Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA E PROMOÇÃO DO GERÊS ORGANIZA FÓRUM GERÊS

Fórum Gerês 2017_cartaz vfinal

PROGRAMA

09:45 | Recepção e registo de presença dos participantes

10:15 | Sessão de acolhimento

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Dr. José Arriscado | Vice-Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo e Director do Hotel S. Bento

10:30 | Painel 1: território e património

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Prof. José Mota Alves Presidente da ATAHCA - Associação de Desenvolvimento Local

Abordagem/Tema: A importância da dimensão tradicional do património cultural local

Dr. Duarte Figueiredo Chefe de Divisão no ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e Florestas

Abordagem/Tema: O património natural do Parque Nacional da Peneda-Gerês e a sua relação com o turismo

11:30 | Coffee-break

11:45 | Painel 2: educação, formação e qualificação

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Dr. João Luís de Matos Nogueira Director Geral da Escola Profissional Amar Terra Verde

Abordagem/Tema: Desafios do ensino profissional em territórios de baixa densidade populacional

Profª Drª Isabel Borges Coordenadora do Curso Técnico Superior Profissional de Gestão Hoteleira e Alojamento do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorada em Turismo

Abordagem/Tema: O papel do ensino superior privado na crescente procura por profissionais qualificados em turismo e hotelaria

Prof. Dr. Carlos Fernandes Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Doutorado em Turismo Abordagem/Tema: A importância da abrangência de competências dos profissionais de turismo e a melhoria da qualidade dos serviços nos destinos turísticos

13:00 | Almoço livre

14:30 | Painel 3: dinâmicas empresariais / trabalho em rede Moderador |

Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento

Oradores |

Profª Drª Alexandra Malheiro Directora da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Instituto Politécnico Cávado-Ave; Doutorada em Marketing e Estratégia

Abordagem/Tema: A importância da cooperação empresarial no desenvolvimento de estratégias de marketing territorial

Engª Sónia Almeida Administradora Delegada da ADERE Peneda-Gerês - Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem/Tema: Os 5 municípios abrangidos pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês e as relações empresariais do turismo no território

Dr. José Carlos Pires Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês

Abordagem/Tema: O papel da associação Gerês Viver Turismo no desenvolvimento turístico do concelho de Terras de Bouro

15:30 | Painel 4: planeamento, ordenamento e estratégias do turismo

Moderador | Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento Oradores |

Dr. José Martins Gerente da empresa GeoAtributo - Planeamento e Ordenamento do Território

Abordagem/Tema: A importância do planeamento e ordenamento do território nas políticas e estratégias do turismo

Dr. Filipe Ortigão Guimarães Director Executivo da Associação de Turismo do Porto e Norte/Agência Regional de Promoção Externa

Abordagem/Tema: Estratégias para a promoção externa do Porto e Norte de Portugal e o produto Turismo de Natureza

16:15 | Sessão de encerramento

Dr. José Carlos Pires | Presidente da associação Gerês Viver Turismo

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Engº Luís Macedo | Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Cávado

Drª Ana Mendes Godinho | Secretária de Estado do Turismo (a confirmar)

16:45 | Verde de Honra

Organização | Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês www.geres.pt

Apoio Institucional | Instituto de Estudos Superiores de Fafe www.iesfafe.pt

Câmara Municipal de Terras de Bouro www.cm-terrasdebouro.pt

Patrocínios | Hotel S. Bento | www.hotel.sbento.pt

Beira Rio do Gerês | www.beirariodogeres.pt

Escola Profissional Amar Terra Verde | www.epatv.pt

Águas do Gerês – Hotel, Termas & SPA | solardasboucas.blogspot.pt

Águas Fastio | www.fastio.pt

Informações | vivergeres@gmail.com | 912 508 644

FAMALICÃO RECEBE ENCONTRO DE AMBIENTALISTAS

Primeiro encontro "Ação Ecológica, Transição  Sustentável e Regeneração" foi um sucesso. Iniciativa juntou mais de 35 associações ligadas à defesa do ambiente, na Devesa

Mais de 35 associações ligadas à defesa do ambiente participaram, no fim-de-semana, no encontro "Ação Ecológica, Transição Sustentável e Regeneração", que decorreu na Casa do Território, em Vila Nova de Famalicão.

DSC_0097

O evento teve como finalidade a partilha, a troca de experiências e de perspetivas das diversas coletividades ambientais, provenientes de todos os pontos do país e com trabalho realizado nesta área, de modo a conhecer-se, em profundidade e abrangência, a situação ecológica e ambiental do Noroeste de Portugal.

Apesar da maioria das aderências serem do Norte de Portugal, participaram também outras associações de âmbito nacional, como a Acréscimo, AMO Portugal- Associação Mãos à Obra, LPN - Liga para a Proteção da Natureza, Quercus e Zero. 

As Associações organizadoras, Associação Famalicão em Transição e Campo Aberto -  associação de defesa do ambiente concluíram que este evento excedeu, em larga escala, os resultados previstos. "Este encontro foi um sucesso e superou todas as expectativas",afirmou Manuela Araújo, da Associação Famalicão em Transição. A participação revelou-se elevada e "ultrapassou as fronteiras do "Norte", trazendo a Famalicão várias associações de âmbito nacional, ligadas à proteção do ambiente. A tudo isto acresce a forte motivação de todos os participantes", acrescentou.

De acordo com José Carlos Marques, da Campo Aberto -  associação de defesa do ambiente,"via-se que os participantes estavam ansiosos por falar. A vontade de comunicar era muita. Sentia-se, por vezes, que havia algum espanto por uma presença tão forte e diversificada, que muitos até então desconheceriam". Este sentimento foi unânime entre as diversas coletividades ambientais presentes no evento.

