Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BARCELOS PROMOVE CAMINHO DE SANTIAGO

Conferência destaca trabalho do Município de Barcelos na promoção do Caminho Central de Santiago Iniciativa realizada no dia 4 de maio no âmbito da Festa das Cruzes

O último dia programa da Festa das Cruzes foi dedicado ao Caminho de Santiago, com duas importantes iniciativas que decorreram na manhã e na tarde do dia 4 de maio.

04_MAIO_02

A primeira consistiu numa caminhada de peregrinos entre a Igreja Matriz de Barcelos e o Albergue da Recoleta, em Tamel S. Pedro Fins, uma ação simbólica que juntou cerca de duas centenas de participantes e que culminou numa eucaristia na capela de Nossa Senhora da Portela, junto àquele albergue.

À tarde, no Salão Nobre da Câmara Municipal, realizou-se a conferência “Barcelos no Caminho de Santiago”, que contou com vários intervenientes nos dois painéis em discussão.

Na apresentação da conferência, a vereadora do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Barcelos, Elisa Braga, saudou os oradores e reiterou a aposta do Município na promoção do Caminho Português de Santiago, destacando algumas das ações concretas que têm vindo a ser desenvolvidas, como a recente ratificação do itinerário do Caminho Central em Barcelos. “Santiago consegue isto! Junta tantas pessoas à volta deste tema”, de que esta conferência é um bom exemplo, referiu ainda a vereadora.

Moderado por Nuno Rodrigues, da Associação de Espaços Jacobeus (AEJ), o primeiro painel analisou as perspetivas de desenvolvimento turístico proporcionadas pelo Caminho e incluiu o depoimento de Miguel Pazos Oton, da Universidade de Santiago de Compostela, que elogiou o trabalho de divulgação que está a ser feito pelo Município de Barcelos.

Este especialista alertou para a necessidade de melhorar a sinalética e, de um modo geral, os poderes públicos e os voluntários para as questões relacionadas com a manutenção do Caminho. Destacou, ainda, a necessidade de diversificar a oferta hoteleira e melhorar os albergues, uma vez que estamos a falar de um produto turístico e cultural de grande riqueza económica para o norte de Portugal e para a Galiza.

Miguel Oton referiu ainda que, apesar das novas tecnologias, o carimbo em papel não deve desaparecer, pois faz parte da identidade dos próprios Caminhos.

José Carro Otero, em representação da Arquiconfraria de Santiago de Compostela, começou por afirmar que “os Caminhos de Santiago são uma pluralidade que começam nas portas das casas das pessoas que decidem peregrinar em direção ao túmulo do apóstolo Santiago”. Por isso, diz José Otero, “peregrinar é fazer uma viagem sagrada”, mas também “move ideias e culturas”.

Barcelos é, neste contexto e “desde sempre, um ponto especial na rede viária do Caminho (Português) de Santiago”. De facto, D. Nuno Álvares Pereira, era um grande devoto de Santiago e a própria Ordem de Santiago é comum a Portugal e a Castela. O património material e imaterial do concelho estão muito ligados a Santiago (caso da lenda do galo) e ao culto mariano.

O segundo painel começou com o lançamento do Guia Interativo do Caminho Português de Santiago em Barcelos, com Miguel Pereira, autor do projeto, a fazer a apresentação desta aplicação eletrónica totalmente gratuita e que já está ativa. Procurou-se, com este projeto, responder ao aumento de procura de informação sobre o Caminho de Santigo, particularmente nos 32 quilómetros que percorrem Barcelos.

A aplicação fornece um vasto conjunto de informações a que o peregrino tem acesso por telemóvel, bastando direcioná-lo para o código QR, disponível no site do Município.

A sessão, moderada por Lúcio Lourenço, da AEJ, contou também com a presença de José Luís Sanchez, da Via Lusitânia, e de Celestino Lores e Franscisco Sampaio, da associação Amigos do Caminho Português de Santiago. Este último alertou para o momento crucial que atualmente vive o Caminho de Santiago, tendo em conta os desafios que se colocam à sua afirmação e possibilidades de apoio via fundos comunitários, bem como a sua preparação no âmbito dos anos santos.