Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

HORTAS PEDAGÓGICAS RENASCEM NOS CENTROS ESCOLARES DE AMARES

Alguns dos centros escolares de Amares acabam de reativar, com novos produtos, as hortas pedagógicas, numa aposta contínua de educação para a saúde e promoção de hábitos alimentares saudáveis. Depois de colhidos no seu pico de frescura, os alimentos são diretamente confecionados nas cozinhas dos centros escolares, proporcionando aos alunos a ingestão de produtos cultivados de forma biológica.

Caldelas (1)

“Continuamos a ter uma grande preocupação com a promoção de uma alimentação saudável e, por esse motivo, mantemos este trabalho de articulação a apoio aos centros escolares para que deem continuidade às hortas escolares, incentivando juntos dos mais novos práticas que estimulem o interesse pela própria natureza e a adoção de hábitos estilos de vida saudáveis”, refere a vereadora da Educação e Saúde do Município de Amares, Cidália Abreu.

“Temos noção que sobretudo os mais novos têm alguma dificuldade no que diz respeito à ingestão de frutas e hortícolas pretendemos contrariar essa tendência, permitindo de uma forma lúdica, e simultaneamente pedagógica, o acompanhamento de todo o processo desde a plantação, passando pelo crescimento, até à colheita desses produtos”, acrescenta a vereadora, deixando uma palavra de apreço a todos os professores/colaboradores e crianças pelo “carinho e dedicação” com que têm abraçado este e outros projetos de educação para a saúde.

Pés de penca, couve coração, alho francês e brócolos, sementes de fava, nabiça, entre outros, foram alguns dos produtos plantados/semeados e que vão continuar a motivar a participação ativa dos alunos e professores na manutenção das hortas, através da rega e limpeza das mesmas, de modo a promover o crescimento sustentável dos alimentos. O Município de Amares, por sua vez, mantém todo o apoio necessário à sua continuidade.

Note-se que, esta iniciativa representa uma das medidas de acompanhamento do Regime de Frutas e Hortícolas eleita pelos próprios centros escolares. Noutros centros escolares, a promoção do consumo de hortofrutícolas é feita através de workshops, histórias e poemas alusivos à temática, entre outras atividades.

DSC08982

DSC08986

DSC08990

BRAGA INAUGURA FEIRA INTERNACIONAL DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ALIMENTAÇÃO

51ª Edição da AGRO arranca a 10 de maio de 2018. Feira irá estrear o novo espaço do Parque de Exposições de Braga

A AGRO – Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação vai realizar-se de 10 a 13 de maio de 2018. Será a primeira feira a realizar-se no novo Parque de Exposições de Braga, que será inaugurado no segundo trimestre do próximo ano.

A 51ª edição da AGRO terá uma programação especial pois será a primeira grande feira a ser realizada nas revitalizadas instalações do novo Parque de Exposições de Braga – o espaço contará com mais e melhores infraestruturas para a realização de eventos desta natureza. O programa prevê que ao longo dos quatro dias do evento sejam realizadas conferências, seminários e espetáculos, entre muitas outras atividades. Tudo isto para ir ao encontro dos interesses e das necessidades dos visitantes, sejam eles agricultores,criadores de gado, produtores, importadores, armazenistas e revendedores dos setores agroalimentar e pecuário, especialistas nacionais e estrangeiros destes setores ou mesmo do público em geral.

“A AGRO é uma das mais importantes montras da agricultura portuguesa e vai continuar a apoiar e a divulgar aquilo que de melhor se faz no setor agroalimentar. Acreditamos que com a revitalização do novo Parque de Exposições de Braga todos os expositores, participantes e visitantes terão melhores condições para tirarem o melhor proveito das atividades previstas para esta edição da AGRO”, explica Carlos Oliveira, Presidente da InvestBraga. O mesmo responsável acrescenta que a preparação desta feira é feita com muitos meses de antecedência, estando já a organização a preparar a edição da AGRO de 2019.

Organizada pela InvestBraga, a AGRO assumiu grande relevância e dimensão ao longo das últimas décadas e é, atualmente, a maior feira do setor primário do Norte do país e da Galiza. É também a única feira, a nível nacional, que faz parte da EURASCO (European Federation of Agricultural Exhibitions and Show Organizers).

MUNICÍPIO DE PONTE DE LIMA FORMALIZA PROTOCOLO COM COOPERATIVA AGRÍCOLA LIMIANA, CRL

O Município de Ponte de Lima, no âmbito de um Protocolo de Cooperação acordado com a Cooperativa Agrícola Limiana, CRL., procedeu à entrega das chaves, na passada sexta-feira, dia 15 de setembro, ao responsável pela Administração da Cooperativa, José Bernardo Madeira.

IMG_0247

A cerimónia ocorreu nas Antigas Instalações da Cooperativa Agrícola do Vale do Rio Estorãos, onde irá laborar a cooperativa. O protocolo agora formalizado, foi celebrado no âmbito do Programa Terra Incubadora de Empresas, e irá permitir a instalação de uma queijaria tradicional nas antigas instalações da Cooperativa Agrícola do Vale do Rio Estorãos, que foram recuperadas e totalmente equipadas pelo Município de Ponte de Lima, no âmbito da candidatura “A Agro-Silvo-Pastorícia na Viabilidade dos Espaços Classificados”. Esta candidatura teve como objetivo estimular e reforçar os laços entre a comunidade local e a Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro D’Arcos, promovendo os produtos típicos da região e apoiando a instalação de empresas ligadas ao setor primário.

Nestas instalações está já sediada a empresa Araújo & Monte, igualmente apoiada pelo programa Terra Incubadora de Empresas e que é, atualmente um caso indiscutível de sucesso na produção de sidra, na ordem dos 100%.

“Esta é uma empresa apoiada no âmbito do Programa Terra Incubadora, através do qual já apoiamos 36 empresas. Este espaço visa acolher empresas que promovam os produtos endógenos de Ponte de Lima”.

