Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GRUPO DE PIFARADAS E GAITADAS TRAZEM AO FOLKLOURES’18 AS TRADIÇÕES DA SERRA DA ESTRELA

FolkLoures’18 é uma iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho e conta com o apoio da Câmara Municipal de Loures

O Grupo das Pifaradas e Gaitadas dos Pastores de Alvaro Cardoso Pessoa vai participar no Festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

CapturarPifaradas

Fundado em 1979 com vista a divulgar os usos e costumes das gentes da serra da Estrela, mais concretamente de Unhais da Serra, o Grupo das Pifaradas e Gaitadas é constituído por 9 musicos regidos por Alvaro Cardoso Pessoa e reproduz os ritmos dos instrumentos de percussão tradicionais dos povos pastoris que descendem dos ancestrais guerreiros lusitanos dos montes Hermínios.

1459782_617707071626619_1960275131_n

22555970_1594583930605590_1901278769_o

Capturarfolk

GRUPO DE DANÇAS E CANTARES DO ALTO DO MOINHO LEVA AO FOLKLOURES’18 AS TRADIÇÕES DAS GENTES DO DOURO LITORAL

Iniciativa do Grupo Folclórico Verde Minho com o apoio da Câmara Municipal de Loures, no âmbito do FolkLoures’18

O Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho, sediado no concelho da Amadora, vai participar no Festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

CapturarAltoMoinhoAlfragide

O Grupo de Danças e Cantares do Alto do Moinho foi fundado em 1987 e encontra-se sediado na Associação de Moradores Alto do Moinho, no Bairro do Zambujal, concelho da Amadora, nos limites geográficos com a cidade de Lisboa. No entanto, este grupo representa com fidelidade os usos e costumes das gentes do Douro Litoral, na realidade a região geo-etnográfica de Entre-Douro-e-Minho.

Este é um grupo que apresenta variadíssimos trajes de entre os quais se destacam, os trajes de trabalho, traje de romaria, traje de vendedeiras de bolos, traje de aguadeira, traje de lavadeira, traje de vindimador, entre outros.

De modo a representar fidedignamente o folclore do Douro Litoral, aliás região d’Entre-o-Douro-e-Minho para sermos mais rigorosos do ponto de vista geo-etnográfico, este grupo fez uma recolha das modas e trajes das regiões de Gondomar, Trofa, Maia e outras regiões do grande Porto.

No seu repertório, este grupo, apresenta modas de roda como a caninha verde, cantares ao desafio como a Desgarrada, danças melodiosas e em coluna como a Pastorinha e a real Caninha, entre outras bastante demonstrativas da região do Douro Litoral.

O Grupo está inscrito na Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto. Inicialmente com o nome de Rancho Folclórico Alto do Moinho, após 20 anos de actividade decidiu com o apoio da Associação de Moradores, fazer uma reestruturação completa, nascendo assim o Grupo Danças e Cantares Alto do Moinho, composto por cerca de 50 elementos, com idades compreendidas entre os 5 e os 80 anos com gente oriunda de norte a sul do país, sendo esta uma das razões pela qual foi motivado a representar as danças e cantares de todo o país, exibindo trajes de diversas regiões.

Capturarfolk

UP CÁVADO LANÇA INICIATIVA “BUSINESS TALKS”

CIM Cávado e CEDRAC promovem sessões de capacitação de empresários

Tendo em conta os domínios estratégicos para a inovação e o desenvolvimento empresarial, a Comunidade Intermunicipal do Cávado e a CEDRAC – Conselho Empresarial do Ave e Cávado lançam a 1ª edição do “UP Cávado Business Talks”, iniciativa que pretende promover um conjunto de sessões informais de capacitação de empresários orientadas para as PMEs do Cávado.

CARTAZ Cávado Business talks (002)

A primeira sessão realiza-se já no próximo dia 25 de outubro, pelas 16h30, no Salão Nobre da Associação Comercial de Braga, e irá ser abordado o tema Liderança Mobilizadora, pelo orador Jorge Sequeira.

O ciclo de sessões  decorrem entre outubro de 2017 e abril de 2018, e pretendem abordar, pela voz de oradores de referência, diversas temáticas críticas para a competitividade das PMEs deste território: Liderança, Gestão de recursos humanos, Marketing e vendas, Processos de internacionalização, Acesso a fontes de financiamento, entre outros.

