Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

GUIMARÃES IMPLEMENTA NOVO PROJETO CULTURAL

“Sons e Tons em Guimarães” apresentado esta segunda-feira em Conferência de Imprensa

Mais de um mês de iniciativas preenche novo projeto da Autarquia, que decorrerá entre 11 de dezembro e 16 de janeiro. Apontamentos artísticos (musicais e teatrais) começam já… neste encontro com os jornalistas!

O Município de Guimarães vai proceder à apresentação oficial do projeto cultural “Sons e Tons em Guimarães”, durante a realização de uma Conferência de Imprensa agendada para esta segunda-feira, 01 de dezembro, pelas 11:30 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal, onde será dado a conhecer o programa geral desta nova aposta da Autarquia.

Comemorações do 13º aniversário da integração do Centro Histórico de Guimarães na lista do Património Cultural da Humanidade, Iluminação de Natal, Festa de Passagem de Ano, Reisadas, Arte Urbana, performances teatrais, dança contemporânea, atuações musicais nos Transportes Urbanos de Guimarães (TUG), entre outras iniciativas, fazem parte deste projeto cuja organização está a cargo da Câmara Municipal, com a parceria da ESAP – Escola Superior Artística do Porto e empresa Arriva.

COMEMORAÇÕES POPULARES DA DATA HISTÓRICA DO 1º DE DEZEMBRO, DIA DA RESTAURAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA NACIONAL, CONSTITUÍRAM UMA JORNADA PATRIÓTICA A RECLAMAR A REPOSIÇÃO DO FERIADO NACIONAL

Mais de três dezenas de bandas filarmónicas, grupos de bombos e corais alentejanos em representação das mais diversas regiões do país desfilaram hoje em Lisboa, no âmbito das comemorações do 1º de Dezembro, data que assinala a Restauração da Independência de Portugal.

Restauração 2014 115

O desfile contou com a participação de 32 agremiações, integrando 27 bandas filarmónicas, 2 grupos de Cante Alentejano e 3 grupos de percussão, os quais percorreram a avenida da Liberdade rumo à Praça dos Restauradores. A ladear o desfile, muitos populares aplaudiam as bandas musicais provenientes das suas terras de origem e acenavam com pequenas bandeirinhas que identificam os diversos períodos históricos da nossa nacionalidade.

Restauração 2014 097

As comemorações do 1º de dezembro contaram ainda com a participação da Banda Filarmónica de Odemira, Sociedade Filarmónica de Vieira do Minho, Associação Filarmónica Vilarinhense de Vilarinho de Castanheira, Banda Filarmónica Retaxense, Filarmónica Idanhense e Adufeiras de Idanha-a-Nova, Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense, Associação Filarmónica União Verridense, Banda Filarmónica Simão da Veiga da Casa do Povo de Lavre, SUA - Sociedade União Alcaçovense, Sociedade Filarmónica Portimonense, Sociedade Musical Gouveense Botto Machado, Sociedade Artística e Musical Cortesense, Sociedade Filarmónica Maceirense, Sociedade Filarmónica Pedroguense, Banda da Armada, Banda Musical e Artística da Charneca, Sociedade Desportiva e Recreativa União Mucifalense, Banda da Associação de Recreio Musical 1º de Dezembro de Campo Maior, Banda Musical de Gondomar, Associação Filarmónica União Lapense, Associação Filarmónica Montalvense 24 de Janeiro, SIC - Sociedade Instrução Coruchense, Banda Filarmónica Alveguense, Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 de Alcochete, Banda Filarmónica de Vila Nova de Anha, Banda Musical Velha de Barroselas, Sociedade Musical Vouzelense, Grupo Coral do Centro Republicano “Os Cigarras”, Grupo Coral do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira, Tocá Rufar e Grupo de Bombos de Atei, de Mondim de Basto.

Restauração 2014 093

As celebrações em Lisboa da data evocativa da Restauração da Independência Nacional em 1640 adquiriram um especial significado num momento de particular crise como a que atualmente se vive, traduzindo-se ainda numa reivindicação pelo restabelecimento do feriado nacional. Aliás, a sua supressão teve o condão de transformar estas comemorações numa verdadeira manifestação popular de cariz patriótico que contrasta com o rumo político que nas últimas décadas tem vindo a ser imposto ao país.

Restauração 2014 059

Restauração 2014 098

Restauração 2014 108

Restauração 2014 112

Restauração 2014 124

Restauração 2014 120

BANDAS FILARMÓNICAS DO MINHO DESFILAM AMANHÃ EM LISBOA NAS COMEMORAÇÕES DO 1º DE DEZEMBRO

Mais de três dezenas de bandas filarmónicas, grupos de bombos e corais alentejanos em representação das mais diversas regiões do país vão desfilar em Lisboa, no próximo dia 30 de novembro, no âmbito das comemorações do 1º de Dezembro, data que assinala a Restauração da Independência de Portugal. O desfile tem início às 14h30, na avenida da Liberdade, e seguirá rumo à Praça dos Restauradores, tendo transmissão em direto através da RTP1.

10631101_898536093494124_5009891136093796692_o

Em representação do Minho desfilarão a Sociedade Filarmónica de Vieira do Minho, a Banda Filarmónica de Vila Nova de Anha e a Banda Musical Velha de Barroselas.