O responsável pela Cooperativa Agrícola Limiana, CRL., José Bernardo Madeira, salientou o facto de esta queijaria tradicional primar pela utilização de matéria- prima típica da região e disse esperar que, por altura do Natal, possa apresentar já a primeira produção. Além disso, José Bernardo Madeira pretende que esta queijaria tenha “uma identidade com imagem tradicional e regional”.

IMG_0254 (Medium)

IMG_0260 (Medium)

IMG_0270 (Medium)

PAN DEFENDE AGRICULTURA BIOLÓGICA

Orçamento do Estado 2018: PAN negoceia envelope financeiro para cumprir a Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica

  • 2.500.000 € para apoios ao investimento em agricultura biológica
  • Taxa reduzida de IVA para produtos biológicos e várias iniciativas de promoção do sector
  • Aposta na formação específica de quadros ou contratação de técnicos com formação adequada
  • Sistemas de águas subterrâneas estão poluídos com químicos da agricultura e pecuária intensivas - medidas querem inverter esta tendência

O PAN, Pessoas-Animais-Natureza, está a negociar com o governo no âmbito do Orçamento do Estado para 2018 verbas e prazos concretos para dar cumprimento à ‘Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica’ recentemente aprovada, com contributos do PAN. As medidas agora apresentadas e desenvolvidas, com contributos do sector, pretendem atribuir montantes de investimento prioritários, por ações, a desenvolver e de acordo com os eixos de intervenção do Plano de Ação da Estratégia Nacional (Resolução de Conselho de Ministros de 27/07/2017).

O PAN defende que o apoio à agricultura biológica deve ser amplamente considerado na política orçamental uma vez que é um meio para atingir objetivos de saúde pública e ambientais como a erradicação da poluição provocada por pesticidas e fertilizantes. Ainda no início do mês a associação Zero revelou dados que confirmam que praticamente todos os sistemas de águas subterrâneas em Portugal estão poluídos com químicos provenientes da agricultura e pecuária intensivas.Nestes locais, só deveria ser permitida a produção agrícola em modo biológico, política de proteção ambiental já adotada em várias regiões da europa, como Bordéus ou Copenhaga.

No que respeita à produção e especificamente aos apoios ao investimento para a agricultura biológica, nomeadamente as mais importantes para o mercado (horticultura, fruticultura, cereais, proteaginosas, frutos secos) o PAN propõe um montante de 2.500.000 € para 2018 que possa atingir 250 novos agricultores. Esta verba não representar um acréscimo na despesa do Estado visto que a proposta prevê uma transferência de verbas alocadas à agricultura convencional para a agricultura biológica.

No que respeita ao eixo “Promoção e Mercados”, o PAN propõe a atribuição de 50.000€ para incentivar a integração de secções de produtos biológicos em mercados grossistas e criar mercados grossistas nos maiores centros urbanos e o mesmo valor, 50.000€ foi proposto para incentivar a venda direta e os mercados locais.

Proceder à avaliação específica do regime de reconhecimento de Organização de Produtores que comercializem produtos biológicos e promover a alteração da legislação, uma vez que, tal como está atualmente, não permite a criação de organizações de produtores biológicos são também propostas que integram este pacote de medidas para o OE de 2018. Estas organizações são fundamentais para o apoio à produção através da venda agregada dos seus produtos.

Pretende-se ainda adotar a taxa reduzida do IVA de produtos biológicos em toda a cadeia; criar o Dia Nacional da Alimentação Biológica (50.000€); implementar iniciativas e atividades depromoção dos produtos biológicos a nível local e nacional (50.000€); implementar plano de comunicação para a Agricultura Biológica e Produção Biológica visando o grande público (50.000€) e promover a representação da Produção Biológica em certames nacionais e internacionais (250.000€).

No eixo ‘inovação, conhecimento e difusão da informação’ o PAN entende ser necessário promover a formação com componente prática dos cursos de formação profissional em Produção Biológica para Agricultores, Trabalhadores e Técnicos (50.000€); estabelecer rede de campos de demonstração para a atividade e produções em Agricultura Biológica com desenvolvimento de técnicas inovadoras (75.000€); melhorar o nível de competências em Produção Biológicadas Direções Regionais de Agricultura e Pescas (DRAP) e Serviços Regionais das Regiões Autónomas através da formação específica de quadros ou contratação de técnicos com formação adequada (252.000€) e disponibilizar manuais técnicos especializados por atividade em Produção Biológica (25.000€).

O PAN reforça que em Portugal e no mercado europeu a evolução da procura é superior à da oferta, sendo que o país importa excessiva e desnecessariamente estes produtos, contribuindo para um aumento do défice da balança comercial. Tendência que pode ser invertida com políticas ajustadas às necessidades do mercado e à capacidade produtiva do país.

São conhecidos e estão amplamente documentados e estudados os benefícios da agricultura biológica nas mais diversas áreas, na saúde uma vez que está isenta de produtos químicos de síntese, como adubos, inseticidas, fungicidas ou herbicidas e que não usa antibióticos e outros produtos que aceleram o crescimento dos animais. Além de que protege o ambiente, porque evita a contaminação dos solos, dos recursos hídricos e tem um contributo menor para as emissões de gases com efeito de estufa.

PONTE DE LIMA CEDE ESPAÇO NA ANTIGA COOPERATIVA DE ESTORÃOS À COOPERATIVA AGRÍCOLA LIMIANA

Município de Ponte de Lima aprova a Instalação de Cedência de espaço na antiga Cooperativa de Estorãos à Cooperativa Agrícola Limiana, CRL.,

No âmbito do Programa Terra Incubadora de Empresas, que visa potenciar o surgimento de micro empresas, o Município de Ponte de Lima celebrou um Protocolo de Cooperação entre com a Cooperativa Agrícola Limiana, CRL., para instalação de uma queijaria tradicional nas Antigas instalações da Cooperativa Agrícola do Vale do Rio Estorãos.

