Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

FAMALICÃO MELHORA REDE DE SANEAMENTO BÁSICO

Freguesia do Louro beneficia de obras de saneamento básico

A taxa de cobertura do saneamento básico na freguesia do Louro vai passar de cerca de 50 por cento do território para mais de 70 por cento. O aumento da rede que vai levar saneamento básico a 150 novas casas deve-se à realização de uma empreitada que decorre em quatro frentes e que fica concluída até ao início do mês de Junho.

foto l salg matos.jpg

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e o presidente da Junta de freguesia, Manuel Silva, visitaram os trabalhos na passada quinta-feira e mostraram-se muito satisfeito com a concretização da obra.

“Era uma obra urgentíssima” para a freguesia referiu Manuel Silva, salientando que com a sua conclusão “vamos ficar muito bem servidos” em termos de saneamento.

Por sua vez, Paulo Cunha realçou que se trata de um aumento da rede de saneamento em“cerca de 3,8 quilómetros de extensão, o que significa a criação de centena e meia de novos ramais que vão servir famílias empresas”. Para o autarca “trata-se de um investimento na qualidade de vida e bem-estar das pessoas”.

Saneamento.jpeg

A empreitada implica um investimento municipal de mais de 200 mil euros e faz parte de um pacote de obras de valor superior a 4 milhões de euros anunciado pela autarquia e que vai levar mais 30 quilómetros de rede de água e 60 quilómetros de rede de saneamento básico a dez mil habitações do concelho.

Museu Bernardino Machado debate “Os partidos políticos e a questão religiosa”

É nesta sexta-feira, 24 de março, que o Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, acolhe mais uma conferência do ciclo “Os Partidos e as grandes questões da I República”.

Desta vez o convidado é o professor Luís Salgado de Matos que vem abordar a temática «Os partidos políticos e a questão religiosa na 1ª República». Para o convidado, esta frase na aparência neutra evoca uma história que ainda hoje divide os portugueses: onde uns vêem perseguição, outros vêem libertação. Procuraremos ler a questão com outros óculos – que aliás Luís Salgado de Matos já utilizou em escritos publicados. O tema remete para as associações voluntárias hoje qualificadas partidos políticos. Luís Salgado de Matos referirá que depois do 5 de outubro de 1910 os partidos impuseram a religião como linha de clivagem entre eles – pois antes só a tinha assumido como objeto de necessária separação entre o Estado e a organização social (à qual a Igreja pertenceria). Depois de recontar a questão, com os tais óculos outros, o conferencista propõe-se evocá-la  de outro ângulo, aliás menos frequente: na 1ª República, a religião perdeu ou ganhou relevância social e humana? Os dirigentes dos partidos republicanos eram antirreligiosos ou indiferentes, como os conflitos com o catolicismo parecem sugerir, ou eram religiosos? Tudo isto em menos de sessenta minutos, para depois haver um debate frutuoso.

Luís Salgado de Matos, nascido em Lisboa, no ano de 1946, é investigador principal com agregação do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. É formado em Direito (1969) e Doutor em Sociologia Política (2000) pela Universidade de Lisboa. Tem o Diplôme d’Études Approfondies em Análise Comparativa dos Sistemas Políticos pela Sorbonne (Universidade de Paris I, 1979).

O seu programa de investigação está centrado nas «instituições triangulares»: a Igreja, para a identidade; as Forças Armadas, para a segurança; e o Estado, para a reprodução (O Estado de Ordens, 2004). É autor de numerosa bibliografia sobre estas três instituições.

Entidades do voluntariado reunidas

Recolher contributos, partilhar ideias e definir linhas de ação para tornar o voluntariado mais ativo e próximo. Foram os principais objetivos da iniciativa que, na tarde da quinta-feira da semana passada, 16 de março, reuniu pela primeira vez as vinte entidades famalicenses diretamente ligadas ao voluntariado no concelho, numa mesa redonda denominada “Força V: participar e inovar”.

A sessão foi promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão no âmbito das comemorações do Ano do Voluntariado. A autarquia fez-se representar pela Vereadora da Família, Sofia Fernandes, e pelo Adjunto do Presidente da Câmara para a Ação Social, Ademar Carvalho.

O encontro, que decorreu na Casa das Artes, contou também com a presença da Confederação Portuguesa de Voluntariado e superou as expectativas. Mais do que se conhecerem pessoalmente, os participantes tiveram a oportunidade de ouvir diversas perspetivas e dimensões do voluntariado.

IMG_0749 (1).jpg