As sessões, de acesso gratuito para empresários, terão lugar nos municípios de Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

Este programa de capacitação acontece no âmbito do UP Cávado, projeto promovido pela CIM Cávado, em parceria com a Invest Braga e a Agência de Energia do Cávado, e conta com o apoio do Programa Operacional NORTE 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Mais informações podem ser encontradas em www.upcavado.pt.

MUSEU DAS MIGRAÇÕES E DAS COMUNIDADES DE FAFE PARTICIPA EM SEMINÁRIO NO BRASIL

A Fundação Casa de Rui Barbosa do Ministério da Cultura do Brasil, o Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense e o Município de Fafe promovem um seminário sobre "O Brasileiro de Torna-Viagem e a Construção da Luso-brasilidade no Oitocentos", muito centrado nas memórias de Fafe. 

O evento realiza-se na segunda-feira, 23 de Outubro, na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro (Brasil).

Programa do seminário:

10h – Palestra:
O Brasileiro de Torna Viagem na sociedade portuguesa da segunda metade de Oitocentos – representações e realidades.
Profa. Dra. Isilda Monteiro (pesquisadora do CEPESE, professora da ESEPF, Portugal)

15h - Abertura da Exposição: 
Fafe dos "Brasileiros": heranças & memórias

16h - Mesa-redonda: Memória da Imigração
Me. Artur Coimbra (director do Museu das Migrações e das Comunidades, de Fafe)
Luíza Campos de Carvalho (curadora do Arquivo Albino O. Guimarães)
Dra. Ana Pessoa (pesquisadora da FCRB)
Mediadora: Profa. Dra. Ismênia Martins (PPGH-UFF) 

22365352_10212249248499292_561736377023716590_n

FAMALICÃO DÁ POSSE A ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS

Novos órgãos autárquicos tomaram posse para o ciclo autárquico 2017-2021. Paulo Cunha quer desenvolvimento com substância em Vila Nova de Famalicão

Um concelho mais próspero, socialmente mais integrado, mais global, com uma maior presença e projeção internacional, construído com a participação de todos os cidadãos. Este é, em linhas gerais, os grandes objetivos que o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, pretende atingir no ciclo autárquico 2017- 2021 que iniciou este domingo 15 de outubro, com a tomada de posse dos novos órgãos autárquicos do município.

image54854

O grande auditório da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão foi pequeno para acolher todos os famalicenses que quiseram testemunhar o arranque do novo ciclo autárquico, numa cerimónia que foi presidida pelo Presidente da Assembleia Municipal, Nuno Melo, também ele novamente empossado na sequência das eleições autárquicas do passado dia 1 de outubro.

Paulo Cunha preconiza “um mandato para os famalicenses” e, por isso, a proximidade e disponibilidade dos eleitos para com os eleitores vai continuar a ser uma marca forte do exercício autárquico em Vila Nova de Famalicão. Mais do que isso, os famalicenses são chamados  a “envolver-se realisticamente no processo de gestão autárquica” através de uma política de governança envolvente e desafiante. “Vamos desenvolver uma Câmara Municipal cada vez mais próxima da comunidade, criando condições para granjear cumplicidades e compromissos com a  sociedade civil e com todos os atores sociais”, adiantou o autarca que, recorde-se, mereceu a confiança de 67,3% dos eleitores de Vila Nova de Famalicão que compareceram às urnas nas recentes eleições para as autarquias locais.

image54857

“Estou absolutamente seguro que se nós conseguirmos abrir esta frente de relacionamento autárquico com toda a comunidade, os autarcas de freguesia, as instituições sociais,  as empresas e os cidadãos, seremos muito melhor sucedidos porque não estaremos sozinhos”, explicou Paulo Cunha referindo que “um presidente de Câmara Municipal  não se pode limitar a gerir recursos e afetá-los a necessidades,  também tem que ter a vocação de mobilizar, de interpelar, de convocar e de motivar”.

Quanto a metodologia, o Presidente da Câmara Municipal fala na construção de um edifício assente nos quatro grandes pilares fundamentais que constituem a espinha dorsal do seu programa eleitoral. Prosperidade, onde entra, entre outras linhas de ação, a dinamização da economia, o combate ao desemprego e a afirmação da identidade através da cultura; inclusão social, através da introdução de mecanismos para a criação de igualdade de oportunidades e que permitam a mobilidade social; internacionalização, com a exportação de Vila Nova de Famalicão para a Europa e o Mundo; e a dimensão colaborativa, através da desejada cogestão da coisa pública.