As celebrações em Lisboa da data evocativa da Restauração da Independência Nacional em 1640 adquiriram um especial significado num momento de particular crise como a que atualmente se vive, traduzindo-se ainda numa reivindicação pelo restabelecimento do feriado nacional. Aliás, a sua supressão teve o condão de transformar estas comemorações numa verdadeira manifestação popular de cariz patriótico que contrasta com o rumo político que nas últimas décadas tem vindo a ser imposto ao país.

531391_408781179158094_294055195_n

O elenco das bandas e grupos para o 3º DESFILE NACIONAL DE BANDAS FILARMÓNICAS “1º DE DEZEMBRO” conta com um total de 32 agremiações, integrando 27 bandas filarmónicas, 2 grupos de Cante Alentejano e 3 grupos de percussão e é o seguinte:

BANDAS (por ordem alfabética dos distritos a que pertencem):

Banda Filarmónica de Odemira

Sociedade Filarmónica de Vieira do Minho

Associação Filarmónica Vilarinhense de Vilarinho de Castanheira

Banda Filarmónica Retaxense

Filarmónica Idanhense e Adufeiras de Idanha-a-Nova

Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficência Fratelense

Associação Filarmónica União Verridense

Banda Filarmónica Simão da Veiga da Casa do Povo de Lavre

SUA - Sociedade União Alcaçovense

Sociedade Filarmónica Portimonense

Sociedade Musical Gouveense Botto Machado

Sociedade Artística e Musical Cortesense

Sociedade Filarmónica Maceirense

Sociedade Filarmónica Pedroguense

Banda da Armada

Banda Musical e Artística da Charneca

Sociedade Desportiva e Recreativa União Mucifalense

Banda da Associação de Recreio Musical 1º de Dezembro de Campo Maior

Banda Musical de Gondomar

Associação Filarmónica União Lapense

Associação Filarmónica Montalvense 24 de Janeiro

SIC - Sociedade Instrução Coruchense

Banda Filarmónica Alveguense

Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 de Alcochete

Banda Filarmónica de Vila Nova de Anha

Banda Musical Velha de Barroselas

Sociedade Musical Vouzelense

CANTE ALENTEJANO:

Grupo Coral do Centro Republicano “Os Cigarras”

Grupo Coral do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira

GRUPOS DE PERCUSSÃO

Tocá Rufar

2 Grupos de Bombos de Mondim de Basto

1979247_802038476477220_1719351871_o

10514253_896414747039592_4013436814978335959_o

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE PONTE DE LIMA PROMOVE CONCURSO “CONTO DE NATAL”

A Biblioteca Municipal de Ponte de Lima dinamiza ao longo do mês de dezembro o concurso literário “Conto de Natal”.

Promover e incentivar à leitura e ao gosto pela criação literária é o principal objetivo da iniciativa, que decorrerá durante o mês de dezembro de 2014, destinado a alunos do 3.º e 4º ano de escolaridade, do Ensino básico do 1.º Ciclo.

O tema aceite neste concurso é alusivo ao Natal e a sua abordagem deverá primar pela originalidade, deixando perceber o gosto de cada aluno. O género literário elegível para efeito deste concurso é a prosa em língua portuguesa.

As escolas poderão participar com seis contos, que deverão obrigatoriamente apresentar um título. Os ficheiros digitais, dos contos previamente seleccionados, deverão conter o nome do concorrente e ser enviados, pelo Professor responsável, via correio electrónico, para a Biblioteca Municipal de Ponte de Lima – bibliotecam-pontedelima.pt.

A data limite de envio dos trabalhos é o dia 31 de dezembro de 2014.

Dos trabalhos apresentados a concurso o júri selecionará melhores contos de acordo com a sua originalidade, criatividade e correção ortográfica.

O júri será constituído pela responsável da Biblioteca Municipal e pelas Professoras Bibliotecárias de cada agrupamento.

O prémio deste concurso será constituído por um diploma de participação e livros.

A entrega dos prémios decorrerá durante o mês de janeiro de 2015, na Biblioteca Escolar do estabelecimento de ensino frequentado pelo vencedor (data a combinar com a escola). Será enviada, antecipadamente, uma listagem a todos os participantes com o vencedor do concurso.

Os prémios serão atribuídos aos 2 (dois) melhores trabalhos, correspondendo a um de cada ano (3.º e 4.º anos).

CERVEIRA LIMPA ECOPISTA DO MINHO

Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira procedeu à limpeza geral da Ecopista do rio Minho

Com o intuito de valorizar e proporcionar excelentes condições de acessibilidade aos inúmeros utilizadores, a autarquia cerveirense realizou, nestes últimos dias, uma limpeza geral da Ecopista do rio Minho, ao longo de toda a frente ribeirinha, através dos funcionários municipais.

IMG_2413

A ação resultou no corte de vegetação e na retirada de ramos de árvores já danificados entre a ecopista e a margem do rio Minho, de modo a tornar o percurso pedestre/ciclável mais atrativo, com boas condições de visibilidade e de desfrute da bela paisagem sobre aquele troço de água internacional e o outro lado da fronteira.