Deste evento ficou a vontade generalizada de uma ação conjunta e coordenada pela proteção dos rios, o foco no envolvimento da população e das instituições locais, assim como o debate sobre todas as questões relacionadas com os incêndios florestais, numa perspetiva de prevenção, através da defesa e promoção da floresta autóctone, da forte redução de monoculturas de eucalipto e do reforço  da vigilância florestal.

Como novidade, salienta-se a questão do papel ambíguo e perigoso que poderão vir a ter centrais de biomassa de resíduos florestais, visto a capacidade a instalar poder superar o volume de resíduos que podem ser produzidos se não houver incêndios.

Pretende-se, no futuro, que estes encontros sejam periódicos, podendo-se avançar para"eventos bienais, a realizar em locais diferentes e organizados por outras associações",como salientou Manuela Araújo.

DSC_0123

ESPOSENDE TEM A MELHOR ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

Esposende é o município do país com melhor qualidade de água para consumo

Pelo décimo ano consecutivo, a água para consumo distribuída no concelho pela Empresa Municipal Esposende Ambiente mantém o nível de excelência, conforme atesta o relatório de 2016 relativo ao “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humanos”, da ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, ontem tornado público.

agua beber (1)

O relatório refere que “Portugal mantém o nível de excelência com o indicador de água segura na ordem dos 99%, podendo garantir-se à população que pode beber água da torneira com confiança", e coloca Esposende no topo dos municípios do país com melhores indicadores, no caso 100% qualidade.

A Esposende Ambiente faz o controlo analítico da qualidade da água a partir da torneira do consumidor, através da implementação de um programa de controlo da qualidade da água, devidamente aprovado pela ERSAR.

Para além das análises à água, a partir de dezenas de pontos de amostragem, a Esposende Ambiente desenvolve um programa de controlo operacional no sistema de abastecimento, que inclui o controlo analítico de diversos parâmetros em pontos da rede de distribuição de água, distribuídos por todo o concelho, o controlo da concentração de cloro e da pressão, assim como a implementação dos procedimentos necessários à garantia da boa qualidade da água.

Neste âmbito, os resultados obtidos confirmam que a água distribuída pela empresa cumpre todos os requisitos para poder ser classificada de excelente qualidade, não se tendo verificado qualquer não conformidade, à semelhança do que vem sucedendo na última década. Tal é reflexo de um trabalho contínuo e empenhado, e sempre na vanguarda, que conta também com a colaboração da entidade multimunicipal Águas do Norte.

Os resultados estão disponíveis para consulta pública na sede da empresa, bem como na página da Internet www.esposendeambiente.pt. O relatório “Controlo da Qualidade da Água para Consumo Humanos 2016” está disponível on-line em www.ersar.pt.

De salientar que a Esposende Ambiente tem no abastecimento de água para consumo humano uma das suas principais missões, implementando uma série de procedimentos rigorosos baseados nos critérios de qualidade descritos na legislação atualmente em vigor, facto que lhe valeu, vários anos consecutivos, a atribuição do Selo de Qualidade da ERSAR.

CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DE ESPOSENDE PARTICIPA NO AQUAPORTO 2017

A Esposende Ambiente marcou presença no AquaPorto 2017, evento dedicado aos recursos hídricos, que decorreu no Parque da Cidade do Porto, nos dias 29 e 30 de setembro, numa organização da empresa Águas do Porto.

DSCF6557

Este evento decorre normalmente no primeiro fim-de-semana do mês de outubro coincidindo com a comemoração do Dia Nacional da Água, que se assinala a 1 de outubro. Esta edição integrou a Porto Water Innovation Week, uma iniciativa com a chancela da Comissão Europeia que, durante uma semana, tornou a cidade na capital europeia da água e que culminou com a assinatura da Declaração do Porto para a Agenda Urbana da Água 2030.

O AquaPorto possui uma forte vertente científica, atribuindo uma componente lúdica à aprendizagem. Música, ciência, artes plásticas e gastronomia foram algumas das áreas trabalhadas nesta quarta edição do AquaPorto, na qual participaram três dezenas de parceiros e entidades. Com um programa extenso e muito diversificado, onde se realça o cariz prático das várias iniciativas, o AquaPorto apresentou propostas para vários públicos, nomeadamente comunidade escolar, famílias e turistas.

A empresa municipal Esposende Ambiente esteve representada na tenda dedicada à ciência, um espaço onde se pode aprender a brincar com cientistas, investigadores e outros académicos, e onde o Centro de Educação Ambiental (CEA) de Esposende desenvolveu uma oficina de expressão plástica dedicada à água e aos seus habitantes.

Ao longo dos dois dias do evento passaram pelo espaço do CEA mais de 1500 visitantes que, a título individual ou em família, produziram cerca de quatro centenas de trabalhos artísticos, aliando, assim, duas temáticas ambientais relevantes: a sensibilização para a importância da biodiversidade aquática e a valorização dos resíduos através da reutilização.

DSCF6607

MUNICÍPIOS DE CAMINHA E A GUARDA PROMOVEM PERCURSO ‘ROTA DAS LAGOAS DE BERTIANDOS E SÃO PEDRO DE ARCOS’ NO DIA 7 DE OUTUBRO

Iniciativa conjunta dos municípios de Caminha e A Guarda no âmbito da candidatura do “Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO

Rota das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos’ é mais um dos percursos pedestres que os municípios de Caminha e A Guarda vão promover no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO. Este último percurso, “Andainas”, terá lugar dia 7 de outubro, pelas 07H30.

trilho_pedestre_1

Com esta iniciativa pretende-se dar a conhecer os territórios de ambas as margens do Rio Minho e promover a cooperação e o intercâmbio cultural entre os dois povos, isto é promover a riqueza histórica, cultural, paisagística, ambiental, económica, etnográfica e humana destes dois concelhos.

