Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

RESTOS MORTAIS DO CARDEAL SARAIVA REPOUSAM NO PANTEÃO DOS CARDEAIS, NO MOSTEIRO DE S. VICENTE DE FORA, EM LISBOA

D. Frei Francisco de São Luís, vulgo Cardeal Saraiva, foi um dos principais vultos do liberalismo e constitui um dos ícones maiores de Ponte de Lima e do Minho. Os seus restos mortais repousam no Panteão dos Cardeal o Mosteiro de S. Vicente de Fora, em Lisboa, ao lado dos demais cardeais da Igreja Católica. Mesmo ao lado encontra-se o Panteão dos reis da Dinastia de Bragança.

Panteão-SVicenteFora 001

D. Frei Francisco de S. Luís, aliás Francisco Justiniano Saraiva, nasceu em Ponte de Lima em 1766 e faleceu em Lisboa em 1845. Aos catorze anos de idade, ingressou no Mosteiro de São Martinho de Tibães, da ordem beneditina, tendo daí saído anos mais tarde para o Mosteiro de Santo André de Rendufe e, posteriormente, para a Faculdade de Teologia da Universidade de Coimbra.

Filiado na Maçonaria da qual chegou a ser Grão-mestre, adoptou o nome Condorcet, tendo ainda integrado o Sinédrio que foi a organização responsável pela revolução portuense de 1820. Apesar dos seus ideais, não deixou de combater os invasores franceses pelos quais muitos liberais tomaram partido sem receio de que tal atitude configurasse um acto de traição.

Após a revolução, tornou-se um dos membros da Junta Provisional do Supremo Governo do Reino e, pelas Cortes Constituintes, nomeado membro do Conselho de Regência. Foi ainda Reitor da Universidade de Coimbra, deputado às Cortes e Presidente da Câmara dos Deputados.

Em 1824, resignou ao episcopado e veio a ser desterrado para o Mosteiro da Serra de Ossa, de onde saiu após a chegada das tropas liberais a Lisboa em 1833. Foi feito Patriarca de Lisboa em 1840 e, em 1843, confirmado no título e pelo Papa Gregório XVI elevado ao cargo cardinalício.

O Cardeal Saraiva deu o nome a um dos mais antigos títulos de imprensa do nosso país, o centenário jornal “Cardeal Saraiva” que se publica semanalmente em Ponte de Lima, tendo constituído durante muito tempo a única homenagem prestada àquela relevante figura nacional.

Há vinte anos, um grupo de naturais de Ponte de Lima radicados na região de Lisboa resolveram prestar-lhe simbólica homenagem com a realização de uma romagem ao seu túmulo, tendo contado com a presença do sr. Fernando Calheiros, então Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima. Lamentavelmente, a iniciativa não teve continuidade para além da que se efectuou no ano seguinte. Nos tempos que correm, as preocupações fugazes da vida sobrepõem-se aos valores espirituais que enformam as grandes civilizações!

Há vinte anos, os limianos que vivem em Lisboa prestaram homenagem a Cardeal Saraiva. Na foto, Carlos Gomes profere algumas palavras alusivas ao homenageado. 

img310

A imagem regista o público que participou na romagem ao túmulo de Cardeal Saraiva, na Igreja de São Vicente de Fora.

img311

O Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, sr. Fernando Calheiros, associou-se à homenagem organizada pelos limianos.