Simultaneamente, a União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe realizou trabalhos de ornamentação com a plantação de pequenas árvores ao longo do percurso, tornando aquele “corredor” verde lúdico e desportivo ainda mais natural e acolhedor, envolvendo os utilizadores num percurso com caraterísticas ambiental-paisagística.

O executivo cerveirense sublinha o excelente trabalho de colaboração efetuado pelos funcionários municipais e a União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe, que vem potenciar a mais-valia que a Ecopista representa para o turismo de natureza do Concelho, dada a excelente taxa de frequência de portugueses e espanhóis, ou turistas de outras nacionalidades.

Não obstante, e no âmbito da melhoria dos serviços de higiene e limpeza do Concelho, a Câmara Municipal tem apostado num reforço de equipamentos modernos e necessários para desenvolver estes trabalhos de asseio dos espaços de uso público, nomeadamente novas roçadoras profissionais, máquinas de corte de relva, sopradores e uma viatura mista de transporte de pessoal e maquinaria.

De momento, estão a decorrer a bom ritmo as obras da 2ª fase da Ecovia ‘Caminho do Rio’, Troço Rural Nascente, que vai ligar os concelhos de Vila Nova de Cerveira e Valença. A empreitada, com um investimento na ordem dos 600 mil euros, visa a construção de mais sete quilómetros de Ecovia que permitirá a ligação entre a Ecovia já executada (Gondarém, Loivo, Vila Nova de Cerveira e Lovelhe) e a Ecovia de Valença em fase de construção.

07

BARCELOS ATRIBUI BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO

Câmara Municipal disponível para alargar cooperação com a Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho

A Câmara Municipal de Barcelos está disponível para alargar a cooperação com a Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho, no âmbito do protocolo de colaboração estabelecido entre as duas instituições em julho de 2014, revelou o Vice Presidente da Câmara, Domingos Pereira, na abertura do II Fórum de Investigação em Neurociências do Minho, que decorre no Auditório da Câmara Municipal entre os dias 28 e 30 de novembro.

DSC_0039 - 2

O Município já apoia duas bolsas de investigação com cinco mil euros cada, mas “no futuro pode aumentar esse apoio e cooperar em novas iniciativas”, como é o caso do próprio Fórum, também ele apoiado, financeiro e logisticamente, pela segunda vez, pela autarquia.
Domingos Pereira diz que a Câmara Municipal de Barcelos tem sabido “interpretar a importância da investigação” e das parcerias com as instituições de ensino na afirmação de um novo modelo de gestão municipal, tanto mais que o Governo não tem prestado o apoio necessário a áreas tão decisivas como as da investigação.

Numa altura em que se assiste a uma “mercantilização e financeirização em todas as áreas da sociedade, incluindo na educação”, torna-se necessário “reverter esta situação”, apoiando iniciativas desta natureza.

Nuno Sousa, professor catedrático da Universidade do Minho e responsável pela criação do Fórum de Investigação agradeceu a disponibilidade do Município para acolher a iniciativa e elogiou a abertura e a visão da autarquia pela promoção da investigação científica.
Na mesma sessão, Fernanda Marques, da Universidade do Minho, falou sobre as sessões públicas que decorreram em Barcelos, com o apoio do Município e da Escola Secundária de Barcelos, acerca do envelhecimento e doenças neurodegenerativas, tendo em vista promoção das ciências da saúde junto dos mais jovens e a sua participação em atividades de investigação.

PONTE DE LIMA: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FREIXO DISTINGUIDA PELO PRÉMIO ESCOLAR MONTEPIO

O Município de Ponte de Lima congratula-se com a Distinção atribuída ao Agrupamento de Escolas de Freixo, no âmbito do Prémio Escolar Montepio 2014.

DSC_6873

Com o projeto Trilhos do Património, o Agrupamento de Escolas de Freixo candidatou-se ao Prémio Escolar Montepio, que visa distinguir projetos educativos, inovadores e orientados para a melhoria das condições de ensino e de aprendizagem.

O projeto premiado pretende oferecer à população em geral e aos turistas que visitam esta região, uma série de atividades  que valorizam o seu património a  partir do envolvimento dos alunos na utilização das novas tecnologias (desde a identificação dos trilhos à informação patrimonial), potenciando   o aparecimento e o desenvolvimento de serviços com custos de contexto muito baixos mas tecnologicamente muito avançados. Permitirá, assim,  desenvolver nos alunos  competências de grande importância para a sua futura inserção no mundo do trabalho.

Dos 10 finalistas apurados, o júri selecionou 3 estabelecimentos de ensino, e atribui 2 menções honrosas a outros 2 estabelecimentos de ensino. Por unanimidade deliberou atribuir um dos prémios pecuniários no valor de 13.749,00€ ao Agrupamento de Escolas de Freixo, como forma de distinguir a qualidade do projeto e o empenhamento da equipa docente na sua conceção e apresentação.

A cerimónia da entrega do Prémio está marcada para segunda-feira, 1 de dezembro, às 15 horas, no Porto, na “atmosfera m”, sita na Rua Júlio Dinis, nº 158/160, 4050-012 Porto.

