoran Jankovic, e com responsáveis por vários setores da estrutura que está a dinamizar a Capital Verde Europeia.

O principal tema em discussão neste fórum, que reúne especialistas de toda a Europa, é a economia circular e os processos que podem transformar as cidades em territórios mais sustentáveis e resilientes, com especial enfoque nas alterações climáticas, na biodiversidade e áreas verdes, água e resíduos.

Técnicos e altos responsáveis do Ambiente da Comissão Europeia e de antigas capitais verdes europeias, como Copenhaga, Estocolmo e Ljubljana, apresentaram um conjunto de documentos, projetos e iniciativas que alteraram o paradigma das suas cidades, que marcam a agenda política das cidades europeias atualmente e que preconizam um futuro inevitavelmente diferente e diferenciador.

«É verdadeiramente inspirador confirmar o trabalho que a capital eslovena está a realizar na área da mobilidade, retirando do centro da cidade toda a circulação de veículos automóveis, a forte aposta na valorização de resíduos e no seu aproveitamento para fins energéticos ou na defesa da biodiversidade e na disseminação de áreas verdes por toda a cidade. É também entusiasmante constatar o forte impacto positivo que a CVE teve na economia local, no turismo e na notoriedade internacional da cidade», diz Amadeu Portilha.

Marcam presença neste Fórum, igualmente, muitas cidades europeias que se preparam para apresentar candidaturas a Capital Verde Europeia nos próximos anos, dando consistência à ideia que o futuro das cidades passa «inevitavelmente por definirem políticas de desenvolvimento sustentável, amigas do ambiente e protetoras dos recursos naturais», considera o Vice-Presidente do Município de Guimarães.

PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS É UM DOS DESTINOS TURÍSTICOS MAIS SUSTENTÁVEIS DO MUNDO

Parque Nacional da Peneda-Gerês distinguido como um dos 100 destinos turísticos mais sustentáveis do mundo

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) foi selecionado de entre as muitas candidaturas apresentadas para o Sustainable Destinations TOP 100 epassa a ser distinguido como um 100 destinos turísticos mais sustentáveis do mundo.

image1pnpger.JPG

'Depois de ter sido considerado pela UNESCO Reserva Mundial da Biosfera, esta é mais uma excelente notícia e uma distinção mais do que merecida', refere Vassalo Abreu, autarca de Ponte da Barca, concelho que tem mais de 50% do seu território no PNPG, lembrando ainda que 'porque Ponte da Barca é o coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, estas distinções deixam-nos muito orgulhosos, mas também com uma responsabilidade acrescida na preservação e dinamização deste espaço de características ímpares.'

Recorde-se que O Sustainable Destinations TOP 100 é mais um reconhecimento internacional atribuído a esta área protegida e ao trabalho desenvolvido em prol deste mesmo território.

PONTE DE LIMA INAUGURA PARQUE URBANO

“Parque da Vila – Parque Urbano de Ponte de Lima”: Inauguração oficial a 21 de outubro com a presença do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente. Dia 21 de outubro | 11 horas

O Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, preside à inauguração oficial do Parque da Vila – Parque Urbano de Ponte de Lima, que se realiza na próxima sexta-feira, 21 de outubro, às 11 horas.

zparqvila1.jpg

O Executivo Municipal cumpre mais um dos objetivos delineados para este mandato com a construção deste parque há muito ambicionado e que pauta por ser um espaço de qualidade.

Tendo como principal orientação potenciar as condições naturais daquele espaço com cerca de 5,5 hectares, o Parque da Vila localiza-se na freguesia de Arca e Ponte de Lima, perto de uma zona residencial, próximo de diversos equipamentos e do Centro Histórico da Vila, sendo um espaço que em muito vem contribuir para a qualidade de vida da população.

O Parque da Vila possui vários percursos, trilhos, um parque infantil, miradouro e uma pequena pista fechada em saibro com pump track.

A requalificação deste espaço resultou num investimento do Município de Ponte de Lima de cerca de 600.000€+ Iva, permitiu ainda recuperar, reordenar a flora autóctone e criar novos espaços, desenvolvendo ainda a ligação funcional com a natureza e a requalificação de uma zona até agora recôndita de Ponte de Lima.

zparqvila2.jpg

MUNICÍPIO DE BRAGA APROVA ESTRATÉGIA DE ADAPTAÇÃO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Documento define linhas de acção para minimizar impacto do fenómeno

Foi aprovada hoje, dia 17 de Outubro, em sede de reunião do executivo Municipal, a Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas (EMAAC), um documento que visa elencar linhas de acção de adaptação ao fenómeno, assim como de planeamento e gestão do território ao nível Municipal e Regional.

CMB17102016SERGIOFREITAS0000003071.jpg

Assim, a EMAAC foca-se na identificação de opções e acções de adaptação planeada que visem promover a minimização dos efeitos das alterações climáticas. A partir da identificação e priorização das actuais vulnerabilidades e riscos climáticos, o Município procura promover um conjunto integrado de opções de adaptação para responder não apenas ao clima futuro, mas igualmente aos diferentes impactos climáticos já observados.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, o ambiente é, actualmente, uma ´questão central´ nas estratégias de desenvolvimento das Cidades. “O planeta enfrenta um profundo processo de transformação com consequências directas no bem-estar das pessoas e na forma como nos organizamos e reagimos ao impacto dessas mesmas alterações. Este documento resulta de um trabalho transversal e específico, dentro de cada Autarquia que integra o projecto ClimAdaPT.Local, em articulação com instituições de ensino superior”, referiu.

Como sublinhou o Edil, o objectivo passa por implementar paulatinamente as diversas iniciativas vertidas no EMAAC - com datas de execução que variam entre este ano e 2025 - e que têm impacto nos mais diversos níveis, tais como o urbanismo, mobilidade ou ordenamento empresarial. “São muitas as dimensões em que as alterações climáticas têm impacto em cada Concelho e é fundamental efectuar este esforço de diagnosticar os riscos inerentes. Nesta segunda fase, delineamos estratégias objectivas para acorrer às alterações e diminuir o respectivo impacto que têm na população”, disse.

Executivo dá luz verde a concurso público do Centro Escolar de Esporões

Nesta reunião do Executivo Municipal foi ainda aprovada a abertura do concurso público para a empreitada do Centro Escolar de Esporões, cujo preço base estimado é de 781 mil euros. O espaço irá acolher as valências de Jardim de Infância e EB1, o que, de acordo com Ricardo Rio, ´obriga a um processo de reformulação e qualificação do espaço que leva a um investimento desta dimensão´.

Foram igualmente aprovadas mais duas etapas no procedimento concursal dos Centros Escolares de Merelim S. Pedro e Gualtar, intervenções definidas pelo Município como prioritárias. “Numa próxima reunião levaremos a análise do júri relativamente às propostas dos candidatos a executar as obras e esperamos, até final deste ano, submeter o contrato ao Tribunal de Contas”, referiu, garantindo também que a Autarquia tem efectuado diversas intervenções em várias Escolas do concelho.

“Estamos a investir em função das situações que estabelecemos como prioritárias, dentro do levantamento exaustivo que fazemos, e dos recursos disponíveis. Importa salientar que os financiamentos comunitários na área escolar estão sujeitos a mapeamento prévio por parte do Ministério da Educação, pelo que nos restantes estabelecimentos o Município, se entender como necessário, tem de intervir a expensas próprias”, explicou.

CMB17102016SERGIOFREITAS0000003076.jpg

PONTE DE LIMA: O QUE DIZEM OS RIOS?

Município de Ponte de Lima arranca com Projeto Educativo “O que dizem os rios”

O Município de Ponte de Lima vai dar continuidade ao projeto educativo de “Educomunicação, ambiente e cidadania infantil” nos estabelecimentos de ensino do concelho de Ponte de Lima.

Projeto Educativo _ O que dizem os Rios (Small).JPG

Partindo da temática O que dizem os rios? - Histórias dos patrimónios vivos e construídos: uma aventura desde o olhar das crianças - vão ser dinamizadas ações de significativa sensibilização e educação ambiental, cultural e cívica nos estabelecimentos de ensino de Ponte de Lima, de Refoios, de Vitorino dos Piães, de Poiares, de Gandra e de Rebordões (Souto).

Esta iniciativa, direcionada para crianças com idades compreendidas entre os 8 e os 10 anos (3.º e 4.º anos do 1.º ciclo do Ensino Básico), será desenvolvida pelos investigadores da Universidade do Minho, Grécia Rodrigues e Leonardo de Albuquerque -coordenadores da Associação “Soy Niño, Sou Criança”.

Trata-se de um projeto que visa a partilha de ideias e pensamentos reflexivos à volta da temática dos rios, proporcionando uma significativa sensibilização sobre a valorização das paisagens nas suas vidas e o valor da sua participação na defesa dos recursos e na construção da sua cidadania enquanto seres humanos dependentes e intimamente unidos à natureza nas suas realidades quotidianas.

Esta atividade já arrancou na Escola Básica de Ponte de Lima e na EB1 de Poiares, seguindo-se posteriormente para os Centros Educativos de Gandra e Vitorino dos Piães.

AUTARQUIAS DO VALE DO AVE ASSINAM DECLARAÇÃO EM DEFESA DO RIO AVE

NOVA REUNIÃO DO PLANO DE AÇÃO

Câmaras reunidas em Guimarães vão assinar declaração de compromisso em defesa do rio Ave

Municípios da bacia hidrográfica do Ave estiveram representados no encontro realizado no Laboratório da Paisagem. Agrupamentos Escolares das freguesias atravessadas pelo rio passaram a integrar Plano de Ação.

Guimaraes_Plano_Acao_Reuniao.jpg

A preparação de uma declaração de compromisso conjunta, transversal a todos os Municípios e entidades envolvidas no combate à poluição do rio Ave, é uma das conclusões da quarta reunião de acompanhamento e avaliação intercalar do Plano de Ação que tem por objetivo recuperar a principal linha de água da bacia hidrográfica, devolvendo a qualidade ecológica da água, promovendo a natureza e a biodiversidade.

O encontro, que decorreu esta sexta-feira no Laboratório da Paisagem, em Creixomil, contou com a presença extraordinária de responsáveis de Câmaras Municipais de Fafe, Felgueiras, Póvoa de Lanhoso, Vizela e Famalicão, cujos concelhos são atravessados pelo rio Ave. A reunião assinalou, também, a entrada de mais instituições no Plano de Ação, como é o caso dos Agrupamentos Escolares cuja localização se situa nas freguesias do concelho por onde passa o rio Ave.

Durante de toda a manhã, representantes das instituições envolvidas na gestão da bacia hidrográfica do Ave definiram medidas e projetaram reuniões técnicas para ser efetuada uma monitorização ao longo de todo o curso do rio, com o objetivo de identificar potenciais unidades contaminadoras que estão nas fronteiras dos municípios. Nesta altura, estão a decorrer mais trinta autos de notícia, de acordo com informação prestada pelo Administrador da Agência Portuguesa do Ambiente do Norte. «Tem de acabar o sentimento de impunidade! Não se pode pôr em causa a qualidade da nossa água», referiu José Pimenta Machado.

A empresa intermunicipal Vimágua, através do seu Presidente do Conselho de Administração, Armindo Costa e Silva, anunciou que será efetuada uma fiscalização à totalidade dos 75.838 fogos existentes em Guimarães e Vizela, tendo já sido fiscalizados 7 mil e iniciado um processo para mais 16 mil alojamentos. O objetivo é fiscalizar a sua totalidade para identificar ligações indevidas de águas pluviais às águas residuais para evitar a poluição das linhas de água e reduzir a fatura de tratamento nas ETARs.

Capital Verde Europeia 2020

«A base da nossa candidatura é biocultural. Hoje, há uma nova consciência crítica, uma reprovação social dos cidadãos para o incumprimento das obrigações ambientais e uma narrativa mais positiva no trabalho coletivo para a regeneração ecológica do rio. Foram feitos investimentos avultados na bacia hidrográfica do Ave e o objetivo é devolver o património natural à fruição das pessoas. Os municípios por onde atravessa o rio ave, desde a nascente à sua foz, comprometem-se a realizar um conjunto de atividades, nomeadamente candidaturas europeias, que tenham em comum a proteção de um património que é de todos», afirmou Domingos Bragança, Presidente do Município de Guimarães.

