Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

ESPOSENDENSES DEBATEM ETNOGRAFIA E FOLCLORE

4.º Seminário da RNCMR debateu “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”

“A Cultura dos mares e dos rios está muito bem representada em Esposende”- afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Esposende e da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios (RNCMR), no 4.º Seminário desta Rede, que decorreu ontem, 17 de novembro, no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, subordinado à temática “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”.

.

O evento, que integrou as comemorações do Dia Nacional do Mar, celebrado a 16 de novembro, promoveu a reflexão e o debate em torno do folclore e da etnografia do mar, não só no que diz respeito a Esposende, como também aos vizinhos concelhos de Viana do Castelo e da Póvoa de Varzim.

Na sessão de abertura, antecedida da projeção do filme “Esposende e o seu Folclore”, o Presidente Benjamim Pereira deu nota do envolvimento e do empenho do Município, que preside pelo segundo mandato consecutivo à RNCMR, na defesa, promoção e valorização do ambiente e do mar. Lembrou, a propósito, a criação da plataforma OMARE “Observatório Marinho de Esposende - Portal de Informação da Biodiversidade Marinha do Litoral Norte de Portugal”, publicamente apresentada no Dia Nacional do Mar, um projeto que resulta da parceria entre a Câmara Municipal de Esposende, a Universidade do Minho e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

.

Benjamim Pereira realçou que Esposende, enquanto município presidente da RNCM, abraçou um projeto de registo de tecnologias e de tradições associadas à cultura ribeirinha, fluvial e atlântica, que visa estudar para preservar e divulgar.

Aludindo ao 4.º Seminário da RNCMR, assinalou que o folclore mantém vivas muitas das tradições locais, que sobrevivem a par das danças e cantares nas atividades dos Ranchos ou Grupos Etnográficos, notando que  “Esposende apresenta ainda um património cultural  relacionado com o mar e com os rios Cávado e Neiva muito ativo”. Exemplificou com a Romaria de São Bartolomeu do Mar com o Banho Santo, candidata à Lista Nacional de Património Cultural Imaterial em 2016, com o artesanato do junco marítimo com um tipo de tecelagem e de cestaria de características pré-industriais que ainda se pratica em Forjães, ou a “apanha do sargaço” que ainda se faz para uso exclusivo na agricultura tradicional do concelho, usado depois de seco ao sol como fertilizante, e popularizada principalmente nas mareadas do sargaço, em Apúlia. Deu, ainda, nota do estudo da atividade agro-marítima sargaceira, candidatada a Património Cultural Imaterial em 2005 e atualmente na base do futuro núcleo museológico das paisagens do sargaço do litoral de Esposende.

Concluiu, agradecendo ao Almirante José Bastos Saldanha, um dos fundadores da RNCMR e seu Vice-presidente, representando a Sociedade de Geografia de Lisboa, o empenho e esforço deste organismo em promover a construção de ferramentas de preservação do património cultural dos mares e dos rios e da sua difusão.

José Bastos Saldanha saudou a continuidade de Benjamim Pereira na presidência da Câmara Municipal, notando que a Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios é “um projeto de continuidade e em construção”, e elogiou a ação que tem sido desenvolvida pelo Município de Esposende na presidência deste organismo. Referiu que o objetivo é dar continuidade a esse trabalho, procurando envolver mais municípios. Ciente dos grandes desafios que se apresentam à RNCMR, José Bastos Saldanha referiu que é primordial “demonstrar o estado ambiental dos nossos mares”, que considerou  “a base para fundamentar a intervenção de ordem económica”.

O Comissário Científico, Álvaro Campelo, realçou a importância do conhecimento do passado e das tradições e defendeu a necessidade de “construir uma economia azul”, afirmando que Esposende tem procurado construir “uma identidade azul”.

O tema “Mares do Sargaço - mares vizinhos” deu o mote ao primeiro painel, moderado pela Vereadora da Educação e Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, no qual foram apresentadas algumas boas práticas dos concelhos de Viana do Castelo e da Póvoa de Varzim. Hermenegildo Viana, do Museu do Traje de Viana do Castelo, falou sobre os “trajes do Litoral Vianense”, Paulo Torres, Presidente da Junta de Freguesia de Castelo do Neiva – Museu do Sargaço do Castelo do Neiva, debruçou-se sobre “O Argaço de Castelo do Neiva” e Deolinda Carneiro, em representação do Museu de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, apresentou “O traje popular do litoral português e o vestuário do Grupo Folclórico Poveiro”.

Num segundo painel, dedicado às “Paisagens do Sargaço - mar de Esposende”, moderado pelo Vice-presidente da RNCMR, José Bastos Saldanha, Artur Viana, do Parque Natural Litoral Norte, falou sobre “30 anos de Área Protegida”; Manuel Dourado, do Grupo de Marinheiros de Fonte Boa, deu a conhecer “Atividades Agro-marítimas de Fonte Boa”; Elsa Teixeira, do Museu Marítimo de Esposende – Associação Forum Esposendense” centrou a sua intervenção sobre a temática “Conservar o quê, para quê e para quem?”, e Filipe Queiroga e Hélder Cardoso, do Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia, falaram sobre “Apúlia e Sargaço – Uma relação entre a terra e o mar”.

