Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

BLOGUE DO MINHO

Espaço de informação e divulgação da História, Arte, Cultura, Usos e Costumes das gentes do Minho e Galiza

MINHOTOS ORGANIZAM ARRAIAL EM LOURES

O Grupo Etnográfico Danças e Cantares “Verde Minho” vai realizar na cidade de Loures um autêntico arraial minhoto, tendo como cenário a réplica das ruínas de São Paulo e que constituiu a fachada do Pavilhão de Macau na Expo’98, atualmente exposto no Parque da Cidade. Trata-se do XX Festival de Folclore Nacional e terá lugar no próximo dia 8 de Junho, com início às 16 horas, com a abertura dos pavilhões onde o artesanato e a gastronomia minhota marcarão a sua presença, culminando o arraial com uma imponente sessão de fogo-de-artifício.

Fotos do Verde Minho 030

Às 20 horas, realizar-se-á o desfile dos grupos folclóricos a partir dos Paços do Concelho com direção ao Parque da Cidade. Pelas 21 horas, terá início a atuação dos grupos folclóricos, com apresentação a cargo do escritor, jornalista e comentador desportivo Fernando Correia.

O Festival de Folclore propriamente dito conta com a participação do Grupo de Bombos “OS BAIONENCES” Baião, a Escola de Concertina “Filipe Oliveira” e a Escola de Concertina “Daniel Sousa”, o Rancho Folclórico São João Batista, de Nogueira-Braga, o Grupo Folclórico da Casa do Concelho de Arcos de Valdevez, o Rancho Folclórico da Casa do Concelho de Ponte de Lima e o Rancho Folclórico da Casa do Minho, além do anfitrião, o Grupo Etnográfico Danças e Cantares “VERDE MINHO”.

O Grupo Folclórico e Etnográfico “Verde Minho” encontra-se sediado na localidade de A-das-Lebres, no concelho de Loures, e é uma associação cultural constituída por minhotos e amigos que vivem na região de Lisboa que procuram manter as suas raízes culturais e as tradições da sua região de origem. Loures, terra de tradições saloias, vai por um dia viver a alegria e a exuberância de um arraial à moda do Minho, montado pelas gentes minhotas que ali vivem e trabalham.