Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINISTRO DO AMBIENTE VISITA AMANHÃ OBRAS EM CAMINHA

Cais dos Pescadores e Alimentação artificial dos sistemas dunares de Camarido e Moledo. Dois investimentos no âmbito da Polis que rondam 1,3 milhões de euros

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, estará amanhã, dia 15 de dezembro, em Caminha, para visitas de trabalho a duas obras, a Modernização do Cais dos Pescadores e a Alimentação Artificial dos sistemas dunares de Camarido e Moledo. O governante chegará pelas 12h00 ao concelho, sendo o local de encontro o cais da Foz do Minho, onde a comitiva deverá subir a bordo de uma embarcação da Autoridade Marítima Nacional para a referida visita.

Cais da Rua Dez 2017

A Modernização do Cais de Pesca (também conhecido por Cais da Rua ou Cais dos Pescadores), integra o projeto de Requalificação da Marginal de Caminha. Esta primeira parte da intervenção encontra-se em fase avançada e deverá estar concluída em janeiro do próximo ano. A obra tinha caráter urgente, vindo beneficiar a classe piscatória da sede do concelho, que há cerca de quatro décadas esperava por uma obra deste género, que viesse dar condições à faina, sobretudo em matéria de segurança. 

Os trabalhos que estão em execução incluem especificamente: o aumento da área útil do cais, prolongamento da ponte-cais, reparação/beneficiação da rampa-varadouro e das estruturas para amarração de embarcações, recuperação das escadas para acesso às embarcações, instalação de um novo guincho na rampa e o incremento da capacidade de atracação de barcos.

O investimento global associado é de 780 mil euros, cofinanciado em 75% pelo PO Mar 2020 e em 25% pela Docapesca.

A obra de Alimentação Artificial dos sistemas dunares de Camarido e Moledo também já está a decorrer. Prevê a proteção e reforço dos cordões dunares nas praias de Camarido e Moledo, mediante a execução de dragagens de areias de elevada qualidade no estuário do Rio Minho, e seu transporte para aqueles sistemas naturais de defesa costeira.

Em simultâneo melhoram, com a estratégica localização dos fundos a dragar, as condições de navegabilidade de embarcações no estuário, o que se revela num contributo muito importante para a atividade da pesca local.

Esta intervenção foi decidida após a realização de estudos e análises que confirmaram a qualidade dos sedimentos.

O investimento global é de 490 mil euros, com financiamento de 95% da operação pelo PO SEUR, e de 5% pela Sociedade Polis, através do seu Capital Social. A conclusão desta obra está prevista para o mês de abril de 2018.

Reiteramos que o local de encontro é o cais da Foz do Minho, sexta-feira, dia 15 de dezembro, pelas 12h00, e não o cais do ferry internacional, como inicialmente estava previsto.

Caminha 1

CRIANÇAS FAMALICENSES PROMOVEM NATAL AMIGO DO AMBIENTE

A expressão “de pequenino é que se torce o pepino” é seguida à regra em Vila Nova de Famalicão e nem no Natal é esquecida. Numa quadra muito marcada pelo consumismo e pelo desperdício, no município famalicense os mais pequenos dão uma lição à comunidade, mostrando que Natal pode também ser sinónimo de ecologia.

image55922

Mais de duzentos alunos do concelho deram largas à imaginação e elaboraram adereços e enfeites de Natal com recurso a materiais reciclados e reutilizados. O resultado está à vista de todos na exposição “Natal Ecológico”, patente a partir desta segunda-feira, 11 de dezembro, nos Serviços Educativos do Parque da Devesa.

A mostra, que se realiza pelo décimo sexto ano, foi hoje inaugurada pelos vereadores da Educação e do Ambiente da autarquia, Leonel Rocha e Pedro Sena, e conta, no total, com 19 trabalhos expostos elaborados por cerca de uma dezena de instituições educativas do concelho – JI de Barranhas (Vilarinho das Cambas), EB 2,3 Júlio Brandão, JI Aldeia Nova (Ribeirão), JI de Cabeçudos, JI Pedreira (Bairro), Centro Escolar de Antas e Escola Profissional CIOR.

“Todos os anos me surpreendo com os trabalhos que aqui são apresentados. Numa época em que devido ao consumismo tanta coisa se desperdiça, é muito importante passar esta mensagem ecológica de que no Natal também se pode proteger o ambiente”, referiu Leonel Rocha, que citando Baden Powell lembrou ainda que “o melhor ensino é o exemplo”.

A exposição é entrada livre e pode ser visitada até 8 de janeiro, de segunda a quinta, das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e às sextas-feiras, entre as 09h00 e as 12h00.

image55925 (1)

image55934

TERRAS DE BOURO SENSIBILIZA PARA "O EQUILÍBIO ENTRE A PRESERVAÇÃO DA NATUREZA E A PRESENÇA DO HOMEM NO GERÊS"

Município de Terras de Bouro em parceria com os Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro promove Ação de Sensibilização sobre “O Equilíbrio entre a Preservação da Natureza e a Presença do Homem no Gerês”

Os alunos do 1.º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro participaram no projeto de Sensibilização para a Conservação do Parque Nacional Peneda Gerês “PNPG GO”, dinamizado pelo Município de Terras de Bouro e dirigido à comunidade jovem do concelho.

CAPA

Esta ação de sensibilização ambiental decorreu nas instalações dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro e foi dedicada ao tema “O Equilíbrio entre a Preservação da Natureza e a Presença do Homem no Gerês” - “Mitigação da Presença Humana”.

O evento, didático e ambiental, contou com a participação da Vereadora da Juventude da Câmara Municipal de Terras de Bouro, Dr.ª Ana Araújo e envolveu dezenas de crianças do concelho de Terras de Bouro.