IMG_2571_Paços do Concelho_Miguel Costa

As Antigas instalações da Cooperativa Agrícola do Vale do Rio Estorãos, recuperadas e apetrechadas, pelo Município de Ponte de Lima no âmbito da candidatura “A Agro-Silvo-Pastorícia na Viabilidade dos Espaços Classificados”, aprovada ao abrigo do Programa Operacional do Ambiente visam estimular e/ou reforçar o elo de ligação entre a Área Protegida e a comunidade local em geral e, com os utilizadores diretos da Área Protegida em particular, assim como criar as condições necessárias à instalação de empresas ligadas ao setor primário.

Assim sendo, o objetivo pretendido para as Antigas instalações da Cooperativa Agrícola do Vale do Rio Estorãos, está a ser cumprido em função da instalação da Cooperativa Limiana.

A entrega das chaves ocorrerá amanhã, dia 15 de setembro que, assim, funcionará em simultâneo com a unidade de produção de sidra, da empresa Araújo e Monte, cuja instalação fica a dever-se ao trabalho desenvolvido, desde 2005, pela Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos no âmbito da recuperação da sidra.

MUNICÍPIO DE BRAGA PROMOVE TRADIÇÕES AGRÍCOLAS E ETNOGRÁFICAS DO CONCELHO

Semana do Mundo Rural decorre de 14 a 17 de Setembro, no Campo da Vinha
Valorizar as actividades e tradições agrícolas, etnográficas e artesanais do Concelho é o objectivo da quarta edição da Semana do Mundo Rural, uma iniciativa que o Município de Braga realiza entre os próximos dias 14 e 17 de Setembro, no Campo da Vinha.

1

Com um programa rico e diversificado, o evento pretende “trazer à Cidade o melhor do Mundo Rural com a recriação de actividades ancestrais ligadas à agricultura, mas também mostrar a inovação associada ao sector com a realização de uma feira de produtos gourmet, biológicos e mais sustentáveis ambientalmente”, explicou Altino Bessa, vereador do Ambiente e Desenvolvimento Rural do Município de Braga, durante a apresentação do evento, que decorreu esta Terça-feira, dia 12 de Setembro.

Segundo Altino Bessa, o certame terá igualmente uma vertente gastronómica com uma praça da alimentação. “Aqui pretendemos dar ao público a oportunidade de saborear os típicos pratos minhotos que podem ser degustados ao som da música tradicional”, sublinhou o vereador.
O ponto alto do programa está reservado para Domingo, dia 17, a partir das 15h00, com a realização do Desfile Etnográfico que contará com a participação das Freguesias do Concelho. “Desafiámos as Freguesias a trazer à Cidade as suas tradições e o seu património. Este ano teremos prémios para os três primeiros lugares que serão escolhidos por um júri constituído pelos presidentes de Junta”, revelou Altino Bessa.
A par do programa de animação, que inclui um Festival Folclórico e as actuações dos ‘Minhotos Marotos’ e Quim Barreiros, a Semana do Mundo Rural inclui uma área pedagógica onde terão lugar ateliês diversos relacionados com ervas aromáticas e flores comestíveis, sementeiras, oficinas de sabão, showcookings, assim como visitas ao Banco Português de Germoplasma Vegetal ou ao Moinho de Este S. Pedro.
Altino Bessa aproveitou ainda para agradecer aos inúmeros parceiros que se associaram ao evento, desde logo à Quinta Pedagógica e à Associação dos Artesãos do Minho.
Programa Semana do Mundo Rural
Concertos
15 SET | 21h30 | Minhotos Marotos
16 SET | 14h00 | Festival Folclórico
16 SET | 22h00 | Avariações – Tributo a António Variações
17 SET | 18h30 | Quim Barreiros
Área Pedagógica
14 SET
10h00 - Ateliê de Plantas Aromáticas, Flores Comestíveis e Hortas (Quinta Pedagógica) 15h00-17h00- Pisa de uvas (AKI)
15 SET
10h30- Desfolhada com Crianças e Idosos (Q.P.)
15h00-17h00 - Apresentação do Projecto "Do Grão ao Pão" (Q.P. e Artesãos do Minho)
15h00 – 17h00- Brico-Aula "Alimentação Animal Rural" (AKI)
16 SET
10h00 – 10h30 - Showcooking chocolate - Fava do Cacau
10H30- 11H30- Sementeiras em Família (Q.P.)
11H30- 12H30- Brico-Aula "Alimentação Animal Doméstico" (AKI)
18h00 - Oficina de Cremes Hidratantes - EB 2, 3 de Celeirós
18h30 - Modelação de Pasta de Papel - Joaquim Pinto
19h00 - Oficina de Sabão - EB 2, 3 de Palmeira
17 SET
10H00- 11H00- Brico-Aula "Rega Gota-a-Gota" (AKI)
11h00 Oficina de Propagação de Plantas Aromáticas e Medicinais - Biobrassica
11h30 Oficina de biocontroladores- Quercus
12h00 Showcooking – Semente: Restaurante Macrobiótico
16H00- 18H00- Brico-Aula "Controlo de pragas por meio biológico" (AKI)
Conferências
14 SET | 21h00 | sede da Junta de freguesia da Sé
‘Acção de esclarecimento sobre Agricultura Biológica’
15 SET | 21h00 | sede da Junta de freguesia da Sé
‘Arquitectura e o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento’
Visitas
14 SET | 15h-17h, na Quinta de S. José, Merelim S. Pedro - Visita ao Banco Português de Germoplasma Vegetal, INIAV
16 SET | 10h-12h, visita ao moinho de Este S. Pedro e actividade de ciência, Orion e UF de Este S. Pedro e S. Mamede
Caminhadas
Domingo, dia 17, 9h-12h30 - Uma aventura pelos cursos de água de Adaúfe, Montariol, CNE
Sábado 16 Set, 15h00 - Cãominhada – Contra os maus-tratos e abandono de animais
Partida parque do Aki e chegada à avenida central as 17h00 com obediência canina.

