Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

CRIANÇAS DE ESPOSENDE SÃO HERÓIS DA FRUTA

Município de Esposende promoveu Festa dos Heróis da Fruta

A Festa dos Heróis da Fruta, que decorreu no passado dia 19 de junho, no Pavilhão da Escola Básica de Esposende, assinalou a conclusão, neste ano letivo, do projeto “Heróis da Fruta: Lanche Escolar Saudável”.

IMG_3151.JPG

No âmbito da parceria estabelecida entre o Município de Esposende e a Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil, e integrado no Plano Municipal de Promoção da Saúde, o projeto envolveu cerca de 600 crianças dos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo do ensino básico do concelho.

Este projeto, ao qual a Câmara Municipal de Esposende aderiu desde a primeira hora, pretende motivar as crianças entre os 2 e os 10 anos a adotar e a manter hábitos saudáveis na sua rotina diária, nomeadamente no que se refere ao consumo de fruta.

IMG_3138.JPG

Ao longo de todo o ano letivo, o Município proporcionou, a par da estrutura de funcionamento do projeto, um conjunto de outras atividades adicionais, com vista ao reforço da motivação das crianças para a ingestão diária da fruta. Assim, e com a colaboração da Escola Profissional de Esposende, as turmas do 3.º ano participaram, de forma direta e ativa, em atividades lúdicas, nomeadamente na confeção de espetadas, batidos e cocktails de fruta. Por sua vez, as crianças dos jardins-de-infância participaram numa atividade criada especificamente para esta faixa etária, que envolveu um conjunto de jogos e outras iniciativas que visaram também estimular os seus sentidos e consciencializar para uma escolha saudável no que se refere à sua alimentação. Em parceria com a Associação 5 ao Dia, os alunos do concelho que frequentam o 4.º ano de escolaridade visitaram o Mercado Abastecedor de Braga (MARB). Os alunos do 1.º e 2.º ano de escolaridade participaram na PROVA dos 5, uma atividade organizada em parceria com a SONAE que sensibiliza as crianças, através de diversos jogos e brincadeira, para a importância de comer fruta diariamente.

IMG_3110.JPG

A Festa dos Heróis da Fruta proporcionou a todas as crianças o reconhecimento do seu esforço e comprometimento diário no consumo de fruta, sendo atribuída a cada uma o diploma de Herói da Fruta. Tratou-se de uma experiência marcante para todas as crianças, uma vez que puderam conhecer as mascotes do projeto, bem como pular, dançar e saltar ao som das músicas que o integram. No final, cada criança recebeu ainda uma peça de fruta oferecida pelo supermercado JAJU.

A receita "mágica" dos Heróis da Fruta combina conteúdos pedagógicos com uma linguagem divertida, personagens únicas que promovem exemplos positivos e desafios capazes de manter as crianças motivadas para a adoção de hábitos saudáveis. Considerando o baixo consumo de fruta por parte das crianças e os consequentes efeitos negativos para a sua saúde, o Município de Esposende tem vindo a associar-se, assim, à Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil na dinamização e implementação deste projeto, contribuindo para o desenvolvimento saudável das crianças do concelho.

_MG_3201.JPG

_MG_3236.JPG

JOVENS TERRABOURENSES APRENDEM IMPORTÂNCIA DA ÁGUA NOS ALIMENTOS

Workshop em Terras de Bouro sobre “A água como um dos constituintes dos alimentos que consumimos – confeção de sopa”

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro realizou, no dia 13 de junho, um workshop sobre “A água como um dos constituintes dos alimentos que consumimos” para alunos do 1.º Ano do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro.

IMG_1652_Copy.jpg

Com a realização desta atividade que faz parte da área de projeto definida para o ano escolar 2016/2017, pretendeu-se: demonstrar às crianças que a água não existe apenas no seu estado puro, podendo ser encontrada também, por exemplo nos alimentos que se consomem, como no caso dos legumes; demonstrar que a quantidade de água presente nos alimentos varia de alimento para alimento; fazer as crianças compreender a importância da água para a manutenção da vida humana; incutir nas crianças a adoção de estilos de vida saudáveis.

As crianças assistiram também à confeção de uma sopa saudável com alguns vegetais que foram colhidos de uma pequena horta plantada na escola pelos próprios alunos. Enquanto aguardavam que a sopa ficasse pronta, o nutricionista do Centro Municipal de Valências explicou às crianças que a água também entra na constituição dos alimentos, variando a sua percentagem de alimento para alimento. No final todas as crianças foram convidadas a provar a sopa que ajudaram a confecionar.

Estas atividades para além da componente educativa que têm procuram também incutir nas crianças a adoção de estilos de vida saudáveis, fazendo-as compreender que comer determinados alimentos não tem que ser necessariamente uma obrigação, mas sim uma satisfação.

IMG_1657_Copy.jpg

IMG_1664_Copy.jpg

IMG_1666_Copy.jpg

IMG_1668_Copy.jpg

IMG_1671_Copy.jpg

IMG_1684_Copy.jpg

IMG_1694_Copy.jpg

IMG_1700_Copy.jpg

IMG_1721_Copy.jpg

IMG_1753_Copy.jpg

ALUNOS DE TERRAS DE BOURO DESCOBREM A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA NA ALIMENTAÇÃO

Alunos do 1.º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro em atividade sobre “A importância da água na nossa alimentação – água contida na fruta”

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro realizou, no dia 12 de junho, um workshop sobre “A importância da água na nossa alimentação” para os alunos do 1.º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro.

CAPAalibour.jpg

Com a realização desta atividade, que faz parte da área de projeto definida para o ano escolar 2016/2017, pretendeu-se: sensibilizar as crianças para a importância de beber água ao longo do dia; referir a importância da água tanto na produção como na confeção dos próprios alimentos; relacionar o consumo do peixe com a água (os peixes necessitam de água para viver e nós necessitamos do peixe na nossa alimentação); demonstrar que uma grande parte do nosso corpo é constituída por água e, por fim, enfatizar a importância da água para a manutenção da vida na terra.

Na parte inicial, os técnicos do centro municipal de valências efetuaram uma breve abordagem sobre a temática e de seguida procedeu-se à confeção de batidos de fruta com a ajuda das crianças. Mais uma forma lúdica de demonstrar às crianças a importância que a água e a fruta tem na sua alimentação e consequentemente na sua saúde.