No encerramento dos trabalhos, a Vereadora da Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, assinalou que já antes de presidir à RNCMR, Esposende desenvolvia muitos e bons projetos no âmbito da cultura piscatória e marinheira, mas também agro-marítima, nomeadamente relacionada com o sargaço, envolvendo-se agora, também, noutros que passam pelas Redes locais, como a Rede de Museus de Esposende, que promove o trabalho conjugado entre todas as entidades museais do concelho, e a rede informal de agrupamentos folclóricos que conta já com oito instituições, que inventariam e preservam os valiosos e frágeis testemunhos da vida quotidiana de outrora.

Angélica Cruz expressou a sua satisfação pela partilha cultural proporcionada neste 4.º Seminário da RNCMR. “Estamos perante um novo caminho de investigação, de salvaguarda e de identidade cultural”, afirmou, agradecendo a todos os oradores o seu contributo para a divulgação e conhecimento sobre o folclore e a etnografia do mar, bem como “a participação de quem, no terreno, preserva, mantém, divulga e garante a existência destes valiosos patrimónios culturais ativos, os ranchos ou grupos folclóricos”. Deixou, ainda, agradecimentos ao Comissário Científico Álvaro Campelo e ao Vice-Presidente da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios, José Bastos Saldanha.

.

O ARDINA JACOBEU

* Crónica de Paulo Freitas do Amaral

Jacobeu era um ardina da Vila Berço. Vivia nesta Vila que era uma pequena localidade perdida na serra e que ficava encantada ao ouvir os seus pregões pela manhã, entre a hora que se come e aquela em que se arregaça as mangas para ir trabalhar. 

22365475_2600102556681490_6732764169889340463_n

O ardina era um rapaz dos seus 18 anos mas  já sabia o que a vida custava a ganhar.Todos os dias ainda pelo escuro lá ia ele na sua bicicleta, por estradas de terra, buscar ao apeadeiro o jornal que chegava da cidade para depois o ir distribuir pela sua gente. 

O povo confiava em Jacobeu, além dos lindos pregões que saiam da sua boca, o rapaz de cara singela e cândida, ganhava a confiança dos conterrâneos que lhe faziam confidências, pediam-lhe conselhos e viam em Jacobeu uma referência de capacidade de trabalho, e um verdadeiro amigo que na sua vida humilde era um símbolo de amizade, profissionalismo  e com uma opinião sensata para com os seus próximos.

Um dia, Jacobeu teve uma ideia brilhante…lembrou-se que podia acabar com aquela vida dura, se além de apregoar o jornal vindo da cidade, começasse a fazer, a editar, a dirigir e a apregoar o seu próprio jornal…

Desta forma, Jacobeu acabou com a sua vida de sacrifício e começou a trabalhar em casa, de tarde, para lançar o seu próprio jornal.

Chegado o grande dia de lançamento do Jornal a que chamou “Berço”, o povo comprou em massa e os elogios pela cidade eram mais que muitos. Aquele periódico retratava a terra como ninguém o sabia fazer e Jacobeu começou a ganhar mais dinheiro e a ter uma vida mais desafogada.

Mas com o tempo a passar, Jacobeu começou a aumentar a sua ambição e ao mesmo tempo a ter algumas dificuldades com a necessidade de conteúdos que havia na pequena Vila para o seu jornal. 

Foi aí então que o ardina, agora também jornalista, editor e proprietário teve uma grande ideia; uma vez que era confidente do Presidente da Vila, iria falar da intenção do político em construir uma estrada alcatroada para a estação de comboio. Jacobeu assim o fez na manchete do jornal na semana seguinte.

Os resultados foram imediatos, Jacobeu no mês seguinte já não tinha de ir para a vila de bicicleta numa estrada de terra. A sua vida melhorava a olhos vistos e Jacobeu estava delirante…As confidências que a população lhe contava publicadas no jornal “O Berço” sucediam-se e com muitas delas Jacobeu ganhava poder e notoriedade mas ao mesmo tempo inimigos. 

No entanto,a opinião do povo acerca de Jacobeu ia mudando e o rapaz já não era visto com a confiança, imparcialidade e simplicidade que outrora o caracterizava…

Mas os problemas com os conteúdos para o seu jornal continuavam e Jacobeu já tinha chegado a um patamar que não queria perder.Foi então que se lembrou de um golpe comercial…As eleições para governação da Vila estavam a chegar e Jacobeu falou com o seu amigo de infância Timóteo para se candidatar contra o Presidente da Vila em funções. 

Assim foi,Timóteo e Jacobeu fizeram uma grande dupla na campanha…um utilizando o jornal e o outro fazendo discursos prometendo mundos e fundos….mas o povo na hora de votar escolheu o Presidente que tinha feito as estradas, as pontes da vila e ajudado os mais pobres guardando sempre em segredo as dificuldades de cada uma das pessoas da sua terra….