“Queremos assegurar um desenvolvimento que tenha retorno para o concelho, cujos benefícios fiquem em Famalicão e sejam proveitosos para os famalicenses”, explicou Paulo Cunha falando na perseguição de um “bom desenvolvimento”. “Desenvolvimento simultaneamente inclusivo, inteligente e sustentável para o posicionamento de um município com resiliência social, autónomo, forte e, na medida do possível, imune às contingências  nacionais e internacionais negativas.”

image54956

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA E PROMOÇÃO DO GERÊS ORGANIZA FÓRUM GERÊS

Fórum Gerês 2017_cartaz vfinal

PROGRAMA

09:45 | Recepção e registo de presença dos participantes

10:15 | Sessão de acolhimento

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Dr. José Arriscado | Vice-Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo e Director do Hotel S. Bento

10:30 | Painel 1: território e património

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Prof. José Mota Alves Presidente da ATAHCA - Associação de Desenvolvimento Local

Abordagem/Tema: A importância da dimensão tradicional do património cultural local

Dr. Duarte Figueiredo Chefe de Divisão no ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e Florestas

Abordagem/Tema: O património natural do Parque Nacional da Peneda-Gerês e a sua relação com o turismo

11:30 | Coffee-break

11:45 | Painel 2: educação, formação e qualificação

Moderador | Prof. Dr. José Carlos Meneses Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorado em História da Arte Oradores |

Dr. João Luís de Matos Nogueira Director Geral da Escola Profissional Amar Terra Verde

Abordagem/Tema: Desafios do ensino profissional em territórios de baixa densidade populacional

Profª Drª Isabel Borges Coordenadora do Curso Técnico Superior Profissional de Gestão Hoteleira e Alojamento do Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Doutorada em Turismo

Abordagem/Tema: O papel do ensino superior privado na crescente procura por profissionais qualificados em turismo e hotelaria

Prof. Dr. Carlos Fernandes Coordenador da licenciatura em Turismo do Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Doutorado em Turismo Abordagem/Tema: A importância da abrangência de competências dos profissionais de turismo e a melhoria da qualidade dos serviços nos destinos turísticos

13:00 | Almoço livre

14:30 | Painel 3: dinâmicas empresariais / trabalho em rede Moderador |

Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento

Oradores |

Profª Drª Alexandra Malheiro Directora da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Instituto Politécnico Cávado-Ave; Doutorada em Marketing e Estratégia

Abordagem/Tema: A importância da cooperação empresarial no desenvolvimento de estratégias de marketing territorial

Engª Sónia Almeida Administradora Delegada da ADERE Peneda-Gerês - Associação de Desenvolvimento Regional Abordagem/Tema: Os 5 municípios abrangidos pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês e as relações empresariais do turismo no território

Dr. José Carlos Pires Presidente da associação empresarial Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês

Abordagem/Tema: O papel da associação Gerês Viver Turismo no desenvolvimento turístico do concelho de Terras de Bouro

15:30 | Painel 4: planeamento, ordenamento e estratégias do turismo

Moderador | Dr. Jorge Coelho Técnico de turismo na associação empresarial Gerês Viver Turismo; Docente convidado no Instituto de Estudos Superiores de Fafe; Mestre em Turismo, Inovação e Desenvolvimento Oradores |

Dr. José Martins Gerente da empresa GeoAtributo - Planeamento e Ordenamento do Território

Abordagem/Tema: A importância do planeamento e ordenamento do território nas políticas e estratégias do turismo

Dr. Filipe Ortigão Guimarães Director Executivo da Associação de Turismo do Porto e Norte/Agência Regional de Promoção Externa

Abordagem/Tema: Estratégias para a promoção externa do Porto e Norte de Portugal e o produto Turismo de Natureza

16:15 | Sessão de encerramento

Dr. José Carlos Pires | Presidente da associação Gerês Viver Turismo

Sr. Manuel Tibo | Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

Engº Luís Macedo | Secretário Executivo da Comunidade Intermunicipal do Cávado

Drª Ana Mendes Godinho | Secretária de Estado do Turismo (a confirmar)

16:45 | Verde de Honra

Organização | Gerês Viver Turismo - Associação de Defesa e Promoção do Gerês www.geres.pt

