Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GUIMARÃES ESTABELECE HORÁRIO ALARGADO NOS CEMITÉRIOS MUNICIPAIS

Transporte gratuito entre a cidade e o Cemitério de Monchique este domingo, 01 de novembro

Serão realizados oito percursos rodoviários entre as 09 e as 17 horas. Cemitérios municipais de Guimarães com horário alargado este domingo.

Guimaraes_Cemiterio_Monchique

O Município de Guimarães assegura este domingo, 01 de novembro, a ligação ao Cemitério de Monchique disponibilizando uma viatura para efetuar o transporte entre o centro da cidade e o recinto cemiterial situado na freguesia da Costa, próximo do limite geográfico com a freguesia de Mesão Frio.

Com utilização gratuita, o trajeto rodoviário será efetuado entre a paragem de transportes públicos localizada no Largo República do Brasil, junto ao Centro Comercial São Francisco, e o Cemitério de Monchique.

Os percursos iniciam-se às 09 horas no Largo República do Brasil e às 09:30 horas no Cemitério de Monchique, funcionando de hora a hora. A última saída está marcada para as 17 horas do Largo República do Brasil, também conhecido por “Campo da Feira”. Pelas 17:30 horas, tem início a derradeira ligação, a partir do Cemitério de Monchique.

Este fim-de-semana, a exemplo de anos anteriores, os cemitérios municipais da Atouguia e de Monchique, em Guimarães, têm um horário de funcionamento alargado, estando abertos entre as 07 e as 18 horas, por ocasião das celebrações do “Dia de Todos os Santos”, depois de igual horário ter sido praticado no dia deste sábado.

AUTARQUIA VIMARANENSE ADERE A MOVIMENTO MUNDIAL “OUTUBRO ROSA”

Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama assinalado em Guimarães com laços rosa

Adereços lembraram necessidade de realizar previamente diagnósticos. Campanha de sensibilização foi assinalada em cada serviço do Município, viaturas e edifícios de entidades participadas pela Autarquia.

Palacio_Vila_Flor_Laco_Rosa

Peças de vestuário rosa, laços na lapela da mesma cor e fachadas de edifícios decoradas assinalaram, em Guimarães, o Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama, com a Câmara Municipal a associar-se à campanha “Onda Rosa”, promovida pelo Departamento de Educação para a Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro (Núcleo Regional do Norte), no âmbito da luta contra o cancro da mama.

A campanha, dinamizada pela Divisão de Recursos Humanos, incluiu ainda a audição de uma mensagem temática nos Claustros da Câmara Municipal, a distribuição de panfletos da Liga Portuguesa Contra o Cancro por cada trabalhador, a colocação de laços rosa na porta de cada serviço e nas viaturas do Município, bem como nos edifícios de entidades participadas pela Autarquia.

Neste particular, a iniciativa foi promovida no Centro Cultural Vila Flor e Palácio, Cybercentro, Fraterna, Casfig, Vitrus, Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes (CLAII) e Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE). As páginas de internet do Município, Vitrus, Tempo Livre e Casfig também se associaram a esta ação de sensibilização.

Um pouco por todo o mundo, durante o mês de outubro, a cor rosa alastra-se com o objetivo de permitir sensibilizar a população para a temática da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama. Pelo segundo ano consecutivo, a Câmara Municipal de Guimarães contribuirá para o desenvolvimento do projeto, incentivando à prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

Em Portugal, são detetados anualmente cerca de 6.000 novos casos de cancro da mama e 1.500 mulheres morrem com esta doença. Também em Portugal, cerca de 1% de todos os cancros da mama são no homem. O movimento, conhecido como “Outubro Rosa”, nasceu nos Estados Unidos, na década de 1990, para estimular a participação da população no controlo do cancro da mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de promover a consciencialização sobre a doença e compartilhar informações sobre o cancro da mama.

APD BRAGA VENCE SUPERTAÇA DE BASQUETEBOL EM CADEIRA DE RODAS

A equipa de Basquetebol em cadeira de rodas da Associação Portuguesa de Deficientes de Braga (APD Braga) venceu hoje, dia 31 de Outubro, a Supertaça de Portugal, num jogo diante da Associação Portuguesa de Deficientes de Leiria (APD Leiria) que se realizou no pavilhão de Lamaçães e terminou com o resultado de 51-46.

CMB31102015SERGIOFREITAS0000001550

A partida colocou frente a frente a equipa vencedora da Taça de Portugal, no caso a APD Braga, e o conjunto que se sagrou campeão nacional na época passada, a APD Leiria.

Segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, trata-se de mais um ´fantástico resultado´ que enche os Bracarenses de orgulho e que vem enriquecer ainda mais o palmarés da APD Braga. “Ambas as equipas estão de parabéns pelo fantástico espectáculo desportivo que proporcionaram ao fervoroso público que encheu as bancadas deste pavilhão. A vossa dedicação e coragem, com consecutivas provas de superação, deve servir de exemplo para todos”, salientou.

CMB31102015SERGIOFREITAS0000001547

O edil enalteceu o apoio humano que a modalidade tem em Braga, com os pavilhões consecutivamente repletos de público nos jogos a APD Braga. “É notável o calor humano que os atletas recebem e que, por certo, os motiva para elevarem o patamar qualitativo da prática desportiva”, afirmou.

Ricardo Rio recordou que o actual Executivo Municipal tem adoptado uma política de igualdade na distribuição dos apoios à prática desportiva, tratando todas as modalidades e clubes por igual na medida da sua dimensão e mobilização que representam. “Nesse sentido, é com enorme gosto que apoiamos o projecto da APD e é importante que a associação disponha dos meios necessários para continuar a desenvolver este trabalho de integração social através do desporto”, afirmou.

CMB31102015SERGIOFREITAS0000001537

CMB31102015SERGIOFREITAS0000001553

PRESIDENTE DO MUNICÍPIO VIMARANENSE CONDENA COM VEEMÊNCIA TRÁGICO INCIDENTE NO LARGO DA MISERICÓRDIA

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães lamenta profundamente, e condena com veemência, o trágico incidente ocorrido na madrugada deste sábado, no Largo da Misericórdia, e que vitimou o cidadão vimaranense Rui Miguel Castro, expressando à família enlutada o seu profundo pesar e solidariedade nesta hora de consternação e dor.

Durante a manhã de hoje, o Presidente da Câmara Municipal estabeleceu contactos com o Comando local da PSP e as entidades policiais que estão no terreno a investigar este incidente, tendo disponibilizado todos os meios disponíveis, e ao alcance do Município, para que rapidamente sejam apuradas as suas causas e identificados os seus responsáveis, na medida em que Guimarães e os vimaranenses não se reconhecem neste ato bárbaro e inqualificável.

GALIZA E PORTUGAL: UM SÓ POVO E UMA SÓ NAÇÃO!

Por um compreensível desconhecimento, grande parte dos folcloristas portugueses possui um entendimento errado em relação ao folclore das gentes galegas, classificando-o de "espanhol" e confundindo-o com os usos e costumes dos demais povos peninsulares. Aliás, tal como sucede em relação à língua portuguesa que é o idioma da Galiza e que também é erradamente confundida com o castelhano que é a língua oficial de Espanha, também ela impropriamente por vezes designada por "espanhol".

Guimarães (24)

Na realidade e para além dos portugueses, a Península Ibérica é habitada por gentes de culturas e idiomas tão distintos como os vascos, os catalães, os asturianos e finalmente, os galegos e portugueses que possuem uma língua e uma identidade cultural comum, apenas separados em consequência das vicissitudes da História. A Espanha, afinal de contas, não representa mais do que uma realidade supranacional, cada vez mais ameaçada pelas aspirações independentistas dos povos que a integram.

Com as suas quatro províncias - Corunha, Lugo, Ourense e Pontevedra - e ainda alguns concelhos integrados na vizinha Astúrias, a Galiza constitui com Portugal a mesma unidade geográfica, cultural e linguística, o que as tornam numa única nação, embora ainda por concretizar a sua unidade política. Entre ambas existe uma homogeneidade que vai desde a cultura megalítica e da tradição céltica à vetusta Gallaécia e ao conventus bracarensis, passando pelo reino suevo, a lírica galaico-portuguesa, o condado portucalense e as sucessivas alianças com os reis portugueses, as raízes étnicas e, sobretudo, o idioma que nos é comum - a língua portuguesa. Ramon Otero Pedrayo, considerado um dos maiores escritores do reintegracionismo galego, afirmou um dia na sua qualidade de deputado do parlamento espanhol que "a Galiza, tanto etnográfica como geograficamente e desde o aspeto linguístico, é um prolongamento de Portugal; ou Portugal um prolongamento da Galiza, tanto faz". Teixeira de Pascoaes foi ainda mais longe quando disse que "...a Galiza é um bocado de Portugal sob as patas do leão de Castela". Não nos esqueçamos que foi precisamente na altura em que as naus portuguesas partiam à descoberta do mundo que a Galiza viveu a sua maior repressão, tendo-lhe inclusivamente sido negada o uso da língua galaico-portuguesa em toda a sua vida social, incluindo na liturgia, naturalmente pelo receio de Castela em perder o seu domínio e poder assistir à sua aproximação a Portugal.