Jacobeu ficou triste com o resultado eleitoral mas mais triste ficou o povo com a sua atitude deixando de uma vez por todas de comprar o seu jornal…O ardina passado algum tempo voltou ao que sabia fazer bem e a vila voltou a ouvir os seus pregões.No entanto Jacobeu já não ia de bicicleta,  nem ia em estradas de terra buscar o jornal que chegava da cidade…as coisas para o bem e para mal já não eram as mesmas...

AMARENSE BATE RECORDE DE LONGEVIDADE

Amarense acarinhada pelo presidente Manuel Moreira ao comemorar 105 lindas primaveras

Teresa Soares, natural de Sequeiros, e uma das mais antigas habitantes do concelho de Amares, comemorou, ontem, mais de um século de vida, somando 105 anos de uma história recheada de vivências e afetos. Um dia de grande emotividade para familiares e amigos, que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Amares que também fez questão de homenagear a aniversariante.

image_6483441 (2)

Manuel Moreira acarinhou esta data tão especial entregando 105 rosas à D. Teresa, num gesto que simbolizou, precisamente, cada ano de vida da existência desta senhora.

"É uma alegria enorme estar aqui hoje com esta senhora e esta família. Que bonito que é chegar a esta idade! A D. Teresa é um exemplo vivo daquilo que pode ser a capacidade humana", referiu.

O momento foi, ainda, oportunidade para destacar a importância que os idosos assumem na sociedade e o papel que a família desempenha no seu bem estar.

"Precisamos de ter sempre presente que a sociedade é feita por pessoas, histórias e afetos. As pessoas mais velhas construíram o nosso passado e são uma referência importantíssima para o presente. É um privilégio tê-los entre nós", sublinhou o autarca.

"A família desempenha um papel insubstituível na vida e no bem estar dos idosos por isso, neste festejo, gostaria de deixar uma palavra muito especial à família mais próxima da D. Teresa, sobretudo aqueles que diariamente cuidam dela", acrescentou.

Note-se que, com 105 anos de vida, a D. Teresa Soares tem uma vasta família, composta por 3 filhos, 5 netos, 7 bisnetos e 4 tetranetos.

MONÇÃO INAUGURA REQUALIFICAÇÃO DO ADRO DA IGREJA PAROQUIAL DE TANGIL

A obra de requalificação do adro da Igreja Paroquial de Tangil vai ser inaugurada este domingo, pelas 11h30, com a presença do Bispo da Diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira, que celebrará a eucaristia solene, com início às 10h30.

Igreja tangil (Large)

O investimento representou um custo próximo de 60.000,00 €, suportado, em partes iguais, pela Câmara Municipal de Monção e Secretaria de Estado das Autarquias Locais. Além da sua importância para a paróquia e população local, esta intervenção permite a valorização do património religioso no concelho.

A assinatura do protocolo de colaboração teve lugar no dia 29 de março do presente ano, ao final da tarde, no Centro Cultural do Vale do Mouro, contando com a presença, entre outros, do Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel.
Fernando Silva

MONÇÃO: “TRAGA AS SUAS IDEIAS, CONHEÇA AS NOSSAS”

O título diz tudo. A reunião entre a autarquia monçanense e os comerciantes e empresários tendo como ponto de trabalho a preparação da programação de Natal resultou numa iniciativa de partilha de opiniões e objetivos na procura de um período festivo e religioso do agrado de todos.

DSC_0406 (Large)

Com o auditório da Biblioteca Municipal de Monção a rebentar pelas costuras, frase feita e completamente verdadeira, o presidente do município, António Barbosa, mostrou-se “surpreendido e satisfeito com o número de comerciantes e empresários presentes”, revelando que “este encontro é um sinal claro que é possível reverter o ciclo negativo e fortalecer o comércio tradicional junto da população local e visitantes”.

A seu lado, o Vereador da Ação Social, Cultura e Turismo, João Oliveira, apresentou as linhas orientadoras, ainda em construção, do que será a programação deste ano, solicitando opiniões e sugestões aos presentes para que esta época tenha os ingredientes certos: animação, público e rentabilização económica.

Partindo do pressuposto que “este é o ano zero e não é possível fazer tudo o que queríamos”, João Oliveira adiantou que a iluminação de Natal será alargada e que a animação será reforçada com a presença de figuras ligadas ao Natal e grupos musicais. Em horas específicas, principio e final da tarde, percorrerão as ruas do centro histórico e avenidas/urbanizações envolventes.

Está igualmente prevista a disponibilização de tapetes vermelhos aos comerciantes/empresários e a criação de uma rede de presépios, em tamanho real, dispersa por toda a vila. Trata-se de uma parceria com as coletividades locais, contando ainda com o apoio da Associação de Artesãos Post`Arte que, ao lado de cada presépio, colocará dois expositores com artigos alusivos à época.

Na Praça Deu-la-Deu Martins, vai situar-se a “Casa do Pai Natal”, com oficina de manualidades/ateliês infantis, e quatro expositores para venda de chocolate quente, crepes e bolanhas, iniciativa da Comissão de Festas em Honra à Virgem das Dores.