Apoio Institucional | Instituto de Estudos Superiores de Fafe www.iesfafe.pt

Câmara Municipal de Terras de Bouro www.cm-terrasdebouro.pt

Patrocínios | Hotel S. Bento | www.hotel.sbento.pt

Beira Rio do Gerês | www.beirariodogeres.pt

Escola Profissional Amar Terra Verde | www.epatv.pt

Águas do Gerês – Hotel, Termas & SPA | solardasboucas.blogspot.pt

Águas Fastio | www.fastio.pt

Informações | vivergeres@gmail.com | 912 508 644

ARCOS DE VALDEVEZ REALIZA FESTIVAL GASTRONÓMICO PICA NO CHÃO

Arcos à Mesa Pica no Chão. 21 e 22 de outubro em Arcos de Valdevez

No fim-de-semana de 21 e 22 de outubro, Arcos de Valdevez será palco de mais uma edição dos “Ciclos Gastronómicos”, retornando às mesas dos restaurantes arcuenses o tradicional “Arroz de Pica no Chão”, acompanhado dos excelentes vinhos verdes da região.

picanochao2017_cartaz

Este é um prato que faz parte de um vasto e rico património gastronómico concelhio que defende a qualidade dos produtos locais de criação caseira e biológica, como atributo fundamental na confeção desta iguaria; muito vulgar é também a designação deste prato por “Arroz de cabidela”. Em Arcos de Valdevez poderá também deliciar-se com sobremesas assentes na doçaria tradicional arcuense, com destaque para os “Charutos de Ovos com Laranja de Ermelo”, o “Bolo de Mel” e o “Bolo de Discos”.

A par desta iniciativa decorrerá no fim de semana a “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”, a qual contará com atuação de rusgas e do Grupo Musical “Alegria Lima”, bem como participar em visitas guiadas a quintas de produção de verde, caminhadas pela serra, tertúlias, assistir a espetáculos de teatro e a oficinas.

Aproveite para fazer um roteiro gastronómico singular e genuíno pelos sabores tradicionais de Arcos de Valdevez, contando com a participação de vários restaurantes aderentes.

Em Arcos de Valdevez poderá passar também um fim de semana de convívio e lazer em família num ambiente saudável, usufruindo de toda a oferta existente ao nível do turismo de natureza, nomeadamente, passeios pela Ecovia do Vez, passeios a cavalo, a realização de trilhos, descidas do rio em kayak, passeios de todo o terreno, entre outros.

Convidamo-lo a visitar Arcos de Valdevez, concelho onde fica Sistelo, umas das 7 Maravilhas de Portugal, aldeias. Um concelho inserido no Parque Nacional Peneda Gerês, Reserva Mundial da Biosfera e detentor de um património natural e cultural vasto e rico. Venha fazer um itinerário pelos sabores da nossa gastronomia, pelas nossas tradições, pela nossa cultura e pela beleza natural deste território.

Estamos a uma hora do Porto e Vigo e meia hora de Braga

CICLO GASTRONÓMICO PICA NO CHÃO

21 e 22 de OUTUBRO

PROGRAMA

PROGRAMA

20 de Outubro  | Sexta-Feira

22h00 – TEATRO: “A Lola”, Grupo de Teatro Avelaiña (Galiza) - Auditório da Casa das Artes

            * Bilhete gratuita

21 de Outubro  |  Sábado

 

10h00 - Abertura “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

            - Campo do Trasladário

 10h00 - Rota dos Vinhos de Arcos de Valdevez - Roteiro do Vez

  • O Roteiro inclui visita guiada a 2 Quintas com provas de vinhos e produtos locais

 Quintas a visitar: Quinta de Santa Marinha, Quinta de Aguiã

 O percurso é efectuado em autocarro (parque de estacionamento gratuito junto do ponto de encontro)

 Ponto de encontro: Posto de Turismo de Arcos de Valdevez (R. Prof. Mário Júlio B. A. Costa), 9h45

10h30 – Acontece In loco: Caminhada pela serra, rebanhos e gestão de combustível em áreas baldias - Local. Porta do Mezio * Inscrições: Porta do Mezio  | Tel. 258 510 100  |  Atividade Gratuita

12h30 - Ciclo Gastronómico do Pica no Chão

               Restaurantes Aderentes

15h00 – Tertúlia: os sistemas agro-silvo-pastoris em espaços de alto valor natural – Local. Porta do Mezio * Inscrições: Porta do Mezio  | Tel. 258 510 100  |  Atividade Gratuita

15h30 - Rusga Popular: Rusga de S. Jorge

         - Campo do Trasladário

19h00 - Encerramento da “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

         - Campo do Trasladário

20h00 – Ciclo Gastronómico do Pica no Chão

               Restaurantes Aderentes

22h00 – TEATRO: “A Nobre Cauda”, GTV/Grupo de Teatro do Vez - Auditório da Casa das Artes