‘Rota das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos’ é um percurso com uma distância de 20 Km. A saída de Caminha está prevista para as 07H30, junto ao Mercado Municipal. Os participantes vão descer a encosta da Serra d’Arga, desde o Cerquido até Bertiandos, atravessando locais inseridos em plena Rede Natura, Sítio de Importância Comunitária do rio Lima. Vão também percorrer a Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro de Arcos, atravessar o Rio Estorãos, e a ecovia das Lagoas, até Ponte de Lima.

Os Municípios de Caminha e A Guarda promoveram a iniciativa “Andainas”, que consistiu na promoção de vários percursos pedestres, realizados tanto em território português como espanhol, no âmbito das iniciativas conjuntas da candidatura do Estuário do Rio Minho a Paisagem Cultural da UNESCO.

O custo de participação será de 12 euros por pessoa, para cada um dos percursos. Os dois municípios assegurarão o apoio logístico e o transporte dos participantes até aos pontos de partida e no regresso das etapas. As inscrições são obrigatórias e deverão ser realizadas para o mail ambiente@cm-caminha.pt ou para os telefones 258 721 708 ou 914 476 461.

FAMALICÃO: ENGENHO RECEBE BANDEIRA VERDE PELO QUARTO ANO CONSECUTIVO

Paulo Cunha participa na sessão do hastear da bandeira, segunda-feira, 2 de outubro, pelas 11h00

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, participa na próxima segunda-feira, dia 2 de outubro, pelas 11h00, na cerimónia do hastear da bandeira verde do programa Eco Escolas, na Engenho - Associação de Desenvolvimento Local do Vale do Este.

Engenho tem colaborado com o projeto Os nOssos Rios

A Engenho recebeu pela quarta vez consecutiva a Bandeira Verde no encontro nacional realizado, na passada sexta-feira, em Mafra. Na altura o  presidente da direção da Engenho, Manuel Augusto Araújo, considerou a atribuição deste galardão como o “reconhecimento de um compromisso assumido a favor do ambiente, da natureza, da biodiversidade e da sustentabilidade”.

Através do programa Eco Escolas, nas suas diferentes atividades, iniciativas e desafios, a Engenho, que tem como parceiro estratégico a Câmara Municipal, envolve e corresponsabiliza os seus utentes e famílias, colaboradores, entidades parceiras, autarquias locais e toda a comunidade, numa lógica de assumir o ambiente e a natureza, como um “bem comum” que urge “preservar, defender e promover de forma integrada e integradora”, adiantou ainda o responsável.

Paralelamente, e ainda como instituição amiga do ambiente, a Engenho, em articulação e com o apoio da autarquia, tem assumido um papel relevante no âmbito do projeto municipal “Os nossos rios” traduzido na adoção do Rio Guizande, que tem sido objeto de várias campanhas de limpeza do leito e das margens, monitorização do caudal, proteção do ecossistema ribeirinho, inventariação do seu património e (re) encontro da comunidade com este pequeno rio, verdadeiro marcador identitário da paisagem desta zona do concelho e território de intervenção da Engenho.

FAMALICÃO LANÇA ENCONTRO COM ENFOQUE NA PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE

Evento decorre dia 7 de outubro, na Casa do Território, na Devesa

Cerca de 35 associações e movimentos da região Norte já confirmaram a sua presença no encontro "Ação Ecológica - Transição Sustentável e Regeneração" que vai decorrer no próximo dia 7 de outubro, na Casa do Território, no Parque da Devesa. A iniciativa organizada pela Associação Famalicão em Transição e Campo Aberto, vai reunir associações, movimentos e grupos de defesa do meio ambiente e de transição do norte e de territórios vizinhos. O evento inicia-se às 9h00 e termina às 18h30.

Encontro decorre no Parque da Devesa

Entre as associações presentes destaque para a LPN - Liga para a Proteção da Natureza, a Sociedade de Ética Ambiental, a AMO Portugal- Associação Mãos à Obra, a Acréscimo, de abrangência nacional, e ainda o Núcleo de Braga da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza, entre outras.

O encontro conta com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e tem como finalidade juntar os grupos para uma partilha num espírito de colaboração e sinergia, que se focará na troca de informações, experiências e ideias relativas às dificuldades e às soluções ambientais, com vista a unir esforços, desenvolver a entreajuda e a solidariedade, por forma a contribuir para um amanhã de perenidade que supere as ameaças que hoje pendem sobre a terra, a humanidade, as espécies animais e vegetais.

Será um dia dedicado às questões ambientais. José Carlos Marques, membro da Campo Aberto - Associação de defesa do ambiente, espera deste encontro "um reforço de laços, colaboração e solidariedade entre associações, grupos e cidadãos com intervenção cívica no domínio da defesa da natureza e do ambiente, possibilitando uma maior circulação de informação entre eles."

Manuela Araújo, da Associação Famalicão em Transição, acredita que com este encontro seja possível  "conseguir passar uma mensagem de consenso para os cidadãos e o para poder político, através da Carta de Famalicão - documento em preparação a aprovar no encontro, podendo daí resultar um maior compromisso na defesa de orientações a nível do espírito e  das práticas de sustentabilidade e de proteção da natureza.”

