Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

JORNAL "CARDEAL SARAIVA" É UM DOS PERIÓDICOS MAIS ANTIGOS DO MINHO E DO PAÍS!

As origens da imprensa regional estão intimamente ligadas à necessidade de difusão das ideias do liberalismo e do republicanismo, beneficiando do avanço das técnicas da impressão tipográfica e da sua vulgarização. A partir dos finais do século XIX, surgiram um pouco por todo o país jornais regionais que eram sustentados sobretudo pelo comércio local e por uma pequena burguesia instalada nos pequenos aglomerados urbanos da província. Muitas das vezes, por detrás do lançamento de muitos dos jornais regionais encontravam-se as lojas e os triângulos maçónicos em funcionamento nas respetivas localidades.

O Rosquedo - Cardeal Saraiva 1

 

À semelhança do que sucedia com o jornal “O Século”, claramente identificado com a propaganda republicana e anticlerical como aliás o próprio título sugere, dirigido por Magalhães Lima, grão-mestre do Grande Oriente Lusitano, também os jornais regionais assentavam numa rede de correspondentes locais, costume que curiosamente ainda se mantém.

Com o estabelecimento do Estado Novo, a Imprensa regional veio a adaptar-se às novas circunstâncias, caindo numa longa letargia que a impediu de se desenvolver tecnologicamente e inovar a sua linha editorial. Com processos tipográficos antiquados, muitos jornais ainda há relativamente pouco tempo ocupavam as suas páginas com a publicação de extensas colunas de aniversariantes e outras crónicas de natureza social, logrando desse modo obter a ajuda dos seus assinantes.

A década de oitenta do século passado marca um ponto de viragem para a Imprensa regional. A partir de então foram-lhe colocados desafios com vista à modernização dos parques gráficos, mormente à utilização do offset na impressão dos jornais e à adoção dos novos sistemas de fotocomposição. Muitos deles avançaram para a profissionalização do seu quadro redatorial, deixando de limitar-se à colaboração voluntária dos seus correspondentes e outros colaboradores. Entretanto, as novas tecnologias da informação obrigaram a utilização da Internet e a disponibilização de conteúdos on-line.

O Minho possui um conjunto bastante apreciável de jornais históricos que foram acompanhando a evolução dos tempos e continuam a chegar aos seus leitores. Entre eles, conta-se naturalmente o semanário “Cardeal Saraiva” que se publica em Ponte de Lima desde 15 de Fevereiro de 1910. Um título que evoca precisamente os ideais de liberdade defendidos por aquele que foi uma das figuras mais ilustres de Ponte de Lima e do país.

A assinalar a efeméride, o BLOGUE DO MINHO saúda a Imprensa da nossa região em geral e todos quantos tornam possível a publicação do jornal “Cardeal Saraiva” em particular, no reconhecimento do seu papel em defesa dos interesses locais e progresso das gentes do Minho.

O primeiro número do jornal "Cardeal Saraiva" foi publicado em 15 de Fevereiro de 1910 

"O jornal Cardeal Saraiva é um jornal semanário que se edita em Ponte de Lima ininterruptamente desde 15 de Fevereiro de 1910.

António Ferreira, Juiz Desembargador, natural de Ponte de Lima, foi o seu fundador. O espírito da fundação foi criar um jornal novo, isento, cujo título pudesse ser uma homenagem a gente da terra.

Daí a razão de ser do título. Cardeal Saraiva foi um ilustre limiano que dava pelo nome de Francisco S. Luis Saraiva. Foi uma figura ilustre da igreja tendo sido Bispo de Coimbra e Patriarca de Lisboa, mas também Reitor da Universidade de Coimbra, deputado às Corte e até Ministro do Reino.

Desta forma o título deste jornal foi no tempo a única homenagem a esta figura ímpar nacional.

Apesar de o título poder sugerir alguma ligação religiosa, o Jornal Cardeal Saraiva é - e sempre foi - um jornal isento, aberto a todas as crenças e defensor da liberdade de expressão.

Para Castilho, o Cardeal Saraiva foi o grande introdutor da liberdade em Portugal.

Após o período inicial e ainda no primeiro ano de fundação, o jornal Cardeal Saraiva passou a ser propriedade de Avelino Pereira Guimarães, empresário limiano, natural de Pereiro, Labrujó e radicado na vila limiana.

Desde essa data até aos dias de hoje, o Jornal Cardeal Saraiva é propriedade da família.

Em 1991 o jornal Cardeal Saraiva informatizou profissionalizou a sua redação, tendo nessa altura alargado a sua área de ação. Numa conjugação com a realidade da região, o espaço geográfico da recolha de notícias passou a ser a Ribeira Lima, compreendida pelos municípios de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo, mais tarde alargado aos municípios de Esposende e Caminha.

Nos dias de hoje, e após evolução natural, este semanário alargou já o seu espaço noticioso a todo o distrito de Viana do Castelo, tendo correspondentes locais nos principais municípios do distrito."

in http://www.cardealsaraiva.com/

O Cardeal Saraiva, figura proeminente do liberalismo que nasceu em Ponte de Lima, é o patrono do jornal que sempre perseguiu uma orientação livre e pluralista, constituindo uma referência da Imprensa regional do nosso país.