No final foi distribuído pelas crianças um folheto educativo relacionado com a temática abordada e todos tiveram direito a um certificado de participação.

IMG_1555_Copy.jpg

IMG_1560_Copy.jpg

IMG_1563_Copy.jpg

IMG_1571_Copy.jpg

IMG_1582_Copy.jpg

IMG_1601_Copy.jpg

IMG_1636_Copy.jpg

BARCELOS DÁ FORMAÇÃO A AUXILIARES DE ACÇÃO EDUCATIVA NA ÁREA DE ALIMENTAÇÃO

Oitenta auxiliares de ação educativa recebem formação sobre alimentação e interação comportamental em ambiente escolar

Chef Hélio Loureiro, ex-chef da seleção nacional,  deu  dicas de confeção de pratos saudáveis

O auditório da Câmara Municipal de Barcelos recebeu, ao longo do dia de ontem, dia 5 de abril, uma formação destinada a tarefeiras, auxiliares de ação educativa, empregadas de refeitório e cozinheiras, subordinada ao tema “Alimentação e Interação comportamental em ambiente escolar”.

Formação.JPG

Durante a manhã, a formação foi dedicada às estratégias de interação na infância e ministrada pela  psicóloga Alice Ferreira Pinto, que deu a conhecer estratégias de interação com as crianças e apresentou exemplos de como agir perante determinados comportamentos.

O workshop da parte da tarde foi com o Chef Hélio Loureiro, ex-chef da seleção, do Futebol Clube do Porto, e de vários hotéis de luxo, e esteve mais direcionado para as técnicas de apoio ao refeitório e cozinheiras. Na sua apresentação, o chef quis passar a mensagem de que, como em qualquer profissão, as tarefas não devem ser feitas de forma mecânica, mas sim com amor.  Para ele, cozinhar é" dar algo de nós aos outros”. Salientou ainda que “são as memórias do que comemos na infância que nos alimentam a vida” e na saúde das crianças e nas memórias que estas vão guardar para a vida.

AQUAMUSEU DO RIO MINHO COLABORA COM CIIMAR NO PROJETO ECOSERVICES

Até 31 de dezembro de 2018, o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) está a desenvolver o projeto INNOVMAR e, para o qual, conta com a colaboração do Aquamuseu do Rio Minho numa das linhas de investigação, o ECOSERVICES.

corbicula2.jpg

O objetivo geral do ECOSERVICES passa pela avaliação da qualidade ambiental, da vulnerabilidade e dos riscos para a gestão sustentável dos recursos naturais e dos serviços dos ecossistemas da costa Noroeste. No caso específico do rio Minho, a colaboração do Aquamuseu diz respeito ao trabalho de investigação que pretende avaliar o impacto do bivalve exótico, como por exemplo a amêijoa asiática, sobre espécies residentes e com importância ecológica e económica, nomeadamente a solha.

O projeto mais abrangente, INNOVMAR, tem a duração de três anos e recebeu um financiamento de 4.2 milhões de euros.

De sublinhar que a espécie invasora em causa (o bivalve exótico Corbiculafluminea) é altamente resistente, reproduz-se duas vezes por ano e têm uma capacidade de adaptação ambiental e alimentar elevada. Por isso, quando introduzida num novo local, competem com os organismos já existentes pelo habitat e pelo alimento. Vários quilómetros do Rio Minho estão colonizados pela amêijoa asiática que se adaptou às condições e ocupou o espaço, eliminando parcialmente as outras espécies de moluscos.

TERRAS DE BOURO REALIZA WORKSHOP SOBRE “A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA NA NOSSA ALIMENTAÇÃO”

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro promoveu no dia 13 de março, um Workshop sobre “A importância da água na nossa alimentação” para alunos do 1.º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro.

IMG_9074-Copy.jpg

Com a realização desta atividade, que faz parte da área de projeto definida para o ano escolar 2016/2017, pretendeu-se: sensibilizar as crianças para a importância de beber água ao longo do dia; referir a importância da água tanto na produção como na confeção dos próprios alimentos; relacionar o consumo do peixe com a água (os peixes necessitam de água para viver e nós necessitamos do peixe na nossa alimentação); demonstrar que uma grande parte do nosso corpo é constituída por água e, por fim, enfatizar a importância da água para a manutenção da vida na terra.

Na parte inicial do workshop, os técnicos do centro municipal efetuaram uma breve abordagem sobre a temática e de seguida procedeu-se à confeção de batidos de fruta com a ajuda das crianças. Mais uma forma lúdica de demonstrar a importância que a água e a fruta tem na alimentação e consequentemente na saúde.

No final da atividade foi distribuído pelas crianças um folheto educativo relacionado com a temática abordada e todos tiveram direito a um certificado de participação.

IMG_9083-Copy.jpg

IMG_9091-Copy.jpg

IMG_9097-Copy.jpg

IMG_9104-Copy.jpg

PAN DEFENDE O DIREITO À INFORMAÇÃO SOBRE O CONSUMO DE OGM EM TODA A CADEIA ALIMENTAR

  • Lacuna na lei no que diz respeito ao consumo de carne, leite e ovos cujos animais são alimentados com rações à base de OGM
  • Independentemente das crenças em relação à produção e consumo de OGM os consumidores têm o direito à informação
  • Este direito é fundamental para escolhas conscientes e consumo informado

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza leva amanhã a debate um projeto de lei que pretende reforçar os direitos dos consumidores no que diz respeito ao consumo de bens alimentares. A legislação alimentar refere que, para prevenir todas as práticas que possam induzir o consumidor em erro, é importante garantir a segurança jurídica e reduzir a carga administrativa, e, por outro lado, os interesses dos cidadãos, ao prever a obrigatoriedade de rótulos claros, compreensíveis e legíveis para os alimentos.

Também a Comunidade Europeia considerou este tema suficientemente importante para o incluir no Tratado da Comunidade Europeia, que defende que a União Europeia deve ter em conta os interesses dos consumidores, contribuindo para a proteção da saúde, da segurança e dos interesses económicos destes.

O PAN entende que está a ser ocultada informação aos consumidores uma vez que há claramente uma lacuna na lei no que diz respeito ao consumo de carne, leite e ovos cujos animais foram alimentados com rações que contenham organismos geneticamente modificados (OGM).

No mês passado, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica anunciou que registou em 2015 um aumento de inconformidades nas amostras de géneros alimentares recolhidas, na sua maioria relacionadas com a rotulagem, o que coloca o debate deste tema na ordem do dia.