            * Entrada gratuita

22 de Outubro  |  Domingo

10h00 - Abertura da “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

             - Campo do Trasladário

10h30 – Uma manhã passeando pelos lugares e socalcos de Sistelo – Local. Sistelo

            * Inscrições: Porta do Mezio  | Tel. 258 510 100  |  Atividade Gratuita

12h30 - Ciclo Gastronómico do Pica no Chão

               Restaurantes Aderentes

14h30 – Mãos nas Lãs – Oficina 100 %     Serra D´Arga – Local. Sistelo

            * Inscrições: Porta do Mezio  | Tel. 258 510 100  |  Atividade Gratuita

15h00 – Sistelo: Oficina de inovação Social – Local. Sistelo

            * Inscrições: Porta do Mezio  | Tel. 258 510 100  |  Atividade Gratuita

15h30 - Atuação do Grupo Musical “Alegria Lima

               Campo do Trasladário

18h00 - Encerramento da Feira dos Produtos: “Feira de Artesanato e Mercado de Sabores”

picanochao2017_flyerweb

picanochao2017_flyerweb

BRACARENSES CAMINHAM CONTRA O AVC

Braga no centro das comemorações do Dia Mundial do AVC. ‘Corrida e Caminhada Vital contra o AVC’ realiza-se a 29 de Outubro

No ano em que Braga foi eleita pela Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC) como Cidade das comemorações do Dia Mundial do AVC, realiza-se a 29 de Outubro a 4.ª edição da ‘Corrida e Caminhada Vital Contra o AVC’. A iniciativa é organizada pelo Município de Braga, Hospital de Braga, SPAVC e Núcleo de Estudantes de Medicina da Universidade do Minho (NEMUM).

3

Com esta iniciativa, pretende-se alertar a população para os riscos do AVC, as suas manifestações e tratamentos, assim como sensibilizar para a sua prevenção através da adopção de um estilo de vida saudável.

Na apresentação do evento, realizada hoje, dia 16 de Outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, Sameiro Araújo, Vereadora do Desporto e Juventude, salientou a aposta que o Município tem vindo a fazer nos últimos quatro anos na criação de programas de actividade física para todas as faixas etárias. “Braga é cada vez mais uma Cidade voltada para a actividade física e para a prática desportiva que são factores determinantes para a prevenção dos riscos de AVC”, afirmou a vereadora, referindo que a organização espera chegar aos dois mil participantes.

A ‘Corrida & Caminhada Vital Contra o AVC’, que se realiza no âmbito do Dia Mundial do AVC, terá um percurso de 9km e a caminhada de 3km, tendo ambas como ponto de partida e chegada a Avenida Central. No local decorrerá também um rastreio para detectar factores de risco vascular que será realizado pelo NEMUM. 

As inscrições podem ser feitas online através do site do Hospital de Braga, em www.hospitaldebraga.pt, até ao dia 23 de Outubro. A participação tem o custo simbólico de dois euros.

O evento conta com as parcerias da Cruz Vermelha – Delegação de Braga, Sabseg, Inatel, Agrupamento de Escuteiros 660 de Montariol, Regimento de Cavalaria nº6, Associação de Atletismo de Braga e Comando Distrital de Braga da Polícia de Segurança Pública.

4

PORMINHO APRESENTA PROJETO DE EXPANSÃO E INOVAÇÃO

Ministro da Economia, Caldeira Cabral, e Presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, visitam a empresa famalicense esta terça-feira, 17 de outubro, pelas 15h30

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vai visitar as instalações industriais da PORMINHO, em Outiz, Vila Nova de Famalicão, esta terça-feira, 17 de outubro, pelas 15h30, para ficar a conhecer o projeto de expansão e inovação que a empresa se prepara para colocar em prática. O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, associa-se a esta visita do governante.

O fundador da Porminho, Alcino Freitas, com o filho, Tiago Freitas

A Porminho é uma empresa agroalimentar que há mais de 30 anos atua no sector das carnes. Com 250 trabalhadores, é uma empresa exportadora, com marca própria e com os olhos postos no futuro.

Com vista à ampliação das suas instalações produtivas, à criação de 30 novos postos de trabalho diretos e à dinamização de áreas críticas, como é o caso da Investigação & Desenvolvimento, a Porminho prepara-se para realizar um investimento na ordem dos 18 milhões de euros.

Detida a 100% pela família Freitas, a Porminho foi fundada em 1984 por Alcino e Olinda Freitas. O que há 33 anos começou como um pequeno negócio de carnes transformou-se numa das maiores empresas do país. 