Os resultados deste encontro serão amplamente divulgados, como contributo para um desenvolvimento sustentável, a nível ambiental, social, económico e político bem como para a época de transição que se aproxima, baseada num novo paradigma energético e económico e na regeneração dos ecossistemas urbanos e não urbanos.

PERCURSO NATURAL E ECOLÓGICO RENASCE NAS ,ARGENS DOS RIOS GUISANDE E ESTE EM FAMALICÃO

Projeto “Os Nossos Rios” já dá frutos. Mais de 5 quilómetros de caminho ribeirinho limpo e visitável

Está criado o primeiro percurso natural e ecológico nas margens dos rios Guisande e Este, nas freguesias de Arnoso Sta. Maria, Sta. Eulália e Nine, no concelho de Vila Nova de Famalicão. São mais de cinco quilómetros de caminho ribeirinho pronto para ser usufruído a pé, de bicicleta ou em corrida lado-a-lado com um património natural e ambiental de grande beleza, por entre pontes, mosteiros, açudes, vinhas e milheirais.

Percurso está rodeado de grande beleza natural e patrimonial (1)

Este é o primeiro resultado visível do projeto “Os Nossos Rios”, lançado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e a Agência Portuguesa do Ambiente, em maio de 2016, e que tem como objetivo “recuperar os antigos caminhos de pescadores, tornar os rios visitáveis e permitir à população usufruir destas magníficas paisagens, sem ferir o ecossistema existente”, como explicou o presidente da autarquia, Paulo Cunha, na altura.

Além de bastante aprazível, este percurso passa por locais tão interessantes como a Igreja de estilo românico do Mosteiro de Arnoso de Sta Eulália, fundada no século VII, pelo Açude do Romão em Nine que dá origem a dois canais de rega, e que foi mandado executar durante o reinado de Dona Maria I e ainda pelo Açude, Azenha e Ponte de Coura, ponte de sabor medieval, de nítida influência românica.

O percurso atravessa vários terrenos privados o que obrigou a autarquia a celebrar acordos de colaboração com 36 proprietários que acordaram a limpeza, manutenção e passagem pelas suas margens.

O projeto tem contado com um conjunto ações de sensibilização e educação ambiental junto dos proprietários e restante comunidade para a sua responsabilidade em cuidar das margens seguindo as boas práticas necessárias e também incentivar a comunidade a fiscalizar e preservar os rios. Da parte da autarquia tem sido também realizado um conjunto de trabalhos de requalificação das linhas de água e margens ribeirinhas.

Nesta grande ação de intervenção e educação ambiental têm participado muitos voluntários como instituições, grupos de jovens, associações ambientalistas, autarcas, biólogos, fotógrafos, escuteiros, proprietários dos terrenos ribeirinhos entre muitos outros.

“É um projeto envolvente e convocante, onde todas as pessoas e instituições são chamadas a participar”, afirma a propósito Paulo Cunha, relembrando a importância da figura dos guarda-rios. “É fundamental que as pessoas tenham o cuidado de serem zeladoras dos rios, assumindo elas próprias o papel de guarda-rios, agora num contexto de voluntariado e de responsabilidade cívica”.

E acrescenta: “Será um processo para muitos anos, que irá envolver muitas gerações de famalicenses”.

Entretanto, os trabalhos de sensibilização e limpeza das margens ribeirinhas centram-se agora no rio Este, nas freguesias do Louro e Gondifelos.

Percurso está rodeado de grande beleza natural e patrimonial (2)

Percurso está rodeado de grande beleza natural e patrimonial (3)

GUIMARÃES CANDIDATA-SE A CAPITAL VERDE EUROPEIA

A Estrutura de Missão criada pela Câmara Municipal para organizar a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020 deu esta segunda-feira por concluída a sua missão, fazendo a entrega do dossiê final de candidatura ao Presidente da Câmara Municipal.

O processo será agora tramitado na plataforma da Comissão Europeia criado para o efeito, sendo previsível que a sua submissão final demore alguns dias, em virtude da complexidade e dimensão dos ficheiros criados para essa candidatura.

Logo que termine o prazo de candidaturas, o dossiê de Guimarães será disponibilizado para consulta pública.

PONTE DE LIMA ABRAÇA O RIO LIMA

Serviço Educativo da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos promove VIII Abraço ao Rio Lima. 22 de setembro – 11h45

O Serviço Educativo das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos está a preparar mais uma edição do Abraço ao Rio Lima. Esta iniciativa, que vai já na oitava edição, tem como objetivo sensibilizar a população para a necessidade de preservação do recurso hídrico mais importante do concelho de Ponte de Lima, o Rio Lima.

abraco__vi_1_1024_2500

Este ano o Abraço ao Rio Lima realiza-se no dia 22 de setembro e conta com a parceria dos Centros Educativos do concelho de Ponte de Lima, com uma escola de Ponte da Barca e com uma delegação de Xinzio de Limia, localidade da Galiza onde nasce o Rio Lima, mais concretamente na Serra de S. Mamede, e que tem estreita ligação com Ponte de Lima quer pelo rio quer pelo nome Lima.

A VIII edição do Abraço ao Rio Lima espera, este ano, a presença de mais de 1200 participantes provenientes dos seguintes estabelecimentos escolares: E.B. 1 de Ponte de Lima, Centro Educativo da Gandra, Centro Educativo de Refoios, Centro Educativo de Ribeira, E.B. Rebordões Souto, Centro Educativo de Freixo, Centro Educativo das Lagoas, Centro Educativo de Arcozelo, Centro Educativo de Trovela, E.B. 2,3 António Feijó, Academia de Música Fernandes Fão, AAPEL (Associação dos Amigos da Pessoa especial Limiana). Participam ainda dois colégios de Xinzo de Lima, “Carlos Casares” e “Rosalía de Castro” e a Escola Básica Diogo Bernardes da Ponte da Barca.