No que respeita à sua caracterização geográfica e parafraseando o historiador Oliveira Martins, "A Galiza d'Aquém e d'além Minho" possui a mesma morfologia, o que naturalmente determinou uma espiritualidade e modos de vida social diferenciados em relação ao resto da Península, bem assim como uma diferenciação linguística evidente. Desse modo, a faixa atlântica e a meseta ibérica deram lugar a duas civilizações diferentes, dando a primeira origem ao galaico-português de onde derivou o português moderno e a segunda ao leonês de onde proveio o castelhano, atualmente designado por "espanhol" por ter sido imposta como língua oficial de Espanha, mas consignado na constituição espanhola como "castelhano". Não foi naturalmente por acaso que Luís Vaz de Camões, justamente considerado o nosso maior poeta possuía as suas raízes na Galiza. Também não é sem sentido que também o poeta Fernando Pessoa que defendeu abertamente a "anexação da Galiza", afirmou que "A minha Pátria é a Língua Portuguesa".

De igual modo, também do ponto de vista étnico as raízes são comuns a todo o território que compreende a Galiza e o nosso país, com as naturais variantes regionais que criam os seus particularismos, obviamente mais próximas do Minho, do Douro Litoral e em parte de Trás-os-Montes do que em relação ao Alentejo e ao Algarve, mas infinitamente mais distanciados relativamente a Castela e outras regiões de Espanha.

No seu livro "A Galiza, o galego e Portugal", Manuel Rodrigues Lapa afirma que "Portugal não pára nas margens do Minho: estende-se naturalmente, nos domínios da língua e da cultura, até às costas do Cantábrico. O mesmo se pode dizer da Galiza: que não acaba no Minho, mas se prolonga, suavemente, até às margens do Mondego". Torna-se, pois, incompreensível que continuemos a tratar o folclore e a etnografia galega como se de "espanhola" se tratasse, conferindo-lhe estatuto de representação estrangeira em festivais de folclore que se pretendem de âmbito internacional, quando na realidade deveria constituir uma participação assídua nos denominados festivais nacionais. Mais ainda, vai sendo tempo das estruturas representativas do folclore português e galego se entenderem, contribuindo para um melhor conhecimento mútuo e uma maior aproximação entre as gentes irmãs da Galiza e de Portugal. O mesmo princípio aliás, deve ser seguido pelos nossos compatriotas radicados no estrangeiro, nomeadamente nos países da América do Sul onde as comunidades portuguesas e galegas possuem uma considerável representatividade numérica. Uma aproximação e um entendimento que passa inclusivamente pelo cyberespaço e para a qual a comunidade folclórica na internet pode e deve prestar um inestimável contributo.

Afirmou o escritor galego Vilar Ponte na revista literária "A Nossa Terra" que "os galegos que não amarem Portugal tão pouco amarão a Galiza". Amemos, pois, também nós, portugueses, como um pedaço do nosso sagrado solo pátrio, essa ridente terra que se exprime na Língua de Camões – a Galiza!

Carlos Gomes / www.folclore-online.com

PERSEGUIÇÃO AO NACIONALISMO GALEGO TRÁZ À MEMÓRIA REPRESSÃO DA DITADURA FRANQUISTA

Guarda Civil desenvolve operaçom contra Causa Galiza e detém nove pessoas

A Guardia Civil espanhola, sob comando da Audiencia Nacional daquele país, detivo nove pessoas nas últimas horas no ámbito de um dispositivo repressivo desenvolvido em todo o território galego. Há quatro pessoas detidas em Vigo, duas em Ponte Vedra e três em Boiro, Muros e Compostela.

Segundo informaçons policiais filtradas aos meios comerciais, a militáncia de Causa Galiza é a atingida desta vez polas forças policiais. Adicionalmente, o site da organizaçom política está neste momento fora do ar. Segundo a imprensa comercial, a operaçom terá como alvo "o entorno" do grupo Resistência Galega (RG). Parece que a acusaçom seria de 'enaltecimento do terrorismo', frequentemente usada polo regime espanhol nas suas operaçons contra independentistas, anarquistas e outros movimentos: a sua definiçom laxa permite alargar o ámbito das açons policiais.

Declaraçons do delegado do Governo mistura acusaçons de suposto "enaltecimento do terrorismo" com um alegado "golpe à organizaçom terrorista", enquanto o site de Causa Galiza na internet cai em simultáneo com o operativo.

O delegado do governo espanhol, o sinistro Santiago Villanueva, ameaçou com mais detençons e registos ao longo do dia de hoje (30/10), acrescentando que a razzia suporia "um duro golpe para a organizaçom terrorista", no que parece um totum revolutum em que entram a suposta acusaçom de "enaltecimento" e o que se apresenta como "golpe à organizaçom".

De facto, à medida que se conhecem os nomes de vários detidos confirma-se tratar-se de militantes e dirigentes independentistas de trajetória pública e conhecida à frente de Causa Galiza. Ao que todo indica, poderá ser essa atividade política a que sirva para tentar justificar um operativo propagandístico dos que periodicamente ordena o Estado espanhol no nosso país.

Villanueva garantiu que as nove pessoas detidas serám conduzidas a Madrid para apresentarem depoimento perante juízes da Audiência Nacional espanhola, tribunal especial para assuntos políticos que dá continuidade ao Tribunal de Ordem Pública franquista.

Razzia contra Causa Galiza: Nove militantes independentistas detidos em diferentes pontos do País

O Ministério espanhol do Interior informou já de alguns pormenores da acusaçom que terá levado as forças repressivas espanholas levar detidas das suas moradas nove militantes de Causa Galiza. O principal motivo da acusaçom de "enaltecimento do terrorismo" parece estar na organizaçom do Dia da Galiza Combatente, a 11 de outubro, por parte dessa organizaçom política. Na verdade, essa data vem comemorando-se desde inícios do presente século, instituída por NÓS-Unidade Popular em 2002 no calendário anual independentista, mas só 15 anos depois é que se produzem as primeiras detençons por esse motivo.

Entre a "literatura" incluída no comunicado do Ministério espanhol do Interior para justificar a razzia, inclui-se a suposta participaçom de um dos detidos no EGPGC, organizaçom armada galega desaparecida há 25 anos.

Os meios de comunicaçom da burguesia já começárom a "arejar" os currículos e histórias do independentismo que habitualmente saem das gavetas policiais para dar cobertura "informativa" aos operativos repressivos.

A história como farsa volta à cena.

"Apoiar postulados", acusaçom política contra os 9 independentistas galegos detidos

Continuam presas as nove pessoas detidas ontem em diferentes pontos da Galiza, pola Guarda Civil espanhola.

A acusaçom: “apoiar os postulados” da fantasmal “organizaçom terrorista” Resistência Galega. Os vizinhos e vizinhas de Vigo, Compostela, Boiro, Ourense, Muros e Ponte Vedra detidos ontem nessas localidades continuam isolados à espera de comparecerem no tribunal de exceçom espanhol para assuntos políticos, a Audiência Nacional.

Várias concentraçons juntárom ontem centenas de pessoas nas localidades onde se produzírom as detençons e noutras, reclamando a liberdade das pessoas detidas e denunciando a perseguiçom de ideias, nomeadamente as independentistas.

Organizaçons políticas e entidades sociais galegas e internacionais bascas e catalás denunciárom publicamente o operativo da Guarda Civil, enquanto o Ministério espanhol do Interior falava de acusaçons inauditas como a convocatória de atos políticos, concretamente o Dia da Galiza Combatente no dia 11 de outubro, ou de um abstrato “apoio aos postulados” da Resistência Galega como motivo da detençom.

Os factos som que a Executiva de umha organizaçom política, Causa Galiza, foi detida nesta sexta-feira, sob a acusaçom, segundo o delegado do Governo espanhol na Galiza, de “enaltecimento”. Dali a pouco, falou-se de um suposto “forte golpe” à fantasmagórica “Resistência Galega”, e mesmo acusando Causa Galiza de ser o “braço político” desse grupo.

Especial inconsistência parece caraterizar a "acusaçom" de convocar o Dia da Galiza Combatente e apresentar isso como motivo da “Operaçom Jaro”, quando é notório e conhecido que essa data é comemorada por diferentes organizaçons do independentismo galego desde 2002, sem que nunca se tenha alegado qualquer infraçom relacionada com um ato político como esse.

Entre as “provas” requisadas, a “frente informativa” do Ministério do Interior, através dos meios de referência, nom passárom de falar de “abundante material” como pastas, documentaçom e propaganda que a Guarda Civil levou “em sacos e caixas”.

Para completar a “caldeirada terrorista”, referências ao historial político dos detidos e recuperaçom da mitologia policial anti-independentista...

Fonte: http://www.diarioliberdade.org/

BRUXAS À SOLTA NA NOITE DE BRAGA

Bruxarias Vale D’Este é evento distinto e inovador. Iniciativa decorre até ao próximo Domingo, em Este S. Pedro

Esta noite as Bruxas andam à solta em Este S. Pedro. A terceira edição das Bruxarias Vale D’Este promete assustar, mas também cativar os visitantes de todas as idades através de um programa recheado de animação. Até ao próximo Domingo, nas imediações do restaurante 'O Gato do Rio' será possível ver feiticeiros, zombies ou até fantasmas, num evento que quer afirmar-se como referência regional do misticismo.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001528

“Este é um evento que tem um traço distinto e inovador. É importante saber aproveitar estes momentos do calendário para criar iniciativas que marquem a diferença e, nesse sentido, as Bruxarias de Vale D’Este estão a conseguir afirmar-se”, referiu Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a abertura do evento, que teve lugar esta Sexta-feira, 30 de Outubro.