A grande novidade é uma pista de gelo que, com toda a certeza, fará a delícia dos mais pequenos. Funcionará entre as 14h00 e as 20h00 e terá como “chamariz” o facto de poder ser utilizada gratuitamente, durante um tempo determinado, pelos clientes do comércio tradicional.

Exemplificando: uma pessoa compra um artigo ou produto em qualquer comércio tradicional e recebe um voucher (distribuído pela autarquia pelos comerciantes) que lhe permitirá usufruir da pista de gelo. O acesso ao voucher depende do valor da compra, o qual fica a critério do comerciante. O tempo gratuito na pista de gelo, em análise, não deverá exceder os quinze minutos.

Falta dizer que toda esta animação decorre entre 16 de dezembro e 7 de janeiro, contudo, o ponto de partida acontece no dia 30 de novembro, quinta-feira, pelas 18h00, quando tiver lugar a ligação da iluminação de Natal e dos estabelecimentos comerciais. “Juntos, vamos iluminar Monção” é o lema deste ato simbólico que marca o inicio da festividade.

Concluída a apresentação, seguiram-se várias intervenções, com opiniões e sugestões dos comerciantes, que irão contribuir para o sucesso religioso, festivo e económico da quadra natalícia. Muitas serão englobadas no programa, na logística e na promoção.

De ressalvar, a forma positiva como foram recebidas as iniciativas anunciadas pela autarquia e a disponibilidade manifestada pelos comerciantes na iluminação e decoração das montras e no prolongamento de abertura ao público na semana anterior ao Natal.

No final, com o auditório vazio, saltava à vista o número pouco habitual de cadeiras. Mais que o normal. Para tantas pessoas foi necessário recorrer à sala multimédia e à sala infanto-juvenil. Mais que uma constatação é uma mensagem de esperança no futuro do comércio tradicional. Vamos acreditar. Com força.

Fernando Silva

DSC_0408 (Large)

DSC_0412 (Large)

DSC_0413 (Large)

DSC_0417 (Large)

BRAGA DIVULGA DOMUS DA ESCOLA VELHA DA SÉ

Actividades divulgam Domus da Escola Velha da Sé

O Município de Braga promove nos dias 28 de Novembro, 5 e 12 de Dezembro no ‘Domus da Escola Velha da Sé’ a actividade ‘Cantar Histórias’.

Domus__1_

Esta actividade é direccionada para o público sénior (utente dos Centros de Dia) e vai decorrer a partir das 14h45. O “Cantar Estórias” conta com a participação de António Castanheira e integrará ainda uma visita guiada ao espaço musealizado.

Para o dia 1 de Dezembro, no mesmo local, está agendado o ateliê ‘Mosaicos’. Esta é uma actividade, direccionada para o público em geral, serão abordadas técnicas de execução de um mosaico romano, materializando-se na criação de objectos uteis do dia-a-dia, tais como caixas porta presentes, porta lápis, mealheiros, marcadores de guardanapos ou outros, sempre decorados com motivos de mosaicos romanos.

A participação nestas actividades é gratuita mas carece de marcação prévia junto do pelouro do Património – Gabinete de Arqueologia, através do telefone 253 203 150 ou do e-mail gab.arqueologia@cm-braga.pt

OBRAS EM BRAGA CONDICIONAM TRÂNSITO

Condicionamentos à normal circulação de trânsito

O Município de Braga informa que, devido à realização de trabalhos de consolidações de pavimentos na Rua Gabriel Pereira de Castro e na Rua Conselheiro Januário, em S. Vicente, haverá constrangimentos de trânsito na próxima Terça-feira, dia 21 de Novembro.

A interdição iniciar-se-á às 09h00, estimando-se que se prolongue até às 16h00 do mesmo dia.

O planeamento dos trabalhos exigirá, por questões de segurança, a circulação alternada de viaturas, condicionando-se sempre parcialmente um sentido de circulação. Este condicionalismo será coordenado por agentes da Policia Municipal destacados para o efeito.

Agradecemos aos Órgãos de Comunicação Social a melhor divulgação possível para estas informações.

GRUPO DESPORTIVO E CULTURAL DOS TRABALHADORES DOS ESTALEIROS NAVAIS DE VIANA DO CASTELO COMEMORA 50 ANOS DE EXISTÊNCIA

Espetáculo do Cinquentenário do GDCT ENVC sofre alterações.