A questão da produção alimentar com recurso a OGM continua envolta em controvérsia, nomeadamente devido à discussão sobre a perigosidade ou não do consumo dos mesmos. No entanto, o PAN defende que, independentemente das crenças em relação à produção e consumo de OGM, os consumidores têm acima de tudo o direito à informação quando sejam introduzidos na cadeia alimentar e no mercado produtos que contenham ou sejam constituídos por OGM, conforme indica a própria Diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho de Março de 2001, invocando o princípio da precaução e aspetos éticos.

Segundo a referida Diretiva, para que não se verifiquem dúvidas junto dos consumidores, os produtos que contenham ou sejam constituídos por OGM devem ser identificados de forma adequada, devendo ter inscrita a expressão «este produto contém organismos geneticamente modificados», a qual deve constar de forma clara no rótulo ou no documento de acompanhamento. O PAN questiona precisamente qual o sentido de obrigar a que a rotulagem dos alimentos para animais de produção que contenham OGM esteja sinalizada se essa informação nunca chegará ao consumidor final.

O que está em causa é que a informação sobre os OGM introduzidos na cadeia alimentar através das rações dos animais não chega a quem mais interessa: o consumidor final. Este “detalhe” é relevante pois o consumidor de carne, leite e ovos ou outro alimento de origem animal não sabe que está a consumir um bem em que os OGM fazem parte da cadeia alimentar e esse pode ser um fator determinante para uma escolha consciente.

Nem os aspetos éticos nem o princípio da precaução devem ser desprezados quando se discute o direito à informação. Atendendo também ao facto de ser um imperativo comunitário que a informação relativa a OGM deva constar em todas as fases de colocação de produtos no mercado, o partido acredita que essa obrigatoriedade se impõe também para a rotulagem de produtos de origem animal que tenham sido alimentados com géneros alimentícios que contenham OGM, só assim se concretizando verdadeiramente o direito de informação preconizado em todos os diplomas legais, nacionais e comunitários.

PAREDES DE COURA ADERE À DIETA VEGETARIANA

Paredes de Coura projeta o futuro com pratos vegetarianos desde o ensino primário

Paredes de Coura mais uma vez provou que está na primeira linha dos municípios que melhor projetam o futuro, sublinhado pela recente aprovação em Assembleia da República para que todas as cantinas públicas disponham nas suas ementas de um prato que não contenha quaisquer produtos de origem animal.

17274181_1499054810105400_869191011_n.jpg

O município que acolhe o Congresso Internacional Paredes de Coura Vegetariana, com nomes da área do conhecimento, parlamentares, provedores dos animais, entre outros, e cuja 3ª edição decorrerá a 9 e 10 de setembro, conta sempre em projetos como o Congresso Vegetariano ou o mais recente Green Weekend com uma forte ligação às escolas.

Em Paredes de Coura as escolhas alimentares e o respeito pelo ambiente são considerados estruturantes no projeto educativo. Além disso, o envolvimento das instituições e da comunidade reforça esta política que se baseia no respeito pela diversidade, o verdadeiro espírito do… ‘Coura sem Paredes’

http://www.courasemparedes.com/copia-mgi-coutier

É partindo deste princípio, que Paredes de Coura tem desde o ensino primário a preocupação por proporcionar alternativas saudáveis e que tenham em atenção a sustentabilidade do planeta.

De 15 em 15 dias os alunos do ensino primário têm na sua ementa um prato cuja confeção não contém quaisquer produtos de origem animal, da mesma forma que é proporcionado um lanche saudável no pré-escolar e 1º ciclo, com promoção dos produtos locais, como por exemplo o pão de cereais com queijo vegan ou compota de produtores locais.

As crianças vegetarianas também dispõem de uma ementa adaptada nas escolas do concelho – a escola profissional EPRAMI dispõe diariamente de uma alternativa vegetariana --, da mesma forma que são ministrados ‘workshops’ de cozinha vegetariana, bem como visitas de estudo à Quinta das Águias – um verdadeiro hino à biodiversidade, na freguesia de Rubiães --, onde também lhes é dado um lanche vegetariano. Acresce que em todo este processo está contemplada a formação aos cozinheiros das escolas e produtores locais, que retribuem com novas apostas ao nível de enchidos vegetarianos, queijo vegan, biscoitos vegan ou sem glúten e até sabonetes naturais.

Esta opção da autarquia courense é complementada com iniciativas como a Feira de Troca de Sementes, inserida no ‘Projeto Educar para o Futuro – Terra’ e orientado pelo Serviço Educativo do Município, em parceria com o Agrupamento de Escolas e com a Associação Quinta das Águias. Nesse sentido, os alunos do 5º e 6º anos realizam várias atividades tais como: a apresentação do Banco de Germoplasma, o banco nacional de preservação de sementes; o projeto da bolota, com diferentes fases, desde a sua recolha, secagem e moagem de forma a transformá-las em farinha para preparação de pão, biscoitos, hamburguers e também o processo de germinação das bolotas na estufa do Município, dando origem a jovens carvalhos para sua posterior plantação na floresta, contribuindo desta forma para a reflorestação com árvores autóctones.

Ainda no âmbito deste projeto que envolve os alunos em todas as atividades, está em execução a horta biológica, um jardim de ervas e flores comestíveis, bem como um pomar com árvores e arbustos de frutos. Os alunos são envolvidos em todas as etapas, desde o semear e plantar, ao cuidar e finalmente o colher e preservar para futura utilização ao nível de alimentação e para no ano seguinte "lançar à Terra".

Município aderiu ao Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana

Com o objetivo de providenciar uma “alimentação economicamente acessível e saudável a todas as pessoas”, a autarquia courense também se compromete a implementar coerentes políticas e programas municipais relacionados com a alimentação, como consta da sua adesão ao Pacto de Milão sobre Política de Alimentação Urbana, em 2015.

Mais recentemente, como que preparando a abordagem à última edição do Congresso Internacional Paredes de Coura Vegetariana, teve lugar nesta vila no coração do Alto Minho a primeira edição ‘Green Weekend’, em que se procurou partilhar experiências sobre um estilo de vida sustentável, para quem uma atitude ‘eco friendly’ se torna urgente como forma de preservar a natureza e o planeta para as futuras gerações.   