Os jovens tiveram a oportunidade de ouvir uma pequena apresentação acerca da temática e de efetuarem uma visita às instalações dos Bombeiros ficando deste modo a conhecer toda a dinâmica daquela entidade sempre que é necessária sua intervenção em alguma missão de socorro. Com esta iniciativa, conseguiu-se envolver as crianças numa missão que deve ser acolhida por todos: preservar o património natural que faz parte do Parque Nacional da Peneda Gerês.

A Vereadora, Dr.ª Ana Araújo, em representação da Câmara Municipal, aproveitou para agradecer a prestimosa colaboração da Corporação de Bombeiros na dinamização desta atividade e, em especial, aos Bombeiros presentes e ao seu 2.º Comandante,  Lino Oliveira.

Esta é a primeira de um conjunto de atividades que se irão realizar no âmbito deste projeto que será dinamizado pelo Pelouro da Juventude da Câmara Municipal de Terras de Bouro, que conta com o apoio de uma equipa técnica responsável pela sua implementação.

IMG_2903

IMG_2926

IMG_2957

IMG_2975

IMG_2983

IMG_2993

IMG_3000

IMG_3016

IMG_3022

IMG_3081

IMG_3084

IMG_3099

IMG_3161

IMG_3191

ESPOSENDE PARTICIPA NAS JORNADAS INTERNACIONAIS DE RESÍDUOS

Município de Esposende participou nas Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos

O Município de Esposende, através da empresa municipal Esposende Ambiente, marcou presença nas décimas Jornadas Técnicas Internacionais de Resíduos, evento que decorreu no Instituto Superior de Engenharia do Porto, entre os dias 21 e 23 de novembro, numa organização da APESB - Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental.

IMG_20171122_123717

Dedicadas ao tema “Avanços na Gestão de Resíduos no contexto da Economia Circular”, estas Jornadas permitiram debater temas considerados prioritários para o setor dos Resíduos em Portugal, como a recolha de resíduos, designadamente as vertentes da “recolha seletiva porta-a-porta”, da “recolha de biorresíduos”, “Sistemas PAYT”, entre outros.

A empresa municipal Esposende Ambiente participou com a apresentação de uma comunicação intitulada “Centro de Educação Ambiental de Esposende – A sensibilização como ferramenta de gestão de resíduos urbanos” e, ainda, com a apresentação de um Poster intitulado ”Gestão integrada de resíduos urbanos no município de Esposende”.

IMG_20171121_114831

Face às diretrizes nacionais e europeias em matéria de gestão de resíduos, o município de Esposende delineou, através da empresa municipal Esposende Ambiente, um Plano de Ação Municipal de Gestão de Resíduos Urbanos - PAPERSU 2020, com uma aposta vincada na prevenção e na reciclagem. O plano contempla várias áreas de intervenção de onde se destacam três eixos principais, designadamente a redução da produção de resíduos, o aumento da recolha seletiva e reciclagem/valorização de resíduos e a comunicação e sensibilização ambiental da população.

A Economia Circular, o seu conceito e a sua prática, foram outros dos assuntos de profunda reflexão, envolvendo cerca de 400 participantes, entre decisores políticos, técnicos e investigadores, dedicando-se ainda especial atenção a temas nos domínios da Valorização de Resíduos e da Limpeza Pública. Este importante evento no panorama nacional reuniu especialistas nacionais e estrangeiros, permitindo a troca de experiências e o estabelecimento de contactos entre os principais intervenientes do setor dos resíduos em Portugal.

jornadas_residuos (002)

PONTE DE LIMA REALIZA FEIRA DO AMBIENTE E ENERGIA

Município de Ponte de Lima realiza VII Feira do Ambiente e Energia realiza-se de 1 a 3 de dezembro de 2017

O Município de Ponte de Lima vai realizar a VII Feira do Ambiente e Energia, de 1 a 3 de dezembro, no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima. Totalmente direcionado para o setor energético e ambiental, o certame visa apresentar e promover novos produtos e serviços das empresas desta área e projetos pedagógicos inovadores levados a cabo pelos diferentes agrupamentos escolares do concelho.

Print

A Feira do Ambiente e Energia realiza-se no seguimento da política de preservação dos espaços verdes e na política de sustentabilidade da vila mais antiga de Portugal. É, também, uma excelente oportunidade para promover a vertente ecoturística de Ponte de Lima o qual, devido às potencialidades naturais do concelho, é um setor em franco crescimento.

A edição deste ano da Feira do Ambiente e Energia conta com a participação da Resulima – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos S.A., da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, e dos Agrupamentos de Escolas de Ponte de Lima, António Feijó, Arcozelo e Freixo. Uma das novidades deste ano é a realização da ‘Oficina do Cartão Baús e Malas Vintage’, conduzido por Ivo Cruz e direcionado para pais e filhos. A ‘Oficina do Cartão Baús e Malas Vintage’ tem o propósito de incentivar a prática da reciclagem e alertar para a, cada vez mais urgente, necessidade de preservar o meio ambiente.

De realçar que esta VII edição da Feira do Ambiente e Energia vai dar a conhecer uma nova linguagem cinematográfica e publicitária, denominada fulldome, que consiste em projetar a imagem numa tela de 360º levando os expectadores a experienciar sensações imersivas. Apresentada pela SpotImm – imersive spots, mostra a vivência de uma experiência mais eficaz do que a passagem de conhecimento em 360 Dome – Cinema. Na Educação, no entretenimento, na cultura, na promoção de eventos, no turismo e nas empresas projetam filmes documentários fulldome. Deixe-se envolver e venha conhecer esta nova linguagem cinematográfica, na Feira do Ambiente e Energia em Ponte de Lima. A entrada é livre.

A abertura da VII Feira do Ambiente e Energia, acontece na sexta-feira, 1 de dezembro, às 15 horas, no Pavilhão de Feiras e Exposições da Expolima, em Ponte de Lima.