Por motivos de doença, Pedro Caldeira Cabral, infelizmente, não vai poder estar presente neste espetáculo que o GDCTENVC quer que se apresente como emblemático e grandioso. No entanto, esta Coletividade não perdeu tempo e com a anuência da Câmara Municipal, que presta especial apoio a esta iniciativa, contratou Custódio Castelo, um artista do mesmo nível.

image004

Custódio Castelo foi distinguido com o prémio Amália Rodrigues para o melhor instrumentista de guitarra portuguesa em 2010. Para além de compositor e professor, este artista foi o mentor da 1ª Licenciatura e Mestrado na Guitarra Portuguesa. Como músico é considerado um indiscutível mestre da guitarra portuguesa na atualidade. Para o musicólogo Rui Vieira Nery, Custódio Castelo “é, sem dúvida, uma das referências indiscutíveis da renovação da guitarra portuguesa, nas últimas duas décadas”. Custódio Castelo estará também presente na tertúlia sobre a guitarra portuguesa, a realizar na sede do GDCTENVC, no dia 29, às 21,30 horas, para a qual também estava prevista a presença de PCC.

1ª Parte - Custódio Castelo

2ª Parte - Fado com a Banda Filarmónica da Associação Musical de Vila Nova de Anha

Maestro: Francisco Lima

Fadistas: Ana Ferreira e Jorge Nande

Francisco Vieira (Guitarra Portuguesa), João Martins (Guitarra Clássica) e Henrique Rabaçal (Baixo Acústico)

Os bilhetes para o concerto estão disponíveis para venda no:

  • Teatro Municipal Sá de Miranda:

Segunda a sexta-feira: das 9h00 às 19h00.

Dias de espetáculo: das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 22h00.

Sábado e domingos em dias de espetáculos: 2 horas antes.

  • Centro Cultural de Viana do Castelo, no dia do espetáculo, entre as 18h00 e as 22h00, se a lotação não estiver esgotada.

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: M/6 anos

BILHETE: 5€ plateia | bancada

PAN APRESENTA PROPOSTAS PARA O ORÇAMENTO DE ESTADO DE 2018

PAN – Pessoas-Animais-Natureza

Lista medidas OE 2018

SAÚDE

  1. Reforço de Nutricionistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS);
  2. Reforço de Nutricionistas na Escola Pública;
  3. Reforço de 75 Psicólogos para Escolas (+ 200 psicólogos do POCH);
  4. Reforço de 40 Psicólogos no SNS;
  5. Reforço de 50 Psicólogos para os serviços prisionais;
  6. Criar condições para partos na água nos hospitais;
  7. Taxa intermédia de IVA na prática de atividades físicas, com ou sem instrutor (com exceção do golfe);
  8. Alargamento do pagamento do subsídio especial de educação, passando este a ser pago anualmente e não apenas durante o período escolar, por forma a permitir a continuidade da intervenção psicológica nos meses de férias escolares;
  9. Comparticipação da linha pediátrica de produtos para ostomizados;
  10. Reforço de Fisioterapeutas no SNS;
  11. IVA reduzido nos acessórios para as próteses auditivas;
  12. Reforço de Optometristas no SNS;
  13. Aplicar o IVA de 6% para os serviços de teleassistência a idosos e a doentes crónicos, sejam esses serviços prestados ao utente final, sejam eles prestados a outras entidades públicas ou privadas;

ALIMENTAÇÃO E BEM-ESTAR

  1. Distribuição de fruta às crianças do pré-escolar;
  2. Disponibilizar bebidas vegetais no 1º ciclo e pré-escolar;
  3. Alterar a taxa mínima do IVA para produtos como a banha e outras gorduras de porco;
  4. Aumento do IVA do leite com chocolate e do leite aromatizado;
  5. Aplicação do imposto especial de consumo sobre bebidas açucaradas a leites achocolatados e aromatizados;

JUSTIÇA SOCIAL

  1. Construção de 49 salas de atendimento às vítimas nas esquadras de forma faseada até 2021;
  2. Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa nos Hospitais;
  3. Gratuitidade no acesso aos museus e monumentos nacionais para estudantes do ensino profissional e superior nas áreas históricos-artísticas e de turismo, património e gestão cultural;
  4. Estímulo à alteração de hábitos de consumo, ao desperdício e à mentalidade do “descartável” (dedução à colecta de despesas com a reparação de computadores e de bens de uso pessoal e doméstico);
  5. Atualização das tabelas de honorários dos advogados oficiosos em 5%;
  6. Concessão de benefícios a empresas que combatam o desperdício alimentar;
  7. Entrada em vigor no primeiro trimestre de 2018 do Estatuto dos Registos e Notariado (que aguardam com uma portaria provisória desde 2001);
  8. Aumento do valor base da prestação social para a inclusão até ao montante estimado para o limiar da pobreza;