Já o Congresso Internacional Paredes de Coura Vegetariana, que reúne nomes da área do conhecimento, parlamentares e provedores dos animais, entre outros, tem como ponto de partida o facto de as nossas escolhas alimentares terem um impacte muito forte na nossa saúde, no meio ambiente, na economia e no bem-estar animal. Ao escolhermos o que vamos comer, estamos a escolher também entre o continuar a destruir o planeta ou preservá-lo; entre provocar sofrimento e morte a inúmeros animais ou respeitar o seu direito a viver, livres de sofrimento. 

Aliás, em sucessivas iniciativas promovidas pelo Município, o prato alternativo de comida vegetariana está sempre disponível, como também vem acontecendo, como por exemplo, com o tradicional Jantar de Natal oferecido pelo Município de Paredes de Coura aos seus colaboradores.

Num outro âmbito, a comunidade também está organizada em clubes que regularmente se reúnem para degustar novos pratos vegetarianos, cozinhar e partilhar receitas. E até nos jantares para a recolha de donativos de apoio aos bombeiros voluntários, a ementa também consta de um prato vegetariano alternativo.

17274628_1499050536772494_2065551832_n.jpg

“HERÓIS DA FRUTA” VENCEM PRÉMIO CINCO ESTRELAS 2017

A lancheira solidária "Heróis da Fruta - Missão 1 Quilo de Ajuda" lançada pela APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil em parceria com a Fruut acaba de ser distinguida com o Prémio Cinco Estrelas 2017, na categoria Alimentação Infantil, com um nível de satisfação global de 77,7%, de acordo com a classificação atribuída por 3204 consumidores.

heroisdafrut.jpg

Com a atribuição deste prémio, o projeto "Heróis da Fruta" afirma-se assim entre as marcas portuguesas que se destacam pela sua excelência na relação de confiança e no caráter inovador e solidário que tem junto das crianças e das respetivas famílias.

Mário Silva, Presidente da APCOI comentou que "receber o Prémio Cinco Estrelas representa a merecida consagração para esta parceria da APCOI com a Fruut que surgiu integrada no projeto escolar «Heróis da Fruta», atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde em Portugal e foi criada com o objetivo de promover a inclusão social e o reforço nutricional dos alunos mais carenciados do país, uma vez que por cada lancheira vendida 5% do valor reverte para o fundo social «Missão 1 Quilo de Ajuda» que beneficia alunos carenciados através da oferta gratuita semanal de cabazes de fruta em várias escolas de diferentes regiões".

No ano letivo 2015/2016 este projeto beneficiou semanalmente 207 crianças, principalmente alunos de escalão A e B de Ação Social Escolar que por razões financeiras não levaram lanche para a escola, tendo no entanto registado no total 2.263 candidatos a este apoio, entre os quais, casos urgentes de alunos que chegam à sala de aula de barriga vazia, ou seja, que também não tinham tomado o pequeno-almoço.

Sobre o Projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável»

Depois do sucesso das edições anteriores que envolveram no total 236.227 alunos, no ano letivo 2016/2017 participam no projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável», 53.399 alunos, de 2.665 turmas, de 900 jardins de infância e escolas básicas do 1º ciclo de todos os distritos do país, incluindo as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» é atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde de âmbito nacional, com uma das maiores taxas de sucesso de sempre em reeducação alimentar infantil em Portugal: está estatísticamente comprovado que a aplicação do modelo pedagógico dos «Heróis da Fruta» aumenta em pelo menos 42% o consumo de fruta diário das crianças que nele participam. Além do incentivo ao consumo de fruta nas quantidades recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» leva também às crianças lições importantes sobre alimentação saudável, higiene oral, atividade física, economia e poupança, respeito pelo ambiente e bem-estar emocional, que as ajudam a crescer saudáveis, ativas e felizes. Site oficial do projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável»: www.heroisdafruta.com

Sobre o Prémio Cinco Estrelas

O Prémio Cinco Estrelas utiliza a metodologia mais completa e rigorosa do mercado, aplicando diferentes técnicas de recolha de informação, de acordo com os diferentes produtos e serviços e com o perfil do seu público-alvo. Avalia ainda comportamentos e decisões de compra em situações reais de consumo e utilização. Mais informação em: http://www.cinco-estrelas.pt/

PARLAMENTO VOTA PROPOSTA DO PAN PARA OPÇAO VEGETARIANA NAS CANTINAS PÚBICAS

  • Assegura que todos possam alimentar-se sem qualquer tipo de discriminação
  • Prazo de seis meses para as administrações das cantinas se adaptarem
  • Esta opção tem comprovados benefícios para a saúde e reduzido impacto ambiental

Na próxima Quarta- Feira, dia 1 de Março, é votado na Comissão de Agricultura e Mar o texto final da lei que pede a inclusão de uma opção vegetariana em todas as cantinas públicas. A votação global final em plenário deverá ocorrer esta sexta-feira. Um projeto-lei agendado pelo PAN - Pessoas-Animais-Natureza assente em motivações de saúde, éticas, ambientais, pedagógicas e que pede mais inclusão, que foi seguido por propostas do BE e do PEV, tendo baixado à Comissão sem votação em Junho do ano passado.

Durante o debate a maioria parlamentar concordou com a “liberdade de escolha na alimentação” pelo que, analisadas e asseguradas as questões de operacionalidade e aplicabilidade da lei, a proposta pode reunir uma maioria consensual no parlamento. Esta mudança representa a vontade de muitos portugueses que, por opção ou necessidade, seguem regimes de alimentação que diferem da norma, nomeadamente uma alimentação vegetariana, patente também na petição “Petição pela inclusão de opções vegetarianas nas escolas, universidades e hospitais portugueses” que recolheu cerca de 15.000 assinaturas recolhidas, tendo sido validadas e entregues cerca de 12.000, e que foi discutida em plenário em Junho do ano passado.

A presente lei aplica-se às cantinas e refeitórios que façam parte da Administração do Estado, nomeadamente hospitais, escolas, universidades ou estabelecimentos prisionais, entre outros. Isto significa que estas cantinas deverão passar a ter diariamente uma opção vegetariana, portanto, sem quaisquer produtos de origem animal. Sendo que, nos casos em que não haja procura, por forma a evitar o desperdício alimentar, pode ser instituído um regime de inscrição prévia para quem pretender prato vegetariano. As entidades que façam administração direta das cantinas dispõem de um prazo de seis meses para se adaptarem e as restantes podem aguardar até ao final da execução do contrato que esteja em vigor devendo incluir a obrigação de fornecimento de opção vegetariana nos cadernos de encargos dos novos procedimento e contratos a celebrar.