Print

RIOPELE MAIS VERDE COM A TENOWA

Dois anos de “investigação pura” trouxeram à luz do dia a inovadora Tenowa, a marca “verde” da Riopele para vestuário feito com tecido produzido com matéria-prima 100% reciclada.

image55688

A Tenowa corporiza a produção de tecidos funcionais inovadores com incorporação de ingredientes extraídos de resíduos agroalimentares (como os provenientes das indústrias das carnes), para obtenção da funcionalidade de neutralização de odores e outras propriedades valorizáveis no acabamento têxtil (antimicrobiano, prebiótico, antioxidante, anti-estático, toque melhorado).

A nova marca foi apresentada em Portugal, na passada sexta-feira, 24 de novembro, nas instalações da Riopele, onde o administrador José Alexandre Oliveira recebeu o Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, numa iniciativa que coincidiu com mais uma jornada do Roteiro pela Inovação de Famalicão, promovido pela autarquia local.

image55691

Apesar de o projeto terminar no final deste mês de novembro, José Alexandre Oliveira garantiu que a Tenowa não terminou a sua fase de investigação e desenvolvimento, assegurando o investimento e a continuidade futura.

A Riopele contou com a colaboração da Universidade Católica, do CeNTI e do CITEVE para ultrapassar os desafios a que se propôs ao longo destes dois anos de “investigação pura”, como sublinhou Albertina Reis, diretora de I&D da empresa.

Um vestido da autoria do designer Nuno Baltazar foi o primeiro sinal exterior da Tenowa, que resulta do projeto R4Textiles, cofinanciado pelo Compete 2020.

Paulo Cunha distinguiu o carácter inovador sempre associado à Riopele e elogiou a adoção de medidas ecológicas e que reduzem os impactos ambientais, na perspetiva de uma indústria sustentável assente na economia circular. “Hoje vimos um caso muito concreto de uma iniciativa empresarial cujo objetivo é alargar a cada vez mais produtos esta metodologia. Mais do que amigo do ambiente, este processo produtivo é amigo das gerações futuras porque está a reduzir a chamada pegada ecológica. O que significa que está a salvaguardar o direito ao futuro, e isso realmente é muito importante”, resumiu.
A Riopele fechou 2016 com uma faturação de 70,1 milhões de euros, dos quais 98% foram gerados nas exportações, emprega 1.100 pessoas e completa este ano 90 anos de atividade.

image55697

PAN GARANTE EXTENSÃO DE INCENTIVO FINANCEIRO A MOTOCICLOS ELÉTRICOS

Orçamento do Estado 2018

  • O incentivo referente à compra de carros elétricos vai ser estendido aos motociclos elétricos
  • Incentivo à mobilidade elétrica e à diminuição da dependência do país de combustíveis fósseis
  • São necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática
  • Promove o incentivo à aquisição de motociclos elétricos

A proposta do PAN, Pessoas – Animais – Natureza, de alteração ao Orçamento do Estado para 2018 no sentido da extensão do incentivo concedido ao carro elétrico a motociclos de duas rodas e ciclomotores elétricos foi acolhida pelo governo.

O PAN considera que o incentivo referente à compra de carros elétricos (2.250€) deve ser estendido aos motociclos, através do Fundo Ambiental, uma vez que as dificuldades impostas pelo trânsito presente nos meios urbanos tem levado muitas pessoas a optarem pelo recurso a motociclos em detrimento dos carros. Existe em simultâneo uma crescente e diversificada oferta de motociclos elétricos bastante fiáveis, económicos e ambientalmente sustentáveis. Esta medida dá continuidade a um forte compromisso do PAN com o programa de incentivo à mobilidade elétrica. Em paralelo, o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, deixou em aberto a possibilidade de se negociar no futuro a inclusão de bicicletas elétricas que neste pacote não estão contempladas.

Por proposta do PAN no orçamento do ano passado o governo comprometeu-se a uma renovação das frotas de transportes pesados de passageiros e automóveis ligeiros do Estado, através da aquisição de veículos elétricos e com a meta de integrar 1200 veículos elétricos no Parque de Veículos do Estado até 2019.  

O veículo elétrico constitui uma crescente e viável opção de mobilidade que responde a relevantes questões que dominam a atualidade, designadamente, o aquecimento global, a diminuição da qualidade do ar e a desmesurada dependência energética dos combustíveis fósseis. Portugal consumiu combustíveis fósseis equivalentes a mais de 700 milhões de toneladas de petróleo para sustentar o seu desenvolvimento nos últimos 125 anos.

Atualmente estamos a queimar para mover os carros, produzir eletricidade, alimentar indústrias e abastecer habitações, cerca de 16 milhões de toneladas de petróleo, carvão e gás natural por ano, sendo assim essencial diminuir a dependência do país no que respeita aos combustíveis fósseis. Este cenário gera um observável crescimento do uso de veículos elétricos, podendo vislumbrar-se uma tendência de massificação do mesmo que deve ser estimulada e apoiada pelo Estado.

É necessário um compromisso nesta área que vá para além da legislatura, são necessários compromissos reais de longo prazo sobre política climática e é essencial diminuir drasticamente a dependência do país de combustíveis fósseis.

Se Portugal está efetivamente determinado em promover um sistema de mobilidade cada vez mais sustentável, combatendo as alterações climáticas e diminuindo a dependência dos combustíveis fósseis, cabe ao Estado também dar o exemplo e mostrar orientações claras nesse sentido.

TERRAS DE BOURO FOI A OURENSE DEBATER A RESERVA DA BIOSFERA TRANSFRONTEIRIÇA DO GERÊS

Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés apresentado em Ourense

O Municipio de Terras de Bouro fez-se representar na sessão pública de demonstração do Projeto Europeu de Dinamização da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés. A iniciativa, que decorreu a 17 de novembro, é financiada pelo Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal (POCTEP) e prevê a atribuição de 900 mil euros à zona portuguesa da reserva e os restantes 1,1 milhões à zona espanhola, visando promover a reserva aos visitantes, aos habitantes e às escolas de ambos os lados da fronteira.