NO ANO DE 2015, EM VILAR DE MOUROS VÃO ABRIR DOIS EQUIPAMENTOS TURÍSTICOS NUM INVESTIMENTO DE 6 MILHÕES DE EUROS

Miguel Alves visitou ontem os equipamentos, dando conta do esforço que o Município tem feito para vitalizar a economia do concelho e dos resultados que começam a surgir

Em 2015, o concelho de Caminha vai contar com dois novos equipamentos turísticos na freguesia de Vilar de Mouros, um investimento na ordem dos 6 milhões de euros e que vai criar 20 postos de trabalho diretos e 30 indiretos. Miguel Alves visitou ontem os dois empreendimentos: “estamos todos a trabalhar para que possamos ter uma economia mais forte e mais viva. É com este trabalho de criação de emprego e de riqueza que nós vamos conseguir tornar o nosso concelho mais desenvolvido”.

inv2

Na tarde de ontem, Miguel Alves, presidente da Câmara de Caminha, Carlos Alves e Sónia Torres, respetivamente presidente e secretária da Junta de Freguesia de Vilar de Mouros, e ainda Pedro Giestal representante da CEVAL, visitaram os empreendimentos para fins turísticos que estão a ser construídos em Vilar de Mouros juntamente com os respetivos promotores.

A comitiva visitou a obra na azenha de Vilar de Mouros acompanhada por João Evaristo, promotor do equipamento. Esta obra no valor de um milhão de euros e estará concluída em junho de 2015. O promotor sublinhou que nesta primeira fase a azenha está a ser reconstruída com a sua configuração original e numa segunda fase a aposta é transformar o local em turismo rural com lotação para seis camas.

inv1

No antigo parque de campismo de Vilar de Mouros “nasceu” um aldeamento turístico com 4 estrelas que vai abrir portas em maio de 2015. Este equipamento que implica um investimento de 5 milhões de euros, tem capacidade para 140 camas e vai criar 15 postos de trabalho diretos e 30 indiretos. Segundo Joaquim Pinheiro, promotor do empreendimento, o objetivo é oferecer aos turistas qualidade no meio da natureza.

Miguel Alves está convencido que os equipamentos são uma mais-valia, na medida em que vão atrair muitas pessoas ao concelho: “estes equipamentos correspondem a um investimento no concelho de 6 milhões de euros. Para além de originar a criação de 20 postos de trabalho direto, este tipo de investimento valoriza outro tipo de turismo que não o balnear - o turismo de natureza.”

inv3

O autarca aproveitou ainda a visita para explicar o esforço que a Câmara de Caminha tem feito para potenciar a economia local: “temos feito um grande esforço para vitalizar a economia do concelho e os resultados começam a aparecer. Em 2014 já deram entrada na Câmara Municipal 22 processos de licenciamento para a atividade com fins turísticos e 15 já estão deferidos”. E acrescentou: “cumpre-se mais um ciclo: vamos baixando os impostos, vamos anunciar brevemente a nova taxa de IRS. Na câmara baixamos as despesas e estamos a apostar no investimento privado para juntamente com o investimento público sustentarmos a nossa economia”.

Miguel Alves realçou o facto dos investidores escolherem o concelho de Caminha para investir: “quero deixar uma palavra de apreço aos investidores que encontraram em Caminha qualidades para poderem investir, criar riqueza para si próprios e para todos nós”.

inv4

PÓVOA DE LANHOSO PREPARA FESTEJOS DE NATAL

“Póvoa de Lanhoso – A Estrela do Natal”. De 5 de dezembro a 4 de janeiro

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso apresentou a estratégia “Póvoa de Lanhoso – A Estrela do Natal”, que engloba as iniciativas “Garfe, Aldeia dos Presépios” e “Aldeia Natal”.

Apresentacao Estrela do Natal 2

Trata-se da terceira edição desta parceria, que envolve Câmara Municipal, Fábrica da Igreja de Garfe, Junta de Freguesia de Garfe, DiverLanhoso e ainda a Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso.

O objetivo é promover, de uma forma global, a oferta turística que o concelho tem para oferecer na época festiva que se aproxima. Segundo o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, este esforço conjunto dos parceiros é fundamental para “dar força e projeção” a estas dinâmicas, de modo a que se afirmem, cada vez mais, como um “cartaz turístico da Póvoa de Lanhoso” na época de Natal. “Já o é, mas é preciso continuar a haver inovação e criatividade”, considerou ainda o autarca Povoense, assegurando que o Município tudo fará para que estas propostas continuem a evoluir e a melhorar de ano para ano.

Complementando estas iniciativas, a própria Vila também estará iluminada, pois, como referiu o autarca Povoense, “é a porta de entrada” para quem visita os Presépios de Garfe e a "Aldeia Natal" da DiverLanhoso. “Garfe, pelo 13º ano, e a 'Aldeia Natal', pelo 3º ano, começam a ser uma marca na Póvoa de Lanhoso e a sede de concelho não pode passar ao lado e a Vila vai ficar bonita”, garantiu Manuel Baptista. Esta iluminação de Natal é ligada já nesta sexta-feira, dia 28 de novembro, envolvendo um investimento de sete mil euros. Trata-se ainda de um incentivo às compras no comércio local.