3

PEOPLE4SOIL ÚLTIMA CHAMADA - TEMOS UMA SEMANA PARA CONSEGUIR UMA LEGISLAÇÃO AMIGA DOS SOLOS

UM MILHÃO DE ASSINATURAS PELA PROTEÇÃO DOS SOLOS

Obter um milhão de assinaturas para parar a ocupação e degradação do solo, é o objetivo da Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE)

Twitter_page_PT (1)

"People4Soil", que foi lançada em Setembro do ano passado e que termina no próximo dia 12 de Setembro.

O Porquê de uma legislação que proteja os solos europeus? É evidente a falta de políticas europeias e regulamentos nacionais que garantam uma proteção adequada dos solos. É também evidente o fracasso das instituições europeias na adopção e implementação de uma verdadeira política de solos, que dê garantias da proteção dos solos para as gerações vindouras.

Temos uma semana. Podemos, com as nossas assinaturas, ser capazes de trazer o solo de volta à agenda política europeia!

QUAL A IMPORTÂNCIA DO SOLO?

Construção, impermeabilização, erosão, diminuição do teor de matéria orgânica, perda de biodiversidade e contaminação estão a afetar a quantidade e qualidade do solo disponível para a sobrevivência humana.

O solo é alimento. A construção e a impermeabilização das terras na Europa são a maior ameaça para os solos férteis.

Todos os anos 1000 km2 de solo arável são cobertos por superfícies de betão e asfalto, o equivalente a cerca de 300 campos de futebol por dia.

O falhanço das instituições da UE na produção de regulamentos para a proteção e conservação dos solos é uma contradição muito embaraçosa para a União Europeia que, desde a sua fundação, prossegue o objetivo de promover e assegurar a segurança e soberania alimentares.

Hoje, milhões de hectares cultivados fora da Europa são explorados sob a forma de agricultura intensiva industrial para fornecer alimentos e forragem para o mercado europeu, muitas vezes com impactos ambientais e sociais profundos nas comunidades de agricultores locais.

O solo é o berço da biodiversidade terrestre. Além de fornecer um habitat para a biodiversidade abaixo do solo, é essencial para a sobrevivência da maioria das espécies à superfície acima do solo.

Hoje, a utilização dos solos para agricultura intensiva é uma das principais ameaças para os habitats e as espécies europeias, e estima-se que quase um terço da paisagem da Europa se encontre altamente fragmentada por edifícios e infra-estruturas.

O solo é saúde. A poluição do solo pode afetar fortemente a saúde humana, por via da contaminação dos alimentos que comemos e da água que bebemos.

Em toda a Europa quase 250.000 locais têm o solo contaminado e, apesar disso, a UE não tem qualquer programa de recuperação coerente e não tem regulamentação comum para evitar a poluição dos solos.

O solo é o nosso futuro. O solo é um elemento-chave do sistema climático, uma vez que capta enormes quantidades de carbono.

Os solos europeus contêm uma quantidade de carbono equivalente ao CO2 emitido pelos transportes, aquecimento, indústria e setor energético da Europa nos próximos 40 anos.

Solos saudáveis desempenham muitas funções essenciais na mitigação e adaptação aos efeitos das alterações climáticas, como inundações, ondas de calor e secas.

QUE DIFERENÇA PODE FAZER UMA ASSINATURA?

A Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE), ferramenta de cidadania criada pelo Tratado de Lisboa, é um pedido formal à Comissão Europeia de legislar (neste caso em matéria de proteção do solo) reunidas, pelo menos, um milhão de assinaturas, por quotas em diferentes Estados Membros da UE

Esta ECI tem de ser apoiada por pelo menos um milhão de cidadãos e cidadãs maiores de idade da UE, em pelo menos 7 Estados Membros da UE. Cabe a Portugal recolher pelo menos 15.750 assinaturas. Os interessados podem assinar a ICE através do site oficial da campanha www.people4soil.eu

A QUERCUS A.N.C.N. é a organização coordenadora em Portugal da ICE People4Soil. Outras organizações envolvidas na rede e comprometidas com esta campanha são a AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, a COPADONORDESTE - Cooperativa de produtores agrícolas, LPN - Liga para a Protecção da Natureza, OIKOS - cooperação e desenvolvimento, SPCS - Sociedade Portuguesa de Ciência do Solo e ASSOCIAÇÃO TRANSCUDANIA - Associação para a Valorização do Património Histórico e Natural do Concelho do Sabugal, LEIRAS DO CARVALHAL - Movimento de Intervenção Ambiental, Organização NETrural alimentação saudável, Rota do Guadiana ADI, PROJECTO 270, CooLabora, CASA RURAL, LABORATÓRIO DA PAISAGEM (Instituto de Investigação), CMIA - Centro de Monitorização e Investigação Ambiental, AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SÁ DE MIRANDA, ORLADESIGN (Coletividade).

FAMALICÃO: CEBOLA É RAINHA EM GONDIFELOS

Parque de campismo da freguesia acolhe este fim-de-semana a secular Feira das Cebolas

António Manhente já perdeu a conta aos anos que participa na Feira das Cebolas de Gondifelos, em Vila Nova de Famalicão. “Isso agora é complicado! Já perdi a conta, mas sou certamente dos mais antigos que por aqui anda”, assegura.

IMG_7827.jpg

Natural do concelho de Barcelos e com 66 anos de idade, o Sr. Manhente, como é conhecido, é um dos cerca de 15 vendedores que este domingo, 27 de agosto, marcam presença na secular Feira das Cebolas, considerada já um marco na história da freguesia famalicense de Gondifelos.

Para a feira, António Manhente conta levar este domingo dois mil quilos de cebolas. Espera vender tudo e não se importa se tiver que voltar a casa para trazer mais, como já aconteceu em anos anteriores. O clima, diz, já foi mais amigo dos produtores, mas ainda assim não hesita em dizer“que este ano a cebola tem saído muito boa. Pelos menos ninguém se tem queixado”.