CAPA

O objetivo é promover os territórios de Portugal e de Espanha em conjunto para atrair mais turismo à região e, com isso, incentivar a criação e a valorização de empresas que sustentem a população aí residente.Com este projeto, os municípios, a cargo dos parques e outras instituições envolvidas, pretendem «reforçar a identidade da reserva, com a promoção da mesma para fins turísticos e a valorização da economia local».

No âmbito do documento vão ser desenvolvidas ações como a atualização de conteúdos nas Portas do Parque e a elaboração de um calendário único de atividades desportivas e culturais. Este plano nasce também com o objetivo de fortalecer a identidade desta Reserva da Biosfera Transfronteira através do seu desenvolvimento económico e turístico sustentável e da proteção e conservação do seu património natural e cultural.

O território da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, abrange as áreas correspondentes ao Parque Nacional da Peneda Gerês, no Norte de Portugal e o Parque Natural da Baixa Limia-Serra do Xúres, na Galiza.

FB_IMG_1510962573635

BARCELOS REMOVE JACINTOS DO RIO CÁVADO

Câmara Municipal implementa ação de remoção de jacintos no Rio Cávado. Protocolo com corporações de bombeiros para afetar meios técnicos e humanos

A Câmara Municipal tem em desenvolvimento uma intervenção no Rio Cávado para limpeza dos jacintos de água, uma espécie invasora que se tem desenvolvido rapidamente, particularmente nas zonas mais abrigadas do Rio, cuja presença se nota desde 2003.

Capturarb2

O desenvolvimento da espécie tem a ver não apenas com as caraterísticas da sua reprodução, como, também, com a redução do caudal do Rio que se tem agravado nos últimos meses.

A remoção desta espécie infestante do Rio Cávado exige o recurso a meios técnicos consideráveis, disponibilizados pelas corporações de bombeiros de Barcelos e de Barcelinhos, no âmbito de um protocolo estabelecido com o Município, e tem em vista restabelecimento das condições naturais deste recurso hídrico e a sua valorização.

Assim, foi constituída uma equipa de intervenção constituída por bombeiros e técnicos da autarquia, com os equipamentos necessários e adequados à correta identificação no rio Cávado dos locais onde existam focos de poluição, proceder à sua remoção e/ou neutralização e, posteriormente, proceder a ações de monitorização.

O protocolo, válido até 31 de março de 2018, prevê que o Município atribua uma comparticipação financeira às duas corporações de bombeiros, no valor de seis mil euros a cada uma; disponibilize combustível para os equipamentos afetos às operações de limpeza, bem como outros recursos materiais e humanos necessários às ações de identificação e remoção dos jacintos.

Os bombeiros têm como tarefas, identificar, registar e classificar os vários focos de poluição existentes no rio Cávado; promover as ações necessárias à identificação, remoção e/ou neutralização dos jacintos-de-água, com vista ao reequilibro do rio e suas margens; realizar as ações de vigilância necessárias durante a vigência  do acordo de colaboração; afetar os recursos humanos e equipamentos necessários à execução do objeto do acordo de colaboração, bem como à sua fiscalização; disponibilizar recursos técnicos e materiais, sempre que necessário, em ações de educação ambiental, ou em ações que visem a sustentabilidade dos recursos hídricos.

A intervenção teve início no passado dia 16 de novembro e incidirá em todo o percurso do Rio, a jusante da barragem da Penide.

O envolvimento dos bombeiros não pôde ser efetivado antes, dadas as condições excecionais do período crítico de incêndios que, como se sabe, foi prolongado até 23 de novembro.

No âmbito desta ação, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, fez o percurso de barco, no sábado, dia 17 de novembro, de forma a inteirar-se dos trabalhos que estão a ser desenvolvidos pelas equipas constituídas pelos bombeiros e por técnicos da autarquia.

Capturarb1

O FUTURO É VERDE - MONÇÃO TEM FUTURO!

As vias verdes são espaços de desporto e lazer que fomentam a oferta turística e constituem uma fonte de riqueza para as populações locais, assumindo-se como uma forma saudável de encarar o quotidiano. Em cada ano que passa, ganham-se milhares de praticantes em todo o mundo.

DSC_0384 (Large)

A capacidade de cada corredor verde em atrair público depende da envolvência natural/patrimonial e da facilidade de acesso disponível, bem como do trabalho concertado e promoção estruturada de todos os agentes da região onde estão inseridos.

Esta a principal conclusão saída da Conferência Internacional de Vias Verdes que decorreu, no dia de ontem, no Cine Teatro João Verde, em Monção, contando com palestrantes nacionais e estrangeiros. Entre estes, Mercedes Muñoz, diretora da Associação Europeia de Vias Verdes, e Antonis Christopoulos, da Agência para Pequenas e Medias Empresas, da Comissão Europeia.

Presente na sessão de abertura, o autarca local, António Barbosa, após ter dado as boas vindas aos conferencistas presentes, comparou as vias verdes a uma “sinergia perfeita” entre “a preservação da natureza e a criação de condições de fruição para o público”.

Algo que, adiantou, pretende expandir no concelho. “Este conceito vai ser seguido pelo actual executivo. Queremos criar condições efetivas à população, que gerem qualidade de vida, conforto e bem-estar, sem descaraterizar a nossa identidade coletiva e as caraterísticas do nosso território”.

Ao longo do dia, foram abordados vários painéis relacionados com a importância das vias verdes na criação de um turismo sustentado na Europa, o papel aglutinador do projecto Greenways4all, e boas práticas nas vias verdes como oportunidade para a cooperação internacional.

Outras temáticas debatidas relacionaram-se com a promoção das vias verdes enquanto produtos turísticos de excelência, tendo sido apresentados ao público alguns exemplos práticos de corredores verdes na Europa. No final, para descomprimir, uma caminhada pela Ecopista do Rio Minho.