O Abraço ao Rio Lima tem, ainda, a colaboração dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima e a, já habitual, presença do Pinchas, a mascote da Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, uma figura muito acarinhada pelos mais pequenos.

A VIII edição do Abraço ao Rio Lima, está marcada para o próximo dia 22 de setembro, com a receção aos participantes marcada para as 09h30, no novo Pavilhão de Feiras e Exposições, na Expolima, inaugurado na passada sexta-feira pelo Executivo Municipal.

O “VIII Abraço ao rio Lima” acontecerá pelas 11h45, com os participantes a estenderem-se de mãos dadas, pelas duas margens do rio, entre pontes, com a ligação pela ponte medieval. Ao sinal sonoro dos Bombeiros irão bater palmas ao nosso rio Lima.

ESPOSENDE AMBIENTE ALERTA OS ESPOSENDENSES PARA PRÁTICAS COMERCIAIS DUVIDOSAS E GARANTE QUE A ÁGUA FORNECIDA PELO SISTEMA PÚBLICO É DE "EXCELENTE QUALIDADE"

CapturarEsposende

COMUNICADO

A Esposende Ambiente – empresa gestora do sistema de abastecimento de água no concelho Esposende – após ter tomado conhecimento de que uma empresa privada está a efectuar contactos com os seus clientes, com o intuito de realizar análises à qualidade da água dentro das suas habitações, vem alertar para o facto de não estar relacionada em qualquer aspecto com a referida empresa.

Para além de condenar os meios e estratégias comerciais utilizados, que induzem claramente os clientes a supor que a qualidade da água neste concelho não é a mais adequada, a Esposende Ambiente ficará atenta, atuando judicialmente se tal se vier a justificar.

Mais ainda, esclarece que a água fornecida pelo sistema público é de excelente qualidade, não se tendo verificado qualquer inconformidade relativamente aos parâmetros de qualidade previstos na lei.

A Esposende Ambiente encontra-se disponível para prestar qualquer esclarecimento que os seus utilizadores pretendam, bem como a disponibilizar os relatórios da qualidade da água, sendo que os mesmos se encontram divulgados nos meios usuais.

DSC09544

PEOPLE4SOIL ÚLTIMA CHAMADA - TEMOS UMA SEMANA PARA CONSEGUIR UMA LEGISLAÇÃO AMIGA DOS SOLOS

UM MILHÃO DE ASSINATURAS PELA PROTEÇÃO DOS SOLOS

Obter um milhão de assinaturas para parar a ocupação e degradação do solo, é o objetivo da Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE)

Twitter_page_PT (1)

"People4Soil", que foi lançada em Setembro do ano passado e que termina no próximo dia 12 de Setembro.

O Porquê de uma legislação que proteja os solos europeus? É evidente a falta de políticas europeias e regulamentos nacionais que garantam uma proteção adequada dos solos. É também evidente o fracasso das instituições europeias na adopção e implementação de uma verdadeira política de solos, que dê garantias da proteção dos solos para as gerações vindouras.

Temos uma semana. Podemos, com as nossas assinaturas, ser capazes de trazer o solo de volta à agenda política europeia!

QUAL A IMPORTÂNCIA DO SOLO?

Construção, impermeabilização, erosão, diminuição do teor de matéria orgânica, perda de biodiversidade e contaminação estão a afetar a quantidade e qualidade do solo disponível para a sobrevivência humana.

O solo é alimento. A construção e a impermeabilização das terras na Europa são a maior ameaça para os solos férteis.

Todos os anos 1000 km2 de solo arável são cobertos por superfícies de betão e asfalto, o equivalente a cerca de 300 campos de futebol por dia.

O falhanço das instituições da UE na produção de regulamentos para a proteção e conservação dos solos é uma contradição muito embaraçosa para a União Europeia que, desde a sua fundação, prossegue o objetivo de promover e assegurar a segurança e soberania alimentares.

Hoje, milhões de hectares cultivados fora da Europa são explorados sob a forma de agricultura intensiva industrial para fornecer alimentos e forragem para o mercado europeu, muitas vezes com impactos ambientais e sociais profundos nas comunidades de agricultores locais.

O solo é o berço da biodiversidade terrestre. Além de fornecer um habitat para a biodiversidade abaixo do solo, é essencial para a sobrevivência da maioria das espécies à superfície acima do solo.

Hoje, a utilização dos solos para agricultura intensiva é uma das principais ameaças para os habitats e as espécies europeias, e estima-se que quase um terço da paisagem da Europa se encontre altamente fragmentada por edifícios e infra-estruturas.

O solo é saúde. A poluição do solo pode afetar fortemente a saúde humana, por via da contaminação dos alimentos que comemos e da água que bebemos.

Em toda a Europa quase 250.000 locais têm o solo contaminado e, apesar disso, a UE não tem qualquer programa de recuperação coerente e não tem regulamentação comum para evitar a poluição dos solos.

O solo é o nosso futuro. O solo é um elemento-chave do sistema climático, uma vez que capta enormes quantidades de carbono.

Os solos europeus contêm uma quantidade de carbono equivalente ao CO2 emitido pelos transportes, aquecimento, indústria e setor energético da Europa nos próximos 40 anos.