Sobre as razões que o trazem todos os anos à Feira das Cebolas em Gondifelos, o vendedor de Barcelos destaca o ambiente de festa que ali se vive e, sobretudo, a oportunidade de negócio.“Vendo sempre muito bem”, refere.

Refira-se que a Feira das Cebolas, que em tempos foi o ponto de encontro dos agricultores e produtores de cebolas do concelho para comercializar o produto e estabelecer os preços a praticar nesse ano, mantém a tradição bem firme e conta ainda hoje com a presença de mais de uma dezena de produtores, muitos deles oriundos de concelhos vizinhos, como é o caso de Barcelos, Vila do Conde e Póvoa de Varzim.  

Associada a esta feira está também a organização da 36.ª edição do Festival de Folclore e da mostra associativa de Gondifelos, que promete dar a conhecer o trabalho e atividade do tecido associativo da freguesia, já a partir deste sábado, dia 26.

Do programa de animação do certame, organizado pela Junta de Freguesia em parceria com a Câmara Municipal, destaque para a realização, no domingo, de uma oficina  de entrelaçamento de cebolas e para um desfile de “cabos de cebolas” e ranchos folclóricos.

PROGRAMA

Feira das Cebolas/ III Mostra Associativa de Gondifelos/ 36º Festival de Folclore

26 de agosto

14.00  Abertura da Mostra Associativa

14:30  Jogos tradicionais: Torneios de Malha e de Sueca [CNE 9103 Gondifelos]

15:00  Gincana de Tratores

15:30  BTT “Rali das tascas” [Sem Medo]

20:00 Jantar nas Tasquinhas

21:00  “Oh, Gentes da Minha Terra” – Vozes de Gondifelos

22:30  Concertinas “Os Velhos Amigos”

24:00  “Cebolinhas, ai, aí…” - DJ’s

27 de agosto

08.00  Abertura da Mostra Associativa/ Feira das Cebolas

09:00  2º Trail das Cebolas

09:15  Prova de Atletismo Infantil

09:30  2ª Caminhada das Cebolas

10:00  Artes Marciais

11:00  Oficina de entrelaçamento de cebolas

12:00 Almoço nas Tasquinhas

14:30  Desfile de “Cabos de Cebolas” e de Ranchos Folclóricos

Rancho Folclórico Associação Cultural de Gondifelos, Vila Nova de Famalicão

Associação Etnográfica e Cultural Rancho Folclórico de Vila de Prado, Vila Verde

Rancho Folclórico S. Salvador de Monte Córdova, Santo Tirso

Grupo Cultural Etnográfico de Aldreu, Barcelos

Rancho Típico Centro Social e Recreativo Cultural S. Pedro de Avioso, Maia

AFS_0826.jpg

AFS_0872.jpg

AFS_0924.jpg

BRAGA PROMOVE TRADIÇÕES AGRÍCOLAS, ARTESANAIS E ETNOGRÁFICAS DO CONCELHO

‘Semana do Mundo Rural’ decorre de 14 a 17 de Setembro

Valorizar as actividades e tradições agrícolas, etnográficas e artesanais do Concelho, é o principal propósito da ‘Semana do Mundo Rural’ que, de 14 a 17 de Setembro levará ao Campo da Vinha, em Braga, um programa diversificado e representativo do sector, direccionado para todos os públicos.

Realizado em parceria com a Associação de Artesãos do Minho, o certame já vai na sua quarta edição e nele estarão representadas diversas tradições como a desfolhada, a vindima e a confecção do pão à moda antiga mas também uma feira com produtos típicos, gourmet, biológicos e ambientalmente sustentáveis.

Nesta edição também não faltará a gastronomia própria da Região onde o público terá a oportunidade de saborear os típicos pratos minhotos, ao som da música tradicional.

No espaço da Feira estarão expostos produtos regionais, legumes, sectores industriais e institucionais ligados à agricultura, exploração e defesa da floresta. A tempo inteiro haverá um espaço dedicado à Quinta Pedagógica de Braga com a presença de animais e passeios de charrete pela Cidade. 

No Domingo, dia 17 de Setembro, terá lugar um dos momentos mais altos de todo o evento com a realização do Cortejo Etnográfico com a presença de 37 Freguesias e União de Freguesias do Concelho, que foram desafiadas a apresentar a suas tradições e cultura. Esta é uma forma de der a conhecer aos Bracarenses e aos seus visitantes os costumes, as crenças e as tradições de cada comunidade, que são transmitidas de geração em geração e que permitem a continuidade de determinada cultura e tradição. No final, haverá uma competição saudável entre Freguesias para o carro que estiver melhor decorado, sendo que a atribuição dos prémios estará a cargo de um júri constituído por presidentes de Junta.

MUNICÍPIO DE TERRAS DE BOURO PROMOVE SESSÃO DE ESCLARECIMENTO SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS

Adelegação do Alto Minho da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e o Gabinete de Apoio ao Agricultor do Município de Terras de Bouro organizaram, no dia 24 de julho de 2017, pelas 14:30 horas, uma sessão de esclarecimento e divulgação de Seguros Agrícolas, no Salão Nobre do Município de Terras de Bouro. A sessão contou com a presença da Vereadora do Município, Dr.ª Liliana Machado, que realçou o importante contributo que este tipo de sessões de esclarecimento tem na sensibilização da população local.

IMG_2188 (Large).JPG

A sessão, que contou com a presença de vários interessados, visou alertar os presentes para a vulnerabilidade da agricultura no que se refere aos riscos provenientes de acontecimentos climatéricos adversos, doenças ou ocorrências que destruam parte ou a totalidade da produção. Foi, de igual modo,dado enfâse a necessidade de existirpartilha do risco no exercício desta atividade económica, revelando-se os seguros um instrumento fundamental para a estabilidade e previsibilidade do rendimento dos agricultores. No atual contexto, os seguros agrícolas são e serão instrumentos, cada vez mais úteis, na gestão das empresas agrícolas, pecuárias e florestais.