Fernando Silva

DSC_0390 (Large)

DSC_0392 (Large)

MUNICIPIOS FESTEJARAM TITULO DE 3ª MELHOR VIA VERDE DA EUROPA

Os municípios de Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira e Caminha festejaram em conjunto, na manhã de ontem, o título de 3ª melhor via verde da europa, atribuída à Ecopista do Rio Minho, no passadodia 28 de setembro, em Limerick, na Irlanda.

DSC_0237 (Large)

O trofeu, alcançado nos 8th EuropeanGreenwayAward, percorreu os 46 quilómetros daquele corredor ecológico colado ao rio Minho, tendo o trajeto começado em Seixas, concelho de Caminha, e terminado, no Parque da Lodeira, junto à ponte Internacional, concelho de Monção.

Ao longo do percurso, assistiu-se à passagem de testemunho com o trofeu a passar de mão em mão entre os presidentes de câmara de cada município. Atos simbólicos presenciados por muitas pessoas que, nesta manhã propicia à prática desportiva, quiseram associar-se à celebração.A diretora da Associação Europeia de Vias Verdes, Mercedes Muñoz, esteve presente.

No limite entre Monção e Valença, António Barbosa e Jorge Mendes mostraram satisfação pelo prémio recebido e afirmaram que a Ecopista do Rio Minho é um produto turístico importante para a região com potencial de crescimento nos próximos anos.

António Barbosa adiantou que é intenção da autarquia monçanense prolongar o seu trajeto para norte do concelho, fazendo-a chegar à fronteira com Melgaço, requalificando a orla ribeirinha e divulgando os pontos turísticos que cada freguesia tem para oferecer.

A aposta concertada dos quatro municípios do Vale do Minho permitiu potenciar a Ecopista do Rio Minho, elemento comum a todos, criando um corredor ecológico que proporciona passeios por vinhedos, campos de cultivo e ribeiros, bem como panorâmicas fabulosas sobre o rio minho, margem galega e património edificado.

Destinando-se a passeios pedonais, de bicicleta, patins em linha ou skate, a sua procura tem permitido reforçar a oferta turística da região com um produto de natureza excelente que presenteia os utilizadores com alguns dos aspetos mais característicos e cativantes do Vale do Minho.

Refira-se que o primeiro troço da Ecopista do Rio Minho, que aproveitou a linha férrea desativada entre as localidades de Monção e Valença, foi inaugurado no dia 14 de Novembro de 2004. Esta terça-feira completa 13 anos de existência, sendo comemorados com uma conferência internacional que decorrerá no Cine Teatro João Verde.

Fernando Silva

DSC_0243 (Large)

DSC_0277 (Large)

DSC_0282 (Large)

DSC_0288 (Large)

MONÇÃO ACOLHE CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE VIAS VERDES

Dia 14 de novembro, terça-feira, pelas 9h00, no Cine Teatro João Verde. Iniciativa assinala a passagem do 13º aniversário da inauguração do primeiro troço da Ecopista do Rio Minho, entre Monção e Valença.

O Cine Teatro João Verde recebe no dia 14 de novembro, terça-feira, uma conferência internacional sobre as vias verdes da Europa com a presença de especialistas nacionais e internacionais. O objetivo geral é destacar o papel destes corredores ecológicos na concretização de um desenvolvimento sustentado e turístico.

Com início às 9h00, a sessão de abertura conta com as presenças de AntonisChristopoulos, da Agência para Pequenas e Medias Empresas, da Comissão Europeia, e de Mercedes Muñoz, diretora da Associação Europeia de Vias Verdes.

Ao longo da manhã, serão abordados vários painéis relacionados com a importância das vias verdes na criação de um turismo sustentado na Europa, o projecto Greenways4all e o seu impacto no território, e boas práticas nas vias verdes como oportunidade para a cooperação internacional.

Será igualmente debatida a promoção das vias verdes como produtos turísticos de excelência, bem como apresentados ao público presente alguns exemplos práticos de corredores verdes na Europa. À tarde, com início às 16h00, decorre uma caminhada pela Ecopista do Rio Minho.

Este seminário internacionalassinala a passagem do 13º aniversário da inauguração do primeiro troço da Ecopista do Rio Minho, entre Monção e Valença.Pretende ainda incrementar o intercâmbio e a colaboração entre os agentes públicos e privados, de forma a potenciar um conceito de via verde acessível a todos e para todos com vantagens desportivas, recreativas e turísticas. 

Programa em:

https://greenways4all.org/event/greenways4all-final-conference

Fernando Silva

PAN ACUSA GOVERNO DE PREFERIR O SECTOR DA CAÇA EM DETRIMENTO DA VIDA SELVAGEM

Proibição de caça nas zonas afetadas pelos incêndios

PAN acusa Governo de não defender a vida selvagem para proteger o sector da caça

  • A proibição de caça apenas em áreas ardidas superiores a 1000 hectares é manifestamente insuficiente
  • Os animais sobreviventes procuram agora refúgio e alimentação nas poucas e reduzidas áreas não atingidas pelos fogos
  • Governo continua a permitir a caça a espécies migratórias inclusivamente às que estão desaparecer a um ritmo galopante
  • São privilegiados os interesses do sector da caça em detrimento da proteção dos animais e dos ecossistemas

Numa reação às portarias que limitam e restringem a caça nas zonas ardidas e que proíbem a caça nos 96 concelhos do país afetados pelos incêndios, em áreas superiores a 1000 hectares e até 31 de Maio de 2018, o PAN – Pessoas-Animais-Natureza, afirma que as medidas adotadas pelo governo são manifestamente insuficientes para acautelar a preservação das espécies selvagens atingidas, mas acima de tudo defendem os interesses da indústria da caça, mesmo num contexto de calamidade.

Nestes casos de ocorrência de incêndios de grandes dimensões e violência, importa estabelecer no calendário venatório uma norma transitória excecional adequada a salvaguardar a sobrevivência das espécies e adotar um conjunto de medidas de proteção dos exemplares sobreviventes.