Eduardo Gomes, Presidente do Conselho de Administração da Águas do Norte, também concordou com a opinião do responsável da Autarquia, mencionando a «importância da bacia hidrográfica do Ave, que teve um investimento de 200 milhões de euros, concretizados nas nove grandes estações de tratamento de águas residuais, que cuidam anualmente de cerca de 45 milhões de metros cúbicos de efluentes, dos quais 30% são do foro industrial», num universo de 1,3 milhões de habitantes equivalentes.

«Somos um parceiro incontornável e temos uma responsabilidade acrescida no tema da despoluição do rio Ave», acrescentou Eduardo Gomes, no final da reunião, onde também estiveram presentes membros da Agência Portuguesa do Ambiente do Norte, Direção Regional da Agricultura, GNR/SEPNA Serviço de Proteção da Natureza, Ambiente e Proteção Animal, Resinorte, Águas do Norte, Vimágua, AVE - Associação Vimaranense para a Ecologia e Presidentes de Junta de Freguesia cujo território é atravessado pelo rio Ave.

ARTICULAÇÃO ENTRE MUNICÍPIO DE CAMINHA, APA E POLIS PERMITIU NORMALIZAR SITUAÇÃO NA FOZ DO RIO ÂNCORA

Câmara manterá vigilância apertada, temendo-se consequências dos últimos incêndios

Fica hoje normalizada a situação na foz do rio Âncora, com o restabelecimento da comunicação entre rio e mar. O assoreamento da zona, devido à insuficiência de caudal, foi prontamente comunicado pela Câmara à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que interveio de imediato, através da Polis Litoral Norte. A ocorrência recente de incêndios, que tornou o rio torrencial, poderá originar outras situações num futuro próximo, pelo que o Município manterá uma vigilância constante e continuará a diligenciar, com os baldios, para que a floresta possa ser olhada de forma estratégica, nomeadamente através da urgente criação das Zonas de Intervenção Florestal – ZIF.  

intervenção VPA  (1).JPG

Terminam hoje os trabalhos que estão a ser desenvolvidos junto à foz do rio Âncora, em Vila Praia de Âncora,  onde a areia fechou esta semana o canal de comunicação entre o rio e o mar. Alertada pela Câmara, a APA, através da Polis Litoral Norte, deslocou para o local algumas máquinas e técnicos, com vista a uma intervenção que permitisse repor o rio Âncora no seu leito normal. Os trabalhos foram acompanhados pelo vereador do Ambiente, Guilherme Lagido Domingos, que ontem reuniu no local com os responsáveis da Polis.

A insuficiência de caudal é um dos problemas da bacia hidrográfica do rio Âncora. No entanto, como explica o vereador Guilherme Lagido, a situação poderá ainda agravar-se em consequência dos incêndios, que tornaram o rio torrencial, ou seja, tem água apenas quando chove. A destruição da vegetação/floresta impede que a água seja retida e que seja posteriormente libertada, numa gestão natural e equilibrada que agora não se verifica.

O Município está preocupado e desenvolverá esforços em dois sentidos. Por um lado, manterá uma atenção especial em relação aos fenómenos naturais que vão ocorrendo, de maneira a que se possa, se disso houver necessidade, acorrer imediatamente a eventuais situações que sejam geradas, como agora aconteceu.

Ao mesmo tempo, conforme sublinha Guilherme Lagido, é cada vez mais urgente olhar para a floresta de forma estratégica e apoiar os baldios na constituição das ZIF, que permitirão uma gestão adequada dos recursos florestais, com escala suficiente para prevenir situações como as ocorridas no último verão.

GUIMARÃES QUER DESPOLUIR O RIO AVE

INÍCIO ÀS 10 HORAS

Reunião de avaliação para despoluir o rio Ave esta sexta-feira no Laboratório da Paisagem

Câmaras Municipais da bacia hidrográfica do Ave vão estar representadas no encontro. Agrupamentos Escolares das freguesias atravessadas pelo rio passam a integrar Plano de Ação.

Guimaraes_rio_Ave.JPG

O Presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança, agendou para esta sexta-feira, 14 de outubro, a realização de uma nova reunião de acompanhamento e avaliação intercalar do Plano de Ação para o combate à poluição do rio Ave. O encontro, com início às 10 horas, no Laboratório da Paisagem, em Creixomil, contará com a presença extraordinária de Presidentes de Câmara cujos municípios são atravessados pelo rio Ave.

A reunião vai assinalar, também, a entrada de mais instituições no Plano de Ação, como é o caso dos Agrupamentos Escolares cuja localização se situa nas freguesias do concelho por onde passa o rio Ave, além dos representantes das instituições envolvidas na gestão da bacia hidrográfica do Ave. Esta intervenção articulada com entidades fiscalizadoras visa corrigir comportamentos e eliminar focos poluidores, tendo em vista a sustentabilidade da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia.

Em janeiro de 2015, Domingos Bragança tomou as diligências necessárias para se iniciar um processo de coordenação de esforços, reunindo todas as entidades competentes, ligadas direta ou indiretamente aos recursos hídricos. Guimarães agiu em conformidade, tendo como prioridade a promoção de políticas ambientais e do desenvolvimento sustentável, visando o bem-estar e a qualidade de vida dos cidadãos, assim como a proteção dos recursos naturais.

O concelho de Guimarães integra-se na sua totalidade na sub-bacia hidrográfica do Ave, que possui uma área total de 1391 Km2. O rio Ave, com uma extensão de cerca de 90 km, atravessa sete concelhos, nomeadamente, Vieira do Minho, Póvoa de Lanhoso, Guimarães, Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Trofa e Vila do Conde. Com nascente na Serra da Cabreira, o escoamento anual na foz do rio Ave, em Vila do Conde, é de 1249 hectómetros cúbicos, em média. Estima-se que a sua bacia hidrográfica apresente uma capacidade total de armazenamento de recursos hídricos na ordem dos 100 hectómetros cúbicos, em regime regularizado.

ESCOLAS DE GUIMARÃES CONQUISTAM BANDEIRA VERDE

PROGRAMA “ECO-ESCOLAS”

Guimarães no “Top 5” nacional das escolas galardoadas com Bandeira Verde

Em 230 municípios inscritos, Guimarães é o quinto com mais escolas distinguidas a nível nacional. 28 dos 38 estabelecimentos de ensino vimaranenses conquistaram o estatuto de Eco-Escola.

Guimaraes_Eco-Escolas.jpg

O concelho de Guimarães mais do que duplicou o número de escolas com bandeira verde no ano letivo 2015/16, tendo alcançado o 5º lugar no programa Eco-Escolas, num total de 230 municípios inscritos. Dos 38 estabelecimentos de ensino vimaranenses que aderiram a este projeto de carácter ambiental, 28 alcançaram o estatuto de Eco-Escola com a atribuição da respetiva Bandeira Verde, verificando-se um crescimento de 40% no número de escolas inscritas no programa Eco-Escolas, um ano depois de ter sido implementado o projeto ambiental PEGADAS.

Foi ainda atribuído à Escola Virgínia Moura e à Escola Profissional Cenatex um diploma de reconhecimento pelos trabalhos desenvolvidos nos desafios “Geração Depositrão” e “Roupas Usadas não estão Acabadas”, respetivamente. O anúncio foi efetuado pelo Presidente do Município, Domingos Bragança, esta quinta-feira, antes da reunião do Executivo Municipal, realçando o importante contributo das escolas do concelho para o «contínuo desenvolvimento e consolidação do Programa de Educação para a Sustentabilidade Ambiental – PEGADAS – e fundamentalmente para a candidatura de Guimarães para Capital Verde Europeia», incentivando a que mais estabelecimentos de ensino participem e se inscrevam no programa nacional Eco-Escolas.

Receberam o galardão da Bandeira Verde as escolas EB 2/3 de Pevidém; EB 2/3 Arqueólogo Mário Cardoso; EB1 Agostinho da Silva; EB1 de Pinheiro; EB1 de Tabuadelo; EB1 de Ribeira – Brito; EB1/JI de Teixugueira – Silvares; EB1/JI de Calvos; EB1/JI Casais; EB1/JI de Ronfe; EB 2/3 D. Afonso Henriques; EB da Taipas; EB de Abação; EB de Gondar; EB 2/3 Abel Salazar – Ronfe; EB 2/3 de Briteiros; EB 2/3 de João de Meira; EB 2/3 Virgínia Moura; EB1 de Pinheiral; EB1 Oliveira do Castelo; EB1/JI Cruz d’Argola; EB1/JI da Charneca; EB1/JI de Agras – Gandarela; EB1/JI de S. Roque; Escola Profissional CENATEX; Escola Profissional Profitecla de Guimarães; Escola Secundária Martins Sarmento; e Escola Secundária de Caldas das Taipas.

O “Dia das Bandeiras Verdes”, que decorreu em Aveiro, com a presença do Secretário de Estado da Educação, João Costa, e do Presidente da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), José Archer, assinalou os 20 anos do programa Eco-Escolas, num dia comemorativo ainda abrilhantado pela banda “Xutos e Pontapés” com a música “Não somos os únicos a defender o Ambiente”, um mote lançado às escolas a propósito das duas décadas do programa e que contou ainda com a colaboração do Ginásio Clube Português, responsável pela coreografia.

Refira-se que o Eco-Escolas é um programa internacional promovido pela “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) desde 1996 e tem como missão encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pelas escolas, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade. Este ano, estiveram envolvidas 46 mil escolas em todo o mundo, num total de 1.437 escolas inscritas a nível nacional, das quais 1.307 foram galardoadas.

VIMARANENSES PLANTAM ÁRVORES!

Brigada Verde de Ponte planta árvores na escola no âmbito do projeto CRIAR

Missão passa por realizar ações de sensibilização junto das comunidades. Grupo de cidadãos da “Brigada Verde” tem também como objetivo identificar focos de poluição e comunicá-los às autoridades competentes.

Guimaraes_Brigada_Verde_Ponte.jpg

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e crianças do Centro Escolar de Ponte, dos 3 aos 10 anos, plantaram árvores de fruto, designadamente, 12 laranjeiras, 8 macieiras, 6 castanheiros e igual número de limoeiros e ameixoeiras, além de carvalhos e tílias, numa iniciativa ambiental que assinalou a comemoração do Dia Nacional da Água, promovida pela Junta de Freguesia de Ponte, em parceria com o Município e o Agrupamento de Escolas Arqueólogo Mário Cardoso.

A ação, que se realizou no âmbito do projeto CRIAR, da Brigada Verde de Ponte, contou também com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, do Presidente da Junta de Freguesia de Ponte, Sérgio Castro Rocha, do Diretor do Agrupamento de Escolas, Artur Monteiro, do Presidente da Associação de Pais, Paulo Esteves, entre outras personalidades.

O desafio foi lançado no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, desenvolvido ao abrigo da candidatura a Capital Verde Europeia 2020 e que pretende «abranger todas as freguesias do concelho», referiu Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, mencionando «a componente pedagógica» desta iniciativa e o significado que representa «uma ação que envolve a comunidade escolar».

Sérgio Castro Rocha, Presidente da Junta de Ponte, afirmou que, no âmbito do projeto CRIAR, serão igualmente os alunos a plantar flores e plantas nos canteiros e nos jardins da vila. «Damos raízes à responsabilidade ambiental e cívica. Colocamos nas mãos de todos as ferramentas da cidadania participativa em prol de um futuro mais verde», disse.

A Brigada Verde reúne voluntários de todas as idades e de várias entidades, desde escolas, escuteiros, empresas, Associação Portuguesa do Ambiente e Instituto de Formação Profissional, tendo já inscritas perto de uma centena de pessoas que, voluntariamente, limpam as margens do rio Ave, áreas diversas de terreno e eliminam focos de poluição, além de procederem à plantação de arbustos e de flores, no âmbito do projeto CRIAR, a vertente pedagógica deste programa.