LIMIANOS CAMINHAM PELA ROTA DA MAÇÃ E DA SIDRA

I Passeio da Rota da Maçã e da Sidra. 29 de julho – Quinta de Pentieiros

O Município de Ponte de Lima apoia a realização do “I Passeio da Rota da Maçã e da Sidra”, um evento lúdico organizado pelas autoras da Sidra Artesanal Corrupia em parceria com a Escola Superior Agrária de Ponte de Lima.

O certame, cujo objetivo é mostrar todo o processo de produção da sidra artesanal, realizar-se-á no próximo dia 29 de julho, na Quinta de Pentieiros, em S. Pedro d’Arcos, e inclui diversas iniciativas desde uma visita à azenha, a apanha das maçãs, uma visita à quinta pedagógica e um workshop de produção de sidra. É dirigido às famílias com crianças, jovens, turistas e público que tenha curiosidade em saber mais sobre a Sidra. 

Os participantes terão ainda a oportunidade de apreciar um piquenique de degustação. Para os mais novos, está prometida uma tarde muito divertida, promovida pelo Centro Aventura, que também se associa ao evento.

Programa:

10h00 – Concentração na Quinta de Pentieiros

10h20 – Caminhada de 1h30 (visita à azenha)

12h00 - Apanha de maçãs na Quinta de Pentieiros

13h00 – Piquenique de degustação

15h30 – Visita à quinta pedagógica

16h00 – Workshop de produção de sidra/ Atividade do Centro de Aventura

Confira o programa em www.corrupia.pt

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO FAMALICENSE DESTACA NOVO IMPULSO AGRÍCOLA NO CONCELHO

Seminário reúne em Famalicão especialistas internacionais de baby kiwi

A comunidade científica e produtora de baby kiwi de doze países está, hoje e amanhã, reunida em Vila Nova de Famalicão. Oito dezenas de investigadores, académicos e agricultores de Portugal, Bélgica, Polónia, Itália, Inglaterra, Suíça, Alemanha, Holanda, Espanha, China, Marrocos e Áustria marcam presença num seminário internacional que decorre na Casa das Artes, num momento em que o cultivo deste pequeno fruto doce, nutritivo e de pele macia está em forte expansão no concelho.

Investigadores marcam presença no seminário.jpg

Em Vila Nova de Famalicão conta-se já uma dezena de produtores que estão unidos no objetivo de serem atingidos 30 hectares plantados até 2020 e uma produção de 15 toneladas por hectare.

A agricultura como atividade económica importante para a valorização dos solos e para a criação de emprego, e que tem atraído os jovens famalicenses, foi a tónica da intervenção do Presidente da Câmara Municipal, esta manhã, na abertura do seminário. Paulo Cunha sublinhou a relevância considerável da atividade agrícola no concelho, que encerra ainda significativa margem de progressão, aliás, como a produção de baby kiwi bem demonstra.

“Esta aposta que aqui fazemos serve para dar um sinal à nossa comunidade de que a agricultura é hoje um sector preponderante e, estou certo, muito relevante no futuro. Fico particularmente satisfeito por perceber que jovens, novas gerações, abraçam a agricultura como um sector económico de futuro”, notou o edil, que considera que o segredo do crescimento da cultura de baby kiwi em Vila Nova de Famalicão se deve à bem-sucedida transferência de conhecimento das universidades para os agricultores. “Só com partilha, cooperação, troca de conhecimentos e de experiências se consegue ganhar escala e chegar longe.”

Organizado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, este seminário tem como entidades parceiras as universidades de Ghent (Bélgica) e de Varsóvia (Polónia), a Caixa de Crédito Agrícola do Médio Ave, a Frutivinhos (Cooperativa Agrícola de Famalicão) e a Vercoope (União das Adegas Cooperativas da Região dos Vinhos Verdes).

Paulo Cunha na abertura do encontro.jpg

FAMALICENSES PROMOVEM AGRICULTURA BIOLÓGICA

‘Bio Capital: Património, Inovação e Negócio' é o nome da conferência que a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão leva a cabo no dia 23 de maio, entre as 9h30 e as 17h00, na Quinta da Costa, em Mouquim, no âmbito da iniciativa Famalicão Bio Capital, lançada em 2016 e que procura promover a agricultura biológica. 

Produtos biológicos.jpg

Da produção à industrialização de produtos biológicos, sem esquecer a comercialização e a gastronomia, a abordagem ao assunto pretende ser o mais abrangente possível. Por um lado, pelo caráter transversal aos sectores primário, secundário e terciário e, por outro, pelas tendências atuais de saúde e bem-estar e de alimentação saudável que convergem no tema desta conferência.

Organizada pela Câmara Municipal, no contexto da Rede Famalicão Empreende, a conferência envolve a ACIF, ADRAVE, CESPU, Escola Profissional Conde S. Bento, Forave, Fagricoop e Frutivinhos como entidades parceiras. 

Inscrições e programa em www.famalicaomadein.pt.

LAVOURA TRADICIONAL JUNTA CENTENAS DE PESSOAS EM CONVÍVIO INTERGERACIONAL EM CABECEIRAS DE BASTO

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, acompanhado do vereador Alfredo Magalhães e de presidentes das Juntas, entre outros autarcas do município e das freguesias, participou ontem, dia 1 de maio, Dia do Trabalhador, na Lavoura Tradicional, uma iniciativa que teve lugar na Quinta da Portela, nas imediações do centro da vila e que juntou centenas de pessoas, designadamente os utentes dos Espaços de Convívio e Lazer do concelho.

Lavoura Tradicional juntou centenas em convívio intergeracional (1).JPG

A iniciativa organizada pela Câmara Municipal e produzida pela Basto Vida pretendeu reviver e recriar os trabalhos de outrora, dando a conhecer aos mais novos a atividade rural dos nossos antepassados, promovendo, em simultâneo, o intercâmbio intergeracional.