A proibição de caça apenas em áreas superiores a 1000 hectares é manifestamente insuficiente para retirar a enorme pressão sobre os animais sobreviventes que procuram agora refúgio e alimentação nas poucas e reduzidas áreas não atingidas pelos fogos. Por este motivo o PAN deu entrada de uma iniciativa que visa suspender a caça em todo o território nacional acima do rio Tejo por um período de dois anos.

Nas referidas portarias pode ler-se que a caça às aves migratórias como a rola-comum será restrita a dois dias por semana por semana, cabendo a cada associação de caçadores a escolha desses dias em que irão caçar as espécies migratórias.

É absolutamente incompreensível que o governo continue a permitir a caça a aves migratórias, nomeadamente num quadro em que muitas destas espécies se encontram bastante pressionadas, como é o caso da rola-comum que está a desaparecer a ritmo galopante em Portugal e na Europa. A situação da espécie no espaço europeu é dramática estimando-se que a sua população tenha decrescido 73% nos últimos 20 anos, devendo inclusivamente, segundo a Quercus, ser incluída na lista vermelha de espécies ameaçadas com o estatuto de “vulnerável”, o que representa um claro reconhecimento científico da ameaça de extinção que a rola brava enfrenta. Sobre este problema o PAN apresentou uma iniciativa para instituir um regime de moratória de 3 anos para a caça da rola comum e do coelho bravo que também se encontra em situação semelhante. A proposta foi chumbada no dia 27/10/2017.

As referidas portarias preveem ainda que para o próximo ano as zonas de caça associativas e turísticas concessionadas cujos terrenos se encontrem abrangidos por estas restrições ficam isentas do pagamento de taxa anual em 2018.

O governo refere que esta medida se aplica às áreas onde não é permitido o exercício da caça na época venatória 2017/2018. O facto é que em todas as áreas do país, mesmo nas atingidas pelos fogos, continua a ser permitida a caça às espécies migratórias pelo que esta isenção só se justifica pelo facto do governo privilegiar os interesses do sector da caça em detrimento da proteção dos animais e dos ecossistemas.

De referir ainda que a alimentação artificial às populações de animais selvagens sobreviventes dos incêndios como veados ou corços está a ser assegurada pela sociedade civil e organizações não-governamentais. Para o PAN o governo não está a assumir uma responsabilidade que é sua. Os esforços e os apoios financeiros que estão a ser dirigidos para a indústria da caça deveriam ser canalizados para proteger e preservar as espécies selvagens, cinegéticas ou não.

VAMOS PLANTAR SEGURANÇA EM MELGAÇO: ABATE DE TÍLIAS NA ALAMEDA INÊS NEGRA

NOVAS ÁRVORES VÃO DEVOLVER BELEZA PAISAGÍSTICA DA ALAMEDA

Por um Melgaço em segurança, e tendo em conta o bem-estar das pessoas, em breve, vão ser abatidas as tílias na Alameda Inês Negra, sendo, posteriormente, plantadas novas árvores que devolverão a beleza paisagística da alameda.

Abate de Tílias

As belas tílias que hoje embelezam a Alameda Inês Negra têm de ser abatidas, uma vez que estão a colocar em causa a segurança das pessoas. Os Serviços Municipais identificaram riscos que poderão agravar-se antes da entrada do inverno. Os solos estão compactados, impedindo a infiltração de água e ar, há presença de fungos, as copas estão degradadas, os ramos frágeis e mal inseridos, há fissuras e buracos profundos nos troncos. Verifica-se um declínio da maioria das árvores com riscos graves de rutura e queda.

Os riscos detetados obrigam assim à substituição das árvores, com a garantia de que se manterá a beleza paisagística da alameda, sem riscos para a segurança das pessoas. Serão mantidas as memórias e vivências da população de Melgaço e de todos os que nos visitam.

PAREDES DE COURA FORNECE A ÁGUA COM MELHOR QUALIDADE NO ALTO MINHO

Município galardoado na 12ª Expo Conferência da Água

Paredes de Coura vai ser galardoada na Cerimónia Solene de Entrega dos Prémios e Selos dos Serviços de Águas e Resíduos (Vertente Águas), no âmbito da 12ª Expo Conferência da Água, como sinal de reconhecimento por ser o concelho do Alto Minho que disponibiliza a água de maior qualidade aos seus munícipes.

De acordo com o relatório "Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humano" relativo ao ano de 2016 e que foi divulgado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR), Paredes de Coura disponibiliza a água de maior qualidade com um nível de segurança de 99,64 por cento, superando a qualidade da água fornecida por todos os outros concelhos do distrito de Viana do Castelo e quase sem paralelo a nível nacional.

A passagem de Paredes de Coura para o primeiro lugar do ‘ranking’ do Alto Minho ficou a dever-se a um aumento da qualidade de 1,26 por cento entre 2012 e 2016, totalizando agora um índice de segurança de 99,64 por cento, ou seja, muito próximo do índice de segurança máxima.

Nova fatura e eletrónica

Para além deste registo e quase sem paralelo nos 278 municípios do continente, o Município de Paredes de Coura também tem feito um esforço significativo na melhoria dos serviços prestados à população, traduzido no recente investimento na reconfiguração da fatura da água – com histórico de consumos, gráficos, informação sobre a qualidade da água --, bem como a disponibilidade de mais meios de pagamento e fatura eletrónica.

Com este novo serviço, o Município de Paredes de Coura oferece vantagens apreciáveis e acompanha as exigências de um concelho que se orgulha das boas práticas e amigo do ambiente. Com a fatura eletrónica, o munícipe ganha em comodidade, rapidez, acessibilidade e segurança, para além de dispor de toda a informação constante das faturas tradicionais.