PAN MARCA PRESENÇA NO GREENFEST CONSIDERADO O MAIOR EVENTO DE SUSTENTABILIDADE DO PAÍS

  • Centro de Congressos do Estoril - 6 e 9 de Outubro - Economia Circular será tema âncora desta edição
  • Plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências para um futuro melhor
  • Modelos alternativos que permitam inverter a cultura económica e social de produzir e consumir sem ter em conta os limites do planeta: Desperdício Zero

O PAN – Pessoas – Animais – Natureza vai marcar presença, pela primeira vez, naquele que é considerado o maior evento de sustentabilidade do país. O Greenfest regressa ao Centro de Congressos do Estoril, entre 6 e 9 de Outubro, tendo a economia circular como tema âncora da nona edição.

Banner1_960ÔÇå+ùÔÇå960.jpg

Esta iniciativa pretende celebrar anualmente o que de melhor se faz ao nível da sustentabilidade nas suas três vertentes ambiental, social e económica. O Greenfest posiciona-se como uma plataforma de partilha de ideias e experiências para abordar tendências envolvendo empresas, autarquias e cidadãos que querem contribuir para um futuro melhor. Encontrar novas soluções para o desafio do crescimento, coesão e integração social, poupando o ambiente e todos os seus recursos naturais é o desafio a que este festival se propõe.

Os objetivos do Greenfest cruzam inteiramente as causas que o PAN assume como prioritárias e pelas quais tem orientado o seu trabalho. É fundamental garantir que os ecossistemas se mantêm em equilíbrio e que a diminuição do uso dos recursos se torne uma realidade a curto prazo.

Neste contexto é imperativo repensar novas formas de Economia que permitam internalizar fatores até hoje têm sido tratados como externalidades negativas – custos ambientais e sociais, como a emissão de gases com efeito de estufa, desregulação climática, destruição de habitats, poluição de aquíferos, contaminação e desertificação do solo, desflorestação, etc.

A política ecológica não pode ser remetida para o longo prazo, ela é a condição de uma mudança profunda. Não se poderá resolver o problema social sem resolver a recessão ecológica que vivemos.

“ É muito estimulante perceber que é possível encontrar uma ética de colaboração, de consensos e de compromissos, públicos e privados, em torno do bem comum. Felicitar o Greenfest e todos os parceiros por esta iniciativa e agradecer a possibilidade de podermos estar presentes e colaborar para estas trocas de aprendizagens e de pontos de vista que só enriquecem o processo de transição para uma economia de energias realmente limpas e renováveis que promova a independência e a eficiência energética, bem como a soberania alimentar dos cidadãos e das nações.”, explica André Silva, Deputado e Porta Voz do PAN.

FAMALICÃO VAI FICAR MAIS VERDE

Paulo Cunha lançou projeto “25 mil árvores até 2025” com o nascimento do Berçário Municipal

 “25 mil árvores até 2025” é o novo desafio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão que quer reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio através da plantação de 25 mil árvores e arbustos nativos da região em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras.

DSC_1597.jpg

O projeto que será concretizado nos próximos nove anos foi lançado na passada sexta-feira, pelo presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, com a criação do Berçário Municipal, onde foram plantadas as primeiras 1.400 árvores, com a ajuda de crianças e de várias associações e instituições do concelho. A ação contou ainda com a presença de representantes do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas e da Quercus, entre outros convidados.

“É muito importante envolver toda a comunidade neste projeto, principalmente as novas gerações, sensibilizando-as para a preservação da natureza e do meio ambiente”,salientou Paulo Cunha, referindo que “rearborizar significa devolver vida, proteger a natureza, criar condições de futuro para a comunidade”. E se hoje temos espaços arborizados foi porque “alguém há muitos anos teve precisamente o gesto de plantar árvores, como hoje estamos a fazer”, sublinhou.

De resto, Paulo Cunha foi dos primeiros a contribuir para o Berçário com a plantação de um Carvalho português (Quercus faginea). Por sua vez, as crianças do Centro Social de Bairro ofereceram 50 árvores de várias espécies autóctones. Estas primeiras árvores e sementes irão agora crescer até à altura de estarem prontas para a reflorestação.

Além da reabilitação e promoção da floresta autóctone, este projeto visa também a educação ambiental, através de ações de sementeira e plantação e manutenção dos espaços arborizados, levando a uma cultura de responsabilidade ambiental. Paulo Cunha destacou ainda a importância deste projeto na “minimização os efeitos nefastos dos incêndios”.

Para isso, serão plantadas uma média de três mil árvores por ano, sendo que o plano de ação está estruturado em torno de dois grandes eventos anuais, o Dia Mundial da Floresta, que se assinala a 21 de março e o Dia da Floresta Autóctone, 23 de novembro.

Refira-se que as árvores autóctones são uma aposta deste projeto, nomeadamente carvalhos, medronheiros, castanheiros, loureiros, azinheiras e sobreiros entre outros. Para além da forte ligação à história da região, estas espécies estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do território, por isso, são mais resistentes a pragas, doenças ou longos períodos de seca ou chuva intensa. Embora de crescimento mais lento, são também mais resistentes aos incêndios florestais, constituindo o refúgio e abrigo de muitas espécies de animais, levando a um aumento exponencial da biodiversidade.

Isso mesmo sublinhou Pedro Sousa, representante da Quercus, que aproveitou a oportunidade para enaltecer este projeto da autarquia famalicense “na promoção das espécies autóctones numa região tão fustigada pela plantação do eucalipto”, realçou.

O projeto “25 000 árvores para 2025” inseriu-se na Semana do Crescimento Sustentável, que decorreu no âmbito do programa Famalicão Visão’25 – Marcas do Futuro.

DSC_1553.jpg

GUIMARÃES APOSTA NA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

ENCONTRO INTERNACIONAL

Boas práticas ambientais de Guimarães apresentadas durante conferência em Nantes

Mais de um milhar e meio de participantes, provenientes de 140 países. Guimarães deu a conhecer o caminho que está a percorrer para a sustentabilidade ambiental.

Guimaraes_Nantes.jpg

Guimarães participou na Conferência Internacional “Climate Chance” em Nantes, França, evento que reuniu alguns dos principais atores não estatais que participam na luta contra as alterações climáticas, como autoridades locais, empresas, associações, sindicatos ou a própria comunidade científica, demonstrando a importância de uma ação conjunta nesta missão.

Na cimeira, com a presença de 140 países e mais de 1.500 participantes, Guimarães co-organizou um workshop subordinado ao tema da “Mobilização e Sensibilização para as Alterações Climáticas”, no qual teve a oportunidade de apresentar o caminho que está a desenvolver para a sustentabilidade ambiental, com um conjunto de projetos, investimentos, mas também programas e atividades de consciencialização e sensibilização ambiental.

A presença em Nantes foi ainda aproveitada para um encontro entre a comitiva vimaranense e os seus homólogos daquela cidade francesa, Capital Verde Europeia em 2013, numa reunião que serviu para conhecer a sua experiência, mas também para partilhar o caminho que Guimarães tem trilhado na preparação da sua candidatura.

A cimeira juntou igualmente, num grupo de trabalho, algumas das cidades que conquistaram o galardão de “Capital Verde Europeia”, como são os casos de Vitoria-Gasteiz (2012), Nantes (2013), Copenhaga (2014), Ljubljana (2016) ou Essen (2017) e, curiosamente, a cidade sueca de Umea que, mesmo sem ter atingido o galardão, apresentou já por quatro vezes a sua candidatura. Este foi mais um momento para Guimarães, além de dar a conhecer uma vez mais o seu projeto, conhecer algumas das decisões implementadas por estas cidades, bem como as medidas que contribuíram para obter o título de “Capital Verde Europeia”.

A “Climate Chance”, considerada como um World Summit para as Alterações Climáticas e um evento chave para a sociedade civil, serviu igualmente para preparar a COP22, em Marrakesh. O mote foi dado pelas palavras da Presidente da COP 21 Ségolène Royal e do Ministro do Ambiente e Energia francês. Os dois responsáveis aproveitaram para sublinhar o efeito das ações climáticas no futuro do planeta, referindo ainda a importância das decisões tomadas aquando da última Cimeira do Clima.

Guimaraes_Nantes2.jpg

GUIMARÃES INCENTIVA MOBILIDADE ELÉTRICA

CONFERÊNCIA NO LABORATÓRIO DA PAISAGEM

Mobilidade elétrica no centro dos apoios e dos projetos em Guimarães

José Mendes presidiu a conferência, anunciando apoios para a mobilidade elétrica. Governante elogiou trabalho realizado por Guimarães.

Guimaraes_Mobilidade_Eletrica.JPG

O Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, elogiou Guimarães e o trabalho que tem sido desenvolvido em matéria de mobilidade, garantindo que «um conjunto de instrumentos de natureza financeira relacionados com os fundos europeus podem ser orientados e podem apoiar os desígnios da candidatura e cada uma das suas dimensões».

Durante a conferência “Mobilidade inteligente. Economia forte”, iniciativa inserida na Semana Europeia da Mobilidade, que decorreu no Laboratório da Paisagem, o governante considerou que «Guimarães tem demonstrado ter olhos postos no futuro, sendo pioneira na reabilitação, na atracão da universidade e centros de investigação, no êxito de uma Capital Europeia da Cultura, e agora, mais importante do que ter a medalha de Capital Verde Europeia, é o caminho que se faz. Independentemente do que acontecer, o sucesso está traçado!”», referiu.

José Mendes, que lembrou que 70% dos efeitos de estufa são da responsabilidade das cidades, destacou que «Guimarães quer ser referência nacional» no esforço para a descarbonização, «o que exige o comprometimento de todos». Nesse sentido, o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, referiu que Guimarães, no âmbito da concessão, vai ter dois autocarros elétricos no próximo ano, garantindo ainda que, sempre que possível, «todos os veículos que a Autarquia adquirir serão elétricos». 

Para o Presidente do Município «este é um processo que está a ser feito por camadas e estamos a fazer tudo para conseguir o objetivo», assumindo que a mobilidade é um dos pontos que Guimarães tem de melhorar. «É preciso dotar o território de meios para permitir que a população consiga mover-se de forma fácil e rápida, sem ter de usar o automóvel privado», concluiu.

António Cunha, Reitor da Universidade do Minho, salientou a «mobilidade inteligente» como um dos pilares fundamentais do ambicioso projeto Capital Verde Europeia, não tendo dúvidas de que «Guimarães pode ser a plataforma para o lançamento de novos programas ambientais a nível nacional tendo em conta o trabalho científico que já foi desenvolvido nestas áreas».

Durante a Conferência, responsáveis de empresas e especialistas abordaram a “mobilidade”, nomeadamente o transporte ativo para a escola, o “Compromisso pela Bicicleta”, a que Guimarães já aderiu, as vantagens da mobilidade digital para uma “Cidade Sustentável”, o passado e o futuro dos Transportes Urbanos de Guimarães, os “Sistemas de Transporte Flexível” e as boas práticas nesta temática dos CTT – Correios de Portugal.

Tutela compromete-se com projeto “Guimarães Mais Verde”

O Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, garantiu em Guimarães, o apoio político do Governo português à candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, tendo assinado o Compromisso Guimarães Mais Verde, à semelhança do que já tinha sido feito pelo Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, na passada semana.

O responsável, que presidiu à sessão de abertura da conferência “Mobilidade inteligente. Economia forte”, que decorreu no Laboratório da Paisagem de Guimarães, referiu no seu discurso que «esta é a candidatura de um Município de referência em Portugal» e que por isso «o Governo está empenhadíssimo nesse compromisso e nesse apoio político».

ARCOS DE VALDEVEZ TEM PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL

Município de Arcos de Valdevez apela à colaboração dos munícipes para a não colocação de resíduos perigosos e verdes nos contentores

O Município de Arcos de Valdevez tem promovido frequentemente campanhas de sensibilização e boas práticas relativamente ao correto uso dos contentores de resíduos colocados nas vias públicas.

autocolante_caixotes.jpg

Alerta-se para o facto de não ser permitida a deposição de resíduos verdes como restos de podas, folhas, ervas ou galhas, e ainda de outro tipo de resíduos como objetos volumosos, vulgo “monstros” (eletrodomésticos, móveis velhos ou outros resíduos) que pelo seu tamanho não podem, nem devem, ser depositados nos ecopontos ou contentores de lixo. De igual modo não deverão ser depositadas nos contentores placas de fibrocimento e outros materiais potencialmente perigosos, exigindo a adoção de procedimentos específicos de remoção por parte de empresas especializadas, devendo ser devidamente acondicionados e transportados para aterros autorizados, de acordo com a lei.