Esta lei vem também travar a discriminação das pessoas que já seguem esta dieta mas que dificilmente conseguem fazer uma refeição fora das suas casas. Esta questão torna-se especialmente relevante quando se tratam de crianças e jovens, que são também cada vez mais a seguir este tipo de alimentação e sentem-se muitas vezes discriminados nas escolas, pelos colegas, professores, auxiliares, por comerem comida diferente, necessariamente trazida de casa. Com a introdução desta opção nas escolas, essa discriminação deixa de existir e as restantes pessoas passam a encarar este tipo de alimentação com normalidade.

Para além do evidente impacto que a indústria da produção tem na vida dos animais e dos comprovados benefícios que uma dieta sem produtos de origem animal tem na saúde, esta escolha possibilita uma redução dos impactos ambientais contribuindo para padrões elevados de segurança alimentar e de saúde das gerações futuras. Segundo a Direção Geral de Saúde (DGS), as dietas vegetarianas têm benefícios importantes e mensuráveis, tais como a redução da prevalência de doença oncológica, obesidade, doença cardiovascular, hiperlipidemias, hipertensão, diabetes, assim como aumento da longevidade. A DGS publicou também um documento onde atesta que é totalmente exequível oferecer refeições vegetarianas a crianças, quer do ponto de vista nutricional, quer do ponto de vista económico e operacional.

A ONU, através do relatório do Painel Internacional de gestão de recursos sustentáveis do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP), desaconselha o consumo de produtos de origem animal, referindo mesmo que “Espera-se que os impactos da agricultura cresçam substancialmente devido ao crescimento da população e do consumo de produtos de origem animal. Ao contrário do que ocorre com os combustíveis fósseis, é difícil procurar por alternativas: as pessoas têm que comer. Uma redução substancial nos impactos somente seria possível com uma mudança substancial na alimentação. Eliminando produtos de origem animal.”

Muitas crianças e jovens, nas escolas onde se formam enquanto cidadãos, veem vedada a sua liberdade de escolha na burocracia da lei que, ao não prever opções, tem criado diversos obstáculos que as excluem. Temos tido até agora um Estado que nos impõe uma dieta padronizada. Os indicadores são claros a vários níveis, para além dos vários benefícios que mudanças graduais nos hábitos alimentares nos podem trazer, a opção que propomos é técnica, económica e nutritivamente possível”, reforça André Silva, Deputado do PAN. 

CELORICO DE BASTO VOLTA A PARTICIPAR NO CONCURSSO “HERÓIS DA FRUTA”

O jardim de Infância de Pedroso – Rego e o Jardim de Infância de Assento – Ribas voltaram a participar no Concurso “Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável” da APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil, que procura incentivar as crianças e adultos a uma alimentação saudável.

_DSC4794.jpg

O concurso decorre pelo 6º ano consecutivo e visa a criação de um Hino da Fruta por cada jardim concorrente e o cumprimento de uma série de regras inerentes ao próprio concurso. Neste momento, os Hinos estão em fase de votação pública no site www.heroisdafruta.com, até ao dia 10 de março, mais propriamente em http://www.apcoi.pt/heroisdafruta6/web/hinodafruta/?fs=&idhino=718 e em http://www.apcoi.pt/heroisdafruta6/web/hinodafruta/?fs=&idhino=719. Estes hinos, letra e música, foram criados pelo professor de Educação Musical dos Jardins de Infância participantes, João Ameixa.

“Esta necessidade de reeducar as crianças para hábitos saudáveis é crucial numa sociedade sem tempo para comer bem. As crianças devem ser ensinadas a ter uma alimentação variada e equilibrada fundamental para a manutenção da saúde e devem orgulhar-se desse comportamento saudável que os tornará adultos saudáveis” disse o vereador da cultura do Município de Celorico de Basto, Fernando Peixoto.

De facto, trata-se de um projeto motivacional desenhado para as escolas do 1º ciclo e jardins-de-infância, que visa incentivar as crianças a ingerir fruta todos os dias, na escola e em casa, conhecer a importância da fruta na alimentação e manutenção da saúde, e despertar a comunidade para a todos os benefícios da adoção de pequenas mudanças nos hábitos alimentares diários.

Atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde de âmbito nacional, com uma das maiores taxas de sucesso de sempre em reeducação alimentar infantil em Portugal: está estatisticamente comprovado que a aplicação do modelo pedagógico dos «Heróis da Fruta» aumenta em pelo menos 42% o consumo de fruta diário das crianças que nele participam. Além do incentivo ao consumo de fruta nas quantidades recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» leva também às crianças lições importantes sobre alimentação saudável, higiene oral, atividade física, economia e poupança, respeito pelo ambiente e bem-estar emocional, que as ajudam a crescer saudáveis, ativas e felizes.

_DSC4799.jpg

_DSC4814.jpg

CENTRO CULTURAL VILA FLOR EM GUIMARÃES ACOLHE CERTAME SOBRE ALIMENTAÇÃO

Guimarães recebe em junho o 5º Congresso Português de Alimentação e Autarquias

CCVF recebe evento que vai juntar municípios de norte a sul do país, bem como convidados internacionais que apresentarão o que de melhor se faz em outros países com tradição na área. “O Papel da Alimentação na Identidade e Competitividade das Regiões” é o tema do congresso.

Guimaraes_Congresso_Portugues_Alimentacao_Autarquias.JPG

A quinta edição do Congresso Português de Alimentação e Autarquias, em Guimarães nos dias 27 e 28 de junho, quer olhar para a nutrição como um meio para se ter uma região «mais saudável, competitiva e geradora de riqueza». Sob o tema “O Papel da Alimentação na Identidade e Competitividade das Regiões”, o evento reunirá especialistas e autarquias que vão discutir e apresentar projetos em temáticas como o papel da alimentação saudável no crescimento e geração de emprego local, a competitividade das regiões e o estado de saúde e educação alimentar nas populações, as desigualdades alimentares e sociais e o papel das autarquias.