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA E PROMOÇÃO DO GERÊS ORGANIZA FÓRUM GERÊS

Fórum Gerês 2017_cartaz vfinal

PROGRAMA

09:45 | Recepção e registo de presença dos participantes

10:15 | Sessão de acolhimento

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Dr. José Arriscado | Vice-Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo e Director do Hotel S. Bento

10:30 | Painel 1: território e património

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Prof. José Mota Alves Presidente da ATAHCA - Associação de Desenvolvimento Local

Abordagem/Tema: A importância da dimensão tradicional do património cultural local

Dr. Duarte Figueiredo Chefe de Divisão no ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e Florestas

Abordagem/Tema: O património natural do Parque Nacional da Peneda-Gerês e a sua relação com o turismo

11:30 | Coffee-break

11:45 | Painel 2: educação, formação e qualificação

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Dr. João Luís de Matos Nogueira Director Geral da Escola Profissional Amar Terra Verde

Abordagem/Tema: Desafios do ensino profissional em territórios de baixa densidade populacional

Profª Drª Isabel Borges Coordenadora do Curso Técnico Superior Profissional de Gestão Hoteleira e Alojamento do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorada em Turismo

Abordagem/Tema: O papel do ensino superior privado na crescente procura por profissionais qualificados em turismo e hotelaria

Prof. Dr. Carlos Fernandes Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Doutorado em Turismo Abordagem/Tema: A importância da abrangência de competências dos profissionais de turismo e a melhoria da qualidade dos serviços nos destinos turísticos

13:00 | Almoço livre

14:30 | Painel 3: dinâmicas empresariais / trabalho em rede Moderador |

Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento

Oradores |

Profª Drª Alexandra Malheiro Directora da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Instituto Politécnico Cávado-Ave; Doutorada em Marketing e Estratégia

Abordagem/Tema: A importância da cooperação empresarial no desenvolvimento de estratégias de marketing territorial

Engª Sónia Almeida Administradora Delegada da ADERE Peneda-Gerês - Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem/Tema: Os 5 municípios abrangidos pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês e as relações empresariais do turismo no território

Dr. José Carlos Pires Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês

Abordagem/Tema: O papel da associação Gerês Viver Turismo no desenvolvimento turístico do concelho de Terras de Bouro

15:30 | Painel 4: planeamento, ordenamento e estratégias do turismo

Moderador | Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento Oradores |

Dr. José Martins Gerente da empresa GeoAtributo - Planeamento e Ordenamento do Território

Abordagem/Tema: A importância do planeamento e ordenamento do território nas políticas e estratégias do turismo

Dr. Filipe Ortigão Guimarães Director Executivo da Associação de Turismo do Porto e Norte/Agência Regional de Promoção Externa

Abordagem/Tema: Estratégias para a promoção externa do Porto e Norte de Portugal e o produto Turismo de Natureza

16:15 | Sessão de encerramento

Dr. José Carlos Pires | Presidente da associação Gerês Viver Turismo

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Engº Luís Macedo | Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Cávado

Drª Ana Mendes Godinho | Secretária de Estado do Turismo (a confirmar)

16:45 | Verde de Honra

Organização | Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês www.geres.pt

Apoio Institucional | Instituto de Estudos Superiores de Fafe www.iesfafe.pt

Câmara Municipal de Terras de Bouro www.cm-terrasdebouro.pt

Patrocínios | Hotel S. Bento | www.hotel.sbento.pt

Beira Rio do Gerês | www.beirariodogeres.pt

Escola Profissional Amar Terra Verde | www.epatv.pt

Águas do Gerês – Hotel, Termas & SPA | solardasboucas.blogspot.pt

Águas Fastio | www.fastio.pt

Informações | vivergeres@gmail.com | 912 508 644

FAMALICÃO RECEBE ENCONTRO DE AMBIENTALISTAS

Primeiro encontro "Ação Ecológica, Transição  Sustentável e Regeneração" foi um sucesso. Iniciativa juntou mais de 35 associações ligadas à defesa do ambiente, na Devesa

Mais de 35 associações ligadas à defesa do ambiente participaram, no fim-de-semana, no encontro "Ação Ecológica, Transição Sustentável e Regeneração", que decorreu na Casa do Território, em Vila Nova de Famalicão.

DSC_0097

O evento teve como finalidade a partilha, a troca de experiências e de perspetivas das diversas coletividades ambientais, provenientes de todos os pontos do país e com trabalho realizado nesta área, de modo a conhecer-se, em profundidade e abrangência, a situação ecológica e ambiental do Noroeste de Portugal.

Apesar da maioria das aderências serem do Norte de Portugal, participaram também outras associações de âmbito nacional, como a Acréscimo, AMO Portugal- Associação Mãos à Obra, LPN - Liga para a Proteção da Natureza, Quercus e Zero. 

As Associações organizadoras, Associação Famalicão em Transição e Campo Aberto -  associação de defesa do ambiente concluíram que este evento excedeu, em larga escala, os resultados previstos. "Este encontro foi um sucesso e superou todas as expectativas",afirmou Manuela Araújo, da Associação Famalicão em Transição. A participação revelou-se elevada e "ultrapassou as fronteiras do "Norte", trazendo a Famalicão várias associações de âmbito nacional, ligadas à proteção do ambiente. A tudo isto acresce a forte motivação de todos os participantes", acrescentou.

De acordo com José Carlos Marques, da Campo Aberto -  associação de defesa do ambiente,"via-se que os participantes estavam ansiosos por falar. A vontade de comunicar era muita. Sentia-se, por vezes, que havia algum espanto por uma presença tão forte e diversificada, que muitos até então desconheceriam". Este sentimento foi unânime entre as diversas coletividades ambientais presentes no evento.

Deste evento ficou a vontade generalizada de uma ação conjunta e coordenada pela proteção dos rios, o foco no envolvimento da população e das instituições locais, assim como o debate sobre todas as questões relacionadas com os incêndios florestais, numa perspetiva de prevenção, através da defesa e promoção da floresta autóctone, da forte redução de monoculturas de eucalipto e do reforço  da vigilância florestal.