As boas práticas sugerem que para os resíduos verdes se promova a compostagem; no caso dos monstros o Município disponibiliza a sua recolha gratuita através de marcação prévia.

Com este comportamento estaremos todos a contribuir para um melhor Ambiente e para melhorias muito significativas na nossa qualidade de vida.

contentores_promocao.jpg

GUIMARÃES RECEBE SECRETÁRIO DE ESTADO DO AMBIENTE

TERÇA-FEIRA, DIA 20 DE SETEMBRO

Secretário de Estado do Ambiente em Guimarães na Semana da Mobilidade 2016

Conferência realiza-se na próxima terça-feira. Participação gratuita, mas sujeita a inscrição prévia através do endereço <geral@labpaisagem.pt>.

Ambiente_Jose_Mendes.jpg

“Mobilidade inteligente. Economia forte” é o mote para a Semana Europeia da Mobilidade 2016 e também de uma conferência técnica que terá lugar na próxima terça-feira, dia 20 de setembro, a partir das 14:30 horas, no auditório do Laboratório da Paisagem de Guimarães, onde marcará presença José Mendes, Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente.

Um leque de especialistas vai abordar vários prismas em torno do tema “mobilidade”. “Transporte Ativo para a Escola”, o “Compromisso pela Bicicleta”, “Cidade Sustentável: Vantagens da Mobilidade Digital”, “TUG: O Passado e o Futuro”, “Sistemas de Transporte Flexível” e “Empresas: Boas Práticas na Mobilidade” são os títulos das comunicações programadas por responsáveis da ERDAL, Plataforma Compromisso pela Bicicleta, Universidade Nova de Lisboa, Arriva, CMV Innovating Solutions e CTT - Correios de Portugal.

A abertura dos trabalhos será feita pelo Vice-Presidente do Município de Guimarães e responsável pela área do Ambiente da Câmara Municipal, Amadeu Portilha. Na sessão de encerramento, para além do Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, marcará também presença o Presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança.

A conferência terá ainda um espaço para debate, com moderação dos dois responsáveis pela Unidade Operacional de Transporte local da Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, Paulo Ribeiro, docente na Universidade do Minho, e Paulo Castelo Branco, arquiteto da Câmara Municipal de Guimarães.

MINISTRO DO AMBIENTE REÚNE EM PONTE DA BARCA COM PRESIDENTES DOS MUNICÍPIOS ABRANGIDOS PELO PARQUE DA PENEDA-GERÊS

Ministro do Ambiente, João Pedro Fernandes, reúne em Ponte da Barca com Presidentes dos Municípios abrangidos pelo Parque Nacional Peneda-Gerês

O Ministro do Ambiente, João Pedro Fernandes, e a Secretária de Estado do Ordenamento do Território, Célia Ramos, vão estar na próxima segunda-feira, 5 de setembro, às 09h30, em Ponte da Barca, para uma Reunião com os Presidentes dos Municípios abrangidos pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês, bem como representantes do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN).

matos-fernandes_SAPO.jpg

Às 11h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o Ministro do Ambiente vai presidir à cerimónia de assinatura de um protocolo que vai ser celebrado com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a EDP, de cedência do edifício da Central Hidroelétrica de Paradamonte à Câmara Municipal de Ponte da Barca.

ATENTADO AMBIENTAL: EMPRESA PARTICULAR DESPEJA LIXOS TÓXICOS NOS BALDIOS DA CABRAÇÃO, EM PONTE DE LIMA

Uma empresa particular tem vindo a proceder a despejos de amianto e outros lixos tóxicos á mistura com produtos de compostagem em terrenos baldios da freguesia de Cabração, no concelho de Ponte de Lima. Já foi participada a ocorrência à GNR no passado dia 3 de agosto e aguarda-se que sejam tomadas as providências necessárias com vista à identificação e responsabilização dos seus autores.

13937075_10210077151076347_253712184_n.jpg

Os lixos têm vindo a ser lançados junto à estrada que liga ao lugar da Escusa e incluem fragmentos de amianto de grandes dimensões, material considerado altamente cancerígena.

A Comissão de Baldios da Freguesia da Cabração procedeu ao aluguer de uma área de baldio a uma empresa que não respeitou as condições do contrato efetuado, passando a utilizar o local para a descarga indevida de lixos de toda a espécie, o que constitui um grave atentado à saúde pública e ao ambiente. A população local está alarmada perante a situação e receia que venha em breve, com a época das chuvas, a ocorrer em breve a destruição dos solos agrícolas através da contaminação dos lençóis freáticos.

Conforme se pode ver nas imagens, a situação apresenta um estado de tal gravidade que requer a intervenção urgente das autoridades.

13900628_10210077471084347_1564578164_n.jpg

13900639_10210077422363129_248923611_n.jpg

13933124_10210077463364154_1907348103_n.jpg

13956945_10210077489324803_525922075_n.jpg

13956984_10210077488644786_224089553_n.jpg

13988734_10210077448323778_977603903_n.jpg

13989470_10210077456203975_1931996515_n.jpg

13989600_10210077506285227_1995407757_n.jpg

13989655_10210077517205500_1840572434_n.jpg

14011823_10210077473084397_556867229_n.jpg

14012132_10210077156156474_847000373_n.jpg

14030612_10210077443563659_757075268_n.jpg

14030612_10210077443563659_757075268_n (1).jpg

14031059_10210077472644386_1012113504_n.jpg

14031156_10210077423883167_680602347_n.jpg

CAMPANHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM CAMINHA PROPÕE PERCURSOS INTERPRETATIVOS DE PARTICIPAÇÃO GRATUITA

O primeiro – “A Flora Dunar” - acontece no próximo sábado

Vão decorrer, no âmbito do programa Bandeira Azul 2016, várias atividades de Educação Ambiental, com destaque para a realização e percursos interpretativos. O primeiro tem lugar já no próximo sábado, dia 13 de agosto: “A Flora Dunar” é o tema.

O primeiro dos percursos interpretativos, “A Flora Dunar”, propõe um passeio pela Mata do Camarido, sábado de manhã, entre as 9h30 e as 12h30. O ponto de encontro é junto à praia fluvial da Foz do Minho. A participação na atividade é gratuita, mas a inscrição é obrigatória e pode ser realizada através do endereço cisa@cm-caminha.pt. Este percurso volta a realizar-se no próximo dia 20 deste mês.

O segundo percurso interpretativo acontece “Pelas Margens do Rio Âncora”, no dia 20 de agosto, entre as 9h30 e as 12h30. Desta vez, o ponto de encontro será junto ao Posto de Turismo de Vila Praia de Âncora. Tal como nos casos anteriores, a participação é gratuita, mas a inscrição é obrigatória e faz-se através do mesmo endereço, ou seja, cisa@cm-caminha.pt.

As atividades são organizadas pela Câmara Municipal de Caminha e contam com a parceria de Carlos Venade.

Recorde-se que o concelho de Caminha está a viver um Verão Azul, com as quatro praias oceânicas galardoadas com a Bandeira Azul da Europa. Caminha, Moledo Vila Praia de Âncora e Forte do Cão voltaram a hastear o galardão de qualidade esta época balnear.

BRAGA: PROJECTO “SEMEAR PARA COMER” PROMOVE AGRICULTURA AMIGA DO AMBIENTE

Final do ano de actividades do projecto assinalado na Quinta Pedagógica

O Banco Local de Voluntariado (BLV) do Município de Braga assinalou, na Quinta Pedagógica, o final de mais um ano de actividades do projecto socioeducativo e ambiental ‘Semear para Comer’.

brg.jpg

Da iniciativa constou o almoço, confeccionado com os legumes cultivados no projecto, e muita animação, da responsabilidade do Grupo de Cantares Tradicionais do BLV. A actividade contou com a presença de Firmino Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Braga.

O projecto ‘Semear para Comer’ tem como objectivo a promoção da saúde e de uma agricultura amiga do ambiente. As actividades decorrem uma vez por semana na Quinta Pedagógica de Braga, onde os cerca de 20 utentes do CAO da Associação de Paralisia de Braga participam em todo o processo de cultivo da horta, desde a sementeira, limpeza das ervas, rega até à colheita.

brg (2).jpg

O projecto é ajustado às características dos beneficiários e as acções visam o retorno educacional, emocional, integrativo e terapêutico. Incluído neste projecto está também um conjunto de actividades desenvolvidas junto dos técnicos e responsáveis da instituição por forma a obter bons resultados com uma cultura estimulada de proximidade.

Firmino Marques destacou o “precioso contributo dos voluntários que ajudam a concretizar o ‘Semear para Comer’, um projecto com claros benefícios para os utentes do CAO da Associação de Paralisia Cerebral de Braga”. O Vice-presidente do Município salientou igualmente a parceria com a Quinta Pedagógica de Braga, um local de excelência para o desenvolvimento deste projecto.

Após o período de férias da instituição o projecto retomará em Setembro de 2016.

brg (3).jpg

MUNICÍPIO DE BRAGA SENSIBILIZA PARA O AMBIENTE

Município promove sensibilização ambiental na Praia Fluvial de Adaúfe

O Município de Braga realizou hoje, dia 2 de Agosto, uma acção de sensibilização ambiental na Praia Fluvial de Adaúfe. Aos banhistas foi entregue material informativo sobre a reciclagem, alertando-os para a importância da separação dos resíduos e para a preservação daquele espaço de lazer que este ano foi galardoado com a Bandeira Azul.

CMB02082016SERGIOFREITAS0000001435.jpg

Altino Bessa, vereador do Ambiente do Município de Braga, recorda que Adaúfe é uma das duas praias fluviais com Bandeira Azul na zona Norte do País, distinção que “coloca o Concelho num patamar de excelência em termos de praias fluviais”. A atribuição deste ‘selo de qualidade’ atribui responsabilidades acrescidas pelo que “se torna necessário consciencializar os Bracarenses para a importância que os seus comportamentos e hábitos de vida podem representar para a protecção e manutenção do meio ambiente”, acrescenta Altino Bessa.

Recorde-se que já em 2014 a Praia de Adaúfe tinha sido já reconhecida como Praia Acessível, e como zona balnear equipada de todos requisitos da legislação em vigor, nomeadamente no que diz respeito a instalações sanitárias e rampas de acesso para pessoas portadoras de deficiência.

CMB02082016SERGIOFREITAS0000001438.jpg

LIMIANOS LIMPAM RIO LIMA

Município de Ponte de Lima e o Clube Náutico promoveram mais uma ação de limpeza no Rio Lima

Quarenta canoas e uma centena de atletas do Clube Náutico percorreram ontem, quinta-feira o Rio Lima, numa ação de sensibilização e limpeza do Rio.

Rio Lima_lim.JPG

Esta iniciativa anual realiza-se no âmbito de um protocolo de cooperação celebrado entre o Município de Ponte de Lima e o Clube Náutico de Ponte de Lima.

Segundo o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Gaspar Martins, “ este é um ato simbólico, que alia desporto e ambiente, no entanto, salienta-se que de ano para ano tem registado um decréscimo na recolha de resíduos, o que significa que a campanha de sensibilização tem causado efeito.”

A iniciativa contou ainda com a presença do Vereador do Desporto Engº Vasco Ferraz, que salientou o fator pedagógico da campanha, “como forma de sensibilizar e incutir nos jovens hábitos de preservar o ecossistema do Rio.”

Os resíduos recolhidos, entre algas, pneus e outros pequenos objeto, num total aproximado de 2 toneladas, foram retirados pelos serviços municipais.

ECO FESTIVAL TERRA MÃE VENDEU CERCA DE 1500 BILHETES

Número de árvores equivalente será plantado no concelho

O Eco Festival Terra Mãe, que decorreu no passado fim-de-semana em Fornelos, Fafe, representou um total de 1500 bilhetes vendidos, entradas que serão transformadas na plantação de cerca de 1500 árvores no concelho.