«A escolha de Guimarães para este congresso constitui uma honra, ainda mais dada a pertinência do tema e a forma como se inscreve no nosso projeto de Capital Verde Europeia, através duma aposta numa alimentação saudável. Da educação à economia, a alimentação é cada vez mais um ‘cluster’ digno de maior atenção. Ter em Guimarães especialistas, autarquias e partilhas de boas práticas é uma mais-valia para o trabalho que fazemos e continuaremos a fazer nesta área», considera Adelina Paula Pinto, Vereadora da Câmara Municipal.

Segundo o representante da Direção Geral de Saúde, Pedro Graça, as autarquias «são o local adequado para se fazer política alimentar e de saúde». «Sabemos que os hábitos alimentares são multifatoriais. Têm a ver com, por exemplo, a segurança, o facto de podermos ir na rua e comprar alimentos sem medo de sermos assaltados. Têm a ver com a disponibilidade, com o acesso a mercados municipais, a produção local», referiu, lembrando que Portugal tem quase três milhões de obesos, um milhão de diabéticos e três milhões de hipertensos.

Urbanismo e desigualdades são outros fatores a ter em conta na construção de hábitos alimentares: «Tem muito a ver com o planeamento urbano. Não se consegue ter alimentação saudável sem urbanização e produção de alguma forma integrados, para que os produtos cheguem com alguma facilidade às pessoas», completou Pedro Graça, referindo ainda que «os dados revelam que as grandes patologias que custam muito dinheiro às regiões têm muito a ver com desigualdades sociais».

Alimentos e ambiente… saudáveis

Outra questão em debate será a alimentação versus o ambiente: «Este congresso também vem sublinhar a questão da agricultura e alimentação serem os fatores que mais carga poluente traz ao nosso planeta. É a produção, transportes, embalagem…», disse. «Trabalhando as questões da alimentação, fazendo com que as populações percebam como se podem alimentar melhor, mas também poluir menos, podemos fazer com que estas cidades se transformem em cidades líderes da alimentação e do ambiente», concluiu.

O 5º Congresso Português de Alimentação e Autarquias, organizado pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, tem o apoio científico e institucional da Universidade do Porto, da Direção-Geral da Saúde e este ano contará com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, ADRAVE - Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave e Associação Nacional dos Municípios Portugueses.

ALUNOS DE BARCELOS GRAVAM TELEDISCOS POR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

4 escolas do concelho de Barcelos precisam do seu voto

A competição decorre em www.heroisdafruta.com até 10 de março e vai eleger quatro “Hinos da Fruta” finalistas de cada distrito

Alunos gravam telediscos para incentivar os adultos a comer de forma mais saudável

A APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil divulgou na passada 6ªfeira os vídeos, apelidados de “Hinos da Fruta”, criados pelos 53.399 alunos de todos os distritos do país que participam este ano letivo na 6ª edição do projeto «Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável». Nesta divertida competição nacional que hoje começa, as crianças partilham a cantar as lições que aprenderam ao longo do projeto sobre a importância dos hábitos saudáveis e convidam os adultos para votar no “Hino da Fruta” da turma ou da escola.

A votação já está aberta a todo o público e decorre até às 23:59 do dia 10 de março no site www.heroisdafruta.com e vai apurar 80 hinos finalistas: os 3 mais votados, bem como o mais partilhado de cada distrito ou região autónoma.

Mário Silva, presidente e fundador da APCOI e mentor do projeto "Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável" lembrou que “cada voto em qualquer hino da fruta reverte como donativo para a «Missão 1 Quilo de Ajuda» um fundo social que permite à APCOI distribuir gratuitamente cabazes semanais nas escolas para apoiar a inclusão de fruta no lanche escolar dos alunos mais carenciados do país”.

Mário Silva, acrescentou ainda que “todas as pessoas que votarem nos hinos da fruta ficarão também habilitadas a ganhar fantásticos prémios. São mais de mil experiências à escolha para parques aquáticos, zoológicos, museus, aquários, centros de ciência viva e parques de diversões. Além disso, há um super prémio: uma viagem de sonho aos Açores”.

Lista dos 4 vídeos das escolas participantes do concelho de Barcelos:

Sobre o Projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável»

Depois do sucesso das edições anteriores que envolveram no total 236.227 alunos, no ano letivo 2016/2017 participam no projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável», 53.399 alunos, de 2.665 turmas, de 900 jardins de infância e escolas básicas do 1º ciclo de todos os distritos do país, incluindo as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» é atualmente o maior programa gratuito de educação para a saúde de âmbito nacional, com uma das maiores taxas de

sucesso de sempre em reeducação alimentar infantil em Portugal: está estatísticamente comprovado que a aplicação do modelo pedagógico dos «Heróis da Fruta» aumenta em pelo menos 42% o consumo de fruta diário das crianças que nele participam. Além do incentivo ao consumo de fruta nas quantidades recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), o projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável» leva também às crianças lições importantes sobre alimentação saudável, higiene oral, atividade física, economia e poupança, respeito pelo ambiente e bem-estar emocional, que as ajudam a crescer saudáveis, ativas e felizes. Site oficial do projeto «Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável»: www.heroisdafruta.com

Sobre a APCOI

A Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2010, cuja missão é ajudar a criar um mundo melhor para as futuras gerações, através de iniciativas que valorizem a saúde das crianças, promovam o combate ao sedentarismo ou à má nutrição e previnam a obesidade infantil e todas as doenças associadas. Desde Dezembro de 2010, a APCOI já beneficiou 255.363 crianças através das suas iniciativas. Saiba mais em www.apcoi.pt

FAMALICÃO DEBATE OS SEGREDOS DA INDÚSTRIA ALIMENTAR

Workshops para todos os gostos no Parque da Devesa

“Indústria Alimentar e os seus segredos” é o tema do workshop que o Parque da Devesa recebe este sábado, dia 11 de fevereiro.

A iniciativa é promovida pela associação Nova Acrópole de Famalicão com o apoio da autarquia e vai decorrer entre as 15h00 e as 18h00, nos Serviços Educativos.

Destinado ao público em geral, o workshop é de entrada livre e a inscrição pode ser efetuada através do email famalicao@nova-acropole.pt.

Refira-se que este é o primeiro de três oficinas agendadas para os próximos dias na Devesa.

Segue-se, no dia 18, sábado, entre as 15h00 e as 16h30, o workshop “Matéria Orgânica Doméstica: como valorizar”, também organizado pela Nova Acrópole de Famalicão.