Solos saudáveis desempenham muitas funções essenciais na mitigação e adaptação aos efeitos das alterações climáticas, como inundações, ondas de calor e secas.

QUE DIFERENÇA PODE FAZER UMA ASSINATURA?

A Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE), ferramenta de cidadania criada pelo Tratado de Lisboa, é um pedido formal à Comissão Europeia de legislar (neste caso em matéria de proteção do solo) reunidas, pelo menos, um milhão de assinaturas, por quotas em diferentes Estados Membros da UE

Esta ECI tem de ser apoiada por pelo menos um milhão de cidadãos e cidadãs maiores de idade da UE, em pelo menos 7 Estados Membros da UE. Cabe a Portugal recolher pelo menos 15.750 assinaturas. Os interessados podem assinar a ICE através do site oficial da campanha www.people4soil.eu

A QUERCUS A.N.C.N. é a organização coordenadora em Portugal da ICE People4Soil. Outras organizações envolvidas na rede e comprometidas com esta campanha são a AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, a COPADONORDESTE - Cooperativa de produtores agrícolas, LPN - Liga para a Protecção da Natureza, OIKOS - cooperação e desenvolvimento, SPCS - Sociedade Portuguesa de Ciência do Solo e ASSOCIAÇÃO TRANSCUDANIA - Associação para a Valorização do Património Histórico e Natural do Concelho do Sabugal, LEIRAS DO CARVALHAL - Movimento de Intervenção Ambiental, Organização NETrural alimentação saudável, Rota do Guadiana ADI, PROJECTO 270, CooLabora, CASA RURAL, LABORATÓRIO DA PAISAGEM (Instituto de Investigação), CMIA - Centro de Monitorização e Investigação Ambiental, AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SÁ DE MIRANDA, ORLADESIGN (Coletividade).

AGERE UTILIZA PRODUTO AMIGO DO AMBIENTE PARA ELIMINAR ERVAS

Nova solução implementada no perímetro urbano

A Agere está a utilizar um novo produto, amigo do ambiente, para eliminar as ervas daninhas na via pública. A solução encontrada, após a entrada em vigor do decreto de lei que proíbe o uso de fitofármacos em espaços públicos, como pesticidas e herbicidas, foi o Vinagre de Álcool, um produto obtido a partir de álcool destilado pelo processo biológico da fermentação acética e que, apesar do seu odor característico, não apresenta nenhum risco específico para o meio ambiente.

CMB01092017SERGIOFREITAS0000008663

A Agere efectuou um estudo de mercado com o objectivo de encontrar soluções eficazes permitidas por lei e que não fossem prejudiciais ao meio ambiente e às pessoas.

Nesse sentido, a escolha recaiu sobre este produto fabricado a partir de líquidos orgânicos de origem agrícola, autorizado pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV).

“Uma vez que existe a proibição de uso de pesticidas em espaços públicos como jardins-infantis, parques e jardins urbanos, escolas ou hospitais, a Agere procurou um produto amigo do ambiente que nos permite controlar os efeitos sobre a saúde pública”, refere Rui Morais, administrador da empresa municipal, explicando que a demora na aplicação deste novo método de combate à vegetação infestante em espaços verdes, arruamentos e passeios se deveu a todo o processo de escolha de uma “alternativa fiável e que se revelasse eficaz”.

O produto está a ser aplicado em todo o perímetro urbano da Cidade envolvendo equipas de seis colaboradores devidamente equipados com os Equipamentos de Protecção Individual (EPI’s).

Recorde-se que a nova legislação determina que seja dada preferência a produtos fitofarmacêuticos que não contenham substâncias activas incluídas na lista de substâncias perigosas prioritárias.

VEIGAS DO RIO MINHO SÃO NOVO PERCURSO VERDE DE VALENÇA A VERDOEJO

Um novo corredor verde, as Veigas do Minho APPE, com 5,6Kms, vai nascer em Valença, junto ao rio Minho, nas freguesias de Valença, Ganfei e Verdoejo.

A candidatura, apresentada pela Câmara Municipal de Valença, ao Norte 2020 – Património Natural, já foi aprovada. Espera-se, em breve, o lançamento da obra que criará um novo corredor verde junto ao rio Minho, num investimento de 348 mil euros

unnamed

Veigas do Rio Minho

As Veigas do Rio Minho serão um percurso complementar à Ecopista do Rio Minho e pretendem aproximar esta via emblemática ao rio na parte norte do concelho. O percurso começará no Cais, em Valença, e seguirá paralelo ao rio Minho até Verdoejo com ligação à Ecopista existente. Este percurso implicará a construção de uma ponte pedonal no ribeiro que separa Ganfei de Verdoejo.

Recantos Naturais Únicos

Este percurso criará um miradouro privilegiado para o centro histórico de Tui, passará nos bancos de areia de Arinhos, seguirá em frente às ilhotas de Ganfei, com passagem pela Pesqueira dos Frades em Ganfei, Parque de Merendas de Verdoejo e em frente às ilhas de Ranhão e do Conguedo em Verdoejo, na lagoa do rio Novo em Verdoejo, ou barca dos Pepes e seguirá, entre os vinhedos, até à atual Ecopista. Recantos únicos, de rara beleza e elevado valor paisagístico e natural e ficarão acessíveis a ser visitados com percursos ordenados e enquadrados com o ambiente natural.

Potenciar o Turismo de Natureza

Este novo percurso pretende dar mais um contributo para a aposta no turismo verde em Valença, uma maior consciencialização para os valores e recursos naturais do rio Minho.