13717212_1248345275198548_5220309708705414333_o.jpg

Um balanço muito positivo para a organização, nomeadamente para a Associação dos “Amigos de St.ª Comba de Fornelos” e “Gomos de Tangerina”, que planearam um programa de actividades variado, que contemplou a música, à noite, e várias iniciativas destinadas às crianças e às famílias, durante o dia (oficinas, workshops, showcooking's, teatro, biodanza, etc.).

David Fernandes, Presidente da Junta de Fornelos, entidade que apoiou a realização do Eco Festival, garante que“o feedback dos visitantes foi muito positivo, todas as pessoas ficaram contentes com a oferta musical e de actividades que o Terra Mãe proporcionou.

A freguesia beneficiou da visita de muitos festivaleiros, pelo que já estamos a pensar numa reedição do Festival.”

O Festival movimentou cerca de 700 pessoas por dia, segundo a organização, entre voluntários, logística e visitantes.

Durante os três dias, cerca de 200 crianças estiveram no espaço, nomeadamente na sexta-feira, “Dia das Crianças”, e

foram várias as famílias que se deslocaram ao Terra Mãe.

13730819_1248344661865276_575364898480453646_o.jpg

Entre os festivaleiros encontravam-se pessoas de vários pontos de Portugal (como, por exemplo, Porto e Lisboa), bem como de Espanha, pelo que o poder de mobilização do Terra Mãe foi indiscutível.

A acampar no recinto, estiveram cerca de 400 pessoas, que acompanharam os três dias de Eco Festival.

Para Helena Lemos, Vereadora do ambiente do Município de Fafe, “o Festival de cariz ecológico e de alerta para a necessidade de um estilo de vida mais saudável, ao qual se aliou a música, foi muito positivo, não só pelas pessoas que mobilizou, como pela importância dos temas abordados.

A sensibilização ambiental, com a reutilização de materiais, por exemplo, é muito importante e merece o nosso apoio.”

O dia forte do festival, sob o mote “Três dias para mudar o mundo, três dias para mudar de vida”, foi o sábado, que contou com a maior enchente de festivaleiros. Neste dia, atuaram os TerraKota, cabeça de cartaz, Progeto Aparte, Terra Livre, Cabra Çega e Maryzka.

Ao palco do terra Mãe, nos restantes dias, subiram também Kussondulola Som Sistema, Carnival Tales, Ricardo Passos e Loucos do Ritmo.

13735736_1248346335198442_4049053574263646502_o.jpg

13738101_1247665328599876_141124429399832980_o.jpg

EXECUTIVO MUNICIPAL DE AMARES CONSTATA MELHORIAS TRAZIDAS PELA DESATIVAÇÃO DA ETAR DA OMBRA

O presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, acompanhado pelo vice-presidente, Isidro Araújo, esteve de visita, esta manhã, à ETAR da Ombra, onde teve oportunidade de verificar os benefícios decorrentes da sua desativação, nomeadamente no que diz respeito à melhoria das condições ambientais.

DSC05138.JPG

“Aquilo que pretendemos com esta visita é fazer in loco um ponto de situação desde a altura em que esta ETAR foi desativada e, de facto, as melhorias são bem evidentes”, começou por referir Manuel Moreira, que contou também com a presença do presidente da União de Freguesias de Ferreiros, Prozelo e Besteiros, Paulo Gomes, e do secretário, Marco Conceição.

“Anteriormente este local estava rodeado de maus cheiros, situação que incomodava sobretudo os moradores desta zona, e a qualidade das águas estava também comprometida devido ao mau funcionamento da ETAR que estava obsoleta e, por isso, não tratava adequadamente os resíduos. Hoje em dia, essa situação já não se verifica, o que acarreta um grande benefício a nível ambiental, contribuindo para a qualidade de vida da nossa população”, sublinhou o autarca.

Manuel Moreira lembra que a Câmara Municipal de Amares tem intenção de enriquecer aquele espaço com uma praia fluvial para usufruto dos munícipes e turistas.“Temos um compromisso com as Águas do Norte para que as lamas da ETAR sejam retiradas até setembro, no sentido de melhorar ainda mais as condições daquela área, onde queremos avançar com uma praia fluvial”.

O presidente da Câmara de Amares adianta, ainda, que a Autarquia tem concluídos os projetos para a futura praia fluvial e que aguarda os pareceres para submeter a candidatura, esperando fazer daquele “um espaço de lazer, aprazível, no qual os amarenses e turistas possam usufruir da beleza natural do concelho”.

DSC05145.JPG

DSC05156.JPG

VIZELENSES QUEREM SALVAR RIO VIZELA

Petição pública para salvar o Rio Vizela entregue na Assembleia da República

O Presidente da Câmara Municipal de Vizela, juntamente com a Associação de Mergulho e Atividades Subaquáticas de Vizela – AMAS, a Liga dos Amigos das Termas, o Clube Turístico e desportivo de Vizela, entregaram hoje na Assembleia da República, a petição pública para salvar o Rio Vizela.

entrega petição rio AR.jpg

Na Assembleia da República, a comitiva vizelense foi recebida pelo vice-presidente da Assembleia da República, por representantes de todos os grupos parlamentares, pelo Presidente da Comissão do Poder Local e Ambiente e pelo Presidente da Comissão da Agricultura e do Mar.

Este foi mais um passo dado na luta de Vizela pela despoluição do seu Rio.

VIZELENSES QUEREM DESPOLUIÇÃO DO RIO VIZELA

Debate ‘O Rio e a Cidade’ juntou vizelenses na luta pela despoluição do rio Vizela

Na sequência das iniciativas que Câmara Municipal de Vizela tem promovido para a despoluição Rio Vizela, decorreu na passada sexta-feira, 15 de julho, no Bar do Rio, um debate sobre o tema “O Rio e a Cidade: dinâmicas das culturas Ribeirinhas – caso específico de Vizela”.

debate rio.jpg

O debate contou com a presença de várias entidades, cuja atividade se encontra diretamente relacionada com os recursos hídricos, nomeadamente o Eng.º Pimenta Machado da Agência Portuguesa do Ambiente, o Eng.º Pedro Teiga, Doutor em Eng.º Ambiente pela Faculdade de Eng.º do Porto e a Engª Norberta Coelho, das Águas do Norte, entidade responsável pelo SIDVA e pelo saneamento em alta.

Além destas entidades, também participaram nesta debate alunos da Universidade do Minho, que apresentaram estudos efetuados no âmbito de unidades curriculares que vertem sobre os temas ambiente, recursos hídricos  e desenvolvimento sustentável, onde se demonstraram bons exemplos de convivência entre os rios e as cidades.

De salientar que este debate contribuiu para o esclarecimento da população sobre as mais variadas questões relacionadas com a poluição do Rio Vizela.

O Presidente da Câmara, na sua intervenção lembrou que a despoluição do Rio Vizela continuará a ser a sua grande luta, enfatizando, contudo que é uma luta de todos e para todos, destacando a importância do trabalho em pareceria com todas as associações vizelenses e não só, para que esta questão se possa resolver definitivamente.

O Edil realçou, ainda, que existe um longo caminho a percorrer para a efetivamente despoluição do Rio Vizela, mas será nesse sentido que o Município de Vizela continuará a trabalhar.

GUIMARÃES QUER SER CAPITAL VERDE EUROPEIA

Guimarães reuniu em Bruxelas para preparar candidatura a Capital Verde Europeia 2020

Delegação da candidatura vimaranense participou em reunião preparatória. Encontro serviu para consolidar procedimentos.

Bruxelas_CVE.jpg

Isabel Loureiro, Coordenadora Executiva da Estrutura de Missão, e Paulo Ramísio, membros do Comité Executivo da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, marcaram presença em Bruxelas num workshop organizado pela Comissão Europeia, onde foram abordados temas importantes para o processo de apresentação da candidatura, como o modo de organização das submissões, bem como conselhos de vencedores anteriores, como Nijmegen, na Holanda, eleita Capital Verde Europeia 2018.

Para Isabel Loureiro este foi um evento de extrema importância para a estrutura de missão que coordena. «Foi mais um momento de partilha de experiência com outras cidades que poderão igualmente ser candidatas ao título de Capital Verde Europeia e outras que foram já bem-sucedidas neste caminho. Foi, por isso, também mais uma oportunidade de consolidarmos a nossa estratégia e de continuarmos a trilhar o nosso caminho plenamente convictos e motivados de que aquilo que estamos a fazer será reconhecido».

Na última sexta-feira, 01 de julho, para além de Guimarães, também o Funchal esteve presente neste encontro, bem como outras cidades europeias da Bélgica, Eslovénia, Espanha, Estónia, França, Finlândia, Holanda, Hungria, Itália, Polónia, Reino Unido e Suécia.

PRAIAS DE ESPOSENDE RECEBEM BANDEIRA AZUL

Quatro praias de Esposende com Bandeira Azul

As praias de Apúlia, Ofir, Suave Mar e Cepães, foram galardoadas com a Bandeira Azul da Europa para a época balnear 2016, repetindo a distinção atribuída nos anos anteriores. Comprovando ser um excelente destino balnear, ao reunir todos os requisitos que permitem uma oferta turística e ambiental de qualidade, Esposende consegue inscrever, ainda, as praias de Apúlia e Cepães entre as poucas do país que estão preparadas para receber pessoas com mobilidade condicionada.

Bandeira Azul..jpg

O galardão de Praia Acessível é relevante, na medida em que estas praias se encontram dotadas das infraestruturas requeridas para pessoas com mobilidade condicionada (cadeiras anfíbias) que lhes permite usufruir de banhos de mar em condições adequadas. No ano passado foram distinguidas com esse galardão 204 praias portuguesas (um terço das existentes), sendo 35 referentes a zonas balneares interiores e 169 a zonas costeiras.

A atribuição da Bandeira Azul fará com que se realizem, nas quatro praias de Esposende, em contexto desse galardão, várias atividades de educação ambiental, promotoras de sensibilização para a adoção das melhores práticas e de uma atitude adequada perante estes locais de excelência e seus ecossistemas.

O reconhecimento da qualidade das praias do concelho segue-se à distinção feita pela Associação Nacional de Conservação da Natureza, Quercus que atribuiu o grau “Qualidade de Ouro”, à água de cinco praias de Esposende. Apúlia, Ofir, Cepães, Ramalha e Rio de Moinhos foram premiadas por apresentarem sistematicamente, ao longo de cinco anos, boa qualidade ou qualidade excelente, tendo em conta a classificação da legislação em vigor.

Para além destes aspetos de ordem ambiental, importa ainda salientar que, numa perspetiva de melhoria da segurança dos utilizadores das praias do concelho, a Câmara Municipal irá promover a vigilância e o salvamento marítimo em zonas que apresentam um uso intensivo, apesar de não estarem associadas a nenhuma concessão de praia.

Não obstante não constituir responsabilidade da autarquia, a Câmara Municipal de Esposende disponibiliza nadadores-salvadores nas zonas de Pedrinhas/Cedovém, em Apúlia, e Suave Mar-Foz, na cidade de Esposende.

Como nota final, informa-se que os resultados das análises à qualidade das águas balneares poderão ser consultados através dos sítios da internet da Esposende Ambiente em www.esposendeambiente.pt - Praias 2016 e da Agência Portuguesa do Ambiente em www.apambiente.pt

PAN QUER INCENTIVAR RECICLAGEM

PAN apresenta iniciativa para aumentar as expectativas de reciclagem e cumprir as metas europeias

  • Cerca de 80% do lixo produzido em Portugal não é reciclado
  • Reduzidas taxas de gestão de resíduos para envio de resíduos para aterro e incineração não incentivam reciclagem
  • Projeto de Lei propõe aumento gradual das taxas de gestão de resíduos
  • Estímulo ao alcance das metas ambientais europeias de reciclagem para 2020

O PAN, Pessoas- Animais-Natureza, avança hoje com uma iniciativa legislativa que pretende contribuir para aumentar as expectativas de reciclagem e cumprir as metas europeias, fazendo de Portugal um país mais ecológico. 