Esta edição das Bruxarias Vale D’Este conta com a adesão de mais de 40 expositores e artesãos, traduzindo-se num número superior ao do ano passado. Além das já tradicionais actividades e espectáculos, o evento conta como novidade a realização de um ‘Bruxapaper’ pelas freguesias de Gualtar, Este S. Pedro e S. Mamede, Nogueiró e Tenões e S. Victor.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001526

Segundo o Autarca, a “descentralização da oferta recreativa é muito positiva para o Concelho e tem o condão de dinamizar a vertente económica através do envolvimento das várias colectividades”, considerou Ricardo Rio, enaltecendo a colaboração entre as Juntas de Freguesia e a Associação dos Artesãos do Minho, entidades que “abraçaram este projecto com muito ânimo”.

Um dos pontos altos do programa está agendado para a noite de amanhã, Sábado, com o espectáculo ‘Esconjuro da Queimada Galega’, protagonizado pelo Padre Fontes, às 21h00.

O certame é organizado pela Associação dos Artesãos do Minho, em colaboração com a União de Freguesias de Este (S. Pedro e S. Mamede), Junta de Freguesia de Gualtar, contando com o apoio do Município de Braga.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001522

EXECUTIVO CABECEIRENSE APROVA PLANO E ORÇAMENTO PARA 2016

Deliberações da Reunião de Câmara de 30 de outubro de 2015

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto tem 15,3 milhões de euros para gerir no próximo ano. O Executivo Municipal Cabeceirense, hoje reunido sob a presidência de Francisco Alves, aprovou as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2016.

Cabeceiras de Basto - vista aérea panorâmica

Os documentos aprovados com os votos favoráveis dos eleitos pelo Partido Socialista e a abstenção do vereador Mário Leite e dos vereadores eleitos pelo movimento Independentes por Cabeceiras de Basto, congregam um conjunto de obras e iniciativas a realizar no próximo ano, tendo em vista o desenvolvimento e o crescimento do concelho de Cabeceiras de Basto, bem como a melhoria da qualidade de vida e o bem-estar das populações.

Os documentos previsionais da Câmara Municipal para o ano de 2016 foram elaborados num quadro de grande realismo. A situação de crise prolongada e os parcos recursos exigem grande rigor na distribuição dos investimentos por forma a manter equidade e justiça na sua aplicação.

O diálogo com os restantes autarcas e com os agentes económicos, sociais, educativos entre outros, bem como a legalidade, a transparência, o rigor e a integridade do serviço público são privilegiados neste Plano e Orçamento para o próximo ano.

Como eixos de atuação prioritários destacam-se a melhoria e reforço do abastecimento público de água, a ampliação e melhoria do serviço de recolha e tratamento de águas residuais, a recolha de resíduos sólidos e a requalificação das vias de comunicação.

Programou-se uma agenda diversificada de iniciativas socioculturais, desportivas e outras que afirme a identidade coletiva de Cabeceiras de Basto, os valores culturais e históricos, bem como os recursos desta Terra de Encanto Natural.

Em 2016 será dada também atenção especial às questões sociais na defesa dos mais frágeis, fazendo cumprir os regulamentos já aprovados que beneficiam as famílias numerosas, as famílias mais vulneráveis, os emigrantes e residentes não permanentes.

Tendo em vista o combate à desertificação, o Executivo Municipal aprovou a elaboração de um regulamento de apoio à natalidade, assim como de um regulamento de apoio à instalação ou reinstalação de atividade agrícola, agropecuária ou florestal e ainda o regulamento de apoio à produção pecuária, este último cujo processo de elaboração foi já iniciado.

No âmbito do processo de Candidatura do Mosteiro de S. Miguel de Refojos à Lista Indicativa do Património Cultural da Humanidade da UNESCO já apresentada, a Câmara Municipal dará continuidade a ações de promoção e valorização deste NOSSO MOSTEIRO.

No próximo ano, serão também celebrados acordos de execução com todas as Juntas e Freguesia tendo em vista a limpeza de estradas, caminhos e espaços públicos, estando prevista uma verba de 190 mil euros para este efeito.

Para além deste apoio às Juntas de Freguesia, o orçamento prevê ainda a transferência e subsídios na ordem de 1,5 milhões de euros destinadas às famílias, aos empresários agropecuários, agrícolas e florestais, ao movimento associativo e outras instituições.

O Plano e Orçamento para o próximo ano contemplam, ainda, a continuidade dos trabalhos de infraestruturação das zonas industriais, tornando-as mais atrativas e funcionais.

O orçamento prevê, também, a celebração de um contrato-programa com a Basto Vida para o desenvolvimento de atividades sociais e de saúde no montante de 349 mil euros.

O Orçamento para 2016, com um montante global previsto de 15,3 milhões de euros, apresenta uma situação de equilíbrio, uma vez que as receitas correntes são superiores às despesas correntes em 937 mil euros, o que permitirá financiar parte das despesas de capital promovendo dessa forma o investimento.

Em 2016, para amortização e liquidação de parte da dívida da Câmara, estão previstos 829 mil euros. Destes, 706 mil euros são destinados a amortizações de capital para abate à dívida e os restantes 123 mil euros destinam-se ao pagamento de juros.

De destacar, por fim, a estabilidade da situação financeira da Câmara Municipal de Cabeceiras de basto que paga aos fornecedores a dezasseis dias e apresenta uma margem de endividamento de 7,6 milhões de euros e uma margem utilizável (possibilidade de recurso a empréstimos) de 1,5 milhões de euros.

Note-se que, no cumprimento do Estatuto da Oposição, foram ouvidas as forças políticas representadas nesta Câmara Municipal, tendo sido contempladas e incluídas nestes documentos algumas das suas sugestões.

Por isso mesmo, a elaboração destes documentos contou com os contributos de todos os vereadores, bem como dos presidentes das Juntas de Freguesia e de outros autarcas.

MUNICÍPIO DE BARCELOS APROVA PROPOSTA PARA GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO PARA 2016

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou, em reunião extraordinária do executivo, realizada no dia 30 de outubro, com os votos contra da Coligação Somos Barcelos e do MIB, os documentos previsionais que contemplam as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2016, que serão agora remetidos para votação na próxima Assembleia Municipal.                       No final da reunião, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos referiu que o Município "tem de cumprir as regras orçamentais e, apesar de não existir Orçamento de Estado (OE) para 2016, o executivo municipal não está isento do cumprimento da lei que determina que o orçamento municipal seja apresentado até ao último dia do mês de outubro".

A Câmara de Barcelos, contrariamente aos resultados do país, tem vindo a trilhar um caminho de equilíbrio financeiro e sustentado, reconhecido por todos. Segundo o Anuário Financeiro das Autarquias Locais relativo a 2014, Barcelos foi o único município de grande dimensão do distrito de Braga a obter a melhor eficiência financeira em 2014, integrando assim o grupo dos dez mais eficientes do país e ascendendo para a oitava posição no ranking nacional.

O Anuário vem assim confirmar que o Município de Barcelos está no bom caminho em termos de gestão de recursos financeiros, numa lógica de execução orçamental assente no ajustamento da receita, mas, ao mesmo tempo, sem asfixiar o desenvolvimento do concelho, em tempos de dificuldades para famílias e empresas. Um rigor e estratégia que se manterá e que é, novamente, explanada no documento fundamental e estratégico que define toda a gestão municipal, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2016, e que irá agora a Assembleia Municipal.

No que diz respeito às Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2016, não obstante as limitações orçamentais numa conjuntura particularmente difícil, o Município continuará a cumprir todos os critérios de redução da dívida municipal, ficando aquém dos seus limites, mantendo a linha de atuação desenvolvida desde 2010 que permitiu uma redução de dívida. Desde logo, estabelece que todas as taxas a inscrever serão sempre efetuadas pela média das receitas cobradas nos últimos 24 meses, bem como as receitas provenientes da venda de bens de investimento não poderem ultrapassar a média da venda desses bens nos últimos 36 meses.

Em 2016, o Município terá de continuar a contribuir para o Fundo de Apoio Municipal, numa comparticipação financeira de cerca de 375 mil euros, num total de 2,6 milhões de euros repartidos em 7 anos.

Apesar de, à partida, se manter a taxa do IVA na restauração e no consumo de energia nos 23% (com incidência nas refeições escolares), o Município defenderá um prazo médio de pagamento inferior a 30 dias – que já cumpre – e gerirá os seus recursos numa perspetiva de responsabilidade e de solidariedade.

Esta atitude tem tido resultados particularmente positivos, por um lado não comprometendo o investimento, e, por outro, estando atento às desigualdades sociais e defendendo os mais desfavorecidos.

Estrutura do Orçamento

A dotação orçamental para 2016 será de 60,8 M€ de receita e do mesmo valor na despesa. Há um acréscimo de cerca de 4 milhões de euros relativamente a 2015, que resulta do previsível financiamento de projetos no âmbito do novo quadro de financiamento europeu “Portugal 2020”.