Em preparação estão, também, os processos dos cais de atracagem em São Pedro da Torre e em Ganfei.

BANDEIRA AZUL REGRESSA À PRAIA DE VILA PRAIA DE ÂNCORA

Contra-análises afastaram receios e confirmaram as condições favoráveis à prática balnear

A praia de Vila Praia de Âncora recuperou hoje a Bandeira Azul da Europa, podendo ser usufruída na sua plenitude, incluindo os banhos de mar. As contra-análises imediatamente realizadas, logo que foram conhecidos resultados menos bons, vieram hoje confirmar a qualidade da água, tendo a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) autorizado o regresso do galardão europeu de qualidade. A Bandeira será içada esta tarde.

DSC_0461

 

Na sequência de resultados provisórios, resultantes de uma colheita efetuada na água balnear da praia, na passada semana, as autoridades competentes desaconselharam temporariamente a prática balnear, atitude que tem como consequência imediata o arriar da Bandeira Azul.

A Câmara Municipal acatou a determinação superior e informou a população, iniciando imediatamente os procedimentos para que fossem realizadas contra-análises, tendo as colheitas sido feitas ainda na sexta-feira passada.

Os resultados foram conhecidos hoje de manhã, tendo a Câmara realizado todas as diligências para agilizar a parte burocrática e a consequente autorização da APA para que a Bandeira Azul voltasse a ser içada.  

Como oportunamente informamos, tratou-se de uma medida preventiva, em virtude da deteção de resultados anormais nas análises, embora a Câmara mantivesse a expectativa positiva de que a Bandeira Azul regressaria ao local onde ela pertence, como acaba de acontecer. 

Vila Praia de Âncora.jpg

ESPOSENDE É MUNICÍPIO AMIGO DO AMBIENTE

Viaturas elétricas ao serviço da Esposende Ambiente

A empresa municipal Esposende Ambiente adquiriu duas viaturas 100% elétricas para os seus serviços ambientais, nomeadamente para apoio nas áreas operacionais de limpeza urbana e fiscalização ambiental. Esta aquisição foi viabilizada pelo programa do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e insere-se na estratégia de médio prazo que pretende conferir a Esposende caraterísticas vincadas de município amigo do ambiente.

veículos elétricos.jpg

A Esposende Ambiente candidatou-se a este programa do Ministério do Ambiente para promover a aquisição de duas viaturas elétricas, uma destinada à limpeza urbana e outra para apoio a serviços ambientais, nomeadamente para a fiscalização ambiental.

A aquisição das duas viaturas teve um custo total de 51 702,27 euros e um financiamento de 24 467,36 euros, pelo programa do Fundo Ambiental, estando já disponíveis as viaturas para os serviços da empresa municipal esposendense.

A viatura para os serviços de limpeza urbana é um veículo 100% elétrico com caixa aberta basculante e com taipais elevados em rede com autonomia mínima de 70 quilómetros, equipada com sistema de lavagem a alta e baixa pressão, cuja utilização estará essencialmente vocacionada para a recolha de resíduos de papeleiras.

A segunda viatura, corresponde a um veículo comercial ligeiro de mercadorias, com dois lugares e compartimento de carga, cujo motor também é 100 % elétrico.

Sendo a componente ambiental um fator de valorização das estratégias municipais e um gerador de oportunidades, esta medida insere-se no âmbito das ações previstas no Plano Estratégico Municipal de Gestão Sustentada da Energia e no Pacto de Autarcas.

A aquisição destas viaturas constitui, para a Esposende Ambiente, um dos muitos passos dados no que diz respeito à mais sustentada gestão energética e, em concreto, à adequação da frota municipal de Esposende a este novo paradigma, substituindo viaturas movidas a combustíveis fósseis por viaturas elétricas.

CAMINHA PROMOVE PERCURSO PEDESTRE INTERPRETATIVO SOBRE O TEMA “PLANTAS DUNARES”

Iniciativa vai ter lugar em Moledo, sábado, dia 19 de agosto  

Sábado, dia 19 de agosto, vai ter lugar mais um Percurso Pedestre Interpretativo, sobre o tema “Plantas Dunares”. O local é a freguesia de Moledo e a atividade acontece pelas 14h30, sendo a participação gratuita, mas sujeita a inscrição.

Moledo dunas.jpg

Na sequência do Percurso Pedestre Interpretativo “Plantas da Orla Costeira”, que teve lugar em Vila Praia de Âncora, é a vez agora de Moledo receber uma atividade idêntica, desta vez versando sobre o tema “Plantas Dunares”. O início do percurso está marcado para as 14h30, junto ao mastro da Bandeira Azul, na praia de Moledo.

O desafio é para um passeio diferente, cuja participação, como referimos, é gratuita. No entanto, a inscrição é obrigatória e pode ser feita através do endereço de email: cisa@cm-caminha.pt

A organização é da Câmara Municipal de Caminha em parceria com Carlos Venade.

Estas atividades têm como objetivo a realização de um percursos pedestres interpretativos, sobre plantas da orla costeira e inserem-se na programação da Bandeira Azul. Sob orientação de Carlos Venade, os participantes têm oportunidade de aprender a identificar espécies da orla costeira e caraterizar o seu potencial.