Portugal está ainda distante das metas europeias de reciclagem para 2020 que são de 50%. De acordo com dados divulgados pela Agência Portuguesa do Ambiente - APA - a taxa de reciclagem em 2014 não foi além de 29%, “bastante aquém da meta definida para 2020”, sendo que “o curto intervalo de tempo até que a meta seja aplicável exigirá um esforço considerável”.

Cerca de 80% do lixo produzido em Portugal não é reciclado e uma forma de se combater esta tendência passa pela revisão dos valores pagos a título de taxa de gestão de resíduos atualmente extremamente reduzidos. De acordo com o Regime Geral da Gestão de Resíduos, se um resíduo for para aterro, paga uma taxa de gestão de resíduos na ordem dos € 5,00 por tonelada, a qual deverá evoluir até € 11,00 em 2020. O valor que está a ser cobrado não é suficiente, sendo os valores da taxa de gestão de resíduos para envio de resíduos para aterro e incineração tão baixos, não há qualquer incentivo à reciclagem dos mesmos. Em 2014, a deposição em aterro, a pior opção de acordo com a hierarquia de gestão dos resíduos, continuou a ser o método de eliminação de resíduos urbanos mais utilizados em Portugal.

Em Portugal, no ano de 2014, foram gerados 453 kg/hab de resíduos urbanos, o que coloca o país abaixo da média da União Europeia em quase 20 kg/hab ano. Já no que diz respeito à gestão de resíduos urbanos, Portugal encontra-se a meio da tabela da UE, com 51,0% dos resíduos urbanos valorizados, ainda assim quase 20 p.p. abaixo da média da UE. A comparação de Portugal com outros países da UE no que diz respeito às opções de gestão dos resíduos urbanos permite constatar que os quantitativos de resíduos eliminados em aterro (222 kg/hab ano em 2014) são superiores ao valor médio da UE (147 kg/hab) em 75 kg/hab ano. Este resultado coloca Portugal como o décimo oitavo Estado membro com maior quantidade de resíduos urbanos eliminados em aterro, apresentando valores per capita próximos da Irlanda (223 kg/hab) e da Roménia (213 kg/hab).

Pelo que, a alteração à Lei da Fiscalidade Verde, com um aumento gradual dos valores pagos a título de taxa de gestão de resíduos, incentivando as entidades que fazem a esta gestão a apostar na reciclagem, será um primeiro passo para estimular a reciclagem e permitir que Portugal alcance as metas ambientais com as quais se comprometeu.

ÁREA PROTEGIDA DAS LAGOAS DE BERTIANDOS E S. PEDRO D'ARCOS DINAMIZA OFICINAS DE VERÃO

Oficinas de Verão 2016: Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro D´Arcos

O Serviço Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro D´Arcos do Município de Ponte de Lima está a dinamizar as Oficinas de Verão, projeto que visa o desenvolvimento ecológico e rural e a ocupação lúdica das crianças com idades compreendidas entre 5 e 12 anos.

Fot_Susana_Matos (5) (Small).JPG

Desta forma a programação da edição de 2016 das Oficinas de Verão contará com quatro temáticas, iniciadas sob o mote Mundo Rural, seguindo-se Desporto Aventura e Natureza, Desporto e Cultura e a finalizar Natureza e Ciência, ações estas que são rotativas, alterando-se a cada três dias.

Assim no decorrer desta iniciativa, desenvolver-se-ão atividades subordinadas às temáticas na qual estão incluídas, nomeadamente atividades equestres, de desporto e aventura, diversos ateliês sobre agricultura biológica, ciência divertida, biodiversidade biológica, criatividade, visita a museus, ao Centro Histórico, à Serra d’Arga e ao Festival Internacional de Jardins e por fim a realização de peddypapers, observação da fauna e flora e ainda grandes momentos na piscina.

As inscrições para todas as Oficinas podem ser efetuadas na  receção da Quinta de Pentieiros. Será necessário apresentar fotocópias do cartão de identificação e número de contribuinte do encarregado de educação, assim como uma fotocópia do cartão de identificação da criança/jovem (uma fotocópia por cada período em que pretende inscrever o seu educando). 

Mais informações em www.lagoas.cm-pontedelima.pt.

ESPOSENDE INTEGRA PROJETO AMBIENTAL

Foi apresentado, esta terça-feira, no Navio Hospital Gil Eannes, em Viana do Castelo, o projeto “Escolas da Natureza”, que desafia os Agrupamentos de Escolas de Viana do Castelo, Esposende e Cerveira, a proceder à monitorização ambiental dos ecossistemas naturais. Este projeto intermunicipal foi candidatado pela autarquia vianense e tem como parceiros as autarquias de Esposende e Cerveira e a Universidade de Coimbra, através do Instituto do Mar.

gil eannes.jpg

“Pretendemos criar pontos de encontro, proporcionando o trabalho entre agrupamentos de escolas e equipas técnicas. Com esta decisão estamos a contribuir para a defesa da natureza”, vincou José Maria Costa, presidente da Câmara de Viana do Castelo que justificou a “aliança” com Esposende e Vila Nova de Cerveira, devido ao trabalho que estes municípios têm desenvolvido em vários núcleos de defesa ambiental.

Benjamim Pereira espera que este trabalho em rede ajude a “sensibilizar os jovens para o respeito da natureza. Pretendemos desenvolver um trabalho válido e estamos disponíveis para outros projetos”, disse o autarca, lembrando que, em Esposende, outros projetos decorrem, integrados no Parque Natural do Litoral Norte. “Temos um projeto de educação ambiental com vinte anos”, lembrou o autarca de Esposende que valorizou as candidaturas intermunicipais, “em defesa dos interesses das populações e dos valores do território, independentemente dos limites administrativos e geográficos dos diferentes municípios”.

O projeto consiste na identificação de espécies, vegetais e animais, contribuindo para a criação de materiais pedagógicos que possam servir projetos futuros. Uma base de dados registará as transformações, acolhendo os bio-registos que os diferentes grupos vão recolher.

O projeto tem a duração de um ano e incidirá nas áreas do Parque Natural do Litoral Norte, na bacia do Lima e na Serra D’Arga. O valor global é de 360 mil euros e arranca já em outubro, com a formação de professores. Em junho de 2017 será feita uma avaliação de um projeto que compreende uma exposição itinerante que vai percorrer todas escolas, explicou a coordenadora do projeto, Leonor Cruz.

GUIMARÃES QUER SER CAPITAL VERDE EUROPEIA

NO LABORATÓRIO DA PAISAGEM

Comissão Consultiva da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia reúne esta quarta-feira

Reunião decorre no Laboratório da Paisagem, na noite desta quarta-feira. No sábado, 25 junho, às 15 horas, é a vez do Comité Externo de Aconselhamento da CVE 2020, também no mesmo local.

Guimaraes_Laboratorio_Paisagem1.JPG

O Laboratório da Paisagem, em Creixomil, recebe esta quarta-feira, 22 de junho, pelas 21:30 horas, a terceira reunião da Comissão Consultiva da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, da qual fazem parte, além de um representante de todos os partidos políticos com representação na Assembleia Municipal de Guimarães, os diretores dos agrupamentos de escolas e das escolas secundárias, os Presidentes de Junta de Freguesia e um conjunto de entidades, associações e instituições que exercem a sua atividade no âmbito dos indicadores previstos na candidatura.

A reunião tem por objetivo dar a conhecer a todos os membros o trabalho realizado no primeiro semestre de 2016 e apresentar algumas das principais linhas de ação para o resto do ano. A Comissão Consultiva da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, que reúne ordinariamente duas vezes por ano, tem como função acompanhar o desenvolvimento de todo o processo de formatação da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, de implementação da estratégia global e de análise dos documentos de trabalho que lhe são presentes pela Direção e pelo Comité Executivo.

A Direção é constituída pelo Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, e pelo Reitor da Universidade do Minho, António M. Cunha, estando também definido um Comité Executivo que terá por missão coordenar e desenvolver a estratégia de organização do processo de candidatura e integrar as instruções do Executivo Municipal e da Direção, levando em linha de conta as recomendações do Comité Externo de Aconselhamento e do Conselho Consultivo e coordenar o trabalho das Unidades Operacionais.

CRIANÇAS DE CABECEIRAS DE BASTO CAMINHAM PELO AMBIENTE

Escola Básica do Arco de Baúlhe na caminhada pelo Ambiente promovida pela RESINORTE

Mais de 150 crianças do ensino pré-escolar e do 1º ciclo da Escola Básica do Arco de Baúlhe participaram ontem, dia 7 de junho, numa caminhada pelo ambiente promovida pela RESINORTE na Ecopista da Linha do Tâmega, naquela vila arcoense.

Escola do Arco de Baúlhe na caminhada pelo Ambiente promovida pela RESINORTE (1).JPG

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, o secretário da Junta da União de Freguesias do Arco de Baúlhe e Vila Nune, Carlos Teixeira, e o diretor de Produção da RESINORTE, Eng. Carlos Sanches, acompanharam as crianças nesta caminhada de 1,5km que teve como principal objetivo assinalar o Dia do Ambiente, data celebrada no passado domingo, dia 5 de junho.

Ao longo do percurso foram sensibilizadas as crianças para as questões relacionadas com o meio ambiente, designadamente a importância da separação dos resíduos sólidos.

A RESINORTE - Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S. A. tem como missão a exploração e gestão do sistema multimunicipal de triagem, recolha, valorização e tratamento de resíduos urbanos do norte central, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da região e do país e para a maximização do bem estar humano através da criação de valor respeitando as exigências legais instituídas para a sua área de atividade.

A RESINORTE dá prioridade ao desenvolvimento de ações de sensibilização e educação ambiental, promovendo a separação multimaterial e o incentivo da população escolar para a correta separação e valorização dos resíduos urbanos, de que foi exemplo esta caminhada pelo ambiente na Ecopista do Arco de Baúlhe.

De salientar que a Câmara Cabeceirense é um dos municípios utilizadores do Sistema de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos – RESINORTE.

A jornada ficou marcada pelo grande entusiasmo e alegria das crianças ao longo do percurso da Ecopista que atravessa magníficos bosques e vinhas, uma caminhada que culminou com uma largada de balões e uma aula de zumba no Núcleo Ferroviário do Museu das Terras de Basto.

Escola do Arco de Baúlhe na caminhada pelo Ambiente promovida pela RESINORTE (2).JPG

Escola do Arco de Baúlhe na caminhada pelo Ambiente promovida pela RESINORTE (3).JPG

FESTIVAL MARÉS VIVAS: PAN DENUNCIA DESTRUIÇÃO AMBIENTAL NO VALE DE SÃO PAIO JUNTO AO RIO DOURO

O PAN fez ontem denúncia ao Ministério Público da Comarca do Porto relativamente às várias "operações de limpeza" realizadas alegadamente à margem das leis no Vale de São Paio, cujos terrenos são contíguos à Reserva Natural Local do Estuário do Douro (RNLED).

Segundo chegou ao conhecimento do partido estas operações surgiram no seguimento do anúncio da realização do festival MEO Marés Vivas no limite Sul/Ponte da RNLED, tendo continuado mesmo após a entrada de duas providências cautelares iniciadas pela Quercus e após ter sido anunciado o regresso do festival à sua localização habitual. O partido enviou para o Ministério Público todas as provas em seu poder que revelam o impacto devastador que aquelas limpezas tiveram, cabendo agora a este apurar se existe ou não prática de crime ambiental por parte da empresa SUMA e/ou da Câmara Municipal.

Nesta Reserva estão identificadas cerca de 225 espécies de aves e inúmeras outras de fauna e flora. Devido à sua proximidade com a RNLED e por ali se encontrarem reunidas ótimas condições de sobrevivência, o Vale de São Paio serve de habitat a uma importante população de Lagartos de Água e de refúgio a inúmeras espécies de aves.

"Nas diversas reuniões realizadas com os vários Movimentos Cívicos, o Presidente da Câmara foi alertado para o perigo e marginalidade destas ações", explica Bebiana Cunha, Comissária Política Nacional e Porta-voz do PAN.

O partido recordou ainda que destruir ou deteriorar significativamente um habitat natural causando perdas em espécies protegidas da fauna ou da flora selvagens ou em número significativo é crime pelo que os factos relatados, a serem verdade, podem levar à aplicação de uma pena de prisão que vai até 5 anos.