As receitas correntes mantêm-se praticamente inalteradas e a despesa corrente será cerca de 36.3 milhões de euros; a despesa de capital será de cerca de 24.5 milhões de euros e uma poupança corrente de cerca de 13.7 milhões de euros.

Impostos diretos e indiretos

Quanto aos impostos diretos, tem havido uma estabilização da sua cobrança desde 2011. O Município vai praticar uma taxa de 0,35 do IMI nos prédios avaliados, (muito longe da taxa de 0,5 prevista na Lei) e conceder uma redução de 10, 15 e 20% na taxa do IMI, às famílias com 1, 2 e 3 filhos ou mais respetivamente; vai continuar a cobrar uma Derrama sobre o rendimento das pessoas coletivas (IRC) com preocupações de justiça e equidade fiscal numa avaliação de descriminação positiva, ou seja, isentar as empresas com um volume de negócios até 150 mil euros, e a cobrança de uma taxa reduzida de 1,2 para os rendimentos acima daquele valor; continuar a cumprir as metas do endividamento abaixo do seu limite com controlo do serviço de dívida de médio e longo prazo e particularmente a diminuição do prazo médio de pagamentos para menos de 30 dias; continuar a praticar as mesmas taxas cobradas pelo município desde 2010, quando a Lei prevê a sua atualização de acordo com inflação de cada ano; continuar a considerar as juntas de freguesia como parceiros na gestão municipal, transferindo o equivalente a 200% do FFF por transferência de competências através de protocolo a renovar, bem como comparticipar financeiramente outros projetos em diferentes áreas de intervenção e que se entendam necessários; continuar a isentar as esplanadas de ocupação da via pública, a cafés, bares, pastelarias e afins.

Assim, a elaboração deste Orçamento e das Grandes Opções do Plano para 2016 não deixa de considerar os graves problemas do concelho, no contexto da crise que o país atravessa, mas com um grande sentido de responsabilidade na distribuição dos recursos financeiros disponíveis para acudir aos problemas crescentes que afetam o concelho, nomeadamente o desemprego, sendo por isso muito importante um olhar atento na área da ação social, da educação e na proximidade com os agentes de todas as atividades económicas.

MÊS DE NOVEMBRO É DEDICADO AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Ano Europeu para o Desenvolvimento: Novembro é dedicado ao Desenvolvimento Sustentável e à Ação Climática

No Ano Europeu para o Desenvolvimento (AED), Novembro é o mês dedicado ao Desenvolvimento Sustentável e à Ação Climática. O Desenvolvimento Sustentável visa satisfazer as necessidades da geração atual sem que as gerações futuras tenham de suprimir as suas próprias necessidades. Esta ideia de sustentabilidade pertence ao modelo de desenvolvimento que tem vindo a ser praticado e que responde a padrões de produção e consumo incompatíveis com os recursos naturais que o planeta tem para oferecer.

“É necessário refletir e agir sobre os atuais padrões de produção e consumo. A alteração destes padrões é necessária para a construção de um futuro sustentável, que exige uma ação global, com a participação ativa de todos. – Ana Paula Laborinho, presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

O conceito de Desenvolvimento Sustentável entrou para a agenda política internacional em 1992, na Cimeira do Rio, onde foi assinada a Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Alterações Climáticas (CQNUAC). Este foi o primeiro grande acordo internacional para lutar contra as alterações climáticas e foi ratificado por 196 países, onde entraram todos os Estados-Membros da União Europeia (UE), para além da própria UE enquanto entidade à parte. Foi aqui estabelecido um quadro que permite a colaboração dos países na regulação do impacto da atividade humana no ambiente. Os países que fizeram parte desta convenção reúnem-se anualmente na Conferência das Partes (COP), de onde resultou o Protocolo de Quioto (1997), um tratado internacional para a redução das emissões dos gases com efeito de estufa (GEE) nos países desenvolvidos, que está em vigor desde 2005 e cujo fim de vigência será em 2020.

A 21ª Conferência das Partes da Convenção (COP21) acontecerá este ano, em dezembro de 2015, em Paris. Esta tem uma maior relevância na medida em que se espera a adoção de um novo acordo, para entrar em vigor a partir de 2020, aquando do fim da vigência do Protocolo de Quioto. Este novo acordo pretende implementar compromissos de redução de GEE como no anterior protocolo, mas desta vez dirigidos a todas as partes, países desenvolvidos e em vias de desenvolvimento. Para tal, é necessário que os países em desenvolvimento, especialmente os mais pobres e vulneráveis, beneficiem de ajuda financeiraM de forma a conseguirem reduzir as suas emissões de GEE e adaptarem-se ao paradigma climático atual. A UE é o maior doador de ajuda pública ao desenvolvimento e, como tal, a principal fonte de financiamento nesta luta contra as alterações climáticas.

As alterações climáticas são uma realidade cada vez mais palpável e, resultado direto ou indireto da atividade humana, são uma das maiores ameaças ambientais, sociais e económicas que o planeta e a humanidade enfrentam. Responder a este fenómeno é urgente. A Ação Climática, que surge como resposta, tem como base a mitigação das emissões de GEE e a adaptação das sociedades às alterações climáticas, procurando torná-las mais resistentes e procurando reduzir ao máximo os impactos que estas alterações podem vir a ter.

O Protocolo de Quioto foi o primeiro passo para inverter a tendência mundial de aumento de emissões. No entanto, só em 2015 é que acontece uma fusão da agenda internacional de Desenvolvimento com uma agenda ligada ao Ambiente, propondo para a nova “Agenda para a Ação Global” os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável universais, transversais a todos os países e com um objetivo comum: “tornar a vida no planeta melhor e com futuro”.

“É importante que todos entendam o impacto da ação humana no sistema climático, e que a inação é, sem dúvida, a pior resposta. Agora é o tempo para agir de forma a evitar as piores consequências das alterações climáticas na nossa sociedade. A nova Agenda Global 2030 é uma oportunidade para mobilizar o esforço de governos e cidadãos em torno deste objetivo comum.” – Cláudia Semedo, Embaixadora do AED em Portugal.

MUNICÍPIO CERVEIRENSE DEFINE ORÇAMENTO “REALISTA” PARA 2016

As Grandes Opções do Plano e Orçamento de Vila Nova de Cerveira para 2016 apresentam uma despesa e receita na ordem dos 11,4 milhões de euros, menos dois milhões do que o anterior. O autarca realça um "orçamento de alguma contenção provocada por fatores externos”, mas que mantém a aposta em áreas essenciais como ação social, educação, investimento e freguesias. Documento foi aprovado por maioria na reunião desta quarta-feira, com duas abstenções do PS.

Orçamento 2016

Depois do “responsável, rigoroso e eficiente” Orçamento de 2015, o Município de Vila Nova de Cerveira vai gerir, em 2016, um montante igualmente “realista” e “ajustado ao contexto previsto”, continuando a trilhar um caminho de equilíbrio financeiro e sustentado, sendo dessa atitude exemplo o pagamento a 31 dias aos seus fornecedores.

Durante a apresentação do documento na reunião de câmara, o edil cerveirense sublinhou que este orçamento foi elaborado com um grande sentido de responsabilidade, pois reflete a incerteza das verbas oriundas do Orçamento Estado, que ainda não foi alvo de aprovação, mas também dos fundos previstos pelo Portugal 2020, que carecem de definição efetiva dos financiamentos comunitários, “ficando na expetativa de que o acesso a candidaturas a esses fundos comunitários possa vir a melhorar o panorama e possibilitando em devido tempo uma revisão em alta”.

“Não será um ano de intervenções de grande envergadura, mas antes da continuidade dos apoios de proximidade centrado nas pessoas e nas suas necessidades, procurando adotar medidas que melhorem a qualidade de viver em Cerveira, por um lado, e potenciem condições de atratividade para mais investidores, por outro”, assegura Fernando Nogueira. O autarca refere que estão sinalizadas obras ao nível de saneamento, requalificação de edifícios, eficiência energética e pequenas melhorias de acessibilidades, bem como a vontade da requalificação e ampliação do Parque do Castelinho, a 3ª fase da Ecovia com ligação a Caminha e a resolução do impasse do Castelo de Cerveira – ex-Pousada D. Dinis. “É o orçamento possível neste contexto”, diz.

Para 2016, e no que respeita a impostos, não só se mantém a redução das taxas que incidem sobre as famílias e as empresas sediadas no Concelho, como se concede em sede de IMI um apoio acrescido para famílias com filhos.

As Juntas de Freguesia continuam a ser uma prioridade pela sua política de proximidade, pelo que mantém-se o mesmo nível de apoio praticado em 2014 e 2015, com uma fatia de 250 mil euros para transferências diretas sob os mesmos critérios, ao que acresce um montante de 50 mil euros, caso algumas freguesias submetam um projeto a fundos comunitários e necessitarem de um apoio. “Fruto de reuniões estabelecidas com os presidentes de junta, dispomos de uma listagem de intenções por eles elaborada, e para a qual estaremos atentos pois dependerá de enquadramento financeiro. Caso esse fundo de maneio não seja gasto até outubro do próximo ano, será distribuído equitativamente pelas freguesias”.