Os participantes, jovens e menos jovens de sacholas nas mãos, concentraram-se no Campo do Seco, rumando depois, em desfile, atrás de três juntas de gado até à quinta.

Lavoura Tradicional juntou centenas em convívio intergeracional (2).JPG

Oriundos das várias freguesias do concelho, os lavradores trabalharam a terra, preparando-a para o cultivo do milho, uma jornada que contou com a animação das concertinas e das cantigas de outrora. A lavoura começou cedo. Depois de espalhado o estrume, foi lavrada a terra e semeado o milho.

A meio da manhã, os ‘lavradores’ degustaram o pequeno-almoço composto por pataniscas, tremoços, azeitonas, figos e doces, seguindo-se a sementeira do milho que será doravante regado, sachado e tratado, para que em setembro, por altura das Festas de S. Miguel, seja desfolhado à moda do Minho. A jornada, animada por vários grupos de concertinas do concelho, terminou com um almoço-convívio na Quinta da Portela.

A lavoura à moda antiga proporcionou, assim, aos Cabeceirenses e a todos os visitantes uma jornada campestre onde imperou o ambiente de festa e de boa disposição.

Lavoura Tradicional juntou centenas em convívio intergeracional (3).JPG

DANIEL CAMPELO PÕE PORTUGAL A PRODUZIR ERVAS AROMÁTICAS

Suecos reforçam produção de ervas aromáticas em Portugal

O grupo Spisa vai mais do que duplicar a produção da Aromáticas Vivas, dirigida pelo “deputado Limiano” Daniel Campelo em Viana do Castelo, e estuda terceira unidade em solo nacional para aumentar a quota em Espanha.

img_817x460$2017_04_18_18_02_18_307403_im_636281478894525090.png

O grupo sueco Spisa, que contratou Daniel Campelo para voltar "à terra" depois de despir o fato de governante, prepara-se para reforçar a produção de ervas aromáticas em Portugal, adiantou ao Negócios o histórico autarca de Ponte de Lima, que no início do século ficou conhecido como "deputado Limiano" por ter ajudado a aprovar dois orçamentos do Governo de Guterres.

Além da Aromáticas Vivas, a unidade de Viana do Castelo gerida pelo ex-dirigente do CDS, a maior empresa europeia de ervas aromáticas em vaso detém também a Fresh Cut, em Tavira. Depois de iniciar há três anos a operação algarvia, a mais recente e que abastece também o mercado inglês, os nórdicos têm uma terceira unidade "em estudo", para avançar em dois anos.

Com o objectivo de aumentar a quota no mercado espanhol, onde "há ainda muito para crescer", a nova estrutura vai produzir ervas aromáticas em vaso e cortadas. Daniel Campelo justificou que "em Portugal a escala não é atractiva para ter estas actividades completamente separadas e os clientes também querem as duas coisas".

A localização não está definida, mas o projecto avançará "sempre em complemento" com as unidades já existentes no país, pois há "grandes vantagens [para o grupo] em ter estratégias de Verão e Inverno". "No Algarve é difícil fazer ervas de Verão, não resistem a grandes temperaturas. Mas produz no Inverno com menos custos de energia. Temos de aproveitar a natureza para baixar custos de produção", frisou.

Produzir para expandir

No Alto Minho já está a avançar um investimento de dois milhões de euros para aumentar em cinco hectares a área de produção da Aromáticas Vivas, actualmente limitada a dois hectares na freguesia de Carreço. É ali que a Spisa tem a principal operação do país, com vendas de três milhões de euros e capacidade anual para cinco milhões de plantas em vaso e mais dois milhões de unidades em ervas cortadas. Espanha absorve 40% da produção.

Com estes investimentos, o grupo, que está também na Polónia, Reino Unido e República Checa, prevê "disparar" a produção em Portugal, em particular nas ervas cortadas, admitindo passar a vender por grosso a embaladores na Europa, deficitária no segmento. Porém, avisa, para entrar nesses clientes é preciso investir em "áreas de produção adequadas".

"Diferenciamo-nos por sermos produtores. Não somos nem queremos ser controlados por comerciantes de ervas. Temos de ponderar seriamente criar mais áreas próprias. Só depois podemos pensar em novos mercados", insistiu o homem que tutelou as áreas rurais entre 2011 e 2014. Há um ano e meio passou a liderar esta unidade, que tem como sócios locais uma organização de produtores da Póvoa de Varzim (PAM) e um sírio radicado em Portugal, Ziad Albarazi, que antes de 2009 produzia flores naquele mesmo espaço.

Insectos e ácaros já são negócio

É numa pequena arrecadação, junto às estufas onde crescem os vasos de ervas, que a Aromáticas Vivas produz os insectos e os ácaros que utiliza para prevenir as pragas e as doenças e que lhe permitem ter uma produção livre de pesticidas químicos e a certificação biológica. Apontando-o como "uma grande mais-valia para que o negócio não vá à ruína", Daniel Campelo calcula que a empresa gasta por mês cerca de 11 mil euros com este processo de controlo através de agentes biológicos, tendo a parceria de uma firma dinamarquesa com quem está a desenvolver novos projectos para expandir a produção e oferta destes pesticidas biológicos.

Para a empresa minhota, que produz mais de 20 variedades de ervas aromáticas e emprega 42 pessoas, os insectos e ácaros "começam a ser negócio". Começou por produzi-los apenas para aplicar nos seus terrenos, mas já fornece para as outras unidades do grupo na Suécia, Inglaterra, República Checa e Polónia.

António Larguesa / http://www.jornaldenegocios.pt/

MELGAÇO PROMOVE AÇÃO DE SENSIBILIZAÇÃO PARA PRODUZIR FERTILIZANTE NATURAL

Dia 21 de Abril. Inscrições efectuam-se até 19 de abril

A maioria do lixo que se deita fora são resíduos biodegradáveis – restos de comida, resíduos de jardim ou da horta. Em vez de serem enviados para aterros sanitários ou incinerados, estes podem ser reciclados, produzindo um excelente fertilizante natural – o composto – através de um processo de transformação biológica a que se dá o nome de compostagem. Os Melgacenses vão ter a oportunidade de conhecerem todo este processo, numa ação de sensibilização e comunicação sobre a compostagem doméstica que o Município de Melgaço leva a cabo no dia 21 de abril, na Casa da Cultura, pelas 10h00. A participação é gratuita.