PAN QUESTIONA MINISTÉRIO DA SAÚDE SOBRE A DEMORA NA DECISÃO DA COMPARTICIPAÇÃO DOS NOVOS MEDICAMENTOS PARA VIH/SIDA

·         Novos medicamentos a aguardar decisão não despoletam, alegadamente, efeitos secundários significativamente adversos

·         Esta substituição integraria os parâmetros terapêuticos internacionais

·         Em Espanha já são comparticipados há mais de um ano

·         Em Portugal, o pedido de comparticipação foi efetivado há mais de um ano

·        ​Especialistas defendem que a comparticipação representaria uma poupança anual para o Serviço Nacional de Saúde de cerca de 24 milhões de euros

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza questionou hoje o ministério da saúde acerca da demora na decisão acerca da comparticipação por parte do Estado dos novos medicamentos para VIH/SIDA.

De acordo com a informação veiculada recentemente por um órgão de comunicação social existem três medicamentos indicados para o tratamento da infeção pelo VIH/SIDA a aguardar por decisão de comparticipação por parte do Estado. Os medicamentos em causa apresentam em comum a substância tenofovir alafenamide, (TAF), sendo que estes são aptos a substituir um outro medicamento da mesma família terapêutica - o Tenofovir Disoproxil Fumarate (TDF). A questão relevante prende-se com o facto de o produto inovador sucedâneo não despoletar efeitos secundários significativamente adversos (especialmente a nível renal e ósseo) ao contrário que acontece com o medicamento que está a ser utilizado.

Os novos medicamentos, caso passem a ser comparticipados apresentarão o condão de substituir a medicação atualmente ministrada a milhares de doentes, mantendo o mesmo esquema posológico assente numa toma única diária mas que incrementa um nível superior de adesão à terapêutica por parte dos doentes, afigurando-se este como um elemento indispensável ao sucesso do tratamento desta infeção.

A substituição aflorada integra os parâmetros terapêuticos internacionais em toda a Europa Ocidental e em alguns países da Europa de Leste, onde, por norma, este tipo de inovações é mais tardiamente implementada – a título de exemplo, em Espanha, estes medicamentos já são comparticipados há mais de um ano, enquanto em Portugal, o pedido de comparticipação foi efetivado há mais de um ano, ainda aguardando decisão do Ministério da Saúde.

A presente delonga na decisão de comparticipação carece de compreensão, até porque especialistas defendem que a comparticipação destes medicamentos reduziria em 10% a fatura global do Serviço Nacional de Saúde com antirretrovirais, o que desembocaria numa poupança anual de cerca de 24 milhões de euros.

Face a uma alegada conjuntura tão vantajosa o PAN ficará a aguardar a resposta deste Ministério sobre a razão pela qual ainda não foi aprovada a comparticipação por parte do Estado destes medicamentos.

ESPOSENDE ALERTA PARA AS CONSEQUÊNCIAS AMBIENTAIS DOS RESÍDUOS DE PLÁSTICO NOS OCEANOS

Esposende recebe Exposição “Mar de Plástico” de 14 de julho a 15 de setembro

No âmbito do programa das Oficinas de Férias, do Centro Educação Ambiental - Verão 2017, encontra-se patente a exposição itinerante “Mar de Plástico”. Destinada a alertar a população para os graves problemas gerados pelos resíduos de plástico no oceano, a exposição é organizada pela Campanha Ocean Action do CIIMAR (Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental – Universidade do Porto) e estará patente até 15 de setembro, no Centro de Acolhimento do Centro de Educação Ambiental.

MarPlastico (2).JPG

Estima-se que mais de 8 milhões de toneladas de plástico vão parar todos os anos ao oceano, levados pelos ventos, esgotos, rios e chuvas, ou deitados diretamente nas praias ou no mar. A maior parte deste plástico vai parar aos fundos marinhos, enquanto o restante fica a flutuar ou é trazido de volta para as praias. Este plástico causa graves consequências nos animais marinhos, que podem morrer ao ingeri-lo ou por ficarem presos nos detritos. Além disso, os plásticos apresentam alta durabilidade e vão-se apenas partindo em partículas cada vez mais pequenas devido à ação do sol. Estes microplásticos absorvem grande quantidade de contaminantes da água e podem ser facilmente ingeridos pelo zooplâncton e por pequenos peixes, iniciando uma corrente de acumulação de contaminantes ao longo da cadeia alimentar, que pode acabar no nosso prato.

Na exposição “Mar de Plástico” os visitantes são convidados a atravessar um corredor de objetos de plástico, que permite percecionarem o efeito opressivo da acumulação do plástico no meio marinho. A exposição também integra um supermercado de plástico constituído por uma infinidade de objetos de uso diário, recolhidos durante ações de limpeza de praias, realizadas no âmbito da campanha Ocean Action, etiquetados não com as respetivas datas de validade, mas com o tempo de vida esperado de cada objeto no mar, o qual pode alcançar em alguns casos as largas centenas ou milhares de anos.

A exposição apresenta ainda uma mostra de trabalhos premiados no concurso “Poluição do Oceano”, organizado para escolas a nível nacional, nas modalidades reciclarte, cartaz de sensibilização, fotorreportagem e infografia.

Segundo José Teixeira, coordenador da Campanha Ocean Action, “a exposição recorre ao uso da arte e a diferentes ferramentas de comunicação com forte impacto visual para atrair a atenção da sociedade para o problema do lixo marinho e alertar assim para a necessidade da adoção de comportamentos ambientalmente responsáveis pela população”.

A exposição pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h30. As IPSS’s, associações e grupos interessados podem igualmente participar na oficina “Reutilizar o lixo marinho” relacionada com a temática da exposição, devendo para isso consultar o programa próprio que se encontra disponível em www.esposendeambiente.pt e inscrever-se em cea@esposendeambiente.pt

MarPlastico.JPG

DSCF5979.JPG

DSCF5986.JPG