"É imperativo identificar os responsáveis já que os danos são significativos e irreparáveis. Para além dos animais e espécies protegidas como o Lagarto de Água, cuja recuperação será difícil ou mesmo impossível, a própria flora - nomeadamente as árvores abatidas e destruídas - não poderá ser reparada a curto ou médio prazo", conclui Bebiana Cunha.

O PAN denuncia assim mais um caso em que os interesses económicos foram priorizados em detrimento dos interesses ambientais, alertando uma vez mais para a importância de uma abordagem reflexiva e crítica da imprescindibilidade das políticas ecológicas integradas e do papel das próprias autarquias na preservação dos recursos e reservas naturais.

BRAGA PRESERVA PATRIMÓNIO AMBIENTAL

Rede de Percurso Pedestres contribui para preservação do património ambiental. Projecto irá abranger as 37 freguesias do Concelho

Foi apresentada hoje, dia 7 de Junho, a Rede de Percursos Pedestres de Braga, um projecto que irá abranger as 37 Freguesias do Concelho, prevendo a criação de 19 novos percursos, a recuperação/adaptação dos cinco percursos já existentes e a manutenção dos dois percursos em execução, num total de cerca de 280 km sinalizados e que se pretende que sejam homologados pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal. O percurso inclui passagem por 194 pontos de interesse patrimonial, 174 pontos de interesse ambiental e 27 Parques Verdes e de Merendas.

CMB07062016SERGIOFREITAS000000672.jpg

A implementação desta rede de percursos, a maior a nível nacional, terá impactos importantes a nível ambiental, turístico, do desenvolvimento local, da divulgação e preservação do património e na qualidade de vida dos cidadãos, contribuindo para a prossecução de um conjunto de objectivos específicos no domínio do Ambiente, Turismo, Desenvolvimento Local, Património e Qualidade de Vida.

A rede de percursos foi estruturada numa lógica de complementaridade ao nível do território abrangido, da dificuldade e extensão dos percursos, bem como das temáticas abordadas. Os percursos estão agregados em quatro temáticas: “Cidade e Natureza”, “Montes e Vales”, “Evocando as Vias Romanas” e “Rios”, dirigindo-se a três públicos-alvo distintos (turistas, passeantes locais e caminhantes desportivos).

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, este é um projecto que visa aproveitar o enorme potencial ambiental que o Concelho dispõe. “Esta rede é um excelente contributo para colocar a natureza ao serviço da qualidade de vida da população enquanto espaço para desenvolvimento de actividades, para o lazer, para o desporto, dinamização económica e promoção turística”, afirmou.

Nesse sentido, o Edil sublinhou que este é um activo riquíssimo que Braga tem e que ´não se pode deixar de potenciar´. “Nestes 280 km estamos a tratar do que temos de melhor, sempre tendo em consideração as componentes da segurança e da informação. Passo a passo queremos efectuar melhoramentos para que os percursos possam ser certificados e tenham outra divulgação a nível nacional e internacional”, referiu.

Por seu turno, Altino bessa, vereador do Ambiente, salientou que o objectivo passa por contribuir para a manutenção e estabilidade dos sistemas naturais e rurais, mas também para a sua valorização, promovendo o usufruto do território e promovendo que esse usufruto ocorra de forma sustentável.

Os custos para a implementação total do projecto estão estimados em cerca de 270 mil euros, estando o Município a procurar obter financiamento comunitário para a sua concretização. Entretanto a implementação será feita de uma forma gradual, de acordo com prioridades que estão definidas em conjunto com as Juntas de Freguesia.

CMB07062016SERGIOFREITAS000000664.jpg

CMB07062016SERGIOFREITAS000000665.jpg

CMB07062016SERGIOFREITAS000000670.jpg

CMB07062016SERGIOFREITAS000000663.jpg 

“GREEN WEEKEND” EM GUIMARÃES COMEMORA DIA DO AMBIENTE

Primeiro autocarro elétrico português estreou-se em Guimarães no fim de semana do ambiente. Entre 13 de junho e 04 de julho, volta à Cidade Berço para realizar novos testes de circulação e adaptação ao meio urbano.

Guimaraes_Green_Weekend.JPG

Um sucesso. É desta forma que se pode avaliar a primeira edição da Green Weekend que, ao longo de dois dias, levou até ao “coração” verde da cidade o ambiente nas suas mais variadas formas. Investigação científica, educação ambiental, gastronomia, cultura e desporto juntaram-se no “Bosque Urbano” de Guimarães para mostrar que o futuro pode e deve ser mais sustentável e mais verde.

Promovido pelo Município de Guimarães e pelo Laboratório da Paisagem, a Green Weekend, inserida na preparação da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, juntou mais de três dezenas de parceiros e recebeu a visita de muitos milhares de pessoas. Motivos não faltaram, com atividades desde palestras ou workshops de cozinha a atividades físicas diversas e viagens no primeiro autocarro português 100% elétrico, que realizou os seus primeiros quilómetros na Cidade Berço e que circulará, a breve trecho, ao serviço dos Transportes Urbanos, como anunciou o Presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança, na abertura do evento.

No balanço ao fim de semana verde, Amadeu Portilha, Vice-Presidente e Vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Guimarães, afirmou que «o objetivo foi conseguido». «Quando decidimos fazer esta iniciativa no centro da cidade, queríamos trazer o trabalho e a mensagem deste grande desígnio que queremos atingir, que é um dia ter condições para que Guimarães possa ser Capital Verde Europeia».

«Nestes dois dias procuramos mostrar às pessoas um pouco do trabalho que está a ser feito, muito dele no recato dos nossos gabinetes, sabendo que, com algumas alterações no comportamento, podemos ajudar a mudar o Mundo. Pequenos gestos que podem ajudar a mudar também a nossa cidade, que já é fantástica a tantos níveis, mas também aqui pode nascer um exemplo de uma cidade que se preocupa com a sustentabilidade ambiental», concluiu Amadeu Portilha, que anunciou nova edição para o próximo ano.

TERRAS DE BOURO FESTEJA DIA MUNDIAL DA CRIANÇA E DO AMBIENTE

O Município de Terras de Bouro em parceria com o Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, a Unidade de Cuidados Continuados na Comunidade de Terras de Bouro, os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro, a GNR, o Núcleo Rio Homem e contando ainda com o apoio das empresas BRAVAL, SUMA e Águas do Fastio, assinalou Dia Mundial da Criança (1 de Junho) e, simultaneamente, o Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho).

CAPA

No recinto localizado junto à Piscina Municipal decorreram, ao longo de todo o dia, ateliers pedagógicos e dramáticos, ações de sensibilização, das quais se destacou uma explicação sobre a vida das aves de rapina da área e para a qual o município, simultaneamente, agradece a presença de um representante do Centro de Recuperação de Fauna Selvagem do PNPG/ICNF, destacando-se ainda os insufláveis e a “hora do conto”. No final, aconteceu uma fantástica largada de cerca de 500 balões biodegradáveis que continham no seu interior uma semente lá colocada pelas crianças, dando assim um especial colorido ao céu envolvente.

DSC04321

DSC04322

DSC04331

DSC04338

DSC04354

BRAGA ASSINALA DIA DO AMBIENTE

‘Dar Vida ao Picoto’ assinala Dia Mundial do Ambiente. Iniciativa decorre no próximo Domingo, 5 de Junho

Actividades desportivas e ambientais, dança e música são algumas das iniciativas que integram o programa ‘Dar Vida ao Picoto’ que o Município de Braga promove no próximo Domingo, dia 5 de Junho, no Monte Picoto. A acção, a decorrer entre as 09h00 e as 18h00, pretende assinalar o Dia Mundial do Ambiente, bem como o Dia da Criança, numa jornada que desafia as famílias a desfrutarem do Monte Picoto.

Cartaz - Dar Vida ao Picoto 2016.jpg

O programa ‘Dar Vida ao Picoto’ tem como objectivo central valorizar o Monte Picoto e sensibilizar os Bracarenses a usufruir deste espaço de excelência. Para o vereador do Ambiente, Altino Bessa, o Picoto “é o melhor espaço da Cidade para as pessoas praticarem desporto, passearem em lazer e estarem em contacto com a natureza, apreciando de uma perspectiva global da Cidade”.

À iniciativa associam-se 30 entidades que irão dinamizar actividades diversas para toda a família, desde música a um conjunto de oficinas de trabalhos manuais, passando pela realização de jogos tradicionais, oficinas, geocaching, acções de sensibilização, entre muitas outras iniciativas.

O programa completo do evento pode ser consultado em https://goo.gl/kaTiIH

VIZELENSES QUEREM DESPOLUIR RIO VIZELA

Presidente da Câmara reuniu entidades para definir estratégia de despoluição do Rio Vizela

Na sequência do trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos, o município de Vizela reuniu ontem nas instalações da Câmara Municipal de Vizela com diversas entidades, onde foi abordada a problemática da poluição do Rio Vizela e definida uma estratégia conjunta de atuação.

reunião 31.05.16.jpg

Esta reunião contou com a presença de várias instituições a saber: Vimágua - Empresa de Água e Saneamento de Guimarães e Vizela – E.I.M., S.A, Águas do Norte, S.A., Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Câmara Municipal de Felgueiras, Câmara Municipal de Fafe, GNR/SEPNA, associações locais como a Associação de Mergulho e Atividades Subaquáticas de Vizela – AMAS e a Liga dos Amigos das Termas, GNR de Vizela, bem como uma associação do Município de Fafe - a Associação Amigos do Ambiente de Cepães e Fareja.

Nesta reunião, para além da poluição industrial, muito associada ao Rio Vizela, foram abordadas outras matérias entre as quais destacamos: a resistência da população em geral em efetuar ligações ao sistema de drenagem de águas residuais domésticas, as ligações de águas pluviais à rede de saneamento e vice-versa, bem como o funcionamento das ETAR’s enquanto solução para a poluição industrial e urbana.

Para todos os presentes é clara a localização dos principais focos poluidores do rio Vizela, bem como das dificuldades de atuação após o levantamento dos autos pela GNR uma vez que, e conforme foi explicado pela APA, existe a dificuldade em comprovar a origem da descarga e em assegurar a celeridade dos processos de contraordenação e/ou processos judiciais.

Também é claro para todos os presentes que, fruto do trabalho desenvolvido nos últimos anos, a poluição do rio Vizela é menor do que em anos passados, fruto da massiva industrialização junto das zonas ribeirinhas.

É nesse sentido que a Câmara Municipal de Vizela vai continuar a trabalhar, tendo sido delineada uma estratégia, que em tempo oportuno será divulgada, e assumida por todos os presentes.

GUIMARÃES ESTREIA PRIMEIRO AUTOCARRO ELÉTRICO PORTUGUÊS NO FIM-DE-SEMANA DO AMBIENTE

“GREEN WEEKEND” NOS DIAS 04 E 05 DE JUNHO

Palestras, atividades desportivas, educação ambiental, investigação, workshops, concertos e gastronomia são algumas das propostas da primeira edição do “Green Weekend”. Jardim da Alameda é palco do evento no fim-de-semana em que se comemora o Dia do Ambiente.

Guimaraes_Green_Weekend_Junho

Viajar no primeiro autocarro elétrico totalmente produzido em Portugal, que fará os seus primeiros quilómetros em Guimarães, assistir à peça “A Viagem” no Teatro Bus, andar de bicicleta com roupa casual e com estilo, esquecendo os fatos de treino e as licras, ou pedalar numa bicicleta para iluminar uma árvore são algumas das propostas do Green Weekend, que se realiza no próximo fim-de-semana, nos dias 4 e 5 de junho, no Jardim da Alameda de São Dâmaso, em Guimarães.

A abertura oficial do evento está marcada para as 10 horas do próximo sábado, numa sessão onde marcará presença o Presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança. Após a cerimónia protocolar e de uma visita ao espaço, será feita uma viagem experimental no primeiro autocarro português 100% elétrico, da Caetano Bus, que brevemente estará ao serviço dos transportes urbanos de Guimarães.

