Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MONÇÃO REALIZA DESFOLHADA TRADICIONAL NO CENTRO HISTÓRICO

Recriação deste costume ancestral caraterístico das comunidades rurais, decorre este sábado, 14 de outubro, a partir das 21h00, na Praça Deu-la-Deu Martins. A noite promete animação e convívio entre as pessoas que dão corpo a este costume ancestral, fieis às vivências e trajes de outrora, e o público presente que será convidado a participar ativamente na iniciativa.

400x150_16D

Com organização do Grupo Folclórico das Lavradeiras de São Pedro de Merufe e apoio da Câmara Municipal de Monção e Junta de Freguesia de Merufe realiza-se este sábado, 14 de outubro, a partir das 21h00, uma desfolhada tradicional minhota, na Praça Deu-la-Deu Martins.

Trata-se da recriação de uma desfolhada à moda antiga em pleno centro histórico da vila de Monção com a presença de carros de bois, medas de palha, utensílios tradicionais, grupos de concertinas e cavaquinhos e cantares próprios daquela atividade caraterística nas comunidades rurais.

A noite promete animação e convívio entre as pessoas que dão corpo a este costume ancestral, fieis às vivências e trajes de outrora, e o público presente que será convidado a participar ativamente na iniciativa. Além da alegria, no palco da festa não faltará vinho novo doce, sardinhas, bicas e caldo de farinha para aconchegar os estômagos. 

A recuperação desta prática rural representa uma espécie de viagem ao passado quando era comum a população cortar as canas do milho para posteriormente serem transportadas para a eira em carros de bois. Ali, entre cantares e sonoridades tradicionais, fazia-se a desfolhada.

À medida que se desfolhava o milho, amontoavam-se as espigas em cestos de verga que seriam depois despejados no canastro ou espigueiro. O trabalho transformava-se em festa com os mais jovens a participarem ativamente na esperança de encontrarem o milho-rei e, dessa forma, beijarem a rapariga de quem gostavam.

Fernando Silva

D 04 (Large) - Cópia

D 10 (Large) - Cópia

D 12 (Large)

D 17 (Large) - Cópia

D 19 (Large) - Cópia