De resto, o Vereador para a Cultura, Armando Fernandes, também sublinhou a atenção prestada à economia local. “Nesta altura, também procuramos desenvolver algumas iniciativas, que visam a dinamização do comércio local. Isso é muito importante para nós”, referiu. Revelando que a relação de parceria que torna possível a “Estrela do Natal” se tem estreitado a cada ano, sintetizou: “Somos parceiros, promovemos em conjunto não só as atividades que cada uma das entidades promove, mas o nosso objetivo é promover este todo global que é o nosso concelho, que é a Póvoa de Lanhoso”.

De lembrar que, este ano, a Câmara Municipal vai levar cerca de 200 alunos do quarto ano de escolaridade à “Aldeia Natal” depois de, no ano passado, ter levado crianças do pré-escolar a “Garfe, Aldeia dos Presépios”, numa lógica de rotatividade.

Ainda no âmbito da temática natalícia, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso lançou o repto a escolas e IPSS’s para apresentarem os seus presépios, dando origem a uma exposição, que permanecerá a partir do dia 12 de dezembro e até ao final do ano no Theatro Club.

“Garfe, Aldeia dos Presépios” – de 14 de dezembro a 4 de janeiro

A 13ª edição conta com 15 presépios dispostos pelos distintos lugares da freguesia, mas existe também um programa de animação cultural associado a este evento. “O principal são os presépios. Temos a certeza de que vão ser tão bons ou melhores do que os dos anos anteriores. Toda a gente está motivada e está a trabalhar bem”, referiu o Padre Luís Fernandes. Como habitualmente, será celebrada uma missa junto de cada um dos exemplares. “Está tudo preparado, se o tempo ajudar, para que esta edição seja, sem dúvida, a melhor de todas”, referiu ainda, revelando que ficou decidido que cada edição passasse a ter um “padrinho”, sendo que, este ano, será Manuel Santa Cruz Domingues Basto Oliveira.

Outra das novidades é a exposição de uma coleção privada do próprio Padre Luís Fernandes, com mais de 500 presépios. Esta mostra ficará patente no Salão Paroquial, de 14 de dezembro até 4 de janeiro. No capítulo da animação cultural, destaque para a apresentação da encenação teatral “Uma prenda de Natal”, coordenada pelo Theatro Club com a participação da comunidade de Garfe, no dia 14 de dezembro, pelas 16h00. Referência ainda para as noites culturais: no dia 20, é a Noite de Talentos, no dia 27 é a Noite de Fados e a 3 de janeiro é o Encontro Musical da Aldeia dos Presépios, propostas na Igreja Paroquial com início pelas 21h00. Aos domingos, haverá ainda uma Feirinha de Natal, nas imediações da igreja. Como vem sendo habitual, a Câmara Municipal promove ainda o Passeio Pedestre da Aldeia dos Presépios, no dia 14 (ponto de encontro na Vila Povoense, pelas 14h00).

O Presidente da Junta, Paulo Ferreira, destacou que se trata de uma iniciativa que “une a comunidade”, ou seja, “as várias pessoas e os vários lugares que se agrupam e que se juntam para a construção destes presépios acabam por conviver entre si e isso é muito importante”. O autarca local sublinhou ainda a projeção que o evento confere à freguesia, com a visita de milhares de pessoas. “Isto traduz-se em três semanas de intensa atividade na freguesia de Garfe e de convívio entre a própria população”, finalizou.

“Aldeia Natal” - 5 a 28 de dezembro

Na sua terceira edição, a “Aldeia Natal”, na DiverLanhoso, vai decorrer às quintas, sextas, sábados e domingos e no dia 16 de dezembro, último dia de aulas do período letivo.

De acordo com o Diretor da DiverLanhoso, Paulo Barbosa, este ano, há algumas inovações e melhorias. “Tenho a certeza de que os conteúdos das casas temáticas deste ano são melhores, mais completos, mais profissionais do que o que foram nas outras duas edições, daí também a maturidade do evento. Agora é esperar pelas crianças e por quem nos quiser visitar e fazer com que seja um dia inesquecível para quem nos visita e que fique na memória de todos como um dia bem passado e que, para o ano, queiram voltar”, afirmou.

Assim, os visitantes poderão encontrar a Casa do Brinquedo, a Casa do Chocolate, a Casa do Pai Natal, o Mini-cinema, a Mini-discoteca, a Casa da Reciclagem e a Casa de Flocos de Neve. Uma das principais novidades é a presença de um circo durante todo o evento, período durante o qual, quem preferir pode ainda optar por algumas das atividades regulares do Parque Aventura, como o slide, a mina labirinto, a escalada, o circuito de pontes e os trampolins.

Quanto ao valor dos ingressos, o bilhete para a “Aldeia Natal” é de 6 euros, para a “Aldeia Natal” e circo é de 8 euros e só para o circo é de 4 euros. “Mais uma vez, contamos com o apoio de alguns parceiros, como patrocinadores e apoios”, salientou ainda Paulo Barbosa, que se mostrou satisfeito com a adesão até ao momento. “Felizmente, as marcações estão a correr bem, já temos bastantes reservas e esperamos nesta edição ultrapassar a barreira dos 10 mil visitantes. É esse o nosso objetivo”.