Destacar ainda a continuidade do Orçamento Participativo nos mesmos moldes do ano transato. Ao nível de despesas, prevê-se não aumentar os valores de despesa corrente e com pessoal.

ESPOSENDE DÁ A CONHECER SABORES DO CAMPO

O Município de Esposende, em colaboração com as unidades de restauração do concelho, vai levar a efeito mais uma edição da iniciativa “Sabores do Campo – Gastronomia de Novembro”.

O evento visa promover a gastronomia e os produtos endógenos da região, combater a sazonalidade e cativar clientes para a restauração e hotelaria neste período da denominada época baixa, bem como afirmar a gastronomia e vinhos como produto turístico estratégico.

Este ano, são 23 os restaurantes aderentes, que, ao longo de todo o mês de novembro, apresentam saborosas sugestões gastronómicas baseadas na carne, acompanhadas pelos vinhos verdes das quintas do concelho e rematadas por sobremesas de doçaria regional.

Sete pastelarias do concelho voltam a associar-se à iniciativa, e complementando a oferta da boa mesa, as unidades de alojamento concelhias convidam à estadia, sendo que quatro delas oferecem desconto de 15% nas dormidas, ao longo de todo o mês de novembro, na degustação de uma das sugestões gastronómicas.

Para mais informações, visitar o site: www.visitesposende.com.

ARCOS DE VALDEVEZ REÚNE EXECUTIVO MUNICIPAL

REUNIÃO ORDINÁRIA DE 29 DE OUTUBRO DE 2015

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA

No Período antes da Ordem do Dia o Sr. Presidente informou que está a ser agendada uma reunião com as Estradas de Portugal, as Águas do Norte e a Câmara Municipal para se proceder à assinatura de um protocolo com vista à requalificação da EN101;

O Sr. Presidente também informou que a Câmara Municipal se encontra a aguardar o início dos trabalhos na Variante à sede do concelho no troço onde houve um desabamento de terras;

Também deu conta que esteve em Cergy Pontoise, na VIII Feira Portuguesa, organizada pela Association Union Culturelle Portugaise de Cergy Pontoise, na região de Paris, presidida pelo arcuense Alexandre Soares e aproveitou para também ir à vila geminada com Arcos de Valdevez, Dammarie-Les-Lys, onde foi recebido pelo maire na Câmara Municipal local; Também participou num jantar convívio com a Casa dos Arcos de Saint Maur, em Paris e marcou presença na apresentação do livro “Eu vou com as aves”, da autoria da arcuense Albertina Fernandes, levada a cabo no Luso Folies, junto à Gare de Lyon, em Paris;

De igual modo informou que se encontra a decorrer desde o dia 29 e até o próximo dia 1 de novembro a iniciativa "Arcos com + Vida, organizado pela Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM), em colaboração com o Município. Este trata-se de um evento que vem dar continuidade ao realizado há cerca de um ano, nomeadamente o "Aldeia Feliz". É um modelo muito mais abrangente que inclui atividades em todos os infantários, creches, 4º, 9º e 12ºanos e lares, abrangendo todos as instituições públicas e privadas, atividades de rua, rastreios, educação para a Saúde Escolar, visitas porta-a-porta, sessões em Lares e ações noturnas, atividades para jovens, nomeadamente, na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e atividades com idosos não institucionalizados.

No concelho estão mais de 50 alunos de Medicina de todo o país que abordarão temas da área da Saúde, abrangendo crianças da 1ª infância, adolescentes e idosos.

O Sr. Presidente também informou que o CQEP - Centro para a Qualificação e Ensino Profissional, o qual visa apoiar os adultos no aumento das suas qualificações escolares e profissionais, preparando-os para fazer face aos desafios do mercado de trabalho atual, já se encontra em funcionamento na Epralima;

Informou que na sexta-feira, dia 30 de outubro, pelas 21h30 decorrerá na Casa das Artes concelhia a apresentação do livro “Arcos de Valdevez: A Terra e o Foral Manuelino – texto e contextos”, da autoria de Paula Pinto Costa e António Matos Reis;

Deu conta ainda da realização do 9º encontro das Unidades de Saúde Familiares do distrito que decorrerá no sábado de manhã nas instalações da Epralima;

O Sr. Presidente também informou a Camara da realização do concerto do fadista Marco Rodrigues no próximo sábado, dia 31 de outubro, na Casa das Artes concelhia.

Também foi dada a informação à Câmara que decorrerá nos próximos dias 6,7 e 8 de Novembro, no Centro de Exposições, o Festival Sénior. Um evento promovido pelo Município de Arcos de Valdevez, com a colaboração e a parceria das diversas IPSS's do concelho, que conta com um vasto programa de animação, bem como exposição e venda de produtos e serviços dirigidos à população sénior.  

Com esta iniciativa o Município pretende demonstrar e promover boas práticas de envelhecimento ativo e saudável potenciando a intervenção municipal dirigida a esta franja de população.

O Sr. Presidente também disse que no próximo dia 6 de Novembro irá ter lugar na Casa das Artes uma sessão de participação pública levada a cabo pela Agência Portuguesa do Ambiente sobre os Planos de Gestão de Região Hidrográfica (PGRH).

Por último informou que a Câmara Municipal se encontra a desenvolver um conjunto de candidaturas aos fundos comunitários.

RECONSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DE EDIFÍCIO NA R. ESPÍRITO SANTO / R. CARLOS CUNHA (VALETA): foi aprovado o projeto de execução e as peças do procedimento concursal para a execução da empreitada de obra «RECONSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DE EDIFÍCIO NA R. ESPÍRITO SANTO / R. CARLOS CUNHA (VALETA)», com o intuito de se dar início ao procedimento concursal tendente à sua adjudicação. O preço base para a presente empreitada foi fixado em 347.500,00 euros;

DIVISÃO DE AMBIENTE E SERVIÇOS DE GESTÃO - PROJETO DE DECISÃO FINAL DE ADJUDICAÇÃO - AMPLIAÇÃO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA - FREGUESIA DE CABREIRO (IGREJA): foi deliberado adjudicar a obra à empresa Machado & Caldas Investiments, LDA. pelo valor de € 72.639,56 + IVA; 

CONSTRUÇÃO E BENEFICIAÇÃO DE VIAS MUNICIPAIS - INFRAESTRUTURAS, DRENAGENS, OBRAS ACESSÓRIAS E PAVIMENTAÇÕES EM VÁRIAS FREGUESIAS: foi deliberado autorizar a abertura de procedimento, aprovação do projeto de execução e as peças do procedimento para a execução da empreitada referida em epígrafe.

           O valor base foi fixado em 114.000,00 euros;

GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO MUNICIPAIS PARA 2016 – APRECIAÇÃO FINAL E VOTAÇÃO DOS DOCUMENTOS PREVISIONAIS: - Foram aprovados os projetos das Grandes Opções do Plano que integram o Plano Plurianual de Investimentos, o Plano de Atividades Relevantes e o Orçamento Municipais para o ano de 2016, verificando-se que este último apresenta quer em receita quer em despesa, um valor global de € 27.816.300,00.

INSTALAÇÃO DA REDE DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS DE ARCOS DE VALDEVEZ - ABERTURA DE REDE PRIMÁRIA DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL E ABERTURA DE REDE SECUNDÁRIA DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL: foi deliberado aprovar a aquisição de serviços para –“INSTALAÇÃO DA REDE DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS DE ARCOS DE VALDEVEZ - ABERTURA DE REDE PRIMÁRIA DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL E ABERTURA DE REDE SECUNDÁRIA DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL”,no valor de 506 209,34 euros, aos quais acresce o IVA.

           Nesse sentido informa-se que:

  1. a) Trata-se de uma aquisição de serviços para:

- Abertura de rede primária de faixas de gestão de combustíveis, através de instalação de faixa de redução de combustível e de faixa de interrupção de combustível, contemplando ações de fogo controlado (QQQ) em 377,38ha e controle da vegetação espontânea total (CDR) em 268,80ha.

- Abertura de rede secundária de faixas de gestão de combustível associadas a troços de rede viária florestal fundamental de acesso à rede primária de faixas de gestão de combustível, através da redução de combustível, numa área total de 10,63ha

PEDIDO DE ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS PARA PRODUÇÃO DE ORTOFOTOMAPAS DIGITAIS À ESCALA 1:2000: A Câmara Municipal deu PARECER PRÉVIO VINCULATIVO para a realização de um contrato de aquisição de serviços para a AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS PARA PRODUÇÃO DE ORTOFOTOMAPAS DIGITAIS À ESCALA 1:2000, pelo valor base de 35.000,00 euros, aos quais acresce o IVA

PEDIDO DE ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL PARA AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS PARA LEVANTAMENTO E CADASTRO DAS INFRAESTRUTURAS ASSOCIADAS AOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS: Foi deliberado dar PARECER PRÉVIO VINCULATIVO tendo em vista a realização de um contrato de aquisição de serviços para a elaboração do LEVANTAMENTO E CADASTRO DAS INFRAESTRUTURAS ASSOCIADAS AOS SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS.

Trata-se de uma aquisição de serviços para elaboração do levantamento e cadastro das infraestruturas de abastecimento de água numa extensão estimada de cerca de 450km e de drenagem de águas residuais, numa extensão estimada de cerca 68 km. Prevê ainda a aquisição do software de gestão das infraestruturas.