Como novidade, salienta-se a questão do papel ambíguo e perigoso que poderão vir a ter centrais de biomassa de resíduos florestais, visto a capacidade a instalar poder superar o volume de resíduos que podem ser produzidos se não houver incêndios.

Pretende-se, no futuro, que estes encontros sejam periódicos, podendo-se avançar para"eventos bienais, a realizar em locais diferentes e organizados por outras associações",como salientou Manuela Araújo.

DSC_0123

ESPOSENDE TEM A MELHOR ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

Esposende é o município do país com melhor qualidade de água para consumo

Pelo décimo ano consecutivo, a água para consumo distribuída no concelho pela Empresa Municipal Esposende Ambiente mantém o nível de excelência, conforme atesta o relatório de 2016 relativo ao “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humanos”, da ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, ontem tornado público.

agua beber (1)

O relatório refere que “Portugal mantém o nível de excelência com o indicador de água segura na ordem dos 99%, podendo garantir-se à população que pode beber água da torneira com confiança", e coloca Esposende no topo dos municípios do país com melhores indicadores, no caso 100% qualidade.

A Esposende Ambiente faz o controlo analítico da qualidade da água a partir da torneira do consumidor, através da implementação de um programa de controlo da qualidade da água, devidamente aprovado pela ERSAR.

Para além das análises à água, a partir de dezenas de pontos de amostragem, a Esposende Ambiente desenvolve um programa de controlo operacional no sistema de abastecimento, que inclui o controlo analítico de diversos parâmetros em pontos da rede de distribuição de água, distribuídos por todo o concelho, o controlo da concentração de cloro e da pressão, assim como a implementação dos procedimentos necessários à garantia da boa qualidade da água.

Neste âmbito, os resultados obtidos confirmam que a água distribuída pela empresa cumpre todos os requisitos para poder ser classificada de excelente qualidade, não se tendo verificado qualquer não conformidade, à semelhança do que vem sucedendo na última década. Tal é reflexo de um trabalho contínuo e empenhado, e sempre na vanguarda, que conta também com a colaboração da entidade multimunicipal Águas do Norte.

Os resultados estão disponíveis para consulta pública na sede da empresa, bem como na página da Internet www.esposendeambiente.pt. O relatório “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humanos 2016” está disponível on-line em www.ersar.pt.

De salientar que a Esposende Ambiente tem no abastecimento de água para consumo humano uma das suas principais missões, implementando uma série de procedimentos rigorosos baseados nos critérios de qualidade descritos na legislação atualmente em vigor, facto que lhe valeu, vários anos consecutivos, a atribuição do Selo de Qualidade da ERSAR.

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE ESPOSENDE PARTICIPA NO AQUAPORTO 2017

A Esposende Ambiente marcou presença no AquaPorto 2017, evento dedicado aos recursos hídricos, que decorreu no Parque da Cidade do Porto, nos dias 29 e 30 de setembro, numa organização da empresa Águas do Porto.

DSCF6557

Este evento decorre normalmente no primeiro fim-de-semana do mês de outubro coincidindo com a comemoração do Dia Nacional da Água, que se assinala a 1 de outubro. Esta edição integrou a Porto Water Innovation Week, uma iniciativa com a chancela da Comissão Europeia que, durante uma semana, tornou a cidade na capital europeia da água e que culminou com a assinatura da Declaração do Porto para a Agenda Urbana da Água 2030.

O AquaPorto possui uma forte vertente científica, atribuindo uma componente lúdica à aprendizagem. Música, ciência, artes plásticas e gastronomia foram algumas das áreas trabalhadas nesta quarta edição do AquaPorto, na qual participaram três dezenas de parceiros e entidades. Com um programa extenso e muito diversificado, onde se realça o cariz prático das várias iniciativas, o AquaPorto apresentou propostas para vários públicos, nomeadamente comunidade escolar, famílias e turistas.

A empresa municipal Esposende Ambiente esteve representada na tenda dedicada à ciência, um espaço onde se pode aprender a brincar com cientistas, investigadores e outros académicos, e onde o Centro de Educação Ambiental (CEA) de Esposende desenvolveu uma oficina de expressão plástica dedicada à água e aos seus habitantes.

Ao longo dos dois dias do evento passaram pelo espaço do CEA mais de 1500 visitantes que, a título individual ou em família, produziram cerca de quatro centenas de trabalhos artísticos, aliando, assim, duas temáticas ambientais relevantes: a sensibilização para a importância da biodiversidade aquática e a valorização dos resíduos através da reutilização.

DSCF6607

MUNICÍPIOS DE CAMINHA E A GUARDA PROMOVEM PERCURSO ‘ROTA DAS LAGOAS DE BERTIANDOS E SÃO PEDRO DE ARCOS’ NO DIA 7 DE OUTUBRO

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda no âmbito da candidatura do “Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO

Rota das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos’ é mais um dos percursos pedestres que os municípios de Caminha e A Guarda vão promover no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. Este último percurso, “Andainas”, terá lugar dia 7 de outubro, pelas 07H30.

trilho_pedestre_1

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos, isto é promover a riqueza histórica, cultural, paisagística, ambiental, económica, etnográfica e humana destes dois concelhos.

‘Rota das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos’ é um percurso com uma distância de 20 Km. A saída de Caminha está prevista para as 07H30, junto ao Mercado Municipal. Os participantes vão descer a encosta da Serra d’Arga, desde o Cerquido até Bertiandos, atravessando locais inseridos em plena Rede Natura, Sítio de Importância Comunitária do rio Lima. Vão também percorrer a Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos, atravessar o Rio Estorãos, e a ecovia das Lagoas, até Ponte de Lima.

Os Municípios de Caminha e A Guarda promoveram a iniciativa “Andainas”, que consistiu na promoção de vários percursos pedestres, realizados tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas. As inscrições são obrigatórias e deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.pt ou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.