Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUNICÍPIO DE BRAGA PRESTA CONTAS AOS BRACARENSES

Relatórios de Gestão e Contas de 2016. Empresas Municipais com ´excelentes resultados´ fruto do rigor e capacidade de gestão

Foram hoje aprovados, dia 17 de Abril, em sede de Reunião do Executivo Municipal, os Relatórios de Gestão e Contas de 2016 referentes às cinco empresas que constituem o Universo Municipal: Theatro Circo, Transportes Urbanos de Braga, InvestBraga, Agere e BragaHabit.

brrraaagggaaann (1).jpg

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, elogiou o desempenho de todas as empresas, cada uma delas cumprindo escrupulosamente e com rigor a função de serviço público nas áreas que tutelam, juntando a esse desempenho os ´excelentes resultados´ ao nível da gestão.

No que se refere ao Theatro Circo, o Autarca destacou a ´entrada no positivo´ das contas da centenária casa de espectáculos, resultado que decorreu da obtenção do visto do Tribunal de Contas, em Outubro de 2016, e da regularização do contrato-programa com a Autarquia. A empresa encerrou o ano com um resultado líquido positivo de 26.580,59€ e conseguiu romper com o ciclo de prejuízos registados nos dois anos anteriores. “O Theatro alcançou, pelo segundo ano consecutivo, um número total de público acima das 100 mil pessoas, apesar de o número de actividades se ter reduzido face a 2015, ano de comemoração do centenário, e conseguiu aumentar as receitas próprias, bem como os alugueres e mecenato. Actualmente tem uma programação ecléctica, aberta a diversos estilos e públicos, sendo um equipamento de referência em toda a região e no país”, referiu.

Também os Transportes Urbanos de Braga mereceram especial destaque por parte do Edil. Em 2015 os TUB apresentavam um capital próprio negativo de 193.925,78 €. Neste exercício económico saem dos capitais próprios negativos, ficando com um capital próprio de 250.641,40 €.

Ricardo Rio sublinhou a capacidade de captação de clientes e receitas sem aumento de tarifários. “Os TUB têm vindo a registar um crescimento sustentado do número de utilizadores e consideramos que é muito importante que esse desempenho seja acompanhado de um esforço de investimento ao nível da requalificação das instalações e da renovação da frota”, referiu, lembrando que está previsto para este ano a aquisição de seis viaturas eléctricas, estando formalizada uma candidatura ao “POSEUR”. Em 2016, os TUB transportaram num só dia 50 265 passageiros. Ainda neste mesmo ano a Empresa Municipal de Transportes transportou mais de 11 milhões de clientes, em contraciclo com empresas similares em perca sucessiva de passageiros.

No que se refere à InvestBraga, Ricardo Rio afirmou que, ao nível da dimensão do apoio ao investimento e dinamização económica, os resultados ´estão à vista´. “No que concerne ao esforço Municipal, Braga é uma referência nesta área. Temos assistido a um aumento da actividade das empresas, à captação de novos empresários e a um aumento nos postos de trabalho que tem permitido uma importante redução da taxa de desemprego no Concelho”, disse. No decurso de 2016, a InvestBraga recebeu investidores promotores de mais de 100 projectos de investimento, dos quais acompanhou e apoiou 105 projectos de investimento em diversos sectores de actividade. No âmbito do programa +Indústria, acompanhou o investimento de 51 empresas com investimentos de expansão firmados, que resultaram já em 85 milhões de euros de investimentos realizados e 948 postos de trabalho criados.

Sobre a Agere, o Autarca elogiou a capacidade da administração em reduzir os custos fixos e renegociar contratos de fornecimento, bem como o ´maior aperto´ às situações de infracção. “Uma das maiores patologias era os serviços não cobrados, tendo essa situação sido reduzida ao ponto de a Agere ser apontada pela Ersar como uma das empresas, a nível nacional, com gestão mais eficiente a esse nível”, garantiu.

Por fim, no que diz respeito à BragaHabit, Ricardo Rio salientou o fim da lista de espera na atribuição dos apoios directos ao arrendamento (RADA). “O Município aumentou substancialmente as verbas alocadas ao RADA, que praticamente duplicou para meio milhão de euros. Com base nesse reforço a lista de espera para apoios a esse arrendamento praticamente desapareceu”, referiu, adiantando que esta é uma política ´mais capaz´ ao nível da satisfação das necessidades de habitação dos munícipes.

brrraaagggaaann (2).jpg