JUSTIÇA FISCAL 

  1. Fim da Isenção de IVA para artistas tauromáquicos;
  2. Revogação da taxa intermédia de IVA para entradas em espetáculos tauromáquicos;
  3. Redução do IVA na alimentação de animais de companhia;
  4. Redução do IVA nos tratamentos veterinários;
  5. Dedução em IRS das despesas com medicamentos destinadas a animais de companhia;
  6. Fim dos subsídios às eletroprodutoras para construção de novas barragens;
  7. Dedução em sede de IRS das despesas de sustentabilidade (as incorridas com a aquisição de bicicletas, de veículos elétricos capacitados para o trânsito em vias rodoviárias, janelas de vidro duplo eficientes, ou outros de classe de eficiência máxima, e de painéis solares ou dispositivos de produção elétrica pela captação de energia eólica);
  8. Taxa intermédia de IVA para aquisição de aparelhos, máquinas e equipamentos destinados à produção de energia renovável;
  9. Aumento da Taxa de Recursos Hídricos para produtores de energia elétrica e agropecuária;
  10. Taxa sobre munições de chumbo;
  11. Permitir a dedução em IRS das despesas com todas as áreas da psicologia (atualmente só é possível psicologia clínica);
  12. Isenção de IVA para todos os Psicólogos (não apenas Psicólogos clínicos que são os que agora estão isentos);
  13. Isenção de IVA para Optometristas;
  14. Maior acesso à justiça para todos: reduzir o IVA dos serviços de consultoria jurídica para todos os cidadãos e cidadãs (atualmente só beneficiam de IVA reduzido os desempregados e trabalhadores no âmbito de processos judiciais de natureza laboral e a pessoas que beneficiem de apoio de advogados judiciosos);

AGRICULTURA E BIODIVERSIDADE         

  1. Pacote de 13 medidas para a implementação da Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica;
  2. Aumento de IVA sobre os pesticidas e agrotóxicos - objetivo é aumentar os pesticidas e fertilizantes utilizados na agricultura convencional, mantendo à taxa mínima os utilizados na agricultura biológica
  3. Contratação de quatro técnicos superiores para o Banco Português de Germoplasma Vegetal;

FLORESTA E ECOSSISTEMAS

  1. Criação de programa específico de apoio à instalação e implementação de carvalhos, castanheiros e outras folhosas – Proposta: Reforço de 2 milhões de euros (50% do Fundo Florestal Permanente e 50% do Fundo Ambiental) para criação de programa de financiamento de apoio à instalação e implementação de carvalhos, castanheiros e outras folhosas num total de 1000/hectares, bem como apoio à manutenção no valor de 250€/ano/hectare, durante 21 anos;
  2. Dedução das despesas relativas à limpeza de terrenos florestais em sede de IRS;
  3. Reforço da Verba 8.1.1 do PDR2020 (promover a florestação de terras agrícolas e não agrícolas), aumentando o valor dos prémios de manutenção das folhosas e eliminando o atribuído as resinosas);
  4. Reforço de 5 milhões de euros do Fundo Florestal Permanente para contratar vigilantes para a floresta nos meses mais críticos, localizando as equipas nos territórios onde o risco de incêndio é elevado a máximo e onde a sua perigosidade seja alta a muita alta (projeto piloto de contratação de 1000 vigilantes durante 5 meses – 1000 pessoas x 1000€/mês x 5 meses = 5.000.000€);
  5. Mais Vigilantes da Natureza (205 durante 2018 e programação de contratação anual de forma a atingir 525 vigilantes até 2020);
  6. Alargamento aos motociclos dos incentivos fiscais na compra dos veículos elétricos;
  7. Alargar a contribuição fiscal de 0,08€ a todos os sacos de plástico;
  8. Alteração da Lei da Fiscalidade Verde: aumento da taxa de gestão de resíduos;
  9. Alteração da Lei da Fiscalidade Verde: terminar com o benefício concedido ao envio para inceneração que só paga 70% da taxa passando a pagar a totalidade;
  10. Redução do IVA do papel reciclado;
  11. Avaliação das necessidades de transportes públicos em termos de acessibilidade e realização de obras necessárias;

PROTEÇÃO ANIMAL

  1. Atribuição de verba de 2 milhões de euros para a construção de Centros de Recolha Oficial de Animais;
  2. Registo e taxa obrigatória para matilhas de caça;
  3. Criação de linha de apoio a escolas de formação de cães de assistência;
  4. Atribuição de verba de 1 milhão de euros para campanha nacional de esterilização;
  5. Alterar a taxa mínima do IVA para a criação de animais para experiências de laboratório;
  6. Criação de equipa de salvação e resgate animal na Proteção Civil;

CABECEIRAS DE BASTO RECEBE COMPANHIA BRASILEIRA ETC

O Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto (CTCMCB) acolhe na próxima semana, de 20 a 22 de novembro, a Cia. Etc, companhia brasileira que apresenta a sua arte universal por quatro cidades de Portugal ao longo deste mês.

os-superficiais

A Cia. Etc completa 17 anos de existência com uma digressão internacional, desta vez em Portugal. O grupo congrega dança, performance, mostra de videodanças e workshops nas suas apresentações. As cidades que serão contempladas com a passagem do grupo em 2017 são Coimbra, Braga, Cabeceiras de Basto e Lisboa, entre os dias 10 e 30 de novembro.