           Foram também aprovados os elementos necessários à aprovação da ABERTURA DE PROCEDIMENTO CONCURSAL para aquisição dos referidos serviços, pelo valor de 198.000,00€

INFORMAÇÃO A SER INSERIDA NA FATURA DA ÁGUA

Foi aprovada a seguinte solução informativa a inserir na fatura da água:

           Atendimento geral: 258520515; 258520500;

           Comunicação de leituras: (Período a inserir pela CGI):

           - No portal do município: www.cmav.pt, em "Inserção de leituras de água";

           - Através de e-mail: geral@cmav.pt;

           - Pelos telefones: 258520515; 258520500;

           Avarias: Telefones: 258520515; 258520500; 969511218; 963961039.

PLANO DE MANUTENÇÃO E ATUALIZAÇÃO DO SIG (INFRAESTRUTURAS DE ABASTECIMENTO DE AGUA E SANEAMENTO): - foi deliberado aprovar o Plano de Manutenção e Atualização do SIG, elaborado de acordo com os termos de referência pelos quais se rege o financiamento do PO SEUR.

Plano de Gestão de Perdas - sistema de abastecimento de Água: A Câmara tomou conhecimento e homologou o Plano de Gestão de Perdas – Definição de Objetivos e Diagnóstico para o Sistema de Abastecimento de Água, elaborado em colaboração com a CIM e LNEC, para o período de 2015 – 2020

DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO SOCIOCULTURAL – SERVIÇO DE ACÇÃO SOCIAL – PEDIDO DE MUDANÇA DE HABITAÇÃO DE TRÊS AGREGADOS FAMILIARES: Foi autorizada a mudança e a atribuição de outras habitações na mesma unidade habitacional, de forma a responder às necessidades de cada família.

PEDIDO DE CEDÊNCIA DE HABITAÇÃO SOCIAL

Foi autorizado o realojamento de uma família na Unidade Habitacional de Aguiã, casa 2.

Transporte E alimentação para alunos com necessidades educativas especiais: foi deliberado adquirir passes escolares para dois alunos com necessidades especiais, no valor de 1.197,00€ (mil cento e noventa e sete euros);

FESTIVAL SENIOR: a camara aprovou a realização do festival sénior a decorrer entre os dias 6,7 e 8 de Novembro de 2015, no Centro de Exposições de Arcos de Valdevez. O evento contempla um espaço destinado à exposição, divulgação e venda de produtos e serviços e outro, destinado a atividades de animação, com um custo de €18 000,00.

Evento "Arcos com + Vida (MED ON TOUR): A Câmara Municipal tomou conhecimento e aprovou o apoio a dar ao evento "Arcos com + Vida (MED ON TOUR)" organizado pela Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM) em colaboração com o Município, que decorrera nos dias 30, 31 de outubro e 1 de novembro de 2015, no concelho de Arcos de Valdevez.

Este trata-se de um evento que vem dar continuidade ao realizado há cerca de um ano denominado de "Aldeia Feliz", sendo que este evento terá como lema "Arcos com + Vida". Será um modelo muito mais abrangente já que inclui atividades em todos os infantários, creches, 4º, 9º e 12º anos, lares, abrangendo todos as instituições públicas e privadas, atividades de rua, rastreios, atividades para jovens.

PLANO VERDE

Foi aprovada uma proposta de intervenção ao nível de 3 áreas verdes, arruamentos e formações para os funcionários da Câmara Municipal, no valor de 22.000,00€.

PARQUE EMPRESARIAL DE ÁLVORA

Foi aprovada a cedência gratuita ao Município de uma parcela de terreno, no lugar de S. Martinho, Álvora, com a área de 22 797 m2, para a instalação de um Parque Empresarial de Álvora, conforme programado no PDM.  

DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E URBANISMO - PARQUE EMPRESARIAL DAS MOGUEIRAS- AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS – PARECER PRÉVIO VINCLUATIVO: foi aprovado adquirir serviços com vista à elaboração de Estudo de Impacto Ambiental, no preço estimado de 16 000,00 €, acrescido de IVA.

PEDIDO DE ABERTURA DE PROCEDIMENTO – EMPREITADA DE ALARGAMENTO E BENEFICIAÇÃO DO CAMINHO DA CAPELA E DO CAMINHO DA CANEJA DE BAIXO – FREGUESIA DA GAVIEIRA: foi autorizada abertura de procedimento, pelo valor base de 85.000,00 Euros

PARECER PRÉVIO VINCULATIVO DE AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE EXECUÇÃO DA LIGAÇÃO DA ROTUNDA DA SOLIDARIEDADE À ROTUNDA DA VARIANTE EM PROSELO:- foi deliberado aprovar que o projeto  em causa seja executado por aquisição de serviços, dado o objeto a contratar, sendo o preço base fixado em 22.500,00 Euros e o prazo de entrega máximo em 60 dias.

Renovação das Instalações Sanitárias do edifício dos Paços do Concelho: foi deliberado aprovar a receção definitiva assim como a restituição dos depósitos de garantia da obra e cancelamento das respetivas garantias bancárias para garantia do contrato.

Reparação de Caminhos Vicinais - Reabilitação da Ponte de Ligação entre Ázere e Couto: foi deliberado aprovar a receção definitiva assim como a restituição dos depósitos de garantia da obra e cancelamento das respetivas garantias bancárias para garantia do contrato.

Execução de passagens hidráulicas nos rios Vez e Lima: foi deliberado aprovar a realização de uma vistoria para efeitos da liberação da caução prestada.

CONTRATO DE MANUTENÇÃO PARA OS EQUIPAMENTOS ACTIVOS (CISCO): foi deliberado a celebrar contrato de manutenção para os equipamentos ativos (Cisco) de suporte à rede municipal de fibra ótica, servidores, computadores, telefones, impressoras, etc, no valor de € 3 950,00, mais IVA, anuais.

TURISMO

UR –DIM –R – 2/2015 – Pedido de Declaração de Interesse Turístico: foi deliberado aprovar o reconhecimento de interesse turístico do empreendimento de turismo rural – Casa de Campo a instalar no lugar da Aspra, freguesia de Sabadim.

DIVISÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA – Procedimento de Concurso Púlico para a aquisição de serviços de seguros para 2016: foi deliberado aprovadar a proposta do preço base para o Lote I, para 3 anos, de 192.600,00 € (era de 250.000,00 €), sendo ainda fixado como preço base para o Lote II, para 3 anos, o montante de 32.400,00€ (era de 30.000,00 €), isento de IVA.

EPRALIMA - Comparticipação do Município nos empréstimos para remodelação do edifício e aquisição de equipamentos de cozinha: foi aprovada a comparticipação do município nos encargos dos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2015 com os empréstimos contraídos pela EPRALIMA, CIPRL, para remodelação do seu edifício sede e para aquisição de equipamento de cozinha, no montante de, respetivamente 10.000,00 e 1.650,03 euros mensais.

DIVISÃO DE OBRAS MUNICIPAIS

PO 115/2015 - MEDIDAS DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA - GUARDAS DE SEGURANÇA METÁLICAS: - Foi deliberado homologar o Auto de Consignação respeitante à obra em epígrafe, adjudicada à firma SINALNORTE – Sinalização e Marcação de Estradas, Lda., pelo valor de € 57.749,24, e prazo de execução de 90 dias.

Centro de Meios Aéreos - Alteração Funcional do Edifício Operacional: foi deliberado homologar, o Auto de Consignação respeitante à obra em epígrafe, adjudicada à firma GABINOV – Contabilidade e Engenharia, Lda. pelo valor de € 10.880,00, e prazo de execução de 60 dias.

PO 100/2014 - RECONSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DE EDIFÍCIO NA RUA DO ESPÍRITO SANTO/RUA CARLOS CUNHA (VALETA) - TRABALHOS DE DEMOLIÇÃO E CONTENÇÃO PERIFÉRICA: foi deliberado aprovar o Auto de Receção Provisória da obra em epígrafe, adjudicada à firma Capta Formas, Lda.

MELGAÇO PROMOVE ALVARINHO DA QUINTA DO SOALHEIRO

A primeira marca de Alvarinho de Melgaço

SOALHEIRO É ASSOCIADO DA AEBA

Oportunidade da Quinta de Soalheiro se estabelecer em novos mercados, quer nacionais como internacionais

A Quinta de Soalheiro é agora associado da AEBA - Associação Empresarial do Baixo Ave e quer afirmar o nome Soalheiro. Credibilidade, dinamismo e seriedade foram os aspetos fundamentais que estiveram por detrás da decisão.

O apoio às empresas, à micro economia, à região e ao País, são os principais objetivos desta associação que agora tem o Soalheiro, a primeira marca de Alvarinho de Melgaço, como seu novo membro. Para além de fazer parte de uma associação representativa, o Soalheiro tem agora a oportunidade de partilhar com outras empresas desafios e projetos de futuro, usufruindo ainda de um conjunto de serviços, benefícios e regalias, que transmitem confiança, utilidade e valor acrescentado, traduzindo-se numa efetiva vantagem competitiva para o Soalheiro.