PONTE PEDONAL VAI LIGAR CERVEIRA À GALIZA

Prorrogado prazo para apresentação de propostas para a travessia pedonal Cerveira-Tomiño

Acaba de ser publicado no Boletim Oficial da Província de Pontevedra uma alteração às bases do Concurso de Ideias para a futura ponte pedonal/ciclável transfronteiriça entre Cerveira e Tomiño. Com o intuito depermitir a participação de um maior número de profissionais, o prazo para apresentação de propostas foi alargado até meados de dezembro.

amizade

A alteração em causacentrou-se em dar resposta às solicitações dos concorrentes interessados, sobretudo ao nível de timings, mas também foram suprimidas algumasexigências, nomeadamente o ter realizado procedimentos construtivos para a execução de pontes e travessias, nos últimos 15 anos, além depermitiralargar o concurso aos autores de outro tipo de construções singulares.

De uma forma geral, as bases do concurso mantêm a versão original das propostas para a travessia, tendo em conta a adequação funcional da nova estrutura com a necessária integração nas redes viárias e espaços públicos das duas margens do rio Minho, as condições de accesibilidade, a minimização do impacto à navegabilidade do rio, a integração ambiental paisagística, a compatibilidade com o espaço natural de ribeira e com o património histórico envolvente, a valorização dos parques Castelinho e Espaço Fortaleza, assim como a viabilidade técnica, construtiva e económica da solução proposta, a qualidade formal e a qualidade da documentação apresentada.

O concurso de ideias, tal como estava previsto, vai desenvolver-seemtrês fases. Neste momento, abre-seum novo prazo de apresentaçãode propostas de 60 dias, para a seleçãodas trêsmelhores propostas de estudo técnico. A melhor proposta será eleita por um jurado internacional, com representatividade de escolas técnicas, colégios oficiais e administrações comcompetências e interesses na ponte de ambos lados do rio.

A elaboração do projeto da futura ponte pedonal e ciclável sobre o rio Minho enquadra-senuma das atividades do projeto VISIT_RIO_MINHO apresentado à primeira convocatória do Programa OperacionalEspaña-Portugal (POCTEP) 2014-2020 Interreg V-A, fruto deuma candidatura conjunta da Deputación de Pontevedra com a CIM Alto Minho, os concelhos do norte de Portugal, a Fundación CEER, o Centro Tecnológico do Mar e a Universidade de Vigo. Oprojeto obteve um cofinanciamento de 75% de fundos FEDER, para umorçamento total aprovado de dois milhões de euros.

"SABORES DA TERRA" FOI UM FESTIVAL EM ESCARIZ S. MAMEDE

‘Sabores da Terra’ fizeram as delícias de milhares de visitantes em Escariz S. Mamede!

Os saberes e sabores da tradição minhota atraíram largos milhares de visitantes à freguesia de Escariz S. Mamede durante o passado fim de semana, 14 e 15 de outubro. A decoração dos altares com produtos hortícolas, o festival de folclore, a gastronomia regional, a feirinha das colheitas, o encontro de tocadores de concertina e as exposições de artesanato são as atividades que mais se destacam num programa rico e diversificado, que levou os participantes numa emocionante viagem à descoberta do genuíno pulsar do mundo rural. A iniciativa Sabores da Terra é organizada pela Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho, com a colaboração da paróquia local, e insere-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que se estende de agosto a novembro com 35 iniciativas de promoção da cultura popular do Minho.

A (1)

A nota de maior destaque vai para o trabalho de arte e criatividade desenvolvido pelos escarizenses. Pimentos, maçãs, castanhas ou alho francês são apenas alguns dos imensos produtos hortícolas que por esta altura decoram os altares da igreja paroquial de Escariz S. Mamede. Um trabalho de minúcia, dedicação e muita criatividade, em que se produzem autênticas obras de arte inspiradas na época das colheitas. A tarde de domingo, 15 de outubro, assumiu-se como um autêntico hino à cultura popular. Depois de admirarem as obras de artes produzidas pelos voluntários locais, os visitantes puderam aconchegar o estômago na tasquinha regional, onde se confecionavam algumas das mais apreciadas iguarias da gastronomia minhota, com destaque o famoso Pica no Chão. No palco, a animação prosseguiu tarde dentro com um animado encontro de tocadores de concertina. Ali perto, decorria também a feirinha tradicional, onde se comercializaram produtos viçosos do campo, doçaria caseira e animais vivos, entre outros.