Já a Diretora do evento, Cristiana Duarte, sublinhou, sobretudo, que se pretende fazer da Aldeia Natal um “evento da região” e destacou a aposta não só na vertente da animação, mas também na vertente pedagógica das casas temáticas. De referir, por fim, que nos dias 20 e 28 de dezembro, haverá cobertura televisiva deste evento.

HISTORIADOR FAFENSE DANIEL BASTOS ESTREIA-SE NA POESIA COM “TERRA”

No próximo dia 5 de Dezembro (sexta-feira), o escritor e historiador Daniel Bastos apresenta às 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal de Fafe, o seu mais recente livro intitulado “Terra”.

Foto A (Autor)

A obra com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue (Português e Francês) com tradução do docente Paulo Teixeira, marca a estreia do autor natural de Fafe no campo da poesia, e conta com ilustrações originais do conceituado artista plástico português Orlando Pompeu, cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai, e prefácio do fotógrafo, poeta e pintor francês Gérald Bloncourt.

O livro integra um conjunto de poemas de linhas temáticas contíguas onde o escritor, que se tem destacado nos últimos anos no campo da investigação histórica, expressa a sua visão da vida numa linguagem telúrica de amor filial às raízes, de nostalgia do tempo que passou, de denúncia da injustiça, de sublimação do amor, de resgate da história e de afirmação da liberdade. Os desenhos de Orlando Pompeu, concebidos propositadamente a partir dos poemas de Daniel Bastos, e que criam uma simbiose entre a linguagem artística da pintura e da poesia, estarão patentes na apresentação da obra que será antecedida por um momento musical executado pelo pianista Nelson de Quinhones.

Capa do Livro - Terra

Segundo Gérald Bloncourt, Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França, a alvorada dos passos poéticos de Daniel Bastos perscrutam as ressonâncias das profundezas da humanidade. Para João Ricardo Lopes, poeta que integra a nova geração de escritores portugueses, e que assina o posfácio da obra, os versos do autor minhoto são um modo de regeneração e de libertação do momento e da circunstância.

Refira-se que o livro será também apresentado no dia 6 de Dezembro (sábado) às 21h30 na FNAC em Guimarães, e no dia 7 de Dezembro (domingo) no Hipermercado E.Leclerc em Fafe, superfície comercial que é um dos principais apoios da obra e cuja decoração de Natal foi inspirada nos poemas e desenhos que integram o livro.

Saliente-se ainda que estão já agendadas para o início do próximo ano várias sessões de lançamento do livro em capitais de distrito portuguesas, sendo a primeira em Braga no dia 24 de Janeiro (sábado) às 21h30 na FNAC. Assim como no estrangeiro, em particular junto das comunidades portuguesas, sendo a primeira em Paris no dia 7 de Fevereiro (sábado) às 16h00 no Lusofolie's, um novo espaço cultural de referência da comunidade lusófona em França, situado no chamado "viaduto das artes".

Foto B(Grupo)

O escritor Daniel Bastos, à direita, no ateliê do artista plástico Orlando Pompeu, ao centro na foto, acompanhado do tradutor da obra Paulo Teixeira

Foto C (Grupo)

PÓVOA DE LANHOSO DEBATE ESTÍMULO AO EMPREGO JOVEM

“Queremos orientar uma estratégia que vise, essencialmente, despertar novos empreendedores, criando uma resposta que incentive o surgimento de novos negócios. Essencialmente que ajude os jovens e os desempregados a valorizar as suas ideias, aproveitando o enorme potencial humano que existe na Póvoa de Lanhoso”. As palavras são do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, na sessão de abertura do Seminário "Comunidade Empreendedora: a Sociedade Civil no estímulo ao Emprego Jovem", esta quinta-feira, dia 27 de novembro, no Theatro Club da Póvoa de Lanhoso.

Abertura do Seminario Social Angels 1

Trata-se da primeira iniciativa pública do projeto “Social Angels – Comunidade Empreendedora”, que tem a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso como principal entidade parceira e a Sol do Ave como entidade promotora com o cofinanciamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Este Seminário visou debater de que forma se pode estimular o empreendedorismo e o emprego jovem no concelho e qual o papel da sociedade civil nesse desafio. “A Sol do Ave tem sido um parceiro ativo na concretização de projetos que se revelaram uma mais valia para o desenvolvimento deste concelho, especialmente na área social. Espero que os objetivos definidos para este novo projeto de apoio ao empreendedorismo, sejam também um contributo importante para a dinamização económica da Póvoa de Lanhoso”, referiu, por um lado, Manuel Baptista, e, por outro lado, deixou uma palavra de reconhecimento à Fundação Gulbenkian por ter acreditado nesta candidatura. “Estou certo que o financiamento atribuído será plenamente justificado”, afirmou.

O autarca Povoense destacou ainda o papel da Autarquia na promoção da economia local, através da criação do Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Económico, com a missão de trabalhar diariamente esta área. “Somando aos incentivos fiscais para a fixação de empresas ou às muitas iniciativas de apoio ao comércio local realizadas pela Autarquia era necessário valorizar as capacidades dos mais novos e daqueles que, tendo potencial para fazer o seu caminho empresarial, não tinham ferramentas que os orientassem”, referiu, assegurando: “Hoje a autarquia está melhor preparada para este desafio e estamos a alargar as respostas de forma a centralizar numa incubadora de empresas a alavanca deste e de outros projetos. Esta ambição representa um contributo para que este concelho seja mais competitivo e menos dependente das indústrias tradicionais”.