A AEBA celebrou em maio passado 15 anos de atuação sempre ao lado do rigor, lealdade, serviço, competência, independência e fidelidade e já mereceu a confiança de mais de 1.000 empresas que se associaram ao projeto com interesses quer regionais, quer nacionais ou mesmo transfronteiriços. Atualmente representa um universo que equivale a mais de 1,4 mil milhões de euros em volume de faturação global e mais de 15.000 colaboradores diretos.

A parceria é encarada como uma oportunidade do Soalheiro se estabelecer em novos mercados, quer nacionais como internacionais.

O Soalheiro é considerado um especialista em Alvarinho pelos líderes de opinião internacional e nacional, pelo que na sua gama de vinhos se destacam a trilogia composta pelo Soalheiro clássico, efetivamente um clássico e o vinho com maior presença internacional; o Soalheiro Primeiras Vinhas, uma referência nos Alvarinhos e, por quatro vezes consecutivas, considerado o Melhor Vinho Branco Nacional e o Soalheiro Reserva, a expressão máxima da casta alvarinho com a fermentação em barrica. Aos quais se juntam os dois espumantes Soalheiro, o clássico Bruto e o Bruto Rosé, não esquecendo ainda os inovadores ALLO e Soalheiro 9% que se distinguem pelo teor alcoólico moderado com enorme elegância e frescura, que procuraram explicar que o álcool moderadamente baixo também está associado a vinhos de grande qualidade.

Para posicionar os seus vinhos entres os melhores do mundo a Quinta de Soalheiro tem procurado implementar os melhores princípios vitícolas e enológicos, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs e é por isso que lançou recentemente o Soalheiro Oppaco com um lote de Vinhão e Alvarinho. Abre assim um novo capítulo da história da primeira marca de Alvarinho em Melgaço ao apresentar o seu primeiro vinho tinto, também pioneiro por se tratar de um vinho tinto da região com lote de uvas tintas (Vinhão) e uvas brancas (Alvarinho). Mas já em setembro a Quinta de Soalheiro tinha lançado o Terramatter, um Soalheiro integralmente diferente, feito com uvas de produção biológica.

24 MERCADOS DE EXPORTAÇÃO

Presente em 24 mercados de exportação, nomeadamente na Alemanha, Angola, Bélgica, Brasil, Canadá, China, Coreia do sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letónia, Luxemburgo, Noruega, Polónia, Suécia, Suíça e Singapura, o vinho Soalheiro tem registado um crescimento internacional gradual e constante em todos os países, inclusive no mercado nacional. É de salientar que em Portugal a presença nos locais de referência tem-se feito sentir, com maior notoriedade, em estabelecimentos de restauração, garrafeiras e winebars.

QUINTA DE SOALHEIRO, UM REGISTO FAMILIAR

Foi nos anos 70, nomeadamente em 1974, que João António Cerdeira, com o apoio de seu pai, António Esteves Ferreira, plantou a primeira vinha de Alvarinho, criando, em 1982, a primeira marca de Alvarinho em Melgaço. A Quinta de Soalheiro tem um perfil profundamente familiar cuja dedicação aos vinhos se expressa em vinhos elegantes e vibrantes, sendo atualmente Maria Palmira Cerdeira e seus filhos, Maria João Cerdeira e António Luis Cerdeira, a orientar os trabalhos. As sucessivas gerações, com a sua experiência, têm-se empenhado em apurar os conhecimentos e a capacidade de produzir vinhos cada vez melhores. É uma ligação clara entre o passado, o presente e o futuro. As gerações trabalham lado a lado para, juntas, olharem para o futuro deste sector e desta região. Tudo têm feito para implementar as melhores tecnologias vitícolas e enológicas, de forma a potenciar a expressão dos seus “terroirs”.

ARCOS DE VALDEVEZ PROMOVE VINHOS EM SANTARÉM

Vinhos de Arcos de Valdevez marcam presença no 35º Festival Nacional de Gastronomia de Santarém

Os Vinhos de Arcos de Valdevez estiveram presentes, a convite da AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho, no 35º Festival de Gastronomia de Santarém.

festival_gastronomia_santarem (2)

Este festival é o mais antigo Festival de Gastronomia do País e através dele é feita a promoção do Património Gastronómico Nacional, afirmando-se já como uma marca consagrada junto de gastrónomos, especialistas e apreciadores dos prazeres da boa mesa.

Durante dois dias os vinhos de Arcos de Valdevez estiveram em destaque, através da realização de provas comentadas, o que proporcionou um contacto mais direto com vinhos e produtores.

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez valoriza os produtos da região e, nesse sentido, procura levar a cabo frequentemente iniciativas que estimulem sua promoção e divulgação, junto da comunidade turística, de forma a dinamizar a economia local.

festival_gastronomia_santarem (6)

festival_gastronomia_santarem (4)

EXPOSIÇÃO DE DACOS NA CASA MUSEU DE MONÇÃO/UNIVERSIDADE DO MINHO

Inauguração realiza-se amanhã, pelas 16h00, prolongando-se até ao dia 30 de novembro. A exposição pode ser visitada de terça a sexta das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 e, aos sábados, das 14h00 às 18h00.

Dacos

A exposição do artista belga Dacos, patente ao público na sala de exposições temporárias da Casa Museu de Monção/Universidade do Minho, é inaugurada este sábado, 31 de outubro, pelas 16h00, prolongando-se até ao dia 30 de novembro.

Esta mostra do gravador Dacos (1940 – 2012), disponibilizada pela Fundação Bienal de Cerveira, percorre os vários estados do seu trabalho e das suas afinidades, sendo praticamente a história da sua vida e da forma como o artista viveu a criatividade e experiência artística.

Dacos é uma presença assídua nas bienais de arte de Vila Nova de Cerveira realizadas nos últimos 20 anos e grande impulsionador do intercâmbio de jovens artistas belgas e portugueses. A exposição pode ser visitada de terça a sexta das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 e, aos sábados, das 14h00 às 18h00.

MONÇÃO RECEBE IV ENCONTRO LUSO GALAICO DE MÚSICA POPULAR

Organizado pelo Grupo Popular “Os Teimosos” com o apoio da Câmara Municipal de Monção, realiza-se no dia 7 de novembro, sábado, pelas 21h30, no Cine Teatro João Verde. Participação de cinco agrupamentos populares da região transfronteiriça.

Com organização do Grupo Popular “Os Teimosos”, o IV Encontro Luso Galaico de Música Popular realiza-se no dia 7 de novembro, sábado, pelas 21h30, no Cine Teatro João Verde. A entrada custa 3,50 €, podendo ser adquirida na Loja Interativa de Turismo.

Além do grupo anfitrião, a presente edição reserva atuações de mais quatro agrupamentos: A Seneira (Baiona/Espanha), Aqua Musica (Ourense/Espanha), Pédëpôtè (Mondariz /Espanha), e Banda Musical da Casa do Povo de Tangil (Monção/Portugal).
Este intercâmbio musical, levado a efeito pelo quarto ano consecutivo, promete uma noite animada pelos sons caraterísticos desta região transfronteiriça e marcada pelo convívio e confraternização entre os grupos presentes e o público das duas margens do rio Minho.

A ligação de Monção à Galiza é forte e, mesmo em tempo de limitação à circulação de pessoas e ideias, os dois povos sempre encontraram “maneiras” de fazer vida em comum. A música é uma dessas “maneiras” que, em liberdade, encontrou um amplo espaço de criatividade e intercâmbio cultural. Assim, cada encontro é uma festa.

BRAGA RECEBE JORNADAS NACIONAIS DA PASTORAL DO TURISMO

Jornadas Nacionais da Pastoral do Turismo decorrem até à amanhã, no Bom Jesus. Turismo Religioso é factor de dinamização e promoção do território

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, defendeu hoje, 30 de Outubro, que é preciso continuar a apostar na promoção e valorização do património turístico-religioso da Cidade, colocando-o nos principais mercados nacionais e internacionais.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001516

Na sessão de abertura das Jornadas Nacionais da Pastoral do Turismo, que decorrem até amanhã, no Bom Jesus, Ricardo Rio enalteceu o trabalho de promoção turística realizado não apenas pelo Turismo do Porto e Norte, pelo Turismo de Portugal e pela Arquidiocese de Braga, como também pelos agentes económicos locais e, em particular, pela Universidade Católica, através dos profissionais ligados à área do turismo.

Considerando que o Turismo Religioso tem um “futuro auspicioso”, o Autarca Bracarense falou do “momento de grande exuberância turística” que a Cidade tem vivido e registou a crescente atractividade de visitantes dos quatro cantos do mundo.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001514

Para este crescimento, acrescentou, muito têm contribuído os factores ligados ao Turismo Religioso, quer na sua dimensão espiritual, quer também na sua dimensão material, recordando o trabalho de valorização dos Caminhos de Santiago, o reforço da divulgação das Solenidades da Semana Santa ou ainda a candidatura do Bom Jesus a Património da Humanidade. A este nível, Ricardo Rio elogiou o desempenho da Confraria do Bom Jesus do Monte que “tem criado condições para uma maior atractividade àquele complexo”.

O Edil mencionou, igualmente, o Santuário do Sameiro, o Mosteiro de Tibães, a rede de igrejas existente no Concelho e outros tantos espaços de cunho religioso que se assumem como cartão-de-visita.