A (2)

“A afluência popular foi ainda maior que nas edições anteriores”

Uma montra privilegiada de promoção do que de mais genuíno a freguesia tem para oferecer, que todos os anos atrai um mar de gente a Escariz. “O balanço é extremamente positivo, este ano a afluência popular foi ainda maior que nas edições anteriores. Tivemos cá muitos milhares de pessoas ao longo dos dois dias do evento”, afirmou o presidente da Junta da União de Freguesias de Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho. Adelino Machado prosseguiu congratulando o Município de Vila Verde pela programação Na Rota das Colheitas, “um mega cartaz turístico do concelho e das nossas potencialidades”, e sublinhou também a importância deste tipo de atividades para as freguesias e as populações. “Com esta iniciativa procuramos estimular o convívio e a diversão, atrair visitantes a Escariz e promover as nossas potencialidades, valorizando os produtos e as pessoas. Por outro lado, esta festa também tem como objetivo angariar fundos para as obras da paróquia. A verba deste ano será direcionada para as obras de restauro do interior da igreja paroquial”, referiu Adelino Machado.

A (3)

Forte espírito de união e de comunidade

Presente no local, a vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, congratulou o empenho, arte e criatividade dos populares que continuam a criar autênticas obras de arte para adornar a igreja paroquial. “É uma decoração digna de qualquer cartaz turístico, a freguesia está de parabéns pela forma como se une em prol das tradições e da cultura. Demonstram um grande sentido de comunidade e trabalham de forma abnegada para promover a iniciativa e valorizar a freguesia”, afirmou Júlia Fernandes, recordando que a Rota das Colheitas segue a todo o vapor até ao último fim de semana de novembro, com inúmeras iniciativas que, tal como os ‘Sabores da Terra’, desempenham um papel determinante na promoção da cultura local, dinamização da economia e valorização do território.

A (4)

A (5)

B

GRUPO FOLCLÓRICO VERDE MINHO LEVA A ALEGRIA E O COLORIDO DO FOLCLORE MINHOTO AO FOLKLOURES’18

O Grupo Folclórico Verde Minho é um dos agrupamentos participantes no Festival intercultural que terá lugar no dia 7 de Julho de 2018. A próxima edição do FolkLoures decorre de 30 de Junho a 7 de Julho de 2018, e incluirá conferências, exposições, feira de produtos tradicionais e um festival de folclore a ter lugar no Parque da Cidade, em Loures.

CapturarVerdeMinho

O Grupo Folclórico Verde Minho é o anfitrião do FolkLoures – Encontro de Culturas e a quem se deve a criação deste evento que se caracteriza pela sua originalidade, espírito fraterno e carácter inclusivo.

Através deste grandioso festival que inclui exposições, conferências e outras iniciativas de carácter tradicional, os minhotos que vivem em Loures procuram de alguma forma retribuir à terra o excelente acolhimento com que foram recebidos neste concelho dos arredores de Lisboa e, ao mesmo tempo, contribuir para a integração e convivência saudável entre todas as comunidades imigrantes que aqui vivem, sejam elas de origem lusófona ou de outras culturas.

A edição do FolkLoures’18 – Encontro de Culturas, vai ter o seu início no dia 30 de Junho com a realização de uma exposição e de uma palestra, prolongando-se durante toda a semana até ao dia 7 de Julho, altura em que tem lugar um grandioso espectáculo de culturas tradicionais.

Disse um dia o escritor transmontano Miguel Torga, “…no Minho tudo é verde, o caldo é verde, o vinho é verde…” – não podiam, pois, os minhotos que vivem na região de Lisboa, deixar de tomar para si a identificação cromática que caracteriza a sua região.

Respondendo ao chamamento da terra que os viu nascer, os minhotos que vivem nos arredores de Lisboa, mais concretamente no Concelho de Loures, decidiram em tempos criar um grupo folclórico que os ajuda a manter a sua ligação afectiva às origens. Assim nasceu em 1994 o “Grupo Folclórico e Etnográfico Danças e Cantares Verde Minho”, anunciado como seu propósito a preservação, salvaguarda e divulgação das suas raízes culturais.

Visa através da sua atuação promover as tradições da nossa região nomeadamente junto dos mais jovens ao mesmo tempo que valoriza os seus conhecimentos musicais e da etnografia minhota.

As danças e cantares que exibe são alegres e exuberantes como animadas são as mais exuberantes romarias do Minho. Trajam de linho e sorrobeco e vestem trajes de trabalho e domingueiros, de mordoma e lavradeira, de noivos, de ir ao monte e à feira. Calçam tamancos e ostentam o barrete e o chapéu braguês. As moças, graciosas e belas nos seus trajes garridos bordados pelas delicadas mãos de artista, com a sua graciosidade e simpatia, exibem vaidosas os colares de contas e as reluzentes arrecadas de filigrana que são a obra-prima da ourivesaria minhota.