Na plateia, estavam essencialmente jovens estudantes do concelho, bem como técnicos, investigadores e dirigentes de diversas entidades com abrangência regional. Mas é nos mais jovens que este projeto coloca a tónica. “Vejam neste projeto uma oportunidade para aproveitarem as vossas ideias e, mesmo que não seja possível passar à prática todas as vontades, ganhem o gosto por lutarem pelo vosso emprego em vez de aguardarem que ele surja do nada”, continuou Manuel Baptista, depositando um voto de confiança na juventude. “Eu acredito muito nos jovens Povoenses. Tivemos recentemente bons exemplos de jovens empreendedores que participaram no projeto INAVE e isso dá-nos uma esperança muito grande no futuro. Por isso, apostamos na formação. Investimos muito na requalificação das escolas e nas bolsas de estudo para que nada falte aos jovens nesta fase importante da sua vida”.

Manuel Baptista agradeceu a disponibilidade da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso, cujos estudantes irão participar nas ações do projeto, e dos empresários que aceitaram apoiá-lo. “Só com o envolvimento de todos os agentes do território é que podemos alcançar os objetivos que definimos”. De referir que o Social Angels, que se prolonga até março de 2016, pretende iniciar o trabalho junto de uma base de 50 jovens, mas o objetivo é aumentar esse número. Pretende-se ainda que existam oito projetos de empreendedorismo, no final, três dos quais estruturantes, ou seja, que além de criarem autoemprego possam gerar outros postos de trabalho.

Mafalda Cabral, administradora da Sol do Ave, também esteve presente. “Os projetos que daqui possam resultar e que os respetivos empreendedores que possam estar qualificados para criar outras empresas poderão vir a ter a seu tempo o apoio financeiro por via dos fundos que a Sol do Ave irá gerir ”, salientou aquela responsável, de entre outras considerações, acrescentando: “Pensamos que ainda este ano é possível abrir novos concursos para começarmos a apoiar os primeiros projetos”. José Eleutério, da Fundação Calouste Gulbenkian também interveio, dando a conhecer o programa cidadania ativa enquanto instrumento financeiro de apoio à empregabilidade jovem, por intermédio do lançamento de mais uma edição do concurso deste programa, no decorrer deste ano, o qual, no mesmo domínio de atuação projeto do Social Angels, está já a apoiar cerca de 21 projetos no total superior a 2 milhões de euros.

Os trabalhos prosseguiram com as intervenções do Vice-Reitor da Universidade do Minho, José Mendes, e do Coordenador do Laboratório Social, Luís Miguel, num 1.º painel moderado pela Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Gabriela Fonseca. Para iniciar o 2.º painel, um grupo de jovens da Escola Secundária, utilizando o teatro enquanto ferramenta, apresentou uma pequena reflexão sobre o emprego e o futuro profissional. Moderado pelo empresário Moisés Campos, da Plako, foi apresentado, no 2.º painel, o projeto Querença (via skype) e o projeto Social Angels – Comunidade Empreendedora. Da parte da tarde, foram debatidas as oportunidades do território com jovens, empreendedores e diversas entidades regionais, num painel moderado por António Baptista.

FAFE VAI ELABORAR PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DESPORTIVO

Pompeu Martins revelou intenção durante colóquio sobre “A Mulher e o Desporto”

A Câmara Municipal de Fafe está a trabalhar para a criação de um Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo. O anúncio foi feito pelo vereador com o pelouro do desporto, na Câmara de Fafe, Pompeu Martins, durante o colóquio “A Mulher e o Desporto”, que se realizou na Biblioteca Municipal.

DCS_1530A

Segundo o autarca, a Carta Desportiva está praticamente fechada, agora há que dar passos para fazer do desporto um meio de desenvolvimento do concelho. Para a criação deste plano estratégico, Pompeu Martins explicou que vão ser envolvidos todos os agentes locais.

“Devemos olhar para o desporto como uma estratégia de desenvolvimento. A Carta Desportiva está praticamente fechada, agora temos de trabalhar para a criação de um plano estratégico do desenvolvimento desportivo. Mas será um plano que vai contar com o contributo de todos. Não será um plano elaborado dentro do gabinete. Vamos reunir com praticantes, treinadores, dirigentes desportivos e população em geral para recolhermos ideias para criarmos um bom plano”.

Pompeu Martins lembrou também que Fafe tem uma tradição considerável no desporto, em diversas modalidades, sendo obrigatório aproveitar esse espírito para impulsionar ainda mais a prática desportiva no concelho.

“Fafe é uma terra que tem, ao longo dos anos, uma oferta diversificada a nível desportivo e onde se veem cada vez mais mulheres. Por isso, temos de aproveitar isso como estratégia”, revelou.

No colóquio, esteve presente também Manuel Barros, diretor regional norte do Instituo Português do Desporto e Juventude, que destacou a importância da elaboração de um plano de ação desportiva para um território.