A companhia leva nesta circulação por Portugal, o espetáculo ‘Os Superficiais’, a intervenção urbana ‘Involuntário’, ambos criados para serem apresentados em espaços públicos abertos, e uma mostra de videodanças da companhia, que vem investindo desde 2008, ainda no Brasil, nas pesquisas que envolvem o diálogo entre a dança e o cinema. A companhia apresenta também as suas mais recentes criações de videodanças. Esta é uma linguagem que está presente na companhia há quase 10 anos e que já gerou diversas pesquisas, cursos, intercâmbios e participação em muitos festivais de cinema e videodança do mundo. Para Portugal, especificamente, Cia. Etc leva videodanças de Maxixe, Bokeh, Rebu e Dança Macabra. De referir que a itinerância internacional conta com o incentivo do Funcultura (Brasil).

os-superficiais 2

Enquanto projeto cultural de Cabeceiras de Basto, o CTCMCB, que acolhe a companhia brasileira na próxima semana, pretende através desta iniciativa acrescentar uma dinâmica ainda maior ao concelho, com uma programação que extrapola as fronteiras e expande a cultura local conectando-a com pensamentos artísticos contemporâneos de diferentes partes do mundo. Com cinco anos de existência, o Centro de Teatro, para além da programação com os artistas locais, já conseguiu desenvolver projetos com o Brasil e com a Grécia, num constante fortalecimento de uma rede de contactos e de parcerias que envolve diversos segmentos das artes e que promove uma efervescência cultural ativa, trazendo à população local uma programa rico e promovendo fora do concelho a cultura cabeceirense.

dancamacabra

OS SUPERFICIAIS

Dedica-se à investigação dos tipos de relações estabelecidas com o mundo pós-moderno marcado pela velocidade e superficialidade nas interações sociais, partindo das memórias pessoais de seus artistas criadores Elis Costa, José W Júnior, Marcelo Sena e Renata Vieira. Com direção de Marcelo Sena, o espetáculo inspira-se nas redes sociais virtuais para propor uma obra, um jogo ou uma brincadeira que aposta na tão recorrente exposição pessoal, na cópia compartilhada como original, na velocidade e volume da informação, na superficialidade do conteúdo, na interrupção das ação e na dificuldade de manter um só foco de atenção.

INVOLUNTÁRIO

Na intervenção urbana os artistas estão envoltos numa bolha vermelha e interagem com os passantes dos espaços públicos de grande movimentação do centro urbano, além de gerar posteriormente uma versão em vídeo com a duração de 1 minuto, que fica disponibilizado na internet. A intervenção foi inicialmente criada para ser unicamente uma videodança feita com celular, mas extrapolou os limites da tela, encontrando sua própria trajetória independente em seu formato presencial. Involuntário conta com quatro performers, Elis Costa, José W Júnior, Marcelo Sena e Renata Vieira, que traçam um caminho em meio à cidade buscando aguçar a sensibilidade das pessoas para o momento presente.

O projeto Cia. Etc. descobrindo Portugal tem o incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura - FUNCULTURA, com a produção de Hudson Wlamir e conta com os apoios do Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Teatrão, Mosaico - Plataforma de Projetos Inclusivos Artísticos e Educativos, Fundação Bracara Augusta e do Festival InShadow – Vídeo, Performance e Tecnologia, do qual a Cia. Etc. integra a programação do festival na cidade de Lisboa.

PROGRAMAÇÃO

20 de novembro, 10h

INVOLUNTÁRIO

Local: Feira semanal do Concelho

21 de novembro, 17h30

OS SUPERFICIAIS

Local: Praça da República (próximo ao Posto de Turismo)

22 de novembro, 21h30

MOSTRA DE VIDEODANÇAS

Local: Casa do Tempo

FICHA TÉCNICA DA CIRCULAÇÃO

Coordenação do projeto: Marcelo Sena

Dança: Elis Costa, José W Júnior, Marcelo Sena e Renata Vieira

Produção e administração: Hudson Wlamir

Assistência de produção: Júnior Bandeira

Assessoria de Imprensa: Aline Galvão

Fotografia e vídeo: Filipe Marcena

Identidade visual: Raul Kawamura

Tradução dos textos em inglês: Filipe Marcena

Assessoria contábil: Embraccon

Site: Alux Net

Realização: Cia. Etc.

Incentivo: Funcultura

Apoio: CTCMCB - Centro de Teatro da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto

Companhia Brasileira ETC (cartaz 2017) (2)

YOUON É TECNOLOGIA FAMALICENSE

YouOn integra projeto português de 9,5 milhões para criar produtos na área dos media

A tecnológica famalicense YouOn integra o consórcio de 24 entidades portuguesas que estão a participar num projeto de 9,5 milhões de euros para desenvolver novos produtos na área dos media. 

unnamed

Designado CHIC (Cooperative Holistic View on Internet and Content), este projeto mobilizador visa reforçar a exportação e a presença nacional em mercados internacionais, desenvolvendo e vendendo ao exterior, por exemplo, soluções para a captura e a transmissão dos sinais de televisão de alta resolução de 4k – a designação para a próxima geração que aí vem – através da Internet.

Pretende-se igualmente criar tecnologias de utilização da língua portuguesa falada para implementar a interface de diálogo com o televisor, permitindo que a relação dos programas e canais seja feita através da linguagem, sendo uma alternativa ao uso do comando.