“O meu vermicompostor” é o tema do workshop que o Parque promove no dia 19, domingo, e que explicará aos participantes como construir um vermicompostor – um equipamento de reciclagem de material orgânico que pode ser usado em locais onde não existe disponibilidade de terra, como por exemplo na varanda de um apartamento. A participação nesta última iniciativa, promovida em parceria com a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, é de entrada livre, mas sujeita a inscrição através do email parquedadevesa@vilanovadefamalicao.org.

TERRAS DE BOURO EXPLICA A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA AOS MAIS JOVENS

Workshop sobre “A água como um dos constituintes dos alimentos que consumimos”

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro realizou no dia 28 de novembro, um Workshop sobre “A água como um dos constituintes dos alimentos que consumimos” para alunos do 4.º Ano do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro.

IMG_8803.jpg

Com a realização desta atividade que faz parte da área de projeto definida para o ano escolar 2016/2017, pretendeu-se demonstrar às crianças que a água não existe apenas no seu estado puro, podendo ser encontrada também, por exemplo nos alimentos que consumimos, como no caso dos legumes; demonstrar que a quantidade de água presente nos alimentos varia de alimento para alimento; fazer as crianças compreenderem a importância da água para a manutenção da vida humana; incutir nas crianças a adoção de estilos de vida saudáveis.

Na parte inicial deste workshop as crianças assistiram à confeção de uma sopa saudável. De seguida o nutricionista do centro municipal de valências explicou às crianças que a água também entra na constituição dos alimentos, variando a sua percentagem de alimento para alimento.

No final todas as crianças foram convidadas a provar a sopa que ajudaram a confecionar e foi distribuído a todos um folheto educativo relacionado com a temática abordada, bem como um certificado de participação.

Estas atividades para além da componente educativa que têm procuram também incutir nas crianças a adoção de estilos de vida saudáveis, fazendo-as compreender que comer determinados alimentos não tem que ser necessariamente uma obrigação, mas sim uma satisfação.

Workshop “Pensar como cientista –experimento…logo aprendo”

O Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro realizou dois workshops sobre a temática “Pensar como cientista – experimento…logo aprendo”, no dia 22 de novembro para os alunos do Pré-escolar do Gerês e do 1.º Ciclo de Rio Caldo e no dia 28 de novembro para os alunos do 3.º Ano do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro.

Esta atividade abordou temas que integram a componente letiva definida para os alunos do 3.º ano, tendo sido efetuadas diversas experiências de mecânica simples que envolveram rodas dentadas, molas e elásticos, alavancas, balanças, baloiços, mobiles, etc…

Para o efeito, os alunos foram organizados em grupos que trataram cada uma das matérias abordadas, separadamente, de forma a fazê-los compreender: como funcionam as rodas dentadas; como funcionam as molas; como funcionam as alavancas e para que servem; como fazer um baloiço; como conseguir o equilíbrio de uma balança, entre outras.

IMG_8806.jpg

IMG_8809.jpg

IMG_8839.jpg

IMG_8871.jpg

IMG_8898.jpg

TERRABOURENSES DEBATEM IMPORTÂNCIA DA ÁGUA NA ALIMENTAÇÃO

Centro Municipal de Valências de Terras de Bouro realizou Workshop sobre “A importância da água na nossa alimentação”

O Centro Municipal de Valências realizou dois Workshops sobre “A importância da água na nossa alimentação”. No dia 9 de novembro para alunos do 1.º Ano do Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro e no dia 10 de novembro para os alunos do Pré-escolar do Gerês e do 1.º Ciclo de Rio Caldo.

bau.jpg

Com a realização desta atividade que faz parte da área de projeto definida para o ano escolar 2016/2017 e na qua participaram cerca de 80 crianças, pretendeu-se: sensibilizar as crianças para a importância de beber água ao longo do dia; referir a importância da água tanto na produção como na confeção dos próprios alimentos; relacionar o consumo do peixe com a água (os peixes necessitam de água para viver e nós necessitamos do peixe na nossa alimentação); demonstrar que uma grande parte do nosso corpo é constituída por água e, por fim, enfatizar a importância da água para a manutenção da vida na terra.

Na parte inicial do Workshop, os técnicos do Centro Municipal de Valências efetuaram uma breve abordagem sobre a temática. Seguiu-se a realização de duas experiências divertidas com água, na qual as crianças puderam observar a “lâmpada de lava” e “espuma colorida”. Para terminar este Workshop procedeu-se à confeção de batidos de fruta com a ajuda das crianças. Mais uma forma lúdica de demonstrar às crianças a importância que a água e a fruta tem na sua alimentação e consequentemente na sua saúde.

No final da atividade foi distribuído pelas crianças um folheto educativo relacionado com a temática abordada e todos tiveram direito a um certificado de participação.

bau (2).jpg

bau (3).jpg

bau (4).jpg

bau (5).jpg

bau (6).jpg

bau (7).JPG

bau (8).JPG

DUARTE GONÇALVES ORIENTA OFICINA DE ALIMENTAÇÃO VIVA NA CASA DO EIDO, NO GERÊS

A Casa do Eido vai receber no dia 20 de novembro, Duarte Gonçalves  que vai orientar uma Oficina de Alimentação Viva. Os participantes serão convidados a aprender a elaborar receitas para o Inverno crugíveras 100% vegetais, nomeadamente pão vivo sem gluten, sopas e sobremesas natalícias.

Duarte Gonçalves.png

A oficina decorrerá entre 10h e as 14.30h horas e tem um valor de 40 euros, por pessoa com o almoço incluído.

Para os interessados, é possível mediante reserva directa, o alojamento na Casa do Eido,  com  um desconto de 15% sobre o valor de tarifa.

A inscrição na Oficina de Alimentação Viva é feita através do email da Casa do Eidocasadoeido.vilaramonte@gmail.com ou do email do Projeto Alimento Desperto geral@projetoalimentodesperto.pt.


inscrições e mais informações:

casadoeido.vilaramonte@gmail.com | 253378181  | 967750506 

Oficinas de Alimentação Viva

O que é a alimentação viva?

Alimentação viva consiste na utilização preferencial de alimentos frescos que se encontram na sua forma mais pura. É uma alimentação à base de frutas, legumes, vegetais, sementes, nozes, germinados, algas, alimentos fermentados, e desidratados que se encontram na sua forma viva, fresca, integral, não processada e de preferência biológica. Por regra, não são aquecidos ou cozinhados a uma temperatura superior a 40ºC.

Em que consistem as oficinas?