“É necessário repensar o investimento feito nas políticas do desporto, partindo da necessidade de saber qual a sua importância para o desenvolvimento do país. A economia do desporto é sem dúvida um caso muito sério para o desenvolvimento de um território”, disse, acreditando ainda que “o retorno das ações é muito maior do que o investimento, do que a despesa feita na realização de iniciativas”.

Perante uma plateia maioritariamente de jovens estudantes de Desporto, Manuel Barros lembrou que esta é uma área com muitas saídas.

“Há coisas que estão a mudar a nível desportivo e vocês, os que estudam Desporto, estão a saber adaptar-se e a fazer uma grande revolução. Não podemos ir nos mitos de que há licenciados a mais, todos são necessários. O retorno na aposta no desporto é visível”, frisou.

DCS_1521A

“Era um rapazinho. Não tinha sequer sapatilhas e fato de treino” – Aurora Cunha recordou o seu percurso enquanto atleta

Convencida de que o desporto pode ser um caminho para o desenvolvimento, Aurora Cunha, depois de deixar o atletismo, continuou na área, com participação em colóquios e ações que mostrem a importância do desporto a todos os níveis.

Em Fafe, a ex-atleta confessou que foi 20 anos atleta do FC Porto por opção, recordou o seu início no atletismo, as dificuldades por que passou e os momentos caricatos que viveu.

“Para terem noção de como era o desporto há 40 anos atrás, fui descoberta por um treinador que era serralheiro. EM 1976, eu vivia em Ronfe, uma freguesia de Guimarães, na altura uma aldeia, onde tudo que fosse fora do normal, não era bem visto. O facto de uma rapariga andar a correr era alvo de comentários. A minha família não encarou bem, tudo era um entrave. Mas eu, não me deixei intimidar e lutei pelo que queria”, frisou, lembrando que “naquela altura, não tínhamos nada, não sabíamos o que eram umas sapatilhas ou um fato de treino”.

Oriunda de uma família humilde de 10 irmão, Aurora Cunha falou da primeira vez que participou numa prova em lisboa, onde bateu o recorde da Rosa Mota.

“Ir a Lisboa com o treinador, um homem, foi um problema logo para sair de casa. Quando cheguei a Lisboa, não tinha botas de corrida, fui comprar umas, com dinheiro oferecido por um empresário, mas não havia o meu número. Como sou desenrascada, resolvi a situação com um bocado de jornal na frente da bota e no dia seguinte lá fui correr e bati o recorde nacional que na altura pertencia à Rosa Mota. Costumo dizer que foi por causa das botas serem grandes que ganhei”, recordou.

No seu percurso, Aurora Cunha tem vários prémios ganhos o que a enche de orgulho. Olhando para as novas gerações, a ex atleta deixou a dica de “que o esforço e o trabalho são essenciais para quem quer singrar no desporto”.

De resto, esta foi também uma opinião partilhada por Verónica Costa, ex-atleta fafense do Sporting de Braga, que reforçou que “se não nos esforçamos, ninguém o fará por nós”.“Eu para ser atleta passei por muito e tive de trabalhar muito sozinha. Não me arrependo, porque valeu a pena”.

O colóquio contou ainda com a presença de Inácio Anjos, da delegação de Braga do Instituto Português do Desporto e Juventude, e Aldina Silva, ex-atleta, treinadora e professor no Instituto Superior de Educação de Fafe.

Refira-se que ainda no âmbito deste debate, está patente na Biblioteca uma exposição intitulada “A mulher na Imprensa Desportiva”, constituída por 16 painéis, com notícias publicadas sobre a participação feminina no desporto, desde os finais do seculo XIX até à atualidade.

DSC_6695A

PONTE DE LIMA RECEBE MARCELO REBELO DE SOUSA

Ciclo de Conferências “Escola da Geração Digital: Desorientação, Criatividade e Inovação”

Realiza-se amanhã, sábado 29 de novembro o encerramento do Ciclo de Conferências sobre a “Escola da Geração Digital: Desorientação, Criatividade e Inovação” que o CENFIPE – Centro de Formação de Professores promove em parceria com o Município de Ponte de Lima.

A conferência que já está esgotada é subordinada à temática “Não Temos Wi-Fi conversem entre vocês”. Conta com um painel de oradores de renome, com destaque para o conhecido comunicador, Marcelo Rebelo de Sousa.

A decorrer no Auditório Rio Lima, apresenta o seguinte programa:

8.30h - Abertura do Secretariado

9.00h - Sessão de Abertura

10.00h – Apresentação do Livro/Projeto Pedagógico| Lúcia Barros (Coordenadora)

“A Leitura como Projeto: Percursos Literários do Pré-Escolar ao 3º Ciclo“

10.15h – Apresentação do Livro/Projeto Pedagógico| Miguel e Albertina Fernandes

“Conta a Canção I e II – momentos e potencialidades pedagógico-didáticas de um Livro/CD“

11.15h – Conferência | Eduardo Sá

“Redes Sociais e as conversas sem rede”

15.00h – Ideias No Palco Que nos Contagiam e Inspiram…| José Pedro Cobra

“Tira-se o Hífen ”

16.00h – Conferência Encerramento | Marcelo Rebelo de Sousa

"Um Pai, Avô e Professor conversa sobre educação"

Pág. 1/17