Ao som da concertina e da viola braguesa, do bombo e do reque-reque, dos ferrinhos e do cavaquinho, cantam e dançam a chula e o vira, a rusga e a cana-verde, com a graciosidade e a desenvoltura que caracteriza as gentes do Minho. O seu reportório foi recolhido em meados do século passado, junto das pessoas mais antigas cujo conhecimento lhes foi transmitido ao longo de gerações, nas aldeias mais remotas das serranias da Peneda e das Argas, nas margens do Minho e do Lima, desde Melgaço a Ponte da Barca, do Soajo a Viana do Castelo. Levam consigo a merenda e os instrumentos de trabalho que servem na lavoura como a foicinha e o malho, os cestos de vime e os varapaus, as cabaças e os cabazes do farnel.

Qual hino de louvor ao Criador, o Minho, terra luminosa e verde que a todos nos seduz pelo seu natural e infinito encanto, salpicado de capelinhas aonde o seu povo acorre em sincera devoção, é ali representado por um punhado de jovens, uns mais do que outros, os quais presenteiam o público com o que o Minho possui de mais genuíno – o seu Folclore!

Capturarfolk

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO DE FAMALICÃO PEDE À UNIÃO EUROPEIA QUE ESTEJA ATENTA ÀS EXPERIÊNCIAS LOCAIS NA CONSTRUÇÃO DE COMUNIDADES MAIS RESILIENTES

Presidente da Câmara Municipal levou à Europa experiência de Vila Nova de Famalicão. Paulo Cunha pede atenção da Europa para a dimensão local e regional

“A Comissão Europeia deve olhar mais para as experiências locais na construção de comunidades mais resilientes”. A afirmação de Paulo Cunha foi proferida na Semana Europeia das Cidades e das Regiões da Europa - Open Days 2017, que decorreu em Bruxelas ao longo da última semana, e surgiu no enquadramento da realização de um encontro de partilha de experiências locais de resistência e de superação bem sucedidas, que reuniu na Casa da Noruega uma audiência multifacetada de representantes de mais de duas dezenas de regiões e cidades europeias (região de Castela e Leão (Espanha), Principado das Astúrias (Espanha), Cidade de Trondheim (Noruega), região de East England (Inglaterra), Região de Warmia e Mazury (Polónia), Região da Normandia (França), Região de Vastra Gotaland (Suécia), Condado de Hordaland (Noruega).

IMG_2637

O desafio lançado por Paulo Cunha ao centro de decisão das políticas europeias surgiu, assim,  depois da apresentação de múltiplos exemplos de iniciativas locais e regionais de vários países europeus, bem demonstrativos da capacidade empreendedora e inovadora dos agentes locais ao nível de políticas públicas, sobretudo ao nível da energia, sociedade da informação/”dados abertos” e transportes.

O exemplo de Vila Nova de Famalicão foi um dos temas em discussão no encontro “Parceiros Inteligentes para Comunidades Locais Resilientes”, com Paulo Cunha a mostrar à Europa a capacidade que “desde há largos anos” os famalicenses evidenciam de adaptação e de superação a condições adversas, tirando inclusivamente partido desses contextos históricos para transformações positivas ao nível do desenvolvimento.

Entre outras, o autarca apontou como exemplos dessa capacidade elástica e empreendedora dos famalicenses fazerem frente aos desafios que vão aparecendo no seu percurso coletivo,  transformando inclusivamente contextos difíceis em alavancas de desenvolvimento, a criação em Famalicão, na primeira metade do Século XX, de cooperativas para a distribuição e fornecimento de energia às fábricas e populações, a resposta na última década do setor têxtil e de vestuário ao processo de integração europeia e de globalização mundial, a recente experiência de introdução do serviço de transporte público a pedido e o apoio, também recente, do município à instalação de uma central termoelétrica a biomassa florestal que pressupõe um acordo para a limpeza e recolha de resíduos florestais.

“Foi um momento de afirmação da capacidade empreendedora de Vila Nova de Famalicao no contexto Europeu e também uma oportunidade de aprendizagem a partir das práticas inovadoras de outros municípios e regiões da Europa”, disse o Presidente da Câmara Municipal, convicto que “as governações à escala europeia e nacional têm muito a aprender com as políticas públicas desenvolvidas ao nível local e regional.”

IMG_2666