Cartazxxccc.png

A ação, ‘Compostar, outra forma de reciclar’ acontece no âmbito do projeto POSEUR-03-1911_FC-000069 – Promoção da Valorização Orgânica de Resíduos Verdes no Concelho de Melgaço e pretende sensibilizar para a prevenção da produção de lixo, ajudando os participantes a produzirem fertilizante natural, contribuindo assim para um melhor ambiente. Podem participar agregados familiares constituídos, no mínimo, por três pessoas que residam no concelho de Melgaço e possuam habitações com quintal, horta ou jardim. Os participantes receberão um compostor, assim como um guia de compostagem.

As inscrições estão abertas em www.cm-melgaco.ptaté ao dia 19 de abril. O número de inscrições é limitado a 50 participantes.

O COMPOSTO

De modo geral, todos os materiais naturais provenientes da cozinha, do jardim ou do quintal podem ser colocados no compostor. Ao fi­m de alguns meses, os resíduos orgânicos dentro do compostor transformam-se em composto – material orgânico estável com aspeto de terra, escuro, sem odor e com excelentes qualidades fertilizantes para hortas, jardins, vasos e sementeiras.

NI_Compostagem.png

BRAGA INAUGURA 50ª EDIÇÃO DA AGRO

Inauguração da 50ª edição da AGRO. Amanhã, Quinta-feira, dia 23 de Março, pelas 12h00, no Parque de Exposições de Braga

O Município de Braga inaugura a AGRO – Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação, que terá lugar amanhã, Quinta-feira, dia 23 de Março, pelas 12h00, no Parque de Exposições de Braga.

16999039_1668419413184778_2317690736462924264_n.jpg

A iniciativa contará com as presenças de Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, e do ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

A AGRO celebra ainda o Dia da Galiza, pelo que contará com as presenças da delegada do Governo da Galiza em Ourense, do vice-Presidente do Governo Provincial e presidente do Instituto Ourenseano de Desarrollo Económico e do diretor-geral da Expourense e presidente da AGAFE – Associação Galega de Feiras e Eventos.

A AGRO decorre entre os dias 23 e 26 de Março.

TERRAS DE BOURO PROMOVE DIVERSIDADE NAS ACTIVIDADES AGRÍCOLAS

Abertura de candidaturas/Diversificação de Atividades na exploração agrícola até dia 28 de Abril

Abordagem LEADER

DLBC Rural “Cávado com…vida!”

Abertura de candidaturas

Acão 10.2.1.3 – Diversificação de Atividades na exploração agrícola de 17 de março a 28 de Abril de 2017

Cávado com vida - TBR.JPG

O Município de Terras de Bouro informa que o anúncio de abertura e demais informação relevante, nomeadamente legislação, formulário, orientação técnica que inclui a lista de documentos a apresentar, estão disponíveis no portal do Portugal 2020, em www.portugal2020.pt , no portal PDR 2020 em www.pdr-2020.pt  e nos sítios do GAL em www.atahca.pt  ou www.cavadocomvida.atahca.pt  podendo ainda ser obtidos esclarecimentos junto do Contact Center do PDR2020, a contactar através do nº 800 500 064, ou junto do GAL da ATAHCA através do telefone 253321130 ou do endereço de email altocavado@mail.telepac.pt.

O QUE É O DLBC?

O Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC) é um termo utilizado pela Comissão Europeia para descrever uma nova abordagem de desenvolvimento local, que inverte a tradicional política de desenvolvimento «descendente».

No âmbito do DLBC, a população e os vários agentes locais de um território assumem a liderança sob a forma de uma parceria local, que concebe e executa uma Estratégia de Desenvolvimento Local (EDL). Esta estratégia é concebida de forma a valorizar os pontos fortes, ou «ativos territoriais», sociais, ambientais e económicos do território, além de resolver ou atenuar os problemas identificados, minimizar as ameaças e aproveitar as oportunidades existentes na envolvente externa.

A metodologia DLBC está assim prevista no acordo de parceria assinado entre Portugal e a União Europeia, assim como nos regulamentos dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI). O DLBC engloba três tipologias: DLBC Rural; DLBC; Urbano e DLBC Costeiro, consoante a localização e características físicas e humanas dos territórios.

cavadocomvin.JPG

TERRAS DE BOURO PROMOVE SESSÕES DE ESCLARECIMENTO AOS AGRICULTORES

Gabinete de Apoio ao Agricultor proporcionou no Salão Nobre colóquio destinado aos agricultores de Terras de Bouro

Depois de Carvalheira e Rio Caldo, decorreu a 6 de março, na câmara municipal, mais uma das três sessões destinadas a prestar apoio e esclarecimento aos agricultores do concelho.

CAPAtbtbtbb (1).JPG

Perante uma numerosa plateia, já que estiveram presentes muitos agricultores e interessados, o Engenheiro Domingos Godinho da Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas do Crédito Agrícola de Portugal, CCRL (CONFAGRI), prestou as mais diversas e detalhadas informações, assim como esclarecimentos de dúvidas sobre os seguintes assuntos: o Regime de Pagamento Base; o Pagamento Ecológico – Greening; o Pagamento Redistributivo – NOVA; o Apoio aos Jovens Agricultores; os Pagamentos Ligados à Produção (Vacas Leiteiras, Aleitantes e Ovelhas e Cabras); o Regime da Pequena Agricultura – NOVIDADES; as Medidas Agroambientais (Agricultura Biológica, Produção Integrada, outras)  e ainda a Manutenção da Atividade Agrícola em Zona Desfavorecida. 

CAPAtbtbtbb (2).JPG

CAPAtbtbtbb (3).JPG