Através de receitas fáceis e, rápidas e simples, serão abordadas opções que podem ser gradualmente integradas no dia a dia. Recorrendo a produtos locais e sazonais, ambiental e socialmente sustentáveis, serão preparadas pratos ricos em nutrientes, enzimas e antioxidantes, que saciam e fortalecem o sistema imunitário.

Conteúdo prático da oficina

  • Receitas para o Inverno /raw food/ 100 % vegetais

o   Pão Vivo sem gluten

o   Sopas

o   Sobremesas natalícias

Valor - 40€

Inclui almoço

Horários: Das 10:00h às 14:30h

Morada:

Rua 2 nº6,

Vilar-a-Monte

4845-044 Terras de Bouro
– Gerês

Inscrições:

A inscrição na Oficina de Alimentação Viva é feita através do email  da Casa do Eidocasadoeido.vilaramonte@gmail.com ou do email do Projeto Alimento Desperto geral@projetoalimentodesperto.pt.
As inscrições só serão validadas mediante a confirmação dos valores.
 

Existe a possibilidade de alojamento  na casa do eido com  um  desconto sobre o valor da tarifa

Chef Crudívero Duarte Gonçalves: O Duarte é um amante da vida e natureza. Mentor do Projeto Alimento Desperto, pretende dinamizar a alimentação e a forma como esta se reflete na nossa saúde e na ligação com a Natureza, através de oficinas de alimentação, palestras e serviço de restauração. Acredita que a comida é a verdadeira medicina e que todos nós temos o poder, através das nossas escolhas, de sermos mais saudáveis

Links sobre o formador

http://projetoalimentodesperto.pt

https://www.facebook.com/projetoalimentodesperto

casa_do_eido_ foto (1).jpg

Casa do Eido

Após vários anos de uma recuperação  atenta e cuidada conjugando as técnicas tradicionais ao conforto da actualidade, a Casa do Eido está aberta desde setembro de 2014 e pretende aliar a sustentabilidade ecológica à cultura.

Localizada na zona Natura,  às portas do Parque Nacional da Peneda do Gerês, esta casa de turismo rural pretende também ser um polo cultural nomeadamente através da realização de workshops sobre diversos temas, exposições de arte e centro de encontro de artesãos tradicionais e contemporâneos.

Links sobre o espaço

Facebook https://www.facebook.com/CasadoEido

instagram https://instagram.com/casadoeido/

google plus https://plus.google.com/111008686134751767914/

email casasoeido.vilaramonte@gmail.com

pinterest https://www.pinterest.com/casadoeido/

oficina de alimentação viva.jpg

FAMALICÃO CONTA NO SEU TERRITÓRIO COM EMPRESA PIONEIRA DE ULTRACONGELADOS EM PORTUGAL

Ferraz & Ferreira, a primeira empresa de pré-cozinhados em Portugal, no roteiro Famalicão Made IN: O sucesso que vem do frio

O poder industrial de Vila Nova de Famalicão encontra reflexo na Ferraz & Ferreira que ostenta o estatuto de empresa pioneira em Portugal em pré-cozinhados ultracongelados. 

Visita à Ferraz&Ferreira(1).jpeg

Corria o ano de 1979 quando, com arrojo e audácia, a Ferraz & Ferreira se instalou na freguesia de Vilarinho das Cambas, deste concelho, abrindo caminho para o desenvolvimento do sector no país, num percurso inédito que fez escola. 

Quase quatro décadas depois, o passado orgulha, o presente fervilha e o futuro desenha-se seguro.  Motivos de sobra para uma visita do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, esta quinta-feira, 10 de novembro, no contexto do roteiro Famalicão Made IN. 

O sucesso da Ferraz & Ferreira mede-se também pelos números que apresenta e que traduzem uma aposta clara na qualidade, diferenciação e inovação: 1,2 toneladas de produtos em 2015, 200 produtos na gama de oferta, 15 mil rissóis dos mais variados recheios ou 25 mil bolinhos de bacalhau confecionados por hora, 35 colaboradores, 13 mercados de destino dos seus produtos a que corresponde 45 por cento da produção. E a boa notícia é que 2016 está a revelar-se um ano auspicioso no que toca a resultados.

Nessa ampla gama de produtos encontram-se, por exemplo, as bases para pizza (em que a Ferraz & Ferreira é líder de mercado) e o hambúrguer de bacalhau, a mais recente novidade. “A inovação e qualidade fazem parte do nosso ADN”, assinalou a administradora Paula Ferraz, garantindo que a sua empresa faz pré-congelados que passam em qualquer prova cega como produtos feitos em casa e na hora.

Incrementar exportações 

Visita à Ferraz&Ferreira(3).jpeg

A aposta na internacionalização é “clara e inequívoca”, afirmou, por seu lado, Carlos Coutinho, diretor comercial. “Há sete anos invertemos o nosso rumo, fizemos uma alavancagem no mercado externo e é essa aposta que vamos continuar porque queremos alcançar novas geografias, principalmente no Médio Oriente e na América do Sul”, explicou. 

O Brasil é o principal mercado de destino dos produtos da Ferraz & Ferreira, com presença significativa no Pão de Açúcar, a maior cadeia de supermercados brasileira e uma das maiores do mundo, através da marca Qualitá. Relevantes são também Alemanha, Espanha, Estados Unidos, Reino Unido, França, República Dominicana e Andorra, onde a presença dos produtos Ferraz & Ferreira é garantida pelas mais importantes normas de certificação internacional, entre elas a Halal, que permitiu à empresa famalicense entrar no mercado muçulmano. 

“O mercado nacional está maduro”, observou, e os 55 por cento da produção que absorve vão para as principais marcas de comércio a retalho, como Continente, Dia, Pingo Doce, Auchan, Intermarché e Recheio, tanto através de marca própria, como por via de marca branca. 

Pioneirismo e qualidade  

A Ferraz & Ferreira é, nas palavras de Paulo Cunha, uma “referência incontornável do panorama industrial de Vila Nova de Famalicão” e um “exemplo de pioneirismo, qualidade, capacidade exportadora e união”“Uma empresa que puxa pelo país”, resumiu.  

O autarca enalteceu ainda a “dinâmica empreendedora” deste projeto empresarial, considerando existir “uma dimensão de reconhecimento público de todo o município” pelo trabalho que vem desenvolvendo. 

Visita à Ferraz&Ferreira(2).jpeg