Os produtos desenvolvidos no âmbito do CHIC serão comercializados em 77 mercados internacionais, dos quais se destacam o brasileiro, o alemão, o espanhol, o norte-americano, o russo e o asiático.

Liderado pela empresa Mog Technologie e com uma duração de 36 meses, o projeto CHIC envolve 24 entidades nacionais, entre universidades e centros de investigação, empresas e associações, oriundas dos principais sectores da indústria. É cofinanciado pelo Compete 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à I&D Empresarial.

MUNICÍPIO DE ESPOSENDE APELA À POUPANÇA DE ÁGUA

Em sintonia com a campanha lançada a nível nacional pelo Governo e numa ação concertada com as várias entidades gestoras dos serviços de água - Águas de Portugal, Agência Portuguesa do Ambiente e da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos, o Município de Esposende, através da Esposende Ambiente, está a desenvolver uma campanha de sensibilização apelando à poupança de água.

campanha_poupança_água

Perante as condições climatéricas que tiveram como consequência a redução muito significativa das reservas hídricas que estão na origem dos sistemas de abastecimento de água às populações, a Esposende Ambiente apela a todos os utilizadores do seu sistema de abastecimento de água para assegurar um uso mais eficiente deste bem público essencial.

Sob o lema “Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca”, a campanha visa consciencializar todos os portugueses de que a água desperdiçada num minuto é suficiente para garantir as necessidades básicas diárias de 1 milhão de pessoas.

Mais informação sobre a seca e conselhos úteis para utilizar a água de forma racional estão disponíveis online, em www.fecheatorneira.pt

ESPOSENDE PROMOVE EM SANTIAGO DE COMPOSTELA CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA

Enquanto em Santiago de Compostela se debatiam estratégias para as diferentes rotas do Caminho, em Esposende, cerca de 200 peregrinos, oriundos de diferentes regiões, recebiam a bênção na Igreja Matriz e aprofundavam o seu conhecimento sobre Esposende, no Centro de Informação Turística, antes de se fazerem ao Caminho. É crescente a importância do Caminho Português da Costa: em 2016 representava 1% do total de peregrinos que afluíram a Santiago; este ano adquire um peso de 4%.

20171111_090527

O Albergue de São Miguel de Marinhas registava, em outubro, um total de 6.300 dormidas, ou seja, mais 3000 que em período homólogo do ano passado. Mas o número de peregrinos que passa por Esposende é bastante superior, encontrando-se alguns entre os cerca de 47 mil turistas que este ano colheram informação no Centro de Informação Turística.

Reconhecendo a importância crescente do percurso, o Município de Esposende tem investido nesta área, na melhoria de percursos e no reforço da informação disponibilizada, através da sinalética e dos suportes oferecidos no Centro de Informação Turística. Para dar a conhecer o percurso que cruza Esposende, mas também para beneficiar do incremento dos fluxos turísticos que têm ocorrido no litoral norte do país, Esposende marcou presença na Fairway, Fórum do Caminho de Santiago, em conjunto com os nove municípios que desenvolveram o projeto do Caminho da Costa.

Este encontro destinou-se a profissionais, instituições e interessados nas peregrinações ao templo de Santiago de Compostela, tendo-se destacado esta segunda edição, pela grande adesão que tiveram as mesas de debate intersectoriais. Estes espaços de reflexão, nos quais participaram especialistas das diversas áreas de negócio, do mundo empresarial e instituições, fomentou a apresentação de propostas de solução de alguns dos problemas que afetam os diversos percursos do Caminho. Foram proporcionados cerca de 1600 encontros, entre entidades e empresas locais e operadores turísticos, de 15 países diferentes.

De resto, este é um nicho de mercado com grande potencial para Esposende, conforme tem revelado o aparecimento de novos negócios associados ao turismo, como hostels e todo o mercado de restauração que está intimamente associado. O fluxo de peregrinos pode, também, contribuir, a par dos desportos de mar, para atenuar a sazonalidade que vinca a atividade turística em Esposende.

O Caminho Português da Costa pretende relevar o contacto entre terra e mar, desde o Porto, ao longo de 141 quilómetros, até Valença. Neste percurso, os dez municípios envolvidos no projeto, fazem valer a vertente patrimonial e histórica de cada urbe, procurando criar uma identidade, sob o lema, “cada passo, um sentido”.

O Caminho Português da Costa une os municípios do Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença, tendo submetido uma candidatura ao programa “Norte 2020” para valorizar este Caminho e os territórios que ele atravessa.

"Neste projeto, devemos destacar todo o trabalho de cooperação que foi desenvolvido pelos dez municípios envolvidos. O objetivo é promover esta rota do Caminho de Santiago, valorizando a Cultura e a História locais”, destaca Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende.

Sendo um património imaterial com crescente interesse nacional e internacional, o Caminho de Santiago beneficia, agora, de um programa infraestrutural que permita dignificar e potenciar o seu valor intrínseco e adaptá-lo às condições atualmente exigidas pelos modernos peregrinos.

IMG_20171111_093214

IMG_20171113_085541

Pág. 1/24