Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GALERIA MUNICIPAL DE ARTE DE BARCELOS INAUGURA EXPOSIÇÃO “OS RAPAZES DOS TANQUES”

"Testemunho" de quem viveu de perto a Revolução

A exposição de fotografias de Alfredo Cunha “Os Rapazes dos Tanques”, foi inaugurada no final da tarde do dia 24 de abril pelo Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, numa sessão que contou com a presença do próprio Alfredo Cunha e de Adelino Gomes, autores do livro que dá título à exposição, do antigo furriel barcelense Manuel Correia da Silva e do ex-cabo apontador José Alves Costa. Para além destes dois antigos militares, estiveram também presentes os ex militares Álvaro Costa e Paulino Carvalho, o Presidente da Assembleia Municipal, vereadores e muito público que se associou a este evento.

Os Rapazes dos Tanques 24-04-2014 043

O Presidente da Câmara destacou a importância da exposição para Barcelos e para os barcelenses, considerando que o mais importante do “24 para 25 de Abril de 1974, foi a reposição da dignidade de um povo”, um momento “que está agora a ser contado pelo testemunho” destes militares e dos autores do livro.

Miguel Costa Gomes disse ainda que os portugueses estão a passar por uma situação de “menor dignidade”, uma vez que as conquistas proporcionadas pela Revolução “estão a ser postas em causa”. Por isso é que é importante “comemorar o 25 de Abril”.

É com “muita honra que o Município acolhe esta exposição”, um “registo que fica na memória de todos”, disse o Presidente da Câmara a finalizar a sua intervenção.

O jornalista Alberto Serra, que apresentou a sessão, considera que o livro “Os Rapazes dos Tanques” uma “obra contra o esquecimento”. Alfredo Cunha, autor das fotografias colhidas no dia da Revolução, disse que o livro é o seu testemunho do 25 de Abril, acrescentado pela “mais valia” do texto de Adelino Gomes, jornalista que cobriu os acontecimentos daquele dia.

“O sucesso que o livro está a ter tem a ver com os rapazes dos tanques”, tem a ver com o facto de falar das pessoas que estiveram envolvidas no 25 de Abril, disse Adelino Gomes, que afirmou ainda que esta obra faz justiça a essas pessoas. Ali estavam “homens do povo, de diferentes classes e de diferentes qualidades” juntos na Revolução que conseguiram concretizar.

Manuel Correia da Silva, antigo furriel que no dia 25 de Abril conduziu a chaimite que levou Marcelo Caetano e alguns ministros do quartel do Carmo até à Pontinha, disse que esta obra e esta exposição é um momento marcante dos últimos 40 anos, reafirmando o depoimento que faz no livro “Os Rapazes dos Tanques”.

O ex cabo apontador José Alves Costa falou sobre o momento em que o brigadeiro Junqueira dos Reis ordenou, sob ameaça de arma, que disparasse sobre os revoltosos. Não contrariando a ordem nem a seguindo, o ex cabo respondeu: “Vou ver o que posso fazer” e refugiou-se no interior do carro de combate M47, de onde sairia mais de uma hora depois já o almirante ali não estava. José Alves Costa não disparou e a Revolução venceu.

Falou ainda o ex militar barcelense Álvaro Costa que, com apenas quatro meses de serviço militar, integrou a coluna de Salgueiro Maia entre Santarém e Lisboa.

Paulino Carvalho, antigo furriel, natural de Braga, falou sobre a sua participação no 25 de Abril, contando que esteve preso por ter feito parte da intentona das Caldas da Rainha, em 16 de março de 1974, tendo sido mobilizado para a Escola Prática de Cavalaria, em Santarém. Aí foi abordado por Salgueiro Maia para colaborar na revolta, ficando com a incumbência de explicar e pôr ao lado dos revoltosos as dezenas de cadetes daquela unidade, enquanto as restantes tropas rumavam a Lisboa.
Paulino Carvalho foi jogador de futebol pelo Sporting de Braga. Foi emprestado ao Gil Vicente Futebol Clube na época 1970/1971, ano em que este subiu da terceira para a segunda divisão. Depois regressou ao Sporting de Braga.
A exposição está patente até 22 de junho e pode ser vista todos os dias, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00.