Do ponto de vista cultural, Ricardo Rio referiu-se ainda às inúmeras celebrações religiosas que se realizam ao longo de todo o ano, “umas de dimensão mais concelhia como o S. João, outras mais locais, e que são um factor de dinamização do território e de envolvimento de toda a comunidade”, anunciando para 2016 a publicação de um roteiro das festividades do Concelho.

Já para Melchior Moreira, presidente da entidade regional de Turismo do Porto e Norte, Braga é o rosto da marca forte que Turismo Religioso possui actualmente em Portugal. “Se hoje este produto turístico é estratégico para o país deve-se, claramente, ao empenho do Município de Braga, do Turismo do Porto e Norte e, muito particularmente, ao esforço de D. Jorge Ortiga que trabalhou sempre connosco para que este produto fosse cada vez mais reconhecido”, sublinhou.

Também D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz, defendeu que é preciso promover a ‘marca Minho’. “Lisboa impôs-se. O Douro impôs o Porto e, nós, todos juntos, temos que impor o Minho”, afirmou.

Até amanhã, Sábado, as Jornadas da Pastoral do Turismo, organizadas pela Obra Nacional da Pastoral do Turismo, vão focar-se no binómio Igreja-Património. ‘Igreja e Turismo’, ‘Património Religioso e Turismo’ e ‘Operadores Turísticos e Peregrinações’ são os temas em análise.

CMB30102015SERGIOFREITAS0000001513

GUIMARÃES DESCENTRALIZA INICIATIVAS CULTURAIS

A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO

Projeto “ExcentriCidade” cria outros palcos e leva mais cultura ao concelho de Guimarães

Programa cultural começa esta sexta-feira na vila de São Torcato e continua no sábado em Moreira de Cónegos e na União de Freguesias de Briteiros S. Salvador e Briteiros Sta. Leocádia. Taipas e Ronfe também fazem parte da primeira fase desta iniciativa de descentralização.

ExcentriCidade - Apresentacao

O projeto “Excentricidade – Outros Palcos, Mais Cultura” que a Câmara Municipal de Guimarães implementará no concelho a partir desta sexta-feira, 30 de outubro, tem como objetivo a criação de novas centralidades de consumo/criação artística e cultural. Guimarães soube, ao longo do tempo, adicionar novas camadas na vida dos seus habitantes e visitantes, somando aos seus históricos atributos uma forte aposta no desenvolvimento do ser humano através da cultura. Guimarães ganha essa aposta através de uma programação cultural forte, de cariz marcadamente contemporâneo, que se vê hoje reconhecida nacional e internacionalmente.

Produtos culturais de enorme valor de marca ganham dimensão. O Guimarães Jazz - certame internacional que vem reunindo os melhores músicos de Jazz de sempre – solidifica-se como o mais importante festival de Jazz do país, realizando-se ininterruptamente desde 1992. O GUIdance - Festival de Dança Contemporânea, que vai para a quinta edição, tem recebido projetos de renome nacional e internacional, bem como apostado em projetos emergentes da cena artística atual.

Os Festivais Gil Vicente, que se realizam sem interrupções desde 1987, são o palco privilegiado para a mais recente produção teatral nacional. Desta forma, Guimarães consegue um merecido lugar de destaque no panorama cultural nacional e internacional. O reconhecimento chega com o título de Capital Europeia da Cultura, que Guimarães, por indicação do Governo de Portugal, recebe em 2012.

A cidade ganhou uma nova projeção e apostou na introdução de novas práticas culturais, envolvendo ativamente os vimaranenses nesse processo. O slogan “Tu Fazes Parte!” e o logótipo de Guimarães 2012 são símbolos rapidamente adotados pelos vimaranenses e pelo público em geral, criando um forte sentimento de pertença de toda a comunidade. Guimarães surge assim aos olhos do país e da Europa como um importante centro de cultura que se reconverte, inova, explora e desenvolve, e que não prescinde das pessoas para esse processo.

Agora, não só Guimarães oferece cultura, como também passa a criá-la nos seus espaços de residência artística, no seu espaço público e nas suas instituições culturais. A par de projetos de dimensão internacional, desenvolvem-se projetos à escala local, envolvendo o tecido empresarial, académico e associativo. Em 2012, o capital socioeconómico e cultural adquirido eleva a cidade como cidade criativa e empreendedora, conforme confirma o estudo realizado pela Universidade do Minho.

Este caminho empreendido é responsável pela criação de uma marca identitária de forte cunho cultural. Guimarães vê-se a si própria como cidade onde a cultura se constitui como núcleo e como motor de desenvolvimento social e económico. Uma cidade que acredita que a cultura desempenha um papel fundamental na regeneração urbana, fortalece o sentimento de pertença e ajuda a definir uma identidade partilhada. Renovam-se os símbolos da identidade e das imagens da cidade através do conseguido diálogo entre o legado histórico (material e imaterial) e as novas formas de produção de significado. Oferece-se ao visitante uma nova dimensão, ao aliar-se uma oferta cultural fortemente contemporânea ao edificado histórico.

Cultura para todos

Guimarães será tão mais competitivo e atrativo, quanto for capaz de ler e entender as suas potencialidades, integrando-as e valorizando-as em territórios mais alargados – regional, nacional, europeu e internacional – e, em consequência disso, a criatividade, o conhecimento e a cultura emergirão como fatores distintivos de Guimarães, conferindo-lhe uma identidade única e singular.

A aposta na criatividade, no conhecimento e na cultura como fatores distintivos de Guimarães traduzir-se-á, inevitavelmente em:

  • Construção de uma cidadania responsável e participativa
  • Preservação da memória histórica e patrimonial (acrescente-se as novas formas de olhar o património)
  • Criação, criatividade e conhecimento

Um projeto cultural nunca se conclui. É sempre um “trabalho em curso” – justificado pela natureza da imaterialidade que encerra – que caminha em direção à diversidade de atores, à sua ampliação, constituindo-se como alavanca de mudanças intensas na vida social. Os espaços de programação são laboratórios de diversidade cultural que se relacionam com o espaço urbano, que fomentam parcerias entre agentes públicos e privados e estabelecem pontes com a comunidade.

“ExcentriCidade – Outros Palcos, Mais Cultura” é um passo importante para essa diversidade e ampliação, atuando especificamente no território concelhio, em novos palcos, e levando a mesma filosofia encetada nos espaços culturais da cidade: acrescentar novas camadas de significado cultural ao sedimentado, criar novas oportunidades para públicos e criadores, gerar mais patamares no desenvolvimento do cidadão enquanto ser cultural e contribuir para o fortalecimento das relações humanas, da cidadania responsável, do esclarecimento e da partilha.

Fá-lo-á tendo em conta as especificidades da cada uma das freguesias envolvidas, num espírito de rede e de colaboração, de coesão e de responsabilidade. ExcentriCidade – Outros Palcos Mais Cultura, na sua Fase 1, intervirá nas seguintes freguesias do concelho de Guimarães:

  • Caldelas
  • Moreira de Cónegos
  • Ronfe
  • S. Torcato
  • União de Freguesias de Briteiros S. Salvador e Briteiros Sta. Leocádia

Principais premissas do projeto

  1. Seleção dos espaços culturais

A seleção dos espaços do projeto tem como critério dois fatores essenciais: a distribuição geográfica, e consequente abrangência, e as condições atuais no que diz respeito a locais de apresentação.

  1. Programação com caráter de regularidade

Os resultados de qualquer política cultural não são imediatos. A criação de hábitos de consumo cultural só pode ser conseguida através de uma programação regular e continuada, de forma a atingir os objetivos propostos.

  1. Programação diversificada

A tipologia de programação será o mais diversificada possível, contemplando disciplinas artísticas como música, dança, teatro e cinema.

  1. Programação pensada para cada território

A programação cultural terá em consideração as especificidades do território onde terá lugar, procurando responder a necessidades objetivas. Será criado um grupo de trabalho em cada uma das 5 células (freguesias), envolvendo o Presidente da Junta de Freguesia, os presidentes das Juntas de Freguesia limítrofes e entidades/individualidades locais que possam contribuir para a reflexão a efetuar sobre o território.

  1. Programação que acrescente novidade

Um dos objetivos principais do projeto é levar ao território concelhio, e a cada um dos locais de apresentação, produtos culturais profissionais que não são habitualmente apresentados. Com isto, pretende-se que o cidadão tenha contacto com novas formas de expressão artística e cultural, contribuindo para o enriquecimento recíproco gerado pela relação artista/público.

  1. Instalação de capacidade técnica

Os espaços escolhidos para a apresentação do programa cultural serão objeto de uma intervenção que tem como objetivo a dotação ou a melhoria do equipamento técnico necessário. O material adquirido será entregue aos detentores do espaço físico em regime de comodato.

  1. Formação técnica dos agentes locais

Os equipamentos instalados serão operados por agentes locais que receberão formação específica para o efeito.

  1. Sustentabilidade dos equipamentos

Os espetáculos culturais terão entrada paga de valor simbólico (1 ou 2 €), a reverter para a entidade detentora do espaço. Esta receita permitirá ao detentor do espaço manter e/ou melhorar as condições técnicas instaladas.

Pág. 1/26