Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MUSEU DO TRAJE DE VIANA DO CASTELO APRESENTA COLECÇÃO DE AMADEU COSTA

“Traje e Chieira” é o título da exposição temporária de Amadeu Costa que vai estar patente ao público no Museu do Traje de Viana do Castelo, a partir do próximo dia 22 de Outubro. Trata-se de uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Viana do Castelo e da família do conceituado etnógrafo vianense.

capture1

Amadeu Costa foi um dos grandes divulgadores do Traje à Vianesa, através de exposições, palestras ou da organização da Festas da Senhora d’Agonia e foi também um incansável lutador pela criação de um museu dedicado ao traje regional em Viana do Castelo.

No momento da compra do edifício do Banco de Portugal para a instalação desse Museu, em 1996, foi ele quem organizou a exposição Traje Regional, a primeira que aqui se realizou e, no ano seguinte, organizou também a exposição que marcou a inauguração do Museu: Ambientes Regionais e Trajes. Por esta razão o Museu atribuiu a uma das suas salas o nome de Galeria Amadeu Costa.

Ao longo da sua vida, Amadeu Costa reuniu uma colecção de dezenas de fatos que agora a sua família decidiu, num acto de grande generosidade, doar ao Museu. Esta colecção demonstra a sensibilidade com que viu o traje, e, através dele, o povo vianense. Ele soube guardar e enaltecer os trajes ricos, mas também os mais humildes, mais esquecidos, aqueles que chamaram menos a atenção dos coleccionadores: os trajes de trabalho, grosseiros, com pouca decoração, do quotidiano duro, das idas ao monte cortar o mato para as camas dos animais, ou das lavradas que duravam dias inteiros.

É esta a colecção que agora mostramos e que tem uma fundamental importância para o Museu poder cumprir a sua missão de estudar e divulgar os modos de vida tradicionais do Alto Minho dos finais do século XIX e inícios do XX, que formam a identidade vianense e alto minhota.