Numa organização conjunta do Município de Guimarães e do Laboratório da Paisagem, a primeira edição do fim-de-semana verde no “Bosque Urbano” de Guimarães, terá dezenas de atividades para os mais variados públicos – das crianças aos mais velhos – sempre com a temática da sustentabilidade ambiental como pano de fundo.

A iniciativa contempla ainda palestras, workshops e tertúlias variadas, jogos tradicionais, percursos pedestres e interpretativos pelas Minas da Penha, Parque da Cidade de Guimarães e pelas Bacias de Retenção, visitas à ETAR de Serzedelo e à ETA da Vimágua, entre outros motivos de interesse.

Num fim-de-semana em que se assinala o Dia Mundial do Ambiente (5 de junho), não faltarão motivos para uma visita ao Jardim da Alameda, num evento que reúne cerca de três dezenas de parceiros. No recinto estarão ainda diversos stands e palcos destinados a receber atividades no âmbito da educação ambiental, investigação e inovação, gastronomia, atividades desportivas e culturais e até a realização de programas de rádio em direto.

A Green Weekend promete fazer as delícias dos vimaranenses num fim-de-semana ecológico, cuja programação está inserida num vasto conjunto de atividades no âmbito da preparação da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020.

VALENÇA RECICLOU 545 TONELADAS DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO ANO PASSADO

Papel salvou 4576 árvores e com o Vidro Poderia Fazer a Maior Garrafa do Mundo

Valença tem vindo a reforçar a seleção / triagem dos desperdícios domésticos apostando no reaproveitamento dos resíduos sólidos urbanos.

Em 2015 Valença reciclou 545 085 Kg de papel, vidro, cartão, roupa, óleos, materiais elétricos e velas reaproveitando e dando nova utilização a produtos que noutros tempos iam diretamente todos para o lixo. Valores que quase duplicam os 356 760 Kg reciclados em 2009.

A título de curiosidade, em 2015, só no papel, os valencianos evitaram o corte de 4576 árvores com o gesto de colocar o papel no papelão. Com o vidro reciclado, em Valença, em 2015, seria possível fazer a maior garrafa do mundo com aproximadamente 281 metros de cumprimento e 88 metros de largura.

Os números da reciclagem em Valença refletem um aumento considerável que repercute a consciencialização pública para a importância de reciclar e reutilizar. Este é o resultado das campanhas de informação junto da comunidade, sobretudo, dos centros escolares do concelho. A ampliação das redes de recolha de produtos recicláveis proporciona, aos cidadãos, hoje, múltiplas oportunidades de colaborarem num ambiente mais saudável e limpo.

Hoje, Valença possui uma rede de oleões para recolha de óleos domésticos, um sistema de recolha de parafina (velas) em todos os cemitérios do concelho, pontos de recolha de materiais elétricos, contentores para reciclagem de roupa e uma rede de 54 ecopontos de superfície, distribuídos pelo concelho e 5 ecopontos subterrâneos na cidade para a recolha seletiva de vidro, papel e cartão.

Os desperdícios que não se enquadram nos contentores de reciclagem vão para os contentores comuns de lixo que conta em Valença com uma rede de 881 contentores de superfície, distribuídos pelo concelho e 35 contentores subterrâneos, localizados na área urbana. Estas estruturas recolheram em 2015, 7 102 480 kg (em 2009 foram recolhidos 7 198 560 kg). Valores que refletem uma diminuição dos desperdícios e uma maior consciencialização pública para a reciclagem.

PAN ESTÁ PREOCUPADO COM EFEITOS DA POLUIÇÃO MARÍTIMA NA PRESERVAÇÃO DA SARDINHA

PAN aborda o impacto da poluição marítima na saúde pública e a preservação dos stocks da sardinha

  • Recomenda ao governo que declare a costa portuguesa como Área de Emissões Controladas
  • Salvaguardar a saúde pública à semelhança do que foi feito por outros países da Europa
  • Recomenda ao governo que proceda à elaboração de estudo científico sobre as flutuações na abundância da sardinha
  • Variações na abundância da espécie constituem questões para as quais são necessárias respostas

O PAN – Pessoas - Animais - Natureza avança hoje com duas iniciativas legislativas. Por um lado, recomenda ao governo que declare a costa portuguesa como Área de Emissões Controladas, por uma diminuição significativa da poluição atmosférica costeira, uma redução dos custos humanos para as populações, com impactos positivos na saúde pública e financeiros para o Estado. Por outro lado, recomenda ao governo que proceda à elaboração de estudo científico sobre as flutuações na abundância da sardinha.

A velocidade a que se têm acelerado as transações internacionais de mercadorias obriga a que mais e maiores navios naveguem os mares, com elevado impacto na sustentabilidade do planeta. A costa portuguesa é uma das costas mais frequentadas e congestionadas do mundo e, por consequência, uma das que maior poluição atmosférica apresenta. O impacto da poluição atmosférica na saúde pública mantém-se elevado em toda a Europa, mas está a diminuir em geral por via da regulamentação europeia para o controlo das emissões gasosas de fontes de emissão terrestres. No entanto, as emissões gasosas devidas ao aumento do tráfego marítimo internacional nas costas europeias continuam a aumentar, gerando impactos na saúde pública das populações costeiras em diversos países, nomeadamente cancro, asma, ataques cardíacos e mortalidade prematura.

As emissões de partículas emitidas pelos navios a nível mundial têm impactos na saúde. Calcula-se que as despesas de saúde na Europa devidas à contribuição das emissões de poluentes originadas pelo Shipping deverão aumentar dos 7% em 2000, ou seja, € 58,4 mil milhões de euros, para 12% em 2020, atingindo um valor de cerca de € 64,1 mil milhões de euros.

De forma a mitigar o impacto das emissões gasosas originadas pelos navios, vários países da Europa (Reino Unido, Alemanha, França, Bélgica, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Estónia, Letônia, Lituânia, Polônia e Alemanha), implementaram Áreas de Emissões Controladas (designadas de modo abreviado por ECA’s), só podendo circular na sua costa os navios que navegam a gasóleo (com baixo teor de enxofre) ou a combustível pesado (Heavy Fuel Oil) desde que com sistemas de tratamento de gases.

Em Portugal, não existem indicadores estatísticos que permitam aferir qual o número de óbitos relacionados com as patologias diretamente associadas às emissões de partículas, pela queima de combustíveis. Dado o elevado tráfego de navios ao longo da costa nacional, com tendência clara para aumentar ainda mais, pelo menos até 2020, e dado que tal facto acarreta custos humanos é necessário atuar para contrariar a atual situação, pelo que a declaração de toda a costa portuguesa como zona de emissão controlada, à semelhança do que foi feito por outros países para melhorarem a qualidade do ar, seria um primeiro passo bastante relevante.

Por outro lado, a sardinha, a espécie mais capturada em Portugal, tem apresentado flutuações periódicas na sua abundância, não se conhecendo a causa ou causas para esse facto. Até 2011, as capturas de sardinha situavam-se acima das 50 mil toneladas, iniciando-se após aquele ano uma quebra acentuada.

Segundo a Nota de Imprensa sobre “Campanha da Sardinha em 2016” divulgada pelo Gabinete da Ministra do Mar, foi determinada a realização de um cruzeiro científico sobre a sardinha, tendo os dados apurados demonstrado um aumento da biomassa de sardinha, ou seja, cada vez existem menos sardinhas e um aumento considerável do recrutamento, ou seja, não estão a nascer sardinhas. Assim, foi determinado como limite de capturas as 10 mil toneladas até Julho, sendo esperado pelo Governo que os níveis de captura sejam revistos em alta, o que permitirá atingir as 19 mil toneladas até ao final do ano. As variações na abundância desta espécie constituem questões para as quais tem que se saber dar resposta. É necessário conhecer cientificamente e de modo aprofundado a espécie, para melhor compreender os efeitos das pressões antropogénicas e ambientais sobre os organismos e o ambiente marinho em geral.

PRAIA FLUVIAL DE VERIM EM PÓVOA DE LANHOSO VALE OURO

Praia Fluvial de Verim com “Qualidade de Ouro”

Pelo segundo ano consecutivo, a Praia Fluvial de Verim, na Póvoa de Lanhoso, foi classificada pela Quercus como tendo “Qualidade de Ouro”, no âmbito das zonas balneares costeiras. “É com satisfação e orgulho que, pelo segundo ano consecutivo, recebemos da Quercus a classificação de ‘Qualidade de Ouro’ referente à praia fluvial de Verim. Esta é apenas uma das praias fluviais mais apreciadas do concelho e propulsora do turismo da Póvoa de Lanhoso”, refere a Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. De lembrar que o mesmo recinto também tem conseguido renovar, ano após ano, a bandeira de Praia Acessível para Todos.

Praia Fluvial de Verim (Arquivo) 1

“A praia fluvial de Verim, além da excecionalidade da água, é também uma praia acessível para todos e todas. A piscina municipal também é um serviço certificado com o ‘selo’ de qualidade. Julgo que estamos no bom caminho e esse caminho leva-nos a tentar receber igual galardão relativamente a outras praias do município”, assegura a mesma responsável.

No que se refere à classificação da Quercus, tal como em épocas anteriores, esta entidade voltou a atribuir esta classificação às zonas balneares do país, cujas águas balneares apresentam melhores resultados em termos de qualidade.

De acordo com informação da própria Quercus, à semelhança dos anos anteriores, esta associação identifica, de acordo os critérios estabelecidos pela própria, as águas balneares em Portugal classificadas como tendo “Qualidade de Ouro”, com base na informação pública oficial, disponibilizada pela Agência Portuguesa do Ambiente.

Assim, a Quercus identificou, em 2016, 382 praias com “Qualidade de Ouro” em Portugal.

Para receber a classificação de praia com “Qualidade de Ouro”, a água balnear das praias tem de respeitar os seguintes critérios: qualidade da água “excelente” nas cinco últimas épocas balneares de 2011 a 2015; todas as análises realizadas, sem exceção, na última época balnear (2015) deverão ter apresentado resultados melhores que os valores definidos para o percentil 95 do anexo I da Diretiva relativa às águas balneares.

De acordo com informação da própria Quercus, esta avaliação é mais limitada em comparação com os múltiplos critérios para atribuição da Bandeira Azul, ao basear-se apenas na qualidade da água das praias, sendo, contudo, mais exigente neste aspeto em específico, para além de incluir todas as águas balneares, não envolvendo qualquer processo de candidatura.

A mesma fonte refere que o objetivo da Quercus é realçar as praias que ao longo de vários anos (cinco) apresentam sistematicamente uma água balnear de qualidade excelente (tendo em conta a classificação da legislação em vigor) e que, nesse sentido, oferecem assim uma maior fiabilidade no que respeita à qualidade da sua água.

GUIMARÃES CELEBRA AMBIENTE

Guimarães celebra o Ambiente ao longo de dois dias nos Jardins da Alameda nos dias 4 e 5 de junho

Primeira edição da “Green Weekend” vai promover boas práticas ambientais no primeiro fim-de-semana de junho. Evento decorrerá na Alameda de São Dâmaso.

Guimaraes_Green_Weekend

A Câmara Municipal de Guimarães, em colaboração com dezenas de parceiros institucionais, vai organizar nos dias 04 e 05 de junho a “Green Weekend”, um certame que tem por objetivo promover a sensibilização e a consciencialização da comunidade para as questões ambientais, assinalando também o Dia Mundial do Ambiente, que se comemora a 05 de junho.

Ao longo de dois dias, a Alameda de São Dâmaso, também conhecida por Bosque Urbano de Guimarães, será palco de diversas atividades no âmbito da sustentabilidade ambiental. Workshops, palestras, iniciativas desportivas, concertos musicais, ações de investigação e desenvolvimento, feira de produtos biológicos e até espaços de gastronomia são alguns dos eventos que os vimaranenses poderão contar ao longo de uma atividade que assinalará a comemoração do Dia Mundial do Ambiente.

A “Green Weekend” servirá igualmente para mostrar o trabalho que Guimarães tem efetuado na preparação da candidatura a Capital Verde Europeia 2020 e do caminho que tem desenvolvido na esfera da sustentabilidade ambiental. O extenso programa do